Revistas masculinas.

Muito se fala das bostas que revistas femininas escrevem sobre homens e relacionamentos. Concordo. Dicas furadas, formulas mágicas que não provocariam nada além de riso ou constrangimento no sexo oposto e muita, muita mentira. Mas… vocês sabiam que as revistas masculinas também escrevem toneladas de bosta sobre mulheres? Não, não é feminismo, é bom senso mesmo. Coisas patéticas que mais do que ofender mulher, implicam em um ridículo absurdo protagonizado pelo homem. Eu quero que se foda o empoderamento feminino, o texto de hoje é sobre senso do ridículo!

Foi bem difícil selecionar o pior do chorume escrito, dá até para fazer uma coluna fixa mensal de tanta bobagem que tem. Hoje optei por dar um passeio na revista VIP, em tese destinada a público adulto, homens supostamente maduros e bem sucedidos. Peguei algumas imbecilidades aleatórias só para que vocês tenham ideia do desfavor que está sendo divulgado e quero que vocês, mulheres, me digam nos comentários se qualquer uma dessas palhaçadas narradas aqui as agradaria de alguma forma ou se lhes parece coerente.

Vamos começar com as dicas maravilhosas (agosto de 2016) sobre como ter “Um beijo matador”. Para começo de conversa, se um homem almeja ter um “beijo matador”, provavelmente ele quer beijar outro homem. Vocês sentem a vergonha alheia que é o termo “beijo matador”? Pois é. Segundo a revista VIP, para ter um “beijo matador” o homem deve, antes de mais nada, usar um Lip Balm. Novamente, se você sabe o que é um Lip Balm, mais provável que você beije matadoramente outro homem.

Depois, vem dicas nutricionais como não tomar suco de laranja ou comer mel, pensando sempre na hidratação dos lábios. Exato. O “beijo matador” da VIP parece ter sido escrito por uma maquiadora da Sephora. Consiste em ter lábios macios, isso resolve toda a questão, isso garante um beijo satisfatório. Meus queridos… alguém aqui acha que mulher classifica beijos conforme a hidratação labial? Cêjura? “Ai amiga, beijava igual a um cachorro bebendo água da tigela, mas foi maravilhoso, o lábio dele estava suuuuuper hidratado”. Imagina, o Jason Momoa, o Brad Pitt ou o James Marsden vem me beijar e aí eu digo “não, não… não foi bom, o lábio estava ressecado”. É muito lamentável.

Calma que piora. Agora falam em término de relacionamento (setembro 2016), apresentando o espetacular “Guia Do Pé Na Bunda” (a vergonha alheia prossegue), explicando como dar um “pé na bunda” de uma mulher da melhor forma possível. Pensa que a recomendação foi honestidade e diálogo? Não, não, foi babaquice pura. Aliás, para começo de conversa, se não quer problemas, não chame de “pé na bunda”. Feio, bobo, infantil. Pessoas adultas terminam um relacionamento.

Olha que dica maravilhosa: “Já está com o saco na lua para continuar o namoro? Tire uma semana para pensar o que o faz se sentir assim. Se precisar, faça uma lista de anotações. Isso vai facilitar na hora de explicar para a moça o porquê do fim. Agora, é só ser preciso na incisão e finalizar o corte.”. Os cirurgiões do amor, genteeeeee! A dica que esta caralha desta revista dá para terminar da melhor forma possível é: dar um tempo.

Homem, abram os ouvidos e memorizem este parágrafo: Nada emputece mais uma mulher do que essa babaquice de “vamos dar um tempo”, que em bom português é “não tenho culhões de terminar com você agora, então vou fazer aos poucos, da forma mais dolorosa para você e menos dolorosa para mim”. Quem dá tempo é relógio, desejo câncer peniano a homem que pede tempo. Cuzão, frouxo, merdão que tá com medinho de colocar um ponto final e se arrepender, então o faz à prestação. Deprimente, deplorável, covarde. Qualquer mulher que tenha autoestima (ou seja, as que valem a pena, as que podem te dar uma relação saudável) sabe que se o sujeito está na dúvida se quer ou não ficar com ela, é ela que não vai querer estar com esse sujeito. No final das contas, esse guia é de como levar um pé na bunda caso a mulher seja saudável.

O aterro sanitário de palavras continua. Agora a revista ensina como colocar em prática o “pé na bunda”: “Combine um encontro em local público para minimizar o risco de possíveis escândalos. Antes, marque com um brother de irem mais tarde em um bar, por exemplo. Isso vai determinar um prazo final para a conversa derradeira com a gata. Afinal, você não pode deixar o amigo esperando, né?”.

Tanto a dizer… O sujeito deve se achar extremamente importante para partir da premissa que qualquer mulher vai fazer um grande escândalo quando for privada da sua maravilhosa pica de ouro, né não? Sim, há a presunção que mulher vai fazer escândalo e também implorar e não deixar o homem ir embora. O mais grave é: ao perceber que a mulher é uma descontrolada que faz escândalo e não te deixa ir embora, o sujeito ainda precisa de um álibi, de um desculpa, de um amigão esperando para sair dali! SOCORRO! A pessoa que escreveu isso não se deu conta, mas passou um atestado de deficiência mental: ao presumir que é isso que uma mulher faz, ele delata que só se relaciona com mulher maluca, insegura e neurótica. Meu amigo, mulher fez escândalo? Vira e deixa falando sozinha.

Sério mesmo, se uma ex faz um escândalo em público por causa do término de um relacionamento, em vez de usar conselhos envolvendo artifícios e joguinhos para escapar, eu te dou uma dica melhor: VAI FAZER TERAPIA, para entender porque merdas você pagou de namoradinho para uma mulher maluca. Sim, porque pegar, acontece, maluca não vem com “maluca” escrito na testa. Mas namoradinho? A ponto de ter que verbalizar o término de uma relação?

Sinal que você teve tempo para avaliar o tipo de pessoa com a qual se relacionava e não soube fazê-lo. Terapia para você. É provável que você “não tenha percebido” por ter uma enorme ganho secundário, ter topado ficar com uma mulher assim por insegurança sua, para ter o ego massageado por uma moça que estava sempre correndo atrás de você. Não importa, em vez de joguinho bobo de revista, vai fazer terapia, que você ganha mais e preocupe-se em ver a sua parte na história em vez de ficar apontando o defeito da mulher.

Mais uma dica deste lamentável tópico, esta intitulada “Mantenha-se anestesiado às emoções”. Já começa muito bem. Vejamos o que esse estrume escrito nos proporciona: “Dita a sentença, prepare-se para o revide. É claro que a garota vai querer argumentar e tentar dobrá-lo. Se ela perceber que o jogo está duro demais, vai partir para golpes baixos. Choros, acusações, chantagem… “. Meus queridos, se isso acontecer com vocês em um término, repensem a vida, mas repensem MUITO SÉRIO, pois vocês estão escolhendo mulheres carentes, desequilibradas e chatas pra caralho e pagando de namoradinhos para elas. O problema está em você!

Foco no “é claro que a garota vai querer argumentar e dobrá-lo (…) choros, acusações, chantagem”. Olha só, se você escolheu uma mulher inteira, o máximo que ela vai querer dobrar é o seu pau, para enfiar no seu próprio cu. Choro? Acusação? Chantagem? Deixa eu te contar um segredo: você não é tão especial. Tire da sua vida essa premissa de que você arruína com a vida de uma mulher quando lhe dá um fora, na maior parte das vezes, você faz um favor a ela. Não falta homem para mulher (o contrário frequentemente acontece), fique despreocupado. Foque a atenção em você, que vai ter que rebolar para comer alguém agora, ok?

Agora vamos para outra diarreia escrita. Uma matéria da mesma revista revelando os “5 sinais de que ela está a fim de você”. Nela eu descobri que eu estou a fim de basicamente todos os homens que eu conheço, olha que curioso! Prepara que lá vem dica infalível para saber quando uma mulher tá de dando mole: “ela olha no seu olho”. Oi? Pessoas sinceras olham nos olhos! Entenderam a deixa, né mulheres? Se não querem que ele pense que pode te comer, fale com ele olhando para o teto ou para seu sapato.

Mais um sinal inequívoco: “ela joga o cabelo pra trás enquanto conversam”. A explicação: “Fazer esse movimento, deixando a nuca e o pescoço de fora, demonstra que a garota está disponível e que procura carinho”. Mas olha… vai tomar muito no cu. VAI TOMAR N-O C-U . Além de falar olhando para o teto, não pode mexer no cabelo, coisa que qualquer mulher faz milhões de vezes por dia. Ô babaquaras, se querem saber se uma mulher está a fim de você, chamem ela para um jantar, um cinema, sei lá o quê e pronto. Jogo aberto, seus Sherlock Holmes de Bosta! Parem de tentar ler a mente de mulher, que vocês não vão conseguir, pergunta, conversa, feito adulto.

Outra dica: “ela te dá muita atenção e parece se divertir quando estão juntos”. É justamente como eu me mostro para meus amigos, que nesta altura, devem estar achando que podem me comer se forem leitores da revista VIP. Felizmente eu ando com pessoas instruídas que não costumam ler revista escrita pelo estagiário. Repito: todo mundo é adulto, as coisas podem e devem ser conversadas de forma aberta, não tentem adivinhar para se sentirem fodões ou espertões. Fica ridícilo.

Aí vem mais um dejeto literário: “Sete dicas poderosas de como adiar seu casamento!”. Cuzão: não quer casar, NÃO FUCKIN’ CASE. Qual é a dificuldade? Quão idiotão é ficar dando desculpinhas? Se você falar que não quer casar ela te larga? Pois bem, que te largue seu frouxo, se vocês querem coisas diferentes, ela tem todo o direito de saber e procurar alguém que lhe dê o que ela quer. É ridículo ficar dando desculpinha para não casar, parece criança que fica enrolando para entregar o boletim para a mãe. Deplorável ter esse temor de mulher.

Atenção para o auge da bichice: “Use a Estratégia do Contrapé – que, grosso modo, pode ser descrita como ir sistematicamente agindo de forma inversamente proporcional ao que ela espera de você diante de cada detalhe relacionado ao casamento”. Oi? Oooooooiiiiii? Presta atenção no que está sendo proposto: você viver uma mentira, emulando reações, para manipular a outra pessoa. Tá saudável? É legal um homem adulto fazer isso? Vale a pena ficar em um relacionamento onde se faz isso?

Os outras dicas são tão bizarras quanto. Coisas muito maduras como “Não goste de criança. Jamais pare diante de um carrinho de bebê no shopping. E odeie os desenhos da Pixar!” ou “Deixe sites pornô entre seus favoritos”. Minha Nossa Senhora da Cueca Boxer Preta, que coisa mais patética um homem colocando essas dicas em prática.

Revista VIP, que vergonha imensa que estou sentindo de vocês. Tá puxado escrever matérias de qualidade? Contrata alguém que faça produção de conteúdo, eu mesma não cobro tão caro assim. Sério mesmo, paga, mas apresenta textos com um mínimo de dignidade. HORROR, HORROR EXTREMOS PELAS COISAS QUE LI! E não é algo pontual, toda edição tem um tolete em algum lugar.

Porra! Tenham VERGONHA! Pior do que influenciar homens a serem infantilóides, retardados emocionais e babacões, vocês mostram que na redação de vocês só tem idiota. Esta caralha desta revista custa QUINZE REAIS. Quinze reais para ler esse tipo de bosta, que não apenas não ajuda, como atrapalha. É bom encherem essa merda de mulher pelada, porque conselho ruim tem aos montes na internet de graça… se bem que, mulher pelada também. É, cês tão fodidos mesmo. Revista VIP devia mudar de nome para revista RIP.

Para dizer que se na VIP foi assim na Men’s Health vai ser dez vezes pior, para fugir de homens que leiam revista VIP ou para perguntar se o editor é o Alicate: deixe seu comentário.

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (46)

  • Morta com o nível dessas revistas…Será que existe alguma revista que preste?Porque com quinze reais compro dois pacotes de papel higiênico.Duram muito mais e a folha é mais macia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Mas segundo leitores da VIP infantil é quem lê HQ/mangá. Vai entender.
    Alias tem uma categoria mais abaixo que são os caras que querem ser como o Barney de HIMYM. Medo.

    • Fazer joguinho com mulher, dar desculpas mentirosas para adiar casamento, fingir que não gosta de criança, tudo isso é muito adulto, né? Vai entender…

  • Socorro! Como eu não sabia da existência dessas colunas!? Morri de rir com o texto, como sempre (e atrasada, como sempre tbm)

    • Vira filtro para primeiro encontro:

      – Oi, você lê a revista VIP?
      – Sim
      – Com licença, surgiu um imprevisto, tenho que voltar para casa

  • Refletindo bem sobre o assunto, o termo “Revista Masculina”, refere-se ao cromossomo, e não exatamente à orientação sexual.

  • Eu NUNCA tinha sequer imaginado o que estaria nessas revistas masculinas e fiquei estarrecida com quão patético também é, se comparadas com as femininas.
    Sério, qual é o problema de chegar e terminar decentemente com uma pessoa? Eu, sinceramente, nem faço questão que seja pessoalmente (o trabalho de me arrumar e sair de casa para levar um fora é absolutamente desnecessário), mas uma boa conversa deixa as coisas claras e com a sensação de resolvido e não uma coisa em aberto que precisa ser esmiuçada ainda.

    • Ah, e eu fico puta com essa ideia de que mulher é tudo histérica e louca quando a gente vê a quantidade de homem matando mulher por não se conformar com o término do relacionamento.

    • É desagradável para o homem. Eles não querem passar por esse momento. Aí culpam a mulher, presumindo que ela vai fazer escândalo, vai sofrer, vai morrer.

  • Meu vício em ter papel impresso na mão pra ler, seja o que for, me fez ter contato com essa merda de VIP enquanto fazia esteira na academia. Em pouco tempo, passei a proceder como o colega El Bigodón: só passava pelas páginas pra ter a sensação de folhear algo, devido ao conteúdo indigesto ao extremo.

    Sally e demais moças freqüentadoras do Desfavor: peço desculpas pelo sexo masculino por essa revista(*) existir, mesmo nada tendo a ver com ela!

    (*) Vale também para a Men’s Health, em que, numa “matéria” escrita por um “homem” muitíssimo conhecedor da natureza feminina, apresentavam-se morosas elucubrações sobre se a mulher ia se encucar com o cheiro de sua região íntima na hora em que seu namorado se aproximasse de lá com a boca.

  • Avatar

    Innen Wahrheit

    Tenho amigos que costumam agir de forma parecida com o que essa revista parece incentivar, mas até onde sei, não são leitores. Imagino que a abordagem da revista está mais para efeito do que causa – as “instruções” ao público masculino são vistas como algo comum e apropriado às situações, e não como algo diferente de comportamentos já observados no dia a dia.

    Como homem, vejo até vantagem em haver revistas como essa, já que agir de forma distinta só é notável quando a maioria segue padrões… E numa “concorrência”, se há meios de induzir a maioria ao erro, isto obviamente favorece quem age certo.

    • É um bom filtro. Mulher que cai de amores por pessoas que se comportam conforme os conselhos da VIP podem ser sumariamente excluídas da sua vida.

  • É por isso que o nível dos homens despenca a cada dia. Não sabem mais chegar em mulher sem serem escrotos, não sabem terminar relacionamento sem pedir socorro a revista…….

  • A pergunta que faço é: “tostines vende mais por que é fresquinho, ou é fresquinho por que vende mais??” Gente existe revista assim (tanto masculina , como feminina) , por que as pessoas tem um nível tão baixo de exigência, então é só um reflexo de nossa sociedade, ou as pessoas inteligentes nem passam perto mesmo dessas revistas e elas vão vomitando qualquer coisa??? Não consigo achar uma explicação.

    • Eu acho que o nível é baixo e por isso se escreve esse tipo de tolete, para vender, em vez de escrever algo melhor, para tentar elevar o nível. É lógica de mercado. Mas Somir pode responder a isso melhor do que eu.

  • Sally, você já viu os participantes do BBB17? Parece uma edição de Os Intocáveis hahahahah
    Fiquei até com vontade de ver, BMs reais alcançariam níveis que a ficção não consegue chegar…

    • Não falamos de BBB, nos parece extremamente desinteressante. Há 17 anos agimos como se ele não existisse, salvo se for uma questão que tenha relevância suficiente para afetar a sociedade. Acho que só aconteceu uma ou duas vezes.

  • Poucas vezes na vida eu senti mais vergonha alheia masculina do que ao ler esse seu texto sobre o imenso mundo fecal produzido pela VIP.

    Eu lia VIP quando ia cortar cabelo e não tinha jornal. Lia é hipérbole. Eu passava as páginas. Até que um dia veio uma entrevista com um sujeito chamado Sidarta Ribeiro, neurocientista brasileiro. Qual foto você espera de um neurocientista? Pois é, fotografaram o cara fazendo uma postura de yoga. Sim. FUCKING YOGA DO CARALHO. Qual é a relevância se o filhodaputa faz yoga? Que porra… E a matéria era péssima, fazia parecer que o sujeito iria ganhar o prêmio nobel nos próximos dias.

    Fiquei tão de cara com a matéria, que nunca mais peguei na revista. E isso foi antes dos celulares mega-power-fodões com conexão 4-g que te permite ler qualquer coisa online de forma rápida e eficiente.

    • Próximo passo: oncologista usando homeopatia.

      Sério mesmo, a VIP parece ser escrita por uma mulher adolescente, é muito deprimente.

      • Para dizer que se na VIP foi assim na Men’s Health vai ser dez vezes pior (…)

        ( Aliás, sequer nunca li nenhuma Health…meu cérebro agradece ! )

        (…) tá mais para uma Capricho com penis

        Com certeza !

        E parabéns pelo tema (!), esperou acertadamente até publicá-lo !

  • Só de pensar que pessoas pagam pra ler isso e eu aqui desempregado me dá uma tristeza… Não se pode esperar diferente do país do Big Brother e do PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: