Guerra mole.

+A Coreia do Norte fez novo teste de míssil balístico nesta sexta-feira (28), que aparentemente falhou, em meio a crescentes tensões com o exercito militar dos Estados Unidos.
+A Força Aérea dos Estados Unidos testou na madrugada desta quarta-feira um segundo míssil intercontinental com capacidades nucleares no período de uma semana, que foi lançado da base de Vandenberg, na Califórnia, informou o Pentágono.

A escalada das tensões entre Coreia do Norte e Estados Unidos parece servir apenas para seus líderes de cabelo ruim compensarem alguma coisa… guerra que é bom, nada. Desfavor da semana.

SALLY

Já faz um tempinho que potências mundiais estão se ameaçando publicamente: vão fazer, vão acontecer, mostram as armas, jogam bombas no meio do nada. Pancadaria, que é bom, não acontece. Apenas ameaças e ostentação. Se você tem uma certa idade, já deve ter visto isso em algum lugar antes. Isso mesmo, estamos rumando para uma segunda Guerra Fria.

Parece que ameaças vazias não são mais exclusividade de redes sociais. Chefes de Estado estão fazendo este papelão também: desde indiretas até fotinho falsa para propagar uma falsa realidade, o mundo virou um grande Facebook, onde os perfis mais conhecidos atualmente são de Donald Trump e Kim Jong-un.

Chegamos ao ridículo de neguinho fazer desfile ostentando míssil. Fora essas porras de ficar explodindo coisa no mar, sabe? Deve ter peixe com três olhos nadando por aí. Tá ridículo, meus amigos, tá ridículo. Meses de ameaças e nada acontece. Ou senta e conversa ou taca logo bomba um no outro e acaba com essa picuinha!

A galera do entorno já está se enfiando ou sendo enfiada na treta. Parece briga de mulher. Homem quando se desentende troca socos e vida que segue. Mulher não, mulher cria raivinha da inimiga, fica fazendo intriga, cultivando raiva, ameaçando, fazendo aliadas. Por favor, meus senhores, apenas parem, está ridículo.

Se ao menos a ciência estivesse evoluindo, como ocorreu na Guerra Fria original, teria um lado positivo. Mas não, mesmas armas, nada de novo está sendo criado e nem à lua o homem vai mais. Esse estresse, essa tensão que essas mulherzinhas imprimem ao mundo é totalmente desnecessário. Ou trocam bombas ou calem a boca, que é uma merda viver com o fantasma de uma guerra nuclear a qualquer momento.

O pior é que o estresse vai se espalhando: EUA colocam escudo antimísseis na Coreia do Sul (para interceptar eventuais ataques que partam da Coreia do Norte), isso, por sua vez, emputeceu a China, que alega afetar seu território e Japão já está querendo se meter. As Fifizinhas estão batendo boca no corredor: “Gislaine! Gislaine, sua piranha, eu vou dar na sua cara!”, só que em um nível mundial. Lamentável.

EUA desloca navios de guerra, Coreia exibe artilharia e diz que receberá os EUA com “saudação mortal”. Não rolou um arranhão, mas ambos estão se sentindo fodões, tipo aqueles poodles de merda que latem para um Pit Bull crentes que estão abafando. Que tristeza que me dá ver isso acontecendo, eu achei que não havia mais lugar no mundo para esse tipo de babaquice obsoleta.

Aí tem também o setor das paranoias. A maravilhosa imprensa da Coreia do Norte (entenda-se Kim Jong-un) acusou a CIA de planejar um ataque/atentado para matar Kim Jong-un. Trump diz que a “Coreia do Norte está se comportando muito mal” e “a China fez muito pouco para ajudar os EUA”. Dá vontade de pegar ambos pela orelha e botar sentados de frente para a parede de castigo.

Apesar da postura de briga de comadres, não é. Armas químicas ou nucleares afetam a todos nós, podendo comprometer até mesmo a sobrevivência da espécie no planeta. Brasileiro tem esse alcance? Não tem. Ficam polarizando até catástrofe mundial e dizendo que é bem feito pois a direita chegou ao poder, votaram no Trump. Meus queridos, direita ou esquerda, vai todo mundo para a vala em caso de guerra nuclear, será que dá para esquecer política por dez segundinhos e se unir meio que para sobreviver?

Para piorar, os envolvidos são todos feios, grotescos e antiestéticos. Não aguento mais ter que ver aquela boquinha de cu de galinha do Trump e aquele cabelo e layout ridículo do Kim Jong-un. Eu sinceramente acho que o pai dele, Kim Jong-il não morreu, apenas fez uma plástica e continua no poder.

Pior coisa é viver com medo. Um mundo vivendo com medo é um perigo e tanto, pois as pessoas se transtornam, transigem com a lei e a ética e com princípios muito básicos. Não é inteligente que milhões de pessoas vivam com medo. O resto do mundo não é o Brasil, que quando está na merda fodido faz Meme a respeito. Gente com medo transige na ética, na moral e até mesmo na lei.

Parem de se ameaçar, é desmoralizante. Parem de colocar o resto do mundo com o cu na mão, que nem todo mundo reage bem sob pressão e parem de usar esses cabelos ridículos!

Para dizer que apenas duas balas resolvem o problema todo, para dizer que parece uma versão hardcore do seriado Chaves ou ainda para dizer que ambos devem estar blefando: sally@desfavor.com

SOMIR

Todo mundo deve ter algum assunto ou problema que sabe que está lá, mas que não incomoda o suficiente para ser resolvido e acaba sempre sendo deixado para depois. Estados Unidos e China tem a Coreia do Norte. E como é de costume nesses problemas ignorados, eventualmente chega o ponto onde ele fica grande demais para continuar ignorado, e bate aquele arrependimento de não ter feito nada antes, quando ainda era simples resolver.

A terra esquecida da dinastia Kim às vezes projeta a imagem inofensiva de uma ditadura caricata cujo poderio militar ficou parado no tempo, às vezes a de regime opressivo disposto a qualquer agressão para se manter no poder. Dá trabalho levar a Coreia do Norte a sério, ainda mais pela postura quase que infantil de isolamento num mundo de imaginação, mas as pedras que essa criança pode jogar machucam do mesmo jeito. A verdade é que ninguém sabe o que fazer com a Coreia do Norte. Nem mesmo quem manda nela!

Adicione ao jogo outra criança, Donald Trump, e as coisas escalam rapidamente. Kim Jong-un fez das suas pirraças durante o governo Obama, mas só agora as coisas parecem ter se aproximado de um confronto real. Trump sofre do mesmo tipo de insegurança pessoal travestida de compensação militar que define os governos de Kim Jong-il e Kim Jong-un, só que com o maior exército do mundo dando suporte aos devaneios de poder de seu líder. E é aí que as coisas desequilibram substancialmente. Apesar de ser um crime contra o povo local, o mundo tem espaço para um maluco no controle de um exército arcaico e isolado. A Coreia do Norte está há décadas nesse estado de suspensão bélica, sendo que seu vizinho ao sul já seguiu em frente e tocou a vida.

E nesse interim, a China teve um papel essencial na manutenção do regime vigente na Coreia do Norte: primeiro por identificação ideológica, o país que produz quase todas as quinquilarias em circulação no mundo hoje em dia em tese ainda é um país comunista. Os Kims tem um aliado poderoso, e a China tem um respiro para a enorme presença militar americana na Àsia, mantida a um país de distância de suas fronteiras pelo norte da penísula coreana. Sem contar que não atrapalha ter um país ao seu lado que precisa comprar basicamente tudo de você para continuar minimamente funcional. A China não segue os embargos comerciais aplicados pelos americanos desde a guerra da Coreia.

Mas, para o azar da China, agora temos duas crianças dos dois lados do conflito. Ambas exigindo atenção e reconhecimento. Se dava para distrair Kim Jong-un com objetos brilhantes vindos de sua linha de produção global, com Trump o buraco é mais embaixo. Não pela complexidade intelectual, mas pela escala das coisas. A China não depende nem um pouco do comércio bilateral com a Coreia do Norte, mas com os EUA a história é bem diferente. E com Coreia do Norte e EUA disputando para ver quem tem o míssil maior, a estabilidade da região, mesmo que naquele esquema de problema ignorado, está se deteriorando rapidamente.

E de um jeito pra lá de chato. Bravatas dos dois lados, mas agora com o lado que costumava ser responsável (o suficiente) numa nova era de imprevisibilidade que ameaça toda a região. A situação tem que ser resolvida agora, não tem mais como deixar os Kims brincarem de Sims com seu povo impunemente (admito que eu só escrevi o texto por essa frase), porque com a pressão da desastrada diplomacia americana atual, a Coreia do Norte vira animal acuado, desesperado para ter ameaças suficientes para ser deixada quieta por mais algumas décadas.

Os mísseis coreanos, se funcionarem, devem chegar no máximo ao Japão. Mas ficou claro que os norte-coreanos aceleraram o processo de desenvolvimento de armas nucleares, ainda mais depois da eleição de Trump. Obama era adulto o suficiente para rir das cutucadas que recebia dos meios de comunicação oficiais do regime norte-coreano, Trump não tem essa segurança não. Foi se emputencendo e agora está querendo se provar fazendo seus próprios testes e subindo o tom, inclusive enchendo a paciência da China.

Que, por falta total de atenção de Washington, tem seus planos de resolução do problema na região atrapalhados pelas bravatas de Trump. A China passou pelo processo de abertura lenta de mercado, entrando o suficiente no mundo moderno para melhorar a qualidade de vida de muitos de seus cidadãos e inclusive desescalando a ameaça militar de superpotência perigosa. Hoje em dia alguém está realmente preocupado que a China vá declarar guerra aos EUA por mexerem com a Coreia do Norte? Impensável. As declarações chinesas vão inclusive no sentido de dizer que seu apoio não é incondicional. Entrar em guerra com o maior parceiro comercial é estupidez das grandes, e não sobrou comunismo o suficiente no coração dos chineses para fazer um negócio terrível assim.

A Coreia do Norte está sofrendo uma mudança interna de paradigma econômico, e muito por causa da China. Os últimos dados apontam que quase 40% da população da Coreia do Norte já tem fontes de renda particulares, e quase todas elas provenientes de comércio “ilegal” com a China. Obama claramente estava enxergado essa estratégia, por isso parecia tão molenga com o regime de Kim Jong-un, mas não podemos esperar isso de Trump, não? O segredo para desmantelar a ditadura norte-coreana era justamente mudar lentamente o sistema econômico deles sem causar sustos ao seu líder. A Coreia do Norte poderia ser mantida quieta por algumas décadas ainda, sendo mudada por injeção de capital até um processo mais democrático causado por uma população mais bem informada, mas… não! Não sob a tutela de Trump.

Não estou dizendo que a culpa seja toda de Trump, Kim Jong-un é um maluco muito pior, mas entre os dois, quem tem menos desculpa para não enxergar o que estava acontecendo e escalar de novo uma tensão na região sem motivo aparente era justamente o líder americano! E agora os dois ficam nessa guerra fria vagabunda, criando cada vez mais possibilidade de Coreia do Sul, Japão e outros países ao redor pagarem pelo pato. A China estava na jogada, bastava ler os relatórios econômicos que surgiam da Coreia do Norte.

Mas agora, até Trump e Kim estarem satisfeitos com suas bravatas ou até algum dedo realmente apertar o botão de lançamento, vamos ficar nessa palhaçada de ameaças de ambos os lados e um risco cada vez maior de bombas que nem deveriam ser lançadas para começo de conversa… ou resolve na porrada e rápido, ou deixa os adultos cuidarem disso.

Para dizer que essa é a Bad Hair War, para dizer que uma guerra por lá ajudaria os brasileiros no LoL, ou mesmo para dizer que não podemos arriscar mais uma bomba atômica no Japão: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: , ,

Comentários (2)

  • Em plena era dá informação e os caras querem fazer guerra do jeito antigo? A forma mais fácil de acabar com a Coreia do Norte é se infiltrando como um vírus de computador e corrompendo o sistema por dentro, se eu fosse o Trump colocaria espiões dentro do país e corromperia os militares trazendo eles pro lado ocidental dá força, quando o exército todo já não fosse fiel ao Gordinho era só dar um golpe de estado e tomar o território pra si.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: