Glândula Pineal.

Ela é bem pequena, tem o tamanho de um caroço de laranja, e pesa menos que 0,1g. Mesmo assim, ela exerce um poder sobre nós que pode fazer toda a diferença em nossa qualidade de vida e até em percepções inexplicáveis. Muito debatida, causa de muitas especulações e controvérsias. Sim, ela merece um texto só para ela. Vamos analisar o que é ciência ou que é especulação e o que ninguém entende (ainda). Desfavor Explica: Glândula Pineal.

A Glândula Pineal se localiza bem no meio da nossa cabeça, “dentro” do cérebro, mais ou menos na altura dos nossos olhos. Ela fica perto do centro do cérebro (papo técnico:  epitálamo), entre os dois hemisférios, escondida em um sulco onde as duas metades do tálamo se unem, ou seja, na fronteira entre os dois lados.

Ela é uma glândula endócrina, ou seja, ela secreta hormônios na nossa corrente sanguínea. No caso da Pineal, ela é responsável pela Melatonina, um hormônio que tem como função principal regular o nosso sono e também nosso “relógio biológico”. A Glândula Pineal recebeu esse nome por causa do seu formato e sua cor, que se assemelham a um pinha.

Por ser pequena e ficar escondida, a Glândula Pineal foi subestimada. Por muito tempo acreditou-se que ela nem sequer tinha função, era residual e desimportante. Hoje se sabe que, apesar de mínima, ela é o maestro que rege várias orquestras, não apenas a do sono. Através da Melatinina, ela dita o ritmo de funcionamento do nosso corpo e pode causar ou até prevenir doenças.

A Melatonina não se limita a regular a hora em que você sente sono e dorme, é muito mais complexo do que isso. Ela é responsável por que cada órgão faça a coisa certa no momento certo, ou seja, basicamente por um corpo saudável. Pense em um shopping. De 10 às 22h ele abre e recebe visitantes, comercializa itens. Das 22h às 10h ele fecha para manutenção, limpeza, etc. O mesmo acontece no nosso corpo, cada órgão tem tarefas noturnas e diurnas, com um padrão de atividade que se reinicia a cada 25,2 horas (papo técnico: Ciclos de Circadianos), ou seja, que duram cerca de um dia. Se tudo estiver alinhado e eles executarem suas tarefas diurnas e noturnas, sua saúde vai bem. Se não, a coisa pode ficar mal, bem mal.

Quer um exemplo bobo de como as funções do corpo oscilam do dia para a noite? Na parte da noite a pele recebe mais sangue, por isso muitos cremes e produtos de beleza recomendam sua utilização “antes de dormir”, pois seus princípios ativos serão melhor absorvidos. Tem coisas que só acontecem no corpo de dia (como por exemplo, aumento da força muscular) e outras que só acontecem à noite (como por exemplo, secretar hormônios de crescimento). Assim, a chave para sua saúde é que os eventos aconteçam nas horas certas, para que tudo funcione bem.

A Pineal depende dos nossos olhos para reger o organismo em perfeita harmonia. A retina, localizada “no fundo dos olhos”, é um órgão fundamental para estabelecer e modificar nosso “relógio biológico”. Ela registra impulsos luminosos (mesmo no caso dos cegos ou quando as pálpebras estão fechadas) e repassa a informação para a Pineal: escuro = Melatonina, claro = Interrompa a sua produção de Melatonina. Essa dinâmica é tão importante, que o corpo tem mecanismos para se adaptar até mesmo em caso de mudanças bruscas de rotina. Supondo que você vá morar na Austrália ou no Japão, lugares onde, segundo nosso fuso-horário, é dia quando é noite ou é noite quando é dia por aqui, a Pineal dá seu jeito. Ela se readapta: se a mesma ordem se repete sempre nos mesmos horários por alguns dias seguidos, isso vira nova forma de funcionar, a agenda do seu corpo se reprograma para esta nova rotina.

O perfil de produção de melatonina de cada indivíduo é único, como uma impressão digital. Cada um, portanto, tem sua agenda exclusiva marcando os compromissos dos diversos órgãos em determinados horários. Por isso para algumas pessoas é tão difícil acordar cedo e para outras é tão sacrificante dormir tarde. Tudo depende de um critpério: a partir de que horas começa e termina sua produção de Melatonina. Por mais que forçar uma nova rotina seja possível e que o corpo se adapte, é sempre um sacrifício. E é por isso também que não se deve tomar Melatonina em cápsulas sem consultar um médico, você pode gerar um baita desequilíbrio generalizado no corpo ao induzir um novo “horário” no relógio biológico.

Com o passar dos anos, o corpo todo começa a funcionar de forma menos eficiente, por causa do envelhecimento. O mesmo acontece com a Pineal, que produz menos Melatonina. Por isso é tão comum que idosos tenham problemas de insônia ou que durmam menos. Não é nada grave, ela apenas perde o poder de funcionar a todo vapor como qualquer outra parte do seu corpo. Nesses casos, a reposição de Melatonina, com supervisão médica, pode ser interessante.

Desde sempre, se atribuí à Glândula Pineal responsabilidade por sensações paranormais e outros fenômenos inexplicáveis. O filósofo Descartes dizia que era onde se localizava a alma. Nostradamus já fez previsões falando sobre a descoberta da humanidade dos poderes da Glândula Pineal. Para diversas religiões e crenças milenares, ali estaria um “terceiro olho” do ser humano, que poderia ver além da nossa percepção comum.

Não há estudos conclusivos exaurindo todas as possíveis funções da Glândula Pineal, portanto, não sabemos ao certo se e como ela funciona em qualquer atividade intuitiva paranormal. Mas há alguns dados curiosos. Pessoas que relatam mediunidade minimamente aferida (por testes realizados com pessoas da ciência) tiveram seus cérebros estudados e se chegou à conclusão que tinham um denominador em comum: sua Pineal é diferente (papo técnico: tem mais cristais de apatita que o normal).

Não confundir esses cristais com “Calcificação da Pineal”, uma coisa muito falada mas que não existe. Culpam o uso de flúor e até de óculos escuros por uma suposta calcificação da glândula, que geraria uma espécie de atrofia e perda de sua função. É bem fácil saber se sua Pineal está toda calcificada e parou de exercer sua função: você morre. Então, não se preocupem com besteira, sua Pineal não está calcificada.

Se há cristais nela, é normal e tá tudo bem. Eles não são um “defeito”, eles são estruturas organizadas. É como dizer que sua boca “calcificou” porque nasceram dentes.

Esses cristais de apatita são um material similar ao esmalte dentário. Quem acredita que eles de alguma forma tornam a pessoa propensa à mediunidade explicam que eles formam uma espécie de “caixa de ressonância”. Funcionaria da seguinte forma: os cristais de apatita tem muitos elétrons na superfície, por isso repelem campos magnéticos. Assim, quando algum campo magnético chega até a glândula, ele “ricocheteia” em um cristal, depois em outro, como uma bolinha de pinball, e acaba ficando retido ali, até que acaba por ser “decodificado” pela Pineal, que traduziria esse estímulo eletromagnético para um estímulo neuroquímico (papo não técnico: emoções), te fazendo sentir algo que, até então, você não podia ver ou perceber.

Isso pode virar qualquer emoção, em tese: do medo ao amor. Da crise de choro à euforia. É como se tivéssemos um pequeno Google Tradutor que converte estímulos eletromagnéticos que capta, sabe-se lá com qual critério, em emoções. Então, em tese, isso permitira interagir com tudo que fosse eletromagnético, o que levanta possibilidades como telepatia, comunicação com outras dimensões e toda sorte de comunicação sutil com o que quer que seja, normalmente chamado de mediunidade.

A premissa que liga a Pineal à mediunidade é parcialmente verdadeira. A primeira vez que a ciência entrou nesse assunto foi através de uma publicação na revista científica Nature, em 1988. Experimentos comprovaram que a Pineal tem sim a capacidade de converter ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos, mas em momento algum isso prova ou atesta que ela seja responsável por experiências paranormais. Para isso, teríamos que provar que existe algo ou alguém enviando ondas eletromagnéticas de forma voluntária e involuntária. Provado não está, deixando margem tanto para o sim como para o não. Aí, vai da crença de cada um, inclusive o nome que se queira dar: fantasma, espírito, ET, seres de outras dimensões, Monstro do Espaguete Voador.

Outro argumento que se usa para ligar a Pineal à paranormalidade ou espiritualidade é que ao entoar mantras, músicas ou rituais sonoros seria possível “ativar” a glândula e despertar sensações e outros estímulos perceptíveis no corpo. De fato há documentação sobre pessoas que o fizeram enquanto seu cérebro era analisado e desencadearam reações que normalmente não estariam ali.

O que se sabe de concreto a respeito: a A glândula está localizada em uma área cheia de líquido. Talvez o som desses mantras, músicas etc faça vibrar o líquido, provocando alguma reação na glândula. É como sacudir um balde com uma bola de tênis dentro, bem ou mal, ela vai se mexer. Mas isso seria um fenômeno físico, independente de fé. Se você emitir qualquer som que cause vibração no palato (céu da boca) pode, de alguma forma, chegar a reverberar na Pineal. Porém não se controla exatamente como isso acontece nem as consequências. Não que possa acontecer algo grave, não acontece. Apenas não se tem um catálogo do que acontece e se acontece.
Outro argumento para colocar a Pineal em um patamar acima é que esta glândula é a única parte do nosso corpo que lida com o tempo. Ela tem seu próprio tempo, ela é um timer pessoal de cada um. Isso a tiraria da terceira dimensão e a colocaria mais próxima da quarta dimensão. O que a ciência diz: beleza, terceira e quarta dimensão existem, mas a relação delas com a Glândula Pineal não tem qualquer embasamento científico, não há nada provado.

A Pineal é uma estrutura peculiar, que destoa de todo o resto do corpo em vários aspectos. Mas hoje, não há nada que comprove que ela tem qualquer papel em experiências mediúnicas ou paranormais. O que não quer dizer que ela não possa desempenhar esse papel. Pode. Ou não pode. A questão fica em aberto, há indícios para o sim, há indícios para o não e zero provas. Quando há zero provas, meus amores, só resta uma coisa a fazer: você mesmo experimentar e chegar às suas conclusões.

Se você quer tirar a prova do poder da sua Pineal, existem diversos exercícios para supostamente “ativá-la”, dicas de alimentação para potencializar sua “ação” e centenas de truques, recomendações e até mandingas. Vai no Google e tenta tudo, do mais sofisticado ao mais tosco, pois quando não há nada comprovado, tudo pode ser mentira/verdade. Faça. Faça e avalie. Avalie e depois me conte.

Para dizer que ficar mandando leitor fazer mandinga é pior do que elogiar o PT em troca de 500 conto, para dizer que você não tem nem cérebro, quanto mais Pineal ou ainda para perguntar onde caralhos está o Somir: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (25)

  • Parte desse texto me fez questionar, será possível que estou com problemas na glândula pineal? rs
    Ou ao menos com relação à melatonina porque não é possível! Eu vivo tendo problemas de sono, desde pequeno, pra falar a verdade.

    Resumo da novela é: eu sou de fases, diria. Tem fase que – aliás, isso é curioso! – eu to bem, sem preocupações, sem problemas pra lidar, daí tudo flui lindo, meu intestino funciona direitinho, durmo bonitinho das 23hs às 6hs. Agora, tem fase ou momentos que, se tenho algum problema de ordem maior pra resolver eu simplesmente não durmo, mesmo que eu sinta aquele sono, a pálpebra pesada e o cansaço do dia, eu não consigo “me desligar” e entrar em sono profundo, sabe? Fico mexendo na cama pra lá e pra cá e não desligo. Daí uma coisa leva a outra: o intestino trava, mudança de apetite, até mesmo de humor, e num caso mais extremo, acabo trocando o dia pela noite literalmente. E essa fase, vale dizer, é horrível, porque até voltar a controlar de novo e eu dormir no horário certo, olha…

    Ahh como eu queria NUNCA ter problema de sono, viu? Levar uma vida normal como as outras pessoas, dormir em horário que é pra dormir e acordar no horário certo e meu dia render! Meu sonho de princeso! haha

    • Ge, estresse, preocupação, medo e todos esses sentimentos ruins jogam na corrente sanguínea hormônios do estresse, que são os “inimigos” da melatonina (e da seratonina, a versão diurna, que nos gera bem estar). É como fogo e água: se o fogo for muito forte, evapora a água. Se a água for muita, apaga o fogo).

      Para vencer essa batalha, você deve dar uma força para os “hormônios do bem”. Exemplos rápidos: tentar ter uma rotina de sono (dormir sempre na mesma hora), ter um ambiente propício para dormir (fresco, totalmente escuro, silencioso e confortável), dar uma força para a sua pineal saindo da frente de qualquer tela luminosa (celular, computador, tv…) 2 a 3 horas antes da hora de dormir, se excercitar regularmente, ter uma alimentação balanceada e qualquer outro recurso que te ajude a promover o bem estar e desligar das preocupações (terapia, meditação, etc).

      Uma dica boba, simples e gratuita: antes de dormir anote em uma agenda todas as atividades que você tem que fazer no dia seguinte (ou na semana seguinte), para “tirar isso da sua cabeça”. Muitas vezes o cérebro não desliga da coisa pela preocupação em armazená-la, em não esquecê-la. Ao passar para o papel, o cérebro relaxa pois sabe que a informação está segura em algum lugar e fica mais fácil de esquecer.

      • Anotando todas essas dicas, Sally! Alimentação balanceada é ok, lugar totalmente escuro, limpo e confortável é ok, nada de telas ligadas, celular muito menos. Essa do papel eu vou tentar. Eu geralmente faço é no meio virtual, isto é, escrevo post its e notas no desktop ou no celular.

        • Vai testando, vê o que dá certo para você. Tem várias outras dicas, é só pesquisar. Por exemplo, há quem diga que leite tem uma substância que induz o sono. Outros dizem que fazer um relaxamento guiado (tem aos montes no Youtube) também. Sai testando até encontrar sua fórmula de sucesso!

  • Avatar

    Larissa Curiosa

    Sally… Muito legal o artigo…

    Andei sumida é verdade… vida de imigrante não é fácil…

    Queria saber qual sua opinião sobre a Silvia Pilz… pergunto porque cada artigo que ela posta é um flash.

  • Tem certeza?
    A pergunta foi sarcasmo, no entanto, parentes de pessoas no meio artístico são mais propensas a serem acometidas por transtornos mentais de natureza psicótica segundos vários estudos em especial um que foi que feito na Islândia e basicamente analisou toda população da ilha.

    Ideologias e religiões são produto de apofenia, detecção de padrões equivocados, que está estreitamente relacionado com a psicose ou estado de distorção da realidade.

  • Há mto tempo estudei sobre a pineal, na literatura ocultista ela é considerada como o órgão master do nosso corpo físico servindo de ponte entre o mundo físico e astral.
    Dizem que, um dos métodos para ativar esta glândula é realizar a pronúncia ( correta) de certas palavras em sânscrito, só isso já daria um outro texto do desfavor.
    No Brasil, o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira é um estudioso sobre o assunto.

    • Sim, a vibração desses fonemas (a maioria meio anasalado) faria vibrar o líquido onde está Pineal e supostamente “acordaria” ela.

      Só tentando para saber. Se você reparar, a maioria dos sons evocados em mantras e meditações possuem esse tipo de fonema.

  • Nunca ouvi falar nisso , está relacionado aos seus estudos sobre física quântica ?

    Vc poderia falar sobre as ideias de Lacan, gostaria muito de entender rs

    Kd o Somir ?
    Saudades ❤️

    • Não tem relação com física quântica não, a Pineal é biologia, anatomia. Até onde eu sei, a física quântica não se mete com a Pineal.

      Vou estudar, mas não sei se condigo ter a profundidade e o conhecimento necessário para falar de Lacan. Prometo que vou tentar.

      Somir tá bem, só está extremamente ocupado.

      • Engraçado o quanto sempre acho que vocês e vários dos(as) que já publicaram como Convidados parecem (tão) capazes de conhecer e publicar sobre qualquer assunto !

          • Verdade,

            (levando em consideração de que caso jamais ninguém tenha acesso à imortalidade biológica)

            todos morreremos sem algumas capacidades e sem alguns alcances de conhecimentos.

    • Anônimo, eu manjo um pouquinho de Lacan, modéstia a parte… O que quer saber especificamente? Só te digo de antemão que ele é realmente difícil de ler se tu não tiver uma leitura preliminar de Freud e de conceitos de linguística antes (signo, significante, significado…).

  • Emoção seria a maneira com que o organismo avalia as suas interações com as intempéries do ambiente em que está, assim como também quanto ao seu próprio estado. Equivalente a uma extensão ou eco da senciência.

    Artistas e psicóticos são mais propensos a reportarem experiências paranormais. Eu vou contar duas. Teve um tempo que, quando eu ia ver as horas no relógio do quarto dos meus pais, quase sempre me deparava com os minutos no número 24. Outra experiência. A sensação que 90% das pessoas estão olhando admiradamente para você. E no outro dia, você sair à rua com essa expectativa e o completo oposto acontecer.

      • Existe diferença??

        Eu escrevo poesias mas psicótico é algo que definitivamente não sou, porque não tenho ideologia nem religião, isto é, nem esses resquícios populares de psicose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: