Désbostas.

Tempo vai, tempo vem, e ditaduras aparentemente nunca saem de moda. Duas delas chamam atenção na mídia nos últimos dias, e Sally e Somir discutem sobre qual é mais perigosa para o mundo. Os impopulares estão compelidos a opinar.

Tema de hoje: atualmente, quem causa mais dano ao mundo: Kim Jong Un ou Nicolás Maduro?

SOMIR

Mesmo considerando possíveis armas nucleares, continuo achando Maduro mais perigoso em geral. O maluco venezuelano gera riscos maiores para o futuro da humanidade do que o maluco norte-coreano. E tem tudo a ver com o alcance de suas armas de destruição. Jong Un está isolado na península coreana, Maduro está ativo na América Latina. Alguém aqui tem certeza de qual seja o alinhamento ideológico do ditador oriental?

Às vezes até se perde na narrativa como a Coreia do Norte é um regime comunista de berço, a parte da antiga Coreia que aliou-se à União Soviética contra a ameaça capitalista. E mesmo assim, o penteado do Kim mais recente é mais notícia do que seus objetivos políticos. Nesse ponto, o regime de Pyongyang fica contido dentro do seu país, subjugado à estratégia de culto à pessoa começada pelo Kim original. Por mais que Maduro apronte das suas, conversando com animais e usando a imagem de se antecessor como figura de adoração da população, o conceito do regime socialista e revolucionário é muito mais notável do que no outro caso.

Vamos analisar os riscos: a Coreia do Norte tem bombas atômicas e está se esforçando para projetar essa força até seu inimigo mór desde a guerra da Coreia, os EUA. Jong Un acredita que seu poder está seguro ao ser uma ameaça real para os adversários, mas na prática, tem sérios problemas para bancar a ameaça: o exército é essencialmente sucateado, falta munição, tecnologia e até mesmo comida para os soldados! Uma parte considerável do exército tem que trabalhar plantando batata e coisas do gênero, só para manter a tropa minimamente viável.

Estima-se que no caso de uma invasão americana, o numeroso exército norte-coreano não resista a mais do que algumas horas, nem tanto pelo número de mortes (embora vá ser grande), mas por não ter como sustentar um esforço de guerra pelo tempo suficiente para sequer incomodar o adversário. O poderio militar do ditador norte-coreano é uma fachada. Sim, com tantos soldados que sofreram lavagem cerebral, seria um inferno tomar o país de vez, mas derrotar o regime oficial? Isso requer horas.

E vamos falar das armas nucleares. Ok, são perigosas. Mas, a Coreia do Norte é um país isolado e pobre. Por mais que tenham conseguido montar um processo de produção e lançamento dessas bombas, estamos falando dos anos 70 lutando contra as tecnologias militares mais recentes. Mesmo que Kim Jong Un resolva dar um chilique e destruir seu poder (porque é exatamente isso que acontece, e em questão de horas) lançando um míssil nas proximidades, é provável que o sistema americano intercepte a tempo. Isso SE funcionar direito. Porque o mais provável é que qualquer lançamento oficial deles dê com os burros n’água (quase que literalmente). Mísseis lançados em solo americano então… é um milagre se chegar, é milagre e meio se o sistema de inteceptação não pegar. Milagre ao cubo se os americanos não conseguirem evacuar a área na hora que souberem do lançamento (vulgo segundos depois).

Então, calma, muita calma. Os norte-coreanos avançaram muito, mas no Civlization da vida real, os americanos estão com umas duas eras desbloqueadas na frente. O que nos faz voltar ao Maduro. A Venezuela, ao contrário da Coreia, está seguindo perfeitamente a cartilha de evitar intervenção real estrangeira: estão matando o próprio povo. Historicamente, a humanidade tende a fazer vistas grossas para ditadores que causam confusões dentro de casa. Stalin, Pol Pot… até mesmo Hitler era largamente ignorado até enfiar o nariz pra fora da sua terra natal. Maduro, como um ditador africano, está despedaçando o país e contando com o desinteresse internacional por defender um povo alheio.

E é aí que eu vejo o perigo maior: Maduro é a cara de uma ditadura que não vai sofrer retaliações maiores do que um embargo ou uma “reclamação formal” que não muda porra nenhuma. E pior, ele ainda representa um modelo de governo que tem muitos simpatizantes. Ditaduras populistas são a cara da América Latina: o pai bêbado e violento que compra o amor dos filhos com doces sem valor nutricional. Como isso faz sucesso! Porque não podemos esquecer de uma coisa: o maluco que fala com vacas e passarinhos tem seu grupo de apoiadores. E não é pouca gente. Inclusive aqui no Brasil.

Venezuela é o que acontece quando um Lula sai de controle. E se ele não for controlado logo, vai sair do poder numa bola de fogo que logo logo é reescrita como golpe da direita. O PT não está repetindo isso feito mantra faz tempo? O perigo de Maduro é que como representa muito mais um ideal infantilóide de igualdade socialista do que o comunismo “de fato” da Coreia, é muito mais fácil considerar sua queda como uma reação dos poderes estabelecidos contra o salvador do povão do que o que ele realmente é: um maluco tão maluco quanto o coreano, mas sem bombas atômicas.

Se a Coreia do Norte tivesse tecnologia e recursos para ser uma potência nuclear, até concordaria com a Sally hoje, mas com essa incapacidade de fazer algo a mais do que latir e latir, os latidos de Maduro incomodam mais. Porque sempre tem algum imbecil ouvindo e levando a sério.

Para dizer que viramos nazistas (todo mundo virou agora…), para dizer que não sabe qual te diverte mais, ou mesmo para dizer que o pior é aquele que não chama atenção: somir@desfavor.com

SALLY

Atualmente, quem causa mais dano ao mundo: Kim Jong Un ou Nicolás Maduro?

Kim Jong Un. Nosso amigo coreano, além de ser um inconsequente, tem armas nucleares apontadas para nós. Ok, sabemos que o alvo principal são os EUA, mas quando falamos em um dano dessas proporções, ninguém se incomoda se as repúblicas das bananas que ficam abaixo acabam sendo dano colateral.

Nicolás Maduro é um idiota, mais parece um personagem do seriado Chaves (sem trocadilhos), um macaquito subdesenvolvido que calhou de ter algum poder em uma republiqueta quente e desorganizada. Um lunático extremista, com certeza, mas também um ultrapassado sem poder de fogo, combatido e desmoralizado por seu próprio povo. Conduz o país de uma forma patética, a ponto de ser notícia que lá falta papel higiênico. Um imbecilóide que calhou de ter poder, mas que provavelmente se destruirá sozinhos.

Kim Jong Un foi criado, desenhado e moldado para ser um ditador, seguindo os passos do seu lunático pai Kim Jong Il. Conduz a Coreia do Norte com pulso de ferro. Domina os meios de comunicação, mantém seu povo calado na base do medo e detém um poderio militar preocupante. Sabemos pouco dele, mas maluco ele não é. Ele é bem estrategista, porém megalomaníaco e provavelmente fora da realidade, uma vez que, em seu país, só circula informação de seu interesse/concordância. Um “filho do dono” mimado, sem limites e muito bem armado. Tenham medo.

Maduro pode fazer barulho, mas ele sabe bem o que acontece se desafiar os EUA. Não tenho lembranças recentes da Venezuela fazendo qualquer movimento no sentido de atacar belicamente outro país. Nem poderiam, pois não tem capacidade para isso e Maduro sabe muito bem. Ele já viveu o suficiente para ver o que acontece com quem morde mais do que pode mastigar. Já Kim não tem qualquer noção do perigo. Apesar de não revelar sua idade, estima-se que ele seja hoje um dos líderes de Estado mais jovens do mundo (calcula-se que tenha menos de 30 anos). Pela sua idade e pela sua criação, tem menos ponderação e medo que os mais experientes.

Por mais demente que Maduro seja, ele sabe que tem limitações. É um ex-maquinista de metrô, uma pessoa que, bem ou mal, já esteve do outro lado e tem alguma noção de realidade, ainda que a distorça. Já Kim nasceu em berço de ouro, sempre lhe foi permitido fazer o que quis e não parece ter limites, visto que mandou matar seu próprio irmão, crítico do seu governo. Só no último ano, Kim realizou cinco testes nucleares, peitando não só os EUA, como o mundo todo. Desde o dia em que assumiu, em 2011, até hoje, realizou mais de 80 testes com mísseis. Assim, enquanto Maduro se indispõe com a “direita capitalista”, Kim mostra o dedo médio para o mundo inteiro. Quem vocês acham mais perigoso?

Ok, Maduro tem um discursinho sofrível, venenoso, babaca. Mas está ultrapassado, tanto é que os próprios venezuelanos não compram esse discurso e emplacam uma greve com 92% de adesão. Apesar de uma tentativa de repressão, o povo não teme Nicolás Maduro. Agora vê lá se alguém na Coreia do Norte ousa chegar perto disso…

Além disso, Maduro é um oportunista que viu o poder cair em seu colo com a morte de Hugo Chaves e, desde então, abusa do poder em nome de uma ideologia distorcida, mas apenas dentro das fronteiras da Venezuela. Na Coreia o buraco é mais embaixo: desde a década de 80, quando o primeiro ditador desta dinastia chegou ao poder (Kim Il Sung) o país vem se preparando e trabalhando para se tornar uma potência mundial. De quem eu tenho mais medo: de um panaca que chegou ao poder por acidente e só canta de galo na sua republiqueta ou de um governo que vem trabalhando duro por décadas para se tornar uma potência e joga bomba nuclear por aí?

Kim Jong Il já fez merda demais, desafiou gente demais, para continuar impune. Tenho para mim que se não o pararam até agora, é por não ser possível pará-lo. Durante algum tempo tentaram rir e desacreditar dele, dizendo que estava blefando, mas como ele anda fazendo exposição de suas armas, hoje até mesmo os EUA concordam que sim, ele oferece um risco. A bomba que atingiu Hiroshima, apelidada de “Little Boy”, tinha uma potência de 15 kilotons e fez, digamos, um estrago de respeito. Estima-se que as bombas de Kim tenham 30 kilotons de potência cada uma. E não são uma ou duas, ele está muito bem armado. Por mais que eu odeie discursinho populista babaca, eu acho que bomba atômica faz mais mal ao mundo.

E não use sua cabeça como parâmetro, pois não é assim que cabeça de ditador mimado funciona. Você e eu pensamos que se detonar duas dúzias de bombas pode acabar com o planeta e ser prejudicial para todos. Porém, estamos falando de um país onde quem contraria o líder supremo morre. Então, não sei até que ponto pessoas com conhecimento científico podem chegar ao pé do ouvido deste rapazinho e dizer “tantas bombas não, meu bem, vai dar merda pro planeta inteiro”. Só quem quer morrer. Ele acredita no que quer e não tolera que o contrariem.

Nós sabemos o que segura Nicolás Maduro de expandir sua ditadura escrota para o resto do mundo: ele simplesmente não tem capacidade para isso. Sabemos o que segura os EUA de atacar a Coreia do Norte: o culpado é quem der o primeiro tiro e Trump não quer entrar para a história como o demente que causou a morte de milhões de americanos. Mas não sabemos o que está segurando Kim de apertar o botão, pois basicamente ele não parece ter nada a perder. Quando você sabe como segurar uma pessoa, não há tantos motivos para temê-la, mas quando você não tem a menor ideia do que está acontecendo, é muito mais complicado.

Os norte-coreanos sofrem lavagem cerebral, não tem acesso ao mundo, não tem canais de TV imparciais, não tem internet livre. Estão isolados, bombardeados pela máquina estatal. Eles vão lutar pelo seu país, ainda que induzidos a erro. Os venezuelanos estão putos da vida e dificilmente lutariam por Maduro. Ter o povo ao seu lado não é pouca coisa. Na Coreia do Norte falta alguém com tempo livre, disposição e nada a perder, para enfiar uma bala na cabeça do líder megalomaníaco. Quando o povo fica contra seu líder, limita em muito sua capacidade de atuação, mas quando fica a favor…

Maduro é patético, se bobear, os próprios venezuelanos se encarregam dele. O máximo que o exército da Venezuela consegue (se não estiverem em greve) é dar uns tiros de 38. Kim Jong Il é respeitado por seu povo, ainda que seja por medo e tem um armamento invejável. Ganha uma guerra? Acho que não, mas pode fazer um belo estrago que vai refletir em todos nós…

Para reclamar que agora você tem mais uma preocupação na sua vida, para agradecer por um tema tão leve e alto astral em uma segunda-feira ou ainda para dizer que seu ódio pelo populismo é maior que seu medo de morrer: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

9 desfavores sobre “Désbostas.

Fico com a Sally nessa. Maduro e sua ditadura ali nos nossos vizinhos só afeta (com muitas aspas aí, claro!) a américa latina, é bem diferente de ter um maluco que tem uma puta arma na mão que pode destruir o planeta todo. Certamente o segundo é mais perigoso nesse sentido.

Apoiaria o argumento do Somir até o ponto em que ele afirma que a Venezuela são nossos vizinhos.

O fato de a Coréia do Norte possuir bombas nucleares e um adversário que domina o mundo faz dela um sistema perigoso

Na boa? Ninguém, nem os EUA, tem muita certeza do que a Coréia tem.

Esse excesso de confiança fez com que tomassem um pau histórico dos vietcongs, que estava muito menos armados.

Bem lembrado. Uma vitória de virada.

Excesso de confiança atrapalha mesmo. Basta constatar nose jogos de Futebol.

Acho que o poderio bélico-militar do Kim pode ser algo preocupante, mas enquanto não passa da fase da bravata, vou ficando cada vez mais preocupado com o avanço (quase que com a força de um modismo) da esquerda mundo afora. Essa galerinha afetada que fica dando moral pro politicamente correto tem uma queda à esquerda. E além de estarem se espalhando por aí como um vírus, essa gente desmiolada deu de apoiar o Maburro e seu “louvável” trabalho à frente de uma revolução (já encontrei esses e outros tipos de manifestação de apoio a ele no facebook, é de embrulhar o estômago).

Me desperta mais preocupação o Maduro que o Kim, porque ainda é meio que consenso por essas bandas ver o norte-coreano como uma figura caricata. É bem mais raro ver gente por aí que leva ele como um “ídolo revolucionário”, como alguns setores da esquerda tratam Maduro por aqui.

Acredito ainda que a probabilidade de a megalomania do Kim respingar na gente é baixa (um país perdido no tempo e atrasado tecnologicamente ainda pode ser capaz de protagonizar um acidente nuclear dentro de seu próprio território, tanto ao fabricar mais bombas como ao tentar lança-las contra os EUA). Já o Maduro é um doido de pedra com fanboys igualmente idiotas aqui dentro do Brasil mesmo, que ficam compartilhando vídeos dele inflamando as pessoas a “defenderem o socialismo com armas”.

Resumindo: me preocupo mais com a influência do Maduro por aqui, pois ele tem poder de motivar essas mentes vazias da esquerda tupiniquim a se rebelarem caso a mesma sofra um revés (como por exemplo, a prisão do Luladrão). Já o Kim…é tão levado a sério que virou meme

Guilherme, não há papel higiênico na Venezuela. Brasileiros adoram posar de esquerda, mas morar em Cuba que é bom, ninguém va. Você jura que acha que brasileroide vai abrir mão do seu iphone, do seu facebook e do seu conforto por influência de um governo de esquerda que gera privações severas para a população?

Sally, tem alguns realmente iludidos (que votam, diga-se de passagem) que abririam mão sim, achando que é por um “bem maior” e que as coisas vão melhorar depois. Essa é a isca que usaram nas ditaduras revolucionárias do século passado, atraiu países que estavam fodidos e sem expectativas (parece o Brasil de hoje, não?). Além disso quem está nas camadas altas, e boa parte dos esquerdistas de hoje estão, continua vivendo o capitalismo enquanto o povo iludido se fode no comunismo. Revolução dos Bichos feelings.

E os esquerdistas hoje detem grande parte dos meios de comunicação e do cenário político no Ocidente e já estão metendo as garrinhas no sistema educacional, na ciência, na medicina e na história. Nunca vi ninguém lamber o saco do Kim como fazem com o Maduro, Che Guevara, Lula etc. E ainda falam que defendem a democracia, não sei como esse povo consegue dormir sossegado…

Meu argumento é : A lavagem cerebral esquerdista está acontecendo de fato no Ocidente, já o cara de batata, por mais armas que tenha, só sabe ameaçar e arregar. Kim no momento afeta “apenas” os norte coreanos. Bombas matam na hora, mas ideologias permanecem por gerações.

Certamente ninguém vai trocar o Brasil por uma dessas republiquetas. Mas não é difícil de imaginar que a mesma galera que defende a implantação do socialismo aqui jamais largaria sua vida de luxos e confortos, mesmo depois de fazer acontecer uma “revolução” por aqui. Veríamos algo parecido com as ditaduras africanas, onde só uma certa turminha pró-governo vai viver bem, enquanto o povão que se arrebente passando fome no maravilhoso socialismo que eles tanto apoiaram.

Venezuela passa fome, mas a turminha do Maduro dificilmente deve experimentar essa realidade

Responder

Não precisa preencher nada além do comentário. Seu e-mail não vai ser publicado.
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>