Ele disse, ela disse: Traz o papel?

FuckfuckfuckfuckfuckComprovando a vocação intelectual do desfavor, hoje trataremos sobre um assunto de suma importância na vida de um ser humano que se preze: O dilema da falta de papel higiênico. Diante da merda literal e da figurativa, Sally e Somir divergem sobre o papel mais aceitável…

Tema de hoje: É aceitável pedir papel higiênico para terceiros?

SOMIR

Não é agradável, não é motivo de orgulho, mas dadas as seguintes circunstâncias é mais do que aceitável! A vida é feita de escolhas, a vida é feita de comprometimentos com seus ideais… E podem me chamar de romântico incorrigível, mas manter minha bunda limpa é um desses ideais.

Mesmo que exista um preço a se pagar por isso. Reconheço que não é um dos momentos mais glamourosos da vida berrar pela porta do banheiro que precisa de um rolo de papel higiênico, mas ignorar completamente sua humanidade por um senso de dignidade distorcido também não diz maravilhas sobre você.

Sempre considerei o papel higiênico uma das maiores invenções da humanidade. Frequentemente negligenciado por sua função desagradável no imaginário popular, é definitivamente uma das idéias mais brilhantes da humanidade. Uma que nos carregou a uma nova era de cus menos fedidos no dia-a-dia. Vamos cagar em cima da evolução social e tecnológica humana por medo de descobrirem que cagamos?

Ah, vá à merda!

Pensemos numa situação possível: Você acaba de fazer sua arte barroca, pintando a porcelana. Aquele alívio que só um intestino seguro de ter cumprido sua missão dá lugar ao desespero ao se notar que não há mais papel higiênico no rolo… E agora? Temos uma bunda cagada e uma tragédia anunciada!

Primeira idéia: Adeus, meia! Mas… isso só funciona em alguns casos específicos, e mal e porcamente, para completar. Se você está usando uma meia branca comum, o tecido consegue absorver os resíduos, até mesmo se eles forem mais líquidos que o normal (Diarréia atrai falta de papel, lei de Murphy…). Mas nem sempre estamos de tênis. Principalmente no caso das mulheres… E várias meias são feitas de tecidos mais finos e elásticos, que além não coletar merda ainda fazem o desfavor de espalhá-la mais ainda.

E para completar, convenhamos que é uma oferta de área útil muito limitada. Duas meias, frente e verso. Mas é tecido, capaz do verso já estar irremediavelmente amarronzado quando você finalmente puder utilizá-lo.

O mesmo vale para a maioria das outras peças de roupa que acabam se tornando vítima da falta de papel. Falta espaço e nem todos os tecidos servem para isso. E reze para o banheiro ter lixo. Resultado: BUNDA SUJA.

Segunda idéia: Água! Parece a solução mais higiênica, mas as coisas não cheiram tão bem assim na realidade. A primeira idéia é o bidê, caso você o tenha por perto… Mas sem usar o papel antes, grandes riscos de você soltar micro-toletes (os famosos Tarzans de pelo de cu) no fundo da porcelana, e eles tem o péssimo hábito de ficar onde pousam. Uma pequena distração e a próxima pessoa que usar o banheiro vai ter a maravilhosa oportunidade de ver um pequeno pedaço do seu almoço do dia anterior depositado no fundo do bidê.

E jamais nos esqueçamos: O cidadão (ou cidadã) não vai enfiar a bucha da privada no rabo para fazer o serviço, vai ser na mão mesmo. Sexy. Essa pessoa vai secar a mão na toalha do banheiro e usar o sabonete da pia? Que bênção!

E sem o bidê na equação, temos a nefasta possibilidade da pia. Imagine a cena: A pessoa fazendo conchinhas com água da torneira e se limpando enquanto aquela água cagada escorre livremente pelas pernas. Se não for esperto para tirar a meia, é mais ou menos como utilizar a primeira opção sem o bônus de jogar a meia fora.

Fica também a possibilidade de tomar um banho completo: O que depende de se estar num banheiro com chuveiro. E como a idéia original era cagar, duvido que se tenha uma toalha à disposição. Pedir uma toalha é mais digno, mas não engana o elemento externo… É capaz até da outra pessoa achar que você cagou nas calças. Lá se vai o fator “não tenho cu”.

E outra: Prefiro mil vezes entregar papel para alguém do que imaginar que essa pessoa limpou a bunda cagada num chuveiro que eu pretendo usar. Água é um passo posterior ao papel.

O resultado de usar a água pode ser uma PORQUICE ou mesmo a CONFIRMAÇÃO que você estava lá para cagar.

Uma última idéia: Mão marrom. Nem preciso dizer como isso joga muito mais contra a presunção de dignidade de um ser humano do que pedir um rolo de papel, não?

O certo é largar de frescura e usar a opção mais higiênica. Nem que isso te exponha ao “ridículo” de assumir que tem funções fisiológicas como qualquer outro ser humano.

Uma pessoa digna escolhe o caminho mais digno NO CONJUNTO DA OBRA(da), e não apenas na visão de outras pessoas. Erguer a voz e pedir por um rolo de papel higiênico te exporá como ser humano cagador, mas pelo menos demonstrará sua determinação em se manter limpo.

A longo prazo é melhor entregar alguns rolos de papel higiênico do que ficar imaginando que cheiro estranho é aquele na sala… Merda fica no banheiro! E longe da pia, bando de porco!

O correto mesmo é prestar atenção se tem papel no banheiro antes de arriar as calças, mas todos sabemos que em alguns momentos da vida esse é um luxo com o qual não podemos contar: Nossas calças estão em jogo.

Não inventaram meias ou pias para limpar a bunda, inventaram o papel higiênico, parte do grupo de coisas que nos diferenciam dos animais irracionais. E eu faço questão de honrar nossa tradição racional.

Olhos podem ser fechados, respirações podem ser seguradas… Só vê e cheira o produto final dos outros quem QUER.

Para me chamar de porco para fazer pose na internet, para me perguntar se eu pedia papel para a Sally, ou mesmo para sugerir formas mais eficientes/nojentas/criativas de limpar a bunda sem papel: somir@desfavor.com

SALLY

Lá está você, sentado(a) no troninho, obrando. Acaba o processo desagradável de soltar um tolete e você se depara com aquela verdade que causa aquela sensação de desamparo, como se a alma estivesse escorrendo pelo pé: não tem papel. Qual é a sua reação? Isso nos leva ao Ele Disse, Ela Disse de hoje: Se acaba o papel higiênico no banheiro, você pede para alguém de fora?

Uma das coisas que eu mais prezo nesta vida é dignidade. Sim, eu acho indigno você, toda cagada, pedir aos berros (porque vamos combinar que você não vai se levantar e ir até a pessoa com as calças arriadas e a bunda suja) para trazer papel. Principalmente quando esta pessoa for o seu parceiro, ou seja, uma pessoa que, presume-se, fará sexo com você poucas horas mais tarde. Não há condições.

Existem momentos em nossas vidas que, apesar de todos nós sabermos que existem e que acontecem com todo mundo, não devem ter a participação de terceiros. Muito pelo contrário, terceiros não devem sequer se lembrar de que este momento existe. Solicitar os préstimos de terceiros para viabilizar sua limpada de bunda depois de cagar fere a dignidade da pessoa humana. Ninguém tem que lembrar que você caga, muito menos saber quando está cagando.

Há outras opções. Sempre há outras opções. E todas elas me parecem melhores do que gritar por terceiros! Sei lá, toma um banho. Limpa com notas de dois reais (foi o Jacinto que uma vez contou nos comentários uma história muito engraçada sobre alguém ter limpado a bunda com notas de um real? queria ouvir essa história em um Desfavor Convidado). Tira a meia, limpa com a meia e depois joga fora. Dá um jeito. Tudo é menos indigno do que pedir auxílio externo, sabe porque? Porque o que quer que você faça para se limpar, o fará na privacidade do banheiro e ninguém nunca vai saber.

Não é inofensivo uma pessoa levar papel higiênico para outra pessoa toda cagada. Equacionem a cena: primeiro a pessoa vai saber QUANDO você está cagando. Sabemos que todo mundo caga e todo mundo fode, mas é extremamente constrangedor saber o exato momento em que a pessoa está cagando (ou fodendo). Excesso de informação. Segundo que quando a pessoa se aproximar para te entregar o papel (ainda que ela não entre no banheiro), vai sentir aquele aroma floral. Ninguém tem porque cheirar o seu cocô. Levar papel para uma pessoa que acabou de cagar é constrangedor e desconfortável tanto para quem demanda como para quem provê o papel.

O tamanho do vexame é inversamente proporcional ao grau de intimidade que se tem com a pessoa. Ao pensar neste tema fascinante de total relevância para a humanidade, provavelmente você se imagina pedindo papel higiênico para sua mãe ou para sua irmã. Pois bem, esta seria uma exceção, pois se você estivesse em uma casa onde tivesse total intimidade com o anfitrião poderia tomar um banho sem constrangimentos ou abrir os armários em busca de papel. Pedir papel a um familiar próxima continua sendo inaceitável, apesar de que algumas pessoas bizarras fazem questão de ter uma relação de total evasão de privacidade com a família. Existem coisas que são personalíssimas. Não devem ser compartilhadas nem com seu irmão gêmeo siamês. Você faria sexo na frente da sua mãe? Você faria sexo na frente da sua irmã? Cagar está nesse grau de privacidade na minha opiniãom e quem discordar de mim está mais perto de ser bicho do que de ser gente. (e lá vai alguém nos comentários dizer que eu disse que cagar e fazer sexo é a mesma coisa… aff).

Atentem como tudo piora quando se está na residência ou no consultório de uma pessoa com a qual não temos muita intimidade. Novamente quero frisar que a existência de intimidade não justifica o ato. Roubar um real ou roubar um milhão são crimes da mesma forma. Mas é inegável que a falta de intimidade piora as coisas. Realiza você berrando por papel na casa de um mero conhecido ou no consultório do seu dentista. Para começo de conversa, você NEM DEVERIA ESTAR CAGANDO LÁ, ok? Pessoas com semancol tem uma trava anal imaginária e involuntária que tampona seu cuzinho quando estão fora de casa. Pessoas dignas só cagam em casa e não me importa o quanto eu vou ser criticada por essa frase.

Mas supondo que você seja um hippie anal, super liberal e desprendido com essa questão e saia cagando sem a menor cerimônia em locais estranhos tal qual uma vaca ou um cavalo. Ciente disso, você deveria andar com um pacotinho de lenços de papel no bolso ou algum outro material de emergência. Supondo que além de hippie anal, você seja relapso e desprevenido e não ande com nenhum lenço, ainda assim, pense na vergonha recíproca que pedir papel vai implicar. Pense nos efeitos irreversíveis de perda de dignidade. Pense nos comentários que as outras pessoas que estão no recinto farão, pense no constrangimento e na fama de sem noção que você ganhará. É uma mancha na sua dignidade que não se apagará mais.

Pense, antes de fazer um estrago irreversível. A gente nunca sabe quem está nos vendo. A pessoa que hoje lhe leva um papel higiênico enquanto sua bunda está melada pode ser seu chefe ou sua esposa no dia de amanhã. E mesmo que você nunca mais veja esta pessoa, dignidade é como confiança: uma vez perdida, demora-se anos para reconquistar.

Solictar auxílio de terceiros para qualquer ato que envolva defecção em qualquer fase do processo é FUCKIN´ INACEITAVELMENTE SEM NOÇÃO, e se você não pode ver isso, bem, lamento informar mas você não é bem resolvido e sim um porco sem noção que paunocuza os outros com situações constrangedoras.

Para dizer que lamenta que o número de comentários em postagens como esta seja superor aos comentários de postagens de cunho político e social, para dizer que seu comparo cagar com sexo devo ter merda na cabeça ou ainda para dizer que sem noção é a pessoa que faz o desfavor de deixar seu banheiro sem papel higiênico: sally@desfavor.com

42 respostas a Ele disse, ela disse: Traz o papel?

  • Phill disse:

    Eu só cago quando tem chuveirinho.

  • Sally disse:

    Ok, então faz assim Deja: pega um dia que você tenha certeza de que não vai vê-la, nem no dia, nem no dia seguinte e toma o laxante para fazer o test drive.

    Avalie quando e como se dá a hecatombe intestinal e com base nessa primeira experiência se programe para "esvarizar-se" quando for encontrar com sua namorada.

    Essa mulher deve ser uma máquina de sexo para o Deja ter tanta preocupação em não desagradá-la… hahahaha

  • Anonymous disse:

    Melhor tomar dois dias antes, porque as vezes o remédio faz um efeito retardado e pode ser que ele tenha diarreia master quando está com a namorada!

  • Sally disse:

    Gezuiz…

    Deja, só posso recomendar que tome um remédio para cagar na véspera do seu encontro, assim caga tudo que está dentro de você EM CASA, antes de vê-la.

    Esvazie-se.

  • Deja disse:

    Hugo,

    Enviarei fotos em breve, quando eu fizer um bem caprichado.

    Vai ver como é monstruoso, colossal…

    E eu tenho orgulho da minha criança.

  • Hugo Mariatti disse:

    Ne quero nem imaginar o tamanho do 'braço' do Deja pra esse alarde todo.

    Mas voltando ao assunto; acredito que essa prova seja necessária. Será agora – no começo – que vc vai perceber se ela vale a pena ou não.

    No futuro, vc sempre poderá dizer: "Vc sabia que eu era assim…"

  • Deja disse:

    Anônimo,

    Eu tento, quando é grosso e seco, ele cai feito rochas em uma avalanche, mas quando é grosso e meio mole, fica difícil. Até pra usar o triturador de merda depois.

  • Sally disse:

    Salvo engano, o nome do srpay é ELIMINADOR DE ODORES e a marca é NONOX

    É uma lata branca com tampa azul

    Em vez de mascarar o odor com outro odor mais forte por cima, ele apenas elimina o odor ruim

    E eu aqui falando sem ganhar um centavo para isso… pqp

  • Sally disse:

    Eu adoro escrever aqui! É uma troca tão rica de experiências! Adorei essa de fatiar o tolete, vou tentar só por diversão!

  • Anonymous disse:

    Deja, quando for cagar lá, vai cortando a bosta a medida que ela for saindo, dando umas travadinhas com o cu para fatiar o tolete. Salaminho de bosta é melhor do que privada entupida.

  • Cu Fechado do Guaruja disse:

    Quando eu viajo eu fico sem cagar, toda entupida, toda inchada. Não é a toa que quando uma pessoa está de mau humor chamam de ENFEZADA, é horrível mesmo, vc se sente intoxicada.

    Quando fico muito tempo fora de casa só consigo cagar tomando remédio (da-lhe Tamarine)

  • Anonymous disse:

    Eu preciso desse spary que absorve cheiro de cocô, por favor, posta o nome aqui!

  • Anonymous disse:

    Pessoal que só caga na própria casa:

    Quando vocês viajam a trabalho por 5 dias ou mais, como ficam? Empachados a ponto de estourar?

  • Anonymous disse:

    Para o cara que vai dormir na casa da namorada pela 1ª vez.
    Compre uma caixa de Imosec na farmacia. Eu geralmente tomo 3 por precaucao e fico 2 sem ir ao trono.
    Faco isso qdo vou em festas, boates e etc…
    uma vez tive dor de barriga violenta em uma boate, ja viu como eh banheiro de boate? imagina o banheiro cheio de gente em frente aos reservados, espelho, pia esperando sua vez ? O povo fora ouvindo o barulho e sentindo o cheiro? Foi um drama…

    Depois disso passei a usar Imosec em casos como esse, festas/renioes na casa de alguem.

    Imosec eh um remedio para controlar diarreia emocional, tipo aquelas que a pessoa sente qdo fica nervosa.

    Dizem que pessoas que vao a raves e usam cocaina e ecstasy tbm fazem uso do Imosec, pois estas duas drogas soltam o intestino e ninguem merece aqueles banheiros quimicos….sem papel…

  • Anonymous disse:

    "Mas felizmente a ciência não para de evoluir e nos brindou com um recurso SEN-SA-CIO-NAL. Um spray sem cheiro, cuja função não é deixar cheiro e sim "absorver" o cheiro de merda no ar. E resolve mesmo! Recomendo!"

    Nossa! eu não sabia disso! que maravilha. Qual o nome, marca, modelo, posta um link com a foto? Comprarei uns 3, só pra começar =D
    Tem um hamado Lysoform, é muito bom! é desinfetante em spray. O cheiro é forte mas agradável, se a pessoa respirar muito fica intoxicada. É um risco que vale a pena correr.

    Deja
    escovinha de limpar banheiro? hahaha isso é o nome ficticio do quebrador de coco.

    O assunto é mesmo fascinante.

  • Anonymous disse:

    Só um aviso: para os mochileiros a perambular pelo Sudeste Asiático: levem vários e vários rolos consigo.

    Suellen

  • Anônima disse:

    Não tem como começar a kgar sem antes checar se tem papel. A menos que seja uma diarréia infernal que ocorre de 10 em 10 ânus! Eu sempre odiei quando me pediam papel, minha mãe pedia quando morava comigo. O meu cu é liberal, kga em qualquer lugar, mas eu tenho sempre papel na bolsa. Quanto a mijar na pia, muitos cuecas fazem isso, a pia fica até meio amarelada às vezes e a gente não sabe o que é, é mijo dos feladaputa! Metem pau nos portugas, mas esquecem das bactérias do mijo que ficam na pia. Sifudê!

  • travadinha do troninho disse:

    Ainda bem qu eu ñ passo por isso,so faço em meu troninho e sempre tenho papel sobrando hihihihihih.Eu simplismente travo quando saio de casa,nem com reza brava consigo destravar em banheiro alheio,o que em certa parte é bom,mas em outra é puro sofrimento.Eu fico inchadinha e com mal humor do cão.
    Qundo volto de alguma viagem é incrivel é so saber que to voltando quase chegando em casa ja destempera e sai tudo.Ocoisa boa naum tem preço cagae em casa e ter bastante papel e depois ligar o chuverinho e lavar o BOGOBIL.
    É tão bom quanto uma gosada serena rsrs.

  • Hugo Mariatti disse:

    Caro anonimo sensivel.

    "PORCOS CENTENAS DE PESSSOAS MORRENDO E VCS FALANDO SOBRE MERDA "

    Vc já abriu seu desalojado hoje? JA doou dinheiro? Politismo hipocritamente correto enche o saco.

    COmo diria Tyler: Reciclagem e placas de limite de velocidade é como um fumane deixar de fumar no leito de morte.

    Pense na relação entre as sentenças, e depois volta aqui.

  • Deja disse:

    Sem flood, mas mais uma coisa… vocês sabem o que é ter de quebrar a merda com uma escovinha de limpar o vaso? Eu sei.

  • Deja disse:

    Agora li o comentário do anônimo logo acima, acho que vou levar soda cáustica na mala.

    Eu te entendo amigo!

  • Deja disse:

    Sally, vou dormir na casa dela pela primeira vez nesse final de semana.

    O pior que eu avaliei a descarga, e ela não parece ter pressão para meu tolete do tamanho do meu braço. Normalmente entupo privadas.

    Vou sofrer.

  • Sally disse:

    Anônima da água: sim, problemas com a água da descarga são muito tensos.

    E quando você aperta a descarga e NADA acontece? aquele vazio que dá na alma de perceber que a descarga não funciona!

    E quando você dá a descarga e o vaso está entupido e a merda começa a subir e você pensa "Senhor, faça esta merda descer, se esta merda descer serei seu servo por toda a eternidade". Não tem ateísmo que resista a uma privada alheia quase transbordando de merda!

  • Sally disse:

    Anônimo do Bom Ar: isso é uma faca de dois gumes. Porque se a pessoa for uma potência intestinal e cagar beeem fedido, o Bom Ar não dá conta e mistura o cheiro mortal de bosta com aquele aroma florar, resultando em um cheiro de enterro (flor + cadáver)

    Mas felizmente a ciência não para de evoluir e nos brindou com um recurso SEN-SA-CIO-NAL. Um spray sem cheiro, cuja função não é deixar cheiro e sim "absorver" o cheiro de merda no ar. E resolve mesmo! Recomendo!

  • Sally disse:

    pett, eu flagrei o Somir mijando na pia uma vez.

    A FUCKIN´ PIA ONDE EU LAVAVA MEU ROSTO. FOI HORRÍVEL, um dia eu conto em um Siago Tomir.

    Juro que não entendo essas pessoas com frouxidão anal que saem cagando em todos os cantos onde vão. Pessoas civilizadas só cagam em casa. GENTE QUE CAGA FORA DE CASA É INCONVENIENTE. prontofalei

    Isso deveria ter um nome: INCONVENIÊNCIA ANAL

    FECHEM SEUS CUS E CAGUEM EM CASA, SEUS PORCOS! [Lindamar mode on]

  • Sally disse:

    Hugo, eu também acho ficar só no papel nojento! Afinal, se você pisa numa bosta descalço, você se limita a passar um papel higiênico no pé e pronto?

    Água e sabão são necessários. Infelizmente em algumas ocasiões fica inviável, mas, assim que pisar em casa, tem que tomar um banho.

  • Sally disse:

    Fuck Bush, existe algum tipo de registro fotográfico deste evento?

    Que tipo de pessoa fuckin´ senta na pia? Sério, qual é a sua cidade? COIMBRA? LISBOA? PORTO?

  • Sally disse:

    Vamos por partes que o assunto é fascinante…

    Deja, dá o teu jeito de não fazer escatologia na frente da moça, pessoas com sensibilidade estética aflorada se chocam com isso.

    Com o tempo e com um pouco mais de intimidade você pode deixar escapar pequenas nojeiras, mas por agora, pega leve!

  • Anonymous disse:

    Desfavor sempre discutindo questões de alta indagação!

  • Higiênica disse:

    Finalmente um lugar onde não se fala monotematicamente de gente desabrigada e desabamento!

    Quanto ao papel, well, só pediria para membro da família, porque mãe e pai não podem se divorciar de mim nem deixar de ser meus pais. Pedir pro resto das pessoas é colocar em risco a relação.

    Em tempo: Sinto falta do Somir no blog, quando é que ele volta?

  • Anonymous disse:

    PORCOS CENTENAS DE PESSSOAS MORRENDO E VCS FALANDO SOBRE MERDA

  • Anonymous disse:

    Pedir papel não é nada!
    Imagina Sally, você vai no banheiro da casa de alguém e quando vai apertar a descarga é aquela tranqueirinha de caixa que fica grudada no assento… tenso. Esse tipo de caixa solta pouquinha agua, dependendo da situação ela enche de agua e só desce aos poucos… TENSO! é um meio minuto de pura tensão, você ali, observando o vaso cheio de agua e torcendo pra descer. Na maioria das vezes desce bem devagar e no final faz um barulho, dá uma engasgada sei lá. Agora se ficar entupido aí sim é algo pra se pensar em perda de dignidade.
    - Olha Fulano, aconteceu um probleminha… por acaso você tem soda caustica?
    Bom mesmo é descarga de válvula, você fica apertando e agua continua caindo até você parar de apertar, uma maravilha! Nessas horas não dá pra pensar em economia de agua.

  • Anonymous disse:

    Para evitar esse tipo de coisa é bom deixar o pacote de papel higienico naquele armarinho debaixo da pia.
    E antes de se desesperar por falta de papel sempre dê um confere nos armários do banheiro.

    Deja
    eu tenho horror a quarto de hotel! o banheiro sempre é muito perto e quase nunca tem janela.
    Vai uma dica: dê bastante vinho pra ela e aproveite o sono profundo pra fazer um pouco de barulho. Eu sou fraca pra bebida, tenho certeza que meu namorado se aproveita do meu sono profundo de leve embriaguez.

    Bom mesmo era quando tinha aqueles spray de glade/bom ar pequeninhos, do tamanho de um vidro de acetona, cabia na bolsa e dava pra levar pra qualquer lugar. Nunca mais vi pra vender.
    Qualquer casal que se preza precisa de um vidro de glade/bom ar no banheiro, mas é bom evitar as fragancias fortes, essas dão mais na cara (tem uma com cheiro de chocolate… nojento! lembra niely gold ecat).

  • pett_brinck disse:

    KORROR!!!! :|
    O Somir mija na pia por vontade própria? :|
    Sally vc devia dar o prêmio Porcaria pra ele! hauhauhauhauhauhuahaua.
    Agora… de fato desfavor é você ter que pedir papel higienico! Na casa de alguém então!!
    Na verdade, concordo quando você diz que pessoas SENSATAS cagam só em casa! E detalhe cagam em casa discretamente! Acho que nem mesmo a minha mãe que limpou minha bunda deve saber sobre minhas necessidades fisiologicas (sejam elas fecais, sexuais, ou de qualquer tipo!)
    Deus, Sally!! Eu achava que eu vivia com um Troll!! Mas você vai ganhar o prêmio!! Mulher mais paciente do mundo.

  • Hugo Mariatti disse:

    Eu não cago na casa dos outros e somente o faço antes de tomar banho.

    O papel higienico é supervalorizado (hahahaha).

    Eu tambem mijo na pia as vezes…é mais ecologico sabiam? E no leste europeu todo mundo fazia isso. (dizem..dizem…)

  • Talento! disse:

    Que diabos de pessoa deixa o banheiro sem papel higiênico?!?!?!
    Putz, acho que eu tentaria de tudo pra me limpar sme pedir ajuda [caso fosse um companheiro]… se por na casa de parente solto o berro mesmo!

    ps.: Somir seu porco, mijar na pia por vontade própria é sacanagem demais!

  • Fuck Bush disse:

    Salleta,

    teve uma história sinistríssima sobre cagada X papel aqui na minha cidade:

    Um cara estava em um jantar e tal e foi cagar…cagou e não tinha papel.

    Subiu na pia para limpar a bunda a pia quebrou e cortou a bunda do cara inteira.

    Imagina a cena? A turma do jantar indo no banheiro socorrer o cidadão.

    Pior: Ele se casou com uma das mulheres daquela festa.

  • lady disse:

    na falta do papeL O FODA é vc (tentar limpar com a mão, e depois sacudir a maõ pra se livrar das BADALHOCAS e bater elas com força em algum lugar e levar a maõ na bocaa pra aliviar a dor shaushaushaushauhsu.
    qui nojoooooooooooooooooooooooooo.
    Tia Sally puta falta de assunto em fia.

  • Anonymous disse:

    Eu ia discordar da Sally, mas lá para o finalzinho do texto ela falou dos pacotinhos de lenços de papel. Sem dúvida, quem não tem essa trava imaginária da Sally sempre faz bem em se prevenir andando com um no bolso. Foi o que me salvou a dignidade no aeroporto de Dubai, agosto passado. Santos lencinhos de papel!

  • Anonymous disse:

    Essa não tem nem o que discutir. Somir wins

  • Sally disse:

    Caro e desagradável Somir:

    1) Existem outras formas de limpar a bunda em situações emergenciais, todas mais dignas do que ficar berrando todo borrado por papel.

    2) Os "Tarzans de pelo de cu" se chamam BADALHOCA.

    3) Você continua um porco sem dignidade, uma pessoa que mija na pia POR VONTADE PRÓPRIA não merece opinar.

  • Deja disse:

    Sally, minha namorada é parecida com você, o que não é muito agradável…diga-se de passagem… e pelas suas palavras, eu estou ficando neurótico.

    Eu e ela em um quarto de hotel, a natureza chamando… precisei ir em um shopping, pois pensei no cheiro do banheiro, nos barulhos… (e o pior foi esperar ela se produzir, sufoco)

    Imagina pedir papel…

    Obrigado pelo o que fez e minha mente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Arquivos

Colunas