CBM: Vai Malandra.

Anitta lançou um clipe novo. Ruim, dolorosamente ruim. Eu vou me foder sozinha e ter que ouvir esta música o tempo todo sem levar outras pessoas comigo? Claro que não… Vai malandra!


O clipe é puro Rio de Janeiro, não apenas a locação, como também a beleza das pessoas, a sofisticação e a qualidade musical. Com isso espero estar alertando sobre o que estão prestes a ver…

Começa com o típico ato lacrador: uma coisa imbecil, que no fundo só depõe contra quem faz, mas é aplaudido por todos graças ao medo de parecer escroto. Anitta desfila com uma câmera dando close na sua bunda, visivelmente mole e cheia de celulite.

Anitta não precisa bater ponto oito horas por dia em um escritório. Anitta não precisa trocar fralda de filho. Anitta não precisa fazer sua comida, lavar seu chão ou sua privada. Ela é cercada de pessoas que fazem isso para ela. Anitta construiu sua carreira com base no seu corpo, ou por acaso vocês acham que se ela pesasse 120kg teria feito sucesso do mesmo jeito?

Foi opção dela fazer uma carreira com base em corpo. Eu tive esta opção e declinei. Então, a partir do momento em que você baseia sua contraprestação em aparência, SIM, você tem o dever de estar em forma. Você só tinha um trabalho! Esse papinho de se aceitar como é vindo de alguém que mudou tanto seu rosto que está parecendo o Michael Jackson simplesmente não se sustenta. Então, essa bunda mole e cheia de celulite da Anitta não é lacre. Seria lacre se fosse sua ou minha. Vindo dela, que sempre pactuou e baseou sua carreira em aparência, é apenas vergonhoso.

Tá combinado, o fato de uma menina novinha estar com a bunda mole e cheia de celulite, ao que tudo indica, é motivo para aplauso e lacração. Honestamente? Espero que a sociedade continue assim, na verdade, que isso fique cada vez pior. Tomara que fique bem na moda mulher mole, cheia de celulite, peluda, de bigode ou o que mais quiserem estipular como lacre, assim pessoas que se cuidam vão reinar no universo masculino.

Com sua bunda de pudim, Anitta sobre em uma moto cuja placa faz uma alusão ao projeto de lei 1256 que tentava criminalizar o funk. Aplaudo o Easter Egg, que certamente não foi mérito dela e mais certamente ainda será compreendido por 0,0001% das pessoas que vão visualizar este vídeo.

Seguem-se imagens típicas do Rio de Janeiro e pessoas típicas do Rio de Janeiro. Parece que Anitta estava de saco cheio de ouvir o quanto foi glamourizada pela carreira internacional e tentou fazer o clipe mais povão que podia. Povão gourmet, óbvio. A tentativa de Anitta de parecer favelada mas ao mesmo tempo criar algo agradável aos olhos falhou miseravelmente: ela parece uma favelada fake (apesar do traços nada sofisticados) e o clipe é um show de horrores em matéria de estética.

Curioso que Anitta sempre vestiu a camisa do empoderamento feminino, mas a música é bem o contrário disso. A letra é sobre uma “malandra” que está empinando a bunda. Além disso, o diretor do clipe, Terry Richarson, teve inúmeras acusações de assédio, chegando a ser banido de publicações famosas, como a revista Vogue, por exemplo. O empoderamento é tão gourmet quanto a aura maloqueira de boutique da Anitta. Se fosse humorista tendo seu show dirigido por um diretor acusado de dezenas de assédios e estupros, certamente todo mundo estaria metendo o cacete. Mas é Anitta, a lacradora da bunda mole, então pode.

Tudo piora quando ela aparece com um biquíni feito de fita isolante. Sim, é isso mesmo que você ouviu. É moda aqui no Rio que as mulheres colem fita isolante no corpo para ficar com uma marca de biquíni bem definida, existem inclusive lugares onde você paga para que façam isso com você. Tudo bem que nelas nem fica tão chocante, afinal, é cor de pele, mas mesmo assim, a remoção não deve ser nada fácil. Até alguém perder um mamilo na retirada, esta moda vai continuar.

Não basta estra com biquíni de fita isolante, ela também está especialmente oleosa, provavelmente alguma dessas gororobas caseiras que pobre passa para se bronzear, como se precisassem disso… Pisando em um chão cheio de água que deveria despertar uma notificação do Ministério da Saúde por majorar o risco de dengue, ela canta em meio a diversas faveladas igualmente oleosas e igualmente de biquíni de fita isolante, só que essas são faveladas mesmo. Há provas, como por exemplo a hedionda tatuagem de borboleta na bunda pobre que aparece aos 39 segundos de clipe.

Anitta rebola só com fita isolante no corpo, enquanto as faveladas figurantes balançam as perninhas usando sapatos bregas. Segue um festival de unhas postiças tenebrosas e bijuterias lamentáveis. Até que um sujeito aparece do nada e começa a jogar ainda mais óleo nas pobres que já estavam oleosas demais. Feito frangos na frigideira, as faveladas de cabelo escroto (é uma constante que não sei explicar) fritam ao sol.

Vemos outro clássico carioca: encher caçamba de água e tomar banho como se fosse piscina. Os pobres se banham na caçamba de um caminhão, enquanto Anitta sensualiza totalmente fora de contexto. Neste ponto percebo que a música não tem melodia alguma, muito menos letra, mas isso não deve fazer diferença. Não consigo parar de olhar para os lábios da Anitta, por mais que todo mundo já tenha se acostumado com esse preenchimento no qual erraram feio a mão, eu ainda olho e tenho a sensação de que foi uma picada de abelha.

Em 1 minuto e 55 segundos vemos o típico exemplar da mulher carioca: cabelo mais claro que a pele (algo que não existe na mãe natureza), tatuagens pouco visíveis devido à pigmentação da pele, cabelo amarelo patinho, bunda gigante às custas de muita banha, sobretudo da região abdominal (cariocas tendem a ser barrigudas porém se acham gostosas), tatuagens em excesso. Sério mesmo, quando você tem a quantidade de tatuagens que essa moça da esquerda tem, fica parecendo que você passou na frente de um projetor durante uma palestra. Ela não é tatuada, ela é um bloco de notas com perna.

Anitta ostenta suas unhas postiças rosas, que por sinal, é cor de pobre. Toda pobre tem uma brusinha rosa. Tenho horror a roupa rosa. A música diz que “está brincando com o bumbum” enquanto Anitta sacode a raba montada em uma boia e um popular brinca com seu bumbum. Nada contra, muito pelo contrário, mas se a bandeira que se levanta é a do empoderamento feminino, não me parece coerente. O popular se empolga e batuca na bunda na Anitta, ponto no qual eu comecei a me arrepender profundamente de ter escolhido este tema para a postagem de hoje.

Anitta aparece arrumadinha, com um cabelinho afro peruquinha. Curioso o quanto ela jogou formol na cabeça durante anos para esconder esse tipo de cabelo e agora, que é lacração, ostenta, ainda que falso. Uma dançarina obesa de biquíni dourado termina de estragar meu dia. Se segue uma estética do gueto extremamente maquiada, uma falsa pobreza que consegue ser ainda pior do que a original, pois nem autenticidade tem.

Mirou na JLo e acertou na tia da faxina depois que ganha na Mega-Sena. Bosta, são três minutos da minha vida que não voltam mais!

Para dizer que preferiu não se sujeitar a isso, para dizer que eu não deveria ter me sujeitado a isso ou ainda para dizer que não escuta ninguém reclamando da objetificação da mulher: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: ,

Comentários (59)

  • Parabéns pelo texto ! Finalmente alguém sensato por aqui.. .Sou carioca e nao aguento mais essa rasgaçao de seda pra Anitta.
    Pior ainda, foi ver aquele inferno de show que ela fez no réveillon de copacabana, com uma orquestra tocando os grandes “clássicos” dela.
    Daí vc vai ler os comentários : ” O hino Nacional brasileiro agora é Vai malandra “, “É hino que vc quer ?”, “Pisa menos, Anitta. Eu te imploro ”
    Ranço
    As pessoas realmente têm o que merecem.

    PS: amo seu blog !

    • Bea, ficou institucionalizado que Anitta é foda, é a rainha da lacração e do empoderamento. Qualquer pessoa que a critique vai ouvir que é inveja. Um saco.

  • Não gosto do que a Anitta faz. Mas ela faz bem.

    Existem formas de se destacar. Seja pelo talento, pela inteligência, pela ganância ou sorte.

    Ela não se preocupa honestamente em fazer algum bem pelo mundo com a sua evidência. Obesas, trans, pobres, favelas, gays, etc, parecem ser apenas o meio para um objetivo maior: fama e dinheiro. E nisso, tenho de admitir que ela se sai muito bem.

    Qual outro artista se cercou tão bem de profissionais que sabem como aproveitar as redes sociais, a mídia em geral e da parça cultura brasileira pra alcançar o topo? Quem consegue em vários segmentos adaptar sua música e se aproveitar e até mesmo anteceder ou criar tendências?!

    Ela é podre, glorifica o lixo e é hipócrita. Mas o faz muito bem.
    E enquanto todo mundo fala bem ou mal, ela fica acima disso.

    Palmas. Não existe hoje no Brasil, artista mais relevante. O que nos incomoda é ter esfregado na cara que isso mostra pelo o que somos cercados.

    PS.: Não ando recebendo notificações. Algum problema com o site?!

    • Vou consultar o Somir sobre as notificações.

      Eu tenho minhas dúvidas se Anitta faz bem feito. Acompanhei ela no começo da carreira (infelizmente fui obrigada a isso) e era exatamente a mesma merda. Anos sem conseguir emplacar uma música. Aí, quando houve uma reviravolta social onde era interessante mulher empoderada de boutique, ela explodiu. Fico me perguntando se foi competência ou apenas um timing correto…

  • Avatar

    Marcelo Antunes

    Que clipe ruim! Que bosta de música (acordes?)! Que mulherzinha insípida! Que juventude perdida! Que futuro de merda dessa gente!

    Que texto bom!

  • E ninguém fala que o Pablito é desafinado e esganiçado. Eu gosto da Anitta por provar que o que faz sucesso internacional é essa merda de cultura popularesca. O Hip Hop é essa merda também, mas ninguém fala. Paulo Coelho, Michel Teló, “qualquer coisa” Universitário, tudo uma bosta. Mas o ser humano médio é isso, esse negócio chulé, Domingão do Faustão.

      • Eu gosto desse jeitinho brejeiro de putinha suburbana que algumas artistas brasileiras têm. Segundo uma amiga espírita que é médium lúcida, eu fui gigolô em outra encarnação.

          • Acho que o gosto por esse jeitinho vulgar, né? Mas eu também fui mago e monge, segundo ela, então equilibra a mistura. Hoje em dia, o que me motiva mais são as semi-nerds – entre 25 e 45 anos – que se depilam generosamente e se maquiam com moderação. Não que alguém tenha perguntado, mas pode ajudar a autoestima de quem preenche os requisitos.

  • O que é esse cara de sunga vermelha e tênis andando no meio da água parada. É Anitta deitada numa caixa p q parece toalete de gato. É quanta gente feia no final . Viados , uma senhora , uma gorda hahahaha Meus deuses!
    No final das contas acho q atingiu o objetivo de causar . Parabéns pelo sacrifício em nome do desfavor rs.

  • Kakakakakakakakakakakakkakak mano vcs sao escrotos serio, a Anitta eh gostosa pra krl, bonitinha, engraçada, pqp a mulher eh foda, ponham-se em seus devidos lugares kakakakkak vcs eh td mal comido parça, miga gosto dessa sua pag pra krl, mas pqp agora tu c pago d ridícula serio, tu cago miga kakakakakakakakakakakkakakaka racho o bico com a invejinha

  • A imagem que ilustra o post é emblemática! Que coisa de mulher “suuuuuuuuuper empoderada” deixar usarem sua bunda flácida como um atabaque, não?

      • Chocada que foi o Terry Richardson que fez isso.
        Parece mais aquelas produções da furacão 2000.
        Acho que depois que ele levou toco da Lady Gaga (engavetou o clipe produzido por ele mesmo depois de pronto) afetou a criatividade dele….

      • Pior que vão passar por cima desse fato, por ignorância sobre quem é Terry Richardson ou por deslumbramento mesmo (“so cool, #vaimalandra #directedbyterryrichardson, sim amiga!! o fotógrafo top das celebridades como Cara Delenvigne e Natalie Portman!”).

  • Pois eu duvido MUITO que aquela bunda seja da Anitta mesmo… como você mesma disse, o corpo é o ganha-pão dela! fora que ela é obcecada por dieta, exercício. acho que foi mais uma montagem deliberada usando outra bunda com o propósito de lacrar nas redes

    • É sim. Ao vivo a bunda dela é bem esburacada. Ela vive em efeito sanfona, só se mantém magra quando se entope de remédio.

  • Eu já tava esperando esse texto kkkkkkk. Pra completar o cenário inicial, uma galinha tentando fugir da gravação. Detalhe em 0:21 a faixa escrito: ergo a bandeira da vitória em nome de jesus, além do bichano comendo a roupa do varal.

  • Eu que não aperto play e pego esse câncer!

    Mas agora sério: lembra do Piores Clipes do Mundo, do Mion na MTV? Imaginei você fazendo um programa igualzinho (igualzinho nada, versão Sally, totalmente politicamente incorreta!), comentando esse clipe.

  • “Ela não é tatuada, ela é um bloco de notas com perna.” kkkkkk
    Sally, ninguém reclama de objetificação porque é música da lacradora Anitta, ela está empoderando as mulheres, mostrando que não precisa ter um corpo perfeito pra ser sexy e blablabla… Sua descrição foi tão boa que passo, vou assistir não.

      • Não deu certo. Minha mãe chegou louca querendo ver “a polêmica da bunda da Anitta no clipe” e tive de por no YouTube da TV. Depois, ela ainda mostrou ao meu pai. Resumo: vi 2x, perdi 6 minutos da minha vida e devo ter adquirido alguma doença, certeza.

  • Estou decepcionado. Quando ouvi falar desse clipe pensei que a qualidade do trabalho dela estava subindo. Mas também vendo o número de likes, visualizações e ranking, ela tem razão. É disso que o povo brasileiro gosta! Pra que algo mais elaborado?

    E quando vi você falando da celulite achei que fosse a muy típica reação feminina frente à(ou atrás da) concorrência. Mas você tinha razão :( !

    Ó têmpora!

  • Aha, vai achando que o cara vai deixar de comer uma gostosa, só porque tem celulite no rabo. Só na cabecinha feminina mesmo.

  • Achei quase um soft porn.
    E sim, fico horrorizada com a cultura carioca e com o povo que acha isso lindo.
    Horror! Horror! Horror!

    • Eu ainda me pergunto como essas mulheres barrigudas e adiposas são consideradas bonitas. Parecem um frango em pé. Queimado.

  • Tá engraçado ver feminista defendendo esse clipe na internet. Fazem todo um contorcionismo argumentativo pra dizer que o clipe é “impoderadô” porque mostra celulite, mulher gorda e “gente comum”, mesmo que o diretor do clipe seja um abusador escroto (aliás, quem se importa, né? Se tá mostrando uma raba cheia de celulite as bobas ficam deslumbradas. Tinha esquecido que até o dia do lançamento do clipe nenhuma mulher aqui no Brasil usava shortinho/biquini porque celulite é um “tabu master” por aqui).

    Tanto a Anitta como as moças dos comerciais de cerveja mostram a bunda por motivos comerciais e pra vender um produto (seja uma bebida ou uma música). Pra mim não tem diferença nenhuma. Mas indignação seletiva caminha de mãos dadas com a “lacralândia”, né?

  • Esse texto foi um bálsamo pra mim. Porque ta todo mundo defendendo esse clipe e achando o máximo, e quando eu vi e achei uma bosta² me senti excluída. Argumentos do tipo “vai divulgar nossa música nacional, o funk” (não me inclua no “nossa”, por favor), “não objetifica mulheres, mas homens tb” (isso é vantagem?), “é o brasil de verdade” (isso não posso contra argumentar pq pelo jeito é mesmo), etc. Parece um tanto de gente ingênua com síndrome de vira lata que quer receber um olhar de aprovação de fora, mesmo que seja aprovação por algo tosco e ruim, e que não percebe que isso foi só uma jogada muito inteligente de marketing e que vai prestar um grande desserviço. Tipo, reforçar o esteriótipo da mulher brasileira no exterior. É aquela história ne, a gte acha q chegou no fundo do poço, só que não.

  • O engraçado é que ela tenta se inspirar em músicas pop que estouraram.
    Alguns cabelos estilo Black Power me lembra party rock anthem.
    A rebolada tenta algo próximo do que a Shakira faz em seus clipes.
    Já comprovaram looks muito parecidos (tipo idênticos!) aos que Beyoncé e outras usaram.
    A mostração de unhas e bijouterias parece tentar imitar clipes americanos de rap. Eles tem disso… Ver the black eyed peas – my humps, por exemplo.
    Mas aparentemente sem o mesmo glamour rsrs

    • É um cosplay de tudo isso, só que com uma aura tupiniquim. Se fosse com humor teria seu valor, mas ela se leva muito a sério!

  • Um clipe 3 minutos cheio de bundas, ok elas escolheram participar disso
    Mas uma mulher escolher participar de um comercial de cerveja, noooossa

    • Não é mais sobre o ato e sim sobre quem o pratica. Vai o Danilo Gentili colocar algo similar em seu programa… Seria execrado!

      • Clap! Clap! Clap!
        Estou de saco cheio dessa turma do politicamente correto que acha o fim do mundo homem pelado no museo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: