Desfavor Explica: Primeiros Socorros – Parte 4: Desmaios.

dex_desmaio

O termo médico correto é “síncope”, mas é mais conhecido como DESMAIO e é assim que será tratado aqui. Pode ser definido como uma perda abrupta da consciência e do tônus postural (capacidade de se manter de pé) em função da redução do volume de sangue que chega ao cérebro. O desmaio normalmente dura poucos segundos, a pessoa se recupera e acorda rapidamente. É mais comum do que a gente pensa: desmaios são responsáveis por aproximadamente 5% de todas as admissões em hospitais, seja pela causa que gerou o desmaio, seja pela consequência advinda da queda.

O desmaio em si não é considerado uma doença, na verdade ele é um sintoma. As causas mais frequentes de desmaios são: doenças cardiovasculares que comprometam o fluxo sanguíneo que vai até o cérebro, hipoglicemia causada por jejum prolongado ou diabetes, desidratação, queda de pressão, dores muito intensas ou até mesmo uma forte emoção. O público alvo do desmaio costumam ser: idosos, portadores de cardiopatia e mulheres jovens.

Normalmente a causa do desmaio é a queda de pressão. Porém há um mal entendido aí: a queda de pressão não é um evento aleatório ou autônomo. “Fulana desmaiou porque sua pressão caiu, dá sal para ela”. Erro. Não basta entender que Fulana desmaiou porque sua pressão caiu, é preciso descobrir PORQUE sua pressão caiu. É como se um carro parasse de andar porque a gasolina não está chegando ao motor. Ok, mas para reparar o veículo o mecânico terá que entender PORQUE a gasolina não está chegando ao motor: alguma mangueira entupida? A gasolina está evaporando no caminho? Algum vazamento? Queda de pressão não é resposta, é parte do sintoma. Além disso, nem sempre os sintomas como náuseas e tonteira são sinônimo de pressão baixa.

Então, vamos parar com essa ignorância de socar sal na boca de gente com pressão baixa, pois em alguns casos isso pode fazer muito mal, inclusive até matar. Por exemplo, em alguns casos a pressão alta pode gerar alguns sintomas que leigos confundem com pressão baixa e se meterem sal na boca de uma pessoa com pressão alta o estrago pode ser enorme. Fica o apelo: nunca metam sal na boca de ninguém que está passando mal, nunca sugiram que ninguém que está passando mal coma sal. E nunca presumam que se trata de pressão baixa, averiguem a pressão antes de achar.

Bem, já vimos que a causa mais comum de desmaios é a queda de pressão. Mas… quais são as causas mais comuns da queda de pressão? Ela pode se dar por diversos motivos, sendo os mais comuns calor intenso (sobretudo quando o ambiente está quente e abafado, como é o caso das saunas ou do transporte público do Rio de Janeiro), hipoglicemia, causada normalmente pela privação de alimento ou por uma ziczira no metabolismo em função de diabetes (insulina em excesso, glicose de menos e etc) e por fortes emoções (uma notícia que afete a pessoa intensamente, uma visão chocante, etc), por dores fortes, por esforço físico além da capacidade do organismo, por desidratação e uma série de outros motivos.

É possível prever um desmaio? Sim, se a pessoa se observar muito bem, conhecer muito bem seu corpo e estiver muito atenta a ele. Ainda assim, algumas vezes se erra a mão, se acha que dá para aguentar mais um pouquinho… e não dá. Algumas destas sensações antecedem a um desmaio: sudorese aumentada, suor frio, moleza no corpo (relaxamento muscular), náuseas, pulsação fraca, palidez, vertigem ou tonteira, respiração superficial e visão turva ou com pontos pretos. Também é possível que a pessoa sinta formigamento nas extremidades e na boca, mãos e pés gelados e ânsia de vômito. A pessoa vê pontos pretos, predominantemente na parte superior do olho, estes pontos pretos vão aumentando, formando o que muitos chamam de “teto preto”, até que o preto toma conta de tudo e a pessoa apaga. Algo engraçado que acontece comigo mas não saberia dizer se acontece com todos é que um pentelhesimo de segundo antes de apagar eu tenho a plena consciência que vou desmaiar e apago com o último pensamento “putaquepariudesmaiei”. Mas eu sou maluca, não deve ser regra.

Todos estes sintomas que anunciam o desmaio acontecem, na maior parte dos casos, pela queda de pressão: graças a ela o bombeamento do sangue fica mais fraco e há dificuldade para fazê-lo chegar ao cérebro, ponto mais alto do corpo – quanto mais alto, mais se exige do bombeamento. Com isso células importantes começam a não receber a quantidade necessária de oxigênio (para os desavisados, quem leva o oxigênio que mantem as células vivas é o sangue) e começam a funcionar de forma deficiente.

O corpo está programado para lutar e se manter acordado, porém quando a agressão é muito intensa ele não resiste e apaga. O corpo pensa “fudeu, fudeu, fudeu, acabou o oxigênio! Fudeu de vez, vamos cortar tudo que seja supérfluo ou vamos todos morrer!” e o pouco suprimento de oxigênio que chega é direcionado para estruturas vitais, funções essenciais para manter o corpo vivo. O desmaio é uma espécie de contenção de despesas do nosso organismo, um mecanismo que em tempos de vacas magras ajudou a manter muita gente viva. É um último recurso, até porque, nos primórdios, não contribuía muito para nossa sobrevivência cair apagado no chão e ficar vulnerável a qualquer ataque de predadores.

Então, se a pessoa chegou a desmaiar, é porque algo grande aconteceu. Algo grande não se confunde com algo grave, porém se teve forças para resetar seu corpo, você deve procurar um médico. É muito comum que as pessoas pensem que o problema se resolve se o desmaiado acorda, mas isto não é verdade. Repito: algo grande aconteceu, e a menos que você saiba a merda que fez, tipo uma dieta maluca que te deixou horas sem comer, é preciso apurar as causas do desmaio. Além disso, mesmo que se saiba a causa, também é fundamental apurar as consequências dele: não raro desmaiados batem com a cabeça na sua queda, pois não tem tempo de se posicionar ou se proteger. Na dinâmica de uma queda “desmontada” como é a do desmaio (a pessoa perde o tônus muscular, por isso cai como um boneco de pano) é quase certo que vai bater com a cabeça.

Esta pancada pode ser mais perigosa do que o desmaio em si. É possível que a pessoa acorde bem, esteja se sentindo bem, mas que ainda assim exista algum sangramento interno ou sequela na sua cabeça que só será detectado dias depois, quando poderá ser tarde demais. Então, o fato da pessoa estar se sentindo bem não quer dizer que não tenha que ser levada a um hospital em caso de uma pancada na cabeça. Qualquer pancada na cabeça pode ser perigosa. Em matéria de pancada na cabeça, nem sempre a força é o determinante. O jeito com se bateu pode ser muito mais grave para fins de lesão.

O jeito como se bate influencia da mesma forma que uma pancada em um copo de vidro. Quem nunca bateu forte com um copo ou o deixou cair no chão sem que ele tenha quebrado? Acontece, você esbarra com ele em alguma superfície dura e já fecha os olhos esperando que ele vá quebrar e… nada. Porém muitas vezes uma pancada muito mais leve estilhaça o copo porque pegou um ângulo ingrato. Quem nunca viu uma pedrinha pequena que bate do jeito errado no para-brisas de um carro e trinca o vidro todo? O mesmo vale para a nossa cabeça. Pancadas tidas como fracas podem matar se pegar em um ponto ou ângulo errado e pancadas fortíssimas podem não causar dano algum. Os ossos mais resistentes do crânio se encontram na nossa testa, por isso, ao contrário do que muitos pensam, cair “de cara no chão” nem sempre é a pior opção (seu nariz não curtiu isso).

Um clássico exemplo de jeitinho que nos derruba é o chamado desmaio do “queixo de vidro”. O “queixo de vidro” é um ponto localizado na pare inferior do queixo que se atingido por um golpe ainda que não tão forte nos faz desmaiar na hora. Isso acontece porque este ponto está diretamente conectado com uma região do cérebro chamada de “tronco cerebral”, que comanda a consciência. A força do impacto nesse ponto específico do queixo é absorvida e vai diretamente para essa região cerebral, fazendo com que as células parem de funcionar e a pessoa apague na hora. Então, médicos leigos de plantão, favor investigar qualquer pancada na cabeça. Na dúvida, melhor procurar um médico. Pode não ter sido uma pancada forte, mas o ângulo, o jeito… você não sabe.

É possível prevenir desmaios. A primeira providência é identificar os sintomas que o antecedem. O problema é que uma pessoa pode sentir esses sintomas por horas e não desmaiar, então, fica bem difícil saber quando se cruzou a linha de tolerância do organismo. Não é a toa que tantas pessoas desmaiam, é bem difícil ter consciência desse exato momento onde você forçou demais e o corpo entrou em pane. Quem sofre com pressão baixa ou qualquer outra situação que faça desmaiar com relativa frequência sabe do que eu estou falando: se cada vez que você sentir um dos sintomas fizer um alarde, vira uma pessoa chata e pau no cu que vive dizendo que vai desmaiar, porque os sintomas podem se apresentar muitas vezes por dia. Para não ganhar fama de histérica, a pessoa se cala.

Supondo que a pessoa identificou os sintomas e falou: “acho que vou desmaiar”. A primeira providência é pedir à pessoa que se sente em uma cadeira e que coloque a cabeça entre os joelhos. O ideal é abaixar a cabeça em um nível mais baixo do que os joelhos. Isso deve ajudar que o fluxo sanguíneo chegue à cabeça com mais eficiência. Mantenha a pessoa nesta posição até a tontura passar, não deve demorar muito. Caso não seja possível, o Plano B é deitar a pessoa mantendo as pernas elevadas, outra forma de estimular o fluxo. Em ambos os casos, a pessoa deve se levantar lentamente e com ajuda de alguém, pois muitas vezes o desmaio vem mesmo assim. Em qualquer caso de pré-desmaio, peça que a pessoa respire profunda e lentamente, isso pode evitar o pior.

Você deve se perguntar (ou perguntar à pessoa) o que está causando esse desconforto. Na maior parte das vezes é calor, o que pode ser resolvido fornecendo uma bebida gelada (sem álcool, tudo que não precisamos é favorecer a desidratação!), refrescar seus pulsos e nuca e leva-la a um lugar de temperatura mais amena se isso for possível. Manter a pessoa hidratada e confortável até os sintomas regredirem costuma dar certo. É preciso paciência. Tem muita gente com formiga no cu que bebe um copo de água gelada, conta até dez e como não sente diferença presume que não deu certo. O corpo precisa de tempo para se recuperar e funcionar em harmonia novamente, dê tempo a seu corpo. O mínimo que se espera para que ele volte a ficar de pé dignamente são dez minutos de repouso.

Outra causa comum de desmaios é a hipoglicemia. Chega a ser surpreendente, pois para que nosso corpo chegue a apagar por falta de comida, a privação tem que ser muito grave, já que existem diversos mecanismos de estoque de energia. Mas pelo visto as pessoas se sujeitam a privações muito graves de comida. Nesse caso, deve-se fornecer alimentos de fácil ingestão e de alto teor glicêmico, como por exemplo um refrigerante normal ou até mesmo água com açúcar. Ainda assim, a pessoa deve esperar que o corpo processe minimamente o alimento: não é para comer e retomar a vida normalmente.

Supondo agora que a pessoa não teve tempo de avisar e acabou desmaiando… o que fazer? Vamos começar pelo que NÃO fazer. Não dê tapas na cara da pessoa, isso é escroto e não adianta nada. Isso é medicina de novela mexicana. Vai dar tapa na cara da sua mãe! Também não jogue água na pessoa, água só serve para curar o piripaque do Chaves. Jogar água em uma pessoa desacordada é um convite à asfixia, você pode, no máximo, molhar a testa dela com uma toalha úmida. Jamais faça a pessoa respirar álcool, amoníaco ou qualquer coisa com cheiro forte na tentativa de acordá-la, espere ela acordar sozinha. Não sacuda a pessoa. Observe COMO ela caiu, se por um acaso a queda parecer feia, se a pessoa estiver torta ou se pairar qualquer suspeita de fratura de coluna, NÃO MEXA nela e chame socorro. Agora sim, vamos falar sobre o que fazer.

Se você percebeu que a pessoa ia desmaiar antes da queda, procure amparar sua queda PELO TRONCO, pois se pegar a pessoa pelo braço vai acabar mandando-a para o ortopedista. Não vai conseguir evitar a queda? Tente de alguma forma proteger a cabeça da pessoa do impacto com o chão: coloque a mão por baixo, jogue um travesseiro, seja ninja e mostre até onde vão seus reflexos. O mais importante é que ela não bata com a cabeça no chão nem envergue sua coluna de uma forma abrupta.

Não deu? A pessoa beijou a lona? Se a queda não foi trágica, se não parece haver fratura de coluna, coloque a pessoa deitada de barriga para cima (papo técnico: decúbito dorsal). Vire a cabeça da pessoa de lado para evitar que ela se engasgue com secreções e se sufoque, é a chamada PLS – Posição Lateral de Segurança, que costuma ser indicada para quase todos os procedimentos de primeiros socorros. Eleve as pernas dela com uma almofada ou com o que estiver disponível, para que o fluxo sanguíneo chegue à cabeça com mais facilidade. Afrouxe as roupas da pessoa (colarinho, cinto ou qualquer compressão que possa estar dificultando a circulação do sangue). Procure manter o ambiente ventilado. Se começar a juntar popular em volta da pessoa, coloque-os para correr. A pobralhada adora se aglomerar apenas para roubar oxigênio, ajudar que é bom… nada.

Não se assuste, um desmaio costuma durar segundos, é provável que a pessoa recobre a consciência logo depois e não vai ser produtivo que ela te veja gritando, chorando e surtando. É comum a pessoa acordar sozinha justamente por se encontrar em posição horizontal depois do desmaio: a posição horizontal favorece o fluxo de sangue para a cabeça e a pressão sanguínea voltará ao normal. A regra é que isto costume bastar para que a pessoa acorde.

Mas as regras tem exceções. Se passar de um minuto com a pessoa na horizontal e pernas para cima e ela não acordar, corra com ela para um hospital. Há recomendação em manuais de primeiros socorros de que seja feita uma pasta com muito açúcar e um pouco de água e colocada uma pequena quantidade debaixo da língua da vítima enquanto se aguarda pelo socorro, mas honestamente, eu como leiga que sou, não teria coragem de enfiar nada na boca de uma pessoa desacordada por medo de asfixiá-la. Além disso, vamos combinar, nem sempre o desmaio é por hipoglicemia. E, todo caso, como está nos livros, me sinto na obrigação de citar.

Se tudo correr dentro do esperado, em poucos segundos a pessoa acorda. Tranquilize-a, diga que ela desmaiou (em um primeiro momento a pessoa não sabe muito bem o que aconteceu). Deixe que ela fique deitada enquanto recobra a consciência. Não a puxe pelos braços para levantar, você não sabe como ela caiu, ela pode estar machucada. Deixe que a pessoa se sente por conta própria, quando se sentir preparada, amparando-a se necessário, mas nunca puxando ou empurrando. Pode demorar até que a pessoa efetivamente sinta uma fratura ou outro machucado, pois ela acorda meio anestesiada. Isso mesmo, a pessoa está desorientada e confusa, se ela estiver, por exemplo, com um braço quebrado, pode demorar a perceber e até lá você, espertão, já deu um baixa puxão e tirou o osso do lugar. Dê a ela um pouco de água com açúcar (a menos que a pessoa seja diabética, nesse caso melhor aferir a glicose no sangue antes).

Mantenha a pessoa sentada por um tempo. Não se coloca um desmaiado de pé imediatamente sob o risco de outro desmaio, pode sobrecarregar o organismo. Deixe o corpo voltar, aos poucos. Deixe a pessoa sentada alguns minutos para que ela se acostume com a posição vertical e só depois de um tempo ajude-a a ficar de pé. Os manuais de primeiros socorros falam em uma espera de aproximadamente dez minutos antes da pessoa se levantar. Uma pessoa que desmaiou é uma pessoa cujo organismo sofreu um colapso intenso. Esta pessoa deve ir para casa descansar. Não importa onde você desmaiou ou os compromissos que tem, você vai precisar de um tempo para se recuperar. Seu corpo acaba de colapsar, é hora de ouvi-lo e sossegar um pouco.

Agora vamos ao mundo cão. Porque se não tivesse uma parte mundo cão, não seria texto meu. Uma modalidade pouco divulgada de desmaio é aquele desmaio que acontece quando a pessoa está cagando. Sim, se você estiver cagando e estiver fazendo uma força intensa, saiba que você pode desmaiar. Se você estiver cagando sem fazer força, porém com uma diarreia intensa, você também pode desmaiar, em função da desidratação. Ainda existe desmaio motivado pela tosse e pela micção (muito comum em idosos).

Para fechar, quero destacar um tipo muito comum de desmaio: quando a pessoa está sentada e se levanta de forma repentina (papo técnico: síncope ortostática). Também tem outra variação comum: quando a pessoa fica de pé por muito tempo, imóvel e depois se movimenta e desmaia (síncope das paradas militares). O que justifica o desmaio em ambos os casos é que a musculatura das pernas ficou parada por um bom tempo e com isso prejudica o fluxo de sangue para a parte superior do corpo. Para quem não sabe, boa parte do bombeamento do sangue para a nossa cabeça é feito pelas panturrilhas, que não a toa ganharam o apelido de “segundo coração”.

Por isso, se você está sentado ou de pé sem se mexer por muito tempo, mova bastante suas pernas antes de se levantar, para ajudar a bombear sangue para a parte superior do corpo. Assim você evita tonturas e desmaios. O problema não é levantar de forma abrupta, é ter ficado muito tempo com as pernas paradas. Se mexer bastante as pernas, pode levantar de forma repentina que nada te acontece!

Desmaio não é frescura, desmaio não é histeria. Desmaio é o organismo colapsando e deve ser levado a sério. Não é você quem vai dizer se um desmaio é motivo ou não de preocupação e sim um médico. Não sejam prepotentes e procurem um médico após um desmaio.

Para reclamar que faz tempo que não postamos um texto fútil e fofoqueiro, para dizer que cuidados são para os fracos já que os fortes passam pasta de dente na cara do amigo quando ele desmaia ou ainda para compreender melhor muitos dos meus pontos de vista agora que você sabe que eu vivo desmaiando e batendo com a cabeça: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (131)

  • Dizem pra procurarmos um médico em situações de desmaio. Mas na prática, eles não se importam. Já desmaiei em várias épocas da minha vida por causa emocional, e chegando a uma UPA, não explicam nada, nem pedem exames.

    Hoje mesmo desmaiei e estava com dor nos ombros. A médica receitou ibuprofeno e tchau.
    É muita indiferença.

  • Hoje quase desmaiei, transporte público e cheio, minha sorte que alguém começou a me ajudar antes da minha consciência apagar! Queria ter ido para a casa, mas vim trabalhar.

    • Deste mole. Tinha que ir a um pronto socorro ver o que estava acontecendo e pegar atestado para descansar o resto do dia!

  • eneidazac_@hotmail.com

    Bem,vi este blog e espero alguma ajuda. Seguinte,acreditem ou não,porquê os médicos não acreditam e dizem nunca ter visto coisa do tipo. Eu desmaio eventualmente,após ingerir refrigerante,escurece a visão completamente e fico por alguns segundos sem consciência,acordo normal.Todos os exames que fiz a pedido médico,deram normais e isso é o que mais me intriga. Alguma explicação? Agradeço.

    • Faça um teste completo de alergias, isso vai ser um bom ponto de partida. Procure um bom alergista e um bom neurologista para verificar do que se trata.

  • Sally gostei muito de seu blog e de suas respostas tão humoradas. Sempre fui dada a desmaios. Depois com a idade fui aprendendo a me controlar. Sempre fui muito ansiosa. O neuro que consultei me disse isso que era ansiedade. Há muitos anos não desmaiava mas ontem fazendo um exame de colposcopia não aguentei a dor e desmaiei. A médica ficou mais nervosa que eu e me atacou sal na boca. É também pressionou meus olhos que até agora estão doloridos. Isso foi um procedimento correto?

      • Não. O exame foi Colposcopia (nao colonoscopia). Com biópsia. Não sei se usam sedação pra isso. O que me preocupou foram os métodos arcaicos pra eu voltar do desmaio. Tipo: água na cara (achei que estava me afogando no mar ), sal debaixo da língua sem perguntar se eu era hipertensa (o que piorou minha cistite )e aperto nos olhos com os polegares. Desculpe não me identifiquei. Meu nome é Clara Cibele

  • “Não dê tapas na cara da pessoa, isso é escroto e não adianta nada. Isso é medicina de novela mexicana. Vai dar tapa na cara da sua mãe!”
    hahahaha adorei isso!!!! Eu devia mandar gravar essas suas frases numa plaquinha e pendurar no pescoço. hahaha
    Eu tenho sindrome vasovagal e por isso desmaio com certa frequência e, juro, nada me irrita mais do que recobrar os sentidos com alguém me estapeando, e isso é o que mais acontece. O mais incrível é que acontece até mesmo em laboratórios – ok, admito: eu sempre desmaio em laboratórios (mas não apenas neles) – onde teoricamente, são profissionais de saúde e deveriam saber que estapear alguém não resolve nada. De onde tiraram essa idéia??

  • Desmaiei essa semana no banheiro eu estava tomando banho. Do nada fiquei zonza e minha vista embaralhou. Eu tentei me segurar mais quando acordei estava me debatendo no chão. E toda machucada. Fui ao hospital e lá o médico apenas deus três pontos no meu queixo q estava cortado e nada mais. Não perguntou mais nada. Eu não entendi oq aconteceu. A enfermeira disse q foi uma queda de pressão. Mais não entendi pq acordei me debatendo e assustada com medo. Não entendi. E para variar estou grávida de quatro meses.

  • Samara Fernandes Pontes

    Meu primo quebrou a cabeça e foi ao medico e botaram os pontos se passaram dias suficientes e ja estáva na hora de tirar minhw mãe foi tirar na janela porque ela não enxerga direito no escuro quando ela estava mechendo em sua cabeça quando ele desmaio e bateu a boce e quando vê o sangue que esta em sua boca quer desmaiar novamente oque faço me responde por favor sou apena uma criança de 9 anos de idade

  • Me senti fraca, minha vista estava escurecendo, me agarrei num poste pra não balançar e cair. Pensei que ia passar logo, quando vi que não ia passar, falei pra minha amiga que não estava bem. Sentei na calçada e puffffff… E não você nação é a única maluca, eu pensava, putaquepariu vou morrer logo aqui??? Eu estava num subúrbio de Bangkok.
    Eu não lembro de muita coisa, nação enxergava nada, porém as vezes eu ouvia pessoas ao meu redor tentando me ajudar. Uma senhora estava fazendo massagem nas minhas maos e rosto. Mas não tenho ideia de quanto tempo eu estava ali. Fiquei sentada, encostada no poste, estava de noite, e depois me deram agua com sal pra beber. O que mais me deixou preocupada foi que me disseram que eu fiquei ali por mais ou menos 10 minutos =O
    Não tive os cuidados necessários, mas me recuperei e peguei um taxi e fui pra casa. Já procurei um medico.

  • GELSON KLEBER AMORIM DOS SANTOS

    MUITA GENTE DAR TAPINHAS NO ROSTO DA PESSOA QUANDO TEM ALGUM DESMAIO. POR QUE NÃO DEVEMOS FAZER ISSO

  • Adorei o blog, agora tudo faz mais sentido. Acho que o que acoteceu hoje foi pressão baixa.
    Eu subi na árvore de casa para pegar goiabas e fiquei tonta, mas estava sem forças para descer. Eu estava enjoada e achei que se vomitasse, a sensação passaria. Nem cheguei a cogitar desmaio.
    Juntei todas as minhas forças pra descer da árvore e não conseguia controlar minha bexiga, eu estava quase fazendo xixi na calça então me arrastei para o banheiro. Fiquei sentada no vaso suando igual um porco, apoiando a minha cabeça na pia e olhando para o chuveiro querendo ter forças para me molhar para fazer aquele calor insuportável passar. Eu estava tonta e exausta, então andei até o quarto e fiquei deitada por uma hora.
    Eu não desmaiei, mas lendo esse artigo, tenho certeza que eu iria. Imagine só se eu tivesse desmaiado em cima da árvore?! Eu ainda não estou 100%, mas mesmo assim vou ter que sair hoje. Espero que eu não desmaie em cima do cavalo, embora eu não acredite que isso irá acontecer, seria terrível!

  • Rachei demais lendo sobre desmaiar na cagada no banheiro…. pqp… fiquei assustado agora. rsrsrsrsrs. Excelente artigo. Cara, eu tenho que mostrar esse texto para a minha namorada! Tenho pressão baixa, e se fico mto tempo em lugares quentes e pouco ventilados, acabo tendo tontura e eventualmente desmaiando. Quando estou com a minha namorada é pior…. por mais q já tenha rolado umas quatro, cinco vezes, ela sempre faz barulho, chora desesperada achando que eu vou morrer e acaba comovendo tb quem estiver por perto. E eu, que nunca fui sequer de chorar em público, já acordei duas vezes com muita gente assustada ao meu redor e sem saber onde enfiar minha cara de vergonha. Certa vez desmaiei na casa dela e ela e a sua mãe, sem conhecimento algum de primeiros socorros, resolveram tacar vinagre de maçã no meu rosto e pulso! Não adiantou nada, acordei só uns cinco minutos depois, achando q alguém tinha derrubado salada no chão. Água no rosto é fichinha depois dessa… Parabéns pelo texto!

    • Julio, eu sofro do mesmo problema. O despreparo das pessoas é impressionante! E quando resolvem dar tapas na cara para ver se a pessoa acorda?

  • bha hoje eu comecei a ver pontos pretos meus ouvidos meio que deu um zunido horrível depois não enxerguei na porem ainda estava acordada , depois desmaiei e acordei com meu pai falando pra mim me levantar e apavorado porem minha madrasta tava tranquila e dando os primeiros socorros corretamente depois meu pai m levou pra uma área arejada sentei e acabei vomitando parecia água o que pode ser isso? , e agr q tô melhor não vão m levar no médico pq pra m levar no médico tenho q tá morrendo, e minha cabeça bateu o lado direito no chão ate agora não m deu nada mt sério, só ânsia de vómito e algumas pontadas no lado direito quando estou com medo d ter sido algo grave a queda

      • Nossa!! Já passei por Td isso, inclusive já desmaiei fazendo coco, já desmaiei e tds os jeitos, mas costumo avisar as pessoas que estão ao meu lado, mas só quando começa a escurecer à vista e que eu falo (vou desmaiar); gostaria de parabenizar o desfavor, pois vcs tiraram muitas dúvidas minhas e que eu não sabia, mas mesmo assim vou marcar um médico, pois com esse calor me sinto muito mal, principalmente se eu ficar em pé parada, também ri muito com o jeito com que vcs descreveram o desmaio.Gostaria de saber qual a especialidade do médico que devo procurar, seria clínico geral

  • Rindo muito aqui com o seu jeito de descrever a coisa toda. Pensei em imprimir a parte do “o quê não fazer” que você escreveu e colar na geladeira (ou talvez na testa) do meu namorado. Hahaha
    Tenho síndrome vaso vagal e desmaios relativamente frequentes já fazem parte do meu show. O problema é que mesmo convivendo comigo ha anos e ja tendo presenciado trocentos desmaios da lesadinha aqui, o namorido continua se desesperando a cada chilique meu e continua fazendo tudo errado. Irritante!

  • As veses de manha eu vou acordar meu filho eu esqueço de tudo ea minha mente fica comfusa eu nao sei o que fazer o que isso

    • Isso é uma doença degenerativa que passa por vários estágios. No último, aquele logo antes da morte, a pessoa desaprende a usar o ponto de interrogação.

  • Marcus Vinicius

    Meu pai estava conosco e ele desmaiou e acordou sem saber o que havia acontecido, porem achamos que havia sido um sonho ou algo do tipo, porem ha alguns momentos ele estava conosco em uma festa, estava muito bem, porem ele houve um momento que ele levantou e ao levantar ficou roxo e desmaiou, em segundos recuperou a consciencia porem ele nao lembra o que aconteceu nos ultimos segundos mas pode ter ocorrido por causa da pancada na hora que ele caiu.
    Ele tem problema de pressao alta e gostaria de saber se isso se tambem pode ter “ajudado” a acarretar esse acontecimento e gostaria de saber se isso é alguma coisa muito preocupante e se sim gostaria de saber a que medico deveria procurar.
    obrigado pela atencao.
    Aguardo a resposta

  • Conheci o seu blog hoje e me amarrei! Ri muito com o desmaio na hora da cagada! kkkkkkk sabe que às vezes eu sinto que tudo está escurecendo exatamente nessa hora? Tô precisando então de um Activia urgente!! kkkkk
    Mas falando sério, achei seu blog pesquisando sobre desmaio em crianças. Minha filha tem 9 anos e já faz alguns meses desde que completou 9 anos que semanalmente ela reclama que está vendo tudo colorido, por 3 vezes ao falar isso, foi ficando sem cor, mole, tive que sentá-la rápido, dar água com açúcar para ela voltar ao normal. Ela não chegou a apagar, mas quase, bem quase! Fiquei desesperada. Você sabe de algum caso assim? Que a pessoa comece a ver pontos coloridos e desmaie? A pediatra dela disse que pode ser o início da puberdade, mas toda hora isso acontece… tô preocupada! Bjs e parabéns pelo blog!!

    • Cris, isso que vc mencionou acontece comigo. Sempre que eu desmaio, sempre vejo pontinhos brilhantes, coloridos. Ja ate sei que vou desmaiar justamente por causa disso. Começo a ver os pontinhos, as pernas amolecem, os olhos pesam e eu apago. Milhares de exames clínicos e a unica coisa que identificaram foi queda de pressao. O medico falou que tenho sindrome vaso vagal, uma reação do meu corpo ao calor excessivo, stress… Daí os desmaios. Deve ser isso mesmo, pois todas as vezes em que desmaiei, e olha que não foram poucas, sempre eu estava em lugar muito quente ou sob forte tensao emocional. Talvez sua filha tenha algo parecido. Estou com 31 anos, e isso acontece comigo desde o início da adolescência.

  • Eu realmente não sei o que fazer. Tive um “chilique desmaio” mais uma vez. Basta dizer que uma ocasião comemorando meu niver com amigos e familia, acabei a noite desmaiada e puta da vida. Define muito bem o que sinto: “putaquepariudesmaieidenovo”. Depois de um tempo você ganha o rótulo de chiliquenta. Imagina eu que trabalho em hospital! Minha situação já está me deprimindo! Vou ver um neurologista e voltar a tomar tarja preta e dar sossego aos outros. Pronto falei.

    • Rosana, pode ser uma coisa boba, simples. Nem sempre desmaio é sinal de algo grave. Vai em um neuro sim, vale a pena pesquisar de onde vem isso.

      • Oi. Eu ja passei por varios neuros, isso sem contar as demais especialidade. Mil exames, tudo sempre bem comigo, saude perfeita, graças a Deus, mas continuo desmaiando à toa em tudo que é lugar e situação.
        Qualquer calor um pouco mais intenso me derruba, assim como lugares cheios e abafados. Ou seja, sou praticamente a mulher gelatina! Haha
        Gostaria muito de aprender a pelo menos controlar isso, pois é um vexame ficar desabando em todo lugar e sair carregada por pessoas que eu nem nunca vi.

        • Uma coisa que aprendi na prática: quando um médico não consegue diagnosticar o seu problema, tem que procurar outro médico, até que alguém descubra.

  • a sensação de impotencia e insegurança é absurda. não sei mais o que fazer. minha filha de 15 anos desmaia em média 4 vezes por semana. já não vai à escola. seus desmaios duram cerca de 5 minutos no mínimo. às vezes quando acorda, fica sem sentir o corpo e sem movimentos por mais ou menos meia hora. mesmo com o diagnostico da sindrome do vaso vagal esses sintomas aparecem e a neurologista diz que são emocionais. não sei como será o dia de amanhã. sei que ela não fica um minuto sozinha. nem pra ir ao banheiro, deixo ela trancar a porta, pois já foi encontrada desmaiada algumas vezes. fora as batidas na cabeça que não dá para levar ao médico todas as vezes que isso acontece. fico observando por 24 horas para ver se tem alguma alteração. já estou virando médica com tanta informação a respeito do assunto. e nada, nada mesmo dá um alento para ela retornar a vida normal. é só um desabafo. ela está fazendo terapia, mas acho que vai tomar remédio a vida toda, e nada vai mudar. imagine, uma menina super ativa, que gostou de esportes, está ficando triste, deprimida.

    • Procure uma segunda opinião. E terceira. E quarta. Não se conforme com essa explicação de “é emocional” sem que isso seja confirmado por vários diagnósticos, pois podem ser outras coisas como tipos raros de epilepsia e problemas circulatórios que podem ser fáceis de resolver.

    • ola! a tres dias minha filha de 1 ano e 8 meses caiu e bateu a cabeça, mas não apresentou nem um sintoma que acusasse alguma alteração neurologica, porem quando fez 32 horas do ocorrido ela começou a vomitar muito não achamos que tivesse ligação e agora 72 horas depois ela teve o primeiro episodio de desmaio, estou muito preocupado. Ela não apresenta mais nem um sintoma somente esses: moleza, um desmaio, e vomito frequente.
      antes do desmaio ela apresentava comportamento normal e apenas vomito.
      com a sua experiencia oque você me diz

  • Eu tenho pressão baixa e enxaqueca (Enxaqueca é uma tortura), desmaio quando exposta a um clima muito quente ou fico muito tempo sob o sol (Um dos motivos de eu preferir o inverno e dias nublados). Por isso que eu raramente saio em dias de muito sol. Tudo o que NÃO quero é desmaiar sozinha na rua e ficar vulnerável a BMs que se acham manjadores. Nunca aconteceu, ainda bem.

    Não é só com você, eu também tenho esse pensamento “caramba, vou desmaiar, já era…” ploft. Felizmente eu sei quando estou prestes a desmaiar e já me sento e respiro fundo.

    • Cansei de passar pelo colo de uns quatro ou cinco negões para voltar para casa por ter apagado. Esse caralho desse clima infernal… meu organismo não aguenta isso não!

  • Oi, Sally meu nome é Leticia,tenho 16 anos e tenho desmaios desde os 6 anos de idade, bom foi quando tudo começou .. eu vi sangue e desmaiei. A última vez faz uma semana, dentro do trem, estava em pé estava bem ventilado lá dentro, por causa do ar condicionado, não sei dizer bem o motivo certo no qual desmaiei, de repente foi ficando tudo escuro e eu pensei “não,não posso desmaiar agora, já tá chegando eu aguento” me concentrei em algo,tentando não pensar no desmaio,mas falhei. Vi que não aguentaria,fui para perto da minha mãe, só lembro ter dito “mãe..” e puf apaguei ! Acordei depois de 3 ou 4 minutos,segundo minha irmã. Elas diziam que falavam comigo, me chamavam e tocavam, e eu simplesmente não correspondia. Eu já fui ao médico, sempre é “nada” ou “coisas de adolescentes”. Eu tive um começo de anemia,sem contar que perco muito sangue por conta da minha menstruação que não é regular,tenho muita tortura na maior parte do tempo,todos os dias praticamente, as vezes dor no corpo, enfim .. lendo isso admito que eu ri muito com algumas coisas (crises de risos de madrugada não é legal quando se está prestes a levar uma chinelada na cara, vai surgir uma havaianas de pau), como “putaquepariu desmaiei” “fudeu fudeu” “seu nariz não curtiu isso” kkkkkk você é demais! Beijos e obrigada pelas informações

    • Letícia, não sei se no seu caso os desmaios estão relacionados a pressão baixa. Eu desmaio em ambientes muito quentes, muito cheios ou quando faço uma atividade física muito intensa. Ficar menstruada pode sim piorar a situação. Você sabia que ficar menstruada é uma opção? Existem métodos contraceptivos que inibem a menstruação e, ao contrário do que muitos pensam, não fazem necessariamente mal à saúde. Dá uma lida neste texto e se te interessar conversa com o seu médico:

      http://www.desfavor.com/blog/2011/07/desfavor-explica-contracepcao-continua/

  • Obrigada pelo esclarecimento, estava na fazenda a 20km da cidade, meu filho estava vomitando e fez cocô na calça, entrou para tomar banho, quando ele me chamou e falou: _ Mamãe acho que vou desmaia, ele descreveu os sintomas que vc descreveu, imediatamente tirei ele do chuveiro levei-o para a cama, foi a conta. Ele voltou rápido, mas para mim foi uma eternidade, quase morri, espero que nenhuma mãe passe por isso, é assustador. Irei leva-lo ao médico. Obrigada, agora sei o que fazer, mas espero não precisar nunca mais. Bjs…

    • Giane, fico muito feliz que meu texto tenha de alguma forma ajudado. Não deixe de levar ele ao médico, ok? Desejo melhoras e torço para que tudo termine bem!

  • Maria Cláudia

    Sally, acrescentaria algo: por vezes crises convulsivas se expressam assim com desmaio, sem a clássica cena da pessoa se debatendo e mesmo em pessoas sem atencedente de epilepsia. Por isso é importante procurar o pronto-socorro quando acontecer.

  • Eu sempre, sempre tenho todos os sinais do pré-desmaio, mas, acho incrível (e bom), NUNCA DESMAIEI. Vista preta, tontura, e tudo, mas não desmaio. Não que desmaiar seja algo desejável, mas é meio frustrante. Normalmente é quando eu estou deitado e me levanto, ou mesmo de repente. Caio também, às vezes. Tipo, minha cabeça e meus braços ficam pendentes por um segundo. Acho que porque eu imediatamente baixo a cabeça, procuro sentar logo. Mas espero nunca mesmo desmaiar, me imagino caindo e batendo a nuca em alguma quina.

    • A queda do desmaio é muito ruim, porque você desmonta mesmo, como você descreveu: braços e cabeça moles e depois pernas moles. Você cai como uma fruta podre e se estatela no chão. Ainda bem que isso não acontece com você!

  • Ja conheço os sintomas dos meus desmaios e procuro me sentar ou se estiver em casa, me deito.
    Fico ali até me sentir bem.
    Meu caso é pressão baixa (segundo meu médico) já me viraram do avesso desde o primeiro desmaio, e nada clínico relevante.
    Quando fico muito nervosa tbm desmaio.
    As vezes na academia acontece e eu corro deitar em algum aparelho até passar.
    Ainda bem que nunca desmaiei em público, quando aconteceu (até hoje) eu estava em casa, ou na casa da mãe e nunca estava sozinha.
    Com os anos aprendi a me policiar e ao menor sintoma já fico alerta e aviso quem estiver comigo.
    Sally, eu tbm penso antes de desmaiar “putz, desmaiei” kkkkk
    Ótimo texto, muito útil e esclarecedor.
    Bjinho**

    • Bom saber que eu não sou a única a ter essa consciência tardia de “putz, desmaiei” meio segundo antes de cair no chão!

  • Postagem super útil pra mim. Eu conheço os sintomas dos meus desmaios, mas sempre acho que vai dar pra aguentar até chegar em casa. Quase nunca dá, preciso parar com isso :/
    No meu caso, sempre acontece por pressão baixa e hipoglicemia (comprovado por exame médico). Começo a ficar com os reflexos lentos e confusos, dai sinto um pouco de frio, fico tonta, minha vista escurece e perco os sentidos.
    Eu tenho a impressão de que a gente tende a relevar os sintomas quando estamos passando mal.
    Uma vez, a pressão do meu pai foi lá pra cima, acho mais de 22, e ele quase enfartou. Mas mesmo assim ele quis “dar uma voltinha lá fora” antes de ser atendido pelo médico, falando que não era nada, um mal estar à toa que já já passaria…

    • Paula, comigo acontece a mesma coisa: sempre acho que a situação não está TÃO grave. Até aviso a quem está próximo, digo que não estou me sentindo bem e tal, mas com calma. Parece que as pessoas não levam muito a sério uma pessoa calma e quase nunca acham que eu realmente estou passando mal. É só quando beijo a lona que as pessoas se tocam que era sério. Aparentemente se espera que uma mulher chore e grite de forma histérica quando está passando mal…

      • É outra coisa deprimente no “brasileiro médio” viu? tem que berrar, dar piti pra dizer/mostrar que se está passando mal? bahh…

        • Tem sim. Eu não faço isso e só me fodo. Já cheguei em pronto socorro com cólica renal porém postura digna, apenas reclamando de dor em voz baixa e não acreditaram em mim. Se quer ser ouvido, atendido, tem que fazer um escarcéu. E não só em hospital, no dia a dia também.

          • Ontem mesmo cheguei.num pronto.socorro sozinha,.so deu tempo.de imbicar o carro e sair correndo, falei.pra atendente : acho q.vou desmaiar e me deitei nas cadeiras. Ninguem nem tchum pra mim, ainda bem.q.nao.desmaiei, mas fui dirigindo pra casa.e tendo q parar de 10 em 10 metros pra vomitar,.q inferno!!!

  • Muito bom, excelente vc falar para não ignorar um desmaio. Muitos desmaios são indicadores e quando a pessoa investiga pode descobrir que tem arritmia cardiaca. Muito bom!

    Eu desmaiava muito, toda vez que ia fazer exame de sangue. Sei que era medo. Hoje arrumei uma estratégia. Enquanto a moça faz a coleta eu me concentro nos cartazes e leio umas dez vezes até a moça terminar. Me ajudou muito!

            • Já que tá pedindo…
              Eu tenho muito dessas tonturas de levantar rápido, mas nunca cheguei a desmaiar, só tombo um pouco pra frente, mas me apoio em algum lugar. E também passo mal no calor, uma vez que tive um mal estar desses, medi minha pressão e tava 7 por 3 (nisso a hora que consegui levantar pra dar meia dúzia de passos até a farmácia, imagine antes, haha). Geralmente faço isso, sento em qualquer lugar e abaixo a cabeça. Teve outra vez que tava gripada, dentro do onibus lotado, e tive esses sintomas de formigamento nas mãos e ver tudo preto. Sorte que vagou um banco, era dos preferenciais, praticamente me joguei em cima dele e as pessoas deve ter ficado praguejando (imagine, uma menina novinha, num banco de véio), mas era isso ou ser pisoteada. É, acho que isso é o mais perto que já cheguei de um desmaio.

                    • Sabe quando você pressiona os olhos fechados e vê tudo colorido? A mesma coisa.
                      (pelo menos quero crer que não sou a única retardada que faz isso de propósito. A parte de apertar os olhos, claro, a tontura é involuntária)

                    • Talvez eu tenha problemas, haha
                      Considerando que minha mãe tem enxaqueca e meu pai labirintite, me considero bem sortuda.

                    • Acho que quando você fecha os olhos a cor das manchas ou pontos coloridos depende da intensidade com que você aperta os olhos.
                      (ou será que eu sou a única retardada que fecha os olhos e ainda tem a capacidade de apertar pras manchas ficarem diferentes?)

                    • Se você é retardada, eu sou retardada master, porque passei os últimos dez minutos fechando os olhos com diferentes intensidades e só consigo pontos escuros…

                    • Não façam isso, por favor! Olho é algo tão delicado, não é recomendável nem que se coçe!!!

                    • Os Impopulares estão esmagando seus globos oculares na tentativa de ver pontinhos… hahaha

            • Bom saber disso. Tem dias que tb não tenho nada pra falar. Mesmo com meu tempo apertado eu sempre me esforço pra ler tudo. E tenho até um feedback! A última prova que fiz, minha redação foi um espetáculo. Culpa do Desfavor!

                • O tema era educação no Brasil, mas o titulo do tema exato eu não lembro. Outro de outra prova, foi saúde e bem estar. Apesar de vcs não falarem muito sobre isso aqui, vi que tinham aspectos que se cruzavam com muitas coisas ou posicionamentos mais críticos discutidos aqui. Até brinquei que o Santo baixou na hora. De forma geral, o Desfavor não me deixa mais sem temas na cabeça.

      • Eu estou comentando pouco por estar ocupada com transições e provas absurdamente difíceis ou muito sacais.
        Ainda nem terminei de ler os textos da semana passada :(

        Lichia
        Aquele Nescafé Duogrão é bom ou não tem nada de especial que o torne melhor que o Nescafé comum?

        • Oi Daniele! Eu nunca fui de tomar café solúvel, somente naquelas misturas caseiras de cappuccino. O que eu OUVI dizer é que ele não tem aquele gosto característico de café solúvel.

          Estou pensando seriamente em fazer uma segunda parte da postagem… Vcs me desafiaram bastante. Vou ter que provar desse aí tb, fiquei curiosa, odeio ficar curiosa… Rs…

    • Ótima dica! Conheço pele menos meia dúzia de pessoas que desmaiam quando tiram sangue, vou passar sua dica adiante!

      • Simplesmente não dava para eu sempre ficar pedindo ajuda. Sempre alguém me acompanhar… Impossível.

        Nos dias que vejo que estou muito sensível, eu aviso. E fazem a coleta comigo deitada na maca.

  • Eu nunca desmaiei. Só fiquei meio tonta quando levei uma bolada na cabeça e outras vezes quando levantava bruscamente cheguei a cair de madura, mas não apagar. Não é hereditário porque minha avó vivia desmaiando a toda hora, minha mãe também nunca.

      • Acho que eu tenho a mesma coisa… Quando me levanto rápido demais, fica tudo semi-preto, sinto formigamento, mas se consigo me apoiar em qualquer coisa, não chego a cair (normalmente um batente de porta, ou me jogo no sofá ou cama). As pernas ficam moles, mas não chego a perder completamente a consciência. Sabe aquele “pentelhésimo” de segundo que vc narrou? Pois é… eu fico nele até melhorar…

        • Menos mal, o mais perigoso nesse desmaio seria a queda mesmo. Tenta mexer bastante as pernas antes de levantar, a situação melhora

            • Fica com os pés em ponta e depois apoia o pé todo no chão várias vezes enquanto estiver sentado. Isso estimula a panturrilha e a circulação!

  • Sobre o desmaio por hiperaquecimento/ desidratação, acontece MUITO com criança e cachorro deixados dentro do carro. NÃO façam isso… NUNCA. Não importa que o carro esteja na sombra, nem que vc deixou dois dedos abertos dos vidros, nem que vc vai lá “rapidinho”. Se tiver que fazer isso, ou tire-os do carro e leve junto (se criança) ou amarre em um lugar COM SOMBRA, de preferência com um pote de água (se cachorro), ou deixe no carro, NA SOMBRA, com supervisão e com ar-condicionado ligado (não é o “vento”, é ar-condicionado, se seu carro não tem, não deixa a porra do cachorro ou do seu filho lá).

    Sobre cachorros, os que tem focinhos curtos (Bulldogs, Boxer, Pug, etc) podem hiperaquecer FORA do carro, se ficarem no sol ou se exercitarem em horários quentes ou com muita intensidade com muito mais facilidade que os de focinho longo. Um cachorro hiperaquecendo fica com a língua pendente caída “sem controle” (quando está se exercitando normalmente ela fica pendente, mas com um formato de “colher” na ponta), baba, abre bem a boca (muitas pessoas acham que ele está “rindo”). É daí pro desmaio e morte.

    Crianças também morrem nessas mesmas condições.

    Portanto, viu cachorro ou criança meio grogues num local ou situação de calor intenso, tire-os do carro E do sol, coloque-os na sombra, molhe o corpo (pode usar toalhas molhadas ou água mesmo), até resfriar o corpo. Não economize na água. Concentre-se na barriga e patas, ou mãos, punhos, nuca, testa (tá divertido escrever para os dois casos ao mesmo tempo), que são locais por onde o sangue passa, e resfriando esses pontos resfriamos o corpo todo mais rapidamente. Em alguns casos pode haver parada respiratória (tem que fazer a respiração que já foi falada por aqui). O resto segue a mesma conduta do texto, só que eles tem que ser levados para hidratação imediatamente, não dá para deixar para “amanhã” ou dar um gatorade e achar que tá beleza.

    Depois que acordou, pode dar água, mas um pouco de cada vez. Preferencialmente água de coco ou gatorade para ajudar com os sais minerais que foram perdidos. E HOSPITAL.

    PS: o Brasil é tão cagado que na Mundial de cães que tivemos no RJ (acontece uma vez por ano, cada ano em um país), morreram cachorros por hiperaquecimento, porque o local não era adequado para realizar um evento desse porte. Se nem um evento de cachorro conseguiram fazer… http://www.123dog.net/servlets/gateway/user/GalleryNews.jsp/id/133/typeid/1000/jlang/en/dogs.html

    • CHOCADA com a morte dos cães no Brasil, QUE VERGONHA!

      Cães de focinho curto são um risco tão grande que muitas cias aéreas se recusam até mesmo a transportá-los em caixas de transporte por causa do grande risco de hiperaquecimento. Quem tem esse tipo de cão tem que estar sempre muito atento!

  • Sally o que voce sabe a respeito destes desmaios que muitos homens tem no exato periodo em que ele esta passando pela transformaçao de sair da infancia e entrar na puberdade.
    O que aconteçe com homens que passaram por isso e simplesmente nunca mais foram a mesma pessoa.
    Aconteceu com um irmão meu e com o filho de uma conhecida.
    A pessoa era alegre, feliz, brincalhona, e logo depois deste desmaio, ela se torna uma pessoa que esta sempre de mal com o mundo, de cara fechada, infeliz e angustiada.
    Vale resaltar que nos dois casos que pode observar, essa transformaçao da infancia para a puberdade ocorrem de forma bastante abrupta, quase que de um dia para o outro, dormiu criança e acordor na puberdade, observado principalmente pela entonaçao da voz, deixa de ter a voz de criança e passa a ter a voz de adulto.
    Gostaria que voce me ajudasse a compreender isso melhor

    • Não sei absolutamente NADA sobre isso. Sério mesmo, nunca tinha nem ouvido falar.

      A única coisa que me ocorre como estopim para mudança de personalidade é uma eventual batida com a cabeça na hora do desmaio. Alguns tipos de lesões na cabeça podem modificar certos aspectos da personalidade. Mas ainda assim, é um chute.

      Se houver algum neurologista entre os Impopulares, por favor me ajude com essa, porque eu não tenho a menor ideia do que se trata!

      • Maria Cláudia

        Não sou neuro, sou médica residente de Psiquiatria mas tenho um palpite que isso talvez seja Transtorno Conversivo. Seria a externalização de sofrimento psíquico através de sinais e sintomas físicos, incluindo o desmaio. Não seria uma mudança na personalidade mas sim no humor. Muito ligado a ansiedade/depressão o que é bem justificável nesse fase púbere. E mais, não é simulação para ganhos secundários, a pessoa realmente acredita que está doente e sente as alterações de forma vívida.

  • Curto muito esse tipo de texto, Sally. Tava até com saudade dos Primeiros Socorros…
    Acho bacana sabermos de tudo isso. O problema é que quando desmaiarmos, as pessoas ao nosso redor inevitavelmente não saberão um décimo disso. Daí metem álcool no nosso nariz, jogam uma jarra d’agua e tentam nos puxar pelos braços.

    • Divulgue o texto, para que menos panacas neste mundo metam álcool no nosso nariz, joguem uma jarra de água e tentem nos puxar pelos braços…

      ESSE tipo de texto blogueira raivosa não divulga no Twitter, né?

        • Então pra que divulgar a série de textos sobre primeiros socorros, né? Só porque podem salvar uma vida? Pra que… melhor focar nos textos onde dá para vilanizar quem escreve, assim, em contrapartida, quem critica vira automaticamente o lado bonzinho da discussão!

  • Sally, então quando estamos com diarréia e ficamos suando frio quando já estamos nos aliviando, isso é em decorrência da diarréia ou é um quase desmaio?

  • Tenho sintomas de desmaio na academia, quando faço exercícios para membros inferiores para grandes grupos, como leg press, ou passada afundo. Fico meio tonta, e quando respiro parece que o ar não entra nos pulmões. Às vezes tenho zumbido nos ouvidos, e a visão escurecida.
    Quando sinto isso, corro para sentar e abaixar a cabeça um pouco. Ninguém merece apagar no meio dos marombados.

    • É normal, quando fazemos esforço físico muito intenso (caso dos grandes grupos, principalmente quando se trabalha mais de um por vez) acontece isso mesmo. Se começar a ficar muito intensa essa sensação de pré-desmaio, toma um Gatorade durante o treino que passa.

    • Parece que os homens não passam muito por aqui. (só um comentário, é minha primeira visita ao blog)
      Eu tinha esse medo de deitar em berço esplêndido no meio dos marombas, e mais medo ainda de deixar os 630Kg descer com tudo na minha bacia. Felizmente superei isso. Tive 2 apagões não programados na academia. Um eu me machuquei pacas, foi na esteira. Já o outro não me fez nada por sorte, estava no supino e por sorte deu tempo de mirar os ganchos de apoio. Fiz um exame e constatou arritmia cardíaca. Agora levo um bullying de leve na academia.
      OBS: Também faço parte do grupo que diz 0,001/s antes do êxito final, “pqp la vamos nós”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: