Feliz Dia do Troll!

Se você entrou neste texto hoje, no dia 17 de abril, data comemorativa deste blog que chamamos “Dia do Troll”, meus parabéns. Você zerou a brincadeira.

Se você entrou depois que nós destravamos o blog, no dia 18, tenho algumas coisas para te dizer.

Durante dez anos uma falácia elitista foi empurrada garganta abaixo de vocês pelo Somir, uma falácia que nem mesmo ele acredita mais. Uma premissa de que para que um ambiente seja fértil ele tem que ser composto apenas de pessoas inteligentes e, pior, que inteligência é sinônimo de raciocínio lógico e conhecimento teórico.

Eu começaria questionando o que é inteligência, pois certamente não é sinônimo de raciocínio lógico e conhecimento teórico. São bons pontos de partida, mas, para que eu chame alguém de inteligente, é preciso muito mais. Mas, o assunto é longo e o espaço é pouco, então, fica pra próxima. Para fins didáticos, vamos chamar aceitar que isso é inteligência.

Inteligência é importante sim, porém ela sozinha não significa NADA, como vocês devem ter observado pela pegadinha que armamos. Condicionamos a entrada ao blog à realização de um teste de Q.I. e, a mente mais brilhante do mundo não conseguiria entrar se não tivesse, além dessa inteligência formal, sabedoria, ou seja, o conhecimento prático de como aplicar sua inteligência. Sua vivência (no caso, aqui no Desfavor) era mais importante do que saber resolver problemas complexos de lógica.

Uma frase que já virou um mantra nas minhas conversas com o Somir é: não se aprende a dirigir lendo o manual de instruções de um carro. Então, estudar é muito importante sim, mas não é “o” mais importante. O que você estuda só tem serventia se você sabe como aplica-lo, caso contrário, tudo que você faz é repetir dados feito um papagaio. Apenas a teoria não te leva a lugar nenhum na vida. É preciso uma vasta bagagem prática para aplicar a teoria da melhor forma.

Sabedoria, prática, senso crítico, questionamento, pensar fora da caixinha, dominar seu emocional, empatia, timing e tantos outros requisitos são tão importantes quanto inteligência. Hoje enterramos de vez esse elitismo intelectual de pensar que inteligência é a rainha das qualidades e todo o resto orbita à sua volta como complemento. Não. São todas interdependentes. Trabalhe todas elas.

Se você espera que a gente filtre leitor por inteligência, estamos dizendo com todas as letras: não vai acontecer. Ciente desta decisão, você tem dois caminhos dignos. 1) Aceita e fica se achar que o conteúdo transcende a burrice que te incomoda ou 2) Aceita e sai, se achar que o conteúdo não vale o preço. Tem também uma saída indigna, que é ficar e reclamar da nossa escolha, mas essa, tenho certeza que ninguém vai adotar.

Certamente teve gente muito inteligente que não conseguiu passar pelo nosso desafio e certamente teve gente menos inteligente que, por intuição, por aprendizado (são dez anos fazendo uma pegadinha todo 17 de abril, né?) ou por qualquer outro motivo conseguiu entrar. Todos os leitores habituais tinham instrumentos para entender o que estava acontecendo, e, certamente poderiam depreender com facilidade a senha: dia do troll (sem espaços).

Acontece que quando um meio te condiciona, você veste o rótulo do lugar e passa a funcionar nele no piloto automático. Desfavor é visto por muitos como um clubinho dos inteligentes (apesar dos meus esforços, escrevendo texto sobre merda, vomito e funk). Tem leitor se recusando a ir a encontro de leitores por achar que não é inteligente o bastante e não vai ter “nível” para conversar com a gente, vejam a que ponto absurdo chegamos.

Ao entrar aqui, se assume essa premissa, do clubinho dos inteligentes. Então, quando você abre a página do blog e tem um aviso dizendo que só entra quem passar no teste de Q.I. , isso casa perfeitamente com o rótulo que cada um de vocês veste automaticamente atribui ao Desfavor. O cérebro gosta desse tipo de match, então, nem questiona: elitismo intelectual + teste de Q.I? Faz sentido. E é aí que está a grande armadilha.

Questionem tudo. Mesmo o óbvio. Desafiem o cérebro de vocês sempre. Não é para ficar paranoico, é apenas para fazer um exercício reflexivo. A forma padrão de enganar alguém no Brasil, seja em golpes, seja por políticos seja por um relacionamento mentiroso, é essa: reforçar algo que para a pessoa já tenha presunção de verdade. O cérebro fica vaidoso e vai feliz no fluxo daquilo que ele gosta de acreditar: a certeza de que estava certo. O cérebro procura o tempo todo evidências de que ele está certo e solta fogos quando as encontra, ou quando acha que as encontra.

Se não existisse esse rótulo de que “Desfavor é lugar de pessoas inteligentes” vocês teriam imediatamente percebido que esse teste de Q.I. como condição para entrar no blog era uma coisa despropositada e não o aceitariam como algo possível. Isso levaria o cérebro a buscar uma explicação para essa situação absurda e, pensando um pouquinho, teriam percebido do que se trata.

Cada vez mais eu acredito que o conhecimento dos livros é conhecimento de segunda categoria (Mestre Yoda concorda, acho que estou bem acompanhada). Quem apenas estuda muito se torna um papagaio repetidor. Na década de 80 era ótimo, você seria o melhor aluno e um excelente profissional. Hoje, você fica para trás.

A ironia do que fizemos ontem é: a resposta certa estava dentro de vocês o tempo todo. Vocês não precisavam de livros, de equações matemáticas, de conhecimento técnico ou de inteligência para ter ciência dela. Só precisavam acessar dentro de vocês, recordar.

No entanto, a maioria acreditou no que a escola falou (“a resposta certa é a que está nos livros”), no que os pais falaram (“estude ou você nunca vai ser alguém na vida”) ou nas notas das provas (quem decora melhor é o melhor da turma). Pois é, hoje os convido a pegar tudo isso e jogar no lixo.

Sejam mais que conhecimento técnico. Sejam mais que suas profissões. Queiram mais, muito mais, do que ser inteligentes. Inteligência é apenas uma pecinha desse quebra-cabeça, e talvez nem seja a mais importante. É aquela famosa frase atribuída a Albert Einstein: se você julgar um peixe por sua habilidade de subir em árvores, ele sempre vai ser considerado burro.

Então, em determinado aspecto, a maioria de vocês foi burro ontem. Quando olhamos do prisma da experiência, da sabedoria, da intuição, da associação, da percepção, quem gabaritou o teste de Q.I. e ainda assim não entrou, foi burro. Logo, burrice depende de ponto de vista. Os devoradores de livros e de informações técnicas não tem o direito de chamar para si o rótulo de inteligentes. Não mais. Não aqui.

E, não me entendam mal, não é como se a gente fosse abrir a porteira e abraçar o mundo, incluindo nas discussões diárias quem pergunta se a lei da gravidade é um conjunto de normal para tutelar gestantes. Um mínimo é necessário, porém um mínimo de tudo, não só de inteligência: de sabedoria, de experiência, de bom senso, de intuição, de autoconhecimento, de civilidade e de proatividade.

Não estamos posando de pais dos burros, tanto é que amanhã tem a coluna Ei Você sacaneando as piores tentativas de senha digitadas ontem. Estamos apenas desmistificando que inteligência se resuma a Q.I. e que apenas pessoas inteligentes podem acrescentar a todos nós.

A intenção é apenas induzir a uma reflexão: muitas vezes a inteligência lógica não basta para a vida, não para os tempos atuais. Cuide do seu emocional, da prática, aprenda a acessar suas vivências para responder a perguntas. Confie mais em você do que nos livros. Como diria o ET Bilu, busque conhecimento, mas não apenas nos livros. Busque conhecimento na vivência, em outras pessoas, em outras culturas, em todas as fontes que puder. E também dentro de você.

Ao se deparar com um desafio, não acesse apenas informações técnicas para te ajudar a solucionar. Busque a resposta na sua experiência, na experiência de outros, em situações similares, na sua criatividade, em inovações, em combinatividade e no mundo real. Para adquirir todas estas capacidades que vão muito além da inteligência teórica, tem que botar o nariz para fora de casa e experimentar o mundo. Quando a pessoa não tem isso, ela se abraça à “inteligência” como salvadora da pátria. Lamentável.

E, por fim, uma coisa é aprender, ou seja, saber algo, ler, ler, ler e obrigar a que aquele conhecimento entre em você, como fazemos quando estudamos para uma prova. Outra coisa é apreender, ou seja, reter esse conhecimento dentro de você, por vontade própria pegá-lo e se apropriar dele. O que fizemos hoje/ontem é apreender conhecimento.

Tenho certeza de que, não importa quanto eu falasse sobre o assunto, ele não entraria tão profundamente na cabeça de quem passou pela experiência de fazer o teste de Q.I. ontem e ser barrado. Então, é a experiência, e não o livro, que te faz apreender conhecimento. Aprender é importante, mas, além de saber, é preciso fixar, e para isso, meus amores, a prática é imbatível.

Quem preta atenção no que eu falo certamente tinha uma vozinha interna gritando ontem: “Sally nunca fecharia o blog desta forma”. Quem ouviu entrou, quem não ouviu, ganhou um belíssimo aprendizado para a vida.

Feliz dia do Troll!

Para me mandar à merda, para mandar o Somir à merda ou para mandar todo o Desfavor à merda: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (68)

  • Cheguei aqui e dei de cara com o teste de QI e raciocínio lógico nunca foi meu forte. Fiz o teste e claro que não consegui rs. Pensei, deve ter acontecido algo esses dias que não acessei, vou esperar um pouco e depois volto. Hoje me deparo com esse texto maravilhoso Sally, você disse tudo que sempre passou pela minha cabeça com tanta precisão que nem tem o que acrescentar. Faz uns dois/três anos que leio o Desfavor e toda vez perco o dia do troll, esse é o primeiro ano que caio, sem dúvida foi uma experiência e tanto!

  • Há muito tempo atrás (em meados de 2013, acho), eu tinha feito uma mera pesquisa no google sobre o filme Os intocáveis, uma tragicomédia sensível e de inteligência apurada que me impactou profundamente. E eu caí de supetão em uma excelente crítica desfavoriana a essa verdadeira obra-prima do cinema francês. Cada palavra desse texto da Sally me encantou com seu humor cortante, com seu exímio poder de análise, com sua argumentação certeira, desprovida de firulas e rodeios. Aquele fatídico texto me deixou perplexa por semanas. Na noite seguinte, em um momento de insônia, eu acessei o blog novamente e li um artigo, depois outro artigo e mais outro e mais outro… eu fiquei lendo freneticamente tudo o que encontrava por essas bandas, e só parei quando meus olhos não aguentavam mais ficar abertos e finalmente fizeram a passagem pro mundo inerte do sono. Desde então, passei a ler o blog todo santo dia (ou quase isso). Vocês viraram meu maior refúgio virtual em uma cidade chata, tacanha, violenta, desinteressante e extremamente polarizada, onde marmanjos de 30 anos deixam de falar com seus amigos de infância por meras divergências políticas no facebook. Eu aprendi coisas por aqui que me auxiliaram em um momento muito crítico da minha vida, e embora eu não concorde com todas as opiniões dos autores, sempre foi um deleite poder ter acesso à engenhosidade dessas duas mentes tão intelectualmente estimulantes.

    Até que um dia, depois de uma semana (quase) sem internet, eu resolvi entrar aqui para me atualizar e dei de cara com aquele maldito teste de QI. Resolvi a merda toda, acho que errei duas questões no máximo, e mesmo assim não consegui entrar. Fiquei arrasada por ter sido expulsa e fui choramingar com um amigo, que teve a ideia de checar o código-fonte da página, o que deixou óbvia a trolagem. Suspirei aliviada, afinal eu não era tão retardada assim, mas nem me ocorreu que fosse o dia do troll, afinal eu nunca lembraria dessa data mesmo. O que eu pensei foi que vocês tinham virado uma espécie de seita, distribuíram a senha apenas entre os membros e colocaram o teste lá só pra gastar o tempo dos que não foram selecionados, só para trolar. Ainda bem que eu estava redondamente enganada. Ufa.

    Não sei se vocês fazem ideia do quanto este blog significa pra mim e para muitas outras pessoas. Mas queria deixar minha gratidão por todos esses anos registrada aqui. Que bom que foi só uma brincadeira (genial, diga-se de passagem) e que o meu esconderijo virtual favorito ainda continua intacto!

    • Poxa Max, fiquei muito feliz ao ler seu comentário! A recíproca é verdadeira, nós também aprendemos com vocês, vocês nos ajudam muito e são muito importantes para a gente. Eu sempre digo que a melhor parte do desfavor é a troca com as pessoas, seja por comentário, por e-mail ou até ao vivo. Meus melhores amigos na vida real eu acabei conhecendo via Desfavor.

      Fica tranquila que nosso propósito é divulgar conteúdo, de uma forma alternativa, diferente do que é dito por aí. Jamais fecharíamos o blog para uma “elite” intelectual, na qual, francamente, nem acreditamos.

  • Mil risadas e xingamentos. Puta merda, cheguei a falar com outra amiga minha (Também leitora do blog. Eu que apresentei. Mereço os louros, né?!!). Depois de algumas tentativas, saquei que era dia do troll, mas nem me ocorreu de tentar a senha.

    Bem engenhosos, hein?!

    • Que bom que você percebeu que o teste não era sério, Bárbara. Agora fiquei com medo de alguém ter acreditado, desistido do Desfavor e nunca mais voltar aqui.
      E parabéns por não tratar o Desfavor como uma maçonaria, tem que apresentar para quem você acha que vai gostar mesmo!

  • Alessandro Santos

    Tentei 3 vezes, depois abri o código da página e vi que não tinha nenhum JS relacionado com o formulário, saquei que era brincadeira e resolvi esperar.

  • Eu fiz o teste umas duas vezes, e aí já achei que era alguma sacanagem mesmo e resolvi esperar pelo dia seguinte. Parabéns pela excelente brincadeira e pelo texto sensacional!

  • Te amo, Sally! Sabia que não tomaria esse bloqueio em vão, hahahaha. <3
    Fiz o teste uma vez e quando não abriu, pensei "aí tem truta". Não pensei no dia do troll, não lembrava msm (desfavorecida desnaturada detected! hahaha), então nem arrisquei chutar uma senha… Também não esquentei a cabeça. Tinha certeza que não ia acabar naquilo ali, sem mais, nem menos. Desisti de tentar qualquer outra coisa pra entrar aqui hoje e ver no que ia dar.
    Mais de uma década de história, ao menos um pouquinho eu conheço desse país, poxa vida!
    Obrigada por manter nosso respiradouro cerebral aberto e com ótimo conteúdo. Vc também, viu Somir? Vc é chato pra caralho, mas é cúmplice, então está no pacote junto com a Sally <3
    Feliz dia do troll à todos =D

    • Vani, maravilhoso que, apesar das “evidências”, você tenha acreditado na sua sabedoria, na sua intuição e tenha ido dormir com a certeza de que aquilo não poderia ser real! Feliz dia do Troll!

  • Não lembrei do Dia do Troll, mas imediatamente pensei que o teste de QI era pra dar um choque de realidade nos pseudo intelectuais que até anteontem queriam barrar os burros aqui. Fiz o teste algumas vezes, e desisti. Sabia que hoje teria a explicação para tudo.

    • Que bom, sinal que você sabe a verdadeira essência do Desfavor. Jamais faríamos uma coisa assim de verdade! Muito bacana que você tenha sentido algo totalmente contrário às evidências e tenha optado por acreditar no que você estava sentindo!

    • Não precisava tirar os espaços. A senha entrava com ou sem espaços. A senha certa era sem espaço, mas liberamos a outra opção também.

  • Nem sabia que tinha isso de dia do Troll…. taí uma coisa nova que aprendi….

    E eu já estava me sentindo a burra….. Pô, depois da gorda de biquíni vocês ainda me fazer achar que fiquei burra…. tão trabalhando para me traumatizar mesmo.

  • Com todo o respeito a vocês, minha posição foi simplesmente desistir de fazer qualquer teste de imediato, e me preparar para não passar mais por estas bandas tão cedo. Nem sabia do tal “dia do Troll” – e talvez venha a me esquecer dele no próximo 17/04, considerando-se minha memória seletiva – mas o que me veio à cabeça foi: “se alguém pensa que o conteúdo é tão relevante que precise de uma trava ridícula para ser acessada, então lamento por eles, que fazem um trabalho ótimo, mas não poderei perder mais tempo com isso”.

    O engraçado é que, ao descobrir o dia do Troll, me considerei um estúpido por ter caído na brincadeira – só para, depois, constatar que abandonar algo impossível e sem noção era a medida mais inteligente e sensata que poderia ter tomado naquela hora. Vergonha, e orgulho, ao mesmo tempo.

    Feliz dia do Troll, portanto… vamos ver se caio nessa no ano que vem… rs…

  • Eu percebi que havia algo errado ao ver o resultado. Ficou claro que era uma pegadinha, mas como nunca ouvi sobre esse Dia do troll não tinha como saber a senha.

    • É, você não tinha ferramentas para saber. Mas que bom que você percebeu a desconexão desse teste de QI com o Desfavor! Já mostra que você não está engolindo tudo sem questionar!

  • Parabéns pela trolada! A cada ano vocês se superam, mas esta foi, de longe, a melhor. E ainda veio uma bela lição de vida de brinde, pela qual eu agradeço…

  • Hahahahhahaahah
    Sério… não tenho palavras pra como estou me sentindo agora. Acho que a definição de TROUXA no dicionário deveria ser minha cara nesse momento!!! hahahaha pelo visto fui a única criatura a mandar un EMAIL pra Sally CHORANDO que não estava passando nesse teste dos infernos (que alias acertei tudo pqp)!!! Tenho certeza que vc riu muito da minha cara né? Eu riria hahahaha
    Mais tarde volto pra comentar o texto, preciso me recuperar da minha vergonha de mim meama Hahahah vocês são geniais

    • Amanda, muita gente me mandou e-mail ontem, todos muito parecidos com o seu.

      É aprendizado. Se você tirou algum aprendizado disso, tá valendo!

  • Christiane Smith

    Pomba!!!!! Eu ja ia pedir pro meu marido inteligentinho pra resolver pra mim, porque eu nao quero ficar cheia de rugas e morrer seca em frente ao computador tentando resolver as questoes……

  • Pra mim funcionou “dia do troll” com espaços, e não sem espaços como diz o texto. (Não tenho como esquecer essa data, é meu aniversário.)

  • Eu até cheguei a fazer o teste, mas daí depois que vi que não passei, pensei, waat? Tem algo errado? Fiz uma 2a e uma 3a vez e só depois lembrei, bateu aquele clique “weeepa, é dia o troll, não?”. Sim, eu confesso, demorei um pouco pra pegar, mas…

    Mas por um breve momento desconfiei mesmo que Sally e Somir teriam fechado o blog, ainda mais depois das discussões do texto de segunda feira. Até pensei, “pouts, fodeu! E se não passei num teste de QI será que to tão ruim assim? Mas peraí, esse teste avalia conhecimento lógico espacial/matemático. Eu posso não ser tão bom nisso mas o sou em outras áreas. Será que vou ter que mandar um email pra sally dizendo pra me liberar uma senha porque sou membro ‘das antigas’ e que essa forma de avaliação era injusta?”

  • Lembrei do dia do Troll mas não tinha certeza que dia era. Chamei o Marido (que não é impopular) pra conferir comigo, e ele quem me disse que era zoeira.

    Não ia conseguir viver sem o Desfavor!

  • Leane Lorguetie

    Ufa! Consegui!
    Fiquei muito triste, mas lembrei do dia do troll depois de fazer o teste e não conseguir entrar.
    Adorei, para mim foi o melhor de todos os anos.
    Feliz dia do Troll !

    • Parabéns, Leane!

      Você conseguiu romper com o padrão que tentamos impor: para acessar o blog tem que passar no teste. Você questionou, você não aceitou a ordem e zerou o jogo.

      Feliz dia do troll!

  • A primeira vez que tive contato com o dia do troll foi quando vcs fecharam o blog e propuseram que o conteúdo do desfavor seria pago. Tinha até um cadastro acho que para ser avisado sobre como assinar o blog. Lembro que na época eu até fiquei com a pulga atrás da orelha por conta do cadastro, mas acabei caindo feito uma pata na trollagem de vcs.

    Desde esse dia que algo ficou gravado na minha cabeça: vcs não vão fechar o conteúdo do blog para um grupinho restrito. Por isso eu nem cheguei a fazer o teste, na hora já saquei que era dia troll.

    Não digo que não possa cair em trollagens futuras, mas uma coisa que o desfavor me ensinou foi a sempre questionar a informação que está sendo passada, me ajudou (de verdade) a apurar meu senso crítico.

    • Parabéns, Alanna!

      Você entendeu a essência do Desfavor e detectou algo totalmente incompatível de cara! Quem continua no medo sempre vai cair nessas pegadinhas, pois é uma confirmação para o que o cérebro pensava: “tá vendo? Eu sabia que mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer e eles iam fechar o blog”.

      Feliz Dia do Troll!

  • Hahahah, demorei para descobrir que era dia do troll. Fiz o questionário umas cinco vezes conferindo as respostas antes de mandar, mudei de computador para descartar erro no navegador, copiei e colei as perguntas no Google para ver se não estava dando alguma resposta errada e… nada dava certo!
    Foi quando pensei, “…não é possível, será que eles erraram o gabarito? Não estão trollando a gente igual daquela vez das fotos?” … Aí que me deu o estalo de verificar quando era o Dia do Troll!…

    • Parabéns, Binho!

      Você tinha uma certeza, mas conseguiu rever essa certeza. Isso é algo extremamente difícil, requer uma maleabilidade que muita gente está deixando de ter.

      Feliz dia do troll!

  • No meio do teste lembrei que era dia do troll, mas resolvi terminar antes de tentar por ter achado divertido de fazer. Ia tentar feliz dia do troll, mas me ocorreu tentar só diadotroll primeiro. Funcionou.
    Concordo 100% com seu texto, Sally. A forma que retemos e usamos as informações conta muito mais do que meramente ter acesso a elas. Isso todo mundo tem. Mas criatividade e adaptabilidade para solucionar problemas com o mesmo conhecimento, nem sempre. Esta é uma habilidade que quero aperfeiçoar cada vez mais.

    • Parabéns, Paula!

      Só de você ter conseguido entrar já mostra que você está no caminho certo. Suas conexões mentais estão espertinhas!

  • Confesso que tentei fazer o teste algumas vezes e não consegui, até pensei em desistir, rsrs… mas parei pra pensar e vi que não tinha sentido isso.

    Até porque a Sally jamais iria elitizar o Desfavor desta forma, ainda mais com base em um método de avaliação tão batido, não é mesmo?

    Incrível como todo ano vocês se superam nessas trolladas! Parabéns pela criatividade.

    • Parabéns, Letícia!

      Pois é, totalmente descabido, jamais faria nada nem parecido com isso. Não faz sentido fazer conteúdo público para fornecer informação e depois ficar restringindo a informação. Não bate com a premissa do Desfavor.

  • Eu sabia q era Dia do Troll e ao me deparar com o teste tive a quase certeza de q era uma pegadinha. Ao nao passar no teste, tive certeza, mas nao pensei em tentar uma senha.
    Eu iria esperar pelo desfecho da pegadinha amanhã, mas tive um estalo no almoço. Se é Dia do Troll a senha pode ser diadotroll.
    De qquer maneira gostaria de ver o gabarito do teste.
    E parabéns pela trollagem!! Foi sensacional!!

    • Parabéns, LF!

      O cérebro é um grande parceiro, mesmo quando a gente acha que não, ele está pensando, trabalhando e tentando ajudar. De tempos em tempos ele joga esses recados. Que bom que você ouviu, sinal de que você está atenta ao que quer que seja que esteja “falando” com você. Chame inconsciente, chame cérebro, chame como quiser, você soube ouvir.

      Vou pedir para o Somir colocar o gabarito a partir de amanhã.

        • Parabéns, DSVS!

          Além de perceber o que estava acontecendo, você conseguiu fazer o link e depreender a senha.

          Certeza que amanhã, quando abrirmos o blog novamente, muita gente vai dizer que sabia que era Dia do Troll mas nem pensou em usar a informação como senha…

  • Jacob Burckhardt

    Parabéns pela Trollada! Caí que nem um pato. Tentei fazer o teste e tudo, só depois me caiu a ficha. Fui conferir a data no arquivo txt que preparei ano passado pra enviar para a Trollada do “Ei, você!” de 2017 (que também caí!) Tava lá: arquivo criado em 16/04/17.

    Tentei “Troll” e depois “Dia do Troll”. Quando a página abriu, parecia que tinha achado o bilhete do Willy Wonka.

    Mas então? Rola umas respostas do teste de QI? Meu ego curtiu isso!

    • Parabéns, Jacob!

      Curioso o seu caminho, teve até pesquisa! Você correu atras da informação e soube como usá-la.

      Vou pedir para o Somir divulgar o gabarito desse teste de QI.

  • Hahaha eu nem fiz o teste. Já sabia disso e mandei logo a senha. Pelo menos vcs não esqueceram igual da outra vez pra pagar free hugs.

  • Acho que as coisas são complementares. A vivência sem o conhecimento teórico me faz crer que a Terra é plana e é o centro do Universo, por que é isso que os meus sentidos e minha experiência conseguem captar. Ao mesmo tempo, o conhecimento teórico sem a vivência é – na no feliz exemplo trazido – tentar dirigir um carro lendo o manual de instruções.
    Concordo com a ideia central do texto, num mundo em que o conhecimento da humanidade está todo disponível no bolso de cada um, o que conta não é ser um bom operador dessa “máquina do conhecimento”. Saber muito bem que botão faz o que e qual manivela puxar. O que vale é ser engenheiro do conhecimento, saber o que fazer quando a máquina der defeito e mais, saber desmontar, remontar e, por que não, construir máquinas novas.
    Feliz dia do Troll!

    • Exatamente. Na era pré-internet, quem tinha acesso a conhecimento reinava e levava vantagem. Hoje o conhecimento está disponível para todos, logo, a nova inteligência não é ter o conhecimento e sim saber como utilizá-lo estrategicamente.
      Feliz dia do troll!

  • A princípio tinha achado o teste meio esquisito, e mesmo assim fui respondendo. Mas quando não consegui entrar, já desconfiei da trollada rsrs

    Feliz dia do troll! :D

  • Aeeee Carai!!
    Hahahaha…ótima trollada, caí fazendo o teste 2x, aí me toquei que dia é hoje…Aguardando ansiomente pelas desculpas do povo amanhã…

  • Aeeee!! Entrei!
    Tive que tentar 3 senhas até pensar na senha sem espaços *emoji revirando os olhos*

    Hahaha!! Foi ótimo! E eu juro que entrei em pânico com o psicotécnico de escola de motorista quando entrei no blog! Mas ainda acho que deveria ter um texto fake pra quem acertasse o teste! O bloqueio vai fazer as pessoas pensarem no dia do troll mais fácil!

    (Palavra de quem caiu em TODOS os anos)

    “são dez anos fazendo uma pegadinha todo 17 de abril, né?”
    Menos ano passado, né??

    • Vamos ver o que os nazistas da inteligência sentem sendo barrados por seus próprios critérios.
      Parabéns por ter entrado, Nanda! Perceber que era dia do troll não matava o problema. Você foi proativa, arriscou, soube o que fazer com a informação que tinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: