Prêmio Ig Nobel 2018

Já falamos aqui sobre o Prêmio Ig Nobel, por isso, me permito cortar e colar um parágrafo deste texto do Somir, para que quem não leu entenda sobre o que vamos falar:

“O Ig Nobel é uma cerimônia de premiação criada e mantida pela revista “Os Anais da Pesquisa Improvável” (traduzido aqui por mera infantilidade minha), que ocorre desde 1991. O objetivo é escolher as pesquisas científicas mais estapafúrdias do ano, segundo a própria organização: “para fazer rir e depois pensar”. O nome, uma jogada com o prêmio mais prestigioso da ciência, o Nobel, aliado às frequentes menções na mídia como uma premiação puramente humorística, acabam sugerindo que é algo do tipo “Framboesa de Ouro” (que escolhe os piores de Hollywood a cada ano), mas muito se engana quem acredita que a ideia central é só sacanear as pesquisas selecionadas ou mesmo chama-las de ruins.”

Pois é, saiu o resultado dos vencedores do Prêmio Ig Nobel 2018. Prontos para rir?

Na categoria Ig Nobel de medicina, os grandes vencedores foram pesquisadores que testaram a influência de um passeio de montanha-russa na velocidade de saída de pedras nos rins.

Antes que você comece a xingar, não, eles não colocaram pessoas com cólica renal para rodar em montanha-russa, isso seria desumano. O teste foi realizado com protótipos que simulavam pacientes com diferentes tamanhos de cálculos renais. Foram feitos passeios em várias montanhas-russas mas a que foi escolhida oficialmente para o estudo foi a Big Thunder Mountain Railroad na Disney de Orlando, na Flórida, escolhida pelo numero de pacientes que relataram ter expelido pedras em suas férias após andar nela.

Para criar os protótipos de rins, os pesquisadores usaram uma impressora 3D para que reproduziu o órgão em silicone. Eles colocaram urina no modelo e pedras de diversos tamanhos nas partes de cima, do meio e de baixo do órgão simulado. Depois de selar o falso rim, eles andaram na Big Thunder Mountain Railroad, segurando protótipo de rim entre eles, aproximadamente na mesma posição que ele fica em nosso corpo, na tentativa de simular a força que uma pessoa sentiria. Não contentes, repetiram o processo 20 vezes e ainda testaram o experimento em outras montanhas-russas, totalizando 60 testes.

O resultado final surpreende: sim, andar de montanha-russa, desde que de intensidade moderada, pode influenciar na velocidade de saída das pedras nos rins. Mais: as viagens nos bancos traseiros são mais recomendadas e tem mais chances de sucesso. No banco da frente apenas 4 das 24 pedras acabaram saindo. Já as feitas nos bancos de trás conseguiram expelir 23 dos 36 cálculos renais passaram com sucesso. Logo, se você tem pedras nos rins, ande na montanha-russa no último dia de férias, de preferência nos bancos da frente, ou pode acabar no hospital!

O Ig Nobel de Antropologia foi para pesquisadores que conseguiram comprovar que não são apenas os humanos que imitam os chimpanzés, os chimpanzés também imitam os humanos, com a mesma frequência e capacidade.

O estudo foi conduzido no Zoológico de Furuvik Zoo, na Suécia e foi baseado apenas em interações espontâneas, ou seja, ninguém estimulou os símios a fazer nada. Até então se pensava que macacos eram imitadores muito limitados, principalmente quando comparados com as crianças. Só que não. Eles surpreenderam.

Cerca de 10% das ações produzidas por humanos ou chimpanzés no zoológico eram uma imitação das interações das outras espécies, e também havia sobreposição nos tipos de ações imitadas por ambas as espécies, incluindo aplausos e beijos. Então, chimpanzés e humanos estão pau a pau no quesito “imitação”.

O estudo acredita que a capacidade de imitação dos chimpanzés tenha evoluído para fins de comunicação, fins sociais e de aprendizagem. Talvez com o tempo percebam que macacos são até melhores imitadores do que humanos, sobretudo se alguém enviar um vídeo do Marcelo Adnet para os pesquisadores. No aguardo.

Na categoria Ensino Médico, temos um herói: o japonês Akira Horiuchi levou o prêmio por fazer uma colonoscopia em si mesmo. Os achados foram compartilhados por ele no relatório médico “Colonoscopy in the Sitting Position: Lessons Learned From Self-Colonoscopy”, ou, em uma tradução livre, “Colonoscopia Sentado: Lições Aprendidas a partir da Auto-Colonoscopia”. Poderia facilmente ter virado Prêmio Darwin isso aí. Um procedimento que geralmente se faz com sedação e deitado foi feito a seco e sentado.

O corajoso autor da pesquisa é médico e chefia a área de doenças digestivas no Hospital Geral de Showa Inan, em Nagano, no Japão e disse ter feito esse “experimento” para entender melhor o que seus pacientes sentem. Rapaz… era só perguntar! Segundo ele, ao sentir o desconforto que cada movimento exploratório provoca, durante e depois do exame, ele pode aprender como manusear melhor o aparelho. Ah, sim, ele filmou o evento, se você quiser ver, basta clicar aqui.

O Ig Nobel de Nutrição foi para um pesquisador que resolveu estudas as propriedades nutricionais da carne humana. Calma nenhum ser humano foi morto durante a pesquisa e ninguém comeu carne humana. O valor foi estimado com uma fórmula que calcula o valor calórico de partes do corpo com base no peso e composição química. O resultado foi conclusivo: nutricionalmente, a carne humana é uma porcaria.

Se calculou que a ingestão de calorias em um dieta canibal seria muito menor do que a de outras dietas baseadas em carnes, ou seja, comer um bife de vaca é mais nutritivo do que um bife feito a partir de humano. Se alguém quisesse se alimentar só de gente, teria que ingerir uma quantidade absurda de carne humana para saciar suas necessidades nutricionais. Resumo da história: não somos nutritivos, portanto, eventuais rituais canibais que sejam ou tenham sido praticados são por pura dominância e não por necessidade.

O Ig Nobel da Paz foi para pesquisadores que estudaram o efeito do trânsito nas pessoas. Basicamente ganharam o prêmio catalogando e compreendendo os xingamentos de trânsito.
Para isso, eles mediram a frequência, a motivação e os efeitos de gritar e reclamar no volante. A pesquisa descobriu que esse tipo de comportamento é muitas vezes motivado não apenas por estresse, mas também por fadiga e motivos pessoais, logo, o trânsito seria apenas uma oportunidade, não o motivo primordial em muitos casos.

O estudo também notou que, ainda que representem um risco, há um certo grau de tolerância social aos xingamentos no trânsito, justamente por serem comuns. De acordo com essa pesquisa, xingamento no trânsito acontece com uma frequência suficiente para ser considerado comum. Aproximadamente um quarto das pessoas acaba soltando um xingamento para o colega de volante. Xingar gera alívio, reduz a tensão e não há indícios de que contribua significativamente para situações de violência. É um mero desabafo.

O Ig Nobel de Medicina Reprodutiva, que talvez seja o mais bizarro, desenvolveu uma pesquisa para monitorar ereções penianas de homens com problemas de ereção enquanto eles dormiam. A novidade é o método utilizado: colando selos postais no pênis dos envolvidos. Segundo o estado dos selos na manhã seguinte, era possível depreender a quantidade e qualidade de ereções que tiveram.

A ideia era relacionar ereções noturnas (que acabavam por rasgar ou descolar os selos) com doenças mais graves. Eles descobriram que quem acordava com os selos mais inteiros (ou seja, os que tinham menos ereções noturnas) tinham os problemas de saúde mais sérios, tendências à depressão, perda de libido e fumavam bem mais que os outros. Os exames laboratoriais atestaram: os selos funcionaram como medidor de saúde.

O Ig Nobel da Economia analisou o efeito de bonequinhos de vodu de chefes abusivos nas mãos de seus funcionários. O boneco era virtual, mas tinha referências claras aos respectivos chefes dos voluntários. Os participantes tinham a opção de usar alfinetes, alicates ou tacar fogo no boneco virtual. O estudo conclui que os participantes se sentiram melhor após o experimento e ele gerou consideráveis melhoras em seu bem estar.

Torturar bonecos de vodu do chefe alivia momentaneamente a sensação de injustiça, deixa funcionários mais satisfeitos e mais produtivos. Também costuma ser melhor para a carreira do que confrontar o chefe diretamente. Porém, isso só funciona em curto prazo, depois de um breve período de tempo, o boneco de vodu perde seu poder.

O Ig Nobel da literatura comprovou que as pessoas não se dão ao trabalho de ler o manual de instruções, mesmo quando se tratam de produtos mais complicados e de difícil manejo. Preferem aprender na tentativa e erro, muitas vezes até estragando o produto. Destaque para o nome do estudo: “A vida é muito curta para ler a porra do manual”.

O Ig Nobel da Química comprovou que lamber as coisas para limpá-las é de fato eficiente. Pesquisadores portugueses mostraram que as enzimas presentes na saliva humana mais limpam do que sujam no saldo final. Inclusive constataram que para objetos mais delicados, a saliva humana pode até ser uma das melhores formas de limpar.

O Ig Nobel de biologia provou que enólogos (especialistas em vinhos) desenvolvem um olfato tão apurados que conseguem identificar a presença de uma mosca em uma taça só pelo cheiro. Você não quer saber como foi feito, é bem nojento.

O prêmio foi entregue na Universidade de Harvard no começo do mês e os vencedores receberam uma cédula de 10 trilhões de dólares do Zimbábue, o que equivalente a alguns centavos em dólares americanos. Só para tripudiar, os prêmios foram entregues por vencedores do Prêmio Nobel.

Detalhe curioso: cada vencedor foi convidado a realizar um discurso de 60 segundos, antes de ser interrompido por uma garota de 8 anos que reclamava no palco: “Por favor, pare. Estou entediada”.

Para dizer que você tem potencial para ganhar um Ig Nobel, para dizer que nós temos o potencial de ganhar se houvesse uma categoria “blog” ou ainda para dizer que nem isso brasileiro consegue vencer: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: ,

Comentários (10)

  • Um professor meu de faculdade foi indicado anos atrás. A pesquisa era sobre como os buracos de tatu confundem os arqueólogos nas escavações.

  • – Tá vendo, vocês ficam falando mal da Disney aí, saiu uma coisa boa de lá!
    – calma aí, o vídeo da colonoscopia está dizendo China! E com outro médico! Falou em colonoscopia o que vem na minha cabeça é isso aqui: https://www.youtube.com/watch?v=QI1go72c5H8
    – hahahaha! mentira que pesquisadores portugueses queriam provar que saliva limpa!
    – o prêmio de nutrição me lembrou aquele caso das empadinhas de carne humana lá em Garanhuns…

  • Interessante o experimento do boneco chefe, poderiam refazer o estudo com algumas modificações, usando cobaias reais e eu sugiro meu ex chefe, com experimentos vencedores: Colonoscopia sem anestesia publicada a todos pra ele saber o que é tomar no cú a seco com todo mundo assistindo. O experimento com macacos seria desnecessário, pois ele e boa parte do setor já se comportam como símios. Complementando, testar o poder de limpeza da saliva cuspindo na cara dele pra ver se ele deixa de ser tão sujo, os que lambem o saco dele garantem a eficácia da saliva, pra eles tá sempre tudo limpo. Tb seria mais útil treinar o pessoal a identificar pelo cheiro se o chefe tomou certinho a medicação psiquiátrica, ao invés de farejar moscas no vinho.A equipe tem experiência em identificar vários odores, sabem o quanto ele bebeu e se ele esqueceu de usar desodorante.

  • “A vida é muito curta para ler a porra do manual”. – Nada como a licença poética…

    Sério que tu acha o Adnet um mau imitador? Acho ele genial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: