Carta de renúncia.

“Brasileiros e brasileiras, foda-se. Foda-se mesmo. Cansei dessa porra toda, cansei de fazer pose. Eu não presto, eu fiz um monte de merda para chegar onde cheguei, tive que subornar, ser subornado, roubar, ameaçar, mandar matar e tudo mais… e sabem do que mais? Caguei. Faria de novo. Sabem por quê? Porque vocês não valem mais do que isso. Pronto, falei!

Sabem o que acontece com gente honesta no poder? Ou morre ou vira piada entre os outros políticos. Simples assim. Isso aqui não é para idealista não, aqui a coisa é feia, ninguém te alivia porra nenhuma. Não entrou no esquema? Desaparece. Atrapalhou o esquema? Morre. Eu não quero, mas mesmo se eu quisesse, eu não tinha como fazer diferente. É tipo começar a chutar a bola num jogo de basquete. Vocês entendem isso? Seja como for que você acha que funciona na sua cabecinha, não é assim.

E todo mundo com poder suficiente sabe disso. Sabe o que eu acho foda? Neguinho sacaneia, age feito bandido a vida pública toda, e na hora do vamos ver fica se sentindo injustiçado por ser tratado feito bandido. Porra, a gente é o que a gente é. Eu fui bandido mesmo. Quer me odiar, quer sair na rua com plaquinha pedindo minha prisão? Manda ver. Quem acha que dá pra fazer diferente que levante o rabo da cadeira e venha trabalhar aqui.

Porque é fácil ficar fazendo protesto, batendo panela e o caralho a quatro entre um churrasco com pagode e outro! Impressionante como esse povo não se enxerga, brasileiro não consegue nem entregar uma pizza direito, até a iniciativa privada só faz coisa cagada, o que vocês estavam esperando de mim? Vão se foder. Quer reclamar? Faz o seu direito.

O que inclusive significa votar direito. Lindões vocês reclamando por aí quando foram vocês que votaram para pessoas como eu estarem aqui. Deu preguiça de pesquisar sobre os melhores candidatos? Se fodam aí. Eu não botei arma na sua cabeça para me colocar aqui no poder, até tenho uns amigos que fizeram isso, mas mesmo assim, na média? Na média são vocês votando de forma burra de livre e espontânea vontade em gente como eu.

Taí o resultado! Ou é fácil, ou é bem feito. Não tem meio termo não, seus vagabundos. Se quer um país mais honesto e funcional, vai ter que ralar muito mais do que faz. Se quer o que nós já temos, continua quietinho aí e não nos encha o saco, que de vez em quando nós jogamos umas migalhas aí pra baixo. A maioria de vocês que ficam de chororô pela corrupção fariam exatamente a mesma coisa que nós fizemos com a oportunidade. Nós todos somos podres, viu? Alguns podem mais, só isso.

Então, eu estou renunciando. Não ao poder, mas a esse joguinho ridículo de fingir que eu não estou aqui para conseguir vantagens pra mim e meus amigos. Sim, é exatamente isso que eu vou fazer, porque não vale a pena trabalhar pra vocês. Povo é um chefe de merda, que só quer levar vantagem e finge que não vê os outros sofrendo. Adianta fazer as coisas direito, levar ferro dos cornos que estão roubando e ainda ser queimado na próxima eleição porque outro candidato conseguiu comprar mais pastores pra mandar o povão votar nele?

Eu não tenho nem motivo pra fazer diferente. E quando eu sair, entra outro no lugar fazendo a mesma coisa. A verdade é que vocês não ligam, e está mais do que na hora da gente admitir isso como país. Deixa eu roubar, deixa eu ajudar meus comparsas, porque você não quer fazer o que eu faço, você não quer esse trabalho pra fazer direito. Porque se ninguém te avisou, fazer o trabalho direito é muito difícil… muito, muito difícil. Mesmo que fosse todo mundo honesto (e não é), o povo que trabalha para o governo é o mesmo que faz tudo errado em outros setores.

Gente que não se importa, ou mesmo que se importe, não tem estrutura para fazer nada melhor. Vamos parar com essa pose toda? Eu não ligo para o bem estar desse país, nem você. Cuida do seu aí que eu cuido do meu. E se quiser a mesma boquinha que eu tenho, dá seus pulos e consegue se eleger. Porque não é fácil não, não basta só ter dinheiro, tem que ser bom de cativar a gentalha! Tem que saber falar “bunitu”, tem que usar roupa bacana, tem que saber negociar bem pra caralho com o bando de abutre que se junta ao seu redor.

Verdade mesmo? Vocês tem é inveja. Eu renuncio à condescendência. Vocês só não são bandidos porque são incompetentes demais pra isso. Eu não acredito nesse país, e sou só mais um. Só mais um. Mais um competente o suficiente para fazer dessa máquina estúpida uma fonte de renda pra mim e para os meus descendentes. Caguei pra vocês. Caguei! Não adianta ser limpinho no meio do chiqueiro. Vocês não valem o esforço, e nem percebem se eu fizer melhor.

Eu sou você, brasileiro. Eu sou você que deu certo na vida fazendo tudo o que você queria fazer. Só que ao invés de tirar vantagem dos outros não avisando quando recebe troco a mais na padaria, eu tiro vantagem de empreiteiras em contratos de bilhões. Porque eu ralei pra isso, viu? Eu paguei um preço caro, prendi meu rabo com gente que mataria na menor vacilada, arrisquei ser pego e agora estou recebendo os meus dividendos.

Quer ser honestão? Vai nessa! Mas seja competente para assumir o meu lugar, porque o sistema foi feito pra mim, e só vai mudar quando a maioria começar a mudar. Vocês acham mesmo que vale a pena renunciar por aqui? Claro que não. Entra outro no lugar pra fazer as mesmas baixarias, mas sem me dar dinheiro no processo. Esse povo é burro demais para fazer as coisas na honestidade. Ficar no poder é questão de sobrevivência.

Isso aqui é uma máfia, seus imbecis. Uma máfia! Desde os tempos do Império, só uma máfia. Todos os governos são, a diferença é que em outros países tem gente com menos preguiça de pensar e de estudar pra pelo menos compensar os roubos com serviços para a população. O ser humano é corrupto. Eu não sou diferente de vocês não. Se me fosse útil ser competente na entrega de serviços decentes para a comunidade, podem ter certeza que eu seria. Eu não consegui me eleger? Não é fácil.

Mas não é útil. Vocês votam em qualquer um, sem estudar o que a pessoa faz ou deixa de fazer, votam só porque são obrigados, sem pensar, como a maioria das outras coisas que fazem na vida. Eu renuncio a me importar com vocês.

Passar bem (mal).”

Para dizer que eu achou lindo, para dizer que achou horrível, ou mesmo para dizer que entendeu o triplo sentido: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (8)

  • Essa carta é o retrato deste país, do quanto a corrupção da política está intimamente ligada à corrupção na sociedade. Como diz um amigo meu, políticos não vêm de Marte, eles são oriundos da sociedade que os coloca lá. Parabéns pelo texto!

  • Creio que ficará nesse looping infinito de impeachments, porque a linha de sucessão já está comprometida até o pescoço com as investigações da lava-jato.
    Assim sendo, a única forma de reduzir esse quadro de políticos eleitos porque “roubam, mas fazem!”, seria o fim do voto obrigatório, não tem motivo para uma pessoa que não sabe nem, ao menos, a função de um vereador, ir à urna e acabar votando em um candidato cujo ela recebeu um famigerado “santinho” na porta do colégio eleitoral.
    Como bem pontuado, a corrupção está em todos os âmbitos, e, é claro, o Presidente será o mais pisoteado quando descobre-se algo ilícito, ele é o espelho-mor do cidadão médio que se acha do bem.
    Após a saída da Presidente (com ”e”) Dilma, as pessoas esqueceram do papel de cidadãs que elas tanto pregavam durante o processo de impeachment, a batição de panela acabou.
    Passado o susto com a divulgação das gravações, o povo irá voltar a sua rotina e ao receber o troco a mais na padaria, dirá consigo mesmo: “O presidente rouba milhões, uma corrupção a mais não fará diferença”, e assim segue-se o ciclo da vida…

  • Um dos melhores textos de vocês em toda a história do Desfavor. Tive que espalhar pra todo mundo que eu conheço.

  • Vou reproduzir exatamente o que escrevi mais cedo pra uns amigos,e que está cheio de coincidências com o seu texto de hoje:

    Estava lendo o que vocês escreveram mais cedo, sobre não reeleger ninguém. Concordo plenamente. Mas vocês esqueceram um pequeno detalhe… Lembram de uma piada antiga que dizia que Deus criou o mundo, e ao dividi-lo em países saiu distribuindo desastres naturais: terremoto, furacão, maremoto, etc. Quando falaram que então ele devia gostar muito do Brasil, porque aqui não tinha nada disso, Deus rindo respondeu: “é porque vocês não viram o povinho que mandei pra lá!”
    Pois então! Temos um povinho de merda, que sabe tudo sobre BBB, novela, futebol, mas não liga a mínima pra política! Vota em quem está na frente das pesquisas, porque tem preguiça de pesquisar e porque quer evitar um segundo turno. Vendem o voto por qualquer coisa, e por incrível que pareça, não votam em honestos. Sabem por quê? Porque não se identificam com eles! E é essa maioria, esse “povim”, quem determina as eleições no Brasil.

  • Excepcional texto, mas falta só uma coisa: nenhum país do mundo, NENHUM, conseguiu ganhar dinheiro, prestígio e poder com “bonzinhos” governando seus destinos.

    Quem conhece a História dos “exemplos” apontados para o Brasil sabe que só quem jogou o jogo sujo conseguiu governar o mundo. Agora, o que queremos – honestidade ou dinheiro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: