Desfavor Explica: Mosquitos.

E AI BZZA?Em tempos de dengue, Desfavor quer mostrar que está na moda: Desfavor Explica: mosquitos.

“Mosquito” é um termo informal usado para classificas os insetos cientificamente conhecidos como Nematocera. Esta porra chata pra caralho existe há mais de 170 milhões de anos. Um mosquito mede no máximo 15mm e pesa aproximadamente 2 miligramas. Conseguem voar em média a 2km/h e existem cerca de 2700 espécies de mosquito no mundo atualmente.

Mosquitos podem migrar grandes distâncias, mais de 100km. Mosquitos vivem entre 15 e 65 dias se ninguém esmagá-los primeiro. Inicialmente ele é um ovinho, quando sai do ovo vira uma larva que vive exclusivamente na água, depois cresce mais um pouquinho e vira uma pupa e depois entra em um casulo. Fica no casulo até completar sua nova estrutura corporal, com asas. Quando está pronto, o mosquito adulto rompe o casulo, rasteja até uma área protegida e fica em repouso até seu esqueleto se solidificar (tipo esmalte de unha, tem que esperar secar para endurecer). Pronto, o fdp tá preparado para nos paunocuzar.

Um mosquito pode detectar sua vítima mesmo quando ela se encontra a 30m de distância. São uma máquina bem equipada para nos encontrar. Ele tem três recursos para localizar sua vítima: sensores químicos + sensores visuais + sensores de calor.

Os sensores químicos permitem que os mosquitos nos localizem “farejando” algumas substâncias que expelimos quando respiramos, como por exemplo o dióxido de carbono e o ácido lático. Mosquitos podem detectar estas substâncias a uma distância de mais de 30 metros. Aliás, é justamente por este sensor que os fdp ficam zumbindo nos nossos ouvidos! Graças a essa atração por substâncias que expelimos ao respirar, emitido pelo nariz e boca, eles se aproximam da área do rosto lateralmente (se forem direto no nariz ou boca tomam um jato de ar e vão parar longe) e acabam zumbindo perto das nossas orelhas. O zumbido em si é o resultado do batimento das asas do mosquito, que pode chegar a mil movimentos por segundo. O repelente nada mais é do que uma substância que confunde os sensores químicos do mosquito.

Os sensores visuais e os sensores de calor dos mosquitos permitem que eles nos localizem no escuro através da radiação infra-vermelha que nossos corpos emitem. Eles também percebem a movimentação e até mesmo cor de roupa contrastante com o ambiente. Não tem como evitar: podemos até parar de mexer, mas não podemos parar de respirar nem de emanar calor.

A gente cresce aprendendo na prática que mosquitos sugam nosso sangue. Porém nunca paramos para pensar que insetos não costumam se alimentar de sangue e que tem alguma coisa errada aí. Pois é, o mosquito não se alimenta de sangue. A maior parte se alimenta de néctar ou de seiva de plantas e frutas. O mosquito, ou melhor, a mosquita, só recorre ao sangue humano quando está “grávida”. Depois de copular com o macho (a cópula dura poucos segundos, que coisa triste), ela carrega na sua pancinha ovinhos fertilizados que só irão vingar se receberem uma quantidade considerável de proteína. Pois é, esta piranha usa o sangue humano para obter a proteína necessária para viabilizar seus ovinhos, fodendo com a nossa noite de sono. É uma mãe hematófaga lutando pela sobrevivência da sua cria.

Depois de sugar nosso sangue a mosquita procura um cantinho sossegado com água e põe seus ovos. Cada postura de ovos exige um novo suprimento de sangue. E a desgraçada põe ovos uma porrada de vezes. O mosquito macho é meio que descartável, morre poucos dias depois de acasalar, mas a fêmea não, elas vivem por semanas mesmo depois de colocar ovos.

A mosquita é uma maquina muito bem equipada não apenas na hora de localizar sua presa como também na hora de picar. Ao picar ela injeta saliva em sua vítima, que além de ter efeito anestésico para que a pessoa não sinta a picada, ainda tem substâncias anticoagulantes que lhe permitem ficar ali bebendo quanto sangue quiser. Tá, ela não bebe muito, cerca de 5 microlitros por refeição. Tirando o inconveniente de te paunocuzar a noite toda (porque geralmente uma picada não enche o tanque) e provocar coceiras e eventualmente doenças, a picada da mosquita não é significativa no quesito perda de sangue. Estima-se que seria necessário picada de 200.000 mosquitos para drenar todo o sangue do corpo humano.

Porque a picada de mosquito causa alergia? Como eu disse, antes de sugar seu sangue, o fdp do mosquito injeta saliva em você, com anestésico e anticoagulante. Esta saliva do mosquito permanece na “ferida” aberta depois da picada e pode causar reações alérgicas (resposta imunológica), razão pela qual alguns médicos recomendam que se você acabou de ser mordido, esprema o local da picada na tentativa de amenizar a alergia. Comigo não funciona. Normalmente não causa maiores problemas, nada além de coceira e vermelhidão, mas em alguns casos pode ser preciso procurar ajuda médica. Se você sentir tontura, náuseas ou sinais de forte reação alérgica corra para o médico.

Porque o mosquito existe faz tanto tempo? Porque seu sistema reprodutivo é muito eficiente. Não tem muita qualidade, mas compensa na quantidade. Uma fêmea pode chegar a colocar 300 ovos de uma única vez, podendo chegar a colocar cerca de 3.000 ovos durante toda a sua vida.

Ovo de mosquito é uma praga. Pode permanecer inerte por longos períodos (até um ano!) enquanto o ambiente estiver inóspito e chocar assim que as condições melhoram, por exemplo, assim que entram em contato com a água. Por isso estas campanhas massivas pedindo para que as pessoas não deixem água parada. O que ninguém pensa é que, em determinadas situações não tem como não deixar água parada! Vai fazer o que? Ficar esvaziando todos os buracos da rua? Desfavor te dá uma dica: jogue azeite. O azeite obstrui um pequeno tubo que a larva do mosquito usa para respirar e ela acaba morrendo.

Sabe qual é o animal que mais mata seres humanos? Tubarão branco? Cobra venenosa? Não, é a porra do mosquito. Tão pequenininho e tão filho da puta. A Organização Mundial da Saúde estima que anualmente mosquitos matem cerca de 2 milhões de pessoas em todo o mundo.

Já repararam que mosquitos não são democráticos? Mosquitos não atacam a todos por igual. Cientistas acreditam que eles tem predileção por crianças, mulheres, pessoas de cabelos claros. Concluiram também que pessoas que estejam usando roupas escuras estão mais propensas a picadas de mosquitos do que as que usam roupas claras. Também se acredita que o suor acaba atraindo mosquitos.

Não sei vocês, mas eu odeio usar repelente e me sentir toda melada (efeito Filtro Solar). Prefiro usar roupas que cubram meu corpo todo. Mas, se for um dia muito quente isto pode não ser viável. Então, caso você seja obrigado a usar um repelente, fica o conselho do Biólogo que me orientou para escrever este texto: use um repelente que contenha N,N-dietil-meta-toluamida (DEET), na concentração de 7,5% a 100%. No caso de crianças, a recomendação é de 15%. Caso queira aplicar repelente em tecidos, como cortinas ou roupas, por exemplo, o recomendado é o Permetrin. Mas cuidado: não deve entrar em contato com a pele pois é uma neurotoxina.

E se você pensa que repelente pode te salvar, pense duas vezes. De tanto usar, os mosquitos estão ficando resistentes. Já existem mais de cinqüenta espécies resistentes a inseticida e repelente. O que usar então? Bem, a internet está cheia de sugestões: borra de café espalhada nos locais com água parada contra mosquito da dengue, cravos da índia espetados em um limão ao lado da cama para espantar mosquitos em geral, citronela, própolis e mais uma infinidade de sugestões. Perguntei a um biólogo se existe algum fundamento nestas lendas e ele me respondeu que não existe qualquer embasamento, apenas no caso da Citronela, mas que a concentração que deveria ser usada para que seja eficiente inviabiliza sua utilização. E não adianta colocar animais de estimação para dentro do quarto na esperança de dar uma isca para o mosquito, mosquitos que picam seres humanos não picam cães e gatos.

Um repelente que eu testei e posso afirmar que funciona é parar de comer açúcar. Está no livro “Sugar Blues” e dá certo. Quando você não come açúcar se torna menos atraente do que pessoas que comem açúcar e elas viram o alvo principal. Mas, caso você queira repelir mosquitos sem perder a alegria de viver, a indicação do biólogo foi o repelente eletrônico (não confundir com o elétrico, aquele que dá choquinho). Normalmente estes repelentes eletrônicos causam apenas irritação nos animais que se propõe a espantar, mas no caso do mosquito, é um pouco melhor. O repelente eletrônico reproduz o som do macho do mosquito em busca de acasalamento. Lembra que eu comentei que só as fêmeas fecundadas picam? Pois é, fêmeas fecundadas fogem de machos que querem acasalar. Trollando mosquitos! Ah sim, o barulho não é audível para seres humanos. Lembre-se, uma casa sem mosquitos é uma casa sem lagartixas.

Mas, minha opinião vocês já conhecem: besteira gastar tempo e dinheiro com qualquer repelente, a melhor opção é colocar TELAS em todos os buracos da casa e pronto. Entra vento e não entra mosquito (nem lagartixa). E custa mais barato do que comprar um monte de latas de inseticida. Basta chamar um profissional para medir suas portas e janelas e instalar as telas com um suporte removível. Exagero? Não. Mosquitos podem transmitir uma infinidade de doenças que você nem imagina. Segundo a Organização Mundial da Saúde uma das doenças que mais causa problemas econômicos e sociais no mundo é a malária, transmitida por um mosquito.

E falando em doença, muita gente se pergunta porque o mosquito não transmite HIV, já que suga o sangue de uma pessoa e depois vai com a boquinha (ok, eu prometi que não ia escrever “boquinha”, o termo certo é probóscide) suja sugar o sangue de outra. Segundo o Biólogo que me ajudou a escrever esta budega, a explicação é simples: o canal pelo qual o mosquito suga nosso sangue é diferente do canal pelo qual injeta saliva. Logo, não existe a possibilidade do mosquito injetar sangue de terceiro misturado com sua saliva. E se a saliva estiver contaminada? Isso não pode acontecer porque mosquitos são imunes a HIV (chamada imunidade inata). Para transmitir HIV através da saliva ele teria que ser infectado e o vírus teria que tomar suas glândulas salivares (é o que acontece com a malária), assim, quando ele fosse picar alguém, contaminaria a pessoa injetando sua saliva. Como o mosquito não é contaminado pelo HIV, suas vítimas também não são.

Daí eu como sou babaca, perguntei o que aconteceria se uma pessoa soropositiva estivesse dormindo na mesma cama de outra pessoa, lado a lado, e o mosquito a picasse, ficasse com um restinho de sangue na sua “boquinha” (probóscide) e depois picasse a pessoa ao lado. Ele revirou os olhos, falou um palavrão e, depois de deixar claro que não vai mais me ajudar com meus textos, explicou que, considerando a quantidade do vírus HIV no sangue e a quantidade de sangue que caberia na “boquinha” (probóscide) de um mosquito, não seria suficiente para infectar outra pessoa. Seriam necessários dez milhões de mosquitos picando uma pessoa com HIV e logo depois picando você para promover o contágio. A menos que você more em Jacarepaguá, é pouco provável que isso aconteça.

Um recadinho para os cariocas: Acho bacana, ao menos do que diz respeito ao Rio de Janeiro, ver as campanhas imbecilóides pedindo para a população não deixar água parada quando quem mais deixa água parada é a Prefeitura, com milhões de buracos nas ruas que se enchem de água quando chove, com prédios públicos abandonados e caixas dágua abertas e outros tantos focos. Fica aqui a dica do Desfavor: Pega o cartaz de campanha contra a dengue, enrola bem enroladinho e enfia no cu do Eduardo Paes. O pior é que ele vai gostar.

Para dizer que agora vai ficar com pena de matar a mosquita e seus filhos, para fazer trocadilhos infantis com as palavras “picada” ou “picadura” ou ainda para perguntar se peidar atrai ou repele mosquitos: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (11)

  • Avatar

    artesanatos em mdf shalon

    vai ai uma pergunta:a fumaça do mosquito morto pela raquete eletrica é perejudicial a saude? pois o cheiro é horrivel.

  • Engraçado que esses dias eu tava pensando nesse negócio de mosquito não transmitir HIV…

    A mosca do berne entra em outra categoria? Berne é tenso, muito tenso.

  • Tela nas janelas! Mosquitos são criaturas demoníacas, semelhante as baratas, as aranhas e as formigas. Deus criou a mulher e o diabo os insetos!

  • Eu sempre faço trilhas, rapel e tal e os mosquitos não gostam muito de mim. As vezes meu namorado volta com cada "caroço" e eu … nada! E eu como açúcar pracacete… e nunca usei repelente na vida. A mesma coisa era piolho na época da escola, andava com uma menina que os bichinhos já eram de estimação , as vezes andavam pelo pescoço e tudo e eu nunca tive.

  • Mosquitos são os insetos da família dos culicídeos. Há muitos Nematocera que não são considerados mosquitos, como os flebotomíneos, que transmitem Leishmaniose. Nesses casos não há um termo popular no Brasil, o melhor é chamar de mosca ou mosquinha pra não confundir. Parabéns pelo texto, achei muito legal e a grande maioria das informações está corretíssima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: