Dia: 24 de Abril de 2011

Aleluia!O desfavor (mentira, foi culpa só do Somir) tarda, mas não falha. O Brasil, como bom país católico, não deixa de transformar cada evento de fundo religioso em feriadão prolongado. Não que detestemos feriados, mas é tanta bobagem e incoerência deste povo que a Semana Santa/Páscoa é um desfavor, que assim como o zumbi judeu, insiste em voltar para nos pentelhar.

Desfavor da semana.

SOMIR

Refeito da ressaca (estava trabalhando, mas ninguém acredita, ressaca pelo menos gera alguma simpatia…), resolvi escrever sobre o assunto. Tenho a sorte de viver cercado de seres humanos pouco afeitos às tradições religiosas, por isso faz tempo que não vivo a experiência da celebração do espancamento, assassinato e volta como zumbi do hippie mais famoso do mundo.

Óbvio, sejamos coerentes, sempre dizemos aqui no desfavor que as pessoas seguem a religião de forma que lhes é mais conveniente, neguinho faz churrasco de sardinha porque “não pode comer carne”, mas entorna alguns engradados de cerveja do mesmo jeito, já que dá mais trabalho não exercer o hábito de passar qualquer feriado mamado e caindo pelos cantos.

E enchem o caneco mesmo. Eu vi dois acidentes de trânsito voltando para casa na madrugada do sábado (se você é burro, de sexta para sábado). Em ruas vazias. E como eu sei que essas pessoas estavam mamadas? Dava para perceber a cagada uns dois segundos antes da batida. E quem dirige sabe que isso é tempo necessário para desviar até de um caminhão desgovernado. Ou será que eles comeram carne e deus estava punindo?

Odeio a humanidade com muito mais afinco durantes os feriados prolongados. E antes que eu me esqueça: SE VOCÊ NÃO DIRIGE DURANTE A SEMANA, FAIXA DA DIREITA, SEU CORNO! Ainda escrevo um texto sobre trânsito, minha gastrite aumenta toda vez que eu dirijo em feriado. (Ou quando tem adesivo do Piu-Piu, Calvin mijando ou de Gezuiz no carro da frente… Sério, são sempre eles que fazem merda…)

Ahem…

Mas o simples fato de tradições insanas como essas ainda terem qualquer papel na tomada de decisão de adultos supostamente racionais é para colocar em xeque a evolução intelectual humana como um todo.

Como é que as pessoas acham que para um ser “oni-tudo”, o fato delas comerem peixe ao invés de carne faz qualquer diferença? Quão RETARDADO esse deus precisaria ser para dar a mínima para isso? Eu sei a resposta! Tão retardado quanto os seres que o inventaram em eras onde o conhecimento humano era um fiapo do atual e o misticismo irracional não tinha concorrência!

E antes que a Liga Reacionária Cristã venha explicar o significado da tradição: Foda-se. Assim como várias outras de fundo cristão, ela só está viva por valorizar os produtos de alguns grupos de comerciantes. A indústria do pescado se aproveita dessa há muito tempo.

Deus castiga se você não gastar dinheiro da forma como alguns vendedores querem. Aleluia! (Se eu fosse deus, e deveria já que o atual é um incompetente, eu ficaria muito mais puto com quem seguisse uma tradição babaca dessas do que com quem pensa…)

E já que estamos nessa de data puramente comercial: Páscoa. O dia em que Jesus virou um coelho e botou um ovo de chocolate. A tradição do ovo de chocolate é essencialmente tupiniquim. A indústria adora, o comércio idem. Mas convenhamos que é uma piada das boas com o fundo religioso da data.

Mas essa é a parte divertida: Quando empresas roubam as datas da religião. O Natal é a celebração dos presentes e da Coca-Cola, a Páscoa é a celebração da Nestlé e da Garoto… O deus cristão investe pouco em publicidade e tende a mirar nas faixas D e E. Erro estratégico. Está levando um banho.

O triste é que um país que faz tão pouco de religião ainda não tenha entrado num processo de remissão e começado a se livrar de verdade desse câncer social. A porra do católico não-praticante é um terreno fértil para a instauração de uma sociedade menos babaca.

Ao invés de pegar uma linha mais inglesa de expurgar a religião de um povo pouco fundamentalista, vamos pegar a linha ianque e entulhar esse país de crentes que vão virar uma baita de uma âncora evolutiva assim que nossa economia permitir preocupações menos básicas. Que diferença faz a qualidade do ensino…

E para provar que esse povo caga e anda para religião: Malhação do Judas. Um amigo meu me falou isso uma vez e realmente faz todo o sentido… Judas foi a peça mais fundamental na historinha de Jesus e seus machos barbudos. Jesus PRECISAVA ser traído para a coisa dar certo. Se ele tivesse amarelado feito os outros, ninguém teria pegado o hippie para Cristo e o dramalhão pooobre da crucificação não teria alçado o cristianismo ao estrelato atual.

O cara aceitou ser um dos maiores vilões da história para ajudar no processo e a pobralhada bate num espantalho dele ano após ano? Que injustiça. Sem Judas não teríamos as belas (e por belas eu quero dizer bregas) peças da “Paixão de Cristo” (paixão? ele era masoquista?) estreladas por atores globais na geladeira da emissora.

Bom, pensando sob esse ângulo, eu também bateria nele.

Para dizer que eu ainda devo estar bêbado por causa deste texto, para dizer que mandou sua namorada ficar sem tomar banho três dias para comer bacalhau, ou mesmo para reclamar que o serviço aqui no desfavor já foi melhor (quem paga em dia vê todas as postagens): somir@desfavor.com

SALLY

É Páscoa. Vamos todos comemorar o aniversário de morte do nosso amigo imaginário que nos conforta em momentos de desespero! Eita feriadozinho repleto de desfavores, viu?

Não entendo uma série de coisas relacionadas à páscoa, será que alguém pode me explicar? Na sexta-feira não pode comer carne, em respeito à morte Dele (aparentemente peixe não é considerado carne). Todo mundo segue. Todo mundo é super de Deus nesse dia. E se você come carne a coisa mais agradável que escuta é um “desnecessário!” seguido por um olhar de reprovação. Ok, eu não tenho nada contra quem segue rituais religiosos (ao contrário do Somir). Mas me respondam uma coisa… vocês que tanto paunocuzam quando eu como carne na sexta-feira santa, também esperam até o casamento para fazer sexo? Não usam métodos contraceptivos? Seguem todos os preceitos que sua igreja manda? Então, só porque seguem UM, que de alguma forma não lhes é muito inconveniente, não se sintam no direito de criticar quem não o segue!

Daí vem aquela frase que eu adoro, na minha opinião, uma das mais hipócritas que existe: “É que eu sou católico não-praticante”. WAT (vai lá nos comentários dizer que what se escreve com h, vai). É a mesma coisa que um gordinho se enchendo de chocolate dizer que é um marombeiro não praticante, algo como “Eu sou marombeiro, estou matriculado na academia, mas eu não vou, sou um não-praticante”. Filho, se você não pratica, então você NÃO É um marombeiro! Vai pra porra! Se você não segue os preceitos da religião católica, você não é católico, cacete! Vamos parar com esse auto-perdão? Basta acreditar em Deus para ser católico? Acho que não.

Daí neguinho que não segue porra nenhuma do que a religião manda fica te apontando o dedo quando você come um bife. Se Deus existe, tenho muita certeza que tem um cantinho do inferno reservado para esses “católicos não-praticantes”, porque Deus não deve gostar de hipócritas que aplacam medo e crise de consciência se agarrando a uma religião que não praticam. Querem estar cobertos sob o manto do catolicismo por questões sociais e de mitigação de culpa, mas na hora de dar a contraprestação eles dão calote em Deus! QUE VERGONHA! Calote em Deus é bad karma, hein?

Outra coisa que não compreendo da páscoa: essa tradição de malhar o Judas. Porque vamos combinar, os ensinamentos Dele eram amor, compaixão, perdão, dar a outra face… E o que nós fazemos? Um boneco que simboliza uma pessoa que errou e ensinamos nossos filhos a cobrir o boneco de cacete! Dar paulada, dar pedrada e até tacar fogo. Olha só, eu sou adepta da paulada, tá? Com a diferença que eu não poso de boazinha cristã, eu sei que sou um ser inferior que tem certo prazer na violência física em determinados casos. Se querem seguir a lógica de Cristo, parem de ensinar suas crianças que quando a pessoa erra tem que cobrir de cacete com paulada. É ISSO, e não o vídeo-game, que cria crianças violentas.

Depois de não comer carne em respeito à morte Dele e concomitantemente cobrir um cosplay de ser humano de cacete vem o domingo de páscoa, onde todas as pessoas fora de forma se sentem no direito de encher o rabo de chocolate, porque afinal, “é páscoa”. Sempre tem um pretexto: “é o aniversário de fulano”, “é a comemoração de tal coisa”, “foi a fulana que fez o doce se eu não comer vai ser desfeita” e por aí vai. Não é assim que se faz dieta. NÃO VAI EMAGRECER NUNCA. Não de forma definitiva, boa sorte com a sanfona. Depois de encher o rabo de ovo de páscoa passam cinco dias fazendo dietas loucas para perder 3kg em uma semana, passam mal e juram que nunca mais fazem dieta.

Gastar dinheiro em ovo de páscoa não me parece algo que Gezuiz pregaria. Gezuiz virou álibi para todo tipo de consumismo (Natal? Oi?). Ele deve estar muito puto com isso, tenham medo. Todo mundo compra ovo, todo mundo se entope de chocolate sem qualquer propósito. Na hora de encher os cornos de chocolate, porque afinal, é páscoa, ninguém lembra que é “católico não-praticante”. Conveniente. Quando o ritual é agradável todo mundo pratica. Quando implica em um sacrifício ou renúncia neguinho levanta as mãos e grita que é “católico não-praticante”. Muito coerente. Mais fácil que EU vá para o céu do que pessoas assim.

Parece aquele namorado egoísta que todo mundo já teve ou já viu: te cobra muito mas quando chega a vez dele de retribuir sempre tem uma desculpa. Assim são os “católicos não-praticantes”, querem que Deus esteja ao lado deles, querem o status de pertencer ao catolicismo mas não querem nada que implique em um grande sacrifício. Ao menos eu sou HONESTA e como sei que não concordo e não vou cumprir determinados rituais, não me filio a religião nenhuma. Aposto que Gezuiz gosta de honestidade e coerência.

Para piorar os desfavores de páscoa, circunstâncias externas também vem paunocuzar quem não tem nada com isso. Trânsito infernal, porque ninguém come carne em respeito a Cristo mas todo mundo viaja e se diverte de montão no dia em que o infeliz foi crucificado e teve uma morte lenta e dolorosa, inclusive enchendo os cornos (adianta não comer carne e encher os cornos?). A TV, que normalmente já é indigesta, fica ainda mais intolerável com programas relacionados ao assunto, desde debates sobre a data até aqueles filmes fantasiosos onde Jesus é ruivo e de olhos azuis (Jesus era cor de azeitona e não conseguiria entrar nos EUA hoje em dia se tentasse) e coelhos gigantes falantes. Não há condições.

Para acabar de foder com a minha paciência, semana que vem as academias estarão lotadas, pois os “marombeiros não-praticantes” estarão morrendo de culpa na segunda-feira e acharão que se freqüentarem a academia duas semanas seguidas (se achando heróis da força de vontade por causa disso) entrarão em forma depois da orgia alimentar que fizeram. Daí fica aquele bando de gente que não sabe usar aparelho empacando minha vida. Sério, pagar mensalidade de academia não emagrece. Sério mesmo.

Eu odeio a porra da Páscoa!

Para me chamar de espírito sem luz, para se enganar dizendo que não vai ser um chocolatinho na Páscoa que vai engordar ou ainda para dizer que é mais fácil que um camelo passe pelo buraco de uma agulha do que eu ir pro céu: sally@desfavor.com