Enquanto isso…

Enquanto isso, num encontro místico bem no meio do mato:

GURU: A energia das nossas almas não pode ficar isolada… não, nós temos que entrar em contato com o universo. A energia está em tudo, ela nos conecta. Vamos todos meditar, vamos nos tornar um com a Mãe Terra!

O grupo – composto de umas cinquenta pessoas, mais ou menos – senta-se na grama em um círculo, a maioria usa vestes brancas da cabeça aos pés. O guru, um homem de meia idade com uma longa barba acinzentada, acomoda-se bem no meio do círculo, pernas cruzadas e mãos sobre as coxas.

TODOS: Óóóómmmm…

GURU: Mãe Terra, conte-nos seus segredos. Nós somos seus filhos e precisamos de sua sabedoria… Mãe Terra, conte-nos seus…

O guru continua repetindo essa frase por alguns minutos, o grupo mantém o mantra ativo por todo o processo. Logo, podem sentir uma brisa fresca soprando em seus rostos, e um som grave bem baixo.

GURU: Mãe Terra, conte-nos seus…
VOZ: Eu já ouvi, caralho!

Todos os presentes abrem os olhos em espanto. Circundando ao redor do guru, uma forma de energia esverdeada dança como se fosse fumaça. Cada palavra vinda dali faz a luz brilhar com mais intensidade.

TERRA: Ahem… olá meus filhos, eu sou a Mãe Terra. E eu tenho uma mensagem…
GURU: Diga, Mãe Terra! Diga!
TERRA: Destruam a camada de ozônio!
GURU: Oi?
TERRA: Destruam a porra da camada de ozônio!
GURU: Mas, por que, Mãe Terra?
TERRA: Eu fico horrível com aquelas manchas brancas. Derrete tudo isso logo.
GURU: Mãe Terra, isso não afetaria o equilíbrio da natureza?
TERRA: Sim, é isso que eu quero… minha voz está de difícil de ouvir ou vocês são retardados?
GURU: Se nós te ofendemos de alguma forma…
TERRA: Vocês estavam indo bem até pouco tempo atrás, mas aí começou essa frescura de salvar o planeta, de aquecimento global… ninguém perguntou a minha opinião!
GURU: Mas, os ursos polares…
TERRA: Foooodam-se os ursos polares. Eu faço mais depois. Eu quero que vocês aqueçam o planeta para eu ficar toda azulzinha… aí quem sabe ele me nota…
GURU: Ele quem?
TERRA: Netuuuuno… aiai…
GURU: Eu não sei se estou entendendo isso direito, Mãe Terra…
TERRA: Não precisa entender, custa fazer algo para sua mãe quando ela pede? Volta com aquele CFC, aquilo estava ajudando horrores!
GURU: Você quer que a gente aumente o efeito estufa e destrua a camada de ozônio para ficar mais bonita para… Netuno?
TERRA: Sim!

Um luz avermelhada começa a circundar a luz esverdeada.

VOZ: Eu estou ouvindo tudo isso, sabia?
TERRA: Aff… Marte, sai daqui!
GURU: Oi?
MARTE: Olá, filhos. Eu sou Marte, o planeta vermelho. E Terra é minha mulher.
TERRA: Onde? Onde que eu sou sua mulher?
MARTE: Quem mandou o material orgânico que você usou para criar vida aí? Não foi Netuno, fui eu!
TERRA: Eu estava num momento difícil, ainda estava tudo muito quente! Eu não sou sua mulher só por causa disso.
MARTE: Essas criaturas são nossos filhos! Você me deve isso!
TERRA: Não transforme uma decisão ruim em punição eterna, Marte!
GURU: Você não queria a gente, Mãe Terra?
TERRA: Não é bem assim… faz o que a mamãe está pedindo e vai ficar tudo bem, ok?
MARTE: E eu nem sei essa fascinação toda com Netuno, pra quê ficar com um gigante gasoso tão frio se tem algo tão melhor tão mais perto.
TERRA: Marte, você não dá conta de mim. Olha só o seu tamanho… já pensou em tentar algo com Mercúrio?
MARTE: Eu sou macho!
TERRA: Melhor mudar de ideia, Saturno e Júpiter se dão tão bem… larga de preconceito.
GURU: Eu… o que diabos está acontecendo aqui?
MARTE: Mamãe e papai estão conversando, ok?
TERRA: Eles são meus filhos, não seus! Eu que estou cuidando desde que eles eram unicelulares!
MARTE: Cuidando? Você quase matou toda a vida na sua superfície umas dez vezes. Todo dia você manda desastres naturais pra cima deles!
TERRA: Não ouse falar mal da criação dos meus filhos! Eles estão ótimos! ÓTIMOS!
MARTE: Você está mandando eles se matarem só para ficar mais bonita para um planeta idiota que nunca olhou pra você!
TERRA: Cala a boca!

O chão começa a tremer. O grupo passa de confuso a assustado.

MARTE: Calma… calma…
TERRA: Você não sabe como é difícil! Eu não estou ficando mais nova. Eu estou na meia idade, sabia? Só mais cinco bilhões de anos e aquele filho da puta do Sol vai estar tão gordo que vai acabar comigo!
MARTE: A gente ainda não sabe disso…
TERRA: É difícil cuidar das crianças, sabia?
MARTE: Logo logo eles vão estar grandinhos o suficiente para passar um tempo comigo. Aí vai te aliviar um pouco.
TERRA: Não me serve. Eu não aguento mais essas coisas rastejando no meu corpo rotação sim, rotação também! Eles fazem cocô em mim, Marte!
GURU: É… eu… eu acho que vocês poderiam conversar isso em particular, né?
MARTE: Isso. Antes que você fale algo que se arrependa, Terra.
TERRA: Eu… eu não aguento mais… façam o que vocês quiserem… eu não me importo mais.
MARTE: Não precisa tanto assim, Terra…
TERRA: Me deixa…

A luz verde desaparece.

MARTE: Desculpa aí, pessoal… ela gosta muito de vocês, tá? É só uma fase difícil e… bom, eu vou lá falar mais com ela. Boa… boa sorte aí. E continuem cuidando dela.

A luz vermelha também.

GURU: Quem estiver a favor de todos nós começarmos a estudar produção de foguetes levanta a mão…

Para dizer que nunca se deve conhecer seus heróis, para dizer que a fruta nunca cai longe da árvore, ou mesmo para dizer que sempre desconfiou de Saturno: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (4)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: