Flertando com o desastre: Mortalmente eficiente.

watA vida humana pode ser incrivelmente frágil às vezes. Pessoas já morreram pelos motivos mais banais imagináveis, seja por burrice, distração ou o bom e velho azar. Mas é curioso como os suicidas tendem a ter uma taxa de sucesso tão baixa… Ok, é meio que um padrão na vida deles, mas… Convenhamos que deveria ser ridiculamente fácil se matar com a liberdade de fazê-lo.

A questão é que o corpo humano está programado com vários “mata-burro” para evitar que seus detentores estúpidos estraguem o processo evolutivo. Não importa o que sua mente abstrata está conjecturando, seus instintos e defesas naturais ainda querem que você dure o suficiente para se reproduzir, de preferência várias vezes.

Boa parte dos métodos tradicionais dos candidatos ao suicídio esbarra nessa resiliência do organismo contra problemas habituais. Só me resta imaginar que o que realmente falta na vida dessas pessoas é conhecimento. Conhecimento é poder. Conhecimento é não tomar meia dúzia de aspirinas e esperar pela morte certa…

Era para ser um Desfavor Explica sobre as formas que o corpo é capaz de combater até seu dono tentando se matar, mas como essas informações podem ser usadas para facilitar a vida, quer dizer… a morte de alguns ineptos, vai como Flertando com o Desastre.

Ei, não é só porque o cidadão ou cidadã está desiludido com a vida que vai ficar livre de críticas. Ninguém gosta de quem faz as coisas pela metade. O desfavor não RECOMENDA o suicídio, mas também não aplaude incompetência.

Vamos fazer um tour pelos métodos tradicionais e ver como as coisas podem dar errado para um suicida que dormiu nas aulas de física, química e biologia. E, claro, para não perder o lado desfavor das coisas, vamos comentar também sobre o resultado estético final no caso de sucesso.

AUTO-ENFORCAMENTO

Começo com essa porque é emblemática. A figura da pessoa inerte balançando suavemente numa corda amarrada ao seu pescoço já é clichê para a cultura popular do suicídio. É uma das formas mais comuns por ser simples de se arranjar e bastante eficiente. Normalmente quem se enforca não está para brincadeira, sendo essa a segunda forma de suicídio mais comum dentro das cadeias. (Logo depois de dizer em alto e bom tom que acha Corinthians ou Flamengo uma merda…)

Como te mata: Na modalidade “caseira”, é raríssimo que se quebre a coluna ou mesmo perca a cabeça como nos enforcamentos profissionais. É uma coisa mais lenta e agonizante. Bacana, né? A pessoa não morre exatamente por não conseguir mais respirar, o corte do fornecimento de sangue para o cérebro através da compressão de artérias no pescoço dá conta do recado, já que é bem mais complicado fechar a traquéia.

Cagadas prováveis: Tendo uma superfície resistente para prender a corda e um nó razoável, não é para ter erro. Mas como essa modalidade tende a te apagar primeiro por causa do baixo fluxo de sangue e oxigênio no cérebro, você só vai descobrir que algo deu errado quando acordar horas depois, provavelmente com alguma sequela escrota e gente que não vai mais te deixar em paz. Loser. Existem relatos de presos que ficaram com o coração batendo uns quinze minutos depois do cérebro ter passado do ponto sem volta. Se te pegarem próximo dessa fase, boa sorte com sua vida de vegetal, ou pior ainda… semi-vegetal… O cérebro desliga primeiro as partes supérfluas.

Que cena bonita: Auto-enforcamento é uma medida desesperada, principalmente se considerarmos o legado do suicida. O rosto tende a ficar azulado, a língua salta para fora, a posição final é um convite para o relaxamento dos intestinos e da bexiga te deixarem parecendo um extra num filme da Veronica Moser. Analogia pertinente considerando que ainda existe a possibilidade de entrar para a eternidade de pau duro. Dependendo do trauma na coluna, uma ereção pós-morte pode ser desencadeada pela pressão no cerebelo. E se você é mulher, o resultado não é tão vistoso, mas aquele tradicional “inchaço” vai ser acompanhado de uma saudável dose de sangue. Menstruação on-demand.

OVERDOSE

O Pilha está aí para comprovar, não é um método eficiente. Eu sei que muita gente morre disso, mas se comparado com a quantidade de pessoas que tentam (querendo ou não), pode apostar que tem muita desinformação nesse meio. Como o próprio nome diz, overdose nada mais é do que ingerir, injetar, aspirar ou enfiar em algum buraco do seu corpo uma quantidade abusiva de uma substância.

Como te mata: São inúmeras possibilidades considerando as inúmeras substâncias possíveis aqui. Para ficar com uma famosa, o álcool te mata quando o fígado já está saturado e nem o seu sistema respiratório sabe mais o que está fazendo. Mais ou menos 0.400 miligramas de álcool por cada 100ml de sangue. É pinga pra caralho! Mas já foram registrados casos de bebuns com mais de 1.5mg/dL. Se cremassem o safado, ficaria aceso um ano.

Cagadas prováveis: Você acha que seu corpo é um banana que nem você? Ele vai brigar até a morte contra o envenenamento. A maioria das pessoas que erra ao tentar se matar por overdose não entende o conceito básico de substância ativa. Por mais que aquele comprimido pareça enorme, só uma pequena fração dele tem a substância que realmente vai interagir com o seu organismo. Encher o rabo de pílulas aleatórias dificilmente vai te envenenar com a intensidade que você imagina. E se o seu corpo não estiver totalmente sobrecarregado, vai se livrar dessas porcarias, por um buraco ou outro. Seu estômago tem várias substâncias X-9, que vão delatar para o cérebro quando algo que não deveria estar lá acabou de chegar. E aí, meus caros desfavores, é DEFCÓLON 1! Ou vomita ou caga, não tem meio termo. (Até porque não dá pra sair pelo umbigo…)

Quem quer abandonar essa existência através da overdose tem que saber o que pode matar (SPOILER: Se está na sua casa, provavelmente vai te dar caganeira, existem muitos regulamentos sobre o que pode ser comercializado ou não… Nem veneno de rato é confiável hoje em dia.), o quanto dessa substância é uma dose fatal (e tem que exagerar daí, alguns corpos aguentam mais do que outros, além do fator de diluição da substância ativa…), e principalmente entender que a não ser que você seja 100X mais anti-social que eu (meu ídalo!), alguém pode dar pela sua ausência ou te visitar antes que seja tarde demais. E pode apostar que a maioria dos hospitais é capaz de reverter sua mais recente falha na vida.

Que cena bonita: Digamos que você conseguiu, grandes chances de ser encontrado numa bela poça de vômito ressecado enquanto seu gato saboreia a iguaria que um dia já foi sua bochecha. E eu devo avisar que a não ser que você seja um músico ou ator medíocre, ninguém vai achar bonito. Eu já falei sobre estar todo cagado e mijado, né? Pois é.

QUEDA LIVRE

A quantidade de gente que consegue errar um conceito simples como se jogar de um lugar alto é prova de que o ser humano médio tem merda na cabeça. Pulando de uma ponte, de um prédio ou de um precipício, tem sempre o caso da anta que nem para se matar mais vai servir.

Como te mata: Trauma. Porra, se você já tropeçou e caiu, sabe como isso não pode fazer bem para um ser humano. Agora, a questão é o tamanho e o tipo do impacto necessário para se fazer o serviço bem feito. Uma boa pancada tem que ser capaz de destruir órgãos vitais ou artérias importantes mesmo com toda a proteção dos ossos, músculos e tecidos ao redor deles. Suicidas sortudos podem morrer até numa queda de dois metros. Seja como for, é só se lembrar do mantra: A cabeça primeiro.

Cagadas prováveis: Milhares de pessoas estão aí para te contar a história de como escaparam de quedas que pareciam inescapáveis. Para morrer numa queda, não basta só pular de sua janela, é necessário planejamento. Nosso corpo consegue absorver MUITO impacto dadas as condições certas. E os instintos, esses estraga-prazeres-suicidas, podem desempenhar um papel decisivo na sua sobrevivência… Se você pular de um lugar muito baixo, a tendência é que se quebre todo, mas fique vivo para pagar as contas do hospital. Se você pular de um lugar muito alto, é provável que seu corpo se posicione para bater os pés no chão primeiro, inconscientemente. E isso faz diferença… E sabe quando você se encolhe de medo? Dobrar os joelhos caindo com o pé primeiro diminui a força da pancada nos órgãos vitais ao ponto de salvar até paraquedista com problemas técnicos. E se você quer números, o ideal é tentar uma queda de mais de 75 metros.

E não se esqueça da superfície de aterrissagem. O certo é concreto. Água pode até ser terrível dependendo da altura que se cai, mas ela VAI ceder depois do choque inicial. Se não for a cabeça ou o peito tomando essa pancada, o risco de sobreviver é grande demais, grande demais para um suicida, é claro!

Suicídio por queda é uma máquina de fazer para e tetraplégicos. Quero ver conseguir pular de uma janela numa cadeira de rodas.

Que cena bonita: Como frequentemente se faz isso em locais públicos, seu corpo vai estar à vista de muitos curiosos. Suas roupas não foram feitas para quedas desse tamanho, pode apostar que vai acabar com alguma “falha de vestuário” potencialmente ridícula em conjunto com seus membros dobrados em posições surpreendentes. Cagado, mijado… você já sabe. E, por favor, cole uma plaquinha com “Ai!” na sua mão. Eu sempre quis ver isso.

CORTANDO OS PULSOS

Vem cá… você acha que um organismo tão voltado para a auto-proteção iria mesmo deixar uma artéria potencialmente fatal arreganhada assim nos pulsos impunemente? Cortar os pulsos é uma cena dramática, mas basicamente é só isso.

Como te mata: Surpresa, não mata! Teste nas crianças, pode confiar. Ok, talvez não valha a pena testar nas crianças, mas a questão é que o clássico de cortar só os pulsos só vai te matar se você tiver alguma forma de evitar que o sangue pare de jorrar. E como eu estou dizendo até agora, não é como se seu organismo fosse ficar parado esperando. Para morrer mesmo, precisa seguir os dizeres: Não atravesse a rua, desça a avenida. Tem que cortar de cima a baixo na parte interna no antebraço para realmente bater as botas. Aí não fecha tão fácil. Outras áreas assassinas: Pescoço e parte interna das coxas (veja bem para quem sai abrindo as pernas por aí!). O sangue sai, não volta, game over. Mas TEM que ser artéria.

Fato babaca: Se cortar o pênis, sangra pra caralho (ha, só queria escrever isso) e é bem capaz de matar o ex-dono. Área muito irrigada.

Cagadas prováveis: Parar sangramentos é algo que seu corpo faz desde… sempre. Se o corte não for grande demais, as plaquetas do sangue vão se empilhar no vazamento até que a situação volte ao normal. A famosa “casquinha de ferida”. E se o corte for grande demais, sangue é o tipo da coisa que dispara tudo quanto é alarme nas nossas mentes. Se demorar demais para apagar, você corre o risco de entrar em pânico e pedir ajuda. E se alguém vir isso, boas chances de você conseguir socorro médico. Não vai ser um dos seus momentos mais gloriosos.

Que cena bonita: Sangue para tudo quanto é lado e a pecha de emo-gótico-viadinho(a) como legado. Sério, além de ser uma porquice (já tentou tirar sangue de tecidos como o banco do seu carro? Eu… não… ahem…), é vergonhoso. Cagado, mijado, vomitado… o de sempre.

ARMA DE FOGO

Você duvida que tem gente que não consegue se matar direito nem com uma porra de um revólver apontado para a cabeça? Não deveria. Ficou por último porque atualmente é o método mais comum de suicídio. E também porque é o que faz a maior merdalheira quando funciona.

Como te mata: Bom, uma bala atravessando algum órgão vital não é algo a se ignorar. E não é EXATAMENTE a área do projétil que faz o grande estrago, é o efeito estendido dela nos tecidos adjacentes que efetivamente mata. A bala empurra o que estiver no caminho, danificando uma área muito maior que seu diâmetro na passagem. Desde que, é claro, ela tenha força para fazer essa viagem e SAIR do outro lado. Pois bem, crianças, não é só onde se atira, é o que se atira.

Cagadas prováveis: Calibres baixos tem o péssimo hábito de não sair pelo outro lado. E sem a explosão da saída e a subsequente ejeção de material que deveria ficar dentro do corpo, os estragos são mitigados ao ponto de ter gente vivendo até hoje com balas dentro do corpo. E se o tiro for na cabeça, grandes chances de não pegar uma área vital e te deixar parecendo o Flávio Silvino. E já adianto que baleiês não é um idioma que te dá muitas vantagens na vida.

Aquele três-oitão comprado numa esquina escura pode fazer o barato sair caro. Se não der para usar uma arma de macho-chô, vai correr um risco. O segredo é não tirar o potencial da bala logo na saída. Se apontar para o crânio, é uma camada de osso duro de furar logo na saída do projétil. A área “mole” de acesso direto ao cérebro é logo abaixo do queixo. Dentro da boca também tem essa vantagem, mas não é um lugar muito bom para achar o ângulo certo. O tiro lateral, usando o ponto fraco da têmpora, pode até ser mais dramático, mas tira sua garantia de sucesso. O desfavor não quer que você se mate, mas tem ainda mais receio de te ver retardado por aí. Custa não foder a vida de outras pessoas?

Que cena bonita: Se atravessou, boas chances de você ter feito uma pintura na parede logo atrás. Vai ter sangue, caco de crânio e pedaços de miolos para tudo quanto é lado. E morte traumática assim ainda pode dar a tríade merda, mijo e ereção/menstruação. Morrer com certeza não é uma coisa digna.

Bom, espero que tenha sido informativo. Existem vários outros métodos não cobertos por este texto, mas eu já estourei o limite de páginas. Se tiverem interesse, eu completo na sexta.

E boa sorte na sua vida.

Para dizer que processo é pouco, dessa vez eu vou é preso, para reclamar que eu tirei todo o glamour do seu suicídio futuro, ou mesmo para dizer que só volta nessa budega quando pararmos de falar de morte: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (145)

  • Logo que li este texto tive a mesma impressão que a maioria, que seria incentivo ao suicídio. Depois li novamente e vi que não, pelo contrário, é desencorajador. Quem quer viver como retardado, aleijado, tetraplégico
    Eu não quero. Tentei me matar umas 4 vezes, mas não fui competente o suficiente. Graças a Deus não tive sequelas. Mas estou com uma infecção no pulmão (pneumonia) por ter aspirado vômito. Não queria morrer na verdade, só não queria mais sentir dor. Mas me sinto mais forte. Espero que as pessoas que leiam esse comentário também. Paz e luz. “Ainda que eu ande pelo vale das sombras, nenhum mal eu temerei, pq Tu estás comigo.

    • Para que a dor pare não é preciso morrer. Fico muito feliz que você tenha entendido a proposta do texto e que não queira mais se suicidar.

      Obs: pneumonia é chato, mas é completamente curável,reversível. Você vai ficar bem. Em todos os sentidos.

      • Nossa depois de tanto tempo que vc escreveu o texto ainda está respondendo os comentários fiquei surpresa… Estava procurando a dose letal da quetiapina pensando na possibilidade de me matar quando encontrei o teu texto, muito bem escrito, admito achei de uma ironia única. Deu vontade de sentar e tomar um café com vc renderia certamente algumas risadas… E pensar que realizei a busca dopada de remédios lutando com meus demônios internos querendo viver mas morrendo de dor… Já tentei uma vez me matar não fui eficiente e acabei passando raiva kk então nem perco meu tempo se não tiver certeza que funcionará nem tentarei… Enquanto isso tento seguir sobrevivendo com minha dor… Sim, faço acompanhamento médico, me tratei com diversos, os melhores do Estado, inúmeras tentativas diferentes de tratamento, o mais certo que ouvi até hj é que vou conviver com isso pra sempre vai ir e vir, dias bons e ruins… Hoje foi um ruim… Cansa!

        • Quando não há solução para o corpo, o que nos resta é tratar da mente. Foca na sua estabilidade emocional, vai te ajudar muito.

  • Jovem, eu quero muito morrer, eu tenho umas 4 caixas de 14 comprimidos de quetiapina de 100 miligramas aqui no hostel que eu tô.
    Por favor não me fale pra procurar ajuda, eu já procurei, eu já tentei psicólogo, psiquiatra, já fui internada, tudo que é possível.
    Eu desisto cara, cansei de ser um fracasso na vida. E na morte, já que essa vai ser a 14a vez que tento. A que teve mais sucesso foi a última, meti uma faca na garganta fui pro hospital e fiquei um trimestre inteiro internada, em clínica tambem.
    Eu não quero conselho, não me importo com a sujeira que vou deixar, eu só quero saber se 51 comprimidos de 100 gramas vai fazer o trabalho. Eu tenho 1,64 de altura e peso uns 60 quilos.
    Se for pra continuar vivendo, eu nem tento. Obrigada. Se puder responder o mais rápido possível, eu tô lendo a bula aqui, quero terminar isso hoje…

    • Samanta, de que cidade vc é? Não tome as quetiapina, isso não vai resolver. É preciso remédios bem mais potentes que esse. Olha, se vc puder pagar um bom médico, conheço um excelente neurologista em Curitiba, posso te passar o contato. Existe inclusive a opção de eletroconvulsoterapia que te tira da depressão de imediato, além de outras técnicas não medicamentosas hoje. Me procure no Facebook: Iza Zanki, ou no Messenger. Bjs, fique bem

  • Avatar

    Oluas Nascimento

    Olá, achei o texto muito bem escrito, com humor, ironia e seriedade na dose certa, o que faz despertar diversos tipos de reações, sentimentos e reflexões, o que ao meu ver é o objetivo de todo artista e escritor. Eu, como potencial suicida e expert na falha do ato (algo em torno de umas 8 tentativas, entre overdose de remédios e me jogar na frente de um carro), me senti um incompetente profissional ao ler o texto, rsrs. Ao ler alguns comentários e respostas, já adianto que já passei por psiquiatras, psicólogos, voluntariados, religião entre outras coisas para buscar motivação e nada. Até busquei a tal da virada de vida de cabeça pra baixo, indo me voluntariar na África (através da Pedagogia de Emergência, entre outros), mas não fui aceito, mas o intuito aqui não é desafiar a inteligência, nem as opções e sim somente, dar um relato a mais pra traçar o perfil da audiência de vocês. Volto a parabenizar pela qualidade do texto, pois pouco se vê por aí. Sobre os que criticam, façam o que recomendam, não leiam, ou sejam indiferentes, simples, ou escrevam melhor, eu os desafio. Sobre os que pretendem investir ainda contra a vida, busquem na Deep Web cianureto ou cianeto de hidrogênio (100% de sucesso), doses cavalares de Diazepam (90% de sucesso), ou se só quiserem desabafar, meu contato é o falecomigo@terra.com.br. Abrs.

  • Faço terapia, tomo medicação, busco chá, busca florais, busco óleos essenciais TUDO AQUILO que todo mundo fala que vai resolver! Resolve? Não! Eu não quero morrer, eu queria acabar com a tortura e com a dor que é viver assim… e me parece que apenas a morte e a solução :/ já troquei de medicacacao inumeras vezes, por varias vezes meu próprio corpo rejeitou a medicação. Se dizem que é falta de Deus eu tenho uma boa relação como Ele, porém, não consigo compreender, não quero fazer mal, não quero fazer ninguém sofrer. Mas meu corpo não controla essa terrível ansiedade, não controla os desmaios os calafrios a tremedeira o suor o coração acelerado e as vozes na minha cabeça. Só estou cansada :/

    • Posso te dar um conselho, se nada disso funcionou?
      Testa autoconhecimento. A vida não precisa ser sofrida, você pode mudar isso.

  • Não sei mais o que faço, minha depressao está evoluindo a um nível que tenho dificuldade de respirar, dificuldade de ficar parada… Já faço terapia, vou ao melhor psiquiatra da cidade e nada me ajuda! Quero muito viver, mas quando estou em crise, apenas a morte pode me salvar! Eu quero viver, eu quero viver, me deixa viver! Sou jovem, considerada bonita, com uma boa família, boa faculdade! Só quero continuar aqui, me deixa!

  • Só quero me desligar. Off. Ir. De mim… de tudo… de todos… como a fumaça… o vapor… um sopro…. voltar… ir… sumir… sou grata… apenas quero devolver esse “presente ” que se chama vida… passar a bola….entregar o bastão.

  • Avatar

    Thalita E Da Silva

    Quando pensamos em morte, não se pensa em glamor bebê, só queremos morrer mesmo. E se livrar desse mundo sabe vc não entenderia

  • Lendo os comentários aqui percebi que algumas pessoas se sentiram desencorajadas a se matar, se esse é o objetivo do texto, parabéns. Não funcionou comigo, mas me fez refletir bastante, obrigada.

    • Gabi (sou dessas, pego intimidade com facilidade), o objetivo é humor. Não será por causa de um texto nosso que alguém vai se matar ou deixar de se matar.

      Espero de coração que você não se mate, pois não é a única forma de fazer a dor passar. Se quiser conversar, estamos aqui.

  • Estava procurando uma dose de quetiapina que pudesse me matar, li este artigo e mudei um pouco o foco do que eu queria fazer.
    Hoje pelo menos vou me manter neste mundo.

      • Eu tava fazendo a mesma coisa que um tal de Antônio. Bom definitivamente não quero morrer eu apenas trato transtorno bordeline. Se eu me matar é sem querer eu ia fazer a merdinha porque sei que a chance de dar algo é quase zero. Eu tomava 300mg de Quetiapina e o médico reduziu para 150mg. Eu ia tomar 400mg no máximo eu ficaria chapadona e numa viagem bad. Mordi o 300mg e joguei na caixa de remédios a metade e o de 100mg. Provavelmente eu vou morrer de morte matata. Eu sei que hora ou outra vou fazer isso sem ver. Mas sinto muito impulso hoje não foi seu dia. Não sei se já pensaram como é você lutar literalmente contra a doença para se manter vivo. Pois é horrível. Sua mente parece querer seu corpo muito disposto a ajudar e talvez o meu espírito correndo dos riscos. Não vou expor como eu quase fui. Mas, também tem que considerar que tem doenças que levam a pessoa sem carta de despedida. Ela só leva. Eu acredito que a vida é a única chance que temos de ser minimamente feliz. Um defunto não tem nem o prazer de fumar um cigarro ou ver o sol.

      • Trato depressão profunda fazem mais de 6 anos. Até pouco tempo eu tomava quetiapina, amitriptilina e alguns comprimidos de zolpidem, todos juntos, para conseguir dormir e as vezes 1mg de rivotril (rivotril nunca funcionou bem comigo). E de manhã, além da básica duloxetina, vinha o Venvanse, que é uma anfetamina. Hoje estou diminuindo essas medicações. Tinha um emprego “perfeito”, família “perfeita”, bem quisto pelas pessoas, agnóstico, estudioso…mesmo assim NUNCA pensei em me matar. O pensamento que me vinha e ainda vem quando entro em crise (você já percebe quando vai dar crise assim que os primeiros sintomas começam) era de que: “a morte é a única saída para esse sofrimento, só vou parar de sofrer com essa doença quando eu morrer, ENTRETANTO não quero fugir disso e por isso não tenho intenção de me matar; sou muito curioso e prefiro estar vivo para descobrir o que acontecerá amanhã.” (Mais ou menos essa linha de pensamento). Porém, é verdade, já sofri com superdosagem dessas medicações associadas ao uso de alcool. Nunca tive problemas com o alcool em si, nem mesmo gosto de beber, mas por umas duas ou três vezes ao longo desses anos eu me peguei em de noite, em crise de depressão e ansiedade e com muita insônia onde tudo o que eu queria era “apagar” (primeiramente dormir, mas SE algo pior acontecesse, fazer o que). Então depois de tomar o primeiro ou segundo zolpidem (ele dá efeito rebote e faz você ter uma espécie de sonambulismo), eu acabava tomando tudo quanto é remédio, inclusive os tarja pretas, meio que sem perceber, só ia tomando…e pra piorar, bebendo licor e outros do gênero. Segundo os médicos que precisei consultar na época, tive muita sorte de sobreviver e de não ter tido nenhuma sequela permanente ou temporária. Isso tudo lá por 2013, 2014…Hoje, mesmo sendo difícil pra caramba e ter feito o novo teste de DNA que apontou que tenho mutação genética que está intimamente relacionada a depressão e outras doenças do tipo, me sinto feliz. Aliás sempre soube bem a diferença de estar triste e ter depressão! Como disse no começo eu tinha o “emprego perfeito” (ator principalmente de comédia, trabalhei em televisão e depois consegui descobrir a música na minha vida) e sempre fui e sou muito feliz, porém tenho essa doença que me debilita inclusive fisicamente. Depois de tanto tempo, me sinto casado com a depressão, sou íntimo dela, sei quando ela está se aproximando e quer interagir comigo, e tudo bem! Sei quando uma crise está por vir e tudo que eu penso é: “Ok. Estou mal. É doloroso, o sofrimento interno é grande, mas se eu aguentar firme (ou nem firme, apenas aguentar, de qualquer forma hehe) serei recompensado com o amanhã, mesmo no meu mundo cada vez mais isolado, sinto que a depressão me trouxe muitas coisas boas: amizades verdadeiras, a união da minha família, a música, uma esposa maravilhosa e a capacidade de conseguir me colocar no lugar daqueles que muitas vezes são tachados simplesmente de preguiçosos, frescos ou algo assim. Então: obrigado, depressão! Você quis me tirar do meu rumo e, sem querer, me colocou em um caminho muito melhor!

  • Cara da umas dicas que são eficazes… pensei em tomar remédio é me jogar de uns 2 andares… acho que co. O corpo mole de remedio não vou ter reação

  • Juro que estava encoranjada até ler isso… Bobagem criticar o seu artigo dizendo que vai “incentivar”, na verdade me ajudou.

    • Que bom, Fernanda! Dê menos importância a tudo, estamos aqui para experimentar, para rir, para fazer piada das desgraças. Leve a vida com leveza e seja muito feliz!

  • Minha primeira tentativa foi com medicamentos… Meu irmão sofria de convulsão e não tomava o medicamente. Aos 13 anos tomei mais de 100 comprimidos para convulsão (que não lembro o nome) e alguns outros, enfim, após 3 dias em coma tudo normal, nenhuma sequela. Depois de um a os veneno de rato que não faz nem cócegas… Há 8 meses colidi meu carro a 150km e não sofri exatamente nada. Não quebrei nem um braço. Fiquei conciente o tempo todo. Enfim, morrer é tão complicado quanto viver.

  • Esse blog não foi denunciado? Será.
    Parece com aquele programa 1000 formas de morrer, algo assim, muito sarcástico, e acredite, sarcasmo é quando uma pessoa ignorante, leiga, desprovida de inteligência tenta aparecer, pois esta é a única forma que conseguiu.
    Amiguinho (a) vc já flertou com o suicídio, ou, vc, na sua vidinha perfeitinha já teve desejo de morrer? Não? Eu não acredito, talvez vc seja um suicida fracassado, quem sabe…
    Olha, o suicídio não deve ser um TABU, devemos falar sobre o tema com muita propriedade e não trata-lo com descaso, ou SADISMO… Muito menos PRECONCEITO.
    Faça um FAVOR a si mesmo e delete o blog, vá estudar e fazer terapia e tbm tratamento medicamentoso.
    Cordiais saudações ao sádico!

    • Não vamos deletar nada não. Não gosta? Não leia. O tenta a sorte “denunciando” a gente, faz dez anos que tentam e fracassam.

      • Olha…sinceramente eu não acho nada ruim ser um suicida frustrado. Muita gente só dá valor a vida quando fica perto de perdê-la. Acho que o objetivo do post foi fazer humor com algo que todo mundo conhece (a morte, o suicídio), mas todo mundo tem medo de falar. Além disso, usar o humor e o sarcasmo é algo que é feito por grandes pensadores e influenciadores há centenas de anos e, acredite ou não, pode ser uma combinação muito mais eficaz no objetivo de informar e conscientizar a população de um modo geral do que uma reportagem em um telejornal no horário nobre com médicos, termos técnicos e infográficos tentando alertar as pessoas…

  • Estou lendo relatos de suicidas, acho que.muita gente leva na brincadeira, não é brincadeira, e muito sério, quando vc perde até o amor próprio e hora de ir embora. Estou vendo relatos , eu sou incapacitada , cansei da vida.compro remédios com uma dona d3 farmácia que me vende sem receitas, então tenho acesso a todos.estou tentando ter forças para o suicídio, talvez hj seja o dia.

  • Avatar

    Possível suicida

    Eu estava guardando quetiapina também mas vi que quase 50 cartelas de 25mg é meio difícil de conseguir fora que ainda não é certo que vá funcionar. Então pensei numa opção de ir pro mar a noite com uma prancha e o corpo com coletes de malhação aqueles que vem com pesos e também tornozeleiras com pesos e velcro pois isso faria o corpo afundar e dificilmente retornar a superfície como normalmente acontece depois de um tempo se o corpo estiver sem lastros de peso, assim evitaria que alguém achasse o corpo o que eu não gostaria que acontecesse e por último um estilete para cortar a garganta e com certeza perder muito sangue a ponto de desmaiar ou ficar muito fraco, o mar faria o resto do serviço.
    A outra opção é ir até o Paraguai e comprar uma arma e fazer o serviço por lá mesmo mas como eu disse não gostaria que alguém nem soubesse o que aconteceu encontrando o corpo e identificando-o. Pensei na mema opção acima mas ao invés do estilete com a arma e ao invés do mar um daqueles rios próximo a fronteira . Bom ainda estou tentando achar uma forma que me satisfaça, sou meio chato com detalhes…

    • Com esse grau de planejamento e preocupação com detalhes, já pensou em tocar o foda-se para a vida de outra forma como ir ser voluntário na África ou algo do tipo? Sempre tive essa curiosidade com quem decide que não quer mais viver. Normalmente o que segura as pessoas para grandes aventuras e doação total é o medo de perder as coisas que tem. Mas, se chegou nesse ponto… será que não vale mais a pena?

      • Avatar

        Possível suicida

        Já pensei sim, claro, o que um depressivo mais faz na vida é pensar rsss, o problema é a falta de objetivos, de metas, de ânimo, de motivação, sobreviver é fácil, viver tem que ter vontade e pelo que percebo quanto mais eu envelheço mais a expectativa de uma mudança favorável em qualidade de vida diminui, ou seja a vida já está se esvaindo quer eu queira ou não, esperar para vivenciar uma decadência iminente e lamentar mais ainda nesse futuro indesejado não me parece sensato.

    • Olha tem mais ou menos umas semanas que eu tentei me matar…fiquei uma semana interna…toda minha família falando que era melhor eu ficar em casa…sendo que eu tenho toc por limpeza, entao vcs ja imaginam como eu fiquei quando cheguei em casa…msm eu falando que preferia ficar no hospital pq eu queria ajuda.
      Nesse último final de semana eu sai …pq todo mundo fala ” sai vai ser melhor ” ai vc sai eai oq as pessoas falam ” nossa nem parece que ta doente. Toda maquiada bem vestida ” eu nao presto pra nada nessa merda de vida…nem do meu filho eu consigo cuidar… ninguém da minha família veio perguntar por min…. meu marido tadinho nao sabe mais oq fazer…so to atrasa so a vida dele….bom e isso….vou pra mais uma tentativa

  • Olha, não costumo escrever em comentários, menos ainda em blogs, mas calhou de estar aqui então..
    Bem, sou uma potencial suicida, de uma época que me leva aos 5 anos de idade (a primeira tentativa), de modo que isso se repete ao longo dos anos de acordo com a gravidade da minha condição psiquiátrica/psicológica na época.
    Gostaria de deixar algumas observações que ocorrem na mente de pessoas que tomam atitudes de auto-extermínio. Bom, eu entendo que quando nunca sentimos, ou ouvimos de alguém muito honesto que tenha passado pela situação, tendemos a pensar que quando um suicida não completa sua missão, é por falta de conhecimento e incompetência cognitiva. Quando uma pessoa é um potencial suicida a tendencia dela é tentar não pensar nisso, tentar evitar, tentar viver. Ninguém quer cena, não é um jogo. Já viu casos de pessoas que pulam de um navio no mar para tentar se salvar e acabam morrendo? Uma pessoa que queria viver e acabou morrendo? Quando um potencial suicida tenta a morte, ele está pulando no navio, para se salvar da vida, ele avança para a morte. Acontece que esse avanço, quase sempre, é um impulso, não é pensado. Quando de repente, na mente da pessoa, o copo transborda, a primeira reação é essa: se agarrar a possibilidade de acerto da tentativa (querendo muito que dê certo) e ignorando as falhas.
    Eu não vou dizer sobre o desrespeito a causa dos potenciais suicidas que esse texto é ou não. Estou partindo do pressuposto que a pessoa que escreveu não teve contato com isso de forma interessada e empática, quanto mais altruísta. (E por favor, não digo isso como ofensa, mas como justificativa para que você que está lendo não leia com um tom ofensivo).
    Sobre ser ou não um incentivo, quando alguém entra aqui, obedecendo ao impulso como “quanto de quetiapina é necessário…” ou “como suicidar” e etc., bom, uma das formas de tornar um impulso algo concreto é racionaliza-lo. Ao ler esse texto, senti a mensagem: “não é essa forma, planeje-se melhor”, isso me soa mais como uma forma de incentivo que de prevenção. Pense e faça melhor depois faça, me soa um incentivo. Os impulsos matam menos que a racionalidade. De qualquer modo isso não importa muito, acredito que o texto vá continuar no site internet.
    Por mais tóxica que esse tipo de argumentação (tratada assim, com tanta agressividade) possa ser, pelo menos abrem espaço para discussão.
    (Fiquei em dúvida se mandava isso aqui ou no email, achei melhor aqui para os usuários darem palpite também, mas se preferirem mudar para emails, tranquilo)

    • Vc foi perfeita querida. Em todas as colocações. Em um mundo que hoje carece de tanta empatia, observe: vc chega até este texto fazendo uma pesquisa de “superdosagem de quetiapina”. Neste caso, significa que alguém está precisando de socorro. E é muito triste que alguém satirize o outro. A piada não tem graça se o protagonista da piada não achar graça. É uma pena saber que o mundo é isso…

      • É por isso que atentam contra a própria vida: com essa mentalidade de “A piada não tem graça se o protagonista da piada não achar graça” é uma das coisas mais egóicas que eu já li. Se elevem um pouco, percebam que nada gira em torno dos seus umbigos (principalmente piadas) e se sentirão mais felizes, mais inteiros, e com menos vontade de se matar.

        • Que argumento raso para livrar se do fato de ausência total de empatia. Quem está a beira do suicídio acaso vai ocupar se de uma morte bonita? Vc já esteve de fronte de alguém nesta posição?
          Atualmente existe um tal argumento criado: mimimi, é a maneira de tornar ilegítimo o argumento do outro sem dizer absolutamente NADA!
          Apenas esquivar se. Grande!!!!

          • Lila, é bem simples: não gosta? Não leia.

            Mas não, tem que vir aqui reclamar, focar no que não gosta, no que desagrada…

  • Li esse texto dias atrás com uma pilha de comprimidos na minha mão. Ao terminar o texto, percebi que não iria dar certo. E mais: morrer não é uma solução, talvez até se tornar mendigo e morar embaixo de uma ponte possa ser uma aventura pra quem quer simplesmente dar fim à algo que não tem volta. Eu tenho que agradecer à vocês, sinceramente. Nem sei como vim parar aqui. Acho que pesquisei no google “Qual a dose letal de Quetiapina” rsrs. Obrigado por me fazerem perder o medo de encarar a vida de frente, e vamo que vamo ;)

  • Isso é muito ruim, tudo bem que vc não compreenda o porque de uma pessoa cometer suicídio, tem coisas que não dá pra imtendemos nessa vida, mais ridicularizar uma coisa tão importante assim é bem perigoso, porque vc pode estar afetando mais ainda o psicológico de alguém que precisa de ajuda verdadeira, em vez de falar o que pensa, faça um favor a si mesmo procure entender os motivos que uma pessoa tem para chegar a esse ponto tão triste e estudar mais sobre psicologia. Para mim burrice é oque você esqueceu neste blog .

    • Este é um texto de humor. Algumas pessoas acham graça, outras não.

      Não seria mais lógico respeitar a liberdade de expressão, permitir que pessoas escrevam coisas que você não gosta e você simplesmente não ler?

      Não, né? Porque VOCÊ não gosta, não deveria ser escrito por ninguém. Não pode estar disponível para as pessoas que gostam, que acham graça. É o SEU padrão que dita bom senso e bom gosto. Não acha isso um pouco lunático não?

      Felizmente o mundo não funciona assim. E, sinceramente? No caso de uma pessoa que se deixe abalar por um texto escrito por um estranho na internet, o texto é o menor dos problemas…

      • Continue Sally, adorei o modo de abordagem sobre o assunto. Apesar da minha insipiência, pude enxergar muito além das letras escritas. É um exercício ao livre pensamento.

        • Este texto é do Somir, mas eu apoio totalmente a liberdade de escrita a ousadia na escolha dos temas. Se for para falar sobre o que todo mundo fala, com o enfoque que todo mundo dá, a gente se vende e vai escrever por dinheiro.

  • Alguém sabe onde compro uma espingarda calibre 12, cano duplo, preferencialmente curta e dois cartuchos 3t ou balote? Melhor. Um de cada.

  • Eu já tentei com remédios, 3x… a incompetência foi tão grande que eu mesma que contei pro psiquiatra o que havia feito, pq só me deu uma diarreia e vômitos, nem precisei da nada gentil lavagem gástrica… a psiquiatra por outro lado não curtiu minha sinceridade e além de chamar meus parentes, tentou uma internação involuntária… graças aos deuses meus pais e irmãos sabem que sou incompetente demais pra morrer, logo ignoraram a ordem de internação, nem ao menos ficaram de olho para ver se não tento nada com as 6 caixas de remédios que sou obrigada a tomar td mês… pra ver como sou perdida na vida, achei esse texto procurando a dose “certa” de quetiapina. É o único remédio que consigo estocar já que os outros se eu passo 1 dia sem tomar eu passo mal… imagina ficar meses segurando a caixas até ter a dose correta… (esse é o mal do remédio controlado, não da pra se matar com dorflex, mas nenhum psiquiatra com bom senso da na mão de um suicida mais do que 30 dias de receita ‍♀️.
    Atualmente tenho 2 caixas de 100mg de quetiapina, um total de 6gramas ou 6000mg de quetiapina. Achei q seria o bastante mas o cara ali em cima tomou 4 caixas e está vivo‍♀️

    • Não é essa a resposta. Acredite em mim.

      Me manda um e-mail para a gente conversar melhor? Não acho que você tenha caído aqui por acaso, acho que existe um bom motivo para você estar aqui e quero conversar com você: sally@desfavor.com

  • Avatar

    Pâmela Caroline de Souza Brito

    Já tentei várias coisas,cortei o pulso,medicação fiz um mix com + de 600mg de remédio ,me joguei na frente de um carro ,até drogas eu tentei uma overdose nada ,penso que sou tão inútil que nem pra morrer eu sirvo não aguento + a minha vida essa vida de miséria e sofrimento tô quase indo na boca de fumo e roubando aí eu sei que vou morrer

    • Pâmela, pelo visto, não é sua hora de morrer. Se está infeliz, em vez de ir a uma boca de fumo, vá a um bom psicológico. Tudo isso passa, acredite em mim. Se quiser me manda um e-mail e conversarmos melhor: sally@desfavor.com

  • Overdose de remédios..vai por mim,nem tente.Tomei pouquíssima dose de quetiapina acima da receita e,passei mal.Vomitei,fiquei pálida e fria,boca roxa,mãos cabeça e orelha dormentes,não conseguia nem ficar de pé…Vish.Não morri,mas tive a prova de que com certeza é uma morte agonizante,sensação que nunca mais quero provar.Sofre,sofre,sofre..morte não vem.Talvez me enforcar seja melhor ou mais rápido,mas definitivamente remédios não.

    • Enforcamento tem tudo para ser pior ainda. Alguns dão errado também e deixam sequelas horríveis. Até por isso costuma valer mais a pena virar a vida toda de cabeça pra baixo antes de tentar algo assim…

  • é sei la… comentando pra ver se consigo parar com ideias malucas. nao sei se sou suicida em potencial pq tenho arma e nao morri, nem tentei! acho q sou covarde mesmo. tenho uma vida bem ruim e sou tão azarada que alguém vai encontrar esse comentário e acabar com minha raça. em tempos difíceis vivo sendo agredida nao tenho mais forças achei q o tempo curasse mas nao acredito nisso. o tempo nao muda nada! nao pra mim q estou estática em uma situação absurda!

  • Independente se você se suicida ou morre atropelado ou de um infarto, você vai se cagar todinho, que frescura é essa. Todo mundo faz xixi e cocô e fica com essa nojeirinha, todo mundo quando morre fica podre e cheio de bicho, tem gente que fede e está vivo!. Outros acham que a morte dos outros atrapalham sua volta pra casa, é pra atrapalhar mesmo, se lasque sua patricinha sem cérebro. Tem gente que acha que depressão é besteira, que só a espinha que nasceu no nariz que merece total importância no mundo. Vai lavar roupa bando de gente sem respeito ao próximo. Tem gente que nem sabe interpretar um texto.

  • Acredito que os motivos acima são justamente para desmotivar quem pensa em suicídio numa abordagem diferenciada e que pode ter todo diferencial no momento de angústia em que o suicida está passano e até dés otiva_lo. Quem está decidido a morrer não utiliza de métodos tão banais ,dolorosos e que fazem tá tanta sujeira.

  • Eu tenho uma vida medíocre, penso quase todos os dias em me matar, mas sou tão covarde que não tentei isso ainda, tenho medo do método não ser eficaz e eu ficar com cara grande e ter que dar explicações depois, até que as dicas aqui são boas, vou tentar arrumar uma arma e acabar com isso de vez, me pareceu a melhor opção.

    • Eu tentei me suicidar duas vezes, sendo que uma das vezes fiquei em coma por um dia, e acabei acordando confusa no hospital. Resultado: Tem 1 ano que isso aconteceu, e minha vida é um inferno até hoje

    • Jesus te ama ele e a resposta para você eu tenho transtorno bipolar e sofro não falo de algo que não sei estou encostada e dependo de pessoas que me humilham eu sei o que e dor mais quando penso em morrer por mim mesma penso no seu grande amor por mim no seu sacrifício e penso em tudo que ele já fez por mim tantas vezes então volta a esperança esse Deus te ama te criou te conhece desde o ventre de sua mãe já sabia seu nome morreu Jesus por você não se mate deixa Jesus mudar sua História ele muda vamos confiar em Deus leia a Biblia que está seja sua arma não morra nunca mais haverá alguém especial como você se apegue no amor de Jesus no amor de Deus

  • Acho que não existe cara mais azarado que eu, na primeira vez eu tomei tanto remedio tudo junto quiatiapina, clonazepan e rivotril, acordei um mes depois no hospital, na segunda vez pulei de uma ponte de 10 m em plena rodovia, teve uns carros batendo mais nenhum fdp me atropelo, acordei no hospital com fratura na perna uns dias depois, a terceira vez for cortando os pulsos adivinha acordei no hospital e ganhei passagem livre pra ala de psicoticos da unicamp 3 anos depois estou aqui. com varias cicatrizes e indo ao psicologo 3 vezes por semana e fazendo acompanhamento e sempre tem uma viatura da policia passando perto de casa .. pelos tenho segurança agora !! acho que vo pensa em pula na linha do metro em SP essa ainda nao tinha pensado !!

    • Eu tomei uns 120 comprimidos de quetiapina (100mg), uns 40 de clonazepam e uns 20 de rohypnol. Acordei quatro dias depois no CTI e amarrado na cama. Acordei bem louco, totalmente confuso. Fui me sentir melhor, desses sintomas, mais de um mês depois. Eu não conseguia nem diferenciar se o chuveiro estava quente o frio. Pensei: Agora fudeo de vez, fiquei mais louco!
      Eu já tentei outras vezes, enforcado, com veneno, colocando uma sacola na cabeça e ligando o gás de cozinha. É! Eu sou um fracassado de merda mesmo!!!

      • Vc não é fracassado, pelo contrário, vc é vitorioso. Deus está te preservando, porque Deus não vê como vê os homens, Ele vê o coração e tbm o que podemos ser nas mãos Dele. Seu futuro deve ser brilhante e com um grande propósito, pois Deus está te guardando. Conversa com Ele e começa uma grande amizade com Ele, e deixa Ele te guiar nos planos Dele. Não vai ser nenhuma mágica como as pessoas falam, mas sim um processo e nesse processo, uma vida com sentido, ainda com problemas, mas agora com propósito. Falo de experiência própria.

  • Eu já tinha preparado tudo pra tomar uns remédio com álcool mas n quero ser encontrada toda cagada não. Vai fazer uma sujeirada toda. Se bem q combina com a minha medíocre existência……

  • Ja tentei tomar remédios também, muitos antidepressivos, ganhei uma bela noite de diarréia e uma maldita dor nas pernas, acho que é por perder muitos minerais, a teoria dos remédios não funciona

  • Em cada grupo de 40 pessoas existe um potencial suicida. O pior é que essa gente costuma ser ineficiente numa primeira tentativa, geralmente na segunda calcula melhor. Olhe mais para as pessoas a sua volta. Escutar alguém é bom.

  • Tudo isso que vc diz é muito cruel. Só espero que não tenha que admitir a sua ignorância evidente em qualquer aspecto desse assunto através do suicídio de um filho, filha, pai, mãe ou uma queda em profunda depressão que lhe leve a pensar seriamente no assunto. É insultante em primeiro lugar pra si mesmo, é desrespeitoso para pais, companheiros ou filhos que tenham perdido um ente querido, não “burro”, como vc chama, mas vorazmente desesperado a ponto de se jogar nesse poço escuro, muito escuro e muito, muito sem volta. Lembre-se que na vida tudo volta, sem exceção, é só uma questão de tempo. Sua alma, por exemplo, já se perdeu um bocado no vórtice do cinismo, onde já não tem importância qual é, na verdade, o real motivo do riso. Não quero polemizar, esse é um assunto pesado, mórbido, vertical e sem desculpas. Faltou compaixão. Que ela lhe venha em socorro quando realmente vc precisar, que venha mesmo.

    • Nem é comigo, porque eu não escrevi o texto, mas… se um parente ou amigo meu se matasse, a última coisa que eu culparia seria um texto. Eu olharia para o meu próprio rabo e refletiria sobre minha omissão e descuido de ter deixado a pessoa chegar tão no fundo do poço sem ter dado uma ajuda eficiente.

      • Concordo!!! Olhar p quem está ao seu lado é q faz a diferença. Jogar a culpa de um suicidio em um texto é muito fácil.

  • Avatar

    Allan Fuck Off

    Creio que o escritor dessa porcaria e todas as topeiras que aqui comentaram (exceto eu, claro) deveriam se matar. Apoio totalmente. Teríamos um mundo melhor e livre de um monte de gente escrota. Boa sorte na tentativa!

    • Como vc pode falar assim do que não tem conhecimento?? Gente escrota??? Vc sabe o que se passa dentro de alguém que pensa em cometer suicidio??? Não faça gozacao com a dor dos outros. Se não tem nada de bom pra falar aqui, vá tá um computador e procure tentar compreender a dor dos outros através das tentativas de suicidio!! Faça -me o favor!

    • é muito mais difícil do que parece, tenho muita medicação controlada, claro sei que só funciona se for uma dose alta do mesmo medicamento, mas só quero tentar quando tiver certeza de que a dose é alta o suficiente. no final eu acabo com inveja de quem consegue

    • Como ela conseguiu? Já tentei com diferentes tarja preta e em grande quantidade e não consegui…acordei no hospital e fizeram lavagem estomacal. Pensei em pular do 6 andar do prédio+ tarjas preta… preciso de algo eficaz

  • SUELLEN, bem lembrado: há alguns anos atrás (uns 3, mais ou menos) no Rio de Janeiro, uma mulher resolveu se suicidar justamente se jogando na frente do Metrô, em horário de rush!!! Eu, que estava em uma das estações mais cheias do Centro da Cidade, passei um perrengue absurdo pra conseguir ir embora naquele dia.

    O que passa na cabeça dessas pessoas? Algo do tipo: "Não basta me matar, tem que ser uma verdadeira ode à megalomania e ainda azedar a vida de várias pessoas antes de partir…"

    Aff! Eu mereço!

  • Por acaso alguém que leia o blog trabalha no metrô? Sempre tive curiosidade em saber como ficam aqueles idiotas que atrasam nossa vida ao se jogarem na linha do metrô, tal que aquela minha vizinha depressiva…

    Suellen

  • Somiiiiir, que SAUDADE do seu Humor Ácido !!!! Ri muito com a postagem. Especialmente pela categoria "Que cena bonita", rsrsrsrs…

  • HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA.

    Adorei Somir, mas PUTAQUEPARIU, vamos combinar um íconezinho no topo da página pra saber se é "Worksafe"? Acho que muita gente corre um sério risco de ir pra rua por causa do Desfavor. Hoje até eu quase fiquei preocupado. xD

  • Há 15 dias eu bebi uma garrafa de vodka (stolichnaya, tenho estilo) com uma cartela de quetiapina (antipsicótico).

    Somir tem razão.

    Eu vomitei tudo…

    Mas bem, não foi planejado, foi só um surto…

    Lembrei agora que fiquei de mandar um texto sobre transtorno de personalidade borderline para o Desfavor convidado.

  • Pensei que fosse uma cirurgia na xoxota…
    Geralmente os suicidas são pessoas tão azaradas que nem se matar eles conseguem!

  • Haha
    Depois que acaba o Jornal da cultura o programa do Ratinho concorre com o Ronivon como melhor opção da tv aberta. Não se mostram mais barracos da pobralhada na tv, só sobram os do Ratinho, mesmo que encenados.

  • Somir… Por que em vez da Sally fazer um Sally Surtada… você não banca a histérica e faz um Somir Surtado? rs
    hauhauhauha
    seria engraçado.

  • Agora além de José Mayer de Sunga, cachorro lambendo xoxota da madame e comofais as mai gosta das filia, serão atraídos para este blog pessoas de grande estrutura psicológica.
    Somir querendo expandir o nível de escrotidão dos leitores.

    Sobre a postagem de hoje, se mostrassem na tv que suicidios do tipo enforcamento e overdose provocam caganeira, mijos, menstruação e ejaculação o numero desse tipo de suicídio iria cair.
    Serio, tem muito babaca reprimido por aí, reprimido até na hora da morte hahaha

  • Sei de um caso que a fulana tentou se matar dando um tiro na boca, a bala quebrou todos os dentes dela, saiu pela bochecha e ela sobreviveu banguela…

    Sei que foge um pouco do tema, mas tem haver com tiro. Anos atrás vi uma vítima de estupro ir no programa do ratinho pedir uma cirurgia plástica. Ela tinha sido estuprada e depois do estupro ela levou um tiro na boca que saiu pela bochecha. Ela ficou com o rosto deformado….

  • Isso foi o contrário de instigar suicidio. Você não vai preso.
    (que merda!)

    faltou dizer que se o cara pular de um prédio, por exemplo, pode cair em um carro, e atrapalhar a vida de outro cara que não tem nada a ver com a merda toda.

    Ainda, o carro pode amortecer o impacto e salvar o camarada que queria ir fazer dupla com o gaspar(zinho).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: