Percebam, idiotas!

Existe um problema curioso no mundo masculino: a percepção do interesse de uma mulher. Este probleminha, também conhecido como “imbecilidade”, é de fácil solução. Apesar da demonstração de carinho um tanto quanto peculiar, tenho certeza que este texto pode ajudar nossos amiguinhos imbecilóides a lidar melhor com a situação.

Salvo honrosas exceções, os homens se dividem em duas categorias: aqueles que nunca percebem o interesse de uma mulher neles ou aqueles que, equivocadamente, tendem a achar que todas as mulheres estão interessadas neles. Ambos são irritantes e um atraso de vida. Vamos lá, não é difícil, meus queridos. Basta ter um pouco de boa vontade e vocês param de dar vexame, ok?

Não pense que este texto vai dar respostas absolutas, tipo revista de quinta categoria: “quando a mulher mexe no cabelo quer dizer que…”. Não. Não há respostas absolutas, ser humano não é matemática. Há algumas tendências, mas a mensagem principal é: se você acha que há interesse, sonde, pergunte, pesquise. Você não tem bola de cristal, não tem que adivinhar nada, se tentar, grandes chances de dar merda. Você não é menos fodão se tiver dúvidas ou incertezas (até porque, você não é fodão).

Desde que o mundo é mundo existe uma trava enorme nos homens por pedir mais esclarecimentos. Um homem pode rodar perdido por muito tempo antes que resolva pedir informações. Não sei bem ao certo o motivo. Talvez se sintam diminuídos por precisar de mais informações. Talvez não queiram aceitar que estão perdidos. Talvez nem percebam o que fazem. O fato é: perguntar, pedir mais esclarecimentos, sondar, são coisas que nossos amiguinhos paumolengas não praticam. Assim, compelidos pelo instinto de ter que resolver tudo sozinhos e, na falta de uma bola de cristal, acabam fazendo merda.

Um exemplo básico: uma mulher te chamou para sair. Há grandes chances (muito grandes) de que ela esteja interessada em você. Porém, é preciso avaliar o conjunto da obra. Como as percepções de sentimentos costumam ser toscas nos homens, seja inteligente e sonde. Se tiver coragem, pergunte diretamente, claro, com muita educação e tato.

Se achar rude perguntar, converse um pouco com a mulher, entenda o motivo do convite, entenda o momento de vida dela. Converse com outras mulheres sobre a forma como o convite foi feito, sobre o contexto. Não é vergonha pedir conselho para outras mulheres. Vergonha é decretar, da sua cabeça, que ela está ou não está querendo e se comportar conforme esse entendimento unilateral, que nem sempre corresponde à verdade.

Dá para sondar uma mulher de forma discreta, ou então, de forma mais aberta, informal, revestido de brincadeira. Há sondagem para todos os gostos. Dá para colher indícios pelo entorno do evento, por exemplo, pelo lugar escolhido muitas vezes sabemos se há uma segunda intenção. Se você é tosco demais para perceber ou executar, peça ajuda. É menos vexame pedir ajuda do que se portar cheio de certezas de algo errado.

Certeza mesmo você só vai ter que beber da fonte, ou seja, se perguntar ou sondar da própria mulher. Sendo impossível de fazer, temos que trabalhar com indícios indiretos. Um exemplo: é provável que uma mulher que te convide para ir ao cinema (ou tope um convite para ir ao cinema) tenha algum interesse em você. O mesmo vale para uma mulher que topa ir à sua casa assistir seriados. É certeza? Não, não é certeza. Mas é mais um elemento para se levar em conta.

Elementos como o tipo de filme escolhido, a presença ou não de outras pessoas, o horário do filme e até mesmo a roupa que a mulher está usando podem ajudar a responder a pergunta. O problema é que, geralmente, nossos amigos Zé Ruelas não tem o hábito de reparar nisso, uma vez que “isso” não se localiza em seus próprios umbigos. Eu quero, eu me sinto, eu acho. Eu, eu, eu, que vira “eu não entendo as mulheres”. Difícil entender algo que você não gastou um tempinho da sua vida investindo, né?

Como não sabem quais são os sinais, não os reconhecem quando os encontram. Então, muitas vezes, decretam que não são indícios suficientes para se ter certeza de que a mulher quer alguma coisa e não fazem nada a respeito, fazendo com que a mulher presuma que ele é que não quer nada com ela. Ou então, percebem sinais onde não existe e partem para cima com tudo, ficando chateados e se sentindo manipulados diante de uma negativa. Jamais é incompetência deles, falta de investimento para ter uma percepção adequada, é sempre a mulher que é louca e/ou escrota, pois, senhoras e senhores, em matéria de homem, a culpa costuma ser sempre dos outros.

O mais curioso é que muitos desses animaizinhos, quando inquiridos sobre o que a mulher deveria ter feito para que fique claro seu interesse, não sabem responder à pergunta. Sensacional, né? Sem nem eles sabem, como é que a mulher vai saber o que precisa ser feito para passar a mensagem? Aproveito a ocasião e deixo aqui uma dica para a vida: se você está na dúvida se uma mulher quer ou não, tente. Se levar um fora, levou. É socialmente aceitável para homem. O vexame de um fora é melhor do que o de um WO e, ao menos, você vai para casa com uma resposta.

Então, se um homem não sabe ler os sinais das mulheres, não tem o que fazer? Tem sim. Sempre tem o que fazer, mas dá trabalho e trabalho que é bom ninguém quer. Vejamos, se você quer aprender mais sobre um assunto, o caminho é bastante óbvio: se dedicar a ele. Sei que não existem livros didáticos sobre mulheres, mas porra, existem dezenas de mulheres na vida real e nas redes sociais com as quais você pode conversar, inclusive esta que vos fala, que terá o maior prazer de responder qualquer pergunta ou dúvida nos comentários. Basta interesse.

Procure saber mais sobre mulheres e as convenções sociais que as cercam. Tem que ficar atrelado a convenções sociais? Nem pensar, mas conhece-las é necessário. Você precisa aprender a engatinhar antes de aprender a correr.

Se você nunca gastou tempo da sua vida tentando entender mulheres, dificilmente vai saber identificar quando uma delas der em cima de você, pois pensará com sua cabeça, com a sua percepção. Se quer acertar, precisa ter elementos para tentar pensar com a cabeça da outra pessoa. Nem todo mundo faz o que você faria quando está dando em cima de alguém, as pessoas são diferentes, agem diferente, pensam diferente.

Então, acho digno tirar algum tempo para observar as mulheres, principalmente aquela na qual você está interessado. Converse, leia o que ela escreve em redes sociais, conversem com amigas dela, perceba os códigos daquela mulher.

Só depois disso você terá subsídios para tentar começar a perceber se ela está te dando mole ou se não está nem um pouco interessada em você. Antes disso, é só seu cérebro sendo idiota. Se mulher fosse tudo igual, esta dúvida nem existiria: ou todas te dariam um fora, ou todas te dariam um sim. Perceba a mulher na qual você está interessado, seu panaca!

Mulheres são educadas para não escancarar seu interesse por homens. Justamente por conta dessa repressão, elas ficam envergonhadas e muitas vezes são penalizadas socialmente pelos próprios homens se demonstrarem interesse de forma escancarada.

Então, elas dão sinais que, para um cérebro feminino são bastante claros (por isso as namoradas sempre sabem quando uma amiguinha está dando em cima), mas que, para o cérebro masculino, podem não ser percebidos. A mulher não é idiota, não é fresca e não é babaca, ela simplesmente pensa de uma forma diferente. Se você precisa desmerecer quem pensa diferente de você, bem, o idiota, fresco e babaca é você. Em um mundo ideal, mulheres seriam claras e transparentes, mas estamos longe de um mundo ideal e não acho justo exigir que todas arquem com o peso de contrariar convenções.

Compreenda um pouco mais do cérebro feminino e saberá ler as pistas. Converse com mulheres, pergunte, tire dúvidas, dedique uma parte do seu tempo para isso em vez de dedicar à imbecilidades rotineiras como decorar escalação do seu time ou mandar humor sem graça em grupo de whatsapp. Conhecimento vem com interesse e esforço, não vai cair do seu colo do nada. Não adianta ficar reclamando que “ninguém entende as mulheres” se você, seu pequeno filho da puta, não faz um esforcinho para isso.

Não quer fazer esforcinho, né? Descansado, você. Então ao menos assuma sua total incompreensão da cabeça feminina e encare o evento como algo randômico: 50% de chances de dar certo e 50% de chances de não dar certo. Melhor isso do que impor sua forma de pensar como regra geral e sair dizendo que a mulher é “louca” pois deu “todos os sinais” de que queria algo e depois te deu um fora ou que fez “jogo duríssimo” e não deu nenhum sinal de querer alguma coisa. Admita que sua inércia te deixou incompetente para fazer esse julgamento.

E, que conste, não estou dando estas dicas pensando nas mulheres não, ok? Estou pensando na dignidade masculina, que anda bastante pisoteada nesses últimos tempos. Você não chegou em uma mulher que queria? Outros chegarão. Quem se fode é quem não se mexe, ou quem se mexe errado, sabotando as chances com aquela mulher. É vexatório se portar cheio de certezas para um lado quando na verdade as coisas caminham para o outro lado. Não protagonizem este vexame.

Se você é um idiota, leia este texto para complementar a mensagem.

Para dizer que minha estratégia de divulgação de outros textos está meio furada, para dizer que qualquer homem que leu este texto até o final é um idiota ou ainda para dizer que hoje em dia não é mais necessário compreender a cabeça do sexo oposto para conseguir alguma coisa: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (6)

  • Quando eu acho que elas tão afim elas não tão be quando eu acho que não querem elas querem. Já até desistir de tentar aprender. Não tem coisa mais complicada do que mulher.

  • Acho que a Sally deveria ter um emprego remunerado em tempo integral como Sally Surtada.
    Faria, entre outras coisas, áudios comentando os casos de homens malucos e sem noção que conhecemos por aí.

  • De fato, homens são preguiçosos quando o assunto é conquista, muitos deles quando veem uma mulher que os interessa, ficam idiotas, preferindo não chegar, ou quando chegam,o fazem de uma forma desengonçada que não vai levá-lo a lugar algum, isso se dá principalmente porque não fizeram o “dever de casa” antes, lendo os sinais que nós mulheres damos e acabam perdendo oportunidades únicas com mulheres incríveis.

    • Curioso que mulher tem que perceber tudo, saber tudo, ter o maior cuidado, pois se fizer meia inconveniência o sujeito critica pra caralho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: