Piores Religiões.

Chegou a hora de alguém finalmente resolver a questão de qual é a pior religião de todas. É com imensa humildade que venho aqui fazer uma análise rápida e superficial sobre as que eu conheço e afirmar com certeza inquestionável quem está mais errado. Da próxima vez que forem fazer uma guerra por esse motivo, já fica este texto aqui para resolver tudo de primeira e evitar derramamento de sangue. De nada.

São sete por ser um número abençoado ou amaldiçoado, sempre esqueço… e as piores religiões do mundo são, nessa ordem:

7 – Budismo

O budismo é o chuchu das religiões: não tem muito sabor, raramente é servido como prato principal e a não ser que você coloque algum veneno junto, não é pra te fazer nenhum mal. Mais de quinhentas milhões de pessoas nesse mundo a seguem, mas é meio como se não fizesse muita diferença. Um ponto positivo do budismo é que é uma religião não teísta, vulgo, não acreditam em deuses. Assim, a figura mais famosa é Buda, que na mitologia deles foi um príncipe do Nepal que rejeitou toda sua riqueza e foi buscar iluminação na floresta. Eu ia tirar pontos pelo clichê de realeza saindo do castelo para cantar para os animaizinhos, mas lembrei que os desenhos da Disney vieram bem depois.

Buda foi tão bem na sua missão que efetivamente alcançou um grau de consciência superior e cravou seu nome na história. Estaria ganhando uma nota de direitos autorais (que rejeitaria) se não tivesse morrido mais de um milênio atrás. O conceito de karma (carma é o correto em português, mas ninguém usa assim…) também ajuda na posição baixa nessa lista: os budistas acreditam que quem sacaneia será sacaneado, o que eu pessoalmente nem acredito muito por motivos de política brasileira, mas acho positivo porque faz eles menos agressivos. Entre meditar e sair explodindo os outros, meditar é bem bacana.

Tirando, claro, todo aquele caso do massacre étnico em Myanmar…

6 – Hinduísmo

Também conhecida como a religião de mais de um bilhão de pessoas que você provavelmente só conhece pelo nome. Surgiu na Índia e é considerada por muitos a tradição religiosa mais antiga de todas (todas as que sobrou alguém pra contar a história, pelo menos). Costuma ficar mais isolado em sua região natal, com o numeroso povo indiano e aquele bando de chatos que vão para lá para gastar dinheiro com golpistas e voltar para o Ocidente dizendo que se sentem mais espiritualizados. Mas, na média, isso é pior que temos que aguentar deles. Poderia estar empatado com o budismo, mas eles tem uma crença politeísta: para os hinduístas, o deus supremo da criação se chama Brâman e ele se subdivide em avatares para diversos aspectos da natureza (inclusiva da humana).

O sistema de castas, isto é, de pessoas que nascem superiores às outras e devem ser servidas, tem muita base na crença hinduísta. Vários dos deuses estão presos em suas funções e devem segui-las por toda a eternidade, queiram ou não. E toda essa coisa de humildade na pobreza, da porquice dos rituais no Ganges e boa parte das bizarrices na Índia vem do hinduísmo. Terrível que seja isso que considere espiritualidade nos dias de hoje…

Mais um motivo pra ser pior que budismo: budismo é meio que uma cópia de hinduísmo, sem os deuses de muitos braços. Quem começa antes é mais culpado.

5 – Zoroastrismo

Mas é uma religião morta! – exclamou alguém com um pouco mais de conhecimento histórico. Calma… em primeiro lugar, ainda existem uns 200 mil seguidores ativos nos dias atuais. A religião nasceu na Pérsia, provavelmente uns mil anos antes de Cristo. Tem o nome pelo seu profeta, Zaratrusta (conhecido por Zoroastro pelos gregos, se você estava achando estranho) e é considerada a primeira religião monoteísta.

E se os seguidores atuais não tem força nem pra tirar uma pessoa do BBB, a mensagem de Zaratrusta causou problemas sérios no resto do mundo… vulgo Cristianismo, Islamismo e Judaísmo. As nossas religiões modernas são quase como memes do Zoroatrismo. Pega o conceito geral, muda uns nomes e imagens e diz que criou uma nova. O conceito de Deus único e Diabo vem dela, o profeta que faz milagres, céu e inferno, apocalipse… foram eles que inventaram. Só não está mais alta na lista por causa de suas cópias…

4 – Judaísmo

Vou dizer que pelo menos foi a que teve mais comedimento ao copiar o Zoroastrismo. O monoteísmo, o bem e o mal cósmico… mas sem essas palhaçadas de profetas mágicos fazendo truques pro populacho. Das três vindas do Oriente Médio, é a com menos seguidores, mas tem uma representação enorme na mídia e na cultura popular. O judaísmo se baseia numa escritura sagrada chamada Torá, que é basicamente o Velho Testamento dos cristãos com várias puxadas de sardinha para os judeus.

Eu pessoalmente nem colocaria ela tão alta na lista, mas aparentemente o resto da humanidade durante os milênios que ela existiu pensam diferente. Os judeus foram perseguidos e expulsos de terras por basicamente todos os povos com os quais conviveram. Tem coisa errada aí. Não coisa errada no sentido nazista de achar que judeus são pessoas inerentemente ruins, mas aposto que um mix de inteligência média mais elevada que a média e uma mentalidade de grupo muito unida, eles sempre acabam irritando os outros povos ao redor. O judaísmo não é uma religião aberta, é difícil entrar e a única certeza de pertencimento vem de nascer de pais judeus. Os textos religiosos deles são bem liberais sobre matar ou sacanear quem não é judeu, o que normalmente não gera muitas amizades. Pelo lado positivo, eles mataram Jesus. Pelo lado negativo, eles criaram Jesus…

3 – Cristianismo

Pegue o que faltou copiar do Zoroastrismo e adicione o que os judeus já copiaram e você tem o Cristianismo. Mas, funcionou… atualmente, o Cristianismo é a maior religião do mundo em número de fiéis, posição em que solidificou há muitos séculos e pouco foi ameaçada até anos recentes. O Cristianismo é a religião que quase todo mundo aqui já conhece de cima a baixo. Um homem barbudo de robe branco criou o mundo em seis dias (numa ordem bizarra) e ficou coçando o saco no sétimo. Criou duas pessoas, uma delas comeu uma maçã e esse homem barbudo ficou muito bravo. Depois, o incesto comeu solto entre seus filhos até povoarem o mundo. Deu uma chuva bem forte, matou todo mundo menos quem estava num barco com casais de todos os animais do mundo. Mais incesto e nasceu um homem de uma mulher virgem (e de um pai corno) que fez mágicas e morreu numa cruz por isso. Com o passar dos anos, ele foi ficando mais e mais popular até seus seguidores conseguirem bater em todos os infiéis até eles se tornarem fiéis.

Deve ter tido mais incesto depois também… mas em resumo, sabemos como funciona. A Igreja Católica dominou o Ocidente por mais de um milênio com mão de ferro, e dela se subdividiram diversas outras correntes que hoje ameaçam passar os católicos em números. Responsáveis por boa parte das guerras do mundo antigo e torturadores de primeira. Também gostam de acobertar pedófilos e dizer para africanos não usarem camisinha. Ah, por algum motivo, são obcecados com sexo ao ponto de só falarem disso.

2 – Islamismo

Se eu estivesse escrevendo isso uns 20 anos atrás, eles estariam atrás dos cristãos. Mas a religião que mais cresce no mundo está cada vez mais próxima do Cristianismo em número de seguidores. E infelizmente uma parcela desses seguidores ficou morrendo de inveja da Igreja Católica e quis viver de guerra e tortura também. Outra cópia do Zoroastrismo, segue basicamente a mesma lógica do cristianismo com nomes diferentes. O Deus deles se chama Alá, e o Jesus se chama Maomé. O ponto positivo é que não inventaram uma mãe virgem aqui… o ponto negativo é que arranjaram uma esposa de 9 anos de idade pra ele…

Alá criou o mundo num passe de mágica, e ficou olhando o celular por alguns milhares de anos até passar seus ensinamentos para Maomé. Maomé, um homem que não pode ser representado em imagens sob a pena de morte, definiu um monte de regras arbitrárias e prometeu várias mulheres virgens, rios de mel e ereções eternas para quem morresse defendendo sua fé (vulgo atacando outras). Os islâmicos fizeram basicamente todas as coisas horríveis que os cristãos fizeram, mas chamando menos atenção. Por ser uma religião com política de captação de fiéis ativa, cresce sem parar, e é bem provável que seja a maior em poucas décadas. Desculpa esfarrapada para todo tipo de comportamento horrível contra mulheres e minorias em geral, é responsável por boa parte das violações mais horríveis contra os direitos humanos na atualidade. Muitos acreditam na necessidade de uma guerra santa contra todo o resto da humanidade para impor suas crenças. Se não for desarmada como o Cristianismo foi, tende a ser estopim de muitas e muitas guerras ainda.

Se o mundo acabar por uma religião, vai ser essa.

1 – Todas as outras religiões que você não é forçado a entrar.

A religiosidade pode até ser algo vindo de uma necessidade natural do ser humano de se enganar, mas religiões estruturadas com nome e rituais são construções sociais. A pessoa via de regra segue a religião que seus pais seguiam, ou alguma que seja popular entre as pessoas do seu convívio social. Em vários casos, sua vida está em risco se você não pelo menos fingir que acredita na mesma bobagem que o resto da sociedade próxima. Então, por mais absurdas que sejam as religiões da lista até aqui, dá pra entender um “azar” de nunca ter tido escolha. Ou de só empurrar com a barriga para não destoar do grupo… religiosos preguiçosos desses raramente matam ou torturam outras pessoas em nome da sua fé. Menos mal.

Mas, se você segue uma religião mais desconhecida (paganismo), derivativa (espiritismo) ou algo do tipo (cientologia), você está escolhendo ativamente abandonar a lógica e viver num mundo de fantasia. E se você maltrata qualquer outra pessoa por causa da sua fé, você é cem vezes mais horrível que qualquer um dos outros casos explicados na lista. Você faz por escolha.

A pior religião de todas é a religiosidade.

Para dizer que esqueci do candomblé (pra você ver que diferença faz no mundo…), para dizer que quando me matarem não vai saber quem que fez, ou mesmo para dizer que ciência é a pior de todas: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (15)

  • Avatar

    Anti Espírita e Anti Maçom

    Não tenho dúvidas que a pior religião seja o espiritismo. Conseguem superar os evangélicos em falta de emparia, falta de compaixão e preconceito. Só sabem apontar o dedo para quem fuma um bagulhinho no fim de semana, quem gosta de sexo casual, quem gosta de carnaval. Mas a esquerda brasileira se esquece disso, preferindo passar dia e noite criticando apenas Malafaia e Feliciano. Por isso que a nossa esquerda só se fode, porque ela passa a mão na cabeça de quem não merece. O espiritismo em peso defende o bandido de toga Sérgio Moro, defendem um país conservador e cristão carola. Até na umbanda está cheio de médiuns e pais-de-santo extremamente conservadores e reacionários. Mas parece que a esquerda brasileira não permite críticas a essa praga chamada movimento espírita. E o que me deixa puto, é que aqueles da esquerda que querem esculachar o espiritismo são vistos como “fascistas” sendo que o espiritismo é uma doutrina que se assemelha ao fascismo, se duvidar é um pouco pior. O problema da esquerda é que existe como se fosse uma cartilha aonde tu só pode criticar o que ela autoriza e isso é errado. E ANTES QUE EU ME ESQUEÇA, EU QUERO QUE A DOUTRINA ESPÍRITA VAI TOMAR NO CU! Alguém por favor, mate um médium espírita conservador? Matem um médium espirita por favor!

  • Avatar

    Anti Espírita e Anti Maçom

    A pior religião que existe é a porra do espiritismo de merda, criada por um racista filho da puta. E que no Brasil encontrou seu maior público que é fanático por um velhaco brocha sem piroca e viado recalcado que era o C…. Xavier. Nunca vi na minha vida uma religião tão escrota e reacionária como o espiritismo. Enquanto isso a nossa esquerda ingenuamente passa pano para todas as atrocidades proferidas ao longo da vida pelo C… Xavier sobre gays, negros e judeus. Se duvidar, médium espírita consegue ser muito mais racista do que o Bolsonaro, falando sério. E muito mais frios e e egoístas. Não é raro um médium espírita chamar de vitimista aqueles que se rebelam contra o sofrimento. E eu falei na esquerda, acho estranhíssimo quem luta contra dogmas cristãos endossar um caipira filho da puta de Uberaba que recomendava sofrer em silêncio e que ainda deveríamos “agradecer a Deus pelo sofrimento”. Se eu tivesse conhecido esse velho brocha e enrustido e ele me falasse isso, eu juro que eu teria matado o C. Xavier de tanto chute que eu iria dar naquela cara de mongolóide e doente mental que ele tinha. A nossa esquerda é a mais inocente do mundo, é uma esquerda bobinha que para juntar forças aceita se aliar a padre progressista, maçom, pai-de-santo e tudo quanto é liderança religiosa. Pau no cu dos espíritas e tomara que o filho adotivo do C. Xavier morra com um tiro na cabeça! Geraldinho otário, seu pai era um adotivo era um boiola enrustido porém homofóbico e doente mental!

  • quem nao tem religiao,tudo nem ,respeito,mas respeitem quem tem e parem de falar mal de Deus,da semana SANTA que e a epoca que e lembrada a prova de amor do Senhor para conosco que morreu na cruz para nos salvar de nossos pecados.

  • Somir, comentário nada a ver com o texto: Por que de vez em quando aparece erro 500, mandando entrar em contato com webmaster? É só comigo?

  • O ateísta convicto também não entra nessa lista? Acreditar em nada, e orgulhar-se de que um dia vai se unir ao pó e não ser nada, não é uma atitude burra por completo?

    • Não acho. Não concordo com o ateísmo radical, mas acredito que ele não cause estragos ao mundo. Você nunca vai ter um ateu batendo na porta da sua casa domingo às sete da manhã e dizendo “Olá, o Senhor conhece o Ateísmo?”. Ateus, por virarem às costas para religião, mergulham na ciência de forma radical e profunda e já geraram belíssimas descobertas científicas para o mundo. Por mais que eu tenha algumas críticas a ateus radicais, eles não saem declarando guerras, tentando converter os outros ou causando discórdia de proporções mundiais. Se o ateu radical faz mal a alguém, provavelmente é só a si mesmo.

  • Avatar

    Innen Wahrheit

    Oi Somir,

    Considerando o poder político e econômico que exercem hoje, e a enorme influência cultural sobre o ocidente (a ponto de terem conseguido enfiar goela abaixo de todo mundo um protagonismo histórico que nunca tiveram), você pegou leve com o judaísmo, né?

  • Como foi mencionado no texto o “chuchu” do budismo, que prega entre outras coisas o desapego aos bens materiais, acho que posso chamar a atenção de vocês pra esta notícia que saiu ontem:
    EX-ATRIZ PORNÔ CONVERTIDA AO BUDISMO SE DIVORCIA DE VELHOTE MILIONÁRIO AMERICANO TEMENDO “ATAQUE CARDÍACO DELE DURANTE O SEXO” E PROCURA NOVO AMOR IDOSO, MAS EXIGE VER SALDO BANCÁRIO ANTES DE COMEÇAR OUTRO RELACIONAMENTO:
    https://extra.globo.com/noticias/page-not-found/ex-atriz-porno-que-virou-devota-budista-procura-novo-amor-idoso-mas-exige-ver-saldo-bancario-22459891.html

  • Budismo é legal, cara! Ensina muita coisa boa. Umbanda também. Ruim é o Islamismo cheio de terrorista e Cristianismo cheio de mamador de dízimo.

  • Curti o plot twist no fim. E o pior é que faz sentido.
    Mas o islã é o pior por:
    -quase ausência de reformistas que querem amaciar a crença e encaixá-la neste século, como acontece com o Cristianismo
    -superproteção contra “discursos de ódio”, enquanto as outras religiões até que fazem vista grossa a questionamentos, memes e piadas
    -intolerância com qualquer pessoa que não seja homem hetero e muçulmano
    -grande e crescente população (muçulmano, chinês e brasileiro tem em TODO canto)

    Tem maior potencial pra causar estragos e retrocessos nos avanços da humanidade. Nada garante que o mundo Ocidental tolerante (na maioria das vezes) continue a existir. A história nos ensina que grandes e avançadas civilizações podem ser engolidas por povos brutos e ignorantes num piscar de olhos.
    Tenha um bom dia :D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: