Flertando com o desastre: Reagindo.

O vídeo que abre esta postagem ocorreu na Suécia. Mesmo sem familiaridade com a língua inglesa (ou sueca), dá para perceber o que aconteceu: Religiosos raivosos cercearam a liberdade de expressão alheia, na base da intimidação mesmo. Tudo isso num país bem mais livre que o Brasil, por exemplo. Confesso que o que senti ao ver o ocorrido foi bem mais primal do que mera desaprovação. Foi raiva. Os terroristas estão vencendo.

Não sei o quão afiados os impopulares estão em questões de política internacional, mas até pouco tempo atrás os países escandinavos tinham fama de países até “chatos” de tão pacíficos, liberais e igualitários que eram. Apesar do frio desgraçado, eram oásis de civilização moderna e tolerância num mundo tomado por fanáticos, déspotas e populistas.

Não estou dando uma de Rudy Réptil com suas mulheres russas e pintando um quadro fantasioso sobre perfeição social estrangeira, aposto que suecos, noruegueses e afins tem sua parcela de corruptos, incompetentes e intolerantes, mas quando falamos de sistema como um todo, o deles funcionava.

Evidente que se compararmos o sistema deles com o brasileiro (ou mesmo o americano, para usar uma comparação mais… rica), escrever o verbo funcionar no passado parece exagero. As políticas sociais são muito melhores e mais bem implementadas, a civilidade geral do povo é maior, a renda está menos concentrada… todos elementos extremamente agradáveis para quem vive por lá.

Mas como não existem sistemas perfeitos, havia uma falha nessa política intelectualmente elevada de igualdade e aceitação por parte dos países escandinavos: Acomodar gente incapaz de entendê-las. Durante muito tempo, Suécia e Noruega foram verdadeiras mães para imigrantes miseráveis vindos de outras áreas da Europa e Ásia (Oriente Médio). Davam casa, comida, emprego… Tudo o que um Estado justo deveria fazer. Tudo o que os Estados originais dos imigrantes não faziam.

Dá para notar como fica interessante se mudar para um país desses, não? E foi isso que gerações e gerações de imigrantes de áreas predominantemente muçulmanas da região fizeram. As populações islâmicas estão aumentando consideravelmente não só na Escandinávia como em diversos outros países mais ricos da região. Resultado de imigração e reprodução, sabe como é… renda e estudo menores, quantidade de filhos maiores.

Imigrantes, ao contrário do que diz discursinho neonazista de meia-pataca, não são algo necessariamente ruim para um país. Muitos foram construídos com o suor e a dedicação deles, o Brasil mesmo é um exemplo de país que deve muito a quem resolveu se mudar para cá (sim, podia ser PIOR!). O problema principal da imigração nesse contexto europeu, é que o grupo mais vocal, numeroso e ativo é unido por laços religiosos e extremamente arisco aos costumes e políticas locais.

Há alguns anos, eu rolaria os olhos ao ouvir que um vídeo exibido numa universidade sueca teve que ser parado por causa de reação violenta de reacionários religiosos. Atualmente, não surpreende mais. A terrível verdade nesse assunto é que as coisas estão chegando nesse ponto pelo excesso de civilidade e condescendência de povos que já alcançaram um padrão social mais elevado. E sim, a elevação desse padrão é mensurável… Um país onde direitos básicos são respeitados alcançou um padrão maior de vida do que o país que apedreja mulheres que foram estupradas.

As comunidade islâmicas “modernas” tendem a não se misturar com a cultura local, preferindo se fechar em guetos e usar a força dos números para ir tomando pouco a pouco o território do país hospedeiro. E sempre que possível, explorando os recursos locais. Isso gera a babaquice galopante como a demonstrada no vídeo: Estudantes que provavelmente usam recursos públicos para se formar atacam uma das fundações de um país livre e moderno, que é a liberdade de expressão. Azar dos locais acostumados a lidar com os mais diversos discursos, tem que ser do jeito retrógrado deles ou o pau quebra.

Outro elemento presente no caso europeu é um trauma ainda bem recente do nazismo. Gato escaldado tem medo de água fria. Embora existam partidos e grupos nazistas espalhados por toda a região (alguns mais “honestos” que outros), a opinião pública tende a estar suficientemente vacinada contra esse tipo de nacionalismo intolerante. A merda é que a rejeição ao discurso neonazista acaba contaminando a opinião de quem acredita que os islâmicos estão abusando.

O mundo não se desenvolve no mesmo passo, e isso nada tem a ver com superioridade de determinada raça… De uma certa forma os europeus estão colhendo os frutos da sua política de colonização. Esse povo raivoso e atrasado é o resultado da exploração sistemática por séculos a fio. Mas o conceito de justiça poética parece bem menos interessante quando a noção de sociedade moderna começa a perder espaço para fanatismo.

E fanatismo não só do lado muçulmano. O maluco norueguês que matou mais de 70 jovens e adolescentes ano passado para passar uma mensagem contrária ao multiculturalismo é resultado dessa tensão. Não se pode culpar ninguém pelas atitudes de um psicopata escroto como Anders Breivik, mas pode-se entender como ele conseguiu encaixar sua paranoia num contexto atual para o país. O que tem de gente torta da cabeça por aí só esperando uma desculpa não é pouca coisa…

Para não parecer que estão dando chancela para quem está mais preocupado com a cor da pele do imigrante do que com ele está fazendo, políticos também não se mexem para botar freios nessa rejeição aos valores de liberdade e igualdade modernos que os grupos de imigrantes islâmicos estão desenvolvendo. Os religiosos que NÃO me desculpem, mas não tem UMA linha de sabedoria “positiva” nas regras religiosas que não estejam presentes nas leis de países democrático. E se uma Constituição de um país moderno e livre difere de uma escritura sagrada, pode ter CERTEZA que é porque a versão da escritura sagrada é fantasiosa, estúpida, antiética, imoral, intolerante ou tudo isso ao mesmo tempo.

Mas mesmo assim muita gente prefere seguir regras irracionais religiosas porque nunca tiveram chance de entender o porquê delas serem irracionais. Alguma figura de poder inflama o povão a achar que o mundo está piorando por causa do aumento da liberdade e da racionalidade, e o povão compra o discurso. E vocês sabem que liberdade e racionalidade são ameaças poderosas a qualquer religião.

Não deixa também de ser parte do ciclo humano entre posturas libertárias e reacionárias durante a história. Quando a repressão começa a ficar pesada demais, nos revoltamos e liberamos a população. Quando a liberação começa a mostrar a nossa carinha feia como espécie, o povo clama pela repressão de volta. Até não aguentar mais… e por assim vai. Parece que o maior medo da humanidade é perceber o que ela realmente é.

E é muito disso que está acontecendo, não só com os muçulmanos na Europa, mas com os cristãos na América. Eles estão mostrando a cara, mas pouca gente tem coragem de olhar. Através de leis e políticas públicas que permitem sua liberdade, tentam minar o próprio sistema do qual se beneficiam. Quebrar as fundações da própria casa é uma das definições mais claras de burrice.

Quando ficamos aqui no desfavor batendo na tecla de que o politicamente correto é um veneno para uma sociedade justa e igualitária, não estamos fazendo uma reclamação de classe média mimada, estamos apontando exatamente para onde está a cagada. E se as pessoas precisam de exemplos de como esse problema é real, que olhem para exemplos como o do vídeo desta coluna. Já conversei com alguns suecos pela internet (não foi em Stormfront ou qualquer lugar tosco desses) e eles revelam o que eu já desconfiava: Muita gente tem mais medo de parecer intolerante do que de sofrer cerceamento de liberdades por causa de muçulmanos malucos.

E como os fanáticos só não são tontos na hora de escolher países para se instalar, sempre escolhem democracias. Com o tempo o número deles começa a fazer diferença nas eleições, e eles começam a ter poder político efetivo. No Brasil, embora não exista a questão da imigração, reacionários religiosos estão ganhando cada vez mais força política. Eleições são decididas por eles, candidatos tem que abrir as pernas e negociar com evangélicos para conseguir se eleger… E se meter o pau nisso, é intolerante, né? É intolerância repudiar que intolerantes consigam cargos de poder? É absurdo que alguém não queira obedecer leis criadas por adultos que acreditam no Papai Noel com outra roupa?

Sinto muito dizer isso, mas está faltando reprimir a influência religiosa na política. Está faltando mandar intocável calar a boca e parar de choramingar por tudo que o “ofende”. A Europa logo logo vai lidar com as amargas consequências de achar que as coisas podem ser resolvidas na conversa amistosa. Porque se continuar levando numa boa, achando que o tempo vai aculturar fanáticos que se isolam da sociedade, das duas uma: Ou acabam obrigados a colocar véus na cabeça de todas as mulheres ou acabam cedendo aos igualmente escrotos nacionalistas e promovendo mais um banho de sangue.

Mas como o buraco é sempre mais embaixo, não é inteligente reprimir se valendo de violência, mesmo que seja verbal. Complexo de vítima é um catalisador potente de união e propósito, principalmente para grupos que dependem da ilusão de auto importância como os religiosos.

A forma mais eficiente de reprimir reacionários, seja lá qual for a religião, é desrespeitar suas crenças, mas nunca o ser humano. Isso tem fundamento histórico: Países com tradição secular poderosa como Inglaterra e França praticamente mataram o poder da Igreja Católica sem perseguir (muito) seus adeptos. Foi questão de esvaziar o significado das baboseiras proferidas pelos velhos virgens do Vaticano dando liberdade para as pessoas debocharem dos conceitos e espalhar o conhecimento científico.

Essa ideia de que devemos respeitar as crenças de todos FAZ MAL para a sociedade. Crenças podem ser abusadas por safados com sede de poder, porque sim, eu sei que muçulmanos na Suécia e evangélicos no Brasil são mais ou menos uma massa uniforme de gente usada por espertos sem uma gota de ética. Mas como evitar que essa massa comece a foder com conceitos como liberdade de expressão, igualdade entre os sexos, tolerância religiosa, sexual e democracia como um todo? Tirando o poder dos escroques manipulando a massa. Esvaziando o significado de suas palavras venenosas…

E isso se faz atacando a religião, a crença em si. Bater nos crédulos fortalece a crença, bater na crença enfraquece a crença. O crente fazendo discurso sobre os males da homossexualidade tem que saber sem sombra de dúvidas que está falando merda e que está fazendo papel de retardado frente aos seus pares mais civilizados. O direito de pensar de uma forma não deixa de existir, o que passa a acontecer é haver uma consequência para ostentar ignorância.

Os babacas do vídeo deram seu showzinho com a certeza da impunidade. Os suecos parecem bundões demais para mandar os ofendidos saírem de uma exibição que não gostaram… e isso tem consequências. Gente burra acredita DE CORAÇÃO que está certa quando arma barraco, e discordância silenciosa não tem efeito NENHUM nesse tipo de pessoa. O fanático muçulmano e o (em escala menos violenta, mas igualmente cretina) crente brasileiro não vão pensar mais sobre o assunto e perceber que erraram. Pensar é tratado quase como pecado por quem os manipula.

Tolerância com crença alheia é o caralho! Quando esse tipo de mentalidade vencida há milênios começa a interferir com os direitos de uma civilização moderna, é a crença que tem que cair fora.

Então, deixa eu fazer a minha parte: Se você acredita em qualquer forma de divindade pessoal que te diz o que fazer e te julga de acordo com sua devoção, você acredita em algo ridículo e infantilóide, além de estar atrasando e piorando a vida DE TODA A HUMANIDADE. Religião é um câncer, não tem nenhuma qualidade redentora. O que se podia ter aprendido com ela já se aprendeu e virou senso comum em sociedades avançadas.

Para admitir que também torceu para que os policiais passassem spray de pimenta em todos os revoltados, para dizer que tolera a minha visão intolerante, ou mesmo para defender sua religião ridícula (seja lá qual for): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comments (232)

  • O monoteímo é, por definição, intolerante. Uma creça tolerante teria, obrigatoriamente, que tolerar outros deuses, tornando-se, assim, politeísta. Não há como uma fé excludente como a monoteísta ser tolerante ou moderada. A tendência de qualquer corrente monoteísta é ser fanática mesmo. É difícil não ser.

  • Sally entendo teu ponto de vista, concordo contigo em muito, e penso que a situação é tensa e complicada! Talvez eu divagaria sobre algumas questões antropológicas relacionadas à “respeitar as culturas, tolerar etc etc” mas não tiro tua razão no texto! No mais, uma frase que digo que tu disse tudo é essa: “Parece que o maior medo da humanidade é perceber o que ela realmente é.” sem mais! xD

  • Sempre pensei que quem age pela violência, ou é burro ou medroso, porque argumentar não dói nada e pensar é o atributo mais belo do ser humano, o que esses pústulas fundamentalistas não querem admitir! É tão frágil assim a religião desses otários para que uma charge os ameace? Uma religião que não resiste ao humor, à interpretações diversas tem mais é que desaparecer mesmo!

  • Aqui, uma travesti da Lapa correu atrás de um boçal que disse a ela “Jesus vai te salvar” e setou-lhe a mão nas fuças! Uma praga mesmo esse discurso babaca religioso que encontra eco na massa ignara. Agora mesmo um pastorzeco entrou com um projeto de lei que defende o direito(!) de os evanjegues dizerem em seus templos que a homossexualidade é mesmo contra a Bíblia! Uma cretinice tamanha!

    • Achei divertido.

      Mas só para deixar claro: A postura mais comum aqui no desfavor é a defesa da liberdade de expressão, principalmente se é o Estado a cerceia. Nem mesmo a satisfação pessoal de ver um pastor sendo proibido de disseminar ignorância é suficiente para fazermos essa distinção.

      Liberdade de expressão tem que incomodar todo mundo por igual, porque agradar claramente é impossível.

  • Nao tem q respeitar religiao nada, pq eles nao respeitam os ateus! Mesmo se for pessoa proxima a mim e fala vai com deus ou vou orar pra vc eu dou uma chiada e mesmo assim alguns inssistem em dizer q deus me ama mesmo sem eu ter Fe. O fim da picada tomar um livro mitologico como se fosse real e ainda paunocucuzar quem nao acredita em absurdos. Muculmano eh muito pior q crente, pq crente resolve no dizimo e islamico tudo pra eles vira violencia. Deus, Allah, Gzuiz,tudo a mesma fantasia.
    Tc de celular estou sem acentos.

    • Eu acho engraçado que esses comentários são válidos até o dia em que acontece uma tragédia na vida da pessoa…
      Tenho um amigo que é ateu de tudo…. não me criticava mas sempre soltava um risinho cínico até o dia que ele descobriu que estava com cancer.

      Daí me pediu para eu orar para o meu Deus, porque ele estava perto de ir…

      Outra amiga… o mesmo. Engravidou, se lascou porque o cara correu… e o mundo caiu. Me ligou pedindo para eu colocar ela nas minhas “rezas”, porque ela estava mal.

      Se eu for ficar contando histórias aqui… Enquanto todo mundo está saudável, feliz, jovem… ninguém é porra nenhuma e não precisa acreditar em nada além de si mesmo. Daí a vida ensina… a duras penas… e coloca fulano e ciclano de joelho pedindo pra sair, pedindo ajuda pro ser imaginário, pro ser inexistente, pro fantansminha…

      Achar que não existe nada além do plano terrestre é como achar que uma criatura basicamente não necessáriamente necessita de ter um criador.
      Busca no you tube a quantidade de gente em várias partes do mundo que voltaram da morte. Pessoas que foram dadas como mortas e despertaram. Verifica o que essas pessoas viram, como eram os seres de luz que elas viram… verifique a similaridade dos relatos e mais… verifique o tipo de pessoa, nível, crença, cultura…. basicamente todos totalmente diferentes. Existe até o caso de um milionario mulçumano que mudou sua visão sobre quem é Jesus Cristo, depois de passar por essa experiência.

      É muito fácil ficar falando que se trata de um bando de lunáticos, que pela osmose acorda dizendo a mesma coisa… e que todas essas experiencias são fantasiosas. É muito mais fácil deboxar do que ter fé. Aqui já nem falo da minha religião. Falo da existÊncia de um outro lado como um todo. De que realmente existe essa história de que não somos humanos vivendo uma história espiritual e sim, somos espíritos vivendo uma aventura humana.

      Qual de voces ja teve coragem de falar com o fantasminha camarada â noite, antes de dormir e pedir… que se ele realmente existe, que prove e que mostre a vocÊs. Façam a experiÊncia…. o máximo que pode acontecer é: nada, segundo vocês…. :)

      • Eu já fiz e não aconteceu porra nenhuma.
        Meu irmão, logo que se declarou ateu deixou minha mãe (que é crente) chocada. Aí ela chamava oszermãos pra ir em casa conversar com meu irmão e ele falava na cara da crentalhada: se Deus existe eu quero que ele me deixe paraplégico amanha. Claro que todo mundo ficava chocado. Isso faz uns 15 anos e meu irmão continua andando, saudável e ateu.

        • Não é esse tipo de experiência criatura… muito menos Deus age dessa forma, e nessa forma…
          Sabe que para ser ateu, nao necessariamente você precisa ser evasivo quanto ter espiritualidade, sensibilidade…. para entender uma coisa tão simples como essa.

          • Bom, meu irmão era suuper crentelho (crente pentelho – tem que desenhar neeam). Cresceu frequentando a igreja, leu a biblia 3 vezes. Verdade.
            Imagino que ele tenha tido várias decepções com seus pedidos de “experiencia” até que chutou o balde.

      • Me põe na listinha de orações pra eu ganhar um carro conversível antes do verão. É muito ruim andar suado por aí.
        Só uma dúvida, é de graça, né?

      • Larissa, existem os ateus emocionais q perderam a Fe por alguma razao de algo dar errado na vida, uma tragedia e tals, esses sim podem voltar a crer a qualquer momento. Ja os ateus racionais nunca vao aceitar um amigo invisivel q teria criadp o universo e esta em todo lugar. Se fosse assim, esse deus seria um canalha pq acontece desgraca direto e ele nao faz nada! Quem criou o cancer, as doencas geneticas, os terremotos, a maldade? Deus criou TUDO ou ele so assume a parte boa? O mundo eh muito cagado prs ter sido projetado por algum deus.

      • Tb já pedi e nada…

        Se houvessem tantas manifestações claras dessa existência, não existiriam tantas manifestações diferentes de fé, nem tantas interpretações diferentes dos textos que dão origem às religiões.

        O fato de ateus pedirem para rezar por eles quando diante da morte tem a mesma explicação do porquê existem tantos religiosos: a necessidade de se sentir amparado, protegido, de ter um significado especial e de não achar que acabou, já era. Acreditar que existe algo após a morte é bem mais reconfortante do que acreditar que morreu, acabou.

        Sobre experiências de quase morte, existem vários estudos científicos que mostram bugs do cérebro durante esses momentos. Acho estranho, nunca passei por isso, acho até que pode ter uma explicação que nenhum cientista ousou chegar perto de descobrir. Mas isso não pressupõe automaticamente que se deva ao “divino”. Da mesma forma que descobriram o trovão/ raio, pode ser que um dia haja uma explicação bem razoável para esses fenômenos.

        • Sobre EQM eu não duvido nada que a nossa mente poderosa possa ganhar potência numa tentativa de se manter viva e a consciência possa viajar por aí enquanto há um sopro de vida, mas morreu acabou tudo.
          Exatamente porque não há um Deus que cada religião imagina dum jeito. Eu até respeito o Deus dos budistas, o Deus dos kardecistas, agora o Deus de católicos e evangélicos é de foder!
          Fazer experiência com Deus é outra coisa de foder. A fé mais sincera é de uma criança porque geralmente aceita o que os adultos dizem e mesmo assim tendo fé em Papai do Céu, nem por isso é imune as pedofilias de católicos e evangélicos. Deus de merda que criou o mundo só pra brincar de Big Brother e deixar tudo se foder. Na boa, tem que ser muito mané pra acreditar nisso.

          • E daqui a pouco baixa por aqui aquele pastor peitola nojento, que nem bater uma punheta direito em casa sabe fazer e depois fica atacando as clientes da igreja.
            Eu tô na TPM hoje, a ponto de matar um. Vai tomar nesse seu cu evangélico!

        • Bugs no cerebro???

          Dai esse povo que passa por isso e vai parar no mesmo lugar… relata a mesma experiencia tem o mesmo “bug no cerebro”.

          Arruma uma explicaçao melhor que essa tá furada…

      • Imagine eu, euzinha, que já saí da adolescência, no silêncio da noite em meu quarto, falando pras paredes: Deus, mostre-me tua existência! Não aguento mais trabalhar de telemarketing, então me dá um emprego melhor em nome de Jesus, amém!
        Putaquemeparilmilvezes!!! Não tem lógica alguém que já passou de 12 anos fazer isso. A situação é ridícula ao extremo que me recuso. Vcs crentes acham que Deus dá alguma coisa pra vcs? Se não ralar, trabalhar pracaralho nada vem de presente do Paizão. Esses políticos feladaputa, são ateus até não poder mais e esses pastores furrecos mais ateus ainda. Eles só querem os 10% que tu ganha do teu trabalho. Ninguém tá afim de salvar alma de porra nenhuma. Salvar alma de graça ninguém quer, querem é ganhar por isso.

        • Avatar

          Larissa - Muco ON

          …mas e ai? voce pediu e foi estudar? foi fazer sua parte? pagou o preco? ou ficou esperando cair do ceu?

        • Cara… eu não sei se vale a pena explicar alguma coisa aqui. Nem mesmo sei se eu tenho sabedoria ou palavras suficientes para explanar tudo o que realmente acredito. Nao acho que nada chegue de graça em nossas vidas.
          Deus realmente não é papai Noel. O problema é que o mundo está como está não por culpa de Deus, Jesus… O mundo está assim por culpa de nós mesmos. Cada um é responsável pelas suas atitudes. A diferença sobre quando você tem sua vida guiada por Deus, quando você permite isso… Quando percorremos nosso caminho somos muitas vezes instruídos e protegidos. Cada um veio ao mundo para cumprir algo. Ninguém veio aqui pra ir ao shopping fazer compras e só. Quem pensa que Deus tem que encher a vida de todos mundo apenas com coisas materiais, é tão materialista quanto a própria “coisa”.
          Viemos aqui aprender algo, desenvolver algo, ajudar “alguéns” e cumprir nossa lenda pessoal. Para alguns, felicidade é viver em uma casa simples, no campo, colhendo seu alimento e tendo saúde. Para outros felicidade é ter um carro último modelo, outros dizem que felicidade é ser rico…. e por aí vai.
          Porém para alguns… a felicidade depende de algo mais. Algo que encha um vazio espiritual, algo que fale ao seu coração…algo que dirija sua vida em segurança. O câncer e varias outras enfermidades são consequências de algo… Pode ser culpa sua ou pode ser que você leva a culpa seguida de geração em geração.
          Deus é misericordioso. Ele perdoa, ele cura, ele faz surgir as oportunidades… mas você precisa ter fé. Precisa entregar seu coração em verdade, precisa se dar. Eu repito que não tenho sabedoria para colocar em poucas palavras tudo que tenho aprendido. Muito menos acho que para vocês seja tão interessante saber a não ser que seja um bom motivo de deboche.
          Deus dá… mas antes necessitamos aprender algo, nos fazer merecer e principalmente saber que o tempo de Deus não é o nosso. Se você acha que se Deus existe e te ama, ele tem que te fazer rico, ser imediatista, te obedecer, curar todas as pessoas no mundo, acabar com a guerra e a violência, te dar um carro de luxo e um emprego de presidente na Petrobrás…. realmente… não estamos falando do mesmo Deus.

      • Hum…Estou quase entendendo.

        Só me explica uma coisa: então o fato destas pessoas em momentos de fraqueza ou doença se apoiarem numa crença de algo maior e com algum plano especial pra ele prova que Deus existe?

        A lógica religiosa é fascinante. Tento respeitar, mas é difícil.

  • Fico imaginando o que os muçulmanos fariam com a gente se alguém mandasse uma carta anônima informando que todo carnaval a gente canta uma musiquinha assim:

    “Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é, será que ele é?
    Será que ele é bossa nova, será que ele é MAOMÉ?
    Parece que é transviado (…)”

    Alguém se habilita? Ainda não temos um conflito internacional no curriculum da RID…

  • Se ao invés desse vídeo tivesse sido postado esse artigo:

    http://www.baguete.com.br/colunistas/colunas/31/janer-cristaldo/11/08/2010/muculmanos-usam-o-penis-como-arma-na-escandinavia

    Eu claro, concordaria com cada ponto de vírgula dito aqui sobre a imigraçao desses mulçumanos e suas atitudes por lá. Esse sim é um lixo de gente extremista que qualifica as pessoas segundo sua “doutrina” e se acham no direito de falar em nome de Alá bla bla bla… Esses caras sim são a escória… Se fosse meu país… explusava tudo!!

    • É isso aí gente.
      A Larissa apenas é capaz de tirar uma conclusão negativa se o fato negativo estiver mastigadinho.
      Pensar criticamente não é costume entre religiosos.

      • Eu sou ponderada…. diferente.

        Se todo mundo pensasse como você, iria ser o “O mundo das Marias vai com a outras”

                  • Avatar

                    Larissa - Muco ON

                    Claro!!! Nao eh assim que tem que fazer para que as pessoas nao encham o saco??? Concordar com tudo???!!! Entao, concordo com tudo que voce quiser… pra voce se sentir superior e feliz sentada na frente do computador!!

                    #capitulosdevidamediocre

                    • Então concorde que você é uma tontinha que age de acordo com a seletividade que você define: sou crente mas faço sexo sem estar casada, EU escolho as partes da MINHA religião que são convenientes para MINHA vida!! kkk gripesuina

                    • Isso é você que está dizendo…
                      Pense o que você quiser. Pegue palavras ao vento e transforme na merda que vocÊ quiser comer.
                      O seu perfil pra mim, já está muito claro.
                      Isso não é apenas diversão, você está claramente mostrando o quão baixa é…
                      Concordar com o que criança??? Sua vida é muito triste pra você levar isso aqui tão a sério…

                    • Desde quando a conversa passou a ser sobre mim? Eu nunca fiquei expondo minha vida aqui, ao contrário de você.

    • Que lixo. O Cristaldo é tão sem noção a ponto de Olavo passar pito. E olha que era miguxo do maluco no midias em máscara. Levar a sério isso? Not!

  • É como aqui com os evangélicos.
    A S.E.P. vai às alturas.
    Enchem o saco por conta de religião e tal, mas no maldito feriado religioso,
    voce nao ve nenhum desses mocorongos fazendo protesto, querendo trabalhar.
    Por que, o estado TEM que ser laico, até que eles estejam no estado. Depois, o estado TEM que ser evangélico.

    • Você acha ruim dia 12 de outubro??? Você vai trabalhar??
      Você trabalha dia 25 de dezembro?? Fica lá batendo na porta pra entrar??
      Você trabalha na sexta feira santa??? Acha ruim nao poder entrar no escritorio??? ou seja lá que buraco que você trabalha??!!!

      Afff….. cada comentário sem o menor sentido…

      • “Acha ruim nao poder entrar no escritorio??? ou seja lá que buraco que você trabalha??!!!”

        Larissa, a pessoa que não faz suposições ou julgamentos de quem não conhece, e por isso mesmo, não quer que façam com ela.

      • Eu acho que voce tem sérios problemas de interpretação de texto, Larissa.
        Se você quiser, eu posso desenhar.

        • Avatar

          Larissa - Muco ON

          Ele esta falando de um comentario feito em outro lugar jeca…

          Desenha um buraco negro e se joga dentro… ja que voce nao acredita em Deus, finge que eh um poco de pixe… ja que eh pra la que voce vai mesmo…

          • Hum… sem querer ser muito mala, Larissa, mas a gente gosta do feriado em sí, e não do motivo por detrás do feriado.
            Claro que qualquer um aqui, e no país todo, comemora uma chance de relaxar em casa, vivendo nessa rotina exaustiva e estressante… mas ele, assim como eu, não gosta do motivo que nós estamos ali. Não trabalhar dia 25 de dezembro é ótimo, mas a o motivo pelo qual não trabalhamos é o nascimento de uma pessoa que os outros dizem ser deus encarnado que ressucitou e ajudou todo mundo e que por isso deve ser respeitado… não me parece muito agradável. Até porque, para qualquer pessoa que procure saber, Jesus nem nasceu nessa data. É meio que a mesma coisa de se fazer um feriado em nome do nascimento do Goku, e de todo o amor que ele trouxe para o mundo.

            O que, claro, seria muito mais foda. Mas essa aí já é uma outra história. Certeza que VOCÊ, por mais agradecida que tivesse com um feriado para descansar, não gostaria de celebrar um feriado assim.

            • E acabei de ver que o meu comentário foi direcionado à pessoa errada. Larissa, o comentário não era pra você, e sim para o desfavorecido.

              Que falou muita merda.

              Perdão pelo lapso.

              • E agora, lendo direito, quem falou muita merda fui eu. Cancela tudo e esqueçam que eu falei qualquer coisa, que eu pago uma pizza pra todo mundo. Beijos.

                Minha cabeça não anda funcionando muito bem mesmo… deve ser o gardenal.

          • “ja que voce nao acredita em Deus, finge que eh um poco de pixe… ja que eh pra la que voce vai mesmo…”

            Quem não acredita em Deus, é punido por ele mesmo não indo para o lugar dos abençoados e iluminados com a certeza de sua existência; vai para o poço de pixe.

            Que Deus vaidoso e vingativo do Car@lho.

      • Não trabalho, gosto de ficar em casa, mas acho que a produtividade baixa do brasileiro tb é resultado de muita moleza trabalhista.

        Não acho isso um argumento válido, até porque não vejo hordas de religiosos batendo às portas das empresas no Carnaval…

  • Só eu acho muito cara de pau se mudar para o país dos outros e querer que todo cidadão de lá se porte conforme a SUA cultura? É como ser despejado por falta de pagamento, ficar sem teto, ser acolhido por um amigo e já chegar na casa dele dizendo a que horas o jantar deve ser servido… acho abuso sem fim.

    • Não, acho que todo mundo pensa assim. Algumas pessoas, quando sentem algum tipo de afinidade com figuras desse tipo, conseguem até dar um nó na lógica e considerar aceitável.
      Só aproveitando sua analogia, é tipo o cara que é acolhido e já chega querendo cagar de porta aberta.

      • Perfeita sua analogia…

        As pessoas confundem o direito de ter e exercer sua religião com a cara de pau de impô-la aos outros. O que já seria um absurdo dentro da sua casa, vira um absurdo ao quadrado quando é feito na casa dos outros. Ingratidão, inadequação e burrice, porque se continuarem assim acabarão expulsos e banidos.

      • Eu nao tenho que concordar com o que todo mundo diz pra receber algum tipo de aceitação. Eu disse vááááááárias vezes que SE o palestrante sabia quem estava na plateia e fez de propósito… acho sim que foi uma falta de respeito. Independente de que país era, religião ou nacionalidade.

        Teria que explicar que iria passar um vídeo forte mas que tivessem paciência e esperassem até o final… ou pedir pra quem se sentisse incomodado sair… é o mais educado e normal a se fazer. Como por exemplo, quando se vai ler uma notícia com fotos chocantes… se avisa antes, para que as pessoas não reclamem sobre o porque de colocar tais fotos ali. Isto se chama SENSO e RESPEITO ao próximo.

        Acho que em várias religi4oes existem extremistas. Não concordo com a religião deles e nem por isso vou deixar de me colocar no lugar dos outros e pensar em como eu me sentiria. Esse papo de que o estado bla bla bla…. algo o estado esta ganhando em troca…. Nao existe almoço de graça!!

        Eu sei o que é viver fora e por melhor que você seja, o trabalho que tenha… é discriminado sim!! e não é fácil…
        Para estar fora do seu país seja por qual motivo for… isso é pessoal e só interessa a cada indivíduo… tem que ter coragem, culhão e querer muito ou precisar muito.
        Porra de agradecido é o caralho!! Se vocÊ está trabalhando e pagando seus impostos e contribuindo para a receita do país…. é seu país também. Sua segunda pátria!! Assim como a Sally é argentina e está ai falando mal do Brasil…. assim como eu estou aqui e tem várias coisas que eu não gosto e não aceito… existem razões pessoais que nos fazem estar onde estamos.

        Todo mundo sabe julgar, mas ninguem quer se colocar no lugar do outro.
        Ninguém gosta de mostrar a cara para defender o outro…comodo isso.

        Eu repito que não sei qual foi a situação, nao sei quem são essas pessoas…. o que vi foi um vídeo ofensivo com um monte de mulçumano na sala.
        Se fizessem isso aqui com católico, com crente… colocassem o Andre Luis mostrando a polla num video, tampouco os espíritas iriam gostar.

        Vai se ferrar nego hipócrita que acha que tudo é culpa da religião, e crente e que merda que seja… existe um mundo de gente otária por ai indenpendente de religião. Que faz merda em nome de várias coisas….

        • Nossa, como você é cansativa. Sério mesmo, tenho pena de quem convive pessoalmente com você. Fala pelos cotovelos sem um pingo de objetividade, tem tara por repetição.

          E outra, não fale o que você não sabe. A Sally tem personalidade de argentina mas ela nasceu e foi registrada no Brasil.

          • Me ignora Daniele… é mais fácil….
            Eu falo do que nao sei??? Voce me conhece o suficiente pra dizer que tem pena de quem convive comigo???
            Pffff….
            Nao falei mal da Sally pessoa insana… Citei exemplo. Nao li a bibliografia dela pra saber dessas coisas….

            #falta de paciencia.

            • Eu até tento te ignorar, mas tem trocentos comentários gigantes seus. Já que é impossível ignorar eu to tirando uma casquinha também.

              Pelo pouco que eu te conheço eu posso afirmar que tenho pena de quem é obrigado a ficar perto de você. Certeza que é o tipo de mulher que não consegue manter a boca fechada. Ainda bem que você escolheu um país de sangue quente. Um país nórdico não combina com sua personalidade repulsiva.

              NAONDE que eu falei que você falou mal da Sally?? Novamente o analfabetismo funcional se faz presente.

              • Pois errou feio na sua avaliação……

                …. pense o que quiser… já que vocÊ se alegra com pouco.
                Chamo isso de bobo alegre, gente que pensa que está abafando…. depreciando os outros por que não consegue exaltar a si mesmo.

                O que voce pensa de mim é problema seu….não meu….continua sua farra.
                Fique a vontade, igual a pinto no lixo…que de lixo vocÊ deve entender bem…

                • “Fique a vontade, igual a pinto no lixo…que de lixo vocÊ deve entender bem…”

                  Larissa, a pessoa que não faz suposições ou julgamentos de quem não conhece, e por isso mesmo, não quer que façam com ela.

                  Ps.: Larissa, esse lance da favelada acabou. Está atrasada.

          • Outra coisa… se tenho que ficar repetindo… é porque leio umas porras de comentários criticando o que eu não quis dizer… porque nego somente leu “por Cima”…

            quer objetividade???? R: Você é outra chata de galocha que se prende demasiadamente aos meus comentários, criticando coisas que não fazem sentindo comum ao invés de falar sobre o post.

            • Todos os chatos aqui se prendem a seus comentários que não fazem sentido comum, nem incomum.
              Estamos falando sobre suas divagações surgidas a partir do post. Não quer brincar porque desce pro play?

                • Gostei de ver como suas respostas estão mais sintetizadas.
                  Estou satisfeita, meus parabéns.

                  Até um dia qualquer.

                    • Avatar

                      Larissa - Muco ON

                      Noooossa! como ela eh baixa….

                      apelou perdeu!!! Ja se ve seu niveeeeeel!! :)

                      Nao sabe brincar nao desce pro play… nao foi vc mesmo que disse??!!

                      #gentemediocre

                    • ….agora me chama de boba!!

                      nao nao….me chama de abaxi, de chata!!

                      nao! chata eu ja uso no meu dialeto especial aqui… chama do que quiser vai…. mostra sua cara descendo o morro!!
                      Mostra pra gente vai!! Todo mundo quer ver…

                    • Nossa, embirutou total.
                      Quando começar a escrever cheio de erro (o que é super comum) nós vamos ter a certeza que você está venstindo uma camisa de força.

                    • Eu falei pra ela deixar o muco do nariz escrever mais vezes…quando ela não deixa acontece isso.

                    • Uma construção vocálica mais elaborada e incomum te surpreende né.
                      Não sei na Espanha, mas por aqui o nome disso é ignorância.

    • Eu tb acho muita cara de pau. E se não me engano no meio do vídeo alguém gritou: “esse é o nosso país também…” Ahaam!

  • Desenvolver o pensamento crítico ao invés de atacar quem não pensa igual é luxo para poucos nos dias de hoje. As religiões alimentaram durante séculos esta intolerância. Tanto que acabamos intolerantes com os religiosos.

    Eu, por exemplo, fui católica na adolescência, quando estava no Ensino Médio tinha três amigas evangélicas, uma presbiteriana, uma luterana e uma batista, e sofri muita pressão psicológica, quase cedi, já que era jovem, tinha baixa auto-estima e sofria de depressão. Eles (religiosos) são sedutores e sabem atacar quando alguém está vulnerável, prometendo um mundo irreal onde tudo é felicidade apenas por ter aceitado tal religião, relegando ao sofrimento justificado aqueles que não compartilham de sua crença, o que para alguém em situação frágil psicologicamente soa ameaçador. Assim, com o tempo, adquiri certo preconceito contra evangélicos, católicos e todo aquele que se intitula portador da verdade absoluta sobre questões do “além”.

    Quanto às religiões islâmicas, são o tipo mais abominável de fanatismo, tão arraigado que nem o meio social nem o estudo consegue eliminar o ódio e o sentimento de perseguição desses indivíduos.

  • “A União Nacional das Entidades Islâmicas pediu à Justiça a prisão em flagrante de representante legal do Google no Brasil por desobediência.

    A empresa não cumpriu determinação de tirar do YouTube o vídeo Inocência dos Muçulmanos – cujos protestos culminaram na morte de Christopher Stevens, embaixador americano na Líbia. O prazo expirou em 11 de outubro.

    O advogado da entidade, Adib Abdouni, também requereu aumento da multa. Indagado pela coluna, o Google informou: recorreu da decisão por “estar comprometido com a liberdade de expressão”.”

    http://blogs.estadao.com.br/sonia-racy/repeteco-6/

    Estão começando a colocar as asinhas de fora por aqui…
    Intolerante por intolerante… a bancada evangélica que lide com eles (quer dizer, grandes as chances de se matarem entre si – vamos torcer).

    • Avatar

      Larissa - Muco ON

      Nossa! Como voce fala besteira!!! Porra eh essa de banda evangelica lidar com eles???!!!

      Pensa antes de falar anta!

      • Larissa em mais uma demonstração do quanto os evangélicos são tolerantes.

        Estou certa de que já li na biblia Jesus incentivando seus seguidores a proferir ofensas infantiloides (anta) contra quem fala algo que vai contra sua opinião.
        E o banda evangélica eu ainda não decidi se penso que foi um typo ou se é o nível educacional da pessoa. É que ela mora na Europa né.

        • Nao tenho a menor paciencia com gente que fala bobagem. E outra, não sou Jesus… ele é o santo e eu não chego nem aos pés dele…

          • O que tem que ver eu viver na Europa…. Eu posso viver na casa do cacete e ainda assim, acho que a sua colocação foi infeliz.

            você é incapaz de defender seu argumento sem citar o fato de que eu seja evangélica ou viva na Europa….FRACA. Isso explica muito sobre você… nao tenho paciÊncia…

            • O que tem que ver você viver na Europa???
              Ok, seu analfabetismo funcional não é novidade pra mim.

              Não vou perder meu tempo explicando, você é um caso perdido.
              Eu só te provoco de vem em quando pra me divertir com seus pitis desconexos.

              • que bom que você se diverte….
                eu só comprovo seu atestado de chatisse aguda… de quem fala muito e diz pouco. Me provocar pra que??? porque perder seu tempo discutindo com uma analfabeta funcional???
                Acho que você é uma pessoa muito inteligente, descolada, sabe tudo, IN, tem a maioria das respostas que os outros não têm… e é uma perda de tempo ficar desperdiçando teclado com alguém como eu.

                Já vi que você é um ser superior, deve ganhar muito bem, ser muito linda maravilhosa, popular e muuuuito ocupada. Então gata…. coloca em pratica aqui tudo isso de bom que vocÊ tem dentro… joga suas misgalhas de sabedoria para famintos com eu, ao invés de apenas soltar essas palavrinhas fúteis de críticas que não demosntram em nenhum momento seu maravilhoso e extraordinário EU.

                • No momento estou entediada. Você me diverte. Tipo um bobo da corte.

                  Eu não vou gastar minha sabedoria com você. Presumo que você saiba usar o google, por favor não me desaponte.

                  Já está há um bom tempo me chamando de chata. Certeza que insiste nisso porque aqui não se pode usar o “tá com enveja”.
                  Chato é o novo Enveja – by Larissa.

                  • Nao existe só eu aqui filha… desculpinha esfarrapada de quem não tem nada de bom a acrescentar meeeeeesmo.
                    Você poderia ter respeitado mais seus colegas de audiência….

                    Se eu nao tenho inveja do que conheço, imagine do que desconheço….

                    Pra você, um verso: ” Dani…que se Dani!” :)

                    • Avatar

                      Larissa - Muco ON

                      Aiiiiiiiii!! Ela descobriu o Brasil… poe na radio…

                      Quando voce aprender a me respeitar como evangelica, que cre em Deus e acima de tudo como pessoa…. quem sabe eu tenha um dialogo normal com voce. Ate la… bateu, levou. :) Beijuuuuuuuuu!

          • Você não é Jesus e também não tem inteligencia suficiente pra interpretar o que ele fala e transmitir pro seu dia a dia.
            Não é novidade em termos de evangélicos.

    • Também discordo da Daniele, de que os evangélicos são intolerantes. Essa é uma idéia falsa do Movimento Autoritário Gay.

    • Tô lembrando que isso virou até assunto de um “Desfavor da Semana” aqui. Sério, aquele videozinho é tosco e recheado de defeitos especiais… Nem parece uma produção a sério, sendo uma esquete variando no borderline entre o humor negro e a apologia cristã.

      Achei o vídeo cretino, mas achei a reação dos muçulmanos tão ou mais cretina que o vídeo, sendo tudo isso um tremendo FACEPALM!

  • Paradoxal né? Enquanto pregam que o apocalipse seria provocado pelo diabo, vemos que os “santificados” irão acabar com o mundo em nome de Deus. E este assiste de camarote usarem o nome Dele em vão.

  • Religião em si não é o problema. E mesmo que fosse, não adiantaria eu ou qualquer outro achar isso, elas não vão desaparecer, por mais que se lute contra elas. Uma parte das pessoas precisa acreditar em algo, ser racional é um exercício extremamente solitário que poucos são capazes.

    Não vejo os evangélicos como problema no Brasil, muito menos os católicos. Todos os grupos devem ter direito de se expressar, e não somente os esquerdistas, ambientalistas e progressistas. Quem é o dono da verdade? Ninguém, democracia é o resultado das pressões de diferentes grupos.

    Se você quer poder discutir a crença dos outros em seres imaginários terá que aceitar que outros discutam sua crença de que o aborto deve ser liberado. Eu por exemplo não sou religioso porém sou contra liberar o aborto nesse momento no Brasil de maneira indiscriminada. Se já uma bandalheira sendo difícil abortar imagina se o SUS fizer numa boa…idem para liberação das drogas.

    Mas essa é MINHA opinião, não digo que estou certo e vou acatar o que a maioria decidir. Acho errado no entanto quem prega que os evangélicos ou católicos não tem o DIREITO de se expressar. O conservadorismo é tão válido quanto o progressismo.

    • Bionicão, me lembro que estava falando ontem mesmo no Facebook sobre essa questão do aborto, que vem sendo discutida com muita leviandade e com uma falta de profundidade que chega ao ponto de me chocar.

      Defender uma posição ultraliberalista logo de cara é tornar os defensores do aborto no alvo dos sonhos para os demagogos de batina que querem criminalizar o aborto somente para mostrarem seu poder de influência sobre a sociedade brasileira e ainda de quebra pintarem uma imagem falsa de que a igreja seria a grande “defensora da vida”.

      Quando não tinha uma posição bem formada, defendia o presente hoje na lei. Hoje defendo que além dos casos hoje previstos no CP (decreto-lei do Estado Novo) não seja crime nos casos onde a expectativa de vida para o feto seja infima.

      Uma descriminalização do aborto nos outros casos até poderia ser razoável, contanto que se tivesse a devida consciência nas pessoas de que este seria o “último recurso” para lidar com a questão.

      Não dá para “liberar geral” com certas pessoas pensando na linha “se engravidar, a gente tira”.

      • “Não dá para “liberar geral” com certas pessoas pensando na linha “se engravidar, a gente tira”.”

        Isso já acontece hoje. Quem quer fazer, faz. Diferente de drogas que algumas pessoas tem medo de ir comprar, que a polícia fica em cima, etc, etc, etc, quem quer fazer um aborto vai até a farmácia mais próxima e compra o remédio. Ou vai até uma clínica sem identificação (e tem em tudo que é bairro, desde clínicas “boca de fumo” até clínicas com manobrista e em bairros nobres). Eles até parcelam no cartão se vc quiser.

        As pessoas JÁ fazem as coisas pensando no “se engravidar tira”.

        Dentre outros 800 exemplos, conheci uma menina que engravidou de um, descobriu só aos 5 meses e fez a cirurgia. Três meses depois engravidou de outro e tomou o remédio. Fácil, fácil. Infelizmente acompanhei de perto (era amiga minha) e vi a facilidade de fazer isso, encontrar lugares e pessoas que façam.

        Difícil nessa história toda é a cabeça da mulher que faz (não tem psicólogo em clínica clandestina e a maioria não é desapegada como esse exemplo que eu citei), é a consequência e a possibilidade de complicações em clínicas clandestinas e tomando remédios (que onera MUITO o sistema de saúde atual), a falta de controle, qualidade e até de recolhimento de impostos desses lugares.

        Liberação de aborto NÃO é OBRIGAÇAO de aborto. É só uma forma de controle do que hoje JÁ é realidade. Quem quer fazer já faz. E quem é contra pode continuar não fazendo.

        EU, Carolina, não faria se a criança fosse normal. Eu acho que quem faz sexo tem que ser responsável pelas consequências, mesmo de uma pílula mal tomada ou camisinha estourada. Mas isso sou EU. Da mesma forma que eu sou a favor de possibilidade de aborto em caso de doenças crônicas não curáveis (inclusive Down, desculpa aí). Mas isso tudo sou EU. Como disse a Dilma antes de ser trucada pela bancada evangélica, é uma questão de saúde pública, não de opinião.

        • Fato, Carol… Fato. O pior é pensar nesse ideário sendo estendido até a ralé de nossa nada querida “Suiça”. Contraproducente com o controle das DSTs e do HIV, que vai sair matando geral (ainda que na maior parte dos casos sejam pessoas que façam por merecer o “Prêmio Darwin”).

          Isso sem contar, claro, a oneração com os coqueteis, sugando recursos que poderiam ser melhor investidos a nível de saúde pública… Mas esquece, com tanta verba desviada pra bancar pose de político malandro, nem dá para esperar muita coisa mesmo.

    • Tem o direito, contanto que esse direito não interfira no direito dos outros. É um desfavor ver pessoas tentando impedir outras de dar o cu, deixarem suas heranças para seus parceiros do mesmo sexo e outras atitudes que dizem respeito tão somente aos diretamente envolvidos.

      Sobre outros pontos, que teoricamente envolvem terceiros, aborto sou a favor, sobre drogras sou contra, mas isso por argumentos lógicos, não porque Deus não quer. Discussão envolve argumentos que todos estejam envolvidos, usar de explicações que nem podem ser comprovadas não é argumentação, é tentar impôr sua crença.

      O mundo precisa evoluir e as pessoas precisam deixar de ser infantilóides.

    • Não tenho visto grupos ateístas tentando cercear o direito de expressão de religiosos. Refere-se a algum movimento em particular?

      • Quando a imprensa chama de reacionários grupos religiosos que querem saber se um político é a favor do aborto, acho sim que está cerceando o direito de expressão.

        Na campanha de 2010 o TSE apreendeu panfletos que diziam a fiéis católicos que não votassem em políticos que defendessem o aborto. Isso não afronta a liberdade de expressão?

        • A imprensa chamar de reacionário um grupo também é o direito de expressão em ação. Até aí, normal.
          Quanto a essa apreensão do TSE, tem que ver qual o contexto, pois a Justiça Eleitoral é cheia de regras e prazos.
          Se foi apreendido apenas por esse motivo, está errado mesmo. Se foi apreendido por difamar alguém que não disse ser a favor expressamente, está correto.

  • Olha só…. eu não pude ver o vídeo direito antes porque estou trabalhando…

    Acabo de assistir.

    Eu achei uma falta de respeito por parte de quem apresentou o vídeo SE somente SE, eles tinham consciência de que haviam mulçumanos na sala. O vídeo é degradante e uma ofensa direta a religião deles.

    Isso não tem nada que ver com o país, fucking comida ou trabalho… muito menos com intolerÂncia ou fanatismo. Achei falta de respeito, zoação e tiraram zarro bonito da religião dos caras.

    EU simplesmente me levantaria ofendida e iria embora pra casa… Agora ,se um país aceita receber pessoas de outras culturas e outras religiões, também deveriam ser tolerantes e respeituosas às crenças dos outros. Se não estão afim de serem isso, pois que não recebam ninguém….

    Isso é como chamar para o banquete e depois oferecer a vasilha do cachorro pra comer.

    Outra coisa…. essa galera que está ali é trabalhadora, pelo que escutei pagam seus impostos e outra…. se o cara queria fazer um debate, poderia ter preparado as pessoas antes. Da forma como aconteceu, houve provocaçao a qual resultou nesse reaçao… awful, totally awful

    Eu tenho amigos mulçulmanos aqui…. gente normal. Saem comigo, jantam comigo, se divertem comigo…. e eles nunca tentaram me converter e nem eu a eles. Já convidei pra ir a minha igreja aqui… e eles aceitam, não falam nada… e dizem que se é para ouvir a palavra e conhecer… sem problema. Esse vídeo é um lixo.

    • Larissa, acho que os muçulmanos é que decidiram assistir pra protestar. Você agora defende a censura pois pode ofender alguém da platéia? Indo nessa linha nosso futuro é uma tela branca…

      Eles não levantaram e foram embora, eles exigiram que a projeção fosse interrompida.

      Foda-se a religião deles. Não gosta? Não assiste porra. Tem muita coisa na TV que ofende meus valores, eu não assisto e falo mal. Mas não quero que seja censurado.

      • Como eu disse anteriormente…. eu não sei qual era o propósito daquilo…
        Eu não sei se foi proposital, se eles eram convidados, se eles SE convidaram….

        O que eu disse que SE o apresentador tinha consciencia e estava apresentando para essas pessoas…. eu discordo da forma como foi abordado o tema e achei ofensivo.

        Ele poderia ter preparado as pessoas e dito que iria passar um filme mas que logo…bla bla bla…. Achei errado simplesmente empurrar guela abaixo. Não concordo com a atitude. Agora se eles foram a proposito, sabendo o que iria acontecer e transformar tudo em baderna…. é oooooooutro papo. Ai sim, eu concordaria de que eles teriam que ficar calados e quem sabe opinar no final.

        Vai alguem fazer um video da Virgem Maria aí no Brasil dançando o ula ula de calcinha e sutiã pra ver o que acontece!!! Tenta….

        • SE você não estivesse teimando por tentar defender a própria fé/irracionalidade, teria pesquisado sobre o assunto e descoberto que os seus “ses” estão todos furados.

          Era uma palestra sobre liberdade de expressão, o palestrante, Lars Vilks, é um artista local que fez uma exibição com desenhos de Maomé, desenhos pelos quais teve sua vida ameaçada.

          Ninguém era obrigado a estar ali, os pobres coitados ofendidos que você está defendendo se deram ao trabalho de ir até lá para impedir os outros de assistirem. Eles SABIAM o que iriam assistir.

          Agora eu espero a sua desculpa esfarrapada para defender novamente esse tipo de gente.

          • Avatar

            Larissa - Muco ON

            Voce poderia ter falado isso no seu texto e desde de o inicio…
            To no trabalho e olhando aqui de vez em quando, nao da pra ficar pesquisando…

            se eh pra ficar pesquisando, nem preciso passar por aqui ne?!

            Eu disse que se eles sabiam…entao sim, eu concordo que foi um exagero. Em todos os meus comentarios eu disse SE… e SE eles nao soubessem

            Se voce nao estivesse querendo defender tao fanaticamente seu ponto de vista ateu, poderia ter visto que eu concordo com voce se esse eh o caso…

      • Não gosta? Não assiste x2

        Larissa, não tinha nada ilegal no vídeo. Não indo contra as leis, não gostou, problema seu, levanta e vai embora, como você mesma disse que faria. Não se pode empurrar na garganta alheia os valores pessoais de cada um.
        Seus amigos levaram o seu convite na boa. Um paralelo com a situação discutida seria seus amigos subirem na mesa fazendo pirocóptero com o pau e gritando que você é uma infiel filhadaputa e merece ser empalada em praça pública.

        Seus amigos são muçulmanos e são civilizados, levaram de boa por serem civilizados e não muçulmanos. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Conheço cristãos em SP que não devem muito a esse povo do vídeo. E conheço gente que freqüenta umbanda e são pessoas magníficas, apesar do preconceito social que faz a gente imaginar automaticamente um negão com um charuto na boca e uma galinha decepada na mão.

        Você tem o direito de ser cristã e que ninguém te paunocuze ou prejudique por isso. Mas se você se instala numa sociedade civilizada, tem que se adequar. É essa a crítica. Os caras do vídeo vieram da puta que pariu com valores dignos de quem perde a virgindade com uma cabra e passou metade da vida comendo pedra e querem impor seus valores ao resto da sociedade. Pelo que você falou, seus amigos jamais se sujeitariam a esse papelão, simplesmente levantariam e iriam embora. Ou melhor ainda, nem estariam lá, pq com certeza quem estava lá sabia o que ia passar. É paunocuzar por paunocuzar. Totalmente gratuíto.

        Sobre se isolarem em guetos, isso me incomoda aqui em SP. Judeus ou orientais que se fecham em guetos.. ENtendo que queiram guardar resquícios culturais, mas porra, então estão fazendo o que aqui? Voltem para lá se era tão bom.

        Ontem estava pensando numa coisa, alguém sabe se ainda existe essa regulamentação que judeus não são obrigados a prestar serviço militar obrigatório?

        • Avatar

          Larissa - Muco ON

          Eu disse vaaaaaaaaaaaaarias vezes “SE em tal situacao…”

          Voce que esta precisando ler duas vezes…

        • “Sobre se isolarem em guetos, isso me incomoda aqui em SP. Judeus ou orientais que se fecham em guetos.. ENtendo que queiram guardar resquícios culturais, mas porra, então estão fazendo o que aqui? Voltem para lá se era tão bom”

          Não radicalizemos. Quanto aos orientais, imagino que você esteja se referindo a coreanos e chineses no geral. Coreanos começaram a chegar em massa em meados dos anos 60 e a migração em massa de chineses é bem mais recente. Assim, o que acontece com eles agora aconteceu com os japoneses no começo do século. Diante de uma sociedade e um idioma totalmente diversos, é mais do que natural que essas comunidades permaneçam algumas décadas fechadas e, paulatinamente, promovam a abertura. Até porque eles são muito mais ciosos de sua língua e cultura do que nós japoneses fomos…Mas, mesmo assim, veja o caso dos coreanos. Muitos já estão se integrando, e os casamentos interraciais já ocorre(ra)m bem antes do que no caso dos japoneses. E a mesma coisa eu tenho visto com chineses.

          Já os judeus não sei se pode mais falar em gueto também…Uns vinte anos atrás trabalhava e estudava na região do Bom Retiro e, já naquela época, os judeus já haviam feito sua diáspora para Higienópolis e outros bairros ricos da cidade. E, de novo, além de casamentos com goys, há muitos judeus que acabam se convertendo para outras religiões. Conheço três, judeus da gema, que entraram para a Igreja Batista…

          • Tenho vários amigos que foram hostilizados por famílias judias ao namorar as filhas, eu inclusive passei por isso.
            Vi coisa semelhante com dois amigos, um chinês e um coreano. A família reprovando de forma truculenta o relacionamento.
            Efetivamente, os japoneses são menos radicais com isso… nunca soube de nenhum caso desse tipo envolvendo japoneses.

            • Sim, até porque hoje em dia duvido que haja 1% de filhos e netos de japoneses que falem (e leiam) fluentemente o idioma e prezem diariamente todos os aspectos da nossa cultura, para alegar algum perigo de perder alguma coisa com a miscigenação. Eu mesma, além de ser meia-japa (meu pai é caucasiano), só fui aprender bem o idioma quando fui obrigada a ser dekassegui. Mas já esqueci muita coisa…Nisso, acredito que, em maior ou menor grau, isso vai acontecer com os outros orientais ao longo do tempo… Já judeus, aí o buraco é mais embaixo…

  • Somir, Somir… Assim fico com a impressão de que você não entende como é o jogo. Será que eu vou ter de fazer um texto tão extenso quanto o seu mostrando justamente que o foco nesse jogo é poder e que o famoso “a culpa é do sistema” é só o pretexto usado para isso?

    O que limita um pouco o raio de influência dessa gente é o fato de os países nórdicos serem de regimes monárquicos. Se fossem repúblicas, o estrago que uma figura “carismática” bem calcada sobre a opinião pública seria bem maior.

    • Religião é sobre poder, sempre foi. E de uma certa forma, meu texto nada mais é do que um apelo pela manutenção do sistema. Sistemas nesse contexto “nacionalista” são entidades plurais.

    • Olhando o vídeo de inicio, posso te garantir que se tal abordagem fosse adotada em uma universidade brasileira cheia de “antiamericanistas”, a reação seria bem parecida, ainda que o pretexto não fosse a pornográfia e sim a “conivência com as ações sujas do império americano, que usa sua máquina de propaganda para enfraquecer o Irã”.

      Neste caso, o argumento é melhor desenvolvido, mas o objetivo seria o mesmo.

      • Não, não seria parecida. Uma coisa é vaiar e expressar discordância, outra é partir para cima ameaçando fisicamente e exigindo que TODOS os outros deixem de ver. O ponto é bem maior do que aceitação de discursos dissidentes, é sobre o cerceamento de liberdades pessoais alheias.

        • Somir, não subestime essa turma, até porque a possibilidade desse pessoal (de “esquerda”, “não religioso” e “antiamericanista”) pode SIM chegar a este ponto, não ficando apenas nas vaias (neste caso estridentes a ponto de ninguém ouvir o vídeo, a ponto de fazer com que os islâmicos mostrados aí pareçam exemplo de cordialidade e de educação).

          Sério mesmo, a forma que esse video mostra a questão islâmica é tão discutivel a ponto de os docentes por aqui dificilmente colocariam esse material para exibição considerando justamente a enorme probabilidade de uma reação como a mostrada no vídeo.

          Além disso, o potencial de exploração de tal evento de protesto é enorme nos vários campos políticos. Você desconsiderou a possibilidade (difícil, é verdade) de que os reacionários “nacionalistas” e os reacionários “islâmicos” juntem forças justamente contra aquele que pode ser visto como um bode expiatório em comum, que seria justo a influência do “império americano”.

          Dependendo da força que esse pessoal junte, existe a possibilidade até mesmo de que os próprios regimes monárquicos existentes na escandinávia acabarem indo pelos ares.

          E quanto a democracia… Ora, a democracia… É só o campo de acomodação para as distensões existentes no campo político, na medida que não se tenha um grupo político na condição de impor a sua própria agenda política.

          • 1- Antiamericanos: Vamos entrar nos eixos aqui… A reação dos fanáticos religiosos está documentada. A reação dos “comunistas de boutique” não. Há uma diferença brutal entre gente fodida socialmente incentivada por discurso absolutista religioso e maconheiro revolucionário do período vespertino. Não seja cínico apenas pelo prazer de ser.

            2- União de forças entre reacionários nacionalistas e islâmicos contra o império americano: Qual o contexto? O Brasileiro onde os islâmicos ainda não tem força ou o Sueco, onde o complexo de vira-lata imperialista não é um fator?

            3- Democracia: Democracia é uma merda, mas é a melhor merda que temos. Novamente, cinismo vazio.

            • 1 – O que fiz foi uma projeção, considerando justamente este perfil de ativista. Considerei nisso o fato de que a turma tende a colocar o Irã em especial (o uso da imagem do Khomeini neste caso é especialmente emblemática) como “vítima” do “imperialismo norte-americano” e alguns dos grupos mais radicais na defesa dessa visão estão justo… NAS UNIVERSIDADES.

              2 – Aqui não estou falando de um cenário a curto prazo. Um direcionamento dos reacionários na direção do antiamericanismo pode ter condições de se desenvolver bem na medida em que a Europa se afunda economicamente. O que evita que esses grupos de reacionários se ajuntem em torno de uma bandeira tão retrógrada quanto essa é justamente a xenofobia e as diferenças de natureza religiosa. Enquanto se perdurar isso, tal tendência é estancada.

              3 – Sustento minha posição quanto a questão da “democracia”, que funciona como mero campo de acomodação das distensões políticas. A liberdade de expressão também é limitada pelos interesses, seja de natureza política, seja de natureza econômica. Se tende a sustentar máscaras sociais completamente vazias de conteúdo justamente para agregar grupos que se dissolveriam facilmente caso tivessem suas distensões mais exacerbadas. Nos sustentamos em uma grande farsa, fingindo conformidade por mera conveniência.

        • Putz, nessa concordo com o Marciel. Se você tentar passar um vídeo pró-capitalismo na FFLCH aqui na USP com certeza a reação seria tão violenta quanto.

          • Esse material que foi exibido não é exatamente “pró-capitalismo”, mas sim um vídeo no qual se faz o relacionamento do Irã e do islão com a intolerância e o terrorismo.

            Considerando que por aqui se tem na visão “antiamericanista” a imagem de que o Irã seria uma “vítima do imperialismo norteamericano”, se considera tal material como uma apologia ao “imperialismo”, o que redundaria no boicote ao vídeo.

  • Tenho pena de um deus que precise de um bando de debiloides para defendê-lo.
    Seria tão prático e desejável que apenas estalasse os dedos onipotentes e “zás”…
    Pelo menos todos saberiam qual era o deus correto, afinal.

    • Se deus existe e se mete na vida humana cotidiana, ele é um incompetente, carente ou um sádico.

      Ou talvez as três coisas. Ô povinho para se contentar com pouco.

        • Cultivar responsabilidade pessoal e moderação racional exigem dedicação sim. Não só para ateus…

          E sobre se defender: Ateísmo não deixa de ser uma postura sobre seres imaginários.

          • Ateísmo = Deus não existe, assim como Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e Saci Pererê não existem. E não me importa isso, pois pra mim tanto faz, tanto fez.

            Antiteísmo = Deus não existe e a religião é o mal do mundo por tentar incutir o ideário da religião na mente das pessoas. Temos de lutar numa cruzada contra este grande absurdo chamado religião.

        • Sim, como se vivêssemos em uma sociedade majoritariamente racionalista.
          Como se um grito histérico e vazio não contagiasse nossas multidões.
          Muito fácil apenas é ser ateu consigo mesmo, pois dispensa manobras lógicas e uma certa dose de hipocrisia.

  • Falando em guetos, uma coisa que acho patética são os brasileiros que se mudam pra Nova Iorque e vão morar nos “bairros de brasileiro”, só falam português, malemá falam “good morning”. E o que falar do BRAZILIAN DAY? Meu sonho é fazer um atentado terrorista lá. Se amam tanto sua respectiva nação, então que VOLTEM, ou se adaptem à cultura local. ¬¬

    • E isso inflama os discursos dos fanáticos nacionalistas… Não se integrar à cultura local cheira a comportamento predatório, estilão gafanhotos na plantação.

    • E ainda se orgulham em ter o Latino e outras merdas pra alegrar… Conheço muita gente que mesmo com a crise, não volta pro Brasil nem a pau! Se bem que em matéria de adaptabilidade, é difícil um brasileiro não se adaptar, a não ser no caso do Oriente Médio…

      Seriam os brasileiros as novas baratas? hahahahahha Não resisti…

      • Olha, tenho um amigo em Dubai e, no primeiro dia lá, ele já tinha achado produtos brasileiros nos supermercados de lá…É, realmente, se acontecer uma catástrofe no planeta, só sobrarão as baratas e os brasileiros…Triste…

  • O avanço da tal “bancada evangélica” está me deixando bastante temerosa. Seguidamente acompanho discussões sobre a descriminalização do aborto, e quando vejo “””””argumentos””””” (sim, muitas aspas) do tipo “é pecado”, “toda vida é sagrada”, etc, tenho vontade de chorar e vomitar ao mesmo tempo. Mesma coisa sobre o casamento civil de homossexuais, “é pecado”, “Deus fez o homem e a mulher”, etc. PUTA. QUE. ME. PARIU. Daqui a pouco o divórcio volta a ser proibido e adultério crime! Só eu acho que estamos voltando pra Idade Média? HALP

    • É né.
      Se os religiosos estão tão preocupados com as sagradas vidas humanas deveriam fazer lei dizendo que qualquer cidadão pode recolher criança da rua e levar pra igreja mais próxima, que terá a obrigação de prover sustento e educação. Versão moderna da roda dos enjeitados.
      Querem ter o poder de dar pitaco como se fossem o governo, que arquem com custos sociais tal qual o governo.

    • Sem o antagonismo dos ateus e religiosos moderados, a coisa pode desandar sim. A mentalidade reacionária começa a ganhar força (justiça seja feita, não só pela religião, mas muito influenciada por ela) e países acabam fazendo “Marcha da Família com Deus pela Liberdade” e se enfiando em ditaduras escrotas…

  • Por isso que eu sempre digo: até pra tolerância tem limite.

    Fiquei imaginando o que teria acontecido se o atirador norueguês tivesse invadido uma reunião de muçulmanos e matado 70 muçumanos ao invés de matar noruegueses. Seria algo com potencial de ir muito além dos meros carros bomba que costumam ser o lugar comum do revide.

    • “até pra tolerância tem limite.”

      Concordo plenamente. Em um exemplo mais da nossa vida cotidiana, entendo que a partir do momento em que se invade o espaço alheio (o meu direito de assistir ao filme sem ser paunocuzada por não ser de Deus, por exemplo) chega o momento em que é preciso ter um posicionamento mais rigoroso. Claro que não fazendo a mesma coisa que eles (religiosos fanáticos), mas não dando mais espaço para essas pessoas.

      • Cortar pela raiz.

        A religião por si só é uma superstição boba, mas quando ela dá sustento para violações de liberdades pessoais conquistadas a ferro e fogo durante nossa história, a linha está traçada. Tem um limite mesmo.

  • O seu texto é muito interessante até que o ponto onde você perde a razão pelo seu excesso de ateísmo e falta de flexibilidade.

    Ah sim… Você fala dos excessos da religião na qual eu acredito que existam e concordo que muitos se passam, muitos são ingenuamente utilizados e etc… mas existe o excesso de ateísmo também… o excesso político, homosexual, excesso de vaidade, excesso corporativo…. o excesso em geral.

    Não existe mundo perfeito em nenhum âmbito nesse mundo terreno. Diga-me um??!!

    Não é a religião o problema… é o fanatismo. O fanatismo gera excessos em várias linhas. Uma pessoa pode ser fanática por um cantor ao ponto de querer mata-lo. Um pessoa pode ser fanática quanto a raça, no caso dos nazistas ou xenófobos. Tem gente que têm excesso de zelo pelos animais e pouco por pessoas de verdade. Tem gente pra tudo nesse mundo… e não aguenta escutar uma opinião contrária…

    Crente se excede, católico se excede, mulçulmano se excede´…. e por aí vai.

    Isso tudo que você falou aí, pra mim se resume em uma palavra: Ignorância.

    Ignorância quando não se respeita as pessoas que não têm a mesma opinião que você, quando não tem a mesma religião, quando não tem a mesma raça, quando não tem o mesmo nível de educaçao…. quando não há respeito, há ignorância… e por você ser um ateu fanático, isso te faz ignorante em muitos pontos também.

    • Ateu fanático…
      Está aí algo que carece de definição…
      Essa estratégia de querer colar racionalismo com religião, como se fossem a mesma coisa, só que de lados opostos, é uma estratégia recorrente e que tenta nivelar tudo por baixo. Mas é apenas uma gritaria sem nexo, não chega a ser um argumento de verdade.

      E, Larissa, pare de defender religião, pois acho que você não pertence a qualquer delas. Você acredita em um deus de traços evangélicos mas não acredita nos preceitos dos evangélicos.

      • Quééééérido!!

        Esquece o fato de eu ser evangelica o sei lá o que…
        Vocês só sabem me atacar falando isso… falta de imaginação, argumentação..e de verdade… é um saco ler as mesmas coisas e o mesmo tipo de ataque sempre.
        Ah! Ela é evangélica, acredita em Deus… Que tonta!! dá zero pra ela…

        Mudem o texto…

        O que eu quis dizer é que CONCORDO com várias coisas que o Somir citou… mas isso na minha opinião, não tem nada com religião em sim. Religião é a desculpa usada para que eles fossem ou sejam ignorantes.

        Cada pessoa, ser humano é responsável pelos seus atos. Muitas vezes as atitudes são resultado do meio em que vivem… do que lhes ensinaram, porém todo mundo pode mudar de opinião ou melhor ainda, aceitar que o outro não pense como você.

        Por exemplo, eu não conheço nenhum de vocês. Querem ser ateus ou cético ou whatever… problema é de vocês. Pra mim.. vocês não são nem menos e nem mais burros. Eu citei fanatismo ateu, porque todas as drogas do mundo pra vocÊs, estão vinculadas a religião… nem se quer montam comentários sobre a atitude em si, mas sempre culpando a religião. E isso no meu ver, é uma forma de fanatismo. Quando você deixa de enxergar o lado do outro, pra ver somente o seu.

        Marok, no que eu acredito ou deixo de acreditar seguramente você não sabe de metade… não é aqui que vou provar nada pra você ou seu Zé ninguém. Procure levar sua vida analizando os fatos do que perdendo seu tempo julgando os outros.
        Você não sabe nada de mim, como eu levo minha vida, como eu sigo minha religião… e não me interessa que você saiba… porque a minha vida pessoal só interessa a mim. Então SUGIRO que você antes de julgar as pessoas, olhe para o seu umbigo craquelento. Agora se você quiser discutir opinião sobre o caso citado, o porque que eles reagiram assim, a falta de gratidão pelo país que os acolheu ou se os comentários do vídeo são justificáveis… daí quem sabe, a gente até possa levar uma enquete legal aqui…

        • Fica fria Larissa, Deus vai mostrar o caminho para os infiéis Somir e Marok….sacanagem só pra quebrar o gelo.

          Concordo com partes do que a Larissa coloca – o que eu tenho hj, primeiro Marciel, agora Larissa? – a religião não é o maior problema e sim o fanatismo. Fanáticos de qualquer tipo viram massa de manobra de líderes ansiosos por poder.

          Pelo que entendi o problema foi o “ateísmo fanático”, que eu chamo de fanáticos anti-religião. Gente que não consegue entender ou aceitar a existência de religiões e de gente que as segue. Caso aparentemente do Somir.

          Isso não tem nada a ver com racionalidade e tudo a ver com intolerância em relação a gente que acredita em Deus. Eu não acredito, mas tem gente que sim e toca sua vida tão bem quanto eu. Não invoca Deus quando tem um problema real, nem confia nele pra resolver, mas encontra amparo na religião. Tem muita gente racional que segue uma religião, isso não tem nada a ver.

          • Eu também concordo com partes do que a Larrissa diz. Discussão não precisa de antagonismo total.

            “Pelo que entendi o problema foi o ‘ateísmo fanático’, que eu chamo de fanáticos anti-religião. Gente que não consegue entender ou aceitar a existência de religiões e de gente que as segue. Caso aparentemente do Somir.”

            Puta que pariu! Você está dificultando a minha vida… Eu estou me esforçando para não descambar para o deboche, mas ler que eu sou ateísta fanático numa polarização com religioso fanático é uma tentação quase que incontrolável.

            Tão incontrolável quanto escrever um texto pregando perseguição as pessoas que acreditam numa religião ao invés de repressão intelectual pacífica de crenças religiosas. O que pela sua brilhante interpretação do que eu escrevi, foi claramente o caso…

            Qual foi a parte que você mais gostou do meu texto? A que eu conclamo meus caros fanáticos ateístas a matar religiosos?

        • “Davam casa, comida, emprego… Tudo o que um Estado justo deveria fazer. Tudo o que os Estados originais dos imigrantes não faziam.”

          Achar que o Estado deve dar as coisas é parte do problema dos fanáticos muçulmanos. Sempre que algo é dado sem exigir nada em troca a merda está instalada. O Estado sueco por exemplo foi formado por centenas de anos de trabalho de inúmeras pessoas ( a maioria suecas) que aceitaram viver segundo algumas regras ( leis do Estado) e em troca receber algo do Estado. Além disso elas pagam os impostos para manter o Estado.

          Quando aceitam a entrada de imigrantes sem cobrar que esses façam a adesão a esses valores estão na prática plantando a semente que vai fuder o Estado no futuro. Você deixa entrar no jogo alguém que não conhece nem aceita as regras do jogo. E não tem peito de expulsar do jogo aqueles que desrespeitam as regras.

          A minha tolerância está reservada para aqueles que me toleram.

          Ah, e por mim o Estado não tem que dar porra de casa, comida ou emprego. Tem que dar chance pro cara estudar e ganhar a vida. E polícia. Talvez saúde. E acho que só isso.

        • Olha, depois desse chilique todo, não sobrou espaço para uma continuação da argumentação sobr o tema do post. Diante disso, vou apenas fazer uma observação a respeito do chilique mesmo.
          Realmente, me gerou uma confusão a sua inadequação no uso da língua, que me fez entender que estava falando sobre a sua religião. Você disse:
          “Você fala dos excessos da religião na qual eu acredito que existam[…]”
          OK, erro seu, lapso meu, empate técnico.

          Sobre eu estar te atacando, julgando, você claramente está subvertendo o sentido das palavras. Fiz um breve comentário depois de já ter emitido opinião sobre o conteúdo, que você provavelmente nem viu.

          Sobre não saber de metade do que você acredita, acho muito natural. O que eu comento é a respeito do que sei apenas. Se sei, é porque alguém já externou isso. Se alguém já externou, provavelmente foi você mesma.
          Aliás, acho muito engraçado esse papinho de “minha vida pessoal só interessa a mim” vindo de alguém que fica evadindo a própria vida. Na hora de contar vantagem e parecer legalzona, bem resolvida, sem sucedida, é muito legal, mas quando confrontada com alguma de suas qualidades, a hipocrisia dá as caras.

          Dito isto, a respeito da sua opinião sobre o texto, é basicamente aquilo mesmo: pega todas as vertentes de pensamento, joga num saco, sacode, joga dentro da fossa e argumenta que é tudo a mesma coisa. O dia que você pegar o saco, higienizar e abrir, terá uma surpresa. Verá que, tal qual água e óleo, as vertentes estarão perfeitamente separadas, como antes de você enfiar no saco.
          Depende apenas de você querer ou não sujar as mãos.

    • Acho que você não entendeu o ponto principal: o que Sally questiona é a inadmissíbilidade de um bando de religiosos querer impor a sua “lei divina” num Estado Laico que fez o favor de acolher esse pessoal fodido e que não discriminou essas pessoas em detrimento da religião na hora em eles que botaram os pés pra dentro de um Estado realmente preocupado com o bem-estar social. Agora, depois de todas as necessidades atendidas, esses caras vem dar piti… Cuspiram no prato em que comeram né! Bem bacana.

      Ignorância é não questionar a pressão que religiosos fazem em cima de um Estado Laico.

      • Ahem… Somir.

        E sim, escroto ao cubo usar as vantagens de um Estado Laico e Humanista para consumí-lo de dentro para fora.

        • Sério… até acho que você seja um cara antenado e inteligente, mas essa sua forma egocêntrica de expor as coisas e achar que conhece 99,99% da verdade absoluta… faz de você um ateu fanático chato de galocha.

          • Pena que você achou os textos sobre falácias chatos. Você poderia ter aprendido que o que você usou se chama “ad-hominem” e não configura uma discussão.

            Os outros pontos que você levantou me interessaram, isso não.

      • Eu não posso julgar com base em UM vídeo sem saber a história como um todo…

        Seria muito irresponsável da minha parte.

        • Sim, porque se vc julgar estas pessoas sem muita informação e postar aqui no Desfavor, pode piorar muito a situação na Europa.

          Seria mesmo irresponsável…

          Ainda bem que vc é uma pessoa equilibrada. Grandes poderes grandes responsabilidades, como diria o Tio Ben.

          • Avatar

            Larissa - Muco ON

            Serio…porque voce nao comenta sobre o video ao inves de perder seu tempo comigo??!!

            Voce nao tem graca…

            • Deve ser a idade…Passei da fase de me importar em provar meu ponto ou opinião.

              Agora apenas aprendo de onde acho que acrescenta, ignoro o que diverge muito (apenas muito) da minha linha de pensamento e me divirto pra desestressar. Neste ponto que pessoas como vc, entra. Ao contrário de ti pra mim, eu acho que vc tem graça. ;)

              Ps.> Estava com saudades.

              • Avatar

                Larissa Indelicada

                Quem tem nariz de palhaço é você…

                …nao, nao senti sua falta e tava mais legal quando voce havia desaparecido…

    • O ponto do texto é questionar essa flexibilidade mesmo.

      E vamos deixar uma coisa clara: Ateísmo não prega código de conduta. Não tem regras para participar, não tem barreiras de saída… O excesso em geral é resultado direto da natureza humana. E sim, até mesmo os excessos religiosos são resultado direto da natureza humana.

      E é aqui que entra a diferenciação entre ter um código de conduta ou não: Os absurdos religiosos são fundamentados em interpretações das regras religiosas. Algumas dessas interpretações são fruto de insanidade ou ignorância, mas muitas são regras claras e definidas que promovem intolerância, violência e injustiça.

      O fanatismo se apresenta de várias formas, mas no caso específico da religião, há corroboração com esse comportamento horrível. Mesmo gente fodida da cabeça precisa racionalizar (não confunda com racionalismo) suas paranóias. A falsa noção de propósito positivo das religiões em conjunto com o apoio social que defender uma causa religiosa promove dá o terreno fértil para que o ignorante e o sociopata executem seus ideiais.

      O homem-bomba jihadista que mata 70 vira herói entre seus pares religiosos (fanáticos). O atirador norueguês virou vilão mundial e atrasou o progresso de qualquer causa que ACHAVA que estava defendendo. Tem diferença.

      Respeitar opinião alheia independentemente de mérito é uma das causas dos problemas citados no texto. Entrar num sistema democrático e liberal para se aproveitar da “cordialidade” alheia e instaurar teocracia é o tipo da coisa que deve ser combatida. E por questões humanistas (mas também práticas), atacar quem faz isso não é o mais indicado. Enfraquecer a crença tratando as pessoas feito adultas e responsabilizando-as pela crença irracional parece o caminho mais eficiente.

      A não ser que você tenha uma ideia melhor. Mas duvido que seja o caso.

      • Sabe aquela história de educação se recebe em casa???!!!
        Pois é…

        A pessoa pode ter a crença, religião, time de futebol, cor preferida, mania, tic que quiser… e hoje li uma coisa que realmente resume o que quero dizer:

        “Não faça com seu próximo aquilo que você detestaria que fizessem com você; esta é a Lei. Todo o resto é comentário jurídico”

        É simples assim…. o problema é que o mundo está selvagem, não existe cordialidade, respeito, troca… e sim imposição, fanatismo, violência e por aí vai…

        • Larissa… o ponto da responsabilidade pessoal é o nosso terreno comum nessa discussão. Não disputo que se as pessoas fossem capazes de fazer o juízo de valor do “não faça com os outros o que não quer que façam com você” estaríamos vivendo numa sociedade muito mais justa e acolhedora.

          Porém, dada a dificuldade de implementar essa iluminação pessoal em larga escala, o que fazer? Parto do princípio que ao redor do mundo a solução mais popular parece ser seguir religiões. O que claramente não está funcionando. As religiões são inerentemente confusas para o cidadão médio, e podem ser terrivelmente abusadas por pessoas inescrupulosas.

          Alguém mais inteligente do que eu já disse que a definição de loucura é fazer as mesmas coisas seguidas vezes esperando resultados diferentes.

          Que tal atacar as religiões (não os seguidores) e usar o humanismo como mecanismo de difusão dos preceitos com os quais você concorda?

          • Eu acho que o problema está em uns tantos transloucados que se creem fundadores/ sócios da religião e amigos pessoais de Jesus Cristo, Deus, Alá…ou seja quem for…

            Para combater esse tipo de ignorância (que ao meu ver é um mal congenito), seria na base da educaçao: crianças… que são o futuro do mundo na verdade.
            Porque mudar a cabeça de adulto pertubado mentalmente como o fantico…. é complicado.

            • Novamente: A questão da educação ainda é terreno comum nos nossos pontos de vista.

              E se o fanatismo religioso abalar as estruturas que permitem essa educação para as crianças? E essa não é uma possibilidade puramente alarmista, historicamente os opressores ideológicos tentam controlar o sistema educacional para controlar as próximas gerações.

              • De verdade…. tem que ter sorte.Ter uma boa educação muitas vezes é como uma roleta russa… Porque educação se recebe em casa e na escola. Agora se as duas estão deturpadas, fica complicado. O sujeito tem que ser muito aware de tudo e ter sorte de escapar ileso ou…. será uma vítima.

        • Não fazer com seu próximo aquilo que você detestaria que fizessem com você é apenas o básico. A passo seguinte é tratar o outro como você gostaria de se tratado, algo que a Suécia tem feito a esses imigrantes que, assim mesmo, atentam contra a mão que os alimenta. O que fazer?

          Mas, só para suscitar uma outra questão, porque me falta realmente inteligência para ir além, fica aqui uma dúvida:

          Para mim, no começo, as autoridades religiosas até tinham uma visão realista da natureza humana, de que somos frágeis e vulneráveis, mas que precisaríamos, por conta desses defeitos, de instituições que nos transmitissem sabedoria, mais divina do que secular infelizmente. Bem ou mau, isso foi feito e, queiramos ou não, tiveram sua utilidade.

          Mas será que passamos de um extremo para outro? Digo isso pois veio a sociedade secular de hoje, com uma expectativa absurdamente alta na capacidade da natureza humana. A cada um de nós é dada a tarefa de trabalharmos nossa própria filosofia de vida e nossa moral. Ou seja, supõe-se que temos a habilidade, por contra própria, de conciliar esses conhecimentos-chave e colocar essas ideias (ou ideais) em prática. E, para tanto, é-nos dada total autonomia e liberdade para realizar essa tarefa. Mas diante dessa individualização, de onde obter e como transmitir uma sabedoria que atenda a esse propósito racional?

          Diante disso, as pessoas podem não apreciar a mensagem de vulnerabilidade, mas, mesmo com tanta liberdade e autonomia, ainda assim procuram uma garantia de que estarem aptas a lidar com as incertezas da vida e muitos (para não dizer todos) querem apenas uma resposta rápida, sucinta e superficial para poderem fazer isso. Daí fico pensando se é ignorância mesmo que fizeram esses extremistas se deixar cooptar por mal intencionados ou a má-fé mesmo de se juntar a um grupo para dar vazão a sua visão de vida inadequada para a democracia. E, aqui, concordo com a Larissa, poderia ser muito bem religião, fascistas, comunistas, até ecologistas…

          Diante desse estágio da sociedade que percebo agora, de individualismo mal-equipado, refletido tanto nos suecos bundões quanto nos extremistas, não teríamos passado do ponto para buscar a solução? Acho que estamos podres demais enquanto coletividade para apontar o dedo para outros fatores…

          • Concordo Suellen….

            A forma com que passam uma mensagem, uma informação conta muito.
            Por exemplo Dalai Lama…. não sei da sua vida pessoal, mas ele é uma espécie de vinculo entre religiões, porque mesmo quem segue outras a parte do budismo, o respeita e apreciam suas palavras.

            Tudo está na forma como se aborda, sugere, discuti e respeita a opinião dos outros…. Viver em “sociedade”, criar “comunidades” parece realidade de livro se estudos sociais…e só.

      • É, né, religião seria um negócio BEM legal se as pessoas que a seguem não tentassem cercear o direito e impor suas crenças sobre aquelas que não a seguem, vide exemplos no meu comentário acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: