Top Des: 23/04/2017

+Deprimente.
SALLY
Brasil: um país onde não há espaço para bons profissionais.
SOMIR
Bem que me disseram que estudar era perCa de tempo.


+Olha a merda…
SALLY
Só falta aprender a lançar…
SOMIR
Eu deveria ficar surpreso por esperar que os mísseis fossem maiores?

+Doaram milhões para um bebê que vai continuar entrevado, isso não é amor, é sacanagem com essa criança!
SALLY
Prioridade máxima: aplacar a angústia.
SOMIR
O bacana é que já estão agradecendo a deus…

+Aleatória.
SALLY
Mas se tirar foto do peito, será censurado.
SOMIR
Então é para isso que o Facebook serve!

+Oi?
SALLY
Queria poder acrescentar algo mas… Oi?
SOMIR
Foto de pinto era a última coisa honesta da internet, nem isso mais…

+Vai prescrever tudo e ninguém vai ser punido.
SALLY
Slow Tribunal Federal.
SOMIR
Chama o pessoal da Odebrecht para gerenciar as investigações.

+Acusação: campos de concentração para gays. Defesa: não há gays aqui.
SALLY
Pelo visto mataram todos.
SOMIR
Não importa sua cor, você sempre pode ser uma pessoa horrível com religião.

+O ser humano é bem doente.
SALLY
Durante uma época eu achava que era caso de terapia, hoje eu acho que só eletrochoque.
SOMIR
Daqui a pouco os celulares que vão namorar.

+Celular determinando formato do corpo.
SALLY
Vamos involuir e voltar a andar curvados como os macacos.
SOMIR
A solução é criar um app para gerenciar a coluna!

+MEDO.
SALLY
Retriro o que disse, vamos é morrer cedo mesmo.
SOMIR
Bom, não estavam usando mesmo…

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (16)

  • Que história absurda essa do cara que matou uma vítima aleatória e ainda transmitiu o crime ao vivo via Facebook!

  • Quando nosso Supremo Tribunal tem que julgar coisas “importantíssimas” como a entrada ou não de pipoca no cinema, as decisões que realmente impactam a nossa vida ficam em segundo plano.

  • Acho que o povo deve pensar que quando um juiz brasileiro determina o custeio de um procedimento como o desse bebê, o povo deve pensar que o juiz materializa o dinheiro, ou então que o Bostil tenha um tipo de fundo especial para casos ganhos no juizado… caralhos, o dinheiro sai do SUS. É que nem o cobertor que não cobre tudo…

    Mas talvez por não ter filhos eu não consiga simpatizar com esses casos que aparecem na TV, como o casal e o pequeno Enzo Gabriel que nasceu com intolerância a oxigênio ou a jovem Vitória que teve uma enorme complicação ao nascer, não fala, vê, escuta ou se mexe e precisa de medicamentos caríssimos, transporte especial e tratamento que só tem na capital (a mais de 1000km de onde eles moram) pra continuar respirando.

    • As pessoas não tem consciência de que, para salvar uma criança-vegetal dessas, outras centenas de crianças que poderiam ter uma vida funcional deixaram de receber ajuda.

  • Esconder qualificações no currículo é a versão adulta das crianças que tem algum talento ou facilidade em fazer algo e acabam suprimindo isso pra não despontar na sala e ser alvo de inveja e bule. Sim, essa merda acontece.

    • Qualquer bostinha tem diploma hoje, em vez de melhorarem a educação, melhoraram apenas o acesso, criando uma horda de analfabetos funcionais diplomados que jogaram o salário da mão de obra qualificada no chão e deixaram gente boa desempregada, pois, na mentalidade do brasileiro médio, pra que contratar uma pessoa por 5x se tem que faça o trabalho por 2x?

        • No serviço público isso chega a níveis escalafobéticos. Já estive em um setor em que a função dos servidores era utilizar um programa para receber documentos digitais relativos a internações médicas pelo plano de saúde dos servidores da cidade para auditar os procedimentos e medicamentos usados nos internados. Os auditores todos estavam na faixa dos seus 35-50 anos. A coordenadora, e portanto superiora direta dos servidores do setor era uma mocinha de 22 anos que nem tinha saído do estágio probatório. Um belo dia calhou de ela precisar substituir um dos servidores por uma semana.

          Quando ela logou no programa, a primeira coisa que aparece é o perfil de quem está logado e quando foi a última vez que esse perfil logou no sistema. Não me recordo exatamente, mas a última vez que ela tinha entrado no sistema tinha sido algo como cinco meses antes. E quando ela entrou, foi atrás de uma cópia do manual que todo mundo estuda para aprender a mexer no programa. Ela não sabia sequer abrir os documentos.

          E é prática comum servidores acumularem diplomas de cursos à distância para apresentar periodicamente e serem promovidos (não de posto, mas de nível, ou seja, continuam fazendo a mesma coisa que fazem mas ganham aumentos salariais). Há servidores que chegam a fazer uma média de quatro graduações/pós graduações a cada quatro anos; conheci pessoas com muito tempo de serviço público que não executavam funções muito diferentes de telefonistas ou atendimento ao público, mas tinham muitas graduações lançadas e ganhavam mais de seis mil reais por mês para sentarem atrás de um balcão seis horas por dia.

  • Deprimente.

    Pois é (!!!) = “clichês-pretextos da flexibilidade” + “cada qualificação como produto ao invés de subida de confiança na candidatura”…

    Vai prescrever tudo e ninguém vai ser punido.

    E “na BBC Brasil”, ainda apostam para 2022(!), sendo que há um trecho-pretexto “são menos ministros até que o STJ”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: