Sou do tempo em que havia duas orientações sexuais: hetero ou homossexual. Se você gostava apenas de pessoas do sexo oposto era hetero, se por um acaso calhava de gostar (ou gostar também) de pessoas do mesmo sexo era homossexual. Entendo que nem sempre as coisas são preto no branco e que existem zonas cinzentas mas, vamos combinar, a orientação sexual das pessoas está virando marketing pessoal. Dezenas de classificações estranhas e desnecessárias vem sendo criadas e fica muito difícil de acreditar que o objetivo seja realmente abraçar a todas as categorias. A orientação sexual deixou de usar como parâmetro o sexo que te desperta atração para usar outros critérios muito subjetivos e duvidosos. Continue lendo