Somir Surtado: Reacionários Nucleares.

Oh Meu Buda!A situação em Fukushima parece cada vez pior com o passar do tempo. Três dos seis reatores da central nuclear da usina estão sofrendo com panes no sistema de refrigeração, incêndios e explosões.

Como resultado disso, já começam a ser notados vazamentos de radiação potencialmente perigosos para a vida humana. E para a alegria da mídia de massa, tudo isso ocorre num país já devastado por catástrofes naturais. A chance de ouro de fazer alarde e explicitar o caráter de entretenimento puro que a imprensa mundial parece cada vez mais interessada em adotar. O importante é que as informações soem dramáticas e despertem o “prazer proibido” pelo sofrimento alheio de seu público.

Toda vez que acontece algum problema numa usina nuclear, a moda é “reabrir as discussões” sobre as medidas de segurança necessárias para se manter uma. Além, é claro, de alimentar a voraz sanha anti-tecnológica de vários hippies chatos ao redor do mundo.

A tecnologia nunca é culpada. As pessoas que a aplicam sim. No caso japonês, a vontade de proteger o investimento atrasou demais a medida emergencial de bombear a corrosiva água do mar para dentro dos reatores superaquecidos. E além disso, as autoridades nipônicas já assumiram que os técnicos cometeram alguns erros em relação a operação correta numa situação de crise.

Mas para ser sincero, nem isso poderia garantir que a merda não atingisse o ventilador. A questão sobre reatores nucleares é que a produção de energia não pode ser simplesmente desligada. Eles até tem como desligar o equipamento, como o fizeram em 11 usinas assim que o terremoto atingiu o país. Só que desligar o equipamento não desliga as reações que fazem o material radioativo emitir energia (e por consequência, calor), no máximo param de “incentivar”. O reator continua aquecendo e tem que ser resfriado ativamente até perder a força. E tem MUITA energia naquelas barrinhas…

Quando se fala de energia nuclear: Ajoelhou, TEM que rezar. O que leva muita gente a argumentar ferozmente contra a segurança das usinas atuais, ou ainda pior, querer que esse tipo de usina seja banida de vez.

E se eu acredito em alguma coisa nessa vida, é que pessoas que reclamam dos avanços tecnológicos não devem decidir absolutamente nada nesse mundo. Temos uma evolução para cuidar e isso já é trabalhoso o suficiente sem o constante nhé-nhé-nhé hippie. Por isso, vamos trabalhar com bons argumentos contra esse povo para evitar repetição excessiva de “vai abraçar uma árvore e não me enche o saco!”.

Nhé-nhé-nhé: Existem outras formas mais seguras e limpas de conseguir energia!
Resposta: Ah é? Tá achando que o mundo todo é constituído de países continentais cheios de rios gigantescos feito o Brasil? Boa parte da produção mundial de energia vem de usinas termoelétricas. E não é só porque eles se amarram em fazer toneladas de fumaça para decorar os céus, produção de energia PROFISSIONAL tem que conquistar resultados. O consumo mundial é gigantesco e a maioria absoluta das formas mais limpas ainda não pode ser aplicada de forma eficiente em larga escala. Energia oriunda de hidrelétricas corresponde apenas a 20% de toda a produção mundial. O resto quase sempre vem da queima do bom, velho e poluente carvão mineral. É NECESSIDADE em vários países do mundo, não apenas um capricho motivado por ódio pelo meio-ambiente. Não tem tamanho ou recursos naturais para tentar outras formas (eficientes) de produção de energia em larga escala.

O Japão é alimentado por usinas nucleares e termoelétricas. Adivinha quais delas não estão colaborando com a emissão de gases estufa para a atmosfera?

Nhé-nhé-nhé: Se uma usina nuclear não pode garantir segurança numa tragédia natural, não pode existir!
Resposta: Uma usina nuclear está para os aviões assim como as usinas termoelétricas estão para os carros. É muito mais provável que um acidente aconteça num carro, pela sua difusão como meio de transporte e fragilidade estrutural. Mas são os acidentes de avião que realmente deixam as pessoas em pânico. Um carro com pane no motor pode ser apenas um incômodo, um avião com pane no motor é morte quase certa. Apesar de se estar muito mais seguro em média dentro de um avião do que dentro de um carro, as pessoas tem mais medo do avião pela percepção de consequências menores ao volante.

Acidente numa usina termoelétrica não é notícia, derretimento de reator nuclear é cobertura especial de toda a mídia. Medo seletivo que ignora probabilidades… A imprensa sabe que esse é o seu ponto fraco, por isso bate tanto nele.

Digo isso porque não é como se tivessem jogado uma pedra na usina de Fukushima e tudo tenha vindo abaixo. Foi um dos maiores terremotos da história registrada humana, seguido de uma porra de um tsunami! Se formos começar a exigir que estruturas aguentem punições tão severas assim numa boa para continuar existindo, nada mais vai ser construído.

O terremoto alcançou 9 graus na escala Richter. Isso é MUITO. Entendam que a diferença entre esses graus é absurda. O terremoto do Haiti alcançou 7 graus e foi MIL VEZES menos intenso do que o japonês. Dois pontos a mais, mil vezes mais energia liberada. Construir algo para aguentar um terremoto de sete e um de nove graus são coisas completamente distintas. Não é como se tivesse faltado só uma paredinha extra… E olha que a usina aguentou o terremoto! O que causou o problema mesmo foi o tsunami subsequente.

E mesmo assim, tsunamis não podem ser previstos apenas de acordo com o terremoto da vez. A profundidade da água sobre o abalo original assim como o caminho que a água deslocada vai percorrer podem modificar completamente a onda que vai chegar até à costa. Construção anti-tsunami à prova de falhas não existe. Fukushima tinha sua dose de proteção, mas a onda veio mais poderosa do que o previsto para a área.

Usinas nucleares são construídas para aguentar doses colossais de violência natural, mas não existe estrutura invulnerável nesse mundo. Merdas acontecem!

Nhé-nhé-nhé: De quem foi a idéia de colocar uma usina nuclear do lado do mar?
Resposta: Já percebeu que a grande maioria também fica? Sabe aquela história de bombear água do mar como medida emergencial para o resfriamento do reator? Ligue os pontos.

Nhé-nhé-nhé: Energia nuclear simplesmente não é segura.
Resposta: É sim. Existem mais de 200 usinas nucleares no mundo neste exato momento, e eu aposto que você só sabe de dois acidentes: Chernobyl e Fukushima. Eu sou nerd e conheço mais um, o de Three Mile Island.

Chernobyl fica na Ucrânia, e foi construída na década de 70 pela União Soviética. O acidente ocorreu em 1986. Nessa época a USSR estava em FRANCO declínio, vendendo o almoço para pagar o jantar. Usina de alta tecnologia mantida por um governo falido simplesmente não é segura. E ainda sim, não foi falha de equipamento… Foi falha de comunicação. Os funcionários não sabiam de peculiaridades do reator e tomaram uma decisão errada para fazer manutenção preventiva. Depois disso, não conseguiram se comunicar eficientemente com as autoridades responsáveis.

Como o governo soviético quis esconder os problemas, a contenção foi feita nas coxas e a população não foi evacuada de forma eficiente, deu a merda que deu.

O fator humano foi decisivo também em Three Mile Island, uma usina americana que foi palco de um grande vazamento de radiação em 1979. (Os americanos dizem que foi pequeno, mas já existem bons estudos mostrando que o buraco foi bem mais embaixo…)

Em Fukushima, temos o primeiro acidente causado pela fúria da natureza. Acidente exacerbado por decisões erradas e pânico das pessoas que lá trabalhavam.

Um acidente em 1979, um em 1986 e um em 2011, depois de uma porra de um terremoto e um tsunami. Sério, a segurança da usinas aumentou consideravelmente depois dos problemas nos EUA e na Ucrânia. E provavelmente vai ficar ainda mais severa depois de Fukushima.

Usinas nucleares não são bombas relógio. As outras 200 que existem hoje, fornecendo 17% de toda a energia mundial, estão aí para provar que basta não fazer besteira par manter as coisas estáveis.

Nhé-nhé-nhé: A humanidade ainda não está pronta para lidar com energia nuclear!
Resposta: A humanidade ainda não está pronta para lidar com basicamente todos os avanços tecnológicos dos últimos séculos. O ser humano médio ainda acredita em mágica, ora bolas! Vamos banir a indústria de alimentos e obrigar todo mundo a plantar e caçar para a própria subsistência por causa da crescente obesidade da população? Não é assim que as coisas funcionam!

Nhé-nhé-nhé: Vamos todos virar mutantes horríveis com o vazamento de Fukushima!
Resposta: Talvez você já tenha sido afetado e seu cérebro liquefeito. Tem gente achando que toda a pouca radiação liberada ali vai ser colocada num pote e derramada dentro de sua casa! Radiação faz mal para a saúde humana, claro, mas precisa ter uma concentração razoável para tanto. Vivemos num universo radioativo. Já tem radiação atravessando seu corpo neste exato momento.

O perigo, novamente, é a concentração. E a quantidade emitida pela usina vai se espalhar pelo ambiente de forma uniforme, perdendo a concentração de acordo com a distância. Cuidado com a mídia sensacionalista: Eles acham bacana dizer que a radiação aumentou 100 vezes em determinado local, mas não avisam que nem se aumentasse 1000 vezes chegaria ao nível potencialmente perigoso com LONGAS exposições.

Radiação que te mata em questão de horas só mesmo se você der uma de goiano e começar a brincar com a barra radiotiva. Aliás, fato divertido: O acidente brasileiro do Césio 137 foi considerado de escala 5. Chernobyl foi escala 7, Fukushima está no 6. Chegamos perto, mas os japoneses são um pouco mais eficientes. Ah sim… Evacuamos Goiânia? Fechamos o comércio com o estado? Estamos todos com super-poderes mutantes?

Que existe risco existe, evidente. Mas vamos entender que um reator nuclear tem muitas proteções e radiação dilui com a distância. Se a área está perigosamente radioativa, basta não deixar gente morar por lá e tomar cuidado com a contaminação de solo e lençol freático. Assim como o Césio de Goiânia não tornou o Brasil todo numa Chernobyl, Fukushima não vai dar perda total no Japão.

Menos drama, ok?

Nhé-nhé-nhé: Não precisamos de energia nuclear!
Resposta: “Computadores? Aquelas coisas caríssimas que ocupam uma sala e demoram minutos para fazer uma continha que eu faço em segundos? Não precisamos deles.” – Cretino aleatório, 1950.

Sinto informar que conhecimento avançado sobre tramas de novela e resultados do campeonato de futebol não te capacita a fazer uma afirmação dessas. Energia nuclear é uma das melhores apostas da humanidade para conseguir alimentar uma sociedade cada vez mais voraz por eletricidade. Considerando que usamos petróleo, gás natural e carvão mineral para a MAIOR parte da energia consumida no planeta, é de se considerar seriamente que esses recursos acabam e nem todo mundo pode se voltar para hidrelétricas. Nem mesmo o Brasil depende exclusivamente delas!

Estamos engatinhando na produção de energia nuclear e já temos países dependentes dela, como o Japão. Energia nuclear é o futuro, goste ou não.

Nhé-nhé-nhé: O risco para a natureza…
Resposta: VAI ABRAÇAR UMA ÁRVORE E NÃO ME ENCHE O SACO!

Bom, nem sempre dá para usar a resposta mais civilizada.
Usinas nucleares não contaminam pessoas, pessoas contaminam pessoas.

Para me mandar um discursinho anti radiação após desligar seu celular, pegar a pipoca que acabou de fazer no microondas e ligar seu monitor do computador com o brilho no máximo: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (32)

  • Sei bem que estou (muito) atrasada e a discussão arrefeceu, mas preciso comentar: as Réplicas do Somir e de Fuck Bush, frente ao Anônimo das alternativas às Termoelétricas e Termonucleares, merecem ovação !

    *Lágrimas…

    P.S.: " Nerd Rage " – Devidamente adicionado ao vocabulário particular…

  • Anômimo,

    estude evolução e conversamos ok?

    Qualquer criança sabe que no embrião está a nascente de todos os tecidos.

    Pega leve

  • Fuck Bush:

    Wikipedia como fonte? Você está falando sério que acha que abafou usando a wikipedia (aliás, o ramo escrito em português da wikipedia, que é um dos mais zoados, mal administrados, amadores e cagados da história toda) como fonte? Faz-me rir…

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9lula-tronco

    Na parte de Extração das células-tronco já dá para ter uma idéia do poder das embrionárias…

    Por simples, básico e elementar conhecimento da teoria da evolução, (valeu Haeckel) qualquer estudando do 2 grau deduz que as embrionárias podem gerar a maior quantidade de tecidos

    Chupa cristãozinho inho inho

  • Eduardo:

    Fusão à frio – não há comprovação de resultados.

    Nucleares X hidro: as nucleares acabam pedindo mais área que hidros bem projetadas (merdas feito Balbina são piores que muita nuclear por aí), lá pro fim da vida útil das primeiras. Armazenar lixo radiativo secundário é um saco.

  • "Será que após o terremoto um Godzilla vai sair das profundezas da terra?"

    Enfim, uma discussão enriquecedora!

    Infelizmente, Godzilla pagou o preço pela sua ganância. Logo após destruir Nova Iorque para tentar ganhar o mercado ianque, nosso querido monstro resolveu cortar caminho dando a volta pela América do Sul e deu de cara com Ry'leh.

    "Será que após o vazamento de radiação, surgirá um grande super herói para combater o Godzilla?"

    Muitos japoneses já ganharam o poder de multiplicar suas células de forma descontrolada há algumas décadas atrás. Com certeza o potencial existe.

  • "Ok, por partes:"

    Subsídios: O principal subsidiário do petróleo é o país cuja moeda serve de lastro mundial. Os americanos barateiam o petróleo para seu mercado interno imprimindo dinheiro. Literalmente.

    Não é assim que a banda toca no resto do mundo.

    Os produtores de petróleo já tem estrutura e mercado para lucrar com a relação entre o custo de extração e o valor da venda. Os subsídios para energia "limpa" visam equilibrar essa desvantagem de "estabelecimento de mercado" dos combustíveis fósseis.

    Baixo consumo: Finlândia e Dinamarca tem, somadas, 10 milhões de habitantes. Menos que Tóquio. Evidente que escala tem a ver com o sucesso das iniciativas eólicas. E mesmo assim, ainda estão na faixa de 20% da energia produzida por lá.

    Competitividade: Vide equiparação entre custos de produção e valor de venda. É terrível competir com combustível fóssil nessa área e você SABE disso.

    O resto: Você nem sabe aonde está a nossa desavença. Está repetindo muita coisa e atirando para tudo quanto é lado, talvez para fazer pose. SPOILER: Basicamente só eu tenho saco para ler essas paredes técnicas de texto por aqui.

    Poder de síntese: Estou argumentando aqui que…

    1) A energia nuclear não pode ser abandonada por causa de um acidente. Existe muito futuro na área e a segurança operacional das usinas em si é muito boa.

    2) Os japoneses não fizeram uma escolha absurda com usinas nucleares.

    3) Energia nuclear não é tão cara assim considerando o custo do kWh, tudo isso num espaço compacto. Existem vantagens econômicas consideráveis.

    O resto é você discutindo sozinho do alto da sua nerd rage.

  • "Tá de bom tamanho, sócio-atleta da ATEA?"

    Você está fundamentando o que você mesmo disse e eu não confrontei. Gente que faz isso costuma terminar falando com as paredes.

    O Blogger não te considera SPAM à toa…

  • Em tempo: o Brasil usa termoelétricas de bobeira, ainda há muito potencial de geração hidroelétrica na bacia do Amazonas. Basta mandar a indiarada e as ONGs irem se foder e mandar bala nas usinas de turbina horizontal, tem potencial a dar com pedra.
    Os números oficiais estão em http://www.aneel.gov.br/69.htm

  • Ok, por partes:

    Subsídios. Quer mais subsidiado que combustível fóssil? Petróleo é a fonte de energia mais subsidiada do globo. Os subsídios às outras tem um grande componente de compensação do subsídio ao petróleo (e um tanto menos ao carvão).

    Baixo consumo. De eletricidade? Talvez. Mas os consumos de energia térmica são razoáveis, e eles precisam de tudo que é fonte de aquecimento. Eletrotermia inclusive.

    Competitividade. Tirando o comentado na questão dos subsídios, também fica o caso da Vestas. Maior produtora mundial de turbinas eólicas e componentes (pás), é dinamarquesa. Além de competitiva (uma vez compensado o subsídio planetário ao petróleo), traz divisas para o país…

    Área para produzir energia no Japão. E quem diz que um país com tão pouca área deve recorrer a uma fonte que implica em deixar terreno morto por mil anos? Uma usina tem vida útil de 60 anos, depois tem que ser lacrada até a radiação "arrefecer". Enquanto isso, constroem outra usina para repor a capacidade de geração e por aí vai. Importem gás natural liquefeito ou hidrogênio e convertam isso em eletricidade em térmicas de ciclo combinado gás-vapor, oras!

    BRIC. Brasil e Índia podem usar bastante biodiesel de pinhão manso sem tanto subsídio, e ainda tem a questão da fixação do homem no campo. China já é outra história, a disponibilidade de carvão deles é tão gigante que não adianta inventarem uma usina movida a bambu… Rússia é outra situação parecida, com toda aquela disponibilidade de gás… Mas no geral cada país tem um conjunto de fontes que podem ser usadas em complementação à sua matriz energética habitual, reduzindo a necessidade de consumo de fósseis e físseis. Em alguns casos, dá até para zerar uso de fósseis e físseis. Por exemplo: pegue a porção morta da caatinga e forre com centrais heliotermoelétricas. Não precisa nem ser de torre concentradora, espelhos parabólicos com tubo de fluido térmico já bastam para que não instalemos nucleares no Nordeste (pergunte-se: você gostaria que alguém que gosta de micareta operasse uma termonuclear?).

    Os EUA continuarão injetando petróleo nas veias… Até injetam, sim, já que eles têm uma pusta indústria petrolífera gigante lucrando com isso. Mas o Department of Energy deles tem os maiores e melhores projetos de pesquisa em fontes alternativas existentes. E o preço da gasolina lá começou a subir. Vejamos por quanto tempo eles continuam injetando.

    E ter horror de etc. etc. etc. já saiu do padrão de argumentação lógica que você tinha conseguido sustentar até então. Como eu mesmo escrevi, as termonucleares não são más por si mesmas. Depende de seu modo de construção, de seu modo de operação, de sua localização e de mais meia dúzia de fatores. E instalar uma na região mais sujeita a abalos sísmicos de todo o orbe terrestre não é exatamente a opção mais prudente do mundo. Poderiam antes comprar gás natural ou hidrogênio de eletrólise da China.

    Carteirada. Não se trata tanto da "carteira", mas da questão leigo X especialista. Tua carreira é muito desligada do assunto, enquanto meu ganha-pão é diretamente ligado. Daí que também entro em "nerd rage" quando leio uns textos desses.

    Último detalhe, que já está gigante (de novo): fora Angra III, há planos governamentais de construção de termonucleares na região Nordeste. Imagine Homer Simpson dançando ao som do último sucesso do Parangolé…

  • Tenho duas dúvidas Somir:

    Será que após o terremoto um Godzilla vai sair das profundezas da terra?

    Será que após o vazamento de radiação, surgirá um grande super herói para combater o Godzilla?

  • Apocalipse zumbi nuclear?

    quem vence? Zumbis ou baratas?

    Size, parei de trocar e-mail justamente por isso. Deturpar informação para que ela se adapte ao teu paradigma não faz o debate fluir…ignorar pontos negors também não..

    a Tese da fusão á frio tem coerência? (pergunto pra um Nerd e pra um enginer)

    usinas nucleares não fodem menos que as hidrelétricas? (area imundada enorme X lixo nuclear)

  • Ofendendo o intelecto alheio onde, mesmo? Bravatear não vale, tem que provar o que diz.

    Vento dinamarquês:
    http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,1881646,00.html
    http://www.renewableenergyworld.com/rea/news/article/2006/12/denmark-to-increase-wind-power-to-50-by-2025-mostly-offshore-46749

    Biomassa na Finlândia:
    http://www.industcards.com/biomass-finland.htm
    http://www.fujitaresearch.com/reports/biomass.html

    Heliotermoelétricas na Espanha:
    http://www.neoteo.com/torre-solar-en-espana-proveera-electricidad-a-150
    http://www.wikienergia.pt/~edp/index.php?title=Espanha_ganha_nova_torre_geradora_de_electricidade

    Pinhão manso:
    http://dspace.nitrkl.ac.in/dspace/bitstream/2080/330/1/pramanik.pdf
    http://www.jatrophabiodiesel.org/

    Mamona para biodiesel:
    http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-90162010000600018&script=sci_arttext
    http://www.tierramerica.net/2003/0526/ianalisis.shtml

    Capim elefante:
    http://www.recrops.com/miscanthus
    http://www.businessweek.com/technology/content/jun2010/tc2010063_640300.htm (iniciativa não voluntária, mas prova que é tecnicamente viável)

    Anel de Fogo do Pacífico:
    http://geography.about.com/cs/earthquakes/a/ringoffire.htm
    http://www.universetoday.com/59341/pacific-ring-of-fire/
    http://news.bbc.co.uk/2/hi/8284372.stm

    É foda, o Somir é PUBLICITÁRIO e acha que pode pontificar sobre engenharia de sistemas de potência… Depois quando toma esporro ainda se acha no direito de dizer que teve seu "intelecto" ofendido. Ah, uma jaula!

    A propósito: se a sua resposta se referiu às CTs, prove que o tipo 1 tem mais resultados positivos que os tipos 2,3 e 4 juntos. E pesquise fora, por que a nossa mídia é mentirosa e burra e tem muito pesquisador nosso embarcando nisso!

    Sangue de cordão:
    http://www.cordblood.com/cord_blood_banking_with_cbr/banking/diseases_treated.asp
    http://www.medicalnewstoday.com/articles/97995.php (em uso médico há mais de VINTE ANOS)

    Tecido de cordão:
    http://scienceray.com/biology/stem-cells-from-umbilical-cord-tissue-for-better-health/

    Tá de bom tamanho, sócio-atleta da ATEA? Fã do Daniel Sotomaior é foda…

  • "nhé-nhé nhé A mãe natureza mostrou mais uma vez, que é que manda.
    Os japas com toda a sua tecnologia, se fuderam ao pensar que podem mais.
    Fuckkkkkkkkkkkkkk – Anonimo"

    A mamãe natureza mandou vc voltar pras cavernas, largar o computador e viver de caça e pesca.

    Vai lá, vai…

  • "Somir e seu radicalismo infantilóide…"

    Você está discutindo pontos que nem eram tão centrais assim na idéia de rechaçar a turma babaca que acha melhor reduzir produção e consumo ao invés de investir em eficiência.

    A sua abertura de comentário denota a necessidade de demonstrar superioridade sobre alguém com quem não concorda habitualmente.

    Pode enganar suas negas, não me engana. Mas vamos discutir, eu me amarro numa discussão…

    Se por "se virando" você quer dizer menos de 20% da produção nacional de países com baixo consumo como Finlândia e Dinamarca, com necessidade de forte subsídio governamental para ser economicamente viável, talvez.

    O bom da humanidade é que não precisamos colocar todas as cabeças pensantes perseguindo os mesmos ideais. Energia eólica e solar são excelentes possibilidades, desde que toda a cadeia produtiva possa competir economicamente. A luz solar e o vento são grátis, todo o resto não é.

    Países nórdicos são famosos por gastar dinheiro com coisas "certas" ao invés das mais eficientes, tendo em vista a estabilidade social que permite essas extravagâncias. Poder para eles! Mas usar esses países como referencial para os pobres mortais do resto do planeta beira à inocência.

    O Japão lá tem área disponível para alimentar seu COLOSSAL consumo de energia com formas expansivas de captação?

    Você consegue enxergar algum dos países do BRIC tomando prejuízo com pesados subsídios para produzir energia mais limpa?

    Os EUA vão parar de injetar petróleo nas veias enquanto isso for incrivelmente barato para eles?

    Eu acho lindo que se tentem vários outros métodos de produção limpa e renovável de energia, mas tenho horror de viver num mundo que desiste do conceito espetacular de eficiência energética que reações nucleares proporcionam porque tivemos alguns sobressaltos no caminho. (Eu sei que atualmente não é lá muito eficiente, mas o potencial está ali, tem que ser trabalhado.)

    A tecnologia dessas usinas pode, deve e vai ser aperfeiçoada. As usinas termoelétricas "carregam" o mundo porque não dependem de "condições ideais" para funcionar. O mesmo conceito que pode ser aplicado às termonucleares.

    Não digo em momento algum que devemos acabar com o desenvolvimento de outras formas de produção de energia. Você leu o que queria ler.

    Insultar enquanto argumenta é uma arte. Você não a domina. Está passando apenas por alguém que deixou as emoções dominarem a argumentação.

    E enfia o seu diploma no cu. Médico que esquece bisturi dentro de paciente também tem formação acadêmica. Publicitário formado também faz campanha "cagando na casa do Pedrinho". "Carteirada" na internet não cola.

  • Hahahah, a Olavete já está ofendendo o intelecto alheio em todas suas argumentações.

    Desfavor: Corrompendo desde 2008!

  • nhé-nhé nhé A mãe natureza mostrou mais uma vez, que é que manda.
    Os japas com toda a sua tecnologia, se fuderam ao pensar que podem mais.
    Fuckkkkkkkkkkkkkk

  • Fuck Bush, seu ERISTA!

    Existem 4 tipos (no momento) de células-tronco (CTs):
    1. CTs embrionárias – ÚNICAS contra cujo uso religiosos cristãos se opõem, coincidentemente as com menos relatos de uso bem sucedido.
    2. CTs adultas pluripotentes induzidas. Obtidas mais frequentemente a partir da manipulação eletroquímica de células adultas de pele, já apresentam uma série de aplicações bem sucedidas.
    3. CTs de sangue de cordão umbilical – as com maior número de relatos de uso bem sucedido, e de obtenção mais fácil. De cada parto sempre sobra um segmento de cordão com uma bela quantidade de células tronco no sangue ali contido, então qualquer maternidade te fornece o material de graça.
    4. CTs de tecido de cordão umbilical – fonte mais recente, ainda com poucos estudos. Sua obtenção (extração das CTs do tecido do cordão) é um pouco mais complexa, mas qualquer maternidade anexa a um hospital com um bom lab te dá um belo fornecimento de CTs adicional à partir dessa fonte.

    Repetindo: cristãos são contrários única e exclusivamente ao uso das CTs do tipo 1 (embrionárias), e são amplamente favoráveis ao uso das CTs dos tipos 2 (adultas induzidas), 3 (sangue de cordão) e 4 (tecido de cordão).

    Assim sendo, pense antes de escrever asneiras, a menos que você tenha prazer em fazer papel de idiota.

  • Não sou contra avanços tecnológicos apenas acho que as pessoas precisam enxergar, admitir e respeitar suas limitações.

    Uma ilha! uma droga de um território pequeno situado no chamado anel de fogo, apenas o local mais vulnerável a terremotos e tsunamis que poderia existir no planeta. Enxer aquilo de usinas nucleares não foi uma boa idéia.
    A natureza é incontrolável e imprevisível. A radiação é incontrolável a curto prazo, você mesmo disse que demora até parar de emitir energia: tá feita a mistura da merda.

    Se territórios pouco suscetiveis a catastrofes naturais quiserem se entupir de usinas nucleares tudo bem, mas o Japão… parabéns champs! Daqui a pouco vão caçar baleia com 3 olhos.

  • As pessoas perdem as medidas!
    Evoluir é mais que necessário, só que alguns – a maioria – esquece disso e adotam um discurso hippie babaca sem embasamento algum, e quando tem é algo tipo anos 50!

    Cuidar na natureza é necessário também, mas deve haver um equilíbrio ou coisa do tipo para que a humanidade possa progredir.

    Acho muito pior o comportamento daqueles neguinho que atiram lixo em rio, e etc, e depois tem a cara de pau de falar da porra do risco de uma usina dar pau.

    Somir surtado, gostei disso! :D

  • Sou a favor da energia nuclear.

    É a mais limpa e menos poluente que existe. Agride a natureza muito menos q uma hidreletrica ou termoeletrica.

    O único inconveniente é o lixo radiotivo, que um dia vamos aprender a lidar de forma cada vez mais eficaz.

    Acho válido os esforços brasileiros pra entrar nesta era. Se toda a energia gerada no planeta fosse nuclear, viveriamos num mundo certamente melhor.

  • Somir e seu radicalismo infantilóide…

    1) A Dinamarca se vira com eólica, a Finlândia com térmicas a biomassa e a Espanha está investindo absurdamente em solar (inclusive com plantas heliotermoelétricas em que uma fazenda de espelhos concentra a luz em cima de uma torre com fluido para aquecer e acionar uma turbina vapor). Então por que caralhos insistes em apresentar as termonucleares como se fossem a ÚNICA opção tecnico-economicamente viável, se há países desenvolvidos inteiros dizendo que não é o caso?

    2) As termonucleares não são intrinsecamente más. Tudo depende de como são construídas, como são operadas e ONDE SÃO CONSTRUÍDAS. Energia nuclear não é para quem quer, é para quem pode. E vamos combinar que o FUCKING ANEL DE FOGO DO PACÍFICO não é o lugar para construírem termonucleares!

    3) O Brasil não precisa de nucleares, por que além da hidro ainda temos terrenos pobres (impróprios para a produção agrícola de alimentos) que podem ser plantados com vastas fazendas de pinhão-manso, capim-elefante ou mamona (plantas que pedem muito menos do solo que um feijão, uma soja ou um arroz). Qualquer uma destas fontes de biodiesel ou biomassa para queima pura e simples já dá conta de produzir bastaaante energia pros nossos microondas, frigobares, micros, celulares, ipods e mais o que você quiser.
    Detalhe: além de produzir energia, esse tipo de solução ainda ajuda a reduzir o êxodo rural (fixa a paraibada pelo Nordeste e ajuda-os a não virem pentelhar o povo aqui do sul maravilha). Outra que vai pelo mesmo caminho é a construção e OPERAÇÃO de plantas heliotermoelétricas no Nordeste. Muito sol, terreno inútil para agricultura até de mamona, então forra aquela porra com espelhos e torres concentradoras e põe o pessoal de lá para operar o sistema, que não precisa ser todo mundo engenheiro eletricista. Um engenheiro e uma renca de técnicos em cada uma já tá de bom tamanho.

    Então vamos parar com a porra da erística e respeitar as opiniões alheias, ok?

    P.S.: Antes que você faça algum comentário idiota sobre novelas, futebol ou outra monguice que esteja no gosto do populacho no momento, aviso que sou engenheiro eletricista (e não, meu diploma não é da Estácio, é da POLI-USP). Então faça de conta que foi cagar e fique quieto.

  • Nhé-Nhé-Nhé: E a porra do lixo radioativo?

    isolar de forma segura é caro pacas. Mais uma vez acho que o fator humano ia fazer merda.

    _
    Tem jeito de funcionar a fusão fria?

    O dano ambiental na implantação de uma usina hidrelétrica não é superior em montes ao de uma usina nuclear?
    _
    A Sally tá preocupada com a radiotividade perto das lagartixas japonesas?

  • perfeito. eu ia escrever sobre esse tema, mas não tenho praticamente nada a acrescentar, então estou apenas compartilhando o link via google reader. e, a propósito, vocês bem que podiam liberar o conteúdo completo do blog no reader e não só o primeiro parágrafo, esse leitor aqui ficaria bastante feliz.

  • Eu defendo a energia nuclear n pela ausência de gases poluentes (até pq n existe aquecimento global…e sim local) mas pela opção para a falta de combustíveis fósseis…tem mané que acha que eles nunca vão acabar.

    Imagina carros que n precisam abastecer? Com a energia nuclear isso é mais que possível.

    A energia nuclear está para os eco-chatos assim como as pesquisas de células-tronco estão para os religiosos.

    Dois pés no saco.
    Mr. Fuck bush ficando mais velho hj
    é um desfavor n?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: