Semana Sim Senhora – Bunda: Segunda versão.

Sinto que agora pude finalmente entender melhor os objetivos da marca no Brasil. Levando em consideração os pedidos de alteração que vocês fizeram, decidimos renovar completamente não só o visual, como a mensagem da campanha. Aplaudo a coragem.

O primeiro pedido, completamente compreensível, foi o de aumentar a marca de forma a gerar maior reconhecimento. O tema sensível limitou-nos desnecessariamente. Aceitamos o desafio de levar o que estava escondido para a frente. Na verdade, BUNDA deve ser proeminente na mensagem.

O colorido da peça combina perfeitamente com o tom descontraído da mensagem, e quando entendemos a verdadeira função das curiosas amálgamas animais propostas, todo o resto ficou claro. O coala-tucano e o canguru-tamanduá servindo de exemplo lúdico sobre os perigos de misturar ideias e perder o verdadeiro significado das coisas. E como agora vamos mandar uma mensagem clara, a língua portuguesa fez todo o sentido.

Ao expressar que misturar as coisas pode ser problemático, criamos a base necessária para explicar a diferença de significados de BUNDA no Brasil e na Austrália, além de estabelecer o poder da marca ao ressignificar a palavra. Vocês vão perceber que o logo não só aumentou, como é mostrado de forma proeminente na peça, sendo essencial para a compreensão do material. Pensamos até em um jingle: “não confunda, as melhores joias agora são da BUNDA”. Está em processo inicial. Precisamos, é claro, da aprovação de vocês para continuar trabalhando nas nossas ideias.

Puta que pariu, eu desconfiava do mau gosto de vocês, mas não nesse nível. Vocês realmente acham que uma marca chamada BUNDA consegue entrar no mercado nacional fazendo alarde do seu maior problema? No mundo inteiro, é prática comum mudar o nome de marcas e produtos para uma melhor adequação ao público local. O ser humano médio é tão adulto quanto vocês, não consegue ler qualquer palavra remotamente chula que já ri ou dá chilique.

Se estivesse só na minha mão, a primeira coisa era mudar o nome da marca toda. Mas se o cliente tivesse um cérebro em decomposição avançada como o de vocês e exigisse o nome, a única alternativa é esconder o máximo possível. De preferência criar um nome de linha de produtos e usar um B abreviado na caixa. O público-alvo de joias ou é mulher ou é gay, notoriamente conhecidos pela pressão sobre sua aparência derrubando sua autoestima. E como são produtos caros, ainda temos que lidar com o costumeiro ego de cristal de ricos e novos ricos, incapazes de lidar com a rejeição social de seus pares igualmente superficiais. Gente com dinheiro não se mete a fazer graça com marcas engraçadinhas, porque isso é venenoso para seu status social. Se vocês trabalhassem, saberiam.

Não achem que subcelebridade é gente, não são. São um microcosmo de imbecis dependentes de escândalos manufaturados para sobreviver. O grosso do público com dinheiro para comprar as joias da BUNDA não tocaria na marca nem com uma vara de salto. Faz mal para as finanças ser a piada do grupo, e qualquer vacilo gera isso.

E, porra, quem enfiou na cabeça das pessoas que essa palhaçada colorida é aceitável? A Natura? Gente que usa Natura tem sovaco fedido e cabeludo, é tudo o que eles conseguiram fazer a marca expressar até hoje. Se você não quer que seu público-alvo seja composto de pré-adolescentes e/ou maconheiros, trabalhe com cores sóbrias. Deixa esse estupro visual multicolorido para o Romero Britto! A marca vende joias! Joias caras! Gente que gosta de tudo colorido faz suas próprias joias e vende na beira da estrada para comprar mais droga!

Caralho. E outra, por que vocês acham que eu fiz o material em inglês? Para gerar alienação SIM. Porque marca cara não pode ser acessível. A pessoa se sente especial por entender a arte e tem sim prazer na ideia de que a maioria das outras pessoas não vai. O que vocês acham que permeia a cabeça de quem torra uma nota com um pedaço de ferro encrustado de diamantes? Merda? Também, mas essa gente quer se sentir única e especial. Se você faz a empregada da madame público-alvo desse produto entender, a cretina vai achar que é menos exclusivo.

E Gezuiz de Triciclo, que porra é essa de mascotes? Mascote é algo muito específico, para algumas marcas que precisam de carisma, e olhe lá. Se você não lida com crianças ou povão, PASSE LONGE. Normalmente é um símbolo quando o produto que vendem é caro, no máximo. O símbolo do logo! E são coisas dignas como o cavalo da Ferrari, não um bicho demoníaco mistura de duas ou três coisas que o dono ou donos da empresa acham curiosos ou engraçadinhos.

Eu entreguei uma peça limpa e funcional para vocês, vocês enfiaram tudo no rabo e me devolveram algo fedido. Tinha que ser BUNDA mesmo. Nem a fonte dá para manter por causa do excesso de informação inútil forçada na arte… gentalha. Seis meses até ter que fechar escritório no Brasil, e depois vai culpar a agência.

Não, não, estava só pensando umas coisas… agora está mais de acordo com o que vocês queriam?

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (43)

  • Avatar

    Estagiária de Publicidade

    Pessoal, vocês vão me desculpar, cheguei no Desfavor hoje, mas isso que estão fazendo com o Somir é um grande desrespeito, tanto pessoal quanto profissional! Vi a primeira campanha que ele fez e, francamente, tirou leite de pedra! Temos que parabeniza-lo e fazer apenas pequenas sugestões! A minha é a seguinte:

    Manter o fundo preto e aquele anel maravilhoso iluminando tudo! Também vi muita classe no uso da palavra “Ring”, pra escapar da fácil associação de “anel” com termos chulos! Então eu usaria “Exploring” porque o brasileiro estaria explorando uma novidade, vinda da Austrália. Explorar é lançar uma luz sobre o desconhecido – luz que vem do anel de brilhantes! Explorar a fusão de elementos australianos e brasileiros, como o Tamanduru e o Coalano, que ficaram muito fofinhos! Como o Somir disse, anel é coisa de mulher e gay, então mascotes fofinhos são um luxo! Mas estão muito grandes, atrapalham a percepção da joia como um destaque. Eu diminuiria, deixando naquela proporção maravilhosa que o Somir achou pra bailarina! Os animaizinhos (em preto-e-branco) ficam naquela relação de luz e sombra que foi usada nas peças da primeira campanha. Aí, aquele slogan genial que o Somir criou, mas sem pedir pra não misturar- também achei muito depreciativo em relação ao consumidor. “Na Austrália, B U N D A significa joia de qualidade. Agora, no Brasil, também.” Em letra de casamento, porque anel e casamento têm tudo a ver! Mas no “Exploring eu acho maravilhosa aquela fonte que o Somir escolheu! Queria ser estagiária dele… Beijos, Somir!

    • Chegou hoje…Sinta-se bem-vinda o quanto quiser !

      …E quase achei que era uma parente ou conhecida minha…hahahahaha

      • Avatar

        Estagiária de Publicidade

        Obrigada!!! Essa sua amiga tem 1,75, 52 kg, olhos avelã, cabelos castanho-claro, já desfilou, gosta de petit-gateau, dormir nua e de homens com mais de 35???

        • Avatar

          Mais que XXV de idade

          Parabéns também pela ótima descrição, porém achei alto demais o critério de idade alheia…hahahahaha

          …Fui apenas referente a quem minha irmã me apresentou num evento de palestra + atividade em Audiovisual; umas “tão 9,9” quanto você se diz eu só avistei discretamente…

          • Avatar

            Estagiária de Publicidade

            Oiiiii! Obrigada!!!!!! Idade é preferência, mas não é restrição! Mas tem uma coisa que eu gosto de esclarecer desde o começo: eu não nasci menina. Algum problema com isso, gato?

            • haha

              Ideologicamente, não; Pessoalmente, depende muito…

              Mas vou tentando acreditar que você ainda possa “ser 9,9” porque jura que desfila…hahahahaha

                • Hahahahaha

                  Já “cortei” essa conversa, por isso que usei “se diz” e “jura” nas minhas duas falas…

                  Qual golpe ? Se, mesmo no RJ, eu resisto a quem sempr falará em “Gólpi”, resisto a muitos trash dialogues ! hahahahaha

                  Um abração, Satori Gomi !

  • Uma foto do Ronaldo Travequeiro sorrindo descontraído, enquanto segura varios aneis com a frase “O Senhor dos Aneis: Ronaldo coleciona aneis da bunda”

  • Um anel da bunda cravejado de brilhantes no formato e cores da bandeira do Desfavor com os dizeres: “anel da bunda, um desfavor de tão bonito”

  • Também não gostei de ver tudo escrito em português. Para alcançar ambos os públicos, acredito que deveria alternar: uma palavra em inglês, outra em português.

    A ilustração deveria ser um mapa do brasil com um cu cheio de pregas no meio e um anel em volta com a frase: “para um país que é um cu, nada melhor que um anel da bunda”

  • Que tal colocar ou insinuar um casal do mesmo sexo, usando aneis da bunda, de mãos dadas, com o slogan: “dar o anel da bunda é tendência”?

  • Ficou poluído.

    Gostaria de ver o braço de uma mulher, onde se lê uma tatuagem com letra de convite de casamento escrito ANEL DA BUNDA , terminando em uma seta para o dedo dela, que, adivinha, estaria usando o anel. Ao fundo, uma imagem desbotada, em aquarela, que insinua um cu.

  • Falta de classe total! Fundo preto, Daniel Craig de smoking, abrindo uma caixinha com um anel de brilhantes da coleção: “Bunda! Ben Bunda!” Uma Bond Girl mulata, segurando um Dry Martini, com ar de admiração. Letras miúdas embaixo: Joias de qualidade, agora no Brasil!

  • Avatar

    Dudu Medôncio

    Somir pode ousar mais, fazendo uma campanha enigmática: fundo branco, sem texto, só um cu ao lado de uma mão fazendo joinha. O cu amarelo e a mão verde. Significado: Anel da Bunda é jóia, agora no Brasil.

    • Avatar

      Cumpadi Óxito Olivetti

      Maravilhoso! Somir é gênio, mas você é um mago!!! Peça quebrando todos os paradigmas da publicidade! Sem o logo, a marca, o produto, o slogan e a chamada, e ao mesmo tempo com tudo isso subentendido! Somir vai discordar, pois é muito vaidoso. Prepare-se para uma verdadeira rinha de galos!

      Sugiro a campanha em duas etapas: primeiro a peça do enigma, depois o barulho na mídia e nas redes, por fim a peça revelação: fundo azul, um anel de brilhantes no centro, depois o texto: B U N D A – joias de qualidade! (centralizado) e abaixo, com tipo menor: Agora no Brasil (texto e logo em branco)

  • Agora ficou exageradamente em português… era pra mudar mas não precisava tirar tudo. É preciso ter algo de inglês para mostrar que é um produto importado e dar um ar de refinamento. Quem sabe usar as cores de pedras preciosas como paleta para o background?

  • Concordo com o primeiro Anônimo. Em vez de bichos, poderiam usar um casal. Nada melhor que o casal Feio e Craciane Barrosa. Não tem casal mais Bunda do que eles, inclusive no quesito diversidade: temos certeza de que ali, os gêneros são invertidos. Caso tenha problemas com direitos autorais para usar a imagem, podem usar só uma caricatura, ou só a imagem do corpo, já que ninguém vai fazer questão de olhar pra cara daquelas criaturas.
    Podem colocar uma frase como “Eles usam Bunda. Quem usa Bunda faz sucesso. ”
    “Use Bunda vc também”
    O anel da Bunda pode ser um adorno romântico do casal. Todo brasileiro adora ostentar romantismo brega em rede social.
    ps: acho que meu outro comentário foi incompleto, desculpe.

    • Quem usa a bunda faz sucesso e isso é fato. A Gracyanne ganha $ postando fotos mostrando a bunda, mas o Belo não. Eu trocaria o Belo pelo Pablo Vitar, ele sim usa a bunda e faz sucesso!

  • Minhas sugestões de alteração:
    1) E se colocássemos o MC Bin Laden como garoto propaganda? Tem um monte de fotos dele enrolado naqueles cordões de ouro horrorosos, essa galera funkeira é o público alvo ideal pra comprar os anéis.
    2) Que JPEG o quê, o negócio é GIF ANIMADO, gente. E daí que é outdoor? Tem que ter animação pra trazer alegria pra campanha. Além de que o Somir vai ter trabalho dobrado animando, o que dá mais alegria :-)
    3) Cadê os textos? Quem olhar não vai pegar o essencial para a campanha. Falta telefone / site/ endereço / redes sociais da Bunda. Incluir também nomes dos bichos. Aliás, incluir também no outdoor alguma historinha para eles Se a molecada gostar, a Bunda pode faturar uma grana licenciando os bichinhos.
    4) Por fim, o anel está poluindo o visual. Tira.

  • Concordo com o primeiro Anônimo. Em vez de bichos, poderiam usar um casal. Nada melhor que o casal Feio e Craciane Barrosa. Não tem casal mais Bunda do que eles, inclusive no quesito diversidade: temos certeza de que ali, pra cara daquelas criaturas. Pode colocar uma frase como “Eles usam Bunda. Quem usa Bunda faz sucesso”

  • Em Campinas, o cara com dinheiro pra comprar anel da Bunda é um fazendeiro casca grossa ou um agroboy que passa as férias em Balneário Camboriú, desfilando em sua camionete gigante de cabine dupla. Ouve sertanejo universitário ou Chitãozinho e Xororó no máximo volume e precisa ostentar riqueza o tempo todo. Isso é ser esnobe, termo de origem inglesa que já significou sapateiro, depois passou a significar aquele que tenta parecer vir de uma classe superior. Para novos ricos, é preciso parecer ser o fodástico, que é da nata. O pessoal “Old Money” é discreto, educado, não precisa disso. Não sei se o príncipe Henry tem uma camionete gigante de cabine dupla.

  • Acho que com esse plano de fundo, faltou um WordArt como fonte!
    Imagina, aquele ondulado ou aquele inclinado em 3D!

    Achei que os animais tiraram a atenção da marca! E o coala chama mais atenção do que o tucano! Não passou a identidade cultural do Brasil!

  • Somir, eu de novo!

    Me veio um insight, mas tou com medo de parecer meio óbvio.

    Uma bunda. Uma grande, bela e bonita bunda. Sobre a imagem da bunda, estrategicamente posicionado (entendeu, né?), o anel.

    No alto da arte, deslocada à esquerda, alguma frase de efeito relacionada. “O anel mais amado”, “O anel que atrai”, ou qualquer coisa desse tipo.

    No pé, o logo da marca (daquele jeito que falei, usa o B e faz uma bunda estilizada) e o nome dela, deslocados para a direita. Grandes, ok?

    Vai ficar lindo!

  • Não sei porque, mas sinto falta de um retrabalho no logo da marca. Acho muito seco. Pensando aqui…

    Já sei! Somir, brasileiro adora uma bunda. Que tal reformular o logo para associá-lo, efetivamente, a uma? Sugiro trabalhar com o B, que já tem formato parecido.

    E lembre-se: queremos logo e nome da marca BEM GRANDE e destacado. Bunda grande é chamativa.

  • Eu gostei, mas sei lá, ainda falta algo. Aquele Tchan sabe?
    Acho que é a cor das letras. Poderia ser laranja. É uma cor mais viva e chamativa. Ai poderia colocar um contorno com alguma cor contrastante. E uma sombra também, ou fazer um efeito 3D. Ou até mesmo usar um padrão de onça na letras!
    E esse ” Por favor, não misture as coisas” precisa sair. Passa a impressão de arrogância.

  • Sim, não confunda cu com bunda! Melhorou, mas essa estória de tucano ne lembrou um partido político que é uma bunda.Schwarzenegger disse que like bundas, mas não foi sobre o partido. Bunda com B de Brasil é um patrimônio da humanidade!

  • Está na hora de trazer o Ringo Starr para a marca. Com cadáver um dos mascotes em um ombro. Dois mascotes, dois ombros, certo? Para evitar problemas jurídicos, pode ser um pirata. Gay, por que não?

  • Quase lá, Somir. Concordo com o Cumpadi, você não tem noção de proporção. Vou lhe ajudar. Tire os bichos. Estão lindos, mas tiram o foco. No lugar deles, o anel com o triplo do tamanho. Na metade direita, a marca, com o dobro do tamanho, sem aquela bobagem de “por favor, não confunda as coisas”. Nunca se faz isso, colocar “por favor” em campanha! Simplesmente mantenha o slogan que criou. “Na Austrália…”. Você está tratando o cliente da Bunda com arrogância e prepotência. Mostre o produto e a marca com orgulho. Essa pretensão de publicitário em se achar detentor da oitava arte e ficar se exibindo em lugar de exibir o produto e a marca gera essas campanhas de bosta em que depois da peça você nem sabe do que se trata. O foco vira o ego do publicitário pretensioso.

  • HAHAHAHAHAHAAH

    Ficou bem melhor , mas não gostei desses bichos .

    Acho melhor um casal como símbolo da campanha.

    Poderia trocar o fundo por uma imagem da natureza de preferência uma praia , um horizonte , Um coqueiro .

    Trocar o anel por uma joia mais bonita , mais chamativa , um colar exuberante.

    • Só que quando se fala em casal, hoje em dia tem que especificar que tipo. Casal hetero, gay, cis, trans… Pelo menos no mundo animal a coisa é mais simplificada.

  • Avatar

    Cumpadi Óxito Olivetti

    Gente, se não for a arte mais bonita que já vi na vida, é a segunda! Genial! Adorei o Tamanduru! O Coalano foi a solução preguiçosa já esperada de enxertar um bico, mas ficou fofinho, então está valendo. Mas aconteceu uma coisa que eu temia: como na arte anterior, Somir não entendeu o básico sobre mostrar o produto e a marca, com essa mania de reinventar a roda que é comum à classe. O Tamanduru e o Coalano viraram destaques e dormir apertou o anel, deixando pequenino. Sutileza, Somir. Anel grande, bichos com um terço do tamanho que você botou. Mr. Bunda ficou ofendido com a ideia de tirar seu nome da campanha. Vivara existe no mercado brasileiro sem medo de piadinhas. Um produto lindo como as obras de arte de Mr. Bunda poderia se chamar Buscetta, Caraglio ou qualquer coisa do gênero e nenhum consumidor deixaria de comprar por causa disso. Pergunte a qualquer mulher se deixaria de usar um anel lindo como os de Mr. Bunda por medo de piadas de pavê! Vc tem que usar a marca a seu favor, inclusive no slogan: “Bunda brasileira: jóia incomparável!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: