Não interessa!

Terminar um relacionamento enquanto ainda se ama uma pessoa é algo duro, muito duro, talvez seja uma das coisas mais difíceis de conseguir, emocionalmente falando. Por isso, pessoas que estão passando por esse desgraçamento de cabeça costumam ser muito paparicadas, poupadas e desfrutar de todo tipo de condescendência. Normal, qualquer outra conduta vinda de uma pessoa querida soaria como crueldade ou falta de empatia. Foi estabelecido que é assim que as coisas são: quem te quer bem se apieda de você nessas horas.

Como eu sou uma voz sem rosto, o que gera uma ofensa difusa que não me prejudica, quero falar algumas coisas que aprendi nos mais de 20 anos de relacionamento. Coisas que talvez você não goste de escutar se estiver passando por isso agora, mas que são importantes de ouvir, mesmo que você não concorde com elas. Coisas que seus amigos provavelmente não vão te dizer por ter uma trava social razoável, pelo medo de parecerem grosseiros ou até de te magoar mais ainda. Alguém tem que fazer o trabalho sujo.

Por motivos de praticidade, vou me referir a uma mulher que levou um fora de um Fulano, mas substituam as situações e os gêneros por aquilo que melhor os atender.

Para começo de conversa, o fato de se sofrer com um término não quer dizer que você ame a pessoa. Muitas vezes você ama apenas ter alguém. Para descobrir isso basta um exercício simples: se você tivesse magicamente outra pessoa ainda melhor para colocar no lugar da que se foi, que fosse mais bonita, mais gentil, mais rica, mais afetuosa, mais fiel, mais tudo, ainda estaria sofrendo? Se você não estaria sofrendo, você gosta de ter alguém, não necessariamente aquela pessoa.

Muitas vezes você ama os planos e projetos que fez com essa pessoa e o que realmente te dói é jogá-los no lixo. Muitas vezes o que te dói é a sensação de fracasso, de muito tempo investido, que “não deu em nada”, como se fosse tempo perdido. Muitas vezes o que você ama não é a outra pessoa e sim a pessoa que você era quando estava com essa pessoa. São infinitas possibilidades, eu poderia ficar até amanhã listando-as aqui. Meu ponto é que, na maioria das vezes, a pessoa está chorando tudo, menos a perda daquela pessoa.

Mas, pouco importa a natureza do seu sentimento, se você chegou à conclusão de que é melhor para você separar ou, o que é mais comum, se a outra pessoa não quer mais estar com você, algumas providências terão que ser tomadas para que você consiga superar esse término. E aqui, recomendo esta excelente apresentação sobre como curar um coração partido, assistam depois de ler o texto. Se você não sabia como agir, acabou essa desculpa. Tá nesse vídeo o passo a passo.

O erro mais comum que as pessoas cometem é ficar se torturando pensando, especulando e conjecturando sobre o que o outro está fazendo e como está sua vida. A pessoa que acabou de levar um fora fazer isso eu entendo, pois em períodos de término de relacionamento o cérebro desliga por umas semana e em seu lugar um macaco drogado briga com um papagaio bêbado dentro da nossa cabeça. O que eu não entendo são os supostos amigos que participam dessa punhetação mental desnecessária.

Atenção amigos, vocês tem um papel fundamental de dar um corte nesse circulo vicioso de sofrimento voyeur no qual o outro se mete. Não endosse, não ajude a fuçar a vida alheia, não passe informações sobre ex. Responda a tudo que a pessoa aventar, perguntar ou especular com uma única frase, dita de forma incisiva e determinada, que é para constranger e coibir esse tipo de pensamento: NÃO INTERESSA.

Não é ser amigo cair no fundo do poço e fica ali, especulando sobre a vida alheia. Não é um processo de cura, não gera nada de bom, muito pelo contrário. Ser amigo de verdade é mandar um NÃO INTERESSA na lata cada vez que a pessoa agir como uma retardada emocional. E se você não tem amigos que façam isso por você, salve este texto e leia quando estiver nesse estado de desgraçamento emocional.

“Será que o Fulano está com outra?” NÃO INTERESSA. O Fulano não quer mais estar com você, isso é 100% suficiente para que você levante, sacuda a poeira e dê a volta por cima, seguindo com sua vida, na firme intenção de esquecer o Fulano. Não queira estar com quem não quer estar com você. É uma premissa básica de amor próprio e dignidade. Entendo que a pessoa sinta falta, entendo que não seja fácil, entendo que sofra, mas, vamos lá, todo mundo se sente assim alguma vez na vida e supera, por qual motivo o floquinho de neve único e especial não vai conseguir esquecer? Vai sim, é só colocar seu mindset nisso em vez de focar no Fulano que já não é mais nada seu.

“Será que o Fulano está sofrendo?” NÃO INTERESSA. Fulano saiu da sua vida, o que ele faz, sente ou pensa não te interessa mais, ao menos por um longo período de tempo, até essa ferida cicatrizar e, quem sabe, vocês consigam transformar isso em uma amizade. Indifere se ele está bem, mal, sofrendo, feliz, resfriado ou ganhando na Mega Sena. Essa pessoa está fora da sua vida, essa pessoa (ou você, tanto faz) escolheu estar fora da sua vida, comporte-se conforme esta realidade. Sei que é difícil cortar fora de uma hora para a outra quem era seu companheiro, melhor amigo e pessoa mais próxima, mas é assim que as coisas são quando relacionamentos terminam. Get over it!

“Será que Fulano está precisando de mim?” NÃO INTERESSA. Se a escolha foi por não ficarem mais juntos, se Fulano precisar de algo, vai ter que procurar em outras fontes (amigos, família, vizinhos, religião, ETs), a fonte “você” secou, deixou de existir, pois é a única forma de conseguir colocar um ponto final de forma saudável e seguir com sua vida. Quando a pessoa não tiver você, acredite, ela vai se virar. Pode até apanhar um pouquinho da vida, mas, sinto lhe informar, você não é indispensável para que alguém sobreviva. É interessante ser a pessoa que faz tudo pelo outro, porém é meio manipulador também: “ei, oi, precisem de mim, assim eu me asseguro que sempre vão me querer por perto!”. Deixe o Fulano andar com as próprias pernas, se ele cair, ele aprende a levantar. É uma valiosa lição.

“Será que Fulano vai ficar bem?” NÃO INTERESSA. Em algum momento ele vai sim, todo mundo se recupera um dia. E se não ficar, bem isso não é motivo para você estar com alguém: “estou com Fulano se não ele não fica bem”. Se não ficar bem ele que procure ajuda profissional. Adultinhos inteirinhos ficam bem independente de parceiros, se esse não é o caso de Fulano, olha que lindo, ele terá uma belíssima oportunidade para refletir e aprender sobre o assunto. A verdade é que Fulano não nasceu grudado em você, Fulano viveu boa parte da vida sem você e sobreviveu, relaxa que ele vai sobreviver. Isso é medo da separação, que se apresenta revestido de preocupação nobre com o outro. Não caiam nessa.

“Será que Fulano me traía enquanto estava comigo?” NÃO INTERESSA. Já passou, vocês não estão mais juntos, nada que diga respeito a Fulano é relevante na sua vida. É passado. A vida se vive no presente. Você não precisa revirar um passado que não é mais relevante para seguir em frente. E não é relevante mesmo, pois se a pessoa não te quer mais, se não estão mais juntos, não faz diferença alguma se ela te traiu ou não. É mentira que isso te ajudaria a esquecer, não ajuda a porra nenhuma, só gera mais dor, só coloca seu pensamento mais e mais na pessoa que você deveria esquecer. Viva o presente. O passado não pode ser mudado, o futuro ainda não aconteceu. Saia do passado e do futuro.

“Será que Fulano vai perceber o quanto errou comigo?” NÃO INTERESSA. Acabou. Fulano que siga sua vida e pense o que quiser, isso tem que se indiferente para você, porque agora Fulano não é mais nada seu. Sua vontade de ter razão é tanta? Foda-se o que ele viu, não viu, vai ver ou não vai ver. Retire-se desta cena, desta dinâmica com o Fulano. Ele se retirou da sua vida, permita que ele saia da sua cabeça também, caso contrário ele vai virar um fantasma. Você pode achar que não, mas a vida se encarrega de educar as pessoas. Como geralmente não acontece na velocidade que gostaríamos, fica a sensação de impunidade. Mas quem planta merda colhe bosta, não é misticismo, é lei da probabilidade: de tanto fazer merda, um dia a pessoa faz merda com alguém mais maluco do que ela e sofre as consequências. Larga. Deixa ir. Não se preocupe com isso.

“Será que um dia, quando Fulano for muito sacaneado, ele vai me dar valor?” O NÃO INTERESSA. Está terminado, foda-se se Fulano vai te amar, te odiar, te admirar ou te desprezar. Foda-se se Fulano vai enfiar talco no cu e depois soltar um peido fantasma. Foda-se tudo, qualquer coisa, qualquer evento, atitude ou sentimento vinculado a Fulano. Desapega. Uma pessoa que não quer mais estar com você é incompatível com esse tipo de pensamento. Agindo assim você impede que algo de bom e novo se aproxime de você. Só você perde com isso. Porque merdas você precisa do olhar de Fulano, ainda que futuro, para reafirmar seu valor? Saiba seu valor independente do olhar de terceiros e pau no cu de quem não te der valor!

“Será que Fulano vai gostar mais de alguém do que gosta de mim?” NÃO INTERESSA. Pode gostar mais, pode gostar menos, pode gostar diferente, pode casar no mês seguinte com o amor da vida dele ou pode nunca mais se relacionar com ninguém, gritando seu nome com os braços para o alto ajoelhado na chuva. Ele não é mais seu parceiro, o que ele sente indefere. Larga mão desse sentimento de posse, de não estar mais com a pessoa mas de não querer que ela te esqueça ou seja feliz com alguém. Isso não é amor, é um ego muito fragilizado que se ofende se descobrir que é esquecível. Todo mundo é esquecível, e que bom, se não todos nós poderíamos estar presos a estrupícios, retardados emocionais e grandessíssimos filhos duma puta.

“Será que alguém fez ou está fazendo a cabeça dele contra mim?” NÃO INTERESSA. Se ele “se deixou fazer a cabeça”, sinto muito, mas você merece coisa melhor. Quer ficar com uma pessoa merdinha, mentalmente fraca e manipulável? Quer ficar com alguém que não consegue construir uma relação forte o bastante para sobreviver à interferência de terceiros? Gente que precisa do olhar de terceiros para avaliar sua relação é gente que tem titica de sabiá amarelo na cabeça. Foi em boa hora!

“Será que Fulano está pegando geral?” NÃO INTERESSA. Fulano está livre, solteiro, desimpedido e você deveria estar preocupada e focada na sua vida e não na dele. A pessoa não está mais com você, foda-se dez vezes se ela está fazendo uma orgia com uma chinesa grávida e uma cabra ou se está celibatária em casa estudando física quântica. Para de olhar para a vida do outro e olha para a sua vida, que é a única que você tem o poder de transformar. Não olha redes sociais do Fulano, corta amigos que tentem te dar notícias de Fulano, desvincule tudo, siga sua vida como se Fulano tivesse sido abduzido e hoje vivesse em Saturno, totalmente fora do seu alcance.

“Será que Fulano arrumou uma pessoa melhor/mais bonita do que eu?” NÃO INTERESSA. É doentio querer saber com quem Fulano está. Simplesmente doentio. É de uma falta de amor próprio, de uma falta de autoestima, de uma falta de vergonha na cara que deveria gerar açoite em praça pública, pois uma pessoa que faz uma bosta dessa consigo mesma deve estar além de qualquer diálogo, só com violência física mesmo. O que interessa é: vocês não estão mais juntos. Foda-se tudo que vier depois, nada mais te diz respeito, a pessoa saiu da sua vida, você perdeu o direito, a legitimidade e o aval para querer saber ou opinar sobre qualquer coisa que a pessoa faça. Não há espaço para que você participe dessa nova fase da vida amorosa da pessoa, ao menos não agora, quem sabe um dia, caso se tornem amigos. Mas estamos falando de muitos meses depois, coisa de seis meses pra cima.

A verdade é: todo mundo é esquecível, mas as pessoas tem um apego monstruoso e arrumam os pretextos mais bizarros para não fazer o que é preciso para conseguir esquecer alguém. Porque dói, e esse ego frágil pula, grita e se joga feito o Neymar à menor pancadinha que leva. Não sejam um Neymar Emocional. Tenham compostura, tenham inteireza, tenham, no mínimo, vergonha na cara e amor próprio. Se não estão mais juntos, por mais doloroso que seja, é virar as costas e seguir em frente, sem stalkear a vida do outro e sem permitir que o outro te stalkeie.

Se você não consegue esquecer o Fulano, isso não significa que ele seja o amor da sua vida. Significa que você não está fazendo o que precisa para esquecer o Fulano (no vídeo está bem explicadinho o que tem que fazer e os motivos pelos quais tem que fazer). Não adianta travestir seu masoquismo, sua burrice, sua imbecilidade de amor. Não é o amor que nos impede de esquecer uma pessoa, é a auto sabotagem. “Não consigo” é o caralho, todo mundo consegue. Faça por onde e você vai ver que, apesar de parecer que não, isso passa.

Para dizer que eu estou grossa hoje, para dizer que eu não sei o que é amor de verdade ou ainda para dizer que você é um Neymar Emocional: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (6)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: