Em 1972, o etologista (quem estuda o comportamento dos animais) John B. Calhoun construiu um paraíso. Numa área de mais ou menos três metros quadrados, com paredes de um metro e meio, dotada de uma grande área comum e diversos “ninhos” acessíveis por rampas nas paredes estava estabelecido o experimento Universo 25: uma utopia para ratos onde jamais faltaria comida ou água, sem nenhum predador à vista. Não tinha como dar errado, não? Continue lendo

Vocês já ouviram falar de um reality show chamado “Power Couple”? Se não ouviram, a partir do mês que vem ouvirão. E muito. É que nosso amado Rafael Pilha participa com sua maravilhosa esposa Aline Kezh desta competição. E desta vez não tem juiz safado impedindo, como aconteceu na última edição da Fazenda, já está sendo gravado. É um sonho virando realidade, é natal no Desfavor: um reality altamente competitivo com o Pilha. Pode dar logo o prêmio para ele! Pode mudar o nome da porra do programa para Power Pilha, todo mundo saber que o carisma avassalador do nosso herói vai roubar a cena! Continue lendo

Em tese, já devemos estar muito próximos de uma inteligência artificial generalista. Mesmo que ainda não exista o código necessário para colocar entre nós uma mente artificial capaz de aprender e adaptar-se a qualquer situação, já temos capacidade de processamento nos computadores para acomodar tais funções, demanda e muita pesquisa. Faz sentido tratar essa tecnologia como uma questão de “quando” ao invés de “se”. Mas nesse caminho aparentemente inescapável, temos alguns dilemas da mente robótica que ainda não estão resolvidos, e a resposta errada pode ser catastrófica… Continue lendo

O texto de hoje é desagradável, porém, necessário. Entendo se você não quiser ler hoje, apenas saiba que ele está aqui, para quando você precisar. Já é suficientemente ruim ter que lidar com a dor da morte de uma pessoa querida, ninguém merece ainda ter que correr atrás de saber tudo que deve ser providenciado com sua morte. Tá tudo aqui, em um único lugar. Desfavor Explica: burocracia pós morte. Continue lendo

Relacionamentos, como qualquer outra coisa dependente de pessoas, não são perfeitos. E com falhas, vem a possibilidade de que um faça mal ao outro, deixando feridas emocionais no processo. Sally e Somir discutem a extensão da capacidade humana de perdoar e manter o relacionamento. Os impopulares cutucam a ferida.

Tema de hoje: existem feridas incuráveis num relacionamento?

Continue lendo