Nomes escrotos.

Conforme prometido, aqui está a postagem sobre nomes estranhos, assunto sobre o qual falamos em praticamente todo último Live Blogging, de tão interessante que o jogo do Brasil estava… Fiz questão dessa postagem para mostrar o tamanho do absurdo. Porque se comentar apenas que o brasileiro dá uns nomes bizarros para os filhos dificilmente alguém teria a real noção do tamanho do absurdo.

Para vocês verem como é o Brasil: EXISTE lei federal proibindo que crianças sejam registradas com nomes vexatórios. Nomes que exponham a criança ao ridículo são proibidos, conforme a Lei 6015 de 1973:

“Art. 55. Quando o declarante não indicar o nome completo, o oficial lançará adiante do prenome escolhido o nome do pai, e na falta, o da mãe, se forem conhecidos e não o impedir a condição de ilegitimidade, salvo reconhecimento no ato.

Parágrafo único. Os oficiais do registro civil não registrarão prenomes suscetíveis de expor ao ridículo os seus portadores. Quando os pais não se conformarem com a recusa do oficial, este submeterá por escrito o caso, independente da cobrança de qualquer emolumentos, à decisão do juiz competente.”

O cartório deve recusar o registro e se os pais ficarem insatisfeitos com essa recusa, podem solicitar a abertura de um processo administrativo gratuito e um juiz decidirá se o nome pode ou não ser utilizado. Ou seja, fica a critério da discricionariedade e do bom senso do brasileiro, tanto dos pais, como do cartorário, como do Juiz. O resultado do bom senso do brasileiro você pode observar aqui, ao longo do texto. Pessoas de bom coração não rirão. Impopulares certamente.

O Brasileiro Médio acha aceitável pegar seu bebê nos braços, olhar para a cara da criança e dizer: “Tem cara de ANTONIO VEADO PREMATURO”, se dirigir ao cartório mais próximo, pedir este nome e ser atendido sem o menor estranhamento. Ou então pegar a sua bebê no colo, olhara para ela e dizer “Tem cara de BUCETILDES” e igualmente proceder. Não, querido leitor, os nomes citados nesse texto não são invenção da minha cabeça, são nomes que de fato foram registrados por cartórios brasileiros. Falhou o bom senso de várias pessoas para que estes crimes hediondos contra a dignidade da pessoa humana se consumem.

São tantas emoções que eu nem sei por onde começar. Vamos estabelecer categorias. Gostaria de começar falando dos nomes que se valem de substantivos inadequados, por exemplo, Asteróide Silvério. Como bem disse um Impopular no Live, quem seria o irmão dele? O Cometa? Pobre (não enquanto classe econômica, pobre de espírito mesmo) deve ter escutado a palavra “asteroide” e curtiu a sonoridade. Usar a cabeça para pensar pra que, né? Achou bonito, taca logo o Asteróide no filho, não vamos perder nem três segundos tentando antever os problemas que isso pode causar, se temos vontade de fazer alguma coisa, devemos fazer sem pensar!

E assim, sem pensar, surgiram nomes como Marciano Verdinho das Antenas Longas, EterSulfurico Amazonino Rios, Felicidade do Lar Brasileiro, Benedito Camurça Aveludado (deveria ser um bebê bem macio), Esparadrapo Clemente de Sá, Agrícola Beterraba Areia, Capote Valente Marimbondo da Trindade, Francisco Zebedeu Sanguessuga, Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado, Céu Azul do Sol Poente (não tem como essa criança não ter se tornado um hippie),Estacio Ponta Fina Amolador,Hypotenusa Pereira, Deus É Infinitamente Misericordioso (não com essa criança, pelo visto), Jose Casou de Calças Curtas,Antonio Treze de Julho de Mil Novecentos e Dezessete, Graciosa Rodela de Alho, Bizarro Assado, João Cara de José, Hugo Madeira de Lei Aroeiro, e, o ápice da sacanagem, Argentino Argenta (não, eu não estou mentindo, isso está registrado em cartório).

A lista prossegue, só mudei de parágrafo para que vocês respirem entre uma crise de riso e a outra. Continuando: Magnésia Bisurada do Patrocímio, Ilegível Inilegível, Primavera Verão Outono Inverno, Ministério Salgado, Lança Perfume Rodometálico de Andrade (papai era drogado, com certeza), Janeiro Fevereiro de Março Abril, Necrotério Pereira da Silva, Sebastião Salgado Doce, Fraternidade Nova Iorque Rocha, Restos Mortais de Catarina, João Cólica, Placenta Maricórnia da Letra Pi, José Catarrinho, Leão Rolando a Pedreira, Rolando Escadabaixo, Manganês Manganésfero Nacional, Natal Carnaval, Oceano Atlântico Linhares, Primeira Delícia Figueiredo Azevedo, Remédio Amargo (essa mãe tomou abortivo e não deu certo), Rocambole Simionato, Vicente Mais ou Menos de Souza, Safira Azul Esverdeada, Última Delícia do Casal Carvalho, e o clássico Um Dois Três de Oliveira Quatro.

Tem alguns que, de tão ilustrativos mais parecem legendas e não nomes. Nos permitem uma leve percepção do que aconteceu para que aquela criança acabe com a vida totalmente desgraçada pelos filhos da puta dos pais. Nomes como: Caso Raro Yamada ou Colapso Cardíaco da Silva. Já em outros, é melhor nem se perguntar o que aconteceu. Coisas como: Joaquim Pinto Molhadinho, José Xixi, Mijardira Pinto, Otavio Bundasseca, Manolo Porras y Porras, Manoel Sovaco de Gambá e o mais legal dessa categoria, Maria Privada de Jesus. De fato, essa Maria foi bem uma privada de Jesus, pois, no caso, Jesus CAGOU para ela e ela acabou com esse nome escroto, coitada.

Temos também a categoria “homenagens”. Pessoas toscas que decidiram homenagear famosos, marcas ou lugares em seus filhos, muitas vezes errando a grafia. Começamos com o papai-mercenário que achou bacana chamar seu filho de Chevrolet da Silva Ford (vai gostar assim de carro na pqp!). Nessa categoria temos figuras históricas (distorcidas) como Sansão Vagina, Voltaire Rebelado de França, Faraó do Egito, Napoleão do Estado de Pernambuco, Napoleão Sem Medo e Sem Mácula (pelo visto Napoleão é tendência), Plácido e Seus Companheiros, Nostradamus Brasileiro do Acre, Flavio Cavalcante Rei da Televisão, Disney Chaplin Milhomem de Souza, Padre Filho do Espírito Santo Amém, Letso (provavelmente em referência a LetsGo), Madinusa (após ler MADE IN USA em um produto), MariliMorrói e para fechar, uma homenagem ao próprio casal: Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel.

Confesso que não sei como classificar esta próxima categoria. Algo como “Papai e mamãe usaram drogas” ou simplesmente “Porque?”. Nomes inventados, misturados, escrotos: Simplício Simplório da Simplicidade Simples, Comigo É Nove Na Garrucha Trouxada, Carapunfada Dores Fígado, Darkson Stick Nick da Silva, Pália Pélia Pólia Púlia dos Guimarães Peixoto, Danubio Tarado Duarte, Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco, Holofontina Fufucas, Esdras Esdron Eustaquio Obirapitanga, Lindulfo Celidônio Calafange de Tefé, Himineu Casamentício das Dores Conjugais, Finólia Piaubulina, Firdundio Eulâmpio, Alrirwertom Wescrelteniz Phissihouae, o meu favorito, Jotacá Dois Mil e Um Juana Mula (é tudo um nome só). Troféu Baby do Brasil para esses pais. A criança que cresce com um nome escroto se acostuma ser escrotizada, daí abre um processo para mudar seu nome de Riroca para Sarah Sheeva. Parabéns aos envolvidos.

Agora vamos para a modalidade coletiva. Porque tem brasileiro que não contente em desgraçar a vida de um de seus filhos, humilha a todos eles de forma bastante democrática, muitas vezes em conjunto. É o caso das irmãs Xérox, Fotocópia e Autenticada. O governo deveria fornecer antidepressivos de forma gratuita para pessoas com esse tipo de nome.Tem também os irmãos Cedilha, Vírgula, Cifra e Ponto e os gêmeos Kung Fu José e Kung Fu João. Talvez seja um fardo menos pesado quando você tem um irmão ou uma irmã com você para dividir o bullying na escola.

A escrotidão também pode passar de pai para filho, como no caso da mimosa família onde o pai era Fredolino e, provavelmente, para não ter o nome mais escroto da família, resolveu chamar deu filho de Merdolino. Olha que amor! Ainda na categoria irmão, mais dois exemplos fascinantes: Rebostiana e Euscolástivo formando a primeira dupla e Creio Em Deus Pai Kramer e Espirito Santo Riograndense Kramer formando a segunda dupla. Para fechar a categoria “Em Família”, um Flamenguista imbecilóide achou bacana chamar seus filhos de Flamena e Zicomengo.

O curioso é que muitos desses infelizes carregam o “junior” no nome, mas o papai não tem o mesmo nome cagado! É o caso, por exemplo, de Frankstein Junior. Muito fácil colocar o nome do filho de Frankstein Junior quando o seu é João da Silva. O mesmo aconteceu com o coitado do Kevinson Junior, cujo pai é Rafael. O Brasileiro Médio não compreende que “Junior” é uma forma de formalizar que o filho tem o mesmo nome do pai, muito menos que não se escolhe nome de filho pensando apenas em gosto pessoal e sonoridade, é preciso que seja algo digno também.

Tem a categoria “Brasileiro quando tenta falar difícil só sai merda”. Temos, por exemplo, Abias Corpus da Silva (certeza que papai era bandido) ou o conhecido caso onde o popular não conseguia pronunciar corretamente um nome complexo que havia escolhido e o sujeito do cartório menos ainda anotar. Depois de pedir para repetir várias vezes o nome, o pai da criança perdeu a paciência e disse “Já falei!” sucessivas vezes. O resultado foi o belíssimo nome Jafa Lei. Não ria, o que mais tem é gente que escolhe um nome que não sabe pronunciar (pobre tem aqueles probleminha com encontro consonantal: quando é R falam L, quando é L falam R), daí vem os Craudios e as Cleusas.

E não venham me dizer que todos esses nomes foram dados antigamente, quando não havia muito controle nos cartórios. Tem muito nome escroto recente, coisas como Kaelisson Bruno, em homenagem ao grupo KLB (composto por Kiko, Leandro e Bruno) ou Free William da Silva (em uma tentativa de homenagem ao filme da baleia).

Tem também as gêmeas Jabulani e Vuvuzela e o clássico Leidi Dai. O próprio Rei do Pop inspirou nomes recentemente, com sua morte, pena que a grafia deixe a desejar: amenos pior, para vocês terem uma ideia, é Maicon Jakisson de Oliveira. O resto gira em torno de Maycom Géquiçom, chegando ao sensacional Maiquel Edy Marfy, que mistura Michael Jackson com Eddy Murphy. E nem quero começar a falar das derivações que criaram na tentativa de chamar o filho de “Wolverine”, que, ainda que fosse escrito da forma correta, seria escroto.

Vamos dar uma pausa nas gargalhadas para aprofundar a visão. O lado triste disso é que vivemos em um país onde a população, no geral, parece não ter um pingo de discernimento. Eu gosto de acreditar que os pais sempre pensam no melhor para seus filhos e não tem interesse em sacaneá-los. Ainda assim, todos os dias dezenas de nomes escrotos são registrados (eu fiz uma bela peneira aqui, deixei de fora muito nome inacreditável).

Pessoas que tomam uma decisão importante como o nome que o filho vai carregar para o resto da vida (e tudo que isso implica) dessa forma ou são burras de não perceber os desdobramento de nomes bizarros (ou sequer perceber que os nomes são bizarros) ou são muito irresponsáveis e egoístas de passar por cima disso e comprometer a vida do filho porque estão com vontade de colocar aquele nome e pronto. Em ambos os casos, desesperador.

Vivemos em um país onde chamar o filho de MARCIANO VERDINHO DAS ANTENAS LONGAS é aceitável para um cartório e talvez até mesmo para um juiz. O que se pode esperar de um povo que não tem bom senso com aquela que, ao menos em tese, é a pessoa que mais ama no mundo? Nada, não se pode esperar absolutamente nada. Se com os filhos, que é quando uma pessoa dá o seu melhor, é isso, imagina no trabalho, no casamento ou na hora de exercer sua cidadania. Gente que fala que não compra um cachorro porque tem pena de deixar o bichinho sozinho o dia inteiro pois trabalha muito mas tem filho. Gente que está além de qualquer resgate intelectual.

E a imbecilidade se estende aos funcionários de cartório e muitas vezes ao Judiciário. Não há esperanças. Preparem-se para gerações de Neyma Junior, Dilma Ru Séf, É Hexa Porra e coisas piores. Ficam essas aberrações linguísticas passeando por aí, porque nome simples é “sem graça” na Pobrelândia, e quando se deparam com um nome como Sofia, soltam um “diferente, né?”. Diferente porque? Talvez por não ser cheio de consoantes duplicadas, Y, W… É, minha gente, em breve pessoas com nome normal serão minoria hostilizada. Já posso ver um pobre João sofrendo bullying na escola e querendo mudar seu nome para Jhohonnye para se adequar.

Para dizer que não gostava do seu nome mas depois dessa nem vai mais reclamar, para compartilhar nomes escrotos que você tenha visto ou ainda para dizer que não adianta dar nome bonito porque brasileiro inventa apelido escroto: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (243)

  • Conheço o Xerox Miguel Porfirio, O filho dele, Carimbo e Também conheço o Nostradamus Brasileiro do Acre, que por coincidência, mora no Acre. Fui vizinha tanto do Nostradamus, quanto do Xerox, que morou um tempo em Rio Branco. Só acreditei que tinham esses nomes porque pedi documentos pra ver.

  • Acho que o autor está um pouquinho desinformado para achar que essa escrito e só existe no Brasil. Nos EUA tem nomes ainda piores pois lá nem sequer há uma lei sobre o assunto. Na Europa tem até sobrenomes que são ridículos.

    • Erick, em primeiro lugar sou autora. Em segundo lugar, apresentei uma tese sobre isso, mal informado é você. Em terceiro lugar, ridículo é um conceito subjetivo, depende do discernimento da pesso. E, por fim, sobrenome a gente não escolhe, então, por óbvio, foge à discussão do texto.

  • Tenho um amigo farmaceutico que tava vendenfo antibiotico para um cachorrinho. Entao, pra finalizar a venda perguntou o nome. Eis, que o dono do pulguento diz que e Lukky, e meu amigo, na maior boa vontade e paciencia, diz que o nome que precisa saber e o do dono. Entao o cara diz, que Lukky e o nome dele. O cachorro provavelmente era Andre ou Felipe.

  • No “MTV na Rua” havia disputas sobre o nome mais feio da plateia de cada um de alguns dos programas…Em uma a vencedora foi PUQUÉRIA ! E a apresentadora Penélope Nova, claro : “(Ganhou – mais votada – porque) Começa com pu todo mundo se anima” ! xD hahahahahahaha, HUE BR !!!

  • Eu agradeço pelo nome que tenho, que apesar de não ser do mais bonitos pelo menos é normal, pois na verdade quando nasci, minha avó paterna queria que meu nome fosse EXPEDIRENE, explico: maranhense tem esse papo de juntar os nomes dos pais e colocar nos filhos, como meu pai é Expedito e minha mãe é Irene, ela queria porque queria me por esse nome do diabo, ainda bem que a mamãe não permitiu, já pensou na escola como ia ser isso/! Todo mundo sabe que criança não é gente.

  • Infelizmente meus pais acharam legal dar nomes estrangeiros aos seus 4 rebentos, tivemos sorte de terem escrito corretamente mas mesmo assim eu acho Louise estranho.

    A caçula se chama Rachel, preciso dizer como pronunciam?

  • Estava lendo o arquivo do último live e vi que alguém falou do Lazaroni, aí me lembrei de mais um nome escroto: Inorazal. Sim, ele é parente do cara.

  • Hahah, Free William…e os irmãos seriam Shamu e Tilikum. Eu não gosto de Sofia, acho um nome de velha. Estou desconfiando que esse seja o nome real da Sally…
    Ainda bem que meu nome é bonito.
    Então vou compartilhar alguns nomes “bonitos” que eu vi ou ouvi por aí:
    Any – O nome é Anne, fica lindo ser chamada de qualquer…
    sheron – o nome é shAron.
    ericksson – aí pessoal fazia piada, chamando de motorola, nokia
    Islanda (lembrei porque comentaram de Australia)
    Bruma
    Sangelo
    Tiny Tunes (não me perguntem como se escreve nem se é menino ou menina).
    Orebe – dizem que é da bíblia
    Ou então quando querem inventar que todo nome que termina com A tem que ter a versão terminando com E (e que todo mundo acaba pronunciando como I). Aí saem coisas lindas como a repórter que eu vi outro dia na televisão, Natashi.
    Também acho feio coisas como Ella, Emma, Linda, Cara, Donna, Viola… sei que em outros países não tem o sigificado que tem aqui, mas fica estranho ler.
    Me diga, Sally, ter vários sobrenomes deixa o nome escroto ou não? Ou ter um só é que é escroto?

  • Aí eu fui fazer ecografia do meu rebento e o técnico puxou conversa: perguntou como eu estava me sentindo e se eu já tinha escolhido o nome. Eu respondi: Matias.
    O cara parou de me examinar, me lançou um olhar de incredulidade e perguntou: “Jura??”. Já ia dizer uns desaforos e mandar o cara cuidar da própria vida quando ele lança essa: “Puxa, moça… Até me devolveu um pouco da fé na humanidade. Ainda há pouco atendi uma mãe daqui toda faceira pq ia ter um menino, o Rhyann Wilkhynson…”

  • Conheci uma ILOVENY uma vez… o pior, é que não soa tão ruim. Mas quando você descobra que é com Y… I s2 NY soaria melhor. haha

  • Avatar

    Tchulim Tchu Flai

    Tinha um Jheannesflayquyshydeyx que estudou comigo no Centro de Formação de Condutores. E segundo ele, a irmã tinha o nome pior ainda.

  • Nossa! quanta bizarrice de nomes… ri muito aqui.
    Aí vai alguns pelos quais já me deparei:
    Iddesgilayne
    Ocridalina
    Cregislaine
    Mis Lene
    Dierli…

    OBS.: Havia tempo que não entrava no RID (estava sem net) e hoje quando acesso o blog me deparo com esta mudança no visual, AMEI! Parabéns, Somir e Sally.
    Estava com saudades! :D

  • Eu trabalhei alguns anos com um órgão de assistência social e pelamordedeus.

    Tem três tipos de nome:

    Nome composto: junta dois ou até três nomes em um. Familiares, celebridades, times de futebol. Wanderclayson, Palmernácio, Eleazana, Kevellyn, Williendrius e derivados.

    Nome “chique”: Nomes americanos e europeus escritos errados. Jennifer era o campeão das meninas, e Johnny era o campeão dos meninos. Abominações como Dyennyffer, Dione e outros eram bem comuns.

    Nomes de artistas e personagens fictícios: Atores e jogadores de futebol, personagens de filmes. Um que eu não esqueço era uma moça de uns vinte e tantos anos que tinha um menininho chamado Carlos Antíbes. Sim, o Caco Antíbes do Sai de Baixo. Outra era uma menina chamada Hermione, como no Harry Potter.

  • Ia comentar do Lisarb também, figura famosa em alguns blogs por aí. Mas conheço outros exemplos igualmente bizarros:

    – Quando o Palmeiras ganhou a Libertadores de 1999, um sujeito registrou a filha com o nome Parmalat.
    – O jogador Odvan tem esse nome porque sua mãe gostava de uma música de Roberto Carlos chamada “O Divã”.
    – Em Goiás havia um delegado chamado Hitler Mussolini.
    – Já conheci uma Austrália, uma América e já estudei com uma menina chamada Jamaica.
    – Uma tal de Paulinha, ex-bbb, tem 2 irmãos chamados Sdaourelos e Dsoruelos. Ambos são anagramas dos nomes dos pais, Saulo e Dores.

    • Também estudei com uma Austrália!! Meus irmãos e eu costumamos dar apelido de “nominhos”, cada vez que a gente encontra essas pérolas… É cada uma de dar medo!

  • HAHAHAHAHAHAHAHA! Juro que é quase inacreditável que existam esses nomes! Eu chorei de rir, minha barriga chegou a doer!!! Marcianinho Verdinho de Antenas Longas! hasuhauhuashuahhuas…
    POR QUÊ?
    É, o brasileiro médio é realmente estranho e escroto!!!

  • Lembrei de outro caso na família. “Mei mei”
    Nome para uma menina, segundo contam o cartório aceitou mas o padre se recusou a batizar com esse nome alegando ser nome de um espírito, coisa contra o cristianismo… aí na certidão de batismo consta “Maria mei mei”…

    • Porque faz toda a diferença colocar um Maria na frente! Hahaha
      Vou tentar batizar uma criança chamada Maria Satanas…

  • Na minha família há um rapaz chamado “Jhon Leno” (com a grafia errada mesmo) em homenagem ao falecido cantor. Até aí ok… mas nasceu a irmãzinha dele e “pra combinar” o nome dela é “Jheans Lenne” (pronuncia-se “Diâncilene”).

    Ainda bem que minha mãe me deu um nome decente que obviamente não é sara.

  • Quando fui tirar meu título de eleitor tinha um cara que queria mudar o nome. A funcionária pergunta pra ele:
    -Qual seu nome?
    -Baruíldo.
    -E o senhor deseja mudar para qual nome?
    -Biruíldo.
    Eu saí para rir.
    Apesar de ter ficado mais escroto, pelo menos foi um nome que ele escolheu.

    • O cara que se chama João Bosta e muda o nome para PEDRO BOSTA!

      O brasileiro é fascinante! Ainda bem que voce saiu para rir, eu nao teria aguentado e teria rido na cara!

  • Avatar

    Vanessa Roberta

    Mamãe se chama Valdiege e titia Valderez, então nunca reclamei do meu nome de mocinha de novela mexicana! Já conheci uma Valdivia, uma Poolieeny e sou amiga de uma Raio de Luar….pensando bem Vanessa Roberta soa quase bem…hahahahah

  • Como professor já peguei muitas coisas estranhas… vou descrever uma delas, especialmente devido ao escore extraordinário de hoje à tarde… ano passado tinha um aluno “Rhanz” isso mesmo com essa grafia… certo dia perguntando ao menino, bom aluno por sinal, disse: “Filho por que Rhanz? E, surpresa pela resposta do moleque: “Sabe como é pobre né professor… meu irmão é Robervaldo (sensacional), minha irmã é Rosicleidy (espetacular), ai o pai queria um nome com “erre” pra mim também; então no cartório ele perguntou se Hans, era com “erre”, e o funcionário disse que sim… logo registrou “Rhanz” “… e completou: “deveria ter registrado “Sapo” “.

  • Brasileiro simplesmente não tem noção. Não posso expor os exemplos da familia, mas posso expor meu drama: eu me ‘escoro’ no apelido q meu primeiro nome possibilita, até o e-mail do trabalho é meu apelido. Simplesmente porque não é nada de outro mundo, mas brasileiro além de não saber dar nomes também não sabe ler e me irrita profundamente ouvir meu nome errado ou lê-lo com a grafia errada, sendo que não é nada de outro mundo (eu juro que não é, rs). Pra completar, o segundo nome (sim, é nome composto) é de santa (só uso abreviado) e o que seria sobrenome é um nome próprio masculino, já que minha avó analfabeta registrou meu pai apenas com nome composto, sem o sobrenome dela que era mãe solteira e muito menos do meu avô, que era casado com outra mulher. Cadê o cartório aí pra intervir? Logo cedo, uns 8 anos, isso me incomodava, porque sempre fui quieta, tímida, na minha e morria por ter que me explicar, rs. Só queria passar despercebida. Depois criei meus mecanismos de defesa, e hoje até gosto, não mudaria não. Dou graças por ter estudado, a pobreza de espírito que permeia a família é triste, tanta coisa errada que essa questão de nome vira detalhe. Sinto mais que, numa avaliação de emprego, por exemplo, nem tenho meu mérito avaliado se o critério nome de pobre for, de fato, excludente. Pra uma pessoa que tem network zero (não por princípios, mas por incompetência mesmo) é foda… Tá fácil existir nesse país não…

  • Esse tipo de assunto é engraçado pra burro e delicado ao mesmo tempo, a grafia do meu nome também não foi fácil de ser superada (aprendi a escrever rápido, mas ter que soletrar, mostrar rg e a pessoa ainda errar foi a lição de uma vida), hoje eu me identifico com ele do jeito que é e não tenho coragem de mudar. Ainda assim, tenho 5 segundos de “vida normal” quando eu falo e escrevem da maneira mais simples, chego até a suspirar.
    Mas nem por isso eu deixo passar em branco alguns nomes como Beybi Karin, juro. Para mim, ao lado de Marmilérverson (uma amiga que trabalha numa prefeitura do sul do País me contou esse), forma o par mais estranho que já vi.
    Isso de pai com nome escroto repassar o nome para o pobre Junior eu já vi muito também. Colocam nos filhos os seus próprios nomes tenebrosos e depois ficam chamando os moleques por apelidos “normais”.

    • Não entendo, a pessoa sentiu na pele, ela sabe o fardo que é carregar aquele nome… e passa para o filho! Quer dizer, a egolatria de se auto-elogiar é maior do que a vontade de evitar um mau momento para o filho!

  • Quando eu era pivete, reclamava do meu nome a torto e a direito (graças a alguns coleguinhas que falavam que meu nome era nome de cachorro). Com o tempo eu passei a dar mais valor a ele, por dois motivos.
    Primeiro quando comecei a ver que poderia ser bem pior, tanto pela minha família mesmo (que conta com um exemplar chamado “Ronivaldo”) quanto por sempre errarem meu nome se eu não soletrar, adicionando consoantes bisonhas como “h” e “y”. E, segundo, quando comecei a trabalhar atendendo pessoas com nomes do tipo “Rarlideividson”, “Rollys”, “Thiphanny”, “Robson da Boa Morte” e “Yericksson”.
    Em tempo: faltou a história da mulher que se chamava Avagina, em homenagem à Ava Gardner e Gina Lollobrígida.

  • E eu que sempre reclamei de me chamar Paula…
    O mais estranho que já vi pessoalmente foi Líndally. É minha amiga e só a chamo de Linda. Também já conheci um Maycon, mas tô vendo que essa “vivência” foi até light haha

  • No meu trabalho já atendi várias pessoas com nomes diferentes, mas os piores foram Oceano(homem) e Habylabhyanca(mulher) esse eu nem conseguia pronunciar mas a própria me ensinou: Ábilabianca.

  • Sally, já trabalhei com uma Isterlene (que preferia ser chamada de Ister) e uma Eleonai.

    Mas o pior é um cliente meu: seu Genésio é um senhorzinho de idade muito simpático, um dia o filho dele veio no escritório para me trazer um documento e o pobre rapaz se chama OISENEG! Ou seja, ele deu pro filho o próprio nome, só que ao contrário! Porque Junior/Filho é pros fracos.

  • Sally, falando em nomes, ou melhor… em sobrenomes: e quando encheção de saco por causa disso? Quer dizer, em minha família (italiana) tem toda uma chatice de “preservar o nome/a integridade e o brazão da família bem como os anos e anos de dinastia e história…” bahh! Sinceramente? Não sou tão “patriota” assim não viu? Tem horas que dá vontade de fugir pra bem longe de certos parentes que até me envergonham!

  • Até hoje acho engraçado quando lembro do Matheus Alegria que tinha na escola. kkkk Esses nomes com ênfase nas consonantes como Claydssonn, Richarlysson, Wellington e etc é atestado de bolsa família.

  • Bom, eu posso falar por causa propria.
    Meu nome não é só “Cris”,tem uma continuação mas todos me chamam assim porque é mais fácil, acho que a Sally consegue ver já que esta completo no meu email, só não vou escrever aqui para preservar meu anonimato, não por vergonha.
    Enfim,sofri muito quando criança, todos, até os professores riam quando pronunciavam, muitos nem sabiam a pronuncia correta e ate hoje é muito dificil alguem acertar de primeira, já acharam que eu era homem, já me perguntaram da onde minha mãe tirou esse nome (eu tambem não sei,rs) e muitos até me sugeriram para que eu entrasse na justiça para que ‘anulassem’ o primeiro nome e deixasse somente o segundo (sim,pra piorar ainda é composto).
    Depois de muito penar na infancia e adolescencia, eu comecei a encarar os fatos.Não iria mudar meu nome porque era estranho, apesar dele realmente ser, eu passei a ver as coisas por um angulo diferente,dificilmente eu vou ser vitima de algum golpe ou havera alguma pessoa com mesmo nome que eu , entao simplesmente aceitei. E cá estou hoje, feliz, quando alguem ri ou faz algum tipo de piada eu concordo e digo : É realmente meu nome é estranho! E tambem dou risada junto.

  • Os que já vi:

    José Rinaldo – O pai baiano chegou no cartório e falou “Zé Rinaldo”. Entenderam que Zé era José, mas não que Rinaldo era Reinaldo.

    Elioenai – Já vi tanto num rapaz como numa menina.

    Raueriquissom – Demorei 2 meses para conseguir falar o nome do sujeito sem ser de forma pausada.

    Jhony Walker – Só gostava de ser chamado pelo primeiro nome.

    Dannizele – Quando chamada pelo nome, sempre fazia careta e falava Dani.

    E entre outros como: Charlesvaldo, Rickson, Luhena…

      • Sally, existem mais de dois, eu acho. Tive um cliente que se chamava Letisgo. Ele dizia que a pronúncia era “leTISgo”…mas acho que os pais devem ter tentado colocar let’s go. Também trabalhei com um colega que se chamava Jerfeson, ele contava que a mãe escolheu o nome mas o pai nunca soube pronunciar, e o cartorário escreveu do jeito que incorreto que o pai falou, tadinho. E tive um cliente, religioso, que detestava o nome dele: Devilson, hahahaha!

  • E nomes bizarros de jogadores de futebol? Tem vários “Maicon” e “Maicossuel”. E em jogos de time pequeno contra um grande na Copa do Brasil costumam aparecer uns nomes, no mínimo, escalafobéticos. Lembro de um goleiro chamado Marleudo. Isso mesmo: Marleudo. E o cara fez várias defesas naquele dia, obrigando os narradores a gritarem várias vezes: “Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrleeeeeeuuuuuuudoooooo!!!!”

  • eu juro que não trabalho em cartório mas já me deparei om vários nomes bizarros, entre eles(leia-se os mais fáceis de lembrar:
    Henryyqui
    Edglévson (eu acho que se escreve assim)
    Jocicrêidison
    Ayrtom Sena da Silva

    Divirtam-se

  • É Hexa Porra, ahahahahhahahahahahahahahha!!!
    O que mais acho engraçado, Sally, são aqueles nomes que, quando você escuta, você sabe que é de pobre, não tem jeito! Costumo dizer, que tem certos nomes que sepultam o destino de uma pessoa no fracasso… mas não tem jeito, o BM acha sonoro, o BM coloca!

  • Avatar

    Caio Nome Simples Graças a Jhá

    O nome do pai de um primo meu é RADAR e sua irmã é SONAR. Isso mesmo. Acho que o pai deles era controlador de voo ou alguma coia desse tipo.

    Eu dou aulas para alunos com nomes muito tocos, sempre tem as Leidy DAY e variantes da vida, um e chama Lee Jackson; o pior, o que eu me surpreendi é um que se chama UÓSTON. hAHAHA

  • Olha, mas até a colônia adotou esse comportamento, de não poupar seus filhos de constrangimentos ao querer integrá-los rapidamente à nossa sociedade, para deixar de sofrer preconceitos. Daí surgiram pérolas como Aparecida Sumida, Ken João Komia, etc. Ou então procurando aportuguesar o nome para facilitar a pronúncia, por exemplo, trocando o “V” por “W”, resultando em sobrenomes bacanas como Sugavara, etc.

    Ou então adotando o costume tupiniquim de colocar dois sobrenomes nos filhos. Aí poderíamos ter receitas para desastre: “Kudo Endo”, “Sugavara Nakama” ,”Baba Nakama”, “Kagada Nakama”, etc… Se é que já não há casos por aí.

    De resto, não só a questão do bullying, mas também no lado profissional. Um amigo foi contratar um estagiário para seu escritório. Foram tantos currículos iguais (nivelados por baixo), que ele descartou rapidamente quem se chamasse “Kristinny”, “Karoliny”, “Chaianne”, “Glenderson”, entre outras merdas, pois a correlação desses nomes com domicílio na periferia era de quase 100%.

    Sem falar que dificulta a vida de quem tiver que se relacionar com essas pessoas. Faz tempo que não passo em Congonhas, mas, da última vez, a companhia aérea cujo dono morreu achando que sabia pilotar um helicóptero colocou nas atendentes crachás com nomes de putas americanas: Cherry, Crystal, Brianna, Jennifer, etc. etc.

  • Se vc tivesse uma filha, colocaria nome de Sofia? E se fosse menino? Meu namorado se chama Abner e tem maior complexo do nome. Vc se casaria com alguem chamado Marciel? Hahahahaha

    • Eu não colocaria Sofia porque teve um surto brega de Sofia depois do livro O Mundo de Sofia, que por sinal, eu detestei.

      De onde saiu ABNER? Tem alguma explicação?

      • Abner era o vizinho da Feiticeira (do seriado americano, que depois teve filme com a Nicole Kidman). Minha mãe assistiu muito A Feiticeira!

        Eu adoro Sofia, mas também não gostei do livro O Mundo de Sofia!

        Meu nome é moda na minha faixa etária, sempre estudei com várias outras, mas adoro!!! Dei sorte!

      • “Vai se”?

        Kkkk

        Coloca logo Sofia Sthephany da Silva…

        Ah, e “vai se” tem acento no se. O certo é “vai sê”. Kkkk

  • Avatar

    Hugo Madeira de Lei Aroeiro

    “Significado do Nome Hugo

    Hugo: Significa “coração”, “mente”, “espírito” ou “o pensador”, “inteligente”.

    Tem origem no germânico Hugi, derivado do elemento hug, que significa “coração, espírito, mente”. Há autores que também o traduzem como “o pensador” ou “inteligente”.

    Na Alemanha é muitas vezes adotado como um apelido dos nomes iniciados em Hug ou Hugo, não muito comuns na língua portuguesa. Surgiu na Inglaterra no século XII graças aos normandos, mas só tornou-se popular no século seguinte.

    Na Escócia e Irlanda foi utilizado para substituir os nativos Aoidh, Aodh, Eoghann e Uisdeann. A forma latinizada “Hugo” é bem mais recente e é mais comum pelos falantes das línguas espanhola, francesa, nórdica e do latim, além do português.”

    Isso explica muita coisa…

      • Tenho dois nomes, todos estão ligados a fé/catolicismo, aí coloquei “sam” na pesquisa…. não tem jeito devo ser escolhido….

      • Avatar

        Hugo Madeira de Lei Aroeiro

        Não tem problema eu procuro pra vc.

        “Sabe o que quer da vida, e também como chegar lá.
        Tem grande habilidade para envolver as pessoas que podem ajudá-lo a tocar e realizar seus projetos, não se importa em ter que usar um teatrinho quando necessário.
        Possui uma sensualidade que não passa despercebida por ninguém, e aprendeu a se valer desta arma. Principalmente entre quatro paredes.
        Mas tome cuidado pois é um grande perigo se tornar dominador demais.”

        Gostei da parte do ‘perigo de se tornar dominador demais’…rs

          • Tá parecendo horóscopo! Onde você achou isso Hugo? Então Sally, é esse tipo de balela que merece uma bela análise cética….

          • Avatar

            Hugo Madeira de Lei Aroeiro

            Ah. Cada site que vc entra tem um significado diferente. Parece horóscopo.

            Mas fica a informação inútil.

            • É, de fato, em cada site há uma informação diferente, mas esse estudo dos “nomes” tem fundamento sim. Está relacionado à linguística histórica: não só o desenvolvimento da língua, mas também da derivação de nomes outros advindos de “pessoas importantes” no decorrer da história da humanidade. Se a gente for lá atrás (lê-se: roma/grécia/antes do latim, hindu-europeu etc) veremos meia dúzia de nomes importantes que realmente “entraram para a história” e, a partir deles, foram criando outros nomes.

              Só que sinceramente, apesar dessa fundamentação histórica, em tempos pós-modernos de liquidez em que “quase” tudo é aceitável, não acho que realmente o seja no que concerne à criatividade do brasileiro em sair criando nomes por aí.

    • Eu nasci no dia da Deusa Diana.
      Mas meu nome foi escolhido porque era um apelido da minha avó, meu pai quis homenagear, sequer faz ideia da história do nome. A agradeço todos os dias, imagina se o apelido dela era algo pejorativo?!

    • Já meu nome não tem origem tão nobre assim. Começou com Dallas, aquela novela americana que durou treze temporadas e passava na Band, que tinha uma personagem chamada Sue Ellen, casada com um magnata do petroleo.

  • Já repararam que às vezes eles põem um nome composto, sendo que o primeiro nome é todo bizarro e o segundo é mais normalzinho?
    Tinha uma guria no curso que eu fiz, e todos a chamavam de Let. Só quando eu estava quase acabando o curso que soube que o nome dela era Kailany Letícia.

  • Avatar

    Eric Mac Fadden

    Quando criança, estudei com uma Franzerlânia. Meu irmão mais novo estudava com a irmã dela e um dia as mães se encontraram na saída da escola.
    A irmãzinha mais nova não havia falado com meu irmão, então logo perguntou seu nome:
    – Qual é o seu nome?
    – É Peter.
    – Que nome mais esquisito.
    – E qual é o seu?
    – Eudênia.
    Creio que a medicina tenha evoluído o suficiente para chamar algum tipo de doença com o nome dela….
    enquanto sua irmã fora homenageada com uma cidade em seu nome… (ou algum experimento de ressucitação).

  • No meu trabalho apareceu uma Disneylandia da Silva e tinha um Amigo meu que chamava VALDEANESSON. Segundo ele, o nome foi resultado da combinaçao dos nomes dos medicos e enfermeiros que participaram do parto. As vezes eu acho que nomes assim são uma boa justificativa para patricídio.

    • Coitada da criança, ela se acostuma com o nome escroto porque foi chamada assim desde sempre. Fico me perguntando quão doloroso é o momento em quem cai a ficha que ela tem um nome escroto. Com que idade será que se percebe?

  • Fiz estágio em uma escola aqui onde eu moro agora e na hora da lista de chamada eu me segurava para não rir. Tem Sthephanny, Thauanny, Dannyelly (juro que era assim), Yslayne. Fico tentando imaginar o motivo pra essa gente gostar tanto de duplicar letras e colocar Y onde dá, devem achar que é muito chique. Fora que metade dos nomes de menino acabam com SON.
    Aqui na cidade em época de vestibular, os pais colocam nas portas das casas e nos prédios faixas com o nome do filho/filha e o curso, aí é aquele festival de nomes horríveis.
    O que tem de errado com Ana? Maria? João? Sabe, nomes simples. Mas não, o pessoal acha que quanto maior e mais cheio de consoantes o nome fica mais imponente e bonito.

    • O pobre (novamente, de espírito) tem repúdio à simplicidade, pois a confunde com pobreza. O simples é elegante, é chique, é fino. Mas não, eles confundem fartura, exagero, com riqueza e status.

    • Eu não consigo entender por que eles fazem tanta questão de acrescentar Y, W, K e letras dobradas. Deve dar o maior trabalho pra ensinar essas crianças a escrever o próprio nome…
      Não duvido que exista alguma Mahrya por aí.

  • Olá, Sally! Passo sempre aqui pelo seu site, gosto muito daqui! Bom poder contar com esse espaço “diferenciado” (haha) na internet! Nunca comentei mas hoje não tive como não me manifestar. Há alguns anos tive uma colega que trabalhava em laboratório e virava e mexia ela aparecia contando sobre esses nomes “lindos” de gente que ia lá fazer exames. Coisas do tipo “Menstruagildo” e até um recém nascido chamado “Vagalume Luminoso”. Ah, e minha mãe, que é professora, além de dezenas de alunas “Leidy Daianny” e derivados, deu aula para criaturas chamadas “Recycleide” e “Axl Rose dos Santos” (esse pelo menos acertou o nome do cantor) , haha…

    • VAGALUME LUMINOSO. O que leva um pai a pegar seu filho nos braços pela primeira vez e decretar um nome desses?

      Estou começando a achar que tem uma infinidade de nomes escrotos que ficaram de fora desse texto. A coisa parece ser bem pior do que eu imaginava!

  • Pelo menos o Marciano Verdinho das Antenas Longas tem uma justificativa se tomar um chifre…. ele pode blefar dizendo que são as antenas longas ao qual seu pai se referiu no nome…

  • Gente rica e famosa também bota nome escroto nos filhos. Um dos rebentos do Michael Jackson não se chamava “blanket” (cobertor)? E o Nicolas Cage não teve um filho chamado Kal-El (o nome kryptoniano “de batismo” do Superman)?

    • Blanket eu acho que é apelido, ele se chama Michael Joseph, salvo engano. Essa do Kal-El me partiu o coração, coitada da criança!

    • A lista de famosos botando nome escroto nos filhos é longa, como a filha da Gwyneth Paltrow ser chamada de Apple, a da Beyonce ser Blue Ivy, North West filha da Kim Kardashian, e por aí vai. Parece competição pra quem põe o nome mais fudido nos filhos.

  • Vi na TV uma vez uma reportagem de um cara que era tão fanático pelo Ayrton Senna que fez um coisa com o filho que não sei nem como chamar. Aproveitando que o sobrenome de sua família também já era “da Silva”, o cara botou justamente o nome de “Ayrton Senna” no pimpolho, para que seu rebento tivesse um nome idêntico ao do falecido ídolo. E mais: mal o moleque largou as fraldas e o pai, mesmo sem ter lá muita grana, já o botava pra participar de corridas de kart, com capacetinho amarelo e tudo. A “carreira” do menino não deve ter dado em nada e nunca mais ouvi falar do caso, mas até hoje fico pensando nisso…

    • O que mais tem é pai que coloca o filho para dar conta de suas frustrações. Essas criancinhas todas maquiadas de meia-calça, parecendo anãs costumam ser fruto de uma mãe que queria ser “miss”. Essas crianças em comercial passando vergonha e falando de forma ininteligível costumam ser filhos de mães que queriam ser atrizes. Sacanagem colocar o filho para realizar o seu sonho!

  • Eu ja trabalhei de call center pra clientes pre pagos, chovia de nome de pobre, levei varias notas baixa em monitoria por nao falar direito os nomes ou nao chamar pelo nome. Ja atendi famosos como Janadarque, Maicou Jakssom, criativos como Adedado, Cirolandia e ate pornograficos como Boceta e a Vadia. Era o mais dificil chamar a cliente de sra Boceta sem rir. Se alguem duvidar, pega qq listagem de sistema cliente pre pagos e veja como acontece.

    • Pois é, infelizmente esses nomes existem, não são invenção. Qualquer pessoa que tenha trabalhado no funcionalismo público com atendimento também já viu poucas e boas.

  • E os que botam nomes de personagens – de novela, filme ou gibi – nos filhos? E os que apelam pra nomes de “artistas”? E os que são tão fãs de um artista que, quando esse artista tem filhos, botam um nome igual – mas às vezes com grafia errada – em suas próprias crias? Exemplo: quando o ator Edson Celulari teve um filho a que chamou “Enzo”, também surgiram aqui na vizinhança uns dois ou três “Enzos”…

  • Todos esses nomes… são reais? Tem alguns aí que com certeza foi erro no cartório.

    Pra quem falta discernimento: pais, cartórios ou juízes?

  • Sally, aproveitando o clima de Copa do Mundo, já ouviu falar no TOSPERICAGERJA? O pai desse cara era tão fã a seleção da Copa de 70 que inventou esse nome estranhíssimo pra homenagear os jogadores. A formação é essa:
    TOS – Tostão
    PE – Pelé
    RI- Rivelino
    CA – Carlos Alberto
    GER- Gérson
    JA – Jairzinho

    É mole ou quer mais?

  • Muita sacanagem botar um nome como Free William da Silva no filho “(em uma tentativa de homenagem ao filme da baleia)”. Só falta agora a gente descobrir que o pobre coitado, além de ter esse nome escroto, também é gordo…

    • Eu vi uma entrevista de pessoas com nome escroto que contavam o dilema de trocar de nome. Porque soa como uma “desfeita” com os pais, alguns pais inclusive se ofendem se o filho quer trocar de nome. Além disso eles sofrem desde cedo, a ponto de se acostumar com isso e achar normal. Não duvido nada que Free William desconte na comida.

  • Avatar

    Hugo Madeira de Lei Aroeiro

    Eu acredito que se deva ter muito cuidado na escolha do nome de um filho. Percebi que isso influi E muito na personalidade da pessoa com o passar dos anos. Principalmente segurança; no âmbito social ou profissional. Um Fabio ou Marcelo vai ter menos problemas ao apresentar um curriculum, ao se apresentar para colegas ou as muié do que do Clodovilson (nada contra os Clodovilson, mas acredito que gostariam de ter um nome mais comum).

    Nomes curtos (duas sílabas) costumam parecer mais fortes e também podem ajudar na personalidade do individuo. Como Hugo, por exemplo.

    Nomes compostos podem trazer uma confusão. NINGUEM vai chamar pelos dois nomes, e a pessoa sempre vai preferir um dos dois.

    No meu caso alem de tentar não escolher nome escroto, ainda tento imaginar todos os trocadilhos e zueiras possiveis com o nome e evito; se não for possível, eu mesmo vou caçoar da criança. Quando ela chegar na escola vai tirar de letra isso tudo, rs.

    • Isso seria o decente a se fazer, mas pelo visto as pessoas levam a paternidade tão a sério quanto comprar uma banana na feira.

  • “Para dizer que não gostava do seu nome mas depois dessa nem vai mais reclamar”. Pois é, vou ficar quieta (risos)

    Outros nomes: Amável Pinto, Cafiaspirina, Antônio Querido Fracasso e Capitolina (este vem de Dom Casmurro, mas ainda assim é estranho)

  • Esses nomes são verdadeiros mesmo? Porque eles são nomes tirados de uma lista da Desciclopédia bem antiga que foi compartilhada por milhões de blogs pela Internet como se fosse verdade. Se você limitou a sua pesquisa só por esses sites, eles te enganaram, Sally.

    Eu não duvido de alguns nomes assim de verdade. Eu conheço um Valdisnei, cujo nome era pra homenagear o Walt Disney. Também conheço um Junio. Sim, sem o R. O pai queria tratar o filho por “Juninho”, mas não queria que o moleque tivesse o mesmo nome que o dele. O cara do cartório não aceitou Junior Blablabla como nome e ele teve de ser chamado de Junio só.

    • Bom, eu tive uma aula na faculdade sobre esses nomes, tirei essa lista de uma apostila que me foi dada nessa aula e de alguns vídeos que vi na internet, onde as pessoas com nomes bizarros davam depoimentos. Inclusive acabaram de postar um vídeo com um sensacional depoimento de Xerox, que agora acresceu um membro à família: CARIMBO!

      • Então foi a Desciclopédia que pegou os nomes de lá. É que são nomes tão estranhos, que é difícil acreditar que foram aceitos pelo Cartório. Tipo o pai do Neymar, que se não bastasse ter um nome escroto, ainda colocou Neymar Jr. no filho.

        • Até daria para confirmar pesquisando um por um os nomes no Google, se forem verdadeiros haverá algum registro dessas pessoas. Mas haja paciência para fazer isso…

  • Não sei se é verdade, mas já ouvi falar que em Portugal, em cada cartório tem um livro com os nomes que são aceitáveis, se não estiver no livro não pode haver o registro.

    E depois eles é que são os burros!

    • É verdade, se não estiver no livro, não pode. Faz um tempo passou uma novela da globo por lá, onde a Patrícia Pilar era uma sem terra chamada Luana. Foi uma explosão de gente querendo chamar a filha de Luana e não podia porque não estava no livro.

      Mas, ainda assim, eu acho a solução do livro meio burrinha também. Se houvesse um livro no Brasil, QUEM decidiria o que entraria nele ou não? Provavelmente as mesmas pessoas que permitiram o registro de Um Dois Três de Oliveira Quatro!

  • Pra ver como são as coisas, Valdisnei hoje parece até normal, mas antes era reconhecidamente uma versão bizarra de Walt Disney. E já dei aula para um aluno chamado UOXTO.

    • UOXTO

      Será que quem colocou o nome sabe que a grafia correto é Washington? Fico me perguntando até onde o erro é dos pais ou da anta do cartório que registra o que escuta!

  • O mais legal dos nomes é estudar sua etimologia, mas, imagino historiadores daqui 300 anos, estudando os nomes dos brasileiros de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: