Chatice caseira.

Está na hora de cuidar da casa! Pelo menos, hipoteticamente. Considerando duas atividades domésticas comuns, Sally e Somir travam um embate ideológico que você só veria por essas bandas. Os impopulares colocam a mão na massa… ou no esfregão?

Tema de hoje: o que é mais chato, cozinhar ou limpar?

SOMIR

Só para avisar que o atraso hoje foi culpa minha. Prometo descontar da mensalidade.

Sobre o tema: eu acho mais chato cozinhar. Não que me seja um prazer limpar a casa, eu sou um rico que nasceu num corpo de pobre, transocial com orgulho. Por mim todas as atividades domésticas deveriam ser terceirizadas para quem ganha dinheiro com isso. Mas chega de pretenso elitismo, vamos ao argumento!

Cozinhar e limpar são duas atividades importantes, mas cozinhar é algo que sublima o conceito de mera manutenção. Exige uma carga considerável de dedicação e até mesmo carinho para ser executada satisfatoriamente. Eu admiro quem saiba cozinhar, até porque é um peso que a pessoa carrega. Eu não sei (não com qualidade) e deixo claro: se depender de mim para alimentação, vai ser na base dos congelados, entregas e restaurantes. A vida com um cozinheiro de ‘mão vazia’ não é tão feliz, não quero eu viver assim e não quero que ninguém que eu goste viva assim também. Existe uma responsabilidade em cozinhar.

E é todo dia, sem parar. Tem que decidir o cardápio da refeição da vez, ter controle sobre os ingredientes, utensílios e preparação. Cozinhar exige criatividade, atenção e técnica constantes. Repito: admiro muito e vivo sendo fisgado pelo estômago, mas… quem não tem esse prazer em si tende a achar todo esse processo muito chato. Sem contar a pressão de saber que mesmo se você ralar muito na preparação, ainda sim pode produzir algo ruim. Cozinha não é só esforço, é talento e experiência.

Agora, limpar? Limpar é uma tarefa que te dá resultados claros de acordo com seu grau de esforço. Gastou tempo e cuidado com a limpeza da casa? Ela vai estar limpa. E só consumiu calorias. O cérebro continua livre para processar o que quer que você deseje nesse meio tempo. Eu já passo tempo demais da minha vida tendo que criar coisas, chega uma hora que a cabeça só quer repetição e padrões para ter algum sossego. Sei que esse argumento não é generalista o suficiente, mas o conceito de ter uma atividade para desanuviar a cabeça não é tão estranho assim, é?

E outra: limpar gera resultados consistentes. Você sabe o ponto de início e o ponto final da tarefa. Já teve que varrer o chão, esforçou-se para isso e viu que não resolveu nada depois? Se você fizer o que tem que fazer, alcança o seu objetivo. São poucas variáveis interferindo (considerando, é claro, que você não tenha produzido variáveis chamadas filhos para bagunçar tudo enquanto você limpa…), gerando resultados confiáveis.

Limpeza também te dá uma sensação de dever cumprido por mais tempo. Depois de uma faxina, a casa fica bem mais agradável por um bom período. Quando se cozinha, em poucos minutos sua obra é consumida e já está sendo processada para virar mais sujeira… talvez eu precise aceitar melhor os preceitos budistas e aceitar a impermanência, mas me soa mais frustrante criar algo que vai desaparecer logo em sequência. Tem que amar o processo mesmo. E como eu não amo nenhum deles, acho menos chato o que te entrega resultados mais duradouros.

Cozinhar é repetir o trabalho seguidas vezes, sempre partindo do mesmo ponto inicial de não ter nada construído. Limpeza pode ser feita de acordo com necessidades pontuais. Sim, a louça precisa ser lavada antes de ser reutilizada, mas não necessariamente na hora em que as pessoas acabam de comer. Quem cozinha tem horário. Algo que eu nunca gostei nessa vida foi de ter hora para fazer as coisas. Limpeza te permite escolher suas batalhas de acordo com seu grau de energia e interesse momentâneos.

Está de bobeira e viu o chão sujo? Aproveita e vai limpar. Era um espaço de tempo disponível mesmo. Você acha mais chato fazer o que escolheu fazer naquela hora ou ter que ‘bater cartão’? Se obedecer horários definidos fosse algo que nós gostássemos de fazer naturalmente, o mercado de trabalho agiria de forma consideravelmente diferente. Cozinha, pelo menos pra mim, assemelha-se mais a um trabalho do que limpeza.

A não ser que você seja uma criança ou esteja em depressão, não precisa ser forçado a tomar banho, não? Manutenção na forma de limpeza nos é muito mais natural. Eu assumo minha preguiça perene, mas isso não quer dizer que não exista um prazer inato em estar num corpo ou num ambiente limpos. Pode-se argumentar o mesmo sobre cozinhar? Veja bem, alimentação é importante, essencial. Mas não cozinhar. Precisamos comer, não necessariamente preparar o alimento. Cozinhar não serve a nenhum propósito natural: animais se limpam e limpam suas casas (quando as tem), mas não se preocupam com nada além de consumir in natura o que lhes dá o sustento.

Cuidado: não estou fazendo um argumento sobre uma menor importância de cozinhar na nossa vida, é basicamente o que ‘colou’ nossa sociedade e nos permitiu basicamente tudo o que temos em termos de evolução social. Só estou dizendo que cozinha é mais trabalho do que manutenção básica. Eu acho chato ter mais um trabalho nessa vida. Ainda mais um que exige características muito parecidas com o meu do dia-a-dia, com o problema de ser consumido e desfeito em questão de minutos.

A via do menor esforço nem sempre quer dizer a via que menos te consome fisicamente. Mentes cansam e precisam de um sossego. E a não ser que você tenha um grande prazer em cozinhar, é uma coisa chata. Se eu te disser que xadrez é uma coisa interessantíssima por estimular muito a cabeça, quer dizer que você vai achar mais interessante que, por exemplo, jogar futebol, dançar ou algo mais físico do tipo? Chato é o que nos consome. Não sei se quero convencer alguém do meu ponto hoje, acho que a vida é mais feliz com gente que gosta de cozinhar e gostaria que o mundo estivesse cheio dessas pessoas, mas… custo/benefício. Cada um acha o seu.

Para dizer que isso é falta de um tanque de roupa pra lavar, para dizer que o menos chato é ter dinheiro, ou mesmo para dizer que não conhecia esse meu lado Amélio: somir@desfavor.com

SALLY

O que é mais chato, cozinhar ou limpar? Limpar.

Nem ao menos acho cozinhar chato, é quase que um ritual, quase que alquimia. Você mistura os ingredientes e os transforma em algo novo. Não apenas novo, mas também prazeroso para você e para quem mais usufruir da sua comida. Efetivamente se cria algo novo no mundo, ao contrário de limpar, que apenas restaura as coisas no estado em que estavam no dia anterior.

Cozinhar permite uma série de derivações quase que infinitas, seja na forma de preparo, seja na combinação de ingredientes. Limpar não, limpar é a boa e velha vassoura, a boa e velha esponja, não tem nada que inovar, não tem nada que criar. Você não inventa um novo detergente, mas pode criar um novo molho para a carne.

Limpeza não trabalha em nada a criatividade. Se limpa esfregando, e ponto final. Cozinhar permite mil invenções diferentes, desde a decoração dos pratos até os temperos, você pode dar um toque pessoal à sua comida, e nela há mérito para a inteligência e inventividade. Limpar não, é algo que até um orangotango pode repetir se for devidamente ensinado.

Limpar é frustrante. Você limpa e você tem a certeza de que mais e mais sujeira vai se acumular no local em questão de horas. Você limpa sabendo que vai estar sujo amanhã, ou seja, não adianta muito, se enxuga gelo. A comida, por mais que seja ingerida por todos, é um ritual bacana que gera diversos ganhos secundários: socialização, satisfação e até mesmo saúde. E comida você pode fazer em grande quantidade e congelar, ela respeita melhor seu tempo.

Comida pode ser rápida. Um miojo, por exemplo, não te toma mais do que três minutos. É você quem escolhe a quantidade de tempo que quer gastar cozinhando. Te desafio a limpar a casa em três minutos. Em três minutos não se lava nem uma louça suja na pia (se for bem lavada). A sujeira não se rende à sua agenda. A sujeira volta, quer você tenha limpado muito ou pouco no dia anterior. A sujeira está por todos lados.

A comida tem foco na cozinha. A regra é clara: geladeira, fogão e adjacências. Limpeza não. Limpeza encontra espaço em áreas menos nobres tipo vaso sanitário. Tem alguns lugares verdadeiramente nojentos que precisam ser limpados. Sem contar a própria sujeira, que pode ser muito nojenta.

Limpar cansa. Não raro limpar requer força física. Cozinhar não, cozinhar requer habilidade. Sou da turma da habilidade. Cozinhar é sutileza, detalhes, proporções. Limpeza é grosseria mesmo. Observe um chef de cozinha e uma faxineira e sinta o decréscimo de sofisticação. Cozinhar é mais difícil, requer mais capacidade, basta ver quanto vale no mercado um cozinheiro.

Cozinhar está escorado em regras. Adoro regrinhas que me direcionem, nem que seja para transgredi-las. Na cozinha temos medidas de quantidades, temos tempo correto de cozimento, temos um norte. Limpeza não, é terra sem lei, é bandalha, cada um por si, faz de qualquer jeito. Até uma criança pode limpar, mas uma criança não pode cozinhar.

Muito me admira a Madame aqui de cima preferir uma atividade tão menos sofisticada. Algo que não demanda inteligência e criatividade. Nada menos intelectual do que uma faxina. Cozinha é precisão, limpeza é força bruta. Cozinha é criação, limpeza é estagnação.

Eu entendo quem não gosta de nenhum dos dois, tem gente que realmente não tem vocação para tarefas domesticas, nenhuma delas. O que eu não entendo é gente que topa a nojenta tarefa de esfregar vaso sanitário mas diz não gostar de fazer um bolo. Simplesmente não faz sentido preferir um trabalho sem mérito, principalmente quando a pessoa se diz elitista como o Somir.

Cozinhar gera alegria, as pessoas comem uma comida gostosa ou uma sobremesa bem feita e ficam muito contentes. Limpeza não, limpeza é mera manutenção da normalidade. Cozinhar gera um resultado concreto, palpável. Limpar não, mal é percebido. Limpar é subalterno, cozinhar é nobre.

Para dizer que comer é melhor do que cozinhar, para dizer que melhor é casar para não precisar fazer nenhum dos dois ou ainda para perguntar se os temas bons acabaram: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: ,

Comentários (12)

  • Odeio cuidar da limpeza, o pó e o cheiro dos produtos de limpeza além de atacar a rinite, me dão dor de cabeça.

    Já na cozinha, eu mando bem. Sei me virar e não passo vergonha quando convido alguma mulher pra jantar em casa.

  • Dos males, o menor!
    Entre cozinha e limpar a casa, eu prefiro limpar a casa e mandar meu marido pra cozinha, quando ele está em casa, já que ele é gastrônomo… E mais, prefiro limpar, pq se eu troco os papéis, a limpeza da casa é feita igual o cu! Já q dificilmente um homem tem a destreza de saber os processos da limpeza! Passam uma aguinha na louça e já pensa que tá tudo lavado! Passa um paninho no chão, sem nem ter varrido antes, e já pensa que o chão tá limpo! Então, deixa q eu limpo! Na maioria do tempo, tenho que cozinha tmb, massss, como disse o Somir, cozinhar tem hora certa! Limpar é na hora que vc tem vontade (claro que as vezes tmb é pq é preciso, mas a gente sempre pode deixar pra mais tarde)! E eu detesto olhar no relógio e falar: “putz! tenho que cozinhar”! DETESTO! E olha que eu até q cozinho bem… Masss, sem dúvida, pra mim, limpar é “menos pior” que cozinhar…

  • Odeio arrumar qualquer coisa, mas gosto de cozinhar. E minha comida é boa, modéstia a parte. Aprendi a cozinhar basicamente com a Ana Maria Braga. Lol

  • Diferente de limpeza, cozinhar exige um certo talento. Já vi uns vídeos de robôs/máquinas que fazem alguns dos trabalhos chatos tipo varrer e passar pano no chão, lavar louças, passar roupas, limpar calha, cortar grama e limpar piscina. A maioria das pessoas tem só a lava roupas que já economiza um bom tempo da limpeza, acho péssimo esses itens serem tão caros por aqui. Meu sonho é ter todo o trabalho doméstico feito por máquinas mas, enquanto esse dia não chega o jeito é dividir a faxina.

  • eu considero mais chato cozinhar. Realmente tem que ter habilidade e talento. O que me salva é comida pronta e os restaurantes… Se não fosse isso eu já tinha morrido.

  • Eu acho que o Somir atrasou porque ficou limpando a casa hahaha
    Tem coisa pior que lavar cozinha? Só lavar banheiro! E quando o chão é branco e toda hora vem aquela poeira pra ter que varrer? Aff Mil vezes cozinhar.

  • Eu só limpo meu quarto senão minha mãe me taca o chinelo.
    Somir faz mimimi até pra lavar a louça e vai querer que acreditem que faz limpeza… É um fanfarrão!

  • Eu acho fascinante quem sabe cozinhar e tem aquela desenvoltura na cozinha… Por conta da minha rotina essa é uma área da minha vida que ainda irei me desenvolver. Gosto de fazer receitinhas rápidas, mas por outro lado não gosto de cozinhar pelo fato de detestar ficar fedendo a comida, pra mim é o fim sentir cheiro de comida no meu cabelo e roupas. Acaba meu dia.

    Eu prefiro limpeza, acho que sofro de um tipo leve de TOC, pois me sinto agoniada com desorganização e sujeira. Prefiro limpar, organizar, sistematizar. Tenho uma amiga que fala que eu quem deveria apresentar aquele programa “Santa Ajuda” do GNT. Amo limpeza e organização, tudo funciona melhor, se está organizado as coisas ficam funcionais, até pra quem pilota o fogão é ótimo encontrar tudo limpo e organizado.

    Outra coisa, eu não consigo trabalhar, estudar se minhas coisas estão sujas e bagunçadas, nem dormir direito eu consigo… Pq sei que me atrapalha a vida, sei que no dia seguinte vai me atrapalhar na funcionalidade da rotina.

    • Inclusive… Sally, vc uma vez me indicou um livro de culinária explicada pelo ponto de vista da química.

      Vc tem algum legal pra me indicar de receitas rápidas?

    • Compartilho da mesma opinião. Não gosto de cozinhar coisas demoradas, trabalhosas. Receitas mais básicas e rápidas me agradam mais. E ficar com cheiro de comida me irrita muito. Quando cozinho evito frituras pq fico com a sensação de que estou com o cabelo e a pele engordurada. Prefiro limpar!

  • Eu não faço faxina por nada desse mundo! Pago bem pra faxineira porque ela merece. Ó coisa chata e cansativa!
    Também não curto muito cozinhar, mas pelo menos tem uma compensação e tanto que é comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: