CBM: Bonde das Maravilhas – O retorno.

Quando li que o Bonde das Maravilhas estava lançando um clipe novo, fiquei muito animada. Qual seria o cenário carioca que elas detonariam desta vez? Um ponto turístico do Rio? Uma praia? Mas, quando o clipe começou, meu coração apertou. Não tá fácil para ninguém, minha gente. A crise deu as caras no Bonde das Maravilhas.


Acabou a verba para pagar Tom Produções ou Tom Produções faliu? A confirmar. O fato é que, infelizmente, o clipe não é by Tom Produções, o que, por si só, já faz perder boa parte daquele glamour oleoso e over dos bons tempos.

O novo clipe, que não sei dizer se é oficial ou não, parece ter sido gravado em uma laje. Isso mesmo, uma laje de concreto. As Maravilhas entram, animadas. Uma delas ostenta uma bolsa Adidas como se isso fosse motivo para ostentação. A outra um aparelho de som que parece saído diretamente da década de 80. Reparem que logo no começo, aos dois segundos de clipe, é possível ver o que parece uma marca de bala na parede. Pausa nos quatro segundos. É o retorno de Renatinha, que, convenhamos, não é mais digna do diminutivo. Ela está com o rosto coberto estilo terrorista, mas pelo seu shape logo percebemos que se ela for jogar uma bomba em alguém, será de chocolate. Sabe como é, gordinha sempre anda com doce nos bolsos.

A entrada na laje é apenas um teaser do que vem por aí. Percebo que a crise é tanta que o clipe mais parece uma colcha de retalhos dos clipes anteriores. Passa até trechos do clipe “Quadradinho de 8”. Não faz mal, reciclagem é tendência. Corta abruptamente para um novo cenário, que mais parece um pedaço da vila do Chaves.

Em uma viela de uma comunidade carente do Rio de Janeiro, três Maravilhas estão de quatro descalças no chão com a bunda virada para a câmera. A sola do pé das moças me assusta. Se cravar uma ferradura ali com um prego, acho que elas não sentem nada, a craca atinge um grau de fazer inveja a muito marmanjo.

Sério, mesmo com essa craca fiquei preocupada com a saúde delas, vai que pegam uma leishmaniose ou coisa do tipo? Já pensou se as nossas heroínas tenham bicho do pé? O chão parece de cimento áspero, não quero nem imaginar como está o joelho dessas meninas. Do nada, duas maravilhas se ajoelham nas três Maravilhas que estavam de quatro em uma versão pobre e pornô do Cirque du Soleil e começam a fazer quadradinho com a bunda trepadas nas colegas. Mesmo na extrema pobreza, elas não perderam seu mojo.

Corta para as Maravilhas pulando feito loucas. Talvez o chão esteja quente, vai saber. É possível ver um chinelo no chão, à frente de Thayiyssah, que deve ser a mais abastada por ser líder do grupo. Feliz que ao menos uma delas tenha condições de comprar calçados. O short jeans é sempre o mesmo, desde o primeiro clipe em 2013, se estender ele no varal ele rebola sozinho. Uma coisa me preocupa: durante todo o clipe há alternância de cenas com 5 e com 6 Maravilhas. Temo que no correr das filmagens uma tenha morrido de fome.

Vem aquela sequencia de epilepsia anal que a gente já conhece. Reparem na segunda Maravilha, da esquerda para a direita, uma espécie de Avatar pobre, com top branco. Essa eu acho que não está dançando. Ela vai se abaixando, como quem está recebendo uma entidade. No caso, me parece uma possessão demoníaca anal. Exu Bate-Cu desceu com força ali. Fiquei esperando ela vomitar verde ou sua cabeça rodar 360° a qualquer momento. A Maravilha Exu quase esfrega o cabelo no chão enquanto faz o movimento. Desviei o olhar por alguns segundos, confesso, não fui forte de assistir de uma vez só.

Corta para um play muito do tosco, onde elas continuam batendo as bandas de frente para uma churrasqueira, imagem provavelmente reciclada de outro clipe. Percebo que Karol está em algumas cenas e não está em outras. O que teria acontecido com Karol? Façam seu bolão de apostas: engravidou pela milésima vez, virou evangélica e agora só faz putaria escondido, morreu de fome ou foi presa? O combo churrasqueira e piscina me incomoda, todo pobre acha que churrasqueira e piscina são ostentação. Rico não tem piscina, tem ilha.

Começam as apresentações, onde cada Maravilha ganha um solo. Rafaela, que nunca saberemos exatamente qual delas é, pois só aparece sua bunda, é mostrada rebolando em um recinto de gosto duvidoso. Algo no canto esquerdo de Rafaela me intriga, parece uma caixa dágua. Obviamente pés descalços e obviamente craca máster, aquela que chega a deixar o pé branquinho. Desvio o olhar novamente. Devo estar ficando frouxa.

Thayssa dança em uma laje. Aparecem cenas dela recicladas de outras gravações. Em uma delas, novamente ela sacode o cu ao lado de uma piscina. Gente, piscina é depósito bonitinho de germes e mijo, não é status ter piscina. Por favor, vamos interiorizar esse conceito.

Gabi tem epilepsia anal em frente à porta de uma garagem. Confesso que não lembro de Gabi, ou ela é nova, ou tem o carisma de uma tampa de vaso e não deixou qualquer lembrança em uma pessoa que escreve review de quase todos os clipes do grupo. Pode ser o cabelo também, eu tenho essa coisa de não reconhecer uma pessoa quando ela alisa o cabelo.

Para minha surpresa, quando apresentam Renatinha ela aparece magra. Ou é um vídeo antigo, ou a crise atingiu ainda com mais força Renatinha, porque da última vez que a vimos, ela parecia um frango em pé de tão cheinha. Renatinha dá uma abaixadinha com a caixa d’água de fundo e uma lata de tinta Coral ornando o ambiente.

Kate rebola em uma cobertura que certamente não é dela, com o celular ali, ao alcance da mão, porque né, vai que toca no meio da rebolada e ela tem que atender ou “as colega” manda “um zap”. Ao final temos Sbrubles. Não sei se A Sbrubles ou uma Sbrubles, só sei que não entendi o nome, então será Sbrubles até o final do clipe.

Ok, agora algo estranho acontece. Elas reaparecem em um novo cenário, totalmente diferentes. Inclusive são seis, em vez de cinco. Thayssa está ruiva, Renatinha (procure por tatuagem escrota na panturrilha) está mais cheinha, enfim, é visivelmente outro contexto. Reparem no cabo do gatonet que orna o fundo da apresentação. Pagar tv a cabo é para os fracos. Aos 1:20 minutos elas dão um giro tirando o pé do chão. Olha o pé dessas moças. Olha o pé da segunda Maravilha da esquerda para a direita, a que está de blusa amarela. Olha esse calcanhar. Parece que esfregou na farinha.

A partir de 1 minuto e 22 segundos, começa o caos. Não me perguntem o que é isso. As maravilhas correm por uma laje, duas delas com a cara encapuzada, no melhor estilo Estado Islâmico, apesar de que, já falamos sobre minha teoria acerca dos atentados de Renatinha.

Cada um tem uma coisa na mão. Sbrubles dança segurando um balde amarelo (é muito sério isso gente, não estou inventando). Renatinha encapuzada está gorda novamente. Não sei dizer o que merdas é isso nas mãos de Thayssa. Parece uma bomba de encher pneu de bicicleta. Isso explicaria o súbito inchaço de Renatinha, vai ver enfiaram isso no umbigo dela e começaram a inflar. Uma Maravilha com a bolsa adidas e outra com o som dos anos 80 dançam ao fundo.

Renatinha parece uma versão pobre e gorda do Kenny, do South Park. Fico esperando um cofre cair na cabeça dela, mas nada acontece. 1 minuto e 39 segundos. Sbrubles de capuz começa a se contorcer. Confirmada a possessão demoníaca. Não tá fácil para ninguém, até o capiroto está sem condições de incorporar na alta renda. Elas dançam, obviamente descalças, de forma desconexa. O nome desse clipe deveria ser Bonde das Maravilhas e o Santo Daime.

Depois simplesmente repetem todo o clipe novamente, o que me obrigou a rever com olhar ainda mais minucioso e me fez descobrir coisas como Thayssa tirando o short da bunda aos 2:29min. Confesso, é profissional. Aquela puxadinha discreta e rápida. Saber tirar calcinha da bunda é uma arte ninja milenar que poucas mulheres praticam com habilidade.

Muito triste com a pobreza que se abateu nas Maravilhas, mas ainda mais triste com a ausência de Tom Produções. Investiguei. Eles ainda existem, mas parece que abandonaram as nossas Maravilhas. Continuam no ramo lançando clipes de alto garbo e erudição, como o recente “Joga a bunda”, “Nós tá pra negocio” ou ainda ou autoexplicativo “Aventuras no Motel”. Resta agora confirmar o que vale mais: Maravilhas sem Tom Produções ou Tom Produções sem Maravilhas.

Para perguntar por que eu continuo escrevendo sobre essas merdas, para se compadecer da precariedade das Maravilhas ou ainda para discorrer sobre os motivos pelos quais todo pobre tem tara por andar descalço: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (19)

  • Avatar

    Wellington Alves

    Sally, adoro seus posts descritivos! Sou cego, uso software de leitura de tela ,Voice over), e os detalhes narrados por você, além de hilários, são, de certo modo, uma forma de inclusão para mim.
    Há poucos filmes, peças e programas que oferecem audiodescrição, e, ainda assim, são chatas. Acho que meu sonho é poder assistir um filme com você do meu lado descrevendo as cenas! Pensem aí numa premiação do tipo! rs

    Parabéns pelo blog! Bjs

    • Wellington, agora estou me sentindo até mal… Eu poderia ter levado cultura e informação até você e em vez disso levei BONDE DAS MARAVILHAS.

      Perdão.

  • Sally, qual é a sua opinião sobre essas web celebridades brasileiras, tipo Inês Brasil, Gretchen, Nicole Bahls e afins?

    • Essa aborígene conhecida como Inês Brasil é um dos maiores cânceres que já apareceu na internet., senão o. Já não tem graça, com os inclusos forçando é pior. Eu acompanho muito cultura pop, tipo músicas, artistas, charts. E sempre que vejo nos comentários de páginas e sites com esse tema algum débil mental comentando “close errado, mana” com um “meme”Dessa coisa, como se tivesse humilhado na discussão, tenho que lutar contra as lágrimas de descrença nessa geração. Quando vejo alguém dizendo que não gostam dela por “preconceito por ser negra e pobre” então… Aí que fico na fossa mesmo.

  • Repara no pé da Renatinha, tem um curativo de esparadrapo no dedão. Hahahahaha Bicho de pé elas não pegam não porque o bicho morre nesses pés.

  • “[…] virou evangélica e agora só faz putaria escondido,[…]”
    HAHAHAHAHAHAHAHA

    Agora fico imaginando uma delas publicando um livro (ghost writer, é claro) sobre sua gloriosa trajetória da bunda à igreja.

      • (Esse é o país em que outra “convertida desse tipo” teve até “blog [3]” naquela “época blogosfera”, imagine “livro ghost writer”, que – novamente “nêstipaiz” (…) – até “youtubers” têm lançado ?)

        Não dá ideia….

        DSVS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: