Pessoas vem com bagagens, e uma delas aparece na forma de exes. Sally e Somir discordam sobre o grau de atenção que essas pessoas devem receber na defesa do relacionamento atual. Os impopulares mantém contato.

Tema de hoje: é necessário contar ao parceiro atual sobre qualquer contato com o ex?

SOMIR

Sim. E eu vou dar umas voltas (como de costume) antes de chegar no ponto. Tem um termo em inglês chamado “overengineering”, que é complicado de traduzir literalmente, mas significa desenvolver algo com muito mais durabilidade e funcionalidades do que o necessário. Por exemplo: os aquedutos romanos, usados para abastecer Roma com água, estão de pé até hoje, milhares de anos depois. Considerando que a necessidade do funcionamento deles acabou faz tempo, os arquitetos romanos realmente exageraram no projeto. Poderia ter sido feito de forma mais relaxada, mas resolveram pecar pelo excesso. Talvez se tivessem feito para durar um ou dois séculos no máximo (o mais eficiente), poderia ter desabado numa tempestade mais forte do que as previstas no projeto inicial e deixado Roma na mão…

Numa relação, um pouco de overengineering não vai mal. Porque apesar de uma relação saudável não precisar de tanta preocupação com concorrentes, às vezes as tempestades são mais fortes do que o previsto. Claro que eu entendo que exigir que sua namorada te avise sobre qualquer contato com ex-namorados é um gasto de energia acima do estritamente necessário, mas quem disse que exagerar um pouco no sentido da cautela é algo tão ruim assim?

Se acabou com a pessoa, quer dizer que não tem mais nenhum risco? Claro que não. Essa pessoa já entrou na vida da sua parceira atual em algum ponto, e se o fez, quer dizer que alguma coisa tinha que a cativava. Relacionamentos podem dar errado por uma série de motivos que não significam completa incompatibilidade pelo resto da vida. Tanto que no caso deste argumento, o ex está entrando em contato com sua namorada! A pessoa está achando uma brecha ali. Quer dizer que o ex está tentando reconquistar sua mulher? Não, claro que não. Em muitos casos, a pessoa nem quer isso. Mas, quem não está atento nem isso pode descobrir.

Melhor coisa é deixar tudo o que acontece claro e definido. Quando você avisa para sua namorada que quer saber sobre cada contato que tiver com ex-namorados dela, não deixa espaço para “mas eu não sabia!”. Se ela entrar em contato sem te avisar, não vai ter como relativizar na cabeça dela dizendo que ela não achava nada demais, você tirou essa decisão só das costas dela. Se a mulher achar um absurdo e não topar o acordo, vida que segue, você segue em frente e ela tem mais um ex. Ninguém é obrigado a seguir as regras de ninguém num relacionamento, viva a liberdade!

Vejam bem, não estou dizendo que é para proibir contato com ex-namorados, estou só dizendo que como atual, é mais seguro você ter o relatório completo desse tipo de ameaça. Uma pessoa bem informada não se assusta à toa, não tem crises de ciúmes por dúvidas, só reage à realidade. Se achar que o ex está vindo pra cima, totalmente justificado não querer mais que sua namorada tenha contato com essa pessoa. Se achar que é um contato inofensivo para sua relação, nenhum problema decorre disso.

E também mantém clara na cabeça da pessoa o significado daquilo. Muito mais fácil fingir que não é nada demais quando tem anuência do namorado para entrar em contato com o ex quando quiser. “Ah, mas ele não acha nada demais, então eu posso dar trela o quanto eu quiser…”. E numa trela dessas, acaba fazendo algo que te irrita profundamente e faz merda na relação. Não que eu esteja achando que cortar contato com ex evita traição. A mulher que quer trair vai trair, é impossível evitar. Mas tem muitas áreas cinzas de escrotice e falta de respeito que podem acontecer antes de uma traição que estragam a graça de um namoro.

Jamais confie no bom-senso alheio. Cada pessoa tem o seu, e o que te incomoda e te deixa chateado numa relação pode ser algo absolutamente normal para a outra pessoa. Com o aviso sobre contato com ex-namorados, sua mulher sabe que seu calo aperta aí e não tem sequer a ilusão que não tem nada demais. Sabe que dar trela ou não agir ativamente para cortar gracinhas deles vai te emputecer e vai poder escolher de livre e espontânea vontade fazer isso. Ninguém é obrigado a aceitar seus pedidos, mas ninguém é obrigado a ficar numa relação onde sua namorada faz algo que te deixa puto da vida.

Muito me admira Sally, que vive reclamando de homem não avisar as coisas pelo pouquíssimo trabalho que dá achar trabalhoso demais avisar também! Manda um emoji no Whats que seja, mas avisa. Não dá trabalho e gera mais felicidade na relação. Qual a dificuldade? Na dúvida, preocupe-se com quem se incomoda mais com a situação, não com um trabalho minúsculo que você vai ter para resolver o problema. Se quer ser mulher moderna e independente que não dá satisfação para ninguém, gatos são excelentes companhias. Estica o bracinho e manda uma mensagem quando o ex entrar em contato, porque das dificuldades de uma relação, essa é de longe uma das menores.

Se for inofensivo, não é melhor saber você mesmo? Dica pra vida: na dúvida, avisa.

Para me chamar de ridículo, para dizer que quando é homem que pede é muito trabalho sim, ou para dizer que eu vou para cadeia por opressão: somir@desfavor.com

SALLY

É necessário comunicar ao namorado cada vez que um ex entrar em contato?

Em um mundo ideal, um casal estabelece um “contrato” entre si onde decide estas regras mais ambíguas e evitam brigas, problemas e confusão. Casais bem estruturados conversam bastante e tem a capacidade de antever problemas desse tipo, traçando uma linha do que será ou não aceitável. Mas, quando nada foi conversado, quando se deixa a critério do senso comum, da regra geral, do socialmente aceitável, é preciso tomar esta decisão racional. E racionalmente falando, não acho que todo contato precise ser comunicado.

Não acho que seja necessário comunicar ao namorado cada vez que um ex entra em contato. Foco na palavra: NECESSÁRIO. Se quiser contar, conta. Se sentir que tem que contar, conta. Se o casal combinou de contar, conta. Mas reportar cada contato por obrigação? Não. Tem que ser por terem decidido assim, não por estarem obrigados.

Só há uma obrigação ética de contar se for um contato relevante, algo que afete de alguma forma o namoro atual, sem dúvidas deve ser conversado, mas se for um contato sem a menor relevância, me parece um desgaste desnecessário. Uma coisa é o ex ligar para dizer que ainda te ama, quer ficar com você e está indo na porta da sua casa te reconquistar, outra é o ex ligar para pedir o número de telefone do ortopedista que atendia vocês porque a mãe dele quebrou a perna. Não dá para colocar tudo no mesmo saco, né?

Por qual motivo uma pessoa desejaria ter ciência de todo e qualquer contato que o parceiro faça com a ex? Só se for por uma falsa ilusão de controle. O que você acha que vai poder fazer com essa informação? Solta o controle, gente bonita, pois a verdade é que não o temos, apenas achamos que o temos. Se você está com alguém, confie não apenas na pessoa, como no discernimento da pessoa de te conhecer e saber filtrar o que é importante que você saiba. Tá no começo de relacionamento e não conhece o outro direito? Beleza, erre para mais, conte tudo que você achar que pode trazer problemas. Mas conte por escolha, não por ser necessário, por ser obrigado a isso.

“Mas Sally, eu quero saber tudo que se passa com meu namorado”. Recomendo que reveja seu querer, pois além de ser uma missão impossível, seria inútil e extremamente cansativo. Se a pessoa quiser esconder algo de você, ela vai esconder algo de você, não importa o numero de informações que você demande. Se a pessoa não quiser esconder algo de você, ela vai contar por vontade própria, mesmo sem essa obrigação de avisar cada vez que ex entra em contato. Então, em resumo, tem que aprender a confiar no outro e aprender a escolher uma pessoa que seja correta.

Entendo que esse posicionamento que eu proponho implica em um risco: o da outra pessoa calcular mal, presumir errado, se enganar e omitir um contato que para você seria relevante. Isso realmente chateia, dá uma sensação de desconfiança e até de traição e deslealdade. Mas se espera que a pessoa que está com você se dê ao trabalho de te conhecer, de saber o que é relevante para você ou de, na dúvida, perguntar. Tá na dúvida? Pergunta, gente! Se nem isso a pessoa é capaz de fazer, francamente, é um grau de inconsciência muito grande, devolve pro mundo e procura outra pessoa em vez de ficar pedindo relatório de contatos.

Nem acho que o ponto relevante da questão seja saber se que a ex do seu namorado entrou em contato com ele e sim o que ele fez a esse respeito. Além disso, nem sempre é com a intenção de flertar, às vezes questões operacionais, burocráticas ou até formalidades necessárias são o motivo do contato.

Um exemplo: não faz muito tempo entrei em contato com um ex meu para pedir que retire de um meio público um vídeo onde fazíamos uma apresentação de dança juntos. Era um vídeo esquecido no tempo, que ele nem lembrava estar disponível, mas que por motivos que não convém explicar foi ganhando visualizações e aparecendo novamente. Na real, era um vídeo e que provavelmente traria problemas para ele também. Ele entendeu, concordou e apagou na mesma hora e o contato morreu ali. Eu realmente preciso participar alguém de uma burocracia dessas? Me soa falta de confiança cobrar isso de mim.

Qual é o próximo passo? Ter que contar cada vez que alguém dá em cima de mim? Ter que dizer quem pediu meu telefone na academia, quem me abordou no restaurante pedindo meu WhatsApp? Francamente, um inferno para ambos ter que viver assim, passando relatório de coisas que só machucam o outro, que só trazem incômodo. Pra que? Que projetinho masoquista, hein? Tô fora. Quer contar por vontade? Conta. TER QUE contar é doentio.

Se ex entrou em contato, o que eu espero de quem está comigo é que corte. Corte de forma firme, clara e direta. Sem deixar nada implícito, sem usar palavras bonitas, sem dar margem a dúvidas, sem deixar esperanças ou portas entreabertas. Se não o fizer, um dia eu vou saber, pois não é possível enganar outra pessoa o tempo todo. Quando eu souber, não vai ter conversa, vai ter sumiço.

Então, a escolha mais lógica é avaliar a ética do outro deixando ele decidir e não ficar o tempo todo controlando para que a pessoa não faça merda. Vai lá, ser livre, assim eu posso avaliar sua postura. Não tem valor uma pessoa que não faz algo por estar sendo vigiada. Nem valor nem utilidade, pois como já disse, quem quer fazer, faz.

E nem todo contato com ex é sobre querer ficar junto novamente. Existem ex que ficam amigos, existem ex que tem filhos em comum, existem ex que trabalham juntos. Há situações onde contato com ex é uma necessidade. Se incomoda tanto assim a ponto de pedir relatório, seria o caso de se perguntar se você deveria ter começado um relacionamento com essa pessoa. Você tem o sagrado direito de não segurar o rojão, mas não tem o direito de paunocuzar o outro com as suas inseguranças exigindo relatório diário.

Só quero saber o que é relevante, ou seja, contatos que me afetam. Contatos onde de alguma forma eu possa me sentir desrespeitada pela ex, onde o não saber possa volta no futuro e causar uma briga ou uma quebra de confiança. Coisa boba ficar rivalizando com ex. Olhem mais para o relacionamento de vocês e menos para ex.

Ex bom não é ex morto. Ex bom é ex que não está com a pessoa por ter exaurido de forma completa e bem resolvida a relação. Ex bom é aquele que te respeita e te quer bem. Ex bom é aquele que respeita seu relacionamento e não quer te causar problemas. Se seu ex não é assim, sugiro que não deixe um canal de contato aberto: bloqueie no celular, nas redes sociais e onde mais for possível. Melhor isso do que ter que passar relatório. A culpa não é só de quem faz, é de quem tolera que se fala também.

Para terminar, os deixo com uma reflexão: Será que o Somir avisa à namorada dele cada vez que nos falamos diariamente para tratar do Desfavor?

Para dizer que se for seu ex ligando não precisa avisar mas se for a ex do seu namorado tem que avisar na hora, para dizer que ex bom é ex gordo ou ainda para entrar em pânico por perceber que nunca discutiu esse assunto com seu namorado e ele pode estar fazendo avaliações erradas: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (6)

  • Pra mim não existe nenhuma espécie de ex. Não existe ex mulher, existe: alguém com quem um dia eu me relacionei. Do mesmo modo, não existe ex pai, ex filho, etc. Acabou, acabou, ponto.

  • Agora quero saber a resposta da pergunta final da Sally, Somir!!

    Concordo com a Sally! Acho que “ter que” é só se for combinado do casal!

    • Que mulher, em sã consciência, aceitaria que seu namorado fale diariamente com seu ex e tenha um hobbie em comum com ele que gera, além de horas de dedicação, um vínculo de décadas? Eu mesma não aceitaria. Duvido muito que o Somir fale. Se fala e a namorada aceita, um beijo na alma desta mulher bem resolvida!

  • Está aí um tema em que o posicionamento dos dois me surpreendeu!
    Sempre fui na linha de raciocínio da Sally, sendo até mais radical, pois achava que só o fato de ter cortado alguma tentativa de reconciliação já bastava e que contar seria provocar uma angústia desnecessária.
    Mas no atual relacionamento, me foi deixado claro que a pessoa prefere saber de qualquer contato. Cedi pelo bem da relação e até comecei a ver como uma cautela a mais mesmo.

    • O que o casal combina é soberano. Se tem um combinado entre o casal, então este texto tem que ser desconsiderado.

      Mas, como regra geral, se nada me foi pedido nem combinado, eu só levo o que realmente fizer diferença na vida do meu namorado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: