Processa Eu!: Detestácio de Çá

Quando mente o nariz cresce!Você acha que seu colégio ou a sua faculdade são bagunçados? Você acha que o ensino é pouco sério no seu país? Você acha que as faculdades nem sempre formam profissionais preparados para encarar o mercado de trabalho? Sorria, tudo poderia ser pior. Na Suíça não há disponibilidade de vagas para todos no ensino público e as faculdades privadas costumam ser um lixo. O que fazer? Cortar o dedo mindinho, se aposentar por invalizez (no teto do valor) e virar Presidente da República. Mas mesmo na Suíça, este país precário, existe um lugar notoriamente conhecido pelo ensino de merda, onde até mesmo um analfabeto passa no vestibular, onde anúncios de jornal pedem profissionais que não sejam formados por esta faculdade. Processa Eu de hoje fala sobre a faculdade referência de incompetência e falta de seriedade: Detestácio de Ça.

Eu sei que nós, que vivemos no Brasil, estamos acostumados com ensino de alto nível, faculdades e universidades bem equipadas, com vagas para todos e excelência no ensino. Mas na Suíça não é assim. Coitadinho do povo suíço! As faculdades públicas, que costumam ser as melhores, dispõe de pouquíssimas vagas, que são preenchidas justamente por aqueles que tem dinheiro, que acabam pagando cursinhos pré-vestibular caríssimos e tomando as vagas de quem não pode arcar com o custo de uma faculdade. Os pobres vão para faculdade privada e os ricos para a faculdade pública. Coisas da Suíça. E as faculdades privadas no geral são muito ruins.

Dentre estas faculdades privadas, existe uma que é referência nacional de vergonha alheia, a Detestácio de Ça. São inúmeros episódios que comprometem sua credibilidade, sendo o mais famoso deles amplamente divulgado pelo programa de TV de maior audiência na Suíça, aquele que passa todo domingo à noite: o critério para seleção de alunos é tão rigoroso, mas tão rigoroso que um ANALFABETO passou no vestibular desta faculdade. Só para que não pairem dúvidas: a pessoa que sabe escrever poucas palavras já não é considerada analfabeta e sim semi-analfabeta. O indivíduo que passou era analfabeto MESMO. Para aqueles suíços que tem a felicidade de morar em cidades que não foram contaminadas por esse câncer que se espalha mais rápido que Igreja Universal e Mc Donald´s, venho apresentar a verdade: este fato é apenas um dos muitos que mostra o tipo de ensino prestado por esta instituição. Quando ela chegar na sua cidade, corra.

Este caso do analfabeto não foi uma experiência qualquer, um azar. O programa de Tv acompanhou tudo com câmeras escondidas, a história está amplamente documentada. Foi um ato investigativo com muitas provas. O candidato analfabeto marcou apenas letras “a” e “b” nas respostas das questões de múltipla escolha e na hora da redação disse que estava passando mal e foi embora, entregando sua redação EM BRANCO. Cinco dias depois foi divulgado o resultado (é o caralho que neguinho corrige uma porrada de redação em cinco dias, nem leram!): o analfabeto tinha sido aprovado. Não apenas isso, foi entregue uma declaração, e papel timbrado da faculdade onde constava que ele foi aprovado EM NONO LUGAR, COM 2.562 PONTOS. FUCKIN´ NONO LUGAR! Imagina qual era a capacidade intelectual da galera que ficou abaixo dele! Sentiram o nível? O analfabeto não apenas foi aprovado, como ainda foi aprovado com LOUVOR! Quem eram seus concorrentes? Uma samambaia e um hamster?

Não raro você abre um jornal suíço e pode ler nos classificados “Precisa-se de advogado para tais e tais funções, horário de trabalho tal, salários tal, obs: não aceitamos alunos formados pela Detestácio de Çá”. (miacabo quando leio isso). Em entrevistas de emprego também é muito comum ver as portas se fechando quando a pessoa cita esta boat… errr… faculdade como sendo o lugar onde se formou. Claro que os responsáveis por esta boate cospem dados e estatísticas que qualquer pessoa com cérebro percebe o quanto podem ser distorcidas e manipuladas, para fazer parecer que é um ensino de qualidade. No que diz respeito à minha área, basta ver o número de aprovados na prova da Ordem dos Advogados da Suíça. Compare o número de INSCRITOS oriundos desta faculdade com o número de APROVADOS desta mesma faculdade (quando tem). Ui ui ui, que vergonha alheia!

Mas seria covardia falar da minha área, né? Fui pesquisar, conversar com pessoas que estudam ou se formaram neste local. Obtive algumas informações interessantes. Por exemplo, em algumas carreiras onde há provas práticas de anatomia, acontecem eventos bizarros. Uma das provas consiste em deixar “peças” (peças = pernas, braços etc…) em uma mesa e o aluno tem que dissecar a peça com um bisturi, sem romper nenhum tendão, músculo, nervo ou nada importante. Daí os alunos de Detestácio de Çá se preparam muito bem para esta atividade, comparecendo com todo o material indispensável: jaleco, bisturi e SUPER BONDER. Catucam, cavucam, cortam e quando cortam algo importante, colam de volta com super bonder, já que o professor está lendo um jornal, ou do lado de fora da sala falando ao telefone ou xavecando uma aluna em um canto. Quando terminam, chamam o professor, que dá uma olhada rápida e constata que todas as estruturas importantes estão intactas, aprovando o aluno. Mas sabe ele que está cheio de super bonder. Que beleza de profissionais que estão colocando no mercado, hein? Imagina que bacana alguém cortando um tendão seu e colando com super bonder?

A fama da Detestácio é tão ruim na Suíça que já virou piada. É sério, tem piadas famosas sacaneando o nível do ensino. Exemplo: um sequestrador, ao fazer exigências para a polícia e diz “Quero um helicóptero, dez mil reais em notas de cinquenta e um advogado que não seja formado pela Detestácio de Sá!”. Piadas criadas e espalhadas pelos próprios alunos. “Vestibular dia 10, resultado dia 11, matrícula dia 12”. Ou ainda: “Alô? É da padaria? – Não, é da Detestácio de Ça – Desculpe, foi engano – Tarde demais, senhor, o senhor já foi matriculado”. Detalhe que as principais fontes para escrever este processa eu não foram alunos de universidades rivais e sim os próprios alunos da Detestácio. Se conhecer algum, pergunte-lhe sobre a excelência do ensino. Com certeza ele terá alguma história bizarra para te contar.

Por exemplo, quando perguntei sobre o pagamento da mensalidade, três alunos de localidades diferentes me responderam “Mensalidade? Que mensalidade? A Detestácio tem CONSUMAÇÃO MÍNIMA, não mensalidade! Hahahaha”. Em todo caso, nem mesmo essa “consumação mínima” eles levam a sério. Em uma unidade no Nordeste, começaram a tacar reajuste sem respeitar a lei e tomaram uma multa de 500 milhões. O que aconteceu? A mensalidade subiu, ou seja, o valor da multa foi repassado e diluído entre os alunos. Assim fica fácil não respeitar a lei, quando quem paga a conta são os seus alunos. E nem vou falar dos cursos de “graduação à distância”, um dos esquemas mais “medonhos” de ensino que eu já vi.

Tudo bem, pessoas podem inventar boatos maldosos. Então me deixem falar do que eu vi. Na cidade sede da Detestácio, Jio de Raneiro, uma das mais zonadas cidades suíças, no curso de educação física, um dos cursos mais zonados das faculdades, os alunos simplesmente ganham as horas de estágio necessárias para se formar por atividades fora da sala de aula. Tá pensando que estamos falando de prática de esportes ou estágio ao ar livre? Não, estamos falando de festinhas, como por exemplo, uma festa realizada neste mês em um inferninho chamado Pundição Frogresso, para comemorar o dia do profissional de educação física. Festinha com muita bebida alcoólica, funk e putaria. Valia como horas de estágio. Processa eu que eu provo que isso é verdade, daí esse pardieiro vai ser decretado um antro da baixaria por sentença, vou adorar ver. Mal posso esperar. Bota o “jurídico” (hahahaha) de vocês para trabalhar, tô doida para enfrentar os ADEVOGADOS da casa. Eles assinam com o dedão?

Aliás, se a Detestácio quer falar em direito e lei, deveria começar dando o exemplo, e não demitindo seus professores quando estes estão no período de férias, via correio, e sem pagar os direitos trabalhistas. Mais barato colocar aula online, né? Se já estava na rabeta na avaliação do MEC com aulas presenciais, imagina como vai ficar agora. Além disso houve redução de um terço no salário dos professores, descumprindo uma Convenção Coletiva do Trabalho, superlotação de salas de aula e outras tantas baixarias que meu limite de quatro páginas não comporta citar. Não sou eu quem diz, é o Sindicato dos Professores, que apresentou denúncia pública, inclusive junto ao Ministério Público do Trabalho. Processa Eu e processa eles também. Processa o Desfavor mas processa os seu próprios alunos e os seus próprios professores que só metem o pau na Detestácio.

E para completar a série “se me processar explique isso em juízo”, quero dizer que já recebi diversos e-mails de pessoas reclamando da desonestidade da Detestácio de Çá e pedindo ajuda. Um deles, por exemplo, vindo de Fortaleza, narra que se inscreveu em um curso de Serviço Social à distância e depois de algum tempo descobriu que este curso não era reconhecido pelo MEC. A Detestácio alegou uma portaria que não vou citar por questões éticas (mentira, eu não tenho ética com estelionato intelectual: portaria nº 442) para justificar a validade do curso. Procuro daqui, fuço dali, consulto colegas e descubro que… esta portaria autoriza a Detestácio a ministrar cursos à distância, ponto. Mas, para cada curso à distância, em cada área, é preciso uma autorização específica do MEC. Resumindo a grosso modo, é preciso uma autorização por cidade. Conclusão: está pagando por um curso que atualmente não é reconhecido pelo MEC por falta de um requisito específico.

A última notícia que tive desta pessoa é que teria ingressado na justiça contra a Detestácio. No Jio de Raneiro tem várias decisões condenando a Detestácio por isso, recentemente tive notícia de uma na qual teve que indenizar um aluno em 16 mil contos, por não terem informado previamente que o curso ainda dependia de regularização. Também foram condenados judicialmente a indenizar uma aluna, porque ela pagou matrícula após ser aprovada no vestibular (cof!cof!) e a Detestácio desistiu de abrir turma para seu curso e também se recusou a lhe devolver o valor pago pela matrícula! Desonesto, né? Feio, muito feio.

E por falar em MEC, como será que ela está cotada pelo MEC? Tá ruim pra cachorro o negócio. Vira e mexe tem unidades na lista negra do MEC, ou seja, aquelas que tiram notas tão baixas, mas tão baixas que tem que se justificar e informar quais são as medidas que pretendem tomar para não repetir esse vexame. Sem contar que no ranking geral sua colocação tá lá no final da tabela. E na lista de inscritos x aprovados da prova da OAB? Ihhh… melhor mudar de assunto. Até porque os números são de 2009, já já sairão os números de 2010 e a gente ri um pouco mais. Desculpem não citar, mas é que são tantas unidades, numa vibe meio Mc Donlad´s, que a lista ocuparia duas das minhas quatro páginas.

O que não me faltam são histórias escabrosas para contar sobre o rigor do ensino na Detestácio. Professores mandando alunos privilegiados colocarem “asteriscos” no canto da folha da prova para que esta seja corrigida com mais “carinho” (o primeiro que me encher o saco eu chuto o balde e dou nome e sobrenome e unidade do professor – melhor me deixar quieta, ou então o livrinho dele sobre alongamento pode encalhar nas prateleiras quando descobrirem que ele não tem ética), alunos que jamais compareceram a uma aula e não foram fazer prova passando com nota nove ou dez, alunos reprovados sendo aprovados algumas semanas depois do professor lançar o resultado por ordens superiores e um diploma para um aluno que morreu no meio do curso são algumas das atrocidades que já acompanhei de perto.

Eu mesma já vi o tamanho da bandalha. Um amigo meu que fazia direito na Detestácio me pedia para ir fazer as provas dele porque ele nunca tinha tempo de estudar (filho pequeno somado a dois empregos). Na primeira vez eu estranhei: “Fulano, eu sou mulher, eles não vão perceber que eu não sou você?” Ele riu: “Você não tem noção da zona que é, pode ir com tranqüilidade”. Fiz a prova, assinei o nome dele, entreguei e ele passou com dez. Pior: uma vez, por força do hábito, a imbecil aqui assinou O PRÓPRIO NOME na prova, daí voltei na sala e disse ao professor a seguinte pérola: “Professor, me desculpe, é que ERREI MEU NOME na prova, posso corrigir?” e o professor deixou sem qualquer problema. Risquei meu nome, coloquei o nome do meu amigo e ele passou com dez. Definitivamente uma instituição séria.

O curioso é que os próprios alunos metem o pau sem medo. Não raro vemos circulando uma Moção de Repúdio ou denúncias como nome e sobrenome. Os próprios alunos de revoltam e se sentem prejudicados com a bandalha que é o ensino nesta… digamos… Faculdade. Li várias críticas assinadas por muitos alunos com nome, sobrenome e documento de identidade de cada um deles, uma mais medonha do que a outra, mas infelizmente o limite de quatro páginas me impede de detalhar. Prefiro contar as baixarias internas, aquelas informações privilegiadas que não podem ser Googladas. Tentem “Detestácio + vergonha” e suas derivações. É material que não acaba mais.

Historinha engraçada presenciada por uma pessoa de confiança: em uma prova onde o aluno deveria identificar as partes do corpo marcadas por alfinetes coloridos, o professor, parado ao lado do aluno espera a resposta. O alfinete que indica a parte a ser identificada está cravado no joelho, mais precisamente em um osso do joelho. O aluno olha com olhar bovino, com cara de wat. O professor, comovido, decide dar uma ajuda: “Pa…”. O aluno continua olhando com cara de poucas idéias, aquela cara de Cigano Igor. O professor, já meio impaciente, dá uma ajuda extra: “Pa… te…”. O aluno faz cara de quem está pensando e fica uns cinco minutos em silêncio. O Professor de saco cheio move os lábios sem emitir som: “la”. “Patela, professor? é isso?”. O professor revira os olhos, faz que sim com a cabeça e aprova o aluno, que hoje é professor de musculação de uma academia no Jio de Raneiro. Este é o nível da Detestácio de Çá. Quer saber? Já acho lucro o professor saber que o nome atual é patela e não rótula. Porque os professores bons, com nome, conceituados que eles contratam são apenas para divulgar. Na hora de dar a aula, quem vai é um pau mandando do professor, um substituto, um monitor ou um orangotango de paletó. Nome famoso é mera isca para atrair pessoas inocentes.

Sem contar o número de “trapaças institucionalizadas” que eles próprios autorizam, como por exemplo o tal do “estudo dirigido”, onde o aluno recebe autorização para não frequentar a sala de aula, “estudar em casa” e fazer uma prova online, EM CASA MESMO, porque eles acreditam que o aluno vai fazer uma prova em casa sem colar, sem consultar. E MESMO ASSIM, GRANDE PARTE DE ALUNOS DA DETESTÁCIO SÃO REPROVADOS DURANTE SUA GRADUAÇÃO. Gezuiz, apaga a luz! Nem consultar neguinhos sabe! O mais engraçado vocês não sabem: pude presenciar um aluno que teve deferido por escrito o pedido para cursar matérias nesse “estudo dirigido”, até que, no meio do semestre mandaram um “foi mal, foi engano” para ele, dizendo que esta opção não estava mais disponível e que também não poderia mais cursar a matéria em sala de aula porque as aulas já estavam em andamento. Ou seja, não se matriculou na matéria em sala de aula e ficou sem o estudo dirigido. Resumo: não conseguiu se formar no final do ano, como havia planejado. Ao reclamar com autoridades superiores e dizer que iria processar a Detestácio, ouviu a seguinte pérola: “Vai processar? Fica à vontade, o valor da sua indenização já está embutido na nossa mensalidade, a gente não vai ter prejuízo”.

Nada é de graça na Detestácio. Tudo é cobrado. Peidou? É cobrado. E pasmem: é cobrado e os serviços são ineficientes. Você tentar entrar em contato com o setor de informações e ao fazer algumas perguntas bem básicas, escuta um “Ihh, isso eu não sei te informar não”. WAT. É cobrado por documentos que deveriam ser fornecidos gratuitamente. Certa vez um aluno pediu uma certidão, que veio ERRADA, por erro da Detestácio ao elaborá-la, e ao pedir uma certidão correta, foi cobrado novamente! Ao reclamar escutou um sonoro “Não adianta, se não pagar não vamos emitir” e se viu rendido, obrigado a pagar pelo erro alheio.

Daí você, Caro Leitor, que é uma pessoa com discernimento, deve estar se perguntando porque a população suíça insiste em se matricular em uma porcaria como a Detestácio. Bem, em primeiro lugar, os serviços públicos são uma merda e não há vagas para todos (aliás, para quase ninguém) nas Universidade Públicas, que também não são lá essas maravilhas pois além de faltar infraestrutura, frequentemente entram em greve. Mas o diferencial é que o povo suíço, por ser muito ignorante e manipulado, cai como um patinho em truques de publicidade. Então, quando a Detestácio coloca um anúncio com o Huciano Luck sorrindo de orelha a orelha e o povo acredita. Quero só ver se os filhos do Luck vão estudar da Detestácio. Quando divulgam contratação de professores de renome, as ovelhas suíças acreditam que eles de fato darão aulas em diversas unidades. Com estes e outros esquemas sórdidos para captar alunos peneirados pelo vestibular das faculdades públicas, a Detestácio vem enchendo o cofrinho e promovendo o maior estelionato intelectual de todas a história do ensino. Corra, leitor, corra porque mesmo que você não faça questão de um ensino de qualidade, nem mesmo respeito ao aluno como consumidor eles tem. Eu até respeito mercenários, o que eu não respeito são incompetentes.

Para contar sua historinha bizarra sobre a Detestácio de Çá, para dizer que vai fugir de qualquer profissional formado ali ou ainda para dizer que quer abrir uma filial, porque é ainda mais lucrativo que abrir templo: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (40)

  • Mais fácil ter graduação boa pela Detestácio de Çá do que ter um orçamento honesto da Impacto Centro Automotivo. Pra quem é do interiorrrr de São Paulo (Somir, oi?), fica a dica de um lugar pra passar longe com seu carango.

  • “Para aqueles suíços que tem a felicidade de morar em cidades que não foram contaminadas por esse câncer…” Verdade. Graças ao queridão que queria universidade para todos. Tinha uma época que era insuportável, toda semana tinha uma inauguração dessa porcaria, com vestibular anunciado em jornal. Quando não era essa era a concorrente que faliu. Mas agora que estão pensando em vender, pensamento positivo que esse local também vai falir.
    Se estava todo mundo passando com notas 9 ou 10 isso não era uma boate e sim escola de samba, que não pode receber nota menor do que 7.

    Tá louco, ser atendido por um médico formado lá. Antes disso eu vou a um veterinário experiente.

  • A detestácio é tão boa que tem aluno que pulou fora da Unisebo depois que ela passou a assumir a marca detestácio e a adotar o modus operandi dessa budega, que comprou a Unisebo pra manter o TRÊS.

  • E eu me lembrando de uns tempos atrás (bem antes de eu conhecer o desfavor) quando joguei a trollada direcionada aos “liberotários” sob o título “USP com o padrão Estácio de Sá de Qualidade… O que acham?” no Orkut. E ver que teve otário que caiu… Hahahahahahahahahahahahahahahaha!

  • Um Curso so passa a ser reconhecido pelo Mec,quando forma a primeira turma,portanto,nao e verdadeira a afirmacao feita pelo autor.ele para funcionar precisa ser pelo menos autorizado.

  • Já ouviram falar da premiação do governo para as escolas públicas com bom rendimento? Então, nenhum aluno tem notas baixas mais, digo com certeza, convivo com uma professora de ensino fundamental.
    Vão todos crescer analfabetos para depois se formarem na Detestácio e votarem em palhaços, cantores e prostitutas.
    Brasiiilllll !!!!!

  • "Falta engenheiro qualificado MEU OVO. Tá cheio de engenheiro por aí. (…)Mas nego não quer pagar salário adequado".

    Pois é, Jacinto, é uma pena, até porque, por falta desse salário adequado, muitos engenheiros acabam largando cedo a carreira.

    Por exemplo, a grande maioria dos que passam em concursos de primeira linha são engenheiros. Sem falar dos que ingressam no mercado financeiro, ou então iniciam outro curso – especialmente Direito – e conseguem excelentes posições na Magistratura.

    E a mesma coisa acontece com outros cursos. Enquanto os concursos públicos aceitarem qualquer diploma de nível superior, muito futuro professor, engenheiro, profissional da saúde, muito futuro administrador, advogado, contador, músico, médico, contam os minutos para pegar o diploma para se inscrever em concursos da Receita Federal, Banco Central do Brasil e outras carrerias típicas de Estado com 5 dígitos de salário inicial. Ou pior, se contentam com os cargos que exigem só o ensino médio.

    O foda dessa situação é que a grande parte dos aprovados são de faculdades públicas. Ou seja, nós pagamos o curso deles (só faltava a Detestácio ser pública), e muitos nem exercem a profissão.

    Com carreiras que pagam pouco ou nada, investir mais em educação pública, para quê?

    Nesse sentido, o diploma deles se torna tão inútil para a sociedade quanto para um aluno da detestácio.

    Na Autarquia em que trabalho, arrisco dizer que metade dos recém-aprovados saíram praticamente direto das melhores faculdades públicas. E isso vai crescer ainda mais no próximo concurso.

    Suellen

  • Avatar

    Jacinto Pinto Aquino Rego

    Suellen, o problema no robanel foi o mesmo problema do metrô e de tantas outras obras públicas pelo Brasiu iu iu. Como o empreiteiro paga o por fora, além das doações, não tem fiscalização alguma.
    Falta engenheiro qualificado MEU OVO. Tá cheio de engenheiro por aí. Nego quer contratar um recém contratado por 3 conto.
    Tenho uma amiga formada em universidade BOA, é uma boa enga. mecânica e trabalha preenchendo tabela, fazendo superfaturamento pra Andrade Gutierrez.
    Engenheiro tem. Mas nego não quer pagar salário adequado.

  • Tem cursos de Engenharia nesta porcaria?

    Pensar que poderemos ter engenheiros da Detestácio nas obras para a Copa e para as Olimpíadas, mesmo apenas carregando cimento, instalando fio e assentando tijolo, já é preocupante…

    Ou então quando parte de um viaduto do Rodoanel desabou durante as provas, e um Diretor da Dersa disse que faltava engenheiro qualificado…

    Olha, depois de fazer um ano de faculdade particular, estou na segunda faculdade pública, e alguns dos problemas SÉRIOS apresentados aqui também se aplicam ao ensino público. O único atrativo é ser de graça.

    Suellen

  • O que acontece no nosso país, e isso acontece há muitos anos, é a questão do populismo, aonde o principal objetivo do governante é agradar a população, e não resolver problemas da sociedade. Dessa forma, além de nunca tomar nenhuma medida impopular, problemas sérios cuja solução necessitaria de uma grande dose de sacrifício são contornados por medidas paliativas. A questão da educação pública é sintomática. Por exemplo, em vez de criar vagas em escolas boas, populariza-se o ensino de segunda classe, seja por vagas noturnas, à distância, ou por faculdades que não exigem muito do aluno. No mercado de trabalho faz-se o mesmo, nivelando-se por baixo a qualificação mínima exigida de uma pessoa para trabalhar, pela criação de subempregos. É claro que existe o problema de curto prazo (inserção de miseráveis na sociedade), mas educação é algo que tem que ser pensado a longo prazo!
    O resultado disso é apenas a propagação da desigualdade, mas em outra esfera…e definitivamente não é um bom plano para o nosso futuro!

  • Sou aluna de um campus na Baixada Fluminense e não vejo a hora de sair daquela bagunça. Já transferiram minha matrícula pro campus Presidente Vargas sem a minha autorização e cobraram o dobro do valor da minha mensalidade colocando um "reajuste de período" como motivo para tal.
    E a infraestrutura nem é muito diferente das públicas, já que o elevador vive travando e indo parar nos últimos andares. Semana passada, ele travou comigo no 3º andar.

    Adimito que fui pra lá sabendo a merda que seria, mas era o único lugar no qual conseguiria entrar no final de Fevereiro, já que não fui tão bem no ENEM e não consegui vaga na Unirio. Morro de vergonha de dizer que estudo lá, muitos alunos não tem um pingo de seriedade e só estão lá porque querem mostrar pro papai que tem um diploma.

  • Minha opinião sobre ensino à distância: é para POUCOS.

    Para que funcione é preciso que o aluno tenha:

    1) Força de vontade e disciplina de assistir às aulas, porque não será controlado ou poderá burlar esse controle

    2) Grande poder de concentração, uma vez que ninguém vai ver se ele está prestando atenção, dormindo ou jogando Nintendo DS

    3) Capacidade de postergar eventuais dúvidas para somente perguntar ao final, coisa que muita gente não consegue (uma dúvida no meio do caminho embaralha tudo dali para frente)

    4) Mais uma meia dúzia de particularidades que tornam viável apreender o conhecimento desta forma, que não caberiam aqui

    Tudo isso é muito difícil de ser encontrado em adolescentes, criaturas sonolentas, cheias de hormônios e dispersas por natureza.

    Talvez em pessoas adultas, no caso de um mestrado ou doutorado funcione melhos, mas em faculdade, colégio ou cursinhos pré-vestibuar acho contraproducente, poucas pessoas dessa faixa estária tem o que se precisa para usufruir deste tipo de ensino.

  • louca pra ler o texto sobre a situação no Equador. Não acharam muito melodramática o presidente, se fazendo de coitado. Quero ver se os próprios benefícios eles cortaram ??

  • louca pra ler o texto sobre a situação no Equador. Não acharam muito melodramática o presidente, se fazendo de coitado. Quero ver se os próprios benefícios eles cortaram ??

  • Senhores, vou levantar agora uma bola meio em paralelo com a discussão principal do post.
    Não considerando a experiência(?!?) da Detestácio, qual a opinião dos senhores em relação ao ensino a distância?
    Evidentemente há disciplinas que só funcionam mediante ensino presencial: laboratórios, prática clínica e similares. Mas não vejo por onde o ensino presencial seja 100% imprescindível no ensino de disciplinas puramente teóricas como Teoria Literária, Análise Semiótica, Historiografia, História da Ciência, Farmacocinética (teoria, não lab.) e tantas outras.
    Os senhores acreditam que o ensino a distância ou semipresencial pode integrar a solução para a oferta de educação superior em alguns cursos e áreas? Sim, não, talvez, depende, sei-lá-mil-coisas, foda-se, nda?
    Forte abraço!

  • Eu estudei lá e agora estou fazendo outra faculdade, mesma carreira, porque o diploma de lá não vale nada. Não só não ajuda, como ainda fecha portas!

  • Minha mãe é professora de lá e confirmou que tem ordem mesmo para não reprovar muita gente.

    Ela já me mostrou umas provas dos alunos dela e tem gente que é realmente semianalfabeta, sem exagero!

  • Sou aluno dessa titica e já vi cada coisa que até o diabo duvida. Aluno com matrícula trancada tendo nota divulgada em mural e até mesmo aluno que morreu tendo nota divulgada em mural. Tipo, o aluno morreu no mês anterior ao dia da prova e tava lá o nome dele com uma nota nove do lado. Só se a prova dele fosse psicografada!

  • Pois é, Jacinto. Isso é o correto: todos terem oportunidade de entrar, mas só sairem aqueles que tem capacidade e se esforçaram

    Marcial, concordo com você, o povo só que diploma para provar que é "dotô" e eventualmente ter direito a prisão especial

  • Azar, até porque quando papai governo tiver na pendura, é capaz que mandem privatizar o K.O. da Facu Pública, e um dos maiores compradores tendem a ser os controladores da Estácio S/A.

    E foda-se a qualidade porque o povinho quer é diploma só para mostrar que é "dotô" e que tá por cima da carne seca.

  • A pior coisa que me aconteceu em toda a minha vida acadêmica foi orientar um egresso dessa desgraça.

    NUNCA MAIS!

  • Avatar

    Jacinto Pinto Aquino Rego

    Querida obesa portenha…
    estudei em uma universidade particular, fiz engenharia elétrica. É uma das melhores do país. E no primeiro semestre tinha nego semi analfa. Sério. Imagina o caboclo lendo O-LI-MI-TEEEEE-DA-FUN-CAO (wat?) das quarto turmas de 40 alunos se formaram… 13! Mas era assim que a faculdade se financiava. Esses não passavam de semestre. Conheci neguinho que fez SEIS VEZES o primeiro semestre até desistir. Era deprimente ver isso. Tinha uma filtragem monstruosa lá dentro, já que o vestibular era uma piada.
    Sinda o vestiba: Das 13h as 17h. Eu tive uma diarréia monstruosa, passei das 14h as 15h no banheiro e ainda voltei mais duas vezes praquela mijadinha rápida pelo cu.
    E TERMINEI A PROVA FALTANDO MEIA HORA PRA ACABAR O PRAZO! VAI TOMA NO CU!
    Agora lá dentro era trash… se professor tivesse que reprovar 90% da turma, reprovava. Isso era o que salvava.

  • Quando você não pode "puxar" muito porque a maior parte da turma é muito despreparada, fica difícil que os poucos bons alunos que tem consigam um ensino de qualidade.

    Quando o professor tem que dar uma aula rasa, porque se aprofundar, 90% da turma fica com cara de wat, os bons alunos não tem seu potencial explorado.

    É por isso que eu digo que a Detestácio NÃO FORMA BONS ALUNOS, mesmo aqueles que são inteligentes e capazes "emburrecem" para se manter no mesmo ritmo dos demais, pois recebem um ensino menos profundo do que receberiam em uma faculdade com turma composta, em sua maioria, por cabeças pensantes.

  • A Detestácio parece uma versão de ensino daqueles aparelhos mágicos da Polishop que "basta cinco minutos por dia, sem dieta para reduzir gordura e medidas"

    Não funciona mas sempre tem gente que quer acreditar

  • Tem uma dessas na esquina da minha casa e quando eu vou levar minha filha para a escola eu sempre falo pra ela "se você não estudar, vai acabar parando AQUI"

  • E quando os próprios professores escrevem com erros de português? Acho que o critério para seleção de professores é o mesmo da seleção de alunos, viu?

  • Fui professor desse lugar aí e pedi demissão porque tentei reprovar os alunos que não sabiam nada e me deram uma contra-ordem para não reprovar tanta gente.

    Olha que eu nem sou muito exigente, só estava reprovando aqueles que mal sabiam escrever! Eu me recuso a trabalhar em uma instituição que não me dá autonomia para reprovar aluno semi-analfabeto!

  • Eles até tentaram se esforçar pra melhorar e moralizar, mas saca, o nível dos alunos é tão baixo que se não ficar dando ponto e dando resposta, ninguém passa!

  • Avatar

    Aluno da Detestácio

    Pior que é mesmo. Se contar as coisas que acontecem lá dentro ninguém acredita.

    Uma vez o professor ditou as respostas que a gente tinha que escrever numa prova quando viu que ninguém sabia nada e que ia reprovar a turma toda. Tipo, foi que nem ditado MESMO

  • "Os pobres vão para faculdade privada e os ricos para a faculdade pública"

    pode ficar tranquila, que o governo tá fazendo o possível pra deixar a faculdade pública uma bosta, assim os pobres poderão ir pra lá também. (afinal, antigamente era assim com escola…a boa era a pública, mas eles conseguiram, com algumas exceções, mudar essa realidade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: