Alguns devem se lembrar do atentado acontecido em Toronto, no final do mês passado. Um homem pegou uma van e arremessou contra uma multidão, matando dez pessoas. Como as autoridades ainda estavam na dúvida se era um ataque de muçulmanos, pareceu que a van tinha atacado sozinha… mas, ao perceberem que era um homem branco sem conexões com a “religião da paz”, as informações voltaram a fluir. E o descoberto consegue ser ainda mais bizarro que matar pessoas por um ser imaginário… cidadão fez o que fez porque ninguém queria fazer sexo com ele. Hoje falamos dos incels.

Sim, muita informação no primeiro parágrafo… permitam-me estabelecer melhor: numa postagem do assassino no Facebook antes do atentado, ele mencionava de uma forma meio assustadora e meio debochada que iria se vingar dos Chads e das Stacies desse mundo, começando a “revolução incel” em homenagem ao “cavalheiro supremo”. Continua não entendendo nada? Então vamos explicar tudo com mais calma, eu acho que vai ser uma experiência merda para todos nós.

Pra começo de conversa… incel. O que é isso? Bom, imagine um homem que não consegue pegar mulher de jeito nenhum. Um verdadeiro fracasso com o sexo oposto. Imaginou? Bom, ainda não é isso. É a base da coisa, mas é bem pior. Por uma série de motivos que vão desde padrões irreais de beleza no sexo oposto até desleixo, desânimo ou falta de noções básicas de vida em sociedade, existem sim vários homens por aí que simplesmente não conseguem nem um caso eventual com uma mulher. O que é um problema, mas até aí, mais pra eles mesmos. Vários desses elementos continuam tentando até conseguir alguma coisa, seja por resolverem os problemas que os impedem de ter sucesso, seja por pura teimosia até uma mulher finalmente topar nos termos deles. Poderíamos passar um texto inteiro só falando sobre os problemas dessa raça, mas… como eu disse antes, é bem pior.

Imagine agora que alguns desses incompetentes com o sexo oposto – ao invés de tentarem achar alguma solução para o seu problema (ou mesmo se enfiar num canto longe dos outros) – resolve pegar toda essa frustração e colocá-la ao serviço da vitimização raivosa… chegamos aos incels. Incel é uma corruptela de “Involuntary Celibate”, ou, em português, Celibatários Involuntários. Pessoas que não fazem sexo mesmo querendo fazer sexo. Era mais fácil dizer que “não pegam ninguém”, mas a mente que se permite categorizar dessa forma tem dos seus atalhos: para o incel, não é que eles falham em conseguir sexo das mulheres, é que o mundo é muito injusto com eles apesar de seus melhores esforços.

Por isso que eu fiz todo esse caminho para chegar nesse termo. Quando você ler sobre isso em outro lugar, fique muito esperto(a) com a categorização fácil que os estagiários de jornalismo vão querer usar. O incel é muito mais do que um homem que não consegue fazer sexo, é uma pessoa que internalizou isso como regra universal da humanidade e se sente uma vítima da sociedade. Para esse cidadão, as mulheres não querem ele porque são muito fúteis, burras ou interesseiras. O problema para eles está pra fora. Eu torço para que você que está lendo já tenha sacado para onde eu vou, mas caso não tenha percebido ainda (ninguém é obrigado…), tenha em mente COMO é importante entender que o incel não é só o homem que não consegue sexo. Guardou a informação? Ótimo.

Vamos falar agora dos Chads e das Stacies citadas naquele manifesto de Facebook. Os incels começaram a se encontrar por causa da internet. Se tem uma coisa que a grande rede faz bem é dar pontos focais para as pessoas mais piradas possíveis. Recentemente o Reddit (o maior fórum público da internet) fechou a página dos incels, onde congregavam e destilavam sua vitimização raivosa por anos. Mas, esse era longe de ser o único lugar onde trocavam (falta de) experiências e ideias. Estão todos por aí ainda, só um pouco mais dispersos.

Com o senso de grupo, os incels foram criando suas próprias gírias. “Chad” é um homem que consegue fazer sexo, normalmente tratados como machos-alfa nas memes, mas pra efeitos práticos, qualquer homem que não seja um completo fracasso no campo amoroso já acabava com essa alcunha. “Stacy” é uma mulher normal. Novamente caracterizadas como ninfomaníacas sem cérebro nas memes, mas na prática qualquer uma que não fosse virgem poderia se encaixar ali. Basicamente, a forma com a qual se referem a não-incels, os “normies” (apelido para pessoas normais).

Na mitologia incel, as Stacies os rejeitam porque eles são feios demais, pobres demais, ou o clássico bonzinhos demais. Se as Stacies fossem menos fúteis, interesseiras ou malucas, estariam dando pra eles e não para os Chads. Que jogue a primeira pedra quem em um momento de desilusão amorosa não criticou o sexo oposto inteiro (“homem/mulher é tudo igual”), mas a maioria das pessoas acaba lidando com isso e partindo para outra. Os incels não fazem esse caminho, ficam presos num ciclo vicioso de desprezar as mulheres até algo finalmente quebrar e começarem a achar que a culpa é de metade da população mundial, mas nunca deles.

Muitos desses incels mais fanáticos começam a realmente achar que as mulheres DEVEM sexo para eles. Que tem que explodir a estrutura social vigente para fazê-las finalmente enxergarem seus atrativos. Se você acha isso bizarro, será que percebeu outra coisa pior ainda? Eu não estou falando de relacionamentos, eu estou falando de sexo esse tempo todo. O próprio nome do movimento sugere essa distorção: por que não se chamam de solitários involuntários? Ainda é loser, mas daria mais simpatia. Com o sentimento de solidão conseguimos nos identificar melhor. No fundo a maioria de nós acredita que é escroto alguém nunca conseguir uma companhia.

Mas o movimento chama celibatários involuntários. Ao invés de dizer para o mundo que só queriam ter uma namorada, estão dizendo que só queriam um buraco molhado. Claramente estamos lidando com homens sem o menor bom senso na hora de atrair uma parceira. Mesmo que muitos digam fantasiar apenas com uma mulher para ficar junto, toda a mentalidade e terminologia indicam o lado puramente sexual. Aí a coisa azeda de vez. Não só estão reclamando da falta de atenção das mulheres como estão focando justamente no que deixa a maioria puta da vida: não o sexo em si, mas a cara de pau de achar que elas devem alguma coisa para os homens nesse sentido. As coisas nessa vida dependem muito da troca entre as pessoas.

Ainda pior que as ideias distorcidas dessas pessoas é o caminho que trilham, um que os afasta ainda mais do seu suposto objetivo. Muitos incels não fazem nem o básico de tentar encantar alguma mulher. Aliás, pelas minhas andanças em lugares escuros da internet, sei que existem muitos deles que mal saem de casa ou fazem coisas óbvias como ter um trabalho. E aí, a ferida aberta fica infectada. A raiva só aumenta e as atitudes contrárias ao que diminuiria sua raiva ficam mais e mais comuns.

E agora chegamos ao “cavalheiro supremo”, um moleque escroto chamado Elliot Rodgers que matou várias pessoas num surto de raiva por ser virgem e não conseguir nem um encontro com uma mulher. E se você acha que Elliot era um gordo escroto perdedor, era um jovem bem apessoado e muito bem de vida, só que incapaz de ter contato humano decente. Na cabecinha distorcida dele, as mulheres eram culpadas. Ele foi incel antes de existir o grupo dos incels, por isso muitos o consideram um herói. Aqui eu deveria dizer que nesse mundo de comunidades online, ainda mais com homens desse tipo, a ironia come solta e a maioria absoluta das coisas bizarras que você vai ler pendem mais para humor autodepreciativo de mau gosto do que ideias verdadeiras, mas isso é uma peculiaridade muito difícil de reconhecer. Portanto, vamos ficar com o mais simples: a maioria late, mas pouquíssimos mordem.

Elliot mordeu. O maluco de Toronto também. A merda aqui é que quando o movimento tem nome e lugar para se encontrar, fatalmente os malucos que realmente estão dispostos a matar ou morrer por essa mentalidade podre acreditam estar em boa companhia. A questão mais complicada aqui é que homens tendem a ser mais agressivos fisicamente. Os incels, por serem um grupo avassaladoramente masculino, tendem a ter mais membros dispostos a fazer esse tipo de atentado. Até porque é difícil imaginar uma mulher tendo a mesma mentalidade incel. Mulher encalhada é encalhada em termos… normalmente está mais relacionado a namoro e casamento do que propriamente incapacidade de conseguir sexo.

Se tivéssemos um movimento parecido de mulheres incapazes de gerar e manter relacionamentos culpando os homens muito superficiais e as mulheres “traidoras” que ficam usando sua sexualidade para roubar esses homens delas, não chamaria incel. Talvez encalhadas involuntárias… e essas mulheres dificilmente cometeriam atentados. Não que mulheres sejam incapazes de violência, mas tendem a buscar outras vias ou quando vão para esse lado, costumam atacar mais dentro de casa ou num parceiro próximo. Na média, eu aposto que as incels femininas teriam a mesma tendência de culpar todo mundo menos elas por seus problemas amorosos. Seria um problema social! Não são elas, são os outros! Elas deveriam ter o direito de serem amadas como são e os homens seriam escrotos dignos de expulsão da sociedade (para um ser tão social como a mulher, isso é quase a morte), do trabalho e das suas relações. Sim, eu acredito que se as mulheres fossem tão perdedoras quanto os homens nessa coisa de acreditar que o sexo oposto DEVE alguma coisa para elas mesmo não dando nada em troca do que eles querem, teríamos um grupo de incels femininas causando diversos problemas na sociedade. Assustador.

Ah, lembra daquela informação que eu pedi pra você guardar na memória lá no meio do texto? É muito importante entender que incels não são só homens que não conseguem sexo. Incels surgem de uma mentalidade distorcida e mimada na relação com outros seres humanos. Todo mundo pode ser um fracasso em relações amorosas, mesmo que por alguns períodos de tempo, mas precisa de uma cabecinha bem torta para colocar toda sua identidade ao redor disso e punir as outras pessoas por não te darem o que você cismou que merece, perdendo completamente a noção do que fazem homens e mulheres se atraírem pra começo de conversa.

Bom, por sorte as mulheres ainda não caíram nessa de incel. Menos mal, certo?

Certo?

Para dizer que ainda não entendeu, para dizer que só vai rir dos virgens mesmo, ou mesmo para dizer que é incel, mas só para modelos: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (31)

  • Acho que minha irmã é uma incel. È maltratada e solitária desde criança. Meio que como o “O CASAMENTO GREGO”!

  • ” Ele foi incel antes de existir o grupo dos incels(…)” Na verdade esse conceito já existia tempos antes de Elliot ter feito a tragédia, ele escreveu que era um em seu manifesto. No Brasil, lá pra 2011, 2012, quando comecei a ler blogs “masculinistas” os caras já usavam esse termo.

  • Já é um porre homem que oferece bebida, é gentil ou qlq outra coisa e acha que deve receber sexo em troca imagina esses que nem oferecem nada e acham que ´merecem´ alguma coisa.

  • Pela lógica desse povo, o cara que fez esse atentado vai conseguir o que queria tendo muitas admiradoras porque “mulheres gostam de bad boys marginais”.

  • Eis que surge mais um grupo vítima da famosa “pressão da sociedade”.
    Pode até ser que haja uma pressão para fazer sexo, mas creio eu que todo mundo já deve ter sentido pressão social alguma vez na vida, pois ninguém é 100% padrão. E estamos todos aqui, vivos.
    Se essas gerações mais novas soubessem o quanto é libertador tacar o foda-se para certas coisas…

  • Innen Wahrheit

    “Todo mundo pode ser um fracasso em relações amorosas, mesmo que por alguns períodos de tempo, mas precisa de uma cabecinha bem torta para colocar toda sua identidade ao redor disso e punir as outras pessoas por não te darem o que você cismou que merece, perdendo completamente a noção do que fazem homens e mulheres se atraírem pra começo de conversa.”

    Há quem se refira ao ativismo gay da mesma forma…

  • Será que eles pelo menos pegam uma garota de programa de vez em quando ou são tão disfuncionais que nem isso conseguem?

    Não me entra na cabeça alguém ficar tão surtado por causa de falta de sexo.

  • Vamos zoar enquanto ainda podemos, daqui a pouco piadas sobre virgens serão vistas como preconceito, e teremos mais um grupo de minorias enchendo o saco por serem “excluídas da sociedade”.

  • Eu até vi alguns auto declarados incel que são só introvertidos inseguros que queriam um relacionamento sério, mas grande parte é maluco que cogita até estuprar mulheres só pra perder o status de virgem.

    Mas ainda dá pra fazer uma análise mais sociológica. Incels podem ser frutos dessa cultura da super sexualização e relacionamentos rasos que está em vigor no Ocidente. O que, na minha opinião, parece ser tão danosa quanto uma cultura moralista onde até um beijo é reprimido. Quando várias pessoas pensam, ainda que não ajam, em cometer crimes só pra poder dizer que não é mais virgem, será que o problema está só nelas? Será que são mesmo só uns malucos mimados?
    Aliás, será que o Ocidente é realmente essa grande orgia que gosta fazer parecer? Os milenials cresceram numa época de grande liberdade e são bombardeados de “propaganda sexual” cada vez mais cedo, mas são a geração que menos faz sexo.

    • Na boa? Culpar o meio é uma cretinice que o ser humano faz desde que o mundo é mundo. Pessoas mentalmente saudáveis sabem filtrar o que o meio impõe. Não existem vítimas, nós somos responsáveis por nossa realidade.

    • “Eu até vi alguns auto declarados incel que são só introvertidos inseguros que queriam um relacionamento sério, mas grande parte é maluco que cogita até estuprar mulheres só pra perder o status de virgem.”

      Opa, esse sou eu. O Somir tá definindo Incel como “celbatario involuntario” + “mentalidade de ódio”. Eu sempre sigo a definição literal mesmo, que é só a parte do celibatario. Alias, nem sei mais se sou um incel ou só um “solitário involuntário” como o Somir falou, pois apesar de bater uma solidão às vezes, eu não tenho mais essa pira de ficar louco por sexo ou correr atrás de mulher, meio que já desisti de todo esse “jogo” de conquista e relacionamentos e fico só na minha.

      “Mas ainda dá pra fazer uma análise mais sociológica. Incels podem ser frutos dessa cultura da super sexualização e relacionamentos rasos que está em vigor no Ocidente.”

      Acho que a mídia tem um papel enorme nisso. A maioria esmagadora de obras de ficção – filmes, seriados, livros, etc – possui algum tipo de par romântico, por mais forçado e desnecessário que seja. Sendo ficção, é tudo mostrado do jeito mais idealista possivel. Nice Guys existem porque cresceram com essa estimulo e mentalidade idealista. Em muitos casos na ficção, não é como se o protagonista tivesse feito muita coisa pra conquistar a mocinha. Ele só foi…ele mesmo, que aliás é um conselho horrível pra ser seguido na íntegra no mundo real, se você quiser conquistar alguém. Aí um cara cresce sendo bombardeado por esse tipo de coisa, conscientemente ou não ele toma aquilo como verdade, dá de cara com fracasso atrás de fracasso (porque a gente sabe que a vida não é um filme da Disney) e fica frustrado porque ele só ta fazendo o que ele viu sendo feito ao redor dele a vida toda: “ser legal”.

      • Acho que a mídia tem um papel enorme nisso. A maioria esmagadora de obras de ficção – filmes, seriados, livros, etc – possui algum tipo de par romântico, por mais forçado e desnecessário que seja.

        *Aplaudindo ainda mais*

        Com certeza !

        …E eu me sentia praticamente sozinho em ter esse (sub)tipo de conclusão…

      • Que alívio ver gente que também está de saco cheio de romance e putaria sendo enfiados (ui!) em todo entretenimento. E olha que passo longe de ser do tipo moralista.
        Nem sei se é a idealização na mídia, pois a cultura ocidental atual se inverteu e agora é “super moderna e afrontosa”, que dá mais valor a pegação sem compromisso e tenta desmerecer gente “antiquada e reaça” que simplesmente queria um relacionamento estável com uma pessoa só. Admito que me incluo neste último grupo. Mas já desencanei, não sinto falta de sexo e tenho uma mentalidade romântica (ou imatura) demais, que está deslocada da realidade atual e com certeza me faria quebrar a cara.

  • Que doideira, Somir… Fulaninho não sai de casa, não arranja emprego, não se cuida, não vira homem de verdade e, por isso, não come ninguém. Mas em vez de admitir ser um merda e tentar melhorar, o Zé Ruela fica com raivinha do mundo e acha que tem que “explodir a estrutura social vigente” pras mulheres os notarem e querer dar pra eles? E ainda por cima tem uns mais pirados que acabam surtando e saem mesmo tocando o zaralho pelo mundo? Puta que pariu… E o pior sobre esses infelizes é que, como você mesmo disse: “Ao invés de dizer para o mundo que só queriam ter uma namorada, estão dizendo que só queriam um buraco molhado”. Pra mim, isso já é levar o famoso “pensar só com a cabeça de baixo” a um outro nível…

  • Mais um rótulo… Mais um grupinho de gente problemática que acha que o mundo lhes deve alguma coisa… Mais uma cambada de fodidos se reunindo na internet pra choramingar… Já deu, né?

  • Aqui tem uns desses…

    Sabe o que eu acho mais grave? Ao se dar nome, se cria uma espécie de seita e muita gente que nem ao menos se sentia assim adere só para ter a sensação de pertinência. Aí começam a cultivar de fora para dentro esse sentimento.

    Obs: na minha opinião, esse feminismo femista é a versão feminina deles

  • “(…) precisa de uma cabecinha bem torta para colocar toda sua identidade ao redor disso e punir as outras pessoas por não te darem o que você cismou que merece (…)”

    Aquelas ONGs europeias que proporcionam sexo para deficientes não poderiam atender esse público também?

    • Acho mais provável os incels recusarem, a maioria deles com certeza bate punheta pra personagem de anime e videogame e acha que mulheres reais tem que ser o espelho da sua personagem favorita.

      • “(…) a maioria deles com certeza bate punheta pra personagem de anime e videogame e acha que mulheres reais tem que ser o espelho da sua personagem favorita.” Não duvido.

      • Lembrei agora: não tem por aí uns asiáticos esquisitões que até “casam” com esses personagens? Olha aí dois exemplos de “casamentos” com esses personagens, representados ou por uma estampa em um travesseiro: http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/0,,MUL1518522-6091,00-SULCOREANO+CASASE+COM+TRAVESSEIRO.html ou visível apenas através de óculos de realidade virtual: http://g1.globo.com/Noticias/Games/0,,MUL1392691-9666,00-JAPONES+SE+CASA+COM+PERSONAGEM+DE+VIDEOGAME+EM+CERIMONIA+NO+MUNDO+REAL.html
        Triste, não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: