O paradoxo de Fermi.

O planeta Terra é só mais um planeta orbitando uma estrela. Somente na nossa galáxia, existem mais bilhões e bilhões de estrelas. E como os telescópios mais avançados estão provando dia após dia, ao redor dessas estrelas orbitam incontáveis planetas. Toda essa imensidão, todos esses planetas… e uma pergunta: onde estão os aliens?

O nome vem do físico Enrico Fermi, que perguntou “Onde estão todos?” diante de outros colegas ao ver um desenho de um disco voador numa charge de jornal. Nem precisava disso, pelo seu trabalho de ponta em física nuclear e quântica, mas acabou mais imortalizado ainda pela pergunta. O paradoxo de Fermi fala justamente sobre a contradição entre a imensa probabilidade de existir vida fora da Terra e a ausência de contato com qualquer civilização alienígena. Por mais que existam muitos e muitos vídeos por aí de objetos voadores não identificados e relatos de pessoas que dizem ter tido contatos imediatos com alienígenas, não é como se houvesse uma prova científica consistente sobre sequer a existência de vida fora do nosso planeta.

Evidente que você pode acreditar que os alienígenas já estão aqui (e ter mil vídeos borrados para provar), mas entre a comunidade científica e a média da população existe um consenso sobre a dúvida sobre vida extraterrestre: não sabemos se eles estão entre nós, não sabemos se eles tentam contato… não sabemos nem se eles existem. E partindo dessa opinião “média” que não dá ainda pra provar nem desprovar a existência dos E.T.s, o que será então que pode estar acontecendo nesse universão todo ao nosso redor?

Alternativa 1: Não tem ninguém.

Parece improvável que no Universo todo não tenha mais uma forma de vida, afinal… o número de estrelas e planetas que podem dar suporte a formas de vida básicas parece ser gigantesco. Estamos falando de números tão gigantescos que mesmo se um e cada um milhão de planetas conseguisse ter vida, teríamos pelo menos algumas centenas de milhões de planetas com vida só na nossa galáxia (a Via Láctea). E considerando que estudos recentes apontam que podemos ter entre um e dois TRILHÕES de galáxias no Universo… eu quebraria a tecla do zero do meu computador dizendo quantos planetas poderiam ter vida nessa conta.

Parece improvável, mas certamente não impossível. Não podemos esquecer que a nossa existência aqui é um acumulado de fatores extremamente improvável também. Desde a posição da Terra em relação ao Sol até mesmo coisas bem aleatórias como um impacto com outro planeta que acabou formando a nossa Lua. Somos resultado de uma probabilidade bem baixa, que talvez nunca mais tenha acontecido, mesmo com os números incríveis do parágrafo anterior.

Se for isso mesmo, o paradoxo está explicado. Não ficamos sabendo de alienígenas porque eles simplesmente não existem. É triste estarmos sozinhos, mas pelo menos temos todo esse terreno livre para cultivar…

Alternativa 2: Não tem ninguém inteligente o suficiente.

Uma variação da alternativa anterior. E bem menos improvável: por números, é quase impensável que não tenha mais nada vivo fora da Terra, mas, a vida aqui passou por um looongo caminho até chegarmos onde chegamos. Da primeira forma de vida até os humanos, foram bilhões de anos de tentativa e erro, e muitos golpes de sorte para gerar vida inteligente. É possível então que a vida consiga surgir em vários lugares, mas que não consiga ser inteligente o suficiente para formar uma civilização com comunicação e viagens espaciais. Nós mesmos mal conseguimos colocar pessoas na nossa Lua… presume-se que seja difícil pra todo mundo.

Porque mesmo depois do ser humano conseguir uma inteligência básica, ainda foram centenas de milhares de anos para refinar isso no que temos atualmente. E, surpresa surpresa… com vários golpes de sorte no caminho. O que pode muito bem estar acontecendo é que a vida inteligente que se comunica e sai do seu planeta seja rara o suficiente para só nós estarmos tentando no Universo todo. Os outros possíveis bilhões de planetas com vida podem estar ainda numa fase de vida unicelular, podem ser algo parecido com dinossauros, ou mesmo seres que não tem recursos para desenvolver uma civilização como a humana. Se não tivesse petróleo no nosso mundo, por exemplo, bem possível que estivéssemos enroscados numa fase pré-industrial até agora.

Essa alternativa não é uma sentença de solidão, afinal, com o tempo podemos chegar neles, ou mesmo eles (os aliens) podem se desenvolver pra vir falar conosco.

Alternativa 3: É muito difícil falar com ou visitar outras civilizações.

O objeto criado pelo homem que está mais longe da Terra nesse momento é a sonda Voyager 1. Mais de 21 bilhões de quilômetros de distância percorridos em mais de 40 anos de viagem. Parece longe, não? Mas é mais ou menos dezenove horas na velocidade da luz. As distâncias no Universo são muito grandes. Muito grandes mesmo, até a luz, tecnicamente a coisa mais rápida que existe, pode demorar bilhões de anos para chegar de uma estrela até o nosso planeta.

O que pode estar acontecendo é que realmente não dá pra viajar rápido o suficiente. Por mesmo viajando muito rápido (a Voyager 1 está indo a 16 quilômetros por SEGUNDO e ainda está pertinho do Sistema Solar), ainda não chega nem perto de ser rápido como a luz. Nossas melhores estimativas atuais é que eventualmente vamos conseguir viajar em naves fazendo algo em torno de 20 a 30% da velocidade da luz. Mais do que isso e é terreno bem desconhecido. E segundo as leis da física, da velocidade da luz não se passa.

Sim, existem teorias sobre “buracos de minhoca” e outras formas de quebrar esse limite de velocidade, mas nenhuma sequer próxima de ser testada, quanto mais comprovada. Pode muito bem ser o caso de ninguém conseguir bater essa velocidade. Se for assim, pode demorar milhões de anos para ir de uma estrela para outra, ou mesmo não valer a pena sequer tentar. Se a humanidade calhou de nascer num lugar mais vazio de vida no Universo, pode ser que ninguém tenha visto a gente ou conseguido se comunicar de qualquer forma.

No Universo, tamanho é documento.

Alternativa 4: Somos insignificantes.

Nessa hipótese, existem outras formas de vida inteligentes e capazes de falar conosco ou nos visitar, mas somos tão simplórios ainda que ou não vale o esforço (que já vimos que não é pequeno), ou acham incorreto vir nos incomodar. Podemos estar numa reserva ecológica, sendo observados de longe feito animaizinhos simplórios que somos. Assim como tentamos proteger reservas indígenas e ecossistemas nativos, podem estar deixando a gente crescer (e talvez morrer) em paz.

E também pode explicar possíveis visitas para cá. Mesmo com reservas aqui na Terra, sempre tem um cientista que vai pegar amostras, e sempre tem algum babaca que entra do mesmo jeito para fazer bagunça. Humanos babacas picham pedras e jogam lixo no chão, aliens babacas colocam sondas anais e ficam rindo quando nos assustamos com luzes nos céus…

Alternativa 5: Não estamos reconhecendo os sinais deles.

E se eles já estão por perto? E se já estão mandando mensagens? Nada garante que nossa tecnologia tenha alcançado o ponto necessário para captar essas comunicações ou mesmo para enxergarmos qualquer sinal de presença mais complexo que um objeto voador não identificado (presumindo que eles sejam coisas dos aliens). Pode ser questão de outras dimensões, de domínio de partes da física que ainda nem sonhamos… qualquer tecnologia suficientemente avançada é indiferenciável de mágica para a mente mais primitiva.

Alternativa 6: Tinha, mas acabou.

Uma outra possibilidade é que por uma coincidência, todas que surgiram com o potencial de comunicação já acabaram e só sobramos nós. Pode existir uma grande barreira tecnológica na manutenção de uma civilização tecnologicamente avançada que fatalmente dá no extermínio da espécie quando alcançada. Se isso é inescapável, acredito que vamos descobrir na prática um dia ou outro.

Existem diversas outras ideias de como responder esse paradoxo, mas acredito que as principais estejam aqui. Caso exista interesse (ha), eu posso falar sobre como outras civilizações alienígenas podem existir sem dar nenhum sinal de vida para nós. Enquanto isso, ficamos no aguardo, até porque o papo aqui em baixo anda tão chato…

Para dizer que tem que usar o telefone do ET, para dizer que quer o CU de volta, ou mesmo para dizer que não entende porra nenhuma do que eu escrevo: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (22)

  • Fico com a alternativa 5 e mais um adendo: ainda acredito que estamos procurando do jeito errado sobre sinais de vida no universo. As possibilidades são tão imensas que deve haver formas de vida com composições completamente diferentes das nossas (não julgo justamente por ser o nosso único guia de como identificar algo vivo), então o combo “sinais que nós não reconhecemos” + “busca somente por nossos semelhantes” nunca será positivo pra quem procure por algo inteligente no Universo.

    E ah, tem também o meu +1 pra mais textos como esse!

  • Existe uma possibilidade interessante levantada por Carl Sagan que diz “Quem garante que nós não somos os primeiros a explorar o universo?”.

    • E comentários que me fazem pesquisar o que é que a pessoa falou sempre são positivos! Eu chamava de montanha da ignorância, mas acho mais chique chamar desse jeito.

  • nossa, que interessante! tem algum site/livro onde eu possa ler mais sobre?

    ps: estou feliz pq finalmente entendi um texto seu hahahaha

    • Eu vou tentando até estragar vocês com nerdice!

      Eu não conheço muito material já compilado sobre o tema. O problema é que a parte “fácil” de falar sobre o que é todo mundo faz, mas ir analisando cada alternativa e sugerindo que tipos de aliens poderiam existir sem chamar nossa atenção atual é algo quase que infinito. De uma forma de outra, a ficção científica tenta esgotar as possibilidades até hoje, e não conseguiu. Com o tempo eu faço mais um ou dois textos com hipóteses dessas.

  • Acho q somos insignificantes e não vale o esforço, mas espero q sejamos os mais evoluídos pra sermos nós a visita-los e não ao contrário.

    • Imagina a humanidade visitando outro planeta mais atrasado tecnologicamente… se a tecnologia para viajar for só para a elite da elite, talvez nos saiamos bem como “irmãos mais velhos”. Mas, se for barata e fácil, imagina só a gentalha que vai acabar indo visitar os ETs mais simplórios?

  • Claro que eles existem e nos visitam pelos Ovnis, mas a gente nunca vai fazer igual. Nosso planeta lixo, não consegue resolver nem os problemas básicos, imagina ter tecnologia pra viajar até os ETs!

    • E se os ETs já passaram por toda essa merdalheira que passamos há uns cem mil anos atrás? Aposto que eles teriam outros problemas atualmente, mas tecnicamente, já passamos por cada perrengue por aqui e sobrevivemos, é possível que eles consigam também.

  • Tema muito interessante, Somir. Também gostei da sua abordagem bem didática. Acho que não estamos sozinhos, só isolados. Por mais que a nossa própria existência seja altamente improvável neste Universo – como você mesmo disse -, tenho pra mim que os dois principais motivos para ainda não termos nenhum contato cientificamente comprovado com alienígenas estão nas suas hipóteses três e quatro.

    As distâncias entre os copros celestes são absurdas – são anos-luz e mais anos-luz de nada além de espaço vazio – e os desafios a vencer para se fazer uma viagem nessa escala são grandes demais mesmo para eventuais tecnologias que superassem a nossa de longe. E, ao mesmo tempo, é de se pelo menos supor que a nossa vidinha ordinária aqui neste minúsculo ponto azul num cantinho esquecido da Via Láctea também seja mesmo desimportante demais para ser levada em consideração por outras civilizações e inteligências mais avançadas.

    Quanto ao que você aponta na sua hipótese número seis – a possível existência de alguma grande barreira na manutenção de uma civilização tecnologicamente avançada que cause o fim de uma espécie caso seja alcançada e que talvez descubramos na prática no futuro – , devo dizer que concordo, mas com a ressalva de que temo que a humanidade acabe mesmo é se auto-exterminando muito antes de chegar perto de passar por essa tal “barreira tecnológica”.

    • mas com a ressalva de que temo que a humanidade acabe mesmo é se auto-exterminando muito antes de chegar perto de passar por essa tal “barreira tecnológica”.

      Essa pode ser justamente a barreira. Seguindo a lógica da evolução no planeta Terra, vão para o topo da cadeia alimentar as espécies mais agressivas. Daria pra alcançar inteligência avançada sem estar em vantagem suficiente sobre as outras espécies do planeta? Se a lógica for parecida em outros planetas, pode ser que toda civilização inteligente acabe se explodindo eventualmente… bem cara de uma barreira, não?

  • Colocando a religião no meio: se somos iguais à semelhança de Deus, então só existe um modelo de ser vivo que chegou a esse discernimento, o nosso. Se todos os aliens forem iguais a nós, então eles estarão sujeitos aos nossos erros e evoluções, e também involuções.

    De mais a mais, se todos forem iguais a nós, que diferença fará ver nos “aliens” espelhos da gente?

    • Se existe um deus criador e ele fez todas as espécies inteligentes com exatamente o mesmo layout, deve ser o recorde absoluto de falta de imaginação e/ou preguiça.

      O que, francamente, explica muito de suas crias…

  • hahahaha! Pois é, o CU vai deixar saudades… mas o texto está interessante sim. Pode continuar falando dos aliens. E não venha condicionar a interesse não, o blog é seu, cara! Escreva sobre o que você quiser. Quem não se interessar que não leia.

    Meu achismo: alternativa 4. Não consigo acreditar na 1, pois mesmo aqui na Terra, quantas espécies de seres vivos são desconhecidas? A 2 são os humanos tentando colocar a Terra no centro de tudo de novo.

    • Eu condiciono a interesse, de alguma forma, desde o começo do desfavor. Tem alguns papos bem específicos dessas coisas mais nerds que precisa ter disposição para encarar. E para escrever…

      Sobre seu palpite: a 4 me parece meio antropocêntrica também. Menos que as outras, claro, mas… não estamos deixando nosso próprio desgosto com a humanidade ditar o que seria interessante para outras espécies inteligentes?

  • A alternativa 4 é a mais interessante. Poderia até haver comunicação entre terráqueos e ETs, mas secreta, mantida por grupos ocultos.

    Se fosse pra dar um chute chutadíssimo ficaria entre 3 e a 4.

    • Pode ser um mix de 3 e 4 mesmo, não valermos o esforço de uma visita. É até fascinante ver formigas, mas dificilmente um de nós ia se deslocar do Brasil até a China só para vê-las…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: