Flertando com o desastre: Vizinhos.

fd-vizinhos

Já cansamos de escrever textos sobre como o brasileiro médio anda porco, mal educado e inconvivível. Pois bem, tudo isso reflete de forma insuportável no nosso dia a dia: quando nos deparamos com essas pessoas na condição de vizinhos. A menos que você seja muito sortudo e/ou rico e possa morar em uma casa distante de outros seres humanos (meu sonho de consumo), deve ser obrigado a conviver com a mais variada fauna. Vou tentar reunir as principais espécies neste texto, mas tenho certeza que não vai caber tanta falta de educação, civilidade e noção em quatro páginas. Principalmente eu, que odeio gente. Sério mesmo, eu odeio gente cada vez mais.

Quero começar dizendo que, salvo raríssimas exceções, não vale a pena dialogar com vizinhos. Sabe porque? Porque se a pessoa é acessível, sabe dialogar, está disposta a ouvir suas necessidades, dificilmente ela cometerá alguma das atrocidades narradas no texto. Geralmente quem incomoda é a gentalha mal educada, favelada, baixo nível, que diz “A casa é minha eu faço o que eu quiseeeeerrrr!”, aquela gentalha que acha que estão reclamando dela por inveja. Contra esses, não há argumentos. Mas existem uma infinidade de atos correcionais, que eu apelidei de “medida sócio-educativa”. E funcionam, viu? Mas tem que ser no anonimato. Não vale a pena brigar com vizinho NUNCA. Vai lá, faz o que tem que fazer e depois diz “Que absurdo isso que fizeram!”

Estou escrevendo este texto em um domingo à tarde, o que me inspira a começar por uma simples pergunta: o que se passa na cabeça das pessoas para se sentirem no direito de irem até suas janelas/varandas e gritarem coisas? O que é isso, gente? Podem ser gritos comemorativos do gol do seu time de futebol, podem ser gritos pejorativos sobre outro time, pode se qualquer tipo de grito. Que epilepsia emocional é essa que leva uma pessoa a achar que pode berrar uma coisa na sua janela e obrigar a todos os que vivem nas proximidades a ter que ouvir o que ela está dizendo? Não vou me estender no assunto barulho, porque fiz um texto só sobre isso, chamado “estupro aditivo”, mas queria pedir que todos os que gritam repensem se realmente tem esse direito. Outras derivações como música alta, TV alta, gritos e etc você encontra no texto citado.

Ainda no capítulo do barulho, tem um que a meu ver é mais grave e merece destaque: fogos. Porque além de incomodar, é arriscado. Se eu falasse isso um mês atrás me chamariam de histérica. Agora, minimizar a periculosidade de fogos praticamente de alça à categoria de Black Bloc. PORQUE soltar fogos? O que merda se ganha soltando fogos? Eu já vi cães morrerem de ataque cardíaco por causa do pavor do barulho de fogos. Acorda bebê, mata cachorro, coloca em risco a vizinhança dependendo da trajetória… NÃO, GENTE! NÃO! Vamos para com essa merda de soltar fogos! O que tem de bom nisso? Faz barulho? Pega uma panela, enfia na sua cabeça e fica batendo com uma colher então! Quão primitiva e babaca uma pessoa tem que ser para sentir algum tipo de poder por ter acendido um artefato que faz barulho?

Casais que fazem sexo aos berros. Olha só, para mim, quem precisa fazer um grande escândalo está mais querendo mostrar ao mundo que faz sexo do que qualquer outra coisa. Por gentileza, mantenham sua intimidade entre quatro paredes em vez de fazer ruídos altos como animais. Desculpa mas ninguém vai te achar Mestre do Sexo por causa de um escândalo, muito pelo contrário, tenho para mim que os escândalos são o primeiro sinal de fingimento. Fazer sexo aos berros a ponto de que vizinhos saibam o que se passa no seu ato sexual além de ser mal educado é vergonhoso, é similar a abaixar as calças e cagar no meio da rua, é expor ao público um ato constrangedor que deveria ser privado. Por favor, podem ter crianças escutando. Vamos ser menos animalescos e mais humanos? Sexo não fica menos divertido se você não gritar. Parem de se portar feito símios.

E gente que pensa que janela é lixeira? Infelizmente eu morei em Salvador, então, mesmo tendo morado em um condomínio de luxo, tenho vasta experiência na área. Conheci pessoas que não tinham lixeira em casa e perguntavam “pra que?”. TUDO ia pela janela: casca de legume, absorvente usado, restos de comida, fralda cagada… TUDO. Isso porque ainda fui apresentada ao sensacional “pombo sem asa” nos bairros mais pobres, que me permito não detalhar, pois pode ter alguém comendo. Quem quiser saber mais sobre o assunto, pergunte nos comentários. Enfim, o que se passa pela cabeça de gente PORCA que joga lixo pela janela? As pessoas acham o que? Que vai ter um portal para outra dimensão que vai fazer o lixo desaparecer? Não, não tem. O lixo fica lá e trás baratas e outros animais desagradáveis para a região. Como pode uma pessoa ser tão porca? Obrigar terceiros a catar seu lixo do chão é vergonhoso!

Outra preciosidade que descobri em Salvador foi gente que deixa a porta da casa ou do apartamento sempre aberta. Isso no Rio seria impensável, quando vi pela primeira vez tive um choque social que me provocou um mini-AVC. As pessoas deixam a porta de entrada sempre aberta mas se portam como se ela estivesse fechada. Daí você chega em casa depois de um dia de trabalho e se depara com um vizinho barrigudo só de cueca sentado no sofá da sala de pernas abertas, com um pedaço de saco mucho saindo pelos cantos da samba-canção. Gente, isso é estupro visual. As pessoas não tem pudor não? Quer fazer isso, pelo menos malha para ter um corpo agradável e usa um suspensório escrotal para as bolas ficarem rentes ao corpo! Meu vizinho era branco e tinha uma barriga tão grande que se enfiasse uma ameixa no seu umbigo virava um Manjar com pernas. Minha Nossa Senhora da Musculação! Por favor, fechem a porra da porta!

Mulheres que usam salto alto mas não sabem usar salto alto. Apenas ridículo, se não for sua vizinha de cima. Se for, parece que estão criando um pônei. Qual é a necessidade de andar de salto alto dentro de casa, me diz? Bota o sapato só quando for embora, quando estiver saindo. Mas não, a criatura parece que pratica marcha atlética dentro de casa com salto alto: POC! POC! POC! POC! “A casa é minha, eu faço o que eu quiser”. NÃO. Já pensou se todo mundo se portar de acordo com essa frase? A boa convivência demanda alguns pequenos sacrifícios e quem não pode perceber isso é um burro, que mais cedo ou mais tarde vai se deparar com uma louca feito eu e receber uma medida sócio-educativa nada agradável pelas merdas que anda fazendo. Gente assim existe. Se essas pessoas soubessem a quantidade de e-mails com dúvidas sobre lesões corporais perpetradas de um vizinho contra o outro que eu recebo, teriam medo até de peidar no elevador.

Se os vizinhos são mal educados, grandes chances que seus cães também os sejam. Eu tive um vizinho que, apesar de ser síndico do prédio, levava seu cachorro para cagar e mijar no play onde as crianças brincavam todos os dias. Era só descer mais um andar e leva-lo para a rua, mas não. Cocô e xixi de cachorro são sempre um problema. Cachorro que mija na roda do carro e acaba danificando a calota, cachorro que caga na porta da sua casa… as possibilidades irritantes são muitas. O cachorro, coitado, não tem culpa. Mas o dono sim. E nesse quesito, eu acho que amor com amor se paga: tem que deixar um grande tolete de volta no território da pessoa, de forma anônima. Tem gente que só se manca do inconveniente que causa quando sente na própria pele. Já que ele não limpa a merda do seu próprio cachorro, que seja obrigado a limpar a sua.

Elevador. O que faz a pessoa pensar que ela tem o direito de ficar papeando pendurada na porra da porta do elevador? Ela é dona do elevador? Outras pessoas não podem estar querendo usar o elevador? Não interessa, a pessoa se acha tão importante, tão Universo Umbigo, que nem lembra que existem outras pessoas no mundo além dela, ou se lembra, liga o foda-se. O mesmo vale para vagas de garagem: gente que tranca todo mundo e deixa o carro com freio de mão puxado. Foda-se o mundo. O Reizinho Soberano faz o que quer e todos tem que se curvar à sua vontade, até que uma pessoa mais descontrolada pega uma chave e risca “LEMBRETE: NÃO PUXAR O FREIO DE MÃO” na lataria do carro e a pessoa é obrigada a refazer toda a lanternagem. Custa caro. Pessoas assim existem.

Crianças. Eu sei que crianças não são silenciosas por natureza, mas o brasileiro parece ter uma ideia equivocada de que, por serem crianças, podem tudo. Não, não podem. Um certo grau de barulho é esperado em um lugar onde existem crianças, ninguém vai pretender que elas fiquem mudas e estáticas o dia todo, mas tem limite. Deveria ter limite, infelizmente nem sempre tem. Porque educar dá trabalho. Então se convencionou que criança é barulhenta mesmo e que por ser criança pode tudo, assim nenhum dos pais é obrigado a ter o trabalho de colocar limites quando não está com vontade disso.

Crianças pulando e gritando sem parar a qualquer hora do dia, crianças jogando coisas pela janela, crianças chorando aos berros por horas e outras atrocidades do tipo te deixam de mãos atadas, porque vai você reclamar de uma criança! “Mas é criança…” os pais dirão. E você não vai poder responder “Foda-se”, porque criança está dentro da categoria dos Intocáveis. Desculpa, mas criança só se cala perante estranhos através de um recurso: medo. Fica a dica. Uma vez construí o “Fantasma do Barulho” com um lençol e um cabo de vassoura. Depois plantei o mito através de fofoca de play, um fantasma que aparecia quando chegava a noite e faziam muito barulho, sabe como é, para deixar as crianças sugestionadas. À noite, quando os filhos dos vizinhos de baixo faziam barulho, o Fantasma do Barulho aparecia na janela do quarto deles. O pânico era tanto que em poucos dias fez-se silêncio total. Sim, as crianças tiveram que fazer terapia porque começaram a fazer xixi na cama, mas pai que não educa sujeita seus filhos a isso: serão educados por pessoas incomodadas.

Vizinhos que andam nus pela varanda, com a janela aberta ou até mesmo em áreas comuns. O que faz a pessoa pensar que você quer ver aquilo? Eu não sou obrigada a ver uma pessoa nua. Se eu, que sou adulta, já me incomodo, imagina alguém que tem criança dentro de casa. Qual é o problema do brasileiro médio em vestir roupas? Que porra aborígene é essa de gostar tanto de andar pelado? Síndrome de Mogli, o Menino Lobo? Dá vontade de apontar e começar a gritar “HAHAHAHA! QUE PAU PEQUENO! QUE COISA FEIA! PARECE UMA JUJUBA! PARECE UM SEGUNDO UMBIGO!”. Mas não pode, não se briga com vizinho. Se você bater de frente com um vizinho seu, quem sai perdendo é você. É preciso ter frieza e sabedoria, respirar fundo e fechar a cortina.

Que tal vizinho que fuma (e nem sempre é cigarro!) na varanda e fica jogando a fumaça toda na sua casa? E vizinho que se sente no direito de botar uma churrasqueira na varanda e jogar toda a fumaça na sua área de serviço, de modo que a roupa que está secando no varal fique defumada? E vizinho que não paga o condomínio, obrigando todos os condôminos a ratear a porção inadimplente e mesmo assim se acha cheio de direitos, contesta e faz o que quer? Gente, se eu estivesse devendo, sentiria tanta vergonha que ia no shopping cagar só para não incomodar meus vizinhos com o barulho da descarga! Esse povo não tem um pingo de vergonha na cara não?

Agora um tipo muito especial de vizinhos, que merece um parágrafo próprio: os vizinhos evangélicos. Olhando superficialmente, pode parecer que serão bons vizinhos, pois não bebem e são cheios de restrições. Mas quem já teve sabe o inferno que é. Sobretudo se forem aqueles evangélicos que ficam cantando louvor: “Derrama, Senhor, derraaaaamaaa”. Porque o Senhor tem que derramar qualquer merda que seja às SETE DA MANHÃ? Não pode derramar em horário comercial? E aquelas músicas evangélicas pop cantadas por pessoas que gritam? “Entra na minha casa, entra na minha vidaaaaa”. Entro sim, para colocar uma bomba, filho da puta! Ouve essa merda baixo que Deus não é surdo. A boa notícia é que vizinhos evangélicos são facilmente intimidados por qualquer coplay de macumba que você deixe na porta deles. Basta montar uma bacia de farofa, bem pitoresca, bem adornado. Pode fazer até com que eles se mudem. Cheguei a pendurar uma plaquinha na porta de casa uma vez com os dizeres “Satanás proteja minha casa” (me referia a um cachorro, mas os evangélicos pararam de falar comigo, o que foi um ganho).

Muitas pessoas me perguntam o que se pode fazer juridicamente contra vizinhos que perturbam. Sinceramente? Muito pouco ou nada. Criminalmente nada, porque esses pequenos contratempos de vizinhança dificilmente configurem um crime grave o bastante para prender seu vizinho. Mesmo outras ações são demoradas, caras e acabam não dando em nada. Esquece a lei, a lei não te ampara, você vai ter que se virar sozinho. O mais produtivo é se beneficiar daquilo que você tem de melhor: você é inteligente. Use sua inteligência e aplique medidas sócio-educativas anônimas no seu vizinho. Mas nunca, NUNCA compre briga com eles, sua vida vai virar um inferno. Sejam inteligentes. Façam com sofisticação, com sabedoria, sem gritos, sem raiva, sem ameaça. Sejam frios, precisos, calculistas, porque nesse jogo, vocês são melhores do que eles. Se a coisa descambar para a briga e o barraco, você sai perdendo, eles são melhores do que você.

O brasileiro médio está cada vez mais mal educado e menos civilizado. Ter que conviver com ele tão de perto é uma tortura para pessoas com um pingo de refinamento. E nada pior do que estar desconfortável na sua própria casa. É um verdadeiro inferno, eu sei. Mas sejam inteligentes, não batam de frente. Tem alguma coisa te incomodando? Passa aqui nos comentários, a gente troca uma ideia. Tenho certeza de que todos os Impopulares saberão te dar conselhos valiosos sobre como neutralizar seu vizinho chato sem partir para o confronto.

Para pedir sugestões de medidas sócio-educativas, para tentar me acusar de algum crime desconhecendo que eu sei muito bem até onde posso escrever sem ser responsabilizada ou ainda para verbalizar sua vontade de nunca ser meu vizinho: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (540)

  • VIZINHO FILHA DA PUTA FEZ FOGUEIRA NA ESQUINA E A FUMAÇA TOMOU CONTA DA RUA TODA! TÁ UM PUTA CHEIO DE QUEIMADO AQUI!

  • meu vizinho instalou um refletor de led direcionado para minha casa, não consigo ficar nem na area de fora nem dentro de casa com a porta aberta, pois a luz invade tudo, fico cega se olhar diretamente. me incomoda extremamente, já pedi pra baixar de altura pra não atrapalhar minha vida, mas nada, parece que é de proposito pois liga 17,30 e só desliga lá pelas 8 da manhã..

  • Bom Sally, estou eu aqui as 3 da manhã acordada pois meus vizinhos de cima ficam fazendo fina porno nesse horário e eu trabalho até tarde e queria dormir, mas parece que os eles não tem cimancol, pois em algumas vezes ouço a gritaria feita pela mulher e a criança batendo na porta pedido pela mãe. A mesma passa o dia todo gritando com a criança, enquanto eu me estresso cada vez mais com essas situações. Já tentei conversar com o síndico, mas o mesmo nada faz, e mais algumas semanas eu ganho minha bebe, essa situação de filme pornô não tem hora e muitas vezes eles me acordam (meu marido dorme que nem uma pedra pois não acorda de jeito nenhum) e isso já está se tornando cansativo para mim. Não sei mais o que fazer ou a quem recorrer. O que faço número situação dessas?

    • Júlia, me conta mais sobre esses vizinhos. Qual é a religião deles? De onde eles são? O que eles berram quando gritam?

      • Descobri depois que era minha vizinha de baixo, a mesma estava fazendo programa no apartamento, descobri somente após ela sair do prédio.
        Agora meu problema é a vizinha de cima evangélica que fica cantando as 3 da manhã

  • Volto nesse post depois de anos pra pedir um aconselhamento pq to tao perdida que acho que vou infartar de ódio. Moro no primeiro andar de um condomínio onde no apartamento logo acima do meu ja moraram duas pessoas que fizeram(e uma delas ainda faz) a minha vida um inferno.E hoje chegou pra mim uma notificação extrajudicial que a proprietária do apartamento entrou na justiça contra mim e meu marido alegando que somos antissociais e que nos incomodamos excessivamente com o barulho produzido pelos inquilinos dela.Porem estou a beira da loucura com esse inferno Sally e gostaria de saber se voce poderia me dizer como posso fazer pra provar que esses fdp estao acabando com minha sanidade mental e que eles produzem ruidos propositalmente para me desestabilizar e me fazer parecer louca.Lembrei desse texto (que foi o primeiro que me fez gostar do blog) e volto aqui interessada em saber sobre o mesmo assunto.Vizinhos enviados pelo capiroto.Obrigada Sally

    • Se a coisa parar no Judiciário, recomendo pedir uma indenização monstruosa, mesmo tendo consciência de que não vai ganhar, só para apavorar eles. Diga que vai instalar medidor de decibeis na sua casa e peça que o juiz designe um perito para acompanhar o processo e a medição.

      Se quiser fazer por sua conta, me dá mais informações sobre esses vizinhos: quantas pessoas são? Qual a religião? Tem filhos? Tem animais de estimação?

  • Moro em Copacabana, então, várias das minhas vizinhas são prostitutas (Ou prostitutos.).
    Algumas semanas atrás a cocô-de-sabiá-amarelo na cabeça resolveu que era legal transar berrando. Três da madrugada!
    Botei a cabeça na janela e berrei “FILHADAPUTAVAMOCALARABOCACARALHOOOOOOOO”

  • Boa tarde. Tive uma sorte tremenda de morar perto de vizinhos vândalos, que tem inveja do que vc tem e tenta distruir o q e seu . Meus vizinhos quebraram minhas cameras de segurança, refletor de iluminação, uma grade de proteção da lateral do meu apartamento e arrancaram a grade da minha janela da cozinha. Nao denunciei por q n tinha provas pois as câmeras estavam desativadas e as pessoas que viram eles quebrando n queriam se envolver. O que posso fazer com essas almas sebozas ? Não quero deicha isso pra la não.

    • Voce pode colocar cameras escondidas (compra no mercado livre) e acabar com eles filmando tudo que eles fazem e processando.

  • Oi Sally, adorei seu blog! Me fez rir bastante, mesmo as vezes sendo o que eu passo também diariamente. Quando nós fomos comprar a casa em que moro, não reparamos o que havia ao lado (um cortiço), e na emoção do momento não demos tanta importância. Enfim, hoje é som alto, gritos as 06 da manhã até a noite, todo tipo de gente sem noção.
    E para piorar a situação, agora em uma das casas ficam todos pelados (as vezes até em posições constrangedoras), e não sei o que fazer.
    Já conversei, discuti, xinguei, mas não adianta…
    Detalhe, eles são evanhellicos kkkkkkkkkkkkk

    • Evangélicos tem medo de macumba. Use roupas e acessórios de Candomblé, coloque estatuas de Orixás assustadores na porta da sua casa. Deixe despachos na porta deles com bilhetinho “se continuarem fazendo barulho vai ser pior”, etc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: