Desfavor da semana: Casamento Irreal.

Pobreza é um estado de espírito...Comoção mundial, mídia monotemática, cobertura minuto-a-minuto. Tem jeitão de desastre natural, mas dessa vez é bem artificial. O casamento do príncipe Willian com Kate Middleton é um daqueles comuns momentos que trazem à tona toda a babaquice da espécie humana.

Poderíamos deixar passar, mas não vamos. Venha sofrer conosco!

Desfavor da semana.

SOMIR

Eu poderia escrever um texto tirando sarro da bobagem que é esse casamento e a cobertura da mídia de massa, mas… foda-se o sistema. O que realmente me preocupa num momento desses é que a imensa maioria das pessoas SABE que esse casamento é só uma bobagem mesmo.

O que resta é uma divisão entre quem verbaliza isso e quem mesmo assim entra na dança. E a verdade é que ambos os grupos não tem nada a ver com o assunto e não tem poder algum de modificar o desenrolar das ações. O posicionamento ideológico de alguém em relação a um casamento desses é irrelevante.

Vivemos numa sociedade que já é baseada em informação. A Era Industrial acabou com a internet, e eu aposto que historiadores futuros vão marcar o lançamento do Google como marco zero da Era da Comunicação. (Ainda estamos muito em cima para ser consenso, mas pode me cobrar daqui há algumas décadas…)

E isso é relevante. Os acontecimentos midiáticos pautam o passar do tempo nesses últimos anos; e já nos acostumamos com essa sequência de ondas de informação, quando acaba uma cobertura, começa outra.

Quando a onda do terremoto japonês perdeu força (ha), começou a onda do casamento real britânico. O mundo PRECISA de informação, seja qual for. A mídia tem tanta culpa quanto seus consumidores, quando assumimos o vício por “junk info” e cobramos dela atualizações constantes com alcance global, colocamos combustível nessa fogueira.

O casamento do Principe Carequinha com a Kate Middleclass é uma baboseira e sabemos disso. Mas é uma pauta. É um assunto que pode ser esmiuçado e repetido inúmeras vezes para deleite de nossas mentes obesas. Vai ter gente “informando”, vai ter gente achando lindo, vai ter gente criticando… Mas toda essa gente foi cooptada pela bola da vez da mesmíssima forma.

É como se a humanidade estivesse toda num trem sem freios e a mídia de massa colocasse grandes placas na linha sabendo que não podemos fazer nada além de atravessá-las. Não sei se tem mais doidos nesse mundo pensando assim, mas quando eu ouvi falar do casamento pela primeira vez, bateu até um desânimo pela noção de que NADA nem NINGUÉM poderia fazer qualquer coisa para evitar essa comoção mundial. Adoro a idéia de que sou um lobo solitário que só se importa com o que quer, mas a verdade é que assim como todos nós, cá estou eu no trem sem freios narrando minha visão da situação.

E mesmo que eu e Sally decidíssemos não escrever sobre o assunto, ele ainda estaria estampado em todas as fontes de informação e presente em diversas conversas pessoais que vivenciamos.

Sem… freios.

E ainda nessa, eu não consigo deixar de imaginar que o tal príncipe nada mais é do que alguém no vagão de luxo desse mesmo trem. Se eu sempre escrevo que a merda da relação entre pobreza e criminalidade é a sufocante falta de alternativas, não posso ignorar que alguém que nasce na família real britânica não tem muito o que fazer também além de ser babaca. Quem nasce e é criado num ambiente desses acaba sentando no trono.

E estou dizendo isso porque eu realmente não tenho nada muito contra o filho da Lady Dead, é um Zé Ruela que está casando com uma Maria Ruela. Esse roteiro brega estava escrito para ele séculos mesmo antes de nascer. Queriam o quê? Que ele dissesse para sua mulher que não a daria o casamento mais pomposo e midiático do mundo moderno? Porra, o cara dormiria no sofá (real) o resto da vida! Casamento é da mulher, conhecimento geral.

Não tenho peninha dele ou algo que o valha, riqueza incrível ainda me parece uma boa contraparte para a bobagem da cerimônia real. A questão é que esse jogo tem as cartas marcadas, gostemos ou não. É difícil apontar um culpado nessa história toda, é difícil imaginar alguma mudança. Se os ingleses ficarem putos e chutarem sua família real para fora do país, pode até ser que mude alguma coisa…

Mas basta acompanhar a história do império britânico para notar como eles são hábeis em se manter no poder divergindo a atenção do povo para uma espécie de reality show onde eles são as estrelas. É um poder alegórico e midiático, mas… sejam bem vindos à Era da Comunicação. Botar a imprensa global para cobrir obsessivamente um casamento é uma demonstração de força que virtualmente ninguém mais tem nesse mundo.

A coroa é forte. E eu não estou falando apenas de Elizabeth Highlander.

O “monstro” da mídia empurrando bobagem goela abaixo do povo foi criado pela demanda. Já é a nossa forma de lidar com o mundo atual. Banalização, futilidade, excesso de opiniões e visões sobre as mesmas coisas… Todo mundo fala, mas pouca gente escuta. Muita gente acompanhou a expectativa e a cerimônia em si com plena noção que era mais uma banalidade folhada a ouro.

O desfavor da semana é sim a babaquice do casamento real, mas também a sensação de impotência de viver num mundo onde nem mesmo um grande consenso sobre a estupidez de um assunto evite que ele seja discutido por todos com a profundidade que não merece.

E agora somos todos parte do problema. Não dá mais para “desler” o que você leu. Hahahah!

Merda…

Para dizer que achou o cardápio da festa de casamento real uma leitura mais interessante do que esta coluna, para reclamar que eu não bati na idéia de monarquia em pleno século XXI (totalitarista pride!), ou mesmo para me xingar por te tirar até o prazer de falar mal dos pombinhos: somir@desfavor.com

SALLY

Assuntozinho mais sem graça, viu? Mas não tem como, tem que falar dessa palhaçada de casamento real. Se já é uma vergonha que a Inglaterra dê tanta importância para isso, é uma vergonha plus que o Brasil que não tem nada com a história pare para acompanhar e comentar essa budega.

Primeiro queria começar dizendo que acho a Kate uma stalker. Ela se diz apaixonada pelo Príncipe William desde os 18 anos (antes de conhecê-lo). Mudou sua escolha de Universidade, abrindo mão de sua primeira opção, para ir à Universidade de St. Andrews quando soube que o Príncipe a freqüentaria. Dizem que a mãe dela forçou uma barra para que ela fosse lá e conquistasse o Príncipe. Alpinista social, neta de operários e filha de aeromoça querendo ficar famosa e real. Mas tudo bem, as pessoas tem o sagrado direito de serem interesseiras. Só não tentem me vender que é amor, porque não parece.

Meu primeiro choque foi perceber que eu acompanhei o casamento da mãe desse menino! Gente, eu to ficando seriamente velha, eu vi a Lady Di casando, o Príncipe William nascendo e agora estou vendo o Príncipe William casando! Meu segundo choque foi ver a Rainha Elizabeth II toda se querendo com seus 85 anos de idade. Aquilo não é real (real de realidade, porque de realeza é), fiquei lembrando do filme “Um morto muito louco” onde pegam o falecido, amarram umas cordinhas e fazem ele parecer vivo. A Rainha deve estar com cordinhas amarradas. Parece um boneco de cera! Meu terceiro choque foi ver a roupa da Rainha. Ela foi ao casamento vestida de Piu Piu. Quando vi ela chegando comecei a cantar “Meu pintinho amareliiiinho…”.

Falando em vestido, achei uma bela bosta o vestido de noiva da Kate. É um cosplay de Grace Kelly, sério mesmo, é uma versão camelô do vestido que a Grace Kelly casou. E o buquê? Coisa mais sem graça, meia dúzia de flores brancas murchas. O cabelo dela estava simplesmente horrendo, parecia um bloco de miojo antes de cozinhar. Dizem que ela fez questão de usar o cabelo solto “para que o Príncipe a reconheça”. wat. Se ela fizer um coque o cara não vai reconhecê-la? Perigoso isso, vai que ele casa com a interesseira errada!

E falando no Príncipe, como William embarangou! Porque inglês tem disso, eles são bonitos até uma certa idade. Chegamos ao ponto do Harry estar mais bonito do que ele (inclusive na roupa). Aliás, cá entre nós, quando Harry nasceu o casamento da Lady Di já tinha desandado… fica a pergunta, será que ele é mesmo filho do Charles? Porque ele é RUIVO pra caralho, gente! De onde saiu esse cabelo ruivo? (um dos amantes da Lady Di era meio ruivo, lembram?). Se bobear nem o William é filho do Charles. O William é simplesmente a Lady Di de barba, os cornos da mãe. Só que embarangado e ficando careca.

Achei a cerimônia toda muito estranha. A madrinha do casamento, irmã da Kate, estava com um vestido longo branco (mais bonito que o da noiva). A cor branca não é exclusividade da noiva? Atentem para a dificuldade de Wiliam em colocar a aliança em Kate! Alguém errou o tamanho porque a menina estava um palito de magra e ainda assim, o dedo quase ficou só no osso de tanto que foi esgarçado para a aliança entrar! E o “tchau” que ela dá para o público segurando moedinha com o cu? Que “tchau” é aquele de quem está com muita vontade de mijar? Uma amiga me explicou que o aceno das mulheres da família real deve seguir um protocolo: o cotovelo não pode estar acima da linha da cintura, por isso esse “tchau” segurando moedinha com o cu. Um saco ser da família real.

Também achei a roupa de todo mundo um cu. Quem tiver curiosidade, procure uma foto da Princesa Beatrice, que é a Princesa de York, e veja aquela alegoria carnavalesca que ela colocou em sua cabeça. Aquilo não é normal. Se aquilo é moda, eu quero morrer fora de moda. Certeza de que aquela porra custou o preço de um carro popular.

Tudo muito coreografado, tudo muito artificial. Tudo muito brega. O fato do brasileiro assistir a esta bosta em estado de deslumbramento, invejando Kate e toda a presepada só reforça o complexo de vira-lata e o retardamento emocional dos quais sempre falamos. Sério que em 2011 neguinho ainda tem esse sonho brega de ser princesa? Eu acho que mulher que se deslumbra e que almeja isso é uma débil mental. É um atestado de pessoa medíocre e desinteressante. Torci demais para um dos cavalos da carruagem ter uma diarréia em jatos e cagar os noivos todos.

Para os românticos sonhadores que acham que é um conto de fadas e que eles se amam de verdade, fica aqui minha previsão: essa moça tem uma cara de vadia braba, daquelas meio psicopatas que pegam uma faca no meio da noite e tentam esfaquear um membro da família. E ele tem cara de quem toma todas e faz merda (deve fazer pior do que isso para estar tão acabado). É uma combinação bacana, algo me diz que os próximos capítulos dessa novela serão bem interessantes.

Nos primeiros anos tudo será lindo, como foi com Lady Di. Vão procriar logo, porque tem prazo para procriar segundo o protocolo da família real. Mas depois que o encantamento dos primeiros anos se passar, vai dar merda. Mal posso esperar. Porque se Lady Di, que era uma professorinha apática e submissa já mandou ver, imagina essa vadia esperta pra caralho?

Como a Rainha Elizabeth (Bernie Lomax) não vai morrer tão cedo, Kate ainda vai ter que aturar muitos anos dessa babaquice se quiser ser esposa de chefe de estado. Charles tá mais sujo que pau de galinheiro e quem vai herdar o trono é William, por total falta de opção (já que Harry é bastardo). Mas posso esperar para ver esse casal comandando o Reino Unido.

Mas, se eu falar tudo isso em uma mesa de bar, vão me chamar de escrota. Só eu que não achei graça nessa palhaçada toda? Eu até entendo que os ingleses acompanhem o negócio porque a família real é a novela deles. Eles acompanham a família real desde sempre, feito novela mesmo. Mas a gente não! Cago baldes para esse casamento, no entanto a imprensa está monotemática, o que me obrigou a acordar às cinco da manhã e assistir essa palhaçada para ter o que escrever hoje. Não seria correto que todos os brasileiros cagassem baldes para essa merda de casamento?

Para dizer que toda mulher sonha em casar de branco na igreja, para dizer que você estava tentando cagar para este casamento até que o Desfavor atrapalhou os seus planos ou ainda para dizer que eu tenho inveja da Kate: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (20)

  • Avatar

    duda tattoo studio

    aiai…..os bonzinhos ingleses exibindo seus puritanos no altar real…um dos povos mais assassinos e colonizadores do mundo…so poderiam ter gerado os malditos americanos…tudo um bando de carniceiro ..odeio esse povo…e essa festa de merda..certo que ele vai levar uma guampa…tem cara de cachaceiro e nao vai apaga o fogo da putinha real….

  • Hoax básico… Cadê a porra do corpo?!? Pra mim é tão fajuto quanto a certidão de nascimento do Oba-obama (yes, I'm a birther!).

  • A semana mal começou e já temos um DESFAVOR DA SEMANA prontinho para ser postado lá pelo sábado.

    Quem dera que William, Kate, Charles e cia estivessem lá no cafofo do Osama… KKKKKKK!

    (Isso se a história jogada pelo Osama, digo, Obama não for HOAX para diminuir o risco de uma ofensiva repúblicana contra sua reeleição.)

  • Eu ajo como o Zé Nando mencionou: cultivo o silêncio e a saída estratégica do recinto quando assuntos "desimportantes" como este vêm à tona. Isto porque, de uns tempos pra cá, minha intolerância aumentou e eu não consigo discutir futilidades (bater palma pra maluco) e/ou discutir com pessoas intelectualmente inferiores. O que, na maioria das vezes, ocorre mutuamente…

    Confesso que toda a atenção midiática em torno desse casamento foi irritante e desanimador: em ocasiões como essa que sinto que a humanidade caminha em direção à auto-extinção. Dar valor a coisas e situações que não o tem é indício de "emburrecimento" coletivo. E se a humanidade emburrece, a extinção se aproxima. Macacos pelados não se sobrepõem pela força física…

  • Sally e Somir,

    Pergunta q não quer calar:

    Vcs já tem um "processa eu" de Dady Li?

    Se não, fico à espera, hehehehe!

    ;)

  • cultivei ao longo desses anos amizades que me permitem, em momentos como este, viver numa bolha em que nem se comenta estas merdas.
    eu fico sinceramente chateada ao ver tanta gente comentando esse assunto, falando bem ou mal.

    sim, eu estava cagando pro casamento real e vocês estragaram tudo.

  • AChei que ia encontrar um texto mais do mesmo criticando o casamento e a cobertura mundial. MAs me surpreendi com as analogias do Somir. Nunca pensei por este angulo e achei perfeito.

    É tipo um BBB, mesmo uqe eu não assista nem um capitulo, me esforce pra não cricar em nenhum link sobre o assunto, eu acabo sabendo o nome do filho da puta que ganhou, quem ta na final, quem comeu quem. Isso vem por todo lado, bancas de jornais com letras garrafais, blogs que vc não imagina uqe tocaria no assunto, pessoas comentando no almoço…Não tem como evitar.

    Estamos mesmo num trem.

    Ps.: Alguem aqui já viu um tal de Milonakis Show. Percebo que o futuro chegou. Estamos vivendo uma idiocracy. (vide filme)

    • (Andy) Milonakis ? hahahahaha (só o comercial, mas já era “de lascar”)
      Ainda bem que aquela MTV Brasil acabou, bem feito por isso e muito mais !

      2011 foi um ano bem chatinho, inclusive na minha vida em si,
      muitas “águas passadas”…

  • Olha eu ñ troco meu neguinho gostoso por esse principe branquelo ai naum em.Ele deve ter um pinto rosadinho e sem sal sem açucar.Eu e meu neguinho juntamos nossos panos de bunda nem casamos,mas somos feliz tal qual pintinho no lixo.Fazemos sexo em uma cama de solteiro porque ainda naum deu pra comprar uma de casal, mas isso é o de menos.
    E viva a plebe.

  • Realmente, o vestido da irmã era muito mais bonito. O que eu achei mais fascinante sobre esse casamento foi o bolo. Sabiam que pode durar décadas?! É feito de uma forma x e tem bastante alcool na composição, então não estraga. Um pedaço do bolo de casamento da Diana foi leiloado um ano depois de ela morrer, pagaram 40 mil libras. Parece que ainda existe o bolo do casamento da Elisabeth. Em cenário só um pouco menos irreal o bolo é guardado para se comer no batizado do primogenito. Eu sou uma pessoa de alma gorda, achei isso realmente fascinante.


    Sally
    a merda é que nossa sociedade não educa nem prepara as pessoas. Essas mulheres que estão morrendo de inveja da Kate o fazem por terem crescido ouvindo histórias de princesas e reinos, vendo novelas babacas e afins. Mulheres Disney. O William não é bonito, passa longe da noção idealizada de um principe, mas ele É um principe. Se eu tiver uma filha só vai brincar de construir prédios, pontes, carros e de ser cirurgiã.

  • O "casamento real" é uma bobeira mesmo.
    Concordo com uma coisa que o Somir disse: "Todo mundo fala, mas pouca gente escuta"… isso é verdade. Seja num blog como o Desfavor, seja num Twitter ou sei lá aonde, todo mundo tem um espacinho pra falar o que acha, mas ninguém quer ouvir ou discutir. Quer só falar.

    O "casamento real" é como a final da Copa do Mundo pras mulheres – ouvi isso de alguém e concordei. A Família Real, o BBB, o Charlie Sheen… é tudo a mesma coisa. Entretenimento para a massa…

  • Seu Zé Nando, já que é inevitável que se fale sobre o assunto, a gente preferiu falar e oferecer uma visão diferente do que está sendo dito pela mídia no geral.

    Nada de "olhares de cumplicidade", "felizes para sempre" e "casamento dos sonhos". A gente oferece uma visão azeda, uma verdade inconveniente, na esperança que ao menos uma alma boa reflita e veja o quanto tudo isso é uma palhaçada desimportante.

  • Anônimo, eu me recusaria a comentar o assunto, porque se não dá para chamar de vadia psicopata, melhor ficar calada.

    Infelizmente a maior parte das mulheres ainda é BREGA e INFANTIL e tem esse sonho ridículo de mega-casamento pomposo. Aprendi que desvalorizar esse sonho magoa muito, então, prefiro ficar calada.

    Em tempo: cuidado com mulheres que assistem o casamento real com lágrimas nos olhos e achando lindo, elas são praticamente impossíves de agradar. Escolha uma pessoa mais sensata, mais adulta e mais pé no chão que se importe com o que realmente é importante.

  • "essa moça tem uma cara de vadia braba, daquelas meio psicopatas que pegam uma faca no meio da noite e tentam esfaquear um membro da família. E ele tem cara de quem toma todas e faz merda (deve fazer pior do que isso para estar tão acabado)."
    EU RI PRACARALHO LENDO ISSO!
    :D

  • Palmas para os ingleses: perderam o império, perdem indústrias , cada vez mais perdem competitividade, mas conseguem ainda vender – e bem – suas instituições decadentes para o mundo.

    Talvez por isso não se livraram da monarquia ainda: pelo menos, serve de válvula de escape para a economia.

    Suellen

  • Somir:

    Existe um freio, e ele se chama SI-LÊN-CIO.

    Tudo o que você tinha a fazer era NÃO escrever sobre esse assunto, que você teria feito a SUA PARTE para diminuir a tal da "comoção mundial" em meia gota.

    Cada um faz a própria parte para cuidar de uma faísca do próprio vagão, o resto é o resto.

    Exemplo:
    Tem texto que eu não comento não por falta de argumento para rebater, mas para não alimentar trolls – não comento que é para ajudar a deixar o assunto morrer.

    Não quer que o incêndio se alastre e não tem água pra jogar? Não jogue sua gota de gasolina, que ele se alastra uma gota a menos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: