A goleada das goleadas.

Após a blitzkrieg que deixou a pátria de chuteiras descalça e de pernas para o ar, muitos tentam fazer senso do que diabos aconteceu no Mineirão. Sete a um é um resultado que nem o mais otimista alemão (ou impopular) ou o mais pessimista torcedor brasileiro imaginava minutos antes da partida. Mas mesmo assim, são os números finais da partida. E quem explica o que aconteceu? Bom, assim como tantos, eu vou tentar…

Não partilho do mesmo senso conspiratório de Sally e de tantos de nossos leitores, portanto não esperem que eu me embrenhe por tais caminhos. A goleada germânica é resultado direto do que aconteceu dentro do campo. Um bando enfraquecido pela ausência de seus dois principais jogadores cometeu uma série de erros contra Die Mannschaft (O Time) e pagou caríssimo por eles. Mais até do que seria razoável.

Os jogadores brasileiros não são “sete a um” piores que os alemães. Nem mesmo a organização do futebol brasileiro deve tanto assim à deles. Eles tinham vantagens, mas não nesse grau de desequilíbrio. Conhecendo o público alvo comum do desfavor, acredito que não vá prender muita atenção falando de futebol, mas preciso entrar um pouco nesse assunto para fundamentar minhas conclusões.

Os comandados de Felipão já entraram em campo com problemas. Muito por culpa dele e de Parreira, acreditaram que não eram o time mais fraco. Arrogância paga com juros e correção. Bernard não é um jogador horrível (na prática nenhum deles é… Nem o Fred…), mas ele foi o símbolo de como nesse nível de profissionalismo erros bisonhos como sua escalação não são perdoados. Felipão já deveria saber que os alemães tinham um time muito forte no meio do campo. E mesmo assim deixou os alemães terem superioridade numérica desde o começo.

E os comandados de Löw sabiam que tinham ganhado na loteria, sozinhos. No começo do jogo, ficaram esperando para o Brasil dar o primeiro soco, confiantes de que não machucaria. Ele veio. O time tupiniquim deu alguns sinais de empolgação, os alemães ficaram tranquilos. Na primeira boa oportunidade deles, gol. Aqui entra o primeiro fator de sorte: por mais que o Brasil estivesse entrando na briga com um braço amarrado (e me refiro ao esquema tático, e não às ausências), sempre tinha a chance de enrolar e ter sorte de não tomar gol.

Mas tomou. Se jogadores e torcida estavam um pouco desanimados, ainda havia a possibilidade de arrumar a casa e continuar a briga. Só que os alemães sabiam o que estavam fazendo: era só deixar o time bagunçado acreditar que ainda estava no jogo. O Brasil foi pra frente, de novo. E num desses contra-ataques, o segundo gol. E esse foi o último elemento de sorte. O time brasileiro estava bagunçado e mal armado, mas não estava atordoado. Quase que o gol que destronou Ronaldo da artilharia das Copa não acontece…

Mas aconteceu. E daí pra frente a sorte não influenciou em mais nada. O Brasil era obviamente inferior, mas jamais aceitou a realidade. Times com menos tradição futebolística entrariam em modo de retranca absurda e imediata, para evitar que o jogo acabasse ali mesmo. As paparicadas estrelas da CBF não. Ao invés de admitir que era hora de tentar segurar o jogo, desabaram. O choque entre a ilusão de serem um time e a realidade de serem onze perdidos num gramado foi devastador.

Isso já tinha se demonstrado no jogo contra o Chile, só que dessa vez era um time REALMENTE forte do outro lado. Alguém que não se assusta com camisa nenhuma. A sequência de gols que estarreceu o mundo foi causada por circunstâncias comuns no futebol… Um time parou de jogar, o outro não. Quase sempre goleadas retumbantes entre times grandes acontecem por apagões emocionais.

Depois do cinco a zero deixou de ser um jogo, virou uma obrigação ingrata para ambos os lados. Os dois gols que o Brasil tomou e o que fez são típicos de jogos já MUITO decididos. A Alemanha foi irretocável em seu respeito pelos jogadores brasileiros e a torcida no estádio: jogou sério, não fez firula, fingiu perder gols para não deixar tudo ainda pior. Podemos até argumentar que o respeito não está sendo honrado pelos brasileiros médios, mas nesse ponto tocamos no Desfavor da Semana.

Falei do jogo para isolar um momento: o entre o segundo e o quinto gol. Fora desse espaço de tempo, foi apenas a superioridade de um time de futebol sobre o outro. Dentro dele, foi demonstração inegável de despreparo psicológico. Por erros da comissão técnica e pela mentalidade do brasileiro em geral.

Acharam que motivação e esforço resolviam alguma coisa por si só. Felipão deve ter motivado seus jogadores, aposto que nenhum deles fez corpo mole (consciente) na hora de correr pelo time, mas… gente motivada correndo pelo campo até o Tahiti tinha. Como bons brasileiros, acharam que era só ter vontade e que seu deus cuidaria do resto. Organização? Preparo? Estudo? “Não, isso é frescura. Vamos só correr feito baratas tontas até a sorte sorrir para a gente.”

Uma hora a Dona Sorte fecha a cara. E aí precisa saber o que fazer. Naquele momento da chuva de gols, estávamos claramente diante de onze Zé Ruelas (extremamente bem pagos) que não sabiam se organizar durante uma crise. Planejamento e estrutura são mal vistos pelo brasileiro… coisa de gente chata e sem o “dom”. Quem tem o “dom” faz na hora, improvisa e consegue o que quer. Quem não tem que precisa se portar de forma responsável e adulta…

Pois bem, os alemães sabiam o que fazer. Sabiam dos pontos fracos do brasileiros, sabiam que só precisava fazer um gol primeiro… e sabiam que tinham que matar o jogo segundos depois dos brasileiros desanimarem. Plano realizado com perfeição. Não precisamos sair do campo para ver o que aconteceu com os jogadores brasileiros. Tem muita coisa errada em todo o entorno do futebol nacional (e mundial), mas arranjar qualquer desculpa que não um time mal organizado e sem alternativas para qualquer dificuldade é se desviar do acontecido.

Esforço e motivação são complementos muito bem vindos, mas são complementos. Até o fuckin’ Dunga deu mais organização para sua geração de crentes metrossexuais. O Brasil produz tantos jogadores de grande nível e tem tanto peso na camisa que praticamente qualquer maluco consegue levá-los adiante numa Copa.

O que me enche o saco de ver é o povo reclamando que os jogadores eram terríveis, perpetuando esse maldito culto ao “dom”, como se esses caras que estavam em campo contra a Alemanha não fossem comparativamente melhores que 99% dos outros jogadores do mundo. E melhores até mesmo que quase todos os outros jogadores de outras seleções.

O dia que o Fred for ruim, o Messi é razoável. Sei que muita gente está puta de vida com o resultado, mas falar que esses caras não tem capacidade de ganhar títulos de alto nível é tapar o sol com a peneira. Quase todos eles já são vencedores em suas carreiras. O Brasil não perdeu por falta de jogadores, perdeu por ser um bando em campo com a ideia ridícula que bastaria querer muito para ganhar. E quando a Alemanha mostrou o quão errados eles estavam, foram incapazes de lidar com a realidade.

Falar que eles são horríveis é arranjar desculpa esfarrapada para a derrota. Os jogadores são bons, mas todos costumam vir com um “defeito de fábrica” da mentalidade brasileira, elevada ao cubo por comissão técnica ultrapassada e a expectativa de um povo todo em suas costas. Sei que eles ganham milhões e não estou nem um pouco preocupado com o sofrimento deles… Mas se formos de novo nessa linha de “falta de dom”, perpetuamos esse erro.

Não faltou talento. Não faltou nem raça… eles correram. Faltou organização, faltou preparo. Faltou… o jeitinho alemão.

Para dizer que veio aqui justamente para não ler sobre o jogo, para dizer que por incrível que pareça a última eliminação foi mais engraçada que essa, ou mesmo para dizer que agora se sente mal pelo Neymar ter saído (seria hilário ver ele nesse jogo): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (136)

  • Felipao deixou o meio de campo todo aberto e nao fez as alteracoes logo no primeiro tempo. A Alemanha tem o diferencial de priorizar as categorias de base. Mas eu nao tinha atentado para o detalhe da superestimacao dos jogadores. Isto realmente tem consequencias desastrosas! Como disse numa resposta anterior(onde esclareci que NAO havia questionado sua dedicação aos posts, mas aos comentarios), leio todos os seus textos, embora nao os comente. Sugestao: Somir, escreva mais sobre Futebol! Seria interessante postar sobre os Campeonatos. Sua analise é excelente, e vc vai onde ninguem foi, como fez neste post! Fale mais sobre Futebol, até porque as mulheres estao cada vez mais se interessando.

  • O futebol é uma coisa maluca. A Alemanha fez uma preparação extremamente profissional, goleou Portugal e Brasil, venceu França e Estados Unidos e está na final. A Argentina tem um campeonato nacional tão fodido quanto o nosso, tem seus craques no exterior, não tem preparação muito diferente da nossa, venceu potências como Irã, Bósnia, Nigéria por um golzinho de diferença, muitas vezes aos 46 do segundo tempo e… também está na final. Não conheço bem a AFA, mas um dos ingressos vendidos no câmbio negro é do filho do Grondona (CBF feelings). Vai que a Argentina vença no domingo, o que a gente faz? Investe nas estruturas de base, contrata psicólogos, fisiologistas, estatísticos, professores de Ioga, babás e estrategistas militares ou passa a comer bife de chorizo com papas fritas, dançar tango e rezar pro Maradona?

  • Agora sim:

    “Acho que este foi um dos recordes de comentários em uma postagem do Somir.

    Parabéns (ou não, sei lá) – é um assunto que domina. Ao contrário de mim…”

    ;)

  • Sally, você teve acesso à fala original do Mascherano? Estão dizendo que ele rasgou o ânus na dividida, mas eu suspeito que ele tenha estirado o glúteo (romper el culo?). Você tem acesso ao que ele disse de fato?

    • Você também lê o Flávio Gomes? É uma pena ele ser tão cego, intolerante e manipulado quanfo o assunto é PT…. olha esse texto! Muito engraçado e verdadeiro, um dos melhores que li a respeito… chorei de dar risada ontem a noite (a parte dos hinos) com esse post dele.

      • Não sou exatamente fã do Flavio Gomes, não, Sam. Nem costumo ler muita coisa dele. Mas me repassaram o link pra esse texto dele via Facebook e achei que era, no mínimo, pertinente. Legal que ele queira “botar pra quebrar” quando escreve, mas tem hora que cansa…

      • A filha adotiva do Barbosa (goleiro) já se disse aliviada com tudo isso porque agora a alma dele vai, finalmente, poder descansar em paz.

  • O que eu disse desde o sorteio da Copa do Mundo do ano passado: A Alemanha será a campeã… Ok, agora falta um jogo! Desculpa aê, Sally, mas PUTA QUE ME PARIU, JUSTO A ARGENTINA NA FINAL? Ok, eu não tava torcendo pro Brasil desde o começo, tava torcendo para o Chile, pq eu acompanhei a seleção chilena desde as eliminatórias e pq me convinha! Mas como brasileira q ama futebol, eu não queria a Argentina na final, por questões estritamente futebolísticas… Mas continuando… Desde que começou a Copa eu acompanhei praticamente todos os jogos, e eu disse: “O Brasil pode até chegar às quartas, mas não passa pela Alemanha nem com macumba”! Dito e feito! A Alemanha é o time mais bem preparado dessa porra toda! Taticamente, tecnicamente, fisicamente e pscicologicamente… E mais, a Alemanha é um time que joga pelo todo, é um grupo, uma EQUIPE! O que todo time deveria ser, mas não! Mania que time tem de ter que ter UM único jogador pra carregar o time todo nas costas! Portugal com CR7, Argentina com Messi e Brasil com Neymar! Se esquecem q nem só de ídolos o futebol viverá, mas de uma boa equipe que possa fazer com q esse UM jogador mantenha-se “acima da média”…
    Alemanha leva esse mundia pelo trabalho responsável que fez desde o começo, por levar o futebol a sério e pq veio com um único objetivo: Ser a campeã da porra toda!
    Eu jamais imaginei uma lavada dessa, meu placar era 3×1, 4×1… Mas nunca imaginei q a seleção brasileira se desestabilizaria tanto durante um jogo! E não me venham dizer q a culpa foi do Zuñiga! Talvez se o Neymala tivesse alí, quisá poderia ter sido um 5×2, mas não mudaria jamais o rumo da história de uma seleção convicta do que veio fazer em terras tupiniquins…

  • Há me esqueci, na goleada de 102:0, 6 desses gols não contam pois são da demagogia (que eles dizem ser paz)… Paz é obrigação de todo ser humano, mas como o ser humano é o maior e pior erro, esse jogo o correto está em 96:0.

  • Concordo Somir… embora reconheça que o time dos corruptos seja inferior, nem em sonho era para acontecer um 7:1 como o de ontem… um 3:1, ou 2:0 estava razoável… Domingo a Argentina certamente usará desse expediente por que sabe que não tem um time a altura para jogar de igual com Die Mannschaft, mesmo com Messi e Di Maria juntos, se é que isso é possível neste domingo… quando vc enfrenta um adversário superior no esporte a ordem é amarrar o embate o maior tempo possível para quem sabe num contragolpe ou numa falha alheia realizar o tento da vitória… Os próprios alemães e argentinos, junto aos italianos, são mestres nisso, haja vista qual quantidade de equipes que eles tiveram que abusaram desse expediente na história esportiva… acontece que neste instante a Alemanha tem time suficiente para bater qualquer adversário, a questão será de quando irá sair o primeiro gol… cientes disso e não sendo franco atiradores como Gana e Argélia que absolutamente em instante algum nunca tiveram nada a perder é o que deve apostar a Argentina.. chegar à final com time risível, pois tecnicamente as defesas de 86 e de 90 impunham um certo respeito a de hoje com Mascherano (uma piada no Corinthians), Garay (que mal conseguia marcar o Boi Bandido), Demichelis (sem comentários), além do goleirinho mão-de-alface (e isso são eles próprios que dizem) a lá JC, já atingiram o que se propuseram… mas e agora??? a Holanda foi novamente um fiasco de incompetência deve vencer o bronze sábado… mas sera que eles vão jogar dando toquezinho de lado como hoje? A Alemanha passará por cima como um trator se usar desse expediente… logo enrolar o jogo é a única chance…

  • Alguém viu a patética coletiva de imprensa da Comissão técnica da seleção? O pior disparado foi o Parreira…. o lunático diz que a CBF não tem obrigação de formar atletas e a justificativa pro 7 x 1 diante da Alemanha é…… que a federação alemã investiu na formação dos atletas! Será que ele estava bêbado? Ou atordoado com a surra? Quanta contradição! E antes da copa a arrogância era tanta que o Parreira (sim ele, não o Felipão) falou que “vejam nossos zagueiros, são os melhores do mundo nosso time é muito bom, estamos com uma mão na taça” e o Felipão mandou pro inferno quem discordava das intervenções dele.
    E ontem? Daniel Alves em uma prova cabal de analfabetismo e evasão escolar falando que perder de 7 ou de 1 seria a mesma coisa! E o Dante em um show de humildade falando que não tem que mudar tudo porque tomou de 7! Aspas do próprio que não teve vergonha de demonstrar o quão burro é “Você acha que se a Alemanha tomasse de 7 eles iriam reformular tudo? Então você não conhece os alemães”Esse demente JOGA e RESIDE na Alemanha, deveria saber que SIM eles reformulariam tudo, assim como fizeram diante da vergonha que passaram na Eurocopa 2000 e 2004. Gente o Brasil levou de 7 Porra! Precisa levar 14 pra mudar alguma coisa? E as justificativas? Tudo com o tom de que foi “casual e atípico aqueles 6 minutos”, nada mudará enquanto eles mantiverem a empáfia e acharem que isso é fruto de uma tarde infeliz. O Parreira ainda disse que foi um trabalho, da Comissão Técnica, perfeito! Que não mudaria nada, que não teve equívocos…. tomou 7 e foi perfeito? Imagina se fosse tudo errado, levaria 21…. e a carta da Dona Lucia pra seleção? Tá zuando que você fez isso Parreira…. Enfim, a coletiva foi um show de desfavores, burrice e arrogância.

    • Dúvida: Vocês irão abordar o lado sentimental do BM no desfavor da semana? Não a putez e macaquice que fizeram pra exalar a raiva, mas sim a tristeza que tomou conta dos BMs por tomar um vexame…. gente chorando no estádio, na rua, clima de velório como se alguém tivesse morrido, aquela raça maldita de torcedor de 4 em 4 anos que abre a boca e acha que entende alguma coisa…. Esses fdps sabem que ocorrem coisas pelo qual realmente vale a pena chorar diariamente nesse país? Eu tive a infelicidade de ouvir de um popular em um telejornal o seguinte: “A única coisa que nos dá alegria, que representa o nosso país é o futebol, eles não tinham o direito de fazer isso com a gente”. Quer dizer, os governantes podem nos currar o ano inteiro, mas a seleção não tinha direito de nos envergonhar? É isso? Somos roubados diariamente e temos que nos revoltar contra 11 bobos atrás de uma bola? Que raiva de ouvir esse tipo de merda! BM na sua melhor essência de BM. Como disse alguém aqui, o futebol só aliena quem se deixa por ele alienar.

    • Puta, Sam! Vlw aí por me interar! A porra da internet não carregava a band nem fudendo, e aqui não passou em nenhum lado! Eu queria mesmo ter visto a quantidade de desfavores q esses dois burros falaram!!! Seleção perfeita? Oi? Será que o Parreira não estava pensando na seleção Alemã enquanto falava??? Devia estar sonhando, não é possível!!! Quanta burrice!

    • Foi nessa mesma entrevista que o Parreira leu um suposto e-mail de uma senhora que não entendia de futebol mas que defendeu o felipão? Dizem até que era apócrifa, o que não seria surpresa, já que o Parreira plageou trabalho alheio para escrever artigos e livros…

  • “Falar que eles são horríveis é arranjar desculpa esfarrapada para a derrota. Os jogadores são bons, mas todos costumam vir com um “defeito de fábrica” da mentalidade brasileira, elevada ao cubo por comissão técnica ultrapassada e a expectativa de um povo todo em suas costas. Sei que eles ganham milhões e não estou nem um pouco preocupado com o sofrimento deles… Mas se formos de novo nessa linha de “falta de dom”, perpetuamos esse erro.

    Não faltou talento. Não faltou nem raça… eles correram. Faltou organização, faltou preparo. Faltou… o jeitinho alemão”

    Não tenho nenhuma moral para falar sobre técnica esportiva, só vim dizer que estava ansiosa para ler o desfavor de hoje e que e esse texto não apenas superou todas as minhas expectativas como me deixou completamente fascinada com a escrita do Somir. Quero muito uma caneca e uma camisa da RID, vocês são um PUTA exemplo para mim.

  • Hehe, Argentina na final!
    Pouca gente tava torcendo pros hermanos. Eu estava por vários motivos, primeiro por representar o futebol da América do Sul, segundo pra foder bem os BMs que tomara que tomem outro cacete da Holanda e fiquem em último e também vamos dar uma moral pra Sally, né! Vamos ter Live no Maraca!

  • Viram no que deu ficarem vaiando a mulher e mandando ela tomar no c*?
    Ela se irritou e sustou o cheque.
    Que povo mais sem educação! … sem saúde, sem transporte…

  • Quanto a parte futebolística, já cansou essa do “dom”, foi um alívio ver o planejamento golear o improviso, a Alemanha se preparou muito bem desde a Euro 2000 e 2004 (passaram vergonha) teve no meio uma final de Copa em 2002 (o qual eles ignoraram esse sucesso momentâneo e casual), entendeu que pra copa em casa um fracasso seria possível e não implodiram o trabalho que iniciaram 4 anos atrás, investiram na formação de atletas, venceram o sub-21 Europeu 2009, não promoveram nenhuma grande reestruturação com as quedas de 2008, 2010 e 2012 no selecionado principal, entenderam que era um sinal de quase bom e não tudo errado. É por tudo isso que eu torço pela Alemanha ganhar a Copa, porque nesse meio parece que só o título serve pra consolidar planejamento e trabalho.
    Falando sobre a seleção… o que fazer agora? Manter todos que tem idade e qualidade! E abaixar o narizinho e contratar um técnico preparado, de preferência estrangeiro, que saiba convocar jogadores (volantes que saibam sair jogando, chega de Ls. Gustavos) que tem aplicação tática, e enquanto acharem que tem que implodir tudo vão queimar um ciclo atrás do outro. A seleção do Dunga deveria ser base desta, mudaram quase tudo de uma seleção que fez 45 minutos ruins em uma copa, o despreparo e inexperiência voltaram a ser características em 2014, que essa vergonha sirva de casca dessa geração pra Copa de 2018.
    Pelo menos esse 7 x 1 derruba a falácia do “somos pentacampeões, temos que ser respeitados, somos os melhores”, lamento informar BMs mas as conquistas não entram em campo, como não entraram ontem, se esse discurso for mantido esse será o primeiro dos vexames do país que parece ser do futebol (Alemanha e Inglaterra mostram nas arquibancadas de seus campeonatos nacionais que o Brasil certamente não é digno desse slogan) será submetido.
    Adendo: http://trivela.uol.com.br/nao-faltou-talento-ao-brasil-faltou-ter-um-time-bem-armado/

  • Não tem nada disso e daquilo! O fato é que são uns filhos das putas arrombadas, que ganham dinheiro pra caralho e ficam de ai meu cu, em vez de jogar.
    Jogador que faz gol contra, jogador que perde penalty e que toma goleada, deveria ser banido da seleção pra sempre.
    E cadê os teorias da conspiração pra dizerem que a copa foi comprada, depois que mudou porque o Neymar se rebentou? Pra puta que pariu! Pra puta também o Felipão que quis pagar de fodão mandando geral pro inferno, que tava com a mão na taça. E agora, quem é que sentou no pau do capeta, heim?
    Ninguém comprou porra nenhuma, o time era uma merda e tomou 7 no rabo, foi só isso. Quero ver quem será o próximo técnico pra escalar mal de novo, se bem que pior que esse timeco de vársea eu acho difícil de conseguir. Chupa, essa! Deveria ser obrigatório fazer uma tatuagem na raba desses arrombados 7×1, 7×1!

    • O meu irmão já me corrigiu falando que várZea é com Z, mas que se foda. Português é difícil e ninguém precisa saber falar ou escrever pra ficar rico, basta entrar em campo e tomar de goleada igual esses putos.

    • Eu não vejo nenhum absurdo em ter acontecido uma mudança de planos depois da lesão do Neymar Ou que o Neymar tenha sido lesionado para fazer isso. Quem me garante que ele de fato quebrou a coluna? Não estou afirmando que não, estou apenas cogitando, afinal, em 98 foi divulgado que Ronaldo teve uma convulsão e não teve porra nenhuma.

      Em todo caso, bem feito para o Felipão que disse estar com a mão na taça.

  • Sentindo falta dos comentários do Somir aqui. Parabéns Somir! Nunca tinha visto você analisar parte tática e técnica em um texto longo…. você entrou em um grupo seleto de gente que eu escutarei quando o assunto for futebol. Análise perfeita não deve nada aos excelentes (sem ironias, excelentes mesmo) Mauro Betting, Bruno Prado, Vitor Sergio Rodrigues, Rafael Oliveira, Julio Gomes e outros. Somir é um cara com o qual discutiria futebol (chamem de arrogante a vontade, não debato isso com qualquer um).
    Sally essa da banca de apostas existe muito! Tem jogador profissional que já tomou gancho e foi punido por estar envolvido nisso….. mas nesse jogo do Brasil não teve nada, nenhuma aposta de alto valor foi feito apostando 7 x 1 (nos meios que mais pagam, Inglaterra, EUA e Europa afins, só oito apostas acertaram o placar).

      • Claro que procede, mais 7 x 1 não é armado…. ninguém vende pra 7 x 1 e Ozil perdeu um gol, no contra-ataque Oscar fez 1… poderia ser 8 x 0… o que faz com essas apostas? E Sally, se você pensar vai achar teoria e explicação conspiratória pra tudo….. É muito descrédito a análise sérias e muito mais realistas e embasadas (com argumentos lógicos dentro do jogo) que explicam resultados esportivos do que essas teorias malucas que rodam no sub-mundo da internet.

        • Não conheço esse mudno, não sei julgar se é absurdo ou não. Concordo com você que quem entrega o jogo não faz esse estardalhaço todo, mas continuo achando tudo estranho. Não sei o que aconteceu, mas eu acho estranho.

    • Agradeço as comparações elogiosas.

      Eu não falo muito sobre o assunto por aqui pela falta de interesse do público médio (muito feminino), mas essa porra é interessante do ponto de vista estratégico.

  • Se o Neymar tivesse jogando seria outra história, 7 x 2. É verdade que mataram um torcedor alemão? Vi em alguns sites e até agora nada na tv, por isso ainda tenho esperança de não ser verdade.

    • É triste, mas é um caso a se pensar! Como a Sally já falou há muito tempo atrás não lembro em qual texto especificamente, é uma vergonha o país ser vangloriado internacionalmente apenas por um esporte, e não por educação e desenvolvimento científico.

  • Sally, a Alemanha te trollou com sua teoria da conspiração de que a Copa já tava vendida hein? rs

    Somir, excelente análise. Concordo praticamente 100% com tudo o que você disse.

    O Brasil tá vivendo uma entressafra de craques, um momento entre uma geração que deveria ser vencedora mas não vingou (Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Robinho) e uma geração que ainda está por vir, mas não apareceu ainda (Neymar, Ganso, Oscar). Tem algum brasileiro arrebentando na Europa atualmente? Não. Nem o Neymar, ele ainda tá mais pra promessa que realidade.

    Em 2018, pode ser que essa geração, já mais cascuda, apareça. E pode ser que novas peças surjam para complementá-la. Mas no momento, é o que temos.

    A seleção não é ruim. Felipão não convocou mal. Simplesmente porque não tinha outras opções, era isso mesmo. Só acho que foi mal armada, mal treinada. Devia ter jogado mais fechada. Só que junta a obrigação de jogar bonito + ganhar a Copa, e deu no que deu.

    E, fundamental para a derrota como o Somir citou, o despreparo psicológico. O que aconteceu entre o 2×0 e o 5×0 foi um surto. Um colapso. Tomou 1×0, já sentiu o baque, mas tava assimilando. Tomou o segundo, acabou, já era. Virou juvenil X Bayern de Munique. Alemão tava fazendo linha de passe dentro da área do Brasil, parecia pelada de fim de semana, tipo “toca pra mim que tou livre”.

    Sorte nossa que os alemães, depois do quinto, ficaram com dó e pisaram no freio. Daí o Brasil respirou e tentou juntar os cacos. Mas aí, já era. Se a Alemanha força, superava fácil o 10×1 da Hungria sobre El Salvador em 82. O Brasil tava totalmente entregue.

    Os dois últimos gols foram, como o Somir falou, consequência do jogo. Só restava ao Brasil ir pra cima, sem responsabilidade. É claro que ia se expor e tomar gol. Chutei 3 no segundo tempo, mas errei, foram só 2. E isso, de novo, porque a Alemanha não forçou.

    Por fim, e o Neymar, faria diferença? Nenhuma. Na boa, bem marcado ele não joga. Foi assim com o México, com o Chile e com a Colômbia. O q ele fez? Nada. Ele era pra ser o motor do ataque. Os 3 gols que o Brasil fez nas oitavas e quartas foram de zagueiros, e de bola parada.

    • Desde que o Neymar se machucou eu avisei que tudo poderia mudar. Fui lendo vários comentários que postatam aqui com informações estranhas, tipo Dilma desistindo de entregar a Taça depois de ter feito a maior burocracia para mudar as regras da FIFA, culminando com a teoria do Anonimo sobre apostas, e disse que fazia sentido: com Neymar de vítima a seleção PASSOU A PODER PERDER.

      Minha convicção era em outro cenário, que felizmente mudou com um acidente estranho. Ainda estou tentando entender o que aconteceu, mas se é que um dia poderei chegar perto de descobrir, não será tão cedo nem tão fácil.

      Falando nisso, alguém sabe me dizer se essa desconfiança sobre a localização da lesão do Neymar procede? Nos vídeos se mostra a pancada bem acima da lombar. Pode acontecer de bater em cima e quebrar embaixo?

      • Sally, acho teoria da conspiração tb. Não acho q ele pulou fora. Contundiu mesmo.

        Mas foda-se, com ele ou sem ele o Brasil teria peidado. Não suportou a pressão. Desde a vitória contra o Chile a gente via que eles estavam totalmente instáveis psicologicamente. Foi só jogar contra uma seleção mais bem armada e fria e que conseguiu abrir o placar pra neguinho desmoronar.

        • Tem muitas teorias circulando, inclusive uma bem embasada sobre a Espanha. Tem que ir catando uma pecinha aqui, outra ali e ver se fecha o quebra-cabeça.

          Obviamente os jogadores estão creditando essa derrota ao emocional abalado pela “covardia sem punição” que fizeram com o Neymar. Para quem joga futebol, fica minha pergunta: o emocional pode fazer isso em atletas acostumados com pressão?

      • Não, é que o pessoal tá considerando a cintura dele no fim da bunda pelo ângulo da foto. Neymar usa camisa comprida por fora do calção. A cintura dele estaria de fato uns poucos dedos abaixo do local da batida. Olhe melhor o ângulo e calcule uma bunda no que parecem ser as costas dele.

    • “Por fim, e o Neymar, faria diferença? Nenhuma. Na boa, bem marcado ele não joga.”

      Sabe que eu acho que faria? O psicológico é poderoso aqui. Acho que o clima de “fodeu” não pegaria com tanta força neles se acreditassem que tinha alguém ali para fazer mágica.

      Não acho que ganharia, mas os sete? Sei não.

  • Sobre o Brasil ter falhado em não jogar na retranca e proteger a zaga, lembrei do time da Costa Rica. Uma coisa que reparei foi que a Costa Rica em si não é um time de craques e talento maravilhoso, mas chegou longe por que sabia como segurar o jogo. Quando o time adversário avançava, a CR inteira voltava e se armava toda, era muito difícil passar.

    • Exato. A arrogância matou o time. Se fosse a Alemanha nessa situação, eles colocariam as barbas de molho e se fechariam até as coisas acalmarem.

  • Avatar

    Hugo Madeira de Lei Aroeiro

    Comentário mais escroto que vi até agora (e por isso tenho de postar aqui).

    “Olha a cara do Ronaldo. Nem com 3 travesti ele viu tanta bola entrando!”

  • Avatar

    Kiro Zuñiga Klose

    só eu acho que Miranda, Felipe luís e Alexandre Pato poderiam estar nessa lista no lugar de Henrique, Maxwell e Fred respectivamente?

    • O Pato é forçar a amizade, mas os outros dois deveriam ser titulares.

      E nem era para ter centro-avante nesse jogo para começo de conversa.

  • Melhor análise sobre o jogo que li / vi até o momento.

    Tudo que tenho visto é distribuição da culpa.

    É culpa do técnico, da ausência de Neymar Jr., do Fred…

    Ou das estrelas, vai saber!

  • Concordo com cada palavra, a Alemanha se preparou estudou cada adversário a arrogância dos jogadores brasileiros que os derrotaram esse clima de já ganhou e de somos os melhores do mundo é o que derrotou a seleção brasileira eu acho é pouco vamos ver se aprendem a lição dessa vez ou se vão ter que perder mais algumas copas

    • Pena que o brasileiro prefere criacionismo à evolução… Ou nasce “craque” ou não tem jeito.

      É, Darwin, deveria ter passado mais tempo no Brasil e menos no Equador…

  • Exato! Todos tem o defeito de fábrica da medíocre mentalidade brasileira.
    É jogador que prefere se jogar e pedir penalti a dar mais um passo e tentar fazer o gol. Jogador que pede a “deus” pra interferir no jogo. O Brasil mostrou durante a primeira fase e principalmente contrao o Chile, que não tinha o menor preparo psicológico pra enfrentar outra seleção do mesmo nível. Foi jogador chorando pra não bater penalti, jogador assistindo ao jogo de dentro do gramado, etc.
    Não apenas a Alemanhã mostrou que futebol não é mais esse esporte cagado, A Holanda também mostrou que precisa se preparar. Bateu todos os penaltis perfeitos e o treinador fez sua parte, ignorou o que pensava x ou y e trocou o goleiro que estatiscamente, demonstrava ser o melhor pegador. Resultado? Holanda classificada.

  • Essa também é minha análise, sem tirar nem por. Perderam como no xadrez: entregaram o meio do tabuleiro. Não foi problema de técnica, foi de estratégia e autocrítica. Era jogo para fechar o meio, esperar e torcer por uma chance, como foi a vitória do Internacional de Porto Alegre contra o Barcelona no mundial interclubes. Reconhecer a inferioridade e defender como nunca. Foi o que fizeram Gana e Argélia. Depois do segundo gol era para ter tirado o Fred e o Bernard, colocado o Paulinho e o William e deixar só o Hulk na banheira. A única falha remediável no futebol brasileiro é investir mais em meias-armadores nas divisões de base. As outras falhas são estruturais em todos os países periféricos: jogador bom vai pra sumpaulo (Europa) e só volta no fim da carreira. E o Felipão já tinha visto um filme parecido quando o Palmeiras tomou de seis a zero do Coritiba, na copa do Brasil em 2011. Nunca mais o Palmeiras tomou uma goleada daquelas, nem o Coritiba meteu seis em alguém. A merda é que é capaz de colocarem o Tite de técnico, para garantir empate em todas as partidas.seleção ficar

    • * e a seleção ficar “livre de goleadas”. Uma coisa é certa: goleada como essa é como o cometa de Halley. Duvido que eu veja outra em vida.

    • E pensar que deixaram passar a possibilidade do Guardiola… E por mais que o Tite tenha uma paixão desmedida por empates, se o segurarem até 2018 a coisa pode funcionar.

      Desde que seja um que tenha no mínimo a capacidade de se atualizar e entender o que acontece no futebol mundial, já vai ser um belo upgrade.

  • E quem explica o que aconteceu?

    Eu explico, o time Alemão se isolou, se concentrou de verdade, com seriedade e principalmente foco, o técnico é o mesmo há 3 anos e a maioria dos jogadores joga junto desde a Copa passada então já estavam bem entrosados e se entendiam já tecnicamente e taticamente, não teve oba-oba, não teve pagode no ônibus e nem encheção de saco da imprensa e afins. Foi a vitória da disciplina contra a incompetência.
    Gosto de pensar que a seleção brasileira é aquele aluno que fica no fundo da sala zoando o tempo todo que só passa colando, enquanto a Alemã é aquele que senta na frente e não dá papo para ninguém e só tira 10.

      • A Federação Alemã prima pela estabilidade. Teve técnico que ficou 28 anos no cargo, outro 14 anos. E os mais recentes, no geral, disputaram pelo menos duas competições importantes. No caso do Klinsmann, mesmo com a derrota em casa, ofereceram renovar seu contrato, mas ele recusou. E, com o Löw, assim como os outros, concedem estabilidade há vários anos para montar uma equipe consistente e um futebol vistoso.

        E vejam que nos clubes de lá a cultura é mais ou menos igual à de cá, de demitir os técnicos que não dão resultado logo.

        • E o Klinsmann saiu de lá para tornar o fuckin’ Estados Unidos num time competitivo! É só fazer as coisas direito… custa tanto aprenderem?

          • Somir, no Brasil custa… E muito… E quase nunca esse “fazer direito” acontece… No futebol e em outras coisas mais importantes…

    • O técnico é o mesmo há bem mais de três anos. Ele entrou depois do Beckenbauer tirar terceiro em casa (e era assistente dele, se não me engano). Foi técnico em 2010, tirou terceiro e ficou. Só aqui que técnico que tira segundo ou terceiro lugar em copa é considerado fracassado. Itália perdeu copa em casa, Alemanha perdeu copa em casa, isso faz parte do futebol. o problema foi ter escalado errado, jogado errado e mexido na hora errada. O Somir está coberto de razão.

      • J.M. de S., o Beckenbauer foi técnico da Alemanha nas Copas de 1986 e de 1990, sendo vice em uma e campeão na outra. Quando a Alemanha foi terceiro lugar em casa em 2006, o técnico era o Klinsmann, que hoje comanda a seleção dos EUA. O Joachim Löw era auxiliar dele e assumiu depois. Já o envolvimento do Beckenbauer – também ex-presidente do Bayern de Munique – na Copa de 2006 foi como membro do Comitê Organizador.

  • Eu não acho que a derrota tenha sido tão inexplicável assim. É uma questão bem tática, se você parar pra analisar todos os gols.

    A Alemanha incorporou o estilo Bayern de ser (Bayern pré-Guardiola) e adotou um contra-ataque mortal pelas alas. Muller na direita e Ozil na esquerda.

    Com a ausência do Neymar, o Felipão achou que seria de bom tom colocar os laterais pra apoiar mais. Deu pra ver no começo do jogo que quando o Brasil tinha a bola, o Marcelo e o Maicon já pulavam pra ser alas ao invés de laterais. Um plano razoavelmente bom, se ao invés de Bernard e Hulk, a gente tivesse pelo menos mais um volante pra cobrir o inevitável contra-ataque que viria. Todos os gols sairam assim.

    Digam o que quiserem, mas Tite, Mano Menezes e Muricy Ramalho não perderiam de 7 – 1 pra Alemanha.

    Além disso, ainda temos o fato de estarmos com uma geração fraca e a geração anterior ser uma decepção. Kaká, Ronaldinho, Adriano e Robinho deveriam ser os líderes desse time, todos ainda com idade pra jogar na Seleção. O primeiro tá bichado e os outros não querem mais nada com essa coisa de futebol.

    Sobre a atual geração, o Phillipe Coutinho tinha espaço nesse time, mas fora ele, a gente não tem mais meia ou atacante. Todo mundo dizia “Tem que tirar o Fred”, mas ia colocar quem, o Jô? O Leandro Damião? Rafael Sóbis? “Tem que tirar o Oscar”, pra colocar quem? O que tem que fazer é mandar a ordem pras escolinhas dos times grandes pararem de formar volante e zagueiro e voltar a colocar a molecada pra jogar no ataque e torcer pra me 2022 já ter uma geração mais ofensiva.

      • Misto dos dois, acho. A gente realmente não tem jogadores pra montar um time no papel pra ganhar dessa Alemanha, mas o Felipão tem muita culpa em não chamar nomes e treinar alternativas.

        Por exemplo, a Alemanha é muito forte no contra-ataque pelas alas. O que ele fez? Decidiu subir o Marcelo e o Maicon na esperança de fazer com que os alas alemães recuassem. Deu errado e os caras tavam nas costas dos dois o tempo todo, os 7 gols foram assim. Se os caras são fortes na ala, usa dois laterais defensivos (Filipe Luis foi vice-campeão europeu e campeão espanhol esse ano e nem foi chamado) ou então coloca pelo menos 3 volantes, pra dois cobrirem as alas. O problema é que o Felipão não entende NADA de tática, nadinha. O técnico do Chile deu um nó tático lindo no Felipão nas 8ªs, mostrou como destruir o time do Brasil e eles só não passaram por azar.

      • Falta a gurizada se espelhar nos meias argentinos, chilenos e colombianos, já que as escolinhas deixaram essa função em abandono total. Os grandes meias do futebol brasileiro atual são argentinos ou chilenos: D´Alessandro, Montillo, Valdívia… O garoto bom de bola não quer mais ser o Sócrates, o Zico, o Djalminha, o Juninho Pernambucano. Quer ser o goleador, porque dá mais dinheiro e ajuda a comer a modelo/atriz da vez.

        • Mas jogar no meio de campo não exclui ser goleador! O ego enorme do brasileiro é que o coloca nessas situações: “quero casar de véu e grinalda para ser o centro das atenções naquela noite” (e paga uma fortuna por uma festa sem nem ao menos ter uma casa própria), “quero ser atacante para ter mais destaque e finalizar todas as bolas sozinho” (daí não tem mais meio de campo que entregue a bola) e assim por diante…

          • Então por quê aquele anão do Aguero joga no ataque? E o Messi? Não é o brasileiro, é qualquer menino pobre que queira chegar no topo.

            • Messi joga no meio de campo e no ataque. Aguero eu acho um bom jogador, onde está escrito que para ser atacante tem que ser alto?

              Argentina tem bons meios de campo, como por exemplo Riquelme, um ótimo criador de jogadas que dá passes bacanas mas que é mais um entre tantos que o Messi se recusa a jogar. Não confundir a Seleção Argentina (spoiler: amigos do Messi) com os jogadores argentinos. Verón, Di Maria e tantos outros jogam muito bem pelo meio.

              • Verón e Riquelme são da geração passada e estão esticando a carreira, em pré-aposentadoria. Di Maria é uma estrela solitária nos amigos do Messi. Para ser atacante sem ser alto é preciso ser gênio (Romário, Messi). Hoje o piso para jogar no ataque é de 1,75, senão você perde os cruzamentos e as bolas alçadas da defesa. Baixinho conseguia jogar no ataque quando entrava tabelando rápido com os meias, coisa que é difícil de se ter hoje em dia. Lugar de baixinho bom de bola é no futsal.

                • Então fodeu, porque para ser zagueiro também recomendam que seja alto, e goleiro também. Não tem tanto homem alto no Brasil!

          • Eu discordo um pouco dessa visão. Todo mundo sabe que o meio-campo ofensivo e os atacantes são os mais populares, mas o Brasil não revelou ninguém nesses setores desde 2006 (nossa última seleção que dava medo em alguém). Só o Neymar. Em compensação, revelamos uns 20 zagueiros, laterais e volantes de alto nível nesses 8 anos (Daniel Alves, Marcelo, Thiago Silva, David Luiz, Fernandinho, Paulinho, Elias, etc e tal).

            O problema é de administração. Sempre há aquela crença de que a gente cria um Pelé por dia na favela, então a gente sempre vai ter ataque e então as escolinhas estão focando em produzir a defesa.

            Sabia que o treinador da Holanda tem de assinar um contrato de que ele vai fazer a seleção jogar no 4-3-3? Eles fazem isso porque eles montam esse esquema desde as seleções mais de base. Assim, os jogadores de lá saem moldados nesse estilo. É por isso que a Holanda SEMPRE tem craques para esse esquema e, mesmo quando vem uma geração mais fraca (como a entressafra entre o time de 98 e o de agora), eles dão trabalho. A Alemanha faz o mesmo, a Espanha também. Curiosamente, são as seleções que estão sempre nas cabeças (a Alemanha chegou à sua 4ª semi-final consecutiva de Copa, além de estar na semi-final nos dois últimos campeonatos Europeus; a Espanha ganhou o Euro 2008, o Euro 2012 e a Copa do Mundo 2010).

            Como tudo no Brasil, o futebol é mal administrado. A CBF deveria ser pública, não privada. O dinheiro arrecadado com a Seleção deveria ir para centros de recrutamento, de treinamento, de especialização de treinadores e jogadores. A CBF deveria pegar 4 ou 5 ex-jogadores inteligentes e enviar por turnês pela Europa, estudando por 5, 6 anos com os melhores de lá, pra depois vir pra cá e ensinar aqui. Mas daí os resultados não saem a tempo, né?

            Enfim, desculpem o comentário longo. Eu já comentei por aqui, mas tenho formação esportiva e conheço bem o cenário do esporte no Brasil. Fico muito chateado com o potencial que é desperdiçado.

            • No caso da Holanda, o apreço ao ataque é tão grande que o técnico de 2010, Bert van Marwijk, foi duramente criticado por sua equipe retanqueira mesmo perdendo da Espanha na final somente na prorrogação. E o técnico atual, Loius van Gaal, é velho conhecido nosso: treinou o Ajax que derrotou o Grêmio em 1995, base da seleção que quase ganhou da gente em 1998. E já está com a vida feita: é o novo técnico do Manchester United, um dos times mais ricos do mundo.

            • Mesmo com todas as cagadas na formação, ainda daria para usar essa força toda na geração de defensores e fazer um Brasil que não toma gol nem a pau. A esquizofrenia de formar zagueiro e querer atacar dá no que dá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: