Comemorações de 12 anos encerradas. Luto oficial em toda a nação por tempo indeterminado.

“Carioca é tudo malandro, estelionatário, safado”. “Paulista é tudo babaca e corno”. “Japonês tem pau pequeno”. “Argentino é tudo filho da puta”. “Português é burro”. “Judeu é pão duro”. “Mineiro é traíra”. “Gaucho é tudo viado”. Eu poderia ficar aqui até amanhã desfilando clichês que classificam pessoas de acordo com seu local de origem. Certo ou errado, quase todo mundo faz, e as “vítimas” lidam com isso desde sempre. Mas agora, um novo grupinho de Intocáveis resolveu se ofender. Pipocaram acusações de racismo na internet contra nordestinos esta semana. Vamos olhar mais de perto essa acusação?

Nordestinos. Ofendidos por natureza, vira-latas, complexados. Chamar nordestino de burro agora gera processo e faz o Ministério Público trabalhar. Não interessa que provas de avaliação comprovem que de fato o desempenho intelectual por lá deixa a desejar, se alguém chamou nordestino de burro é racismo, é em função da sua raça. E daí surge a premissa falsa que serve de base para uma série de argumentos que não se sustentam.

Sim, os nordestinos costumam ser mais burros, é uma tendência. Mas não por serem uma “raça inferior” incapaz de aprender. São mais burros e se saem pior do que Sul e Sudeste em avaliações porque a educação e infraestrutura são significativamente piores. Qualquer ser humano colocado em um situação desigual dessas se sairia pior, quando comparado a outro que teve amplo acesso a uma infraestrutura melhor. Não tem nada a ver com a raça, tem a ver com a falta de oportunidade que nascer no nordeste acarreta.

Mas os ofendidos de plantão desconsideram essa realidade notória e preferem se vitimizar, gritando “racismo!” cada vez que alguém acusa os nordestinos de algo negativo. Muito mais fácil jogar o problema para o colo do outro: a crítica não tem fundamento, a crítica vem de um monstro preconceituoso. Deve doer menos pensar assim do que perceber que mora em uma região desfavorecida que não oferece os subsídios necessários para o pleno desenvolvimento intelectual de um ser humano. Em vez de lutar para melhorar aquela precariedade, aquele atraso civilizatório que é o nordeste, vamos calar a boca de quem divulga isso.

Antes que me acusem de preconceito, esclareço que, infelizmente, eu já morei no nordeste. Eu vi de perto o atraso civilizatório que é. Não é exagero, são pessoas que se acham no mesmo padrão do resto do país e estão dezenas de degraus abaixo, seja em educação, seja em cultura, seja em higiene. Não, não é preconceito, é pós-conceito. Não é uma opinião, é uma constatação. Qualquer pessoa, brasileira ou não, que tenha sido criada em um ambiente de cultura e educação percebe a discrepância quando pisa no nordeste. Qualquer avaliação cognitiva vai comprovar essa discrepância.

Em vez dos nordestinos usarem suas forças para pleitear uma melhora no sistema educacional, para tentar evoluir, melhorar e acompanhar o nível do resto do país, eles preferem negar a realidade e se ofender quando ela é trazida à tona. Eles de fato são tão limitados que parecem incapazes de perceber que estão abaixo do resto do país intelectualmente, não por serem inferiores, que não o são, e sim por falta de oportunidade de aprimoramento.

Como mecanismo de defesa, ficam com aquele orgulho nordestino idiota, atacando quem fala coisas que eles julgam desagradáveis. Um paulista falou mal do nordeste? Vão e falam mal de São Paulo. Não entendo como uma pessoa pode ser tão burra de criticar um suposto preconceito e no segundo seguinte, fazer exatamente o mesmo que criticou para se defender. E ainda se ofender ao ser chamado de burro. É burro ao quadrado, por fazer burrice e por nem ao menos perceber que está fazendo burrice.

Evidente que aqui estamos falando de tendências. Não levemos a ferro e fogo. Existe uma tendência a que a população do nordeste seja mais sofrida, tenha menos acesso a educação formal, cultura e outros componentes de um IDH decente. Por isso, apenas por isso, tendem a ter um desenvolvimento intelectual menos pleno que o resto do país. Existem nordestinos inteligentíssimos? Sem dúvida alguma. Mas são a exceção, geralmente pessoas que tiveram a oportunidade de sair do nordeste, abrir sua mente e ter acesso a uma educação de qualidade.

“Você está dizendo que não existe educação de qualidade do nordeste?”. Sim, eu estou dizendo isso. A precariedade, a incompetência na prestação de serviços, a falta de infraestrutura e muitos outros fatores fazem com que a educação por lá deixe sim a desejar. Ou um autodidata corre atrás por conta própria e se destaca, ou sai de lá para estudar em outro lugar para abrir os horizontes. Depender de qualquer prestação de serviço do nordeste é fazer um pacto com a mediocridade.

Se você se olha no espelho e se vê gordo, não adianta chutar o espelho. A realidade só muda se você emagrecer. Não adianta nordestino chutando o resto do país pela imagem que eles espelham do nordeste, melhor seria lutar para mudar a sua realidade, em vez de lutar para que o resto do país não possa falar o que pensa deles. Talvez assim parem de obter um parco reconhecimento por batuque, carnaval ou praia. Me chamem quando ganharem um Nobel ou algum prêmio científico.

Todo brasileiro aguenta algum tipo de estereotipo negativo imputado por brasileiros de outro estado. Paulistas falam mal de cariocas e vice-versa. Gaúchos tem fama de viados. Mas sobre nordestino não pode falar. Talvez porque no caso deles, seja verdade, e por isso ofenda. Se a carapuça não servisse, provavelmente a ofensa não doeria. E não se enganem pensando que esse sentimento de que nordestino é intelectualmente inferior é algo pontual de “preconceituosos racistas” na internet. Isso é uma constante, uma realidade, uma unanimidade em todo o país. As pessoas não falam porque tem medo, mas todo mundo pensa assim.

Por curiosidade, resolvi ler as tais páginas com “ofensas” a nordestinos. Esperava ver coisas de cunho RACISTA, ou seja, ofensas em função da RAÇA. Coisas como “uma pessoa que nasce no nordeste não tem cérebro e nunca vai conseguir aprender nada”. Isso é uma ofensa em função da RAÇA, uma coisa hitleriana, de pensar que existe uma raça geneticamente superior ou inferior. ISSO é racismo.

Mas a palavra parece estar banalizada a tal ponto que mesmo mentes mais atentas esquecem seu significado. Racismo hoje é qualquer coisa que ofenda uma determinada raça. Recentemente tive acesso a um processo onde um negro imputava como crime de racismo o fato de um blog ter escrito que negros tem um pênis avantajado. Quer dizer, não se pode mais fazer qualquer referência que diga respeito a um grupo homogêneo pois isto poderá ser classificado como racismo, por mais que seja algo supostamente elogioso.

As tais ofensas racistas são coisas como “Dilma só ganha voto desse povo burro do nordeste” ou “alguém separa o nordeste desse país, por favor”. Não vejo o menor problema nestas duas frases. Muito pelo contrário, eu concordo com ambas. Mas o Ministério Público DO CEARÁ super se ofendeu e achou que havia racismo ali. Até que ponto estas pessoas estavam falando sério ou fazendo piada? Nunca saberemos, mas não importa, mesmo sendo piada, não pode. Recentemente uma piada também gerou processo.

Dizer que quando um goiano chega em casa e encontra sua esposa com outro propõe ao amante formar uma dupla sertaneja ok. Dizer que carioca é tudo bandido, ok. Dizer que paulista prefere o carro do que a mulher tá joinha. Dizer que gaúcho é “polo exportador de viado” tá beleza, o próprio Lula já disse, na frente das câmeras. Dizer que mineiro só é solidário no câncer pode. Mas brincar que um ônibus virou por causa do tamanho da cabeça avantajada dos cearenses é um crime hediondo. Assim entendeu o Ministério Público Federal, que quebrou o sigilo dos coitados que fizeram essa piada online. Nem piada pode.

O tamanho da cabeça de nordestino sempre foi motivo de piada, desde Trapalhões e Escolinha do Professor Raimundo. Os tempos mudaram? Agora não pode mais? Ok, se for o caso, então que não possa mais para ninguém: não se faz mais piada com carioca, paulista, gaúcho, mineiro, goiano… Mas não é assim que funciona.

Após a eleição da Miss Brasil, que é nordestina, alguém comentou que seu sotaque era “sofrível”. O Ministério Público foi em cima. Meio mundo fala mal (com razão) do sotaque dos cariocas e dos paulistas (com termos bem menos elegantes) e nunca vi o Ministério Público processar por isso. O nordeste é como aquele filho deficiente, que não é forte o bastante para brincar de igual para igual com os irmão “normais”. Superprotegido pelo papai Judiciário, porque simplesmente não consegue aguentar um tratamento normal. Não podemos mais achar feio o sotaque, porque é crime.

Curioso que o Ministerio Público não cai em cima de quem fala mal de outros estados, como por exemplo o Tumblr Esses Paulistas. Também não se incomodam com as milhares de citações ofensivas em redes sociais contra cariocas, paulistas, gaúchos, mineiros, goianos e outros. Só é crime, só repercute, só merece atenção do Judiciário quando diz respeito ao nordeste. O nordeste é aquele filho com paralisia cerebral, cabeçudo, cheio de dentes na boca, disforme, mas que todo mundo posta elogios quando a mamãe coloca foto no Facebook: “lindo!”, “anjinho!” etc. Todo mundo pensa, mas ninguém fala “foi mal, seu filho é feio”.

É isso. Não pode mais falar NADA que seja negativo, pejorativo ou crítico a respeito de nordestino. Mais um grupo de Intocáveis emerge com força total. Meu voto vai para eles como Intocáveis do Ano. Acabou, não pode mais desagradar, contrariar ou bater de frente com nenhum nordestino, porque a presunção de escrotidão vai pairar contra você, não importa o que aconteça. Nordestinos agora são nossos senhores feudais, podem nos açoitar em praça pública e nós teremos que agradecer, porque se falar algo que os chateie… RACISMO!

Lastimável que algo tão “dois pesos e duas medidas” seja perpetrado com tanta normalidade. Lamentável que as pessoas abaixem a cabeça com medo de contestar uma injustiça por medo de que imputem a ela uma falsa acusação de racismo. Chantagem social, uma forma fácil de calar a boca de quem te incomoda. Tudo vira racismo.

Um a um os grupos mais canalhas da sociedade estão se valendo disso, para ganhar uma intocabilidade conveniente. Como se os próprios nordestinos não ridicularizassem em público o sotaque do carioca ou do paulista… mas não faz diferença, nos braços do PT, eles conseguiram um grau de vitimização que torna qualquer frase que os ofenda uma frase racista.

Em vez de estudar, se aprimorar, parar de mijar na rua e cuspir no chão, se capacitar, aprender a prestar serviço com excelência e melhorar em tantos outros aspectos, eles focaram a artilharia em desacreditar, calar e punir quem os critica. É isso aí. Nos resta calar a boca, nessa nova forma chantagista de censura, e passar a falar o que pensamos de forma cifrada, indireta e inteligente, forma esta que eles não serão capazes de entender.

Para ameaçar me processar, para sugestões de ofensas cifradas tipo “soldadinho” ou ainda para dizer que quando você pensa que a coisa não pode piorar, ela piora: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (131)

  • Sally, pq um nordestino (até mesmo um nortista) se orgulhando das raizes africanas e indigenas é lindo e bacana mas um gaúcho se orgulhando das raizes europeias é racismo e elitismo?

    • Porque eles ganham recompensas cada vez que se fazem de vítima: ser descendente de um infeliz que foi açoitado confere status de vítima e dá vaga em faculdade e concurso público. Ser descendente de branco opressor é ser opressor como ele e deve ser motivo de vergonha.

  • Sally, como baiana e nordestina, não poderia concordar mais com você! É isso mesmo e muito mais! É muita coisa horrorosa junta! Praia lindas? Ou estão poluídas ou cheias de tubarões! Dizem isso pq além das praias do Taiti, não visitaram as praias da Itália, da Grécia, da França, do Caribe e tantas outras pelo mundo afora que dão de um milhão a zero nessas praias daqui! E a violência então? Nordestino é violento pra cacete – assim como o resto do Brasil – aqui é tudo na base da porrada – os 56000 homicídios por ano falam por si, sem contar os outros crimes horrorosos mas que não terminam em morte. O Nordeste é um HORROR, como soteropolitana – ou seja, já nasci sofredora, pq isso aqui é um LIXO – eu digo isso! Terrível, e o pior é que não pode falar mal que já tem gente “se bulindo” – ou seja, se doendo – por causa disto! Mas eu não ligo não, meto o pau mesmo, pq quem paga minhas contas sou eu! Eu respondo por mim! – e infelizmente acabo tendo de responder pelas atitudes terríveis do dia a dia do baiano médio, o que já me é ruim o suficiente!

    • Obs: O índice de 56000 homicídios é nacional. Mas ainda sim, uma tragédia, estamos em uma franca guerra civil!

    • O que não falta é praia mais bonita, inclusive no próprio Brasil. Varias publicaçoes turisticas colocam a praia de Lopes Mendes, em Ilha Grande, no RJ como muito superior às praias do NE. Mas como praia é a unica coisa que esse povo tem para elevar sua autoestima, se agarram a isso. As pessoas sao violentas, mal educadas, machistas e sem cultura. Um show de horrores. Os crimes parecem ser cometidos por homens das cavernas: facada, pedrada e o mais sensacional, perfuraçao por ESPETINHO DE CHURRASCO!

  • Não entendi o que seria inbolível (ou iMbolível), nem mesmo o google conseguiu me ajudar. Alguma alma caridosa se dispõe? Please!

  • Nasci em Feira de Santana – BA, e moro em Caruaru – PE. Desde que tomei alguma consciência de mim e do mundo, não me considero e tampouco tenho orgulho de ser feirense, nordestino ou brasileiro, pois sou cidadão do mundo. Aliás, tenho ojeriza ao hipócrita sentimento de patriotismo futebolesco fomentado pelo maior câncer do Brasil, a rede grobo. Tenho náuseas quando ouço aquele canto “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”. Eterno 7 x 1! hehehehehe.
    Concordo contigo quando faz a distinção entre preconceito de RAÇA e conceitos a respeito da vida no local. Mas nesse caso acho que muitas manifestações (não todas, e teus exemplos mostram isso) estão carregadas SIM de preconceitos. Quando o sujeito diz que nordestino é TUDO burro e a região é culpada por todo o atraso do país, sinto uma dose de nojo elitista por parte de muitos babacas. Enquanto isso, os paulistas boçais, por exemplo, dizem que São Paulo é a locomotiva que move esse país. Realmente, move pro abismo, elegendo desgraças feito Maluf, Serra, reelegendo um governo tenebroso como o de Alckmin, pra citar “pequenos” exemplos no plano político.
    Não estou atacando um preconceito paulista com um preconceito de nordestino, apenas to mostrando que temos muitas desgraças em todas as regiões, e esses sulistas boçais agridem como se vivessem numa maravilha totalmente coerente e democrática (tô especificando, me referindo aos boçais, pois sei que nem todos são idiotas assim, bem como nem todos os nordestinos são idiotas que agridem em troca e negam suas mazelas, mas infelizmente os imbecis são maioria em todas as regiões).
    Acho esse sentimento de “orgulho nordestino” uma babaquice! Aliás, não suporto isso, pois ao mesmo tempo que encobre as mazelas que vivemos, serve de escudo pra as elites escrotas e coronelistas que temos aqui. Tenho a impressão que os idiotas aqui defendem as elites nordestinas num “confronto” com as elites do sul. Pois pra mim é tudo merda que fede do mesmo jeito!
    Outro dia, um colega de trabalho tava revoltado com uma piada que Danilo Gentili fez sobre os nordestinos, ae perguntei a ele se ele achava engraçadas as piadas com paulistas, gaúchos, cariocas, etc. Ele não teve argumento e encerramos a conversa. Quando você ataca um suposto preconceito com outro, está se igualando a quem você acusa de preconceituoso, ou seja, você tá sendo um idiota!
    De um modo geral, a população aqui se contenta com merda. Não se unem pra reivindicar e bater o pé pelos direitos básicos, e assim alimentam ainda mais as escrotas elites locais.
    De acordo com tua análise, o atraso no nordeste é total, mas discordo, pois existem programas de pesquisa e pós-graduação bem interessantes, e que produzem AQUI MESMO com qualidade (o pesquisador Luiz Carlos Molion atual na UFAL, por exemplo), bem como grupos artísticos excelentes e originais (o manguebeat, Otto, Devotos, citando exemplos somente aqui em Pernambuco). Claro que são exemplos que surgem da iniciativa de sujeitos que desafiam um contexto altamente desfavorável que temos por aqui, mas tais exemplos de qualidade existem.
    Pra encerrar (desculpe-me por escrever demais), penso que toda essa briga entre sulistas e nordestinos acaba encobrindo as merdas que temos em todos os lugares, e demonstra a pobreza nas discussões em qualquer campo do conhecimento nesse país.
    Aliás, uma prova do atraso intelectual do nordeste é o fato de tanto nordestino torcer pro flamerda, provando todo o poder da rede grobo nesse local. Torcer pra aquele lixo é um sintoma quase certeiro de burrice, pois o sujeito não pensa por si mesmo e precisa que uma televisão diga qual o time que ele deve torcer. Tudo isso, além de outra desgraças como a música que a maioria daqui venera (axé na Bahia, forró eletrônico, pagode, tecnobrega, etc).

    • Com que critério você diz que os programas de pesquisa científica são bons? Porque olha, converso com muita gente da área do Sul e Sudeste todos os dias e eles são categóricos em me dizer que jamais deixariam nenhuma pesquisa importante nas mãos de nada nem ninguém do nordeste porque são pessoas que não sabem trabalhar.

      Grupo artístico para mim não prova desenvolvimento. Artes tem em todo lugar. Vamos falar de ciência?

  • Achei o texto bastante injusto.
    As piadas de gaúcho , goiano, paulista, mineiro , etc são pontuais , já as “piadas” de nordestino estão na moda, tão esculhambando o NE em tudo que é lugar. Isso é prato feito para o brasileiro abestado que apenas repete opinião alheia. Assim, do jeito que brasileiro no geral é essa prática só faz fomentar o repúdio contra o nordestino no sul/sudeste.
    Não dou a mínima pra quem não gosta do NE, afinal gosto é que nem orelha. Não ligo pra piadas contra minha terra, até rio. Mas fazer comentários menosprezando os nordestinos é no mínimo ignorância.
    Antes de comparar o sul/sudeste com o nordeste é necessário utilizar o critério de proporcionalidade/ razoabilidade. Comprar a infraestrutura do sul/sudeste com o NE , é como comprar um maratonista com um corredor eventual. O tempo e os investimentos utilizados nessas situações são desiguais.
    Para se ter uma ideia, os investimentos significativos aqui estão ocorrendo praticamente pós FHC.
    Em 2003, cerca de 500 estudantes acamparam na reitoria da UFRN para impedir a cobrança de diversas taxas para retirar diploma, declarações e até estacionar. Isso porque a universidade não dispunha de recursos para a manutenção de suas atividades. A situação da residência universitária era lastimável às vezes faltava água, luz e comida. O incentivos para os docentes fazerem mestrado, doutorado era quase inexistente. Se a educação estava desse jeito imagina outras áreas…
    Muitos reclamam do bolsa família, mas é preciso existir tal ajuda do Governo. Sei que muitas pessoas usam o auxílio de forma desonesta, mas e os que recebem, precisam e não o fazem de forma errada deve pagar pelos desonestos ?
    Engraçado quando vejo pessoas, principalmente da região sul/sudeste, reclamando dessas políticas assistencialistas julgando alguém que recebe o bolsa família. Só deveria ser permitido fazer esse julgamento aqueles que sem ajuda de pais, tios, avós o djabo a quatro conseguisse COM ESFORÇO PRÓPRIO se bancarem, bancarem os cursos, faculdade e a porra toda. É injusto o recurso não ser disponível para os que NÃO TEM E NUNCA TIVERAM NADA.
    O nordestino que tem orgulho de ser nordestino não é burro.
    O nordestino orgulhoso é aquele que escuta a história de sua mãe dizendo que apesar de algumas vezes ter passado fome, outras ter comido farinha com sal porque era o só o que tinha, ter cursado 3 vezes a 6ª série porque a cidade não tinha mais escola pra evoluir no estudo e mesmo com tudo isso não desistir de estudar e conseguir o seu lugar ao sol é louvável.
    O nordestino orgulhoso é aquele que admira a força e a valentia dos seus que diante de tantos descasos continua viver com caráter e honestidade.
    O nordestino orgulhoso é aquele que admira um pai, uma mãe sertaneja que não teve oportunidade nem pra limpar o cu com papel higiênico, vivem do trabalho da inchada, tiveram 15 filhos, passam fome e sede, mas NINGUÉM vira ladrão.

    O NE não é filho feio do Brasil é o filho com TDAH. Temos grande potencial para ser alcançar economicamente as regiões daí de baixo, inclusive ultrapassa-los, mas é preciso politicas públicas eficientes para esse feito como foi realizado aí. Muitos problemas que você criticou é fácil de ver em todo o país.

    Sim, sou nordestina do quengo ao chaboque do dedo com orgulho.

    • Filho, piada com carioca NÃO É PONTUAL. E necessidade e história triste, moradores de todos os estados tem para contar, porém os únicos de ostentam e se vitimizam são os nordestinos. Na boa, você não tem o perfil que queremos no Desfavor. Faça um favor e nós dois e nem volte aqui.

      • A leitora fez um texto discordando de você, mas trazendo argumentos. Discordo da maioria das coisas que ela tá dizendo, mas ela se propõe ao debate e não veio simplesmente esculhambar, não se porta como um troll.
        Não gosto desse tal “orgulho de ser nordestino” (sou nordestino, mas não tenho o menor orgulho nem de ser brasileiro, até por que acho o nacionalismo uma idiotice que só serve pra as elites), mas não acho que todos os que sentem esse orgulho são burros (a maioria, mas não todos). Se você totaliza as pessoas, está sendo no mínimo ignorante.
        Então, se queres divulgar um texto e não ver opiniões contrárias (OPINIÕES e não trolagens), cria uma intranet pra somente seu grupo de pessoas que pensam exatamente da mesma forma comentar.
        Admiro tua inteligência e liberdade de pensamento e crítica nos diversos campos do conhecimento, mas agora acho que você pisou na bola! (e ae, vai me expulsar daqui também, por que tô discordando de você?)

        • Respeito a diversidade de pensamentos, tanto é que aprovei e respondi o comentário, mas não é o perfil de pessoa que eu quero para o MEU mundo. Jamas censuraria, mas porra, isso aqui é meu e eu escolho quem eu quero aqui. Pode ser?

          Ser troll não é motivo para querer afastar alguém do Desfavor, muito pelo contrário, é motivo para querer a pessoa sempre com a gente.

      • Nunca vi “piadas” do tipo ” queria que um carioca morresse afogado”…
        Muitos nordestinos que conheço não se vitimizam, pelo contrário, resolvem seus problemas sem dizer um ai. Como dizem por aqui : reclamar e chorar não é coisa de macho (todo mundo aqui é macho). rs

        Nunca li nada de ter perfil desfavor na constituição dessa bodega …

        Infelizmente, desta vez não pude aplaudir seus textos como de costume. Desta vez cruzei os braços porque você cagou pelos dedos. Nem o trabalho de pesquisar sobre a ciência do NE foi feito para poder falar tanta bosta. Ficastes apenas repetindo o que conhecidos seus falam. E por sinal pesquisadores quase sempre cagam o trabalho alheio, é sempre uma briga de deuses com egos inflados brigando por suas ideias e projetos divinos.

        • Se você nunca viu piadas com outros estados é sinal de que elas não existem, não é mesmo?

          Não repito o que conhecidos falam, INFELIZMENTE eu morei no nordeste e vi bem de perto tudo que disse.

          • Sally, releia o que eu disse: Nunca ouvi “piadas” do tipo […] , não neguei a existência de piadas regionalistas.

            Armaria ! Sério ? Viu tudo?

            Então, deve ter visto que o tamanho da cabeça do cearense não é atoa … rs Fortaleza é tricampeã em aprovação no ITA . Em 2012, o estado teve 40 aprovados, em 2013 43, em 2014 aumentou para 71 ! O Ceará este ano só teve a pífia representação de 67% no certame ! Sem contar que mais 15 aprovados foram de 5 estados nordestinos, inclusive até a sua querida Bahia marcou presença na lista !

            Só isso ? Não ! Um cabra de Fortaleza, Davi Medeiros, FOI O MELHOR da Competição Ibero-americana Interuniversitária de Matemática.
            A participação brasileira na competição é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), programa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em Matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas escolas e universidades públicas e privadas de todo o Brasil. (GALILEU, 2014) Outros cearenses tiveram excelente resultados nessas olimpíadas por aí … (GALILEU)

            Tem o Instituo do Cérebro no RN ! Ele foi oficialmente aberto em 2011, mas já estão produzindo pesquisa científica capaz de competir internacionalmente! Também tem o instituto de física criado este ano que logo, logo estará deslanchando na pesquisa espacial e finalmente encontrarão mais uma utilidade para a barreira do inferno… E depois do que eu disse, você achar nordestino burro …. “Sol lamento”

            • Vamos lá… eu disse que são TODOS burros? Não. Eu disse que quem se sobressai ou é auto-didata ou teve oportunidade de estudar fora do nordeste.

              O percentual de pessoas burras é maior no nordeste, não porque sejam uma “raça inferior” e sim por ser um povo sofrido, esquecido e sem infraestrutura. Nada do seu argumento contradita o que eu disse, você está discutindo sozinha. E pior: está provando meu ponto.

  • Certíssima, Sally!
    Todo estado do país tem sua piadinha. Só que a maioria das pessoas ri junto, leva na brincadeira e não cria caso. Mas quando dói e ofende a esse ponto, é porque é verdade e o ofendidinho não quer admitir. Quer enganar-se, mentir para si mesmo. E por isso continua estagnado, sem conseguir melhorar a própria situação.
    Sou mineira, sei que meu sotaque é horrível pra que não é daqui e já escutei várias piadas. Nenhuma me ofendeu. E por que ofenderia? É verdade!
    Eu amo Minas Gerais sim, mas esse amor significa que eu enxergo os problemas do lugar onde nasci e faço o que posso para diminuí-los. Se eu fechasse os olhos e fingisse que meu estado é perfeito, seria uma enorme burrice da minha parte. Isso não é amor, é burrice pura e simples.

  • Pessoas cujo todos os neurônios são analfabetos funcionais, não sabem distinguir nada que ultrapasse um milímetro do próprio nariz. Por isso é que tá essa polêmica toda.

  • Depois eu comento essa parada. Tou em água…Ora, meu aniversario!

    Sally, o que vai me dar de presente hoje?

    Ps: ser BM uma vez na vida, nao faz mal a ninguem…Desce outra ai, patrao! Ah, e traga 60 copos. Os colegas impopulares acabaram de chegar.

    Obrigado.

  • O Didi Mocó não é aquele cearence, o tal DOUTOR RENATO ARAGÃO? Esse povo do Nordeste é modesto pra caralho!

  • Rapaz, sou nordestina da Paraíba e não me sinto ofendida com esse mimimi que tá rolando por aí. Gente burra falando de gente burra é uma carapuça que não me serve.
    Nordestinos, deixemos de nos vitimizar, pelo amor de Deus! Ninguém merece mais uma camada de intocáveis nesse Brasil paunocu.

  • Levanto e aplaudo de pé pelo texto. Sou nordestina do interior e aqui se você não adora batuque, fala e ri alto, conversa pegando nas pessoas, não fala que tem orgulho o tempo todo quando vê crítica e é mais quieta (meu caso), já te chamam logo de metida, de chata, de orgulhosa e afins. Quem gosta de ler e estudar então… pfff Esses são vistos como burros que não aproveitam a vida, que tem que sair de casa, encher a cara, dar/comer todo mundo e coisas do tipo pra ser feliz. É alegria, ousadia e orgulho demais e estudo, reflexão e problematização de menos. Como já foi muito dito, nesse e noutros textos, pessoal prefere morrer a admitir que tem muita coisa que tá uma merda e trabalhar pra melhorar.
    Agora a Dilma não ganhou em Pernambuco não, aqui quem ganhou foi a Marina. Não que eu ache que é um avanço…

    • Michele, ninguém é burro só por ser nordestino. Burros são aqueles que tem orgulho de serem nordestinos. Eu não tenho o menor orgulho do Rio de Janeiro…

      • Eu compreendi, Sally. Só estava falando que aqui quem gosta de estudar ou tem um projeto maior na vida envolvendo estudo/trabalho acadêmico (que é algo que leva bastante tempo dependendo da área) é visto como “burro” pela maioria porque não “aproveita a vida” como os outros. Perceba a inversão de valores aqui.

    • Será que realmente problematizar as coisas é bom? Até que ponto?
      As vezes me pergunto se esses imbecis REALMENTE não são mais felizes…
      A ignorância é uma benção?

      Harison

      • Não são. Tão aí, fodidos, cheios de filhos, em uma vida de barraco, porrada e sofrimento, em um trabalho medíocre, tendo que fazer fila do SUS e aguentar dor quando adoece, vendo filho morrer, apanhando da polícia… A realidade dos ignorantes é muito dura. Eles não tem o sofrimento intelectual que a gente tem, mas tem um sofrimento físico, real, palpável enorme.

    • as vezes me pergunto realmente se problematizar as coisas é bom. Até que ponto? Será que REALMENTE esses imbecis não são mais felizes?

      A ignorância é uma benção?

  • Não seria iMbolíveis?
    Então… Tenho certeza que o meu sotaque (mistura de baiano, pernambucano e alagoano) deve parecer horrível a qualquer ouvido, assim como o carioca e paulista é ridículo para quem mora por aqui.
    As pessoas que moram de Salvador para baixo, acham que não fazem parte do nordeste.
    A maioria acha o seguinte: o nordeste é uma bosta, mas é a minha bosta… Hahaha

  • “As pessoas não falam porque tem medo, mas todo mundo pensa assim.”
    Sally, como eu te amo!
    Ainda bem que o Desfavor existe, porque caralho, ta foda! O poder que os nordestinos ganharam com o governo do PT está incontrolável e só tende a crescer!
    E, assim como você, não é pré conceito, é pós conceito. A família do meu pai inteira é nordestina (assim como ele) e meu Deus… ignorantes no pior sentido da palavra. Pessoas sem noção de educação, etiqueta e noção.

    • Nordeste é o filho retardado que caga nas calças, emite grunhidos sem noção e come meleca na mesa de jantar mas que todo mundo finge que gosta e compreende porque pega mal tripudiar.

      • Lembrei -me da Lindamar neste momento, não sei porque…
        Ah… os brasileiros não se gostam, são muito diferentes. Cada estado deveria ser autônomo. Essa colcha de retalhos nunca deu certo.

        • Eu amo o Sul do fundo do meu coração. E eu gosto de São Paulo, apesar de achar algumas coisas meio bizarras. Também amo BH, que para mim, é um pedacinho de Buenos Aires no Brasil.

  • “Mas brincar que um ônibus virou por causa do tamanho da cabeça avantajada dos cearenses é um crime hediondo.”
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAH!!! . BÔNUS: Sou nordestino do interior mesmo.

    Já havia pensado nisso em um texto antigo seu, acho muita idiotice do povo se ofender com cometários como essa piada e fazer pior com outros estados.Vindo pessoas que riem de piadas com negros, gays, bêbados e etc.

    Aqui o orgulho e a burrice são tão grandes que ninguém admite ser chamado de burro, mesmo sendo na brincadeira, acho isso ridículo.

    • Hanz, falta visão global nessas pessoas. Na hora que eles se mancarem que TODOS os brasileiros, por igual, são vistos como aborígenes/malandros/incompetentes/putas pelo resto do mundo talvez parem de achar tão ruim serem chamados de cabeçudos…

  • Sally, excelente texto! Já compartilhei, mas com ressalvas, porque nem todos os meus conhecidos entenderiam o texto e me chamariam de reaça. (sim, eu me ofendo, reaça é a puta que pariu, mas ninguém se importa)

    Você descreveu brilhantemente um resumo do que estamos vivendo: Os ofendidos querem punir duramente quem os ofende, mas não querem ser punidos quando criticam alguém. Liberdade de expressão para os ofendidos que tem motivos para se sentirem ofendidos e cadeia para os ofendidos privilegiados que não podem se ofender nem criticar nada.

    Tempos confusos. Tempos egocêntricos. Tempos contraditórios.

    • Some-se a isso que os ofendidos se reservam ao direito de desmerecer qualquer crítica e, com isso, se recusam a refletir e eventualmente melhorar o corrigir alguma postura equivocada. Um mecanismo perverso que lhes assegura para sempre o direito de estarem certos e não serem criticados. Assim vai ficar difícil evoluir…

  • “Você está dizendo que não existe educação de qualidade do nordeste?”. Sim, eu estou dizendo isso
    Oi Sally, não concordo com vc nessa parte. Existe excecão. Nem sempre é preciso sair pra ter uma boa educacão. Contudo, é preciso sair pra abrir a mente…

    De maneira geral, os nordestinos são provincianos. Eles não conhecem outra coisa, assim como existe cariocas e paulistas que acham que vivem em cidades maravilhosas e bla bla bla, mas que não tem um carimbo no passaporte.
    Sou nordestino e não me sinto nem um pouco ofendido com seu texto, o Nordeste é sim um lugar fudido. (fudido pro nordestino é algo ruim, não é o mesmo “fudido” do paulista)

    • Não é uma questão de cabeça, é uma questão de infraestrutura, aparelhagem, parte técnica. A precariedade impede um ensino de qualidade, seja ela humana, seja ela técnica.

      Rio é uma bosta tão bosta quanto nordeste, só que de uns 30 anos para cá deu um pequeno passinho evolutivo por questões que em nada tem a ver com o mérito do seu povo. O fato do Rio ser um grande tolete cheio de balas perdidas não muda em nada que o nordeste é um atraso civilizatório e tecnológico.

      • Também é uma questão de cabeça. Usando sua analogia…

        “Se você se olha no espelho e se vê gordo, não adianta chutar o espelho.”

        Nordestino tem anorexia. Ele não se acha gordo.

        • Tanto faz. Qualquer coisa que desagrade deve ser corrigida na sua raiz, não no reflexo. E olha, anoréxico só quem passa fome mesmo, porque o resto come tão mal que as banhas pulam para fora do top laranja…

              • Eu me sentiria mal se a Sally fosse presa por algo que eu dissesse. Acho que no mínimo eu teria que ir na audiência.
                E aí, como ia ser, teria que contrabandear um celular para continuar com as postagens.

                • Relaxa, Leona, que eu já falei tanta merda nos últimos cinco anos que sobram motivos para me prenderem com base em histeria não justificada por coisas que eu tenha dito. Se eu for presa o Desfavor acaba na mesma hora. Daí, diante dessa realidade, vocês que estarão do lado de fora é que terão que se mobilizar e reverter o quadro para mim, que estarei do lado de dentro e nada poderei fazer. Conto com vocês caso um dia isso aconteça!

                    • Fique tranquila, pediremos a um dos impopulares da postagem “Objetos no ânus” para levar uma semi-automática, um celular e algumas granadas para você.

                    • A gente taca fogo no presídio e te tira de lá.. Pedimos anistia em algum país mais decente alegando perseguição política e falta de liberdade de expressão e fundamos a República Impopular de uma vez.

      • No ensino básico público sim, é mesmo. Mais ou menos como no resto do Brasil.

        No ensino superior público não é assim não. Vou dar alguns exemplos.

        A UFRN possui um conjunto de centros de pesquisa de excelência internacional, assim como a UFC e a UFBA, que são as que eu conheço. Não são todos os departamentos que são assim, mas em toda universidade, inclusive na USP, tem coisas ruins.

        Agora, já o nível superior privado… puts… aí a maioria dos PROFESSORES é analfabeta funcional. Imagine os alunos.

        P.S.: Moro no nordeste e trabalho com pesquisa aqui. Tem coisas muito boas que o resto do Brasil desconhece por falta de contato (vide Belém, no Pará, por exemplo). Mas a grande maioria de tudo é merda mesmo.

          • Não é nordeste, mas é desconhecido, do mesmo jeito.

            E que nem dizem, passou do norte de Minas, é tudo bahia!

            • Jamais. Norte é outro esquema totalmente diferente. As pessoas tem consciência da precariedade, são mais humildes e não tem esse orgulho arrogante bobo…

    • O fato de você não ficar ofendido deve enfurecer muita gente que decidiu que você tinha a obrigação de se ofender, né?

  • Concordo com tudo. E ainda há aquele brilhante argumento, se você não é daquele estado e faz alguma crítica , ” Se está tão ruim assim, por que você não volta pra sua cidade, o que está fazendo aqui?”, principalmente por que onde eu moro as pessoas pensam que somos todos índios, todos tem uma onça/cobra em casa como bicho de estimação e na Federal daqui a maioria que entra são sulistas, então chegam pensando que aqui não tem telefone e internet e moramos no meio do mato. Muitas, muitas pessoas mesmo não gostam desse tipo de crítica aqui, mas pelo menos não ficam de mimimi e apelando para a vitimização.
    Além disso, acredito tambem que haja algum apelo sentimental,sabe. Apesar daqui ser tudo cagado, nasci aqui e gosto,entao ninguem pode falar mal a não ser eu. O que é igualmente ridículo já que por mais que gostemos do nosso lugar de origem, não devemos fechar os olhos para o que precisa mudar e as vezes quem é de fora consegue enxergar isso melhor .

    • É esse sentimento mal entendido de que se você ama algo de verdade tem que achar tudo lindo. Se você critica ou aponta um defeito você não ama o bastante! Muito pelo contrário, se você ama uma pessoa ou um lugar tem que fazer críticas para que sempre melhores, para que sempre se aprimore. Essa babaquice de “ame-o ou deixe-o” é pensamento de ditadura militar!

      • “É esse sentimento mal entendido de que se você ama algo de verdade tem que achar tudo lindo.” Isso é que é levar o clichê “o amor é cego” ao pé da letra…

  • Se esse povo tivesse ideia do tiro no pé que é isso. Ah, sim… Os neonazis tropicalizados denominam os nordestinos por “sub-raça”.

    • Tem disso. Tem gente que prega o preconceito de RAÇA. São uns imbecis. O grande desfavor é que toda e qualquer crítica a nordestino agora cai nessa vala comum e se presume que quem critica nordeste é neonazi. Perdemos o direito de criticar, mesmo quando a crítica não está vinculada à raça.

  • Acho presunção achar que o Nordeste não entraria na onda da vitimização/coitadismo que assola o país. Somado a patrulha do politicamente incorreto. Putz, vai a perder de vista.

    Essa guerra de classes que é cada dia mais e mais alimentada por essa politica de segregação tá extrapolando todos os limites. Sempre o coitadinho versos o malvado, maioria versos minoria (não sei como é que alguns milhões de Nordestino se tornaram minoria). Ah! E tá faltando um pouco, não, tá faltando muita mesma, autocrítica.

    Ninguém suporta um crítica, uma opinião diferente, ou até mesmo um pouco de preconceito. Porra! Tudo e todos tem de ser aceitos, agora, porque…. porque…. porque é bonito?
    Ninguém tem o direito a divergência, idiotismo, cadê a liberdade de expressão?

    Digo mais, a Dilma ganhou em todos os estado do Nordeste SIM! E vai ganhar de novo no segundo turno. 56 milhões de usuários do bolsa família, muito mais da metade veio pra cá mesmo. O Brasil engoliu essa e ainda vai engolir por mais algum tempo até que o efeito assistencialismo tenha passado.

    Sou de Fortaleza e digo que o crescimento dos últimos 10-20 anos aqui são absurdos de inimagináveis. E mesmo assim estamos muito aquém de outras regiões. E a solução não e o coitadismo e a cobrança. Ficar perdendo tempo porque alguém na internet achou seu sotaque sofrido, ela que enfie no cu a sua opinião de merda. Tem que cobrar investimento na educação a despolarização da industria e muito mais que um país de dimensão continental precisa.

    Coitadismo de cu é rola (estilo negona)!

    • Dilma ganhou em Pernambuco?

      Você tem razão, ninguém parece suportar uma crítica. Críticas são vistas como ataques e não como uma oportunidade para refletir e melhorar. Críticas devem ser desmerecidas, desacreditadas, combatidas. É preciso atacar quem te critica. Crítica ofende e deve ser silenciada, mesmo que seja pela chantagem de acusar o interlocutor de racismo para intimidá-lo ou calá-lo.

      • Sally, pelo que eu vi, a Marina só ganhou mesmo em Pernambuco – terra do falecido Eduardo Campos – e no seu Acre natal… No resto do Brasil, polarização total, com a Bahia maciçamente dilmista sendo quase que um paralelo 38 entre quem prefere PT e quem prefere o PSDB.

  • Não sei se já disse isso aqui, mas essa idéia de que estamos no fundo do poço é otimista. Quem disse que o poço tem fundo?

  • Em breve, as cotas em concursos públicos que já contam com reservas para pessoas pretas e pardas, pessoas portadoras de necessidades especiais ganharam a companhia de pessoas vindas do Nordeste.
    Embora seja uma realidade, não é lá muito inteligente de quem quer o PT fora criar uma página destas, pois é justamente aí que o PT entra pra distorcer as coisas e enfiar na cabeça desse povo (coisa bem fácil) que o voto deve ser na Dilma. Aliás esse tipo de coisa lembra os médicos no aeroporto gritando escravos pros médicos cubanos, eles estavam certos mas pairou na cabeça da massa que os escrotos eram os médicos tupiniquins por falar uma coisa daquela (por mais que fosse a realidade).

    • Não sei se eu colocaria todo mundo no mesmo saco. Mayara não parecia estar brincando e disse que nordestino não era gente. Ainda instigou que sejam mortos. Me parece um pouco mais grave, ainda que estejamos longe do cometimento de um crime. Chamar de BURRO é algo que a gente faz todo dia…

  • Sally, se um dia eu te encontrasse na rua eu te daria um abraço de 5 minutos, sério!
    Só aqui eu consigo encontrar em palavras as coisas que eu sinto e não posso falar.
    Eu sou paulista e moro no nordeste, não tenho nada contra nordestinos mas aqui é tudo o que você falou e um pouco mais. Estrutura precária, prestação de serviço precária. Mas pode apontar isso? Não!!! Aqui só é permitido falar que o nordeste é um lugar de praias lindas e povo muito acolhedor. Qualquer coisa diferente e já começa aquele discurso de “Eu sou nordestino com muito orgulho” como se isso tivesse algo a ver com a estrutura de merda daqui, porra, eu já vi gente entrando em discussões sem fim por que alguém falou que no nordeste não tinha água, falando pra pessoa se desculpar por falar algo assim, pois o nordeste é lindo, com as melhores praias do mundo (só que não) e bla bla bla. Eles não sabem diferenciar uma crítica às coisas ruins daqui de uma crítica de cunho pessoal, ou tem orgulho da estrutura de merda, sei lá. Eu não vejo um carioca, um paulista, um gaúcho fazendo esse tipo de coisa por mais que brinquem com seus estados. Porém, com nordestino a história é outra, eu tenho que ouvir que sulista é tudo bando viados que se acham as pessoas mais importantes do Brasil e guardar minhas opiniões pra mim, pra não ser chamada de racista e preconceituosa, dois pesos duas medidas…
    Deveriam usar todo esse suposto orgulho para melhorar as suas cidades, lutar por uma educação melhor, por uma estrutura melhor, mas ao invés disso ficam paunocuzando qualquer um que aponte as coisas erradas. São preconceituosos com outras pessoas, a ponto de chamar paulistas de asquerosos que só pensam em trabalhar, mas não permitem que falem nada de mal de sua terra dos sonhos, onde tudo é maravilhoso e todos são felizes. Como você falou, não dá para bater de frente com eles, não da para discutir, discordar ou dizer que não gosta de algo daqui, você pode ter milhões de bons motivos mas eles sempre vão usar o argumento de racismo e preconceito. E nos dias de hoje não dá para vencer um argumento desse.

    • Eles tem uma cabeça muito pequena e complexada para conseguir perceber a porcaria que o nordeste é. Tem praia? Poxa, grandes merda se gabar de uma coisa que já estava ali quando você chegou, para a qual você não contribuiu em nada! Aliás, acho de uma pobreza absurda exaltar tanto as praias do nordeste, coisa de gente que não conhece praias bonitas de verdade.

      No período infeliz em que morei no nordeste me isolei dentro de casa: uma puta conexão com internet, ar condicionado e TV a cabo com todos os canais (até porque cinema é tudo dublado). Só saía de casa quando indispensável, porque sinceramente, eu não sei lidar com essa pseudo-arrogância defensiva. Estão condenados a viver e morrer nessa mediocridade de merda, pois preferem isso a admitir que tudo funciona mal e tem que melhorar. Ou acham tudo lindo, ou pior, só reclamam e não fazem nada. Nordeste é a incompetência regionalizada.

      • Sally, eu sou cearense (não me sinto nordestino em geral, apenas cearense), morador de Fortaleza e posso dizer que estou fazendo praticamente o mesmo que você: me isolando dentro de casa, só saindo para trabalhar e pouco mais.

        Devo ser mesmo afortunado… a maioria das pessoas com quem estou convivendo tem neurônios na cabeça e sabe ver que há coisas muito erradas na cultura, na infraestrutura e sobretudo na mentalidade dos CMs (cearenses médios, patenteia essa sigla aí) daqui.

        Não me imagino tendo que lidar com idiotas que cultivam esses pensamentos escrotos porque minha política é simplesmente não meter conversa com gente desse naipe. Dou graças à natureza por me ter feito introvertido…

        Só estou em Fortaleza há coisa de quatro meses e já estou lutando para não me sentir esgotado… o dia a dia me desgasta: transporte público ruim, cidade suja, povo sem cultura e educação e o pior, a paranoia da violência. Às vezes me sinto tão impotente perante essa realidade que prefiro pensar só em seguir a vida… pensamento errado, eu sei, mas isso passa pela cabeça.

        E vou parar aqui antes que me alongue e tu não leia nada.

        • Pode desabafar o quanto quiser que eu vou ler e compreender, porque eu já estive no seu lugar.

          Olha, Fortaleza foi uma das maiores decepções que já tive, só perdendo para aquele lugar nefasto chamado Salvador. Todo mundo me falava muito bem de Fortaleza e das pessoas, mas quando cheguei só vi gente rude, tosca, grosseira e sem educação. Não sabem tratar as pessoas, não sabem falar com as pessoas, um verdadeiro horror. A prestação de serviços é um cu, a música é sofrível, a higiene faz um suíno parecer cirurgicamente desinfetado.

          Lembro que na primeira vez em que fui ao maior shopping de Fortaleza tive que comer com uma das mãos e espantar as moscas com a outra. DENTRO DO SHOPPING pousavam moscas na minha comida. Aliás, as moscas são onipresentes, né? Onde você vai, tem uma mosca para pousar na sua comida. Tudo piora porque os aborígenes locais parecem ter uma aversão a ar condicionado, nem as famílias mais ricas tem ou usam.

          E aquelas feirinhas na beira da praia com aquelas deformidades chamadas de “artesanato”. Coisas horrendas, mal feitas e caras. Fora os homens machistas, cachaceiros e todos mais ou menos da minha estatura (em torno de um metro e meio). Fortaleza é um lugar horrível onde é comum briga de faca e mosca na comida. NUNCA MAIS. SAIA DAÍ O QUANTO ANTES, ou faça como eu fiz e se entoque com ar condicionado + internet + boa tv a cabo. Boa sorte.

          • Obrigado por ter lido, Sally. Quanto ao artesanato cearense, nem digo muito, porque gringo gosta, e assim posso levar uns presentes pros meus amigos portugueses. Olha, adorava estar numa cidade mais tranquila, mas o problema é: pra onde iria?

            Acabei de vir de seis anos morando em Portugal, dois dos quais passei PENANDO para arranjar emprego, mesmo com formação universitária. Fiquei esse tempo todo tentando contrariar a realidade de meus pais terem pago três mil euros de faculdade para me ver ficar sentado em casa, desempregado.

            Se dependesse de mim, ainda estaria na Europa, pelos motivos que todos já estão cansados de citar, mas uma coisa de que não se pode reclamar é que há muito mais oportunidades de emprego (decente ou não, depende do contexto) aqui do que lá fora.

            É muito difícil, mas entre aturar essas mazelas todas, mas ao menos ter um futuro imediato financeiramente estável, e viver numa tranquilidade que esconde a calamidade econômica em que Portugal (ainda) se encontra, prefiro a primeira opção em qualquer dia da semana.

            Mas não descarto de jeito nenhum voltar a viver fora, de novo, muito pelos motivos que já todos estamos cansados de citar. Viver com 202 milhões de conterrâneos é muito foda.

            PS.: Se você ainda tiver saco de me aturar, eu conto mais das minhas experiências no “paraíso”…

            • Porra… você foi para a África do Norte! Tinha que escolher o pior país da Europa? Nos outros países sem ser Portugal e Espanha é bem mais fácil arrumar um emprego decente.

              Pode contar, pode desabafar, me sinto melhor em ver que não sou só eu que tenho essa impressão horrorosa desses lugares. Todo mundo diz que é lindo, que adora, mas só quem efetivamente MOROU lá sabe o inferno que é!

  • “Se você se olha no espelho e se vê gordo, não adianta chutar o espelho. A realidade só muda se você emagrecer.”
    Touché!

  • O engraçado é que o que mais tem em São Paulo e região sudeste são nordestinos e eles em quase nada se equivalem aos seus conterrâneos…

    • Os que sobrevivem em São Paulo só continuam ali porque se adequaram. Aliás, só saíram do nordeste porque também se irritaram com a incompetência e morosidade dali. Conheço muitos que perceberam não ter futuro por lá e vieram para o Sudeste. Mais uma prova de que não é preconceito de RAÇA. A incompetência, a preguiça, a falta de ambição não está na RAÇA, pois muitos ralam e fazem de tudo para conseguir sair de lá.

  • Isso é um tema complicado. Grande parte do que foi dito em relação aos nordestinos nada mais é do que puro mimimi eleitoral. O pessoal do Sul e Sudeste se achando melhores por unica e exclusivamente por terem votado em AÉCIO e o Nordeste ter sido Dilma. Se achar melhor só por que o Nordeste não votou no candidato que você ACHA que é o melhor é babaquice.
    Agora, há sim uma imbecilidade pelo lado de cá em relação ao “orgulho nordestino”, não sei bem em relação de que. Como um baiano eu não dou a minima em relação a isso, me considero baiano e não nordestino (são 9 estados diferentes entre si). Podem falar o que quiser em relaçao ao Nordeste e a Bahia eu não dou a minima. Minha autoestima é bem mais alta.
    Não nego que há sim esse sentimento em muitas pessoas que eu conheço, talvez seja que falar do problema é esfregar na cara das pessoas, algo que elas não estão preparadas, por isso há esse ” Orgulho Nordestino”, embora eu ache que não tem NADA a se orgulhar.

    • Desculpa, Caio, mas a minha crítica (principalmente à Bahia) não tem absolutamente nada a ver com o voto. A incompetência vai muito além da questão eleitoral. A Bahia é um grande aterro sanitário humano e os baianos parecem muito satisfeitos com essa mediocridade toda. Quando você fala, apontam para o Rio e falam mal de volta, como “defesa”. O Rio também é uma tremenda bosta, eu sou a primeira a admitir, mas puta que pariu, como você bem disse, o nordeste não tem nada para se orgulhar.

      Você consegue fazer essa distinção, de que falar mal DO LUGAR não é falar mal DE VOCÊ. Mas infelizmente a maior parte das pessoas não tem essa capacidade cognitiva.

      • Até semana passada era. Mas tem muito baiano que se acha melhor do que nordestino, acha que a Bahia é mais evoluída (não é o caso do Caio, mas é o caso de muito baiano). Pausa para rir.

      • É claro que é. Em nenhum momento eu disse o contrario. Afirmei que EU não me vejo como um NORDESTINO e sim como BAIANO ( não me achando superior aos outros, mas por questão de diferença cultural mesmo, a Bahia não é igual ao Maranhão ou a Paraíba e vice-versa). Englobar tudo no mesmo saco é errado.

        • Não que sejam todos iguais, isso não existe. Mas todos enfrentam problemas iguais, à exceção da Bahia, que enfrenta um problema ainda maios chamado Carlinhos Brown

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: