A eleição é amanhã e só nos resta aceitar. Desfavor da semana..

SALLY

Não tem como falar em outra coisa hoje que não o desastre que foi essa corrida eleitoral. São tantos desfavores, mas tantos, que nem todos poderão ser abordados. O panorama geral é: as pessoas estão malucas, fanáticas, cegas, bélicas e, acima de tudo, emburrecidas por todos estes sentimentos extremos e tomadas pelo medo.

Estas pessoas dominadas pelo medo e radicalismo se encarregaram de alavancar a candidatura do Bolsonaro, tecla na qual estamos batendo desde 2017. É exatamente o mesmo processo que os EUA passaram com Trump: imprensa batendo, celebridades menos queridas do que realmente acham que são batendo, outros políticos batendo e o povo de saco cheio desse esquema de ditadura de pensamento, votando no Trump mesmo ele sento um lixo, apenas pra quebrar esse modo de funcionar escroto e politicamente correto.

Após todos os indícios de que o Bolsonaro é como massa de bolo, quanto mais você bate, mais cresce, os idiotas dão um último empurrãozinho com o movimento #EleNão. Uma suposta “elite intelectual” do país só reforça o que eu já venho pensando faz tempo: essa suposta inteligência intelectual é uma boa duma merda. Foram todos burros, muito burros e toscos ao insistir em algo que gritantemente só vem beneficiando o Bolsonaro, culminando com essa imbecilidade de #EleNão.

Dá para explicar de várias formas. Pela física quântica, com a premissa de que “tudo aquilo no qual você coloca foco expande”, pouco importa o que você esteja penando ou desejando, contra ou a favor, se você colocou seu foco está nutrindo aquilo. Dá para explicar pela neurociência, através do efeito “economia emocional”, o público quer sempre sentir o máximo de prazer possível, por isso acaba fazendo um cálculo inconsciente de custos e benefícios em busca de mais emoção – e a emoção inesperada (uma zebra, aquele que todos estão contra, aquele que apanha de todos) é sempre maior do que a esperada (torcer por quem tem tudo para ganhar).

Ainda assim, todo mundo se dedicou a bater no Bolsonaro, a falar no Bolsonaro, a reclamar do Bolsonaro em redes sociais. O cara tinha tudo para não dar certo: uma puta rejeição, falta de conteúdo e conhecimento e um tempo insignificante de propaganda eleitoral. Mas, graças a seus maiores cabos eleitorais, sua oposição, foi o mais falado, o mais lembrado e o mais discutido durante toda a corrida eleitoral. Bolsonaro é o astro desta eleição, que se divide em quem é contra e quem é a favor dele. Percebem onde está o foco? Pois é, tudo aquilo onde a gente coloca o foco, expande.

E isso que aconteceu com o Bolsonaro é apenas um reflexo do que acontece no dia a dia, na nossa realidade. O mundo mudou e poucas pessoas estão sabendo se adaptar. Pessoas com o foco no contra, que em outros tempos eram consideradas combativas e capazes de mudar o mundo, não estão se dando conta desta mudança de dinâmica, de realidade.

Não percebem que hoje, esta postura de luta, combativa, acaba nutrindo, dando poder, dando dimensão a aquilo que elas estão tentando combater. Tudo aquilo no que você coloca seu foco, seja para falar mal, bem, criticar ou até desejar que morra, expande. Pensem bem no que vocês querem expandir, pois essas coisas nas quais vocês estão colocando foco é o que vai surgir na vida de cada um, de uma forma ou de outra.

Em vez de fazer manifestação “contra” alguma coisa, usando a energia de resistência, comecem a mudar a mente de vocês para se portar a favor do que querem. Como dizia Jung: “o que você resiste, persiste”. Hoje, não é combatendo nada com a energia da luta, da oposição, da guerra que se desfaz aquilo.

Muito pelo contrário, se alimenta, em um círculo vicioso perverso onde quanto mais você luta contra, mais aquilo persiste na sua vida e na sua realidade, deixando a pessoa frustrada e com uma tremenda sensação de impotência. O mundo mudou, o combate ostensivo já funcionou, mas hoje não funciona mais. Quanto antes vocês perceberem isso, antes podem corrigir esse pensamento e acessar um caminho mais eficiente para conquistar coisas.

Olhem à sua volta. O que tem acontecido com gente bélica, que prega o confronto, o combate? Lula, por exemplo, que ia “morrer gente”, que “pegariam em armas”, que “haveria luta” se ele fosse preso… Tá aí, né? Presinho da Silva. Adiantou porríssima nenhuma. Quando Lula era militante no ABC, esse caminho bélico da luta e resistência tinha sua função, mas o mundo mudou, hoje ele é um beco sem saída. A maior prova é Lula enjaulado faz meses.

Foquem a favor. Aprendam a não dar importância ao que vocês desgostam ou lhes faz mal, pois atenção, raiva, luta só alimentam isso e o faz crescer. O foco, a energia, o pensamento, tem que estar naquilo que vocês desejam para a vida de vocês, o resto tem que “morrer de fome” por não receber um segundo do seu pensamento, da sua fala, da sua energia.

O resultado destas eleições não vai ser bom para ninguém. Seja Bolsonaro, seja Haddad, nenhum dos dois vai realizar a mudança profunda que este país precisa para se tornar algo perto do decente. Temos dois caminhos: ficar reclamando pra caralho do resultado, ou seja, resistir e fazer com que isso persista, ou resignificar.

Resignificar algo é tentar compreender a situação como algo além do óbvio, do resultado imediato que nossa mente vê, contaminada pelos nossos desejos egoísticos. Resignificar é tentar dar um passo atrás e olhar para a situação saindo da posição de vítima, saindo da posição de protagonista, esquecendo seu querer imediato. Resignificar é um puta exercício difícil, mas que pode te ajudar a viver melhor, menos frustrado e com mais paz.

Então, se esta eleição e seu resultado cagado servir para que as pessoas (ou parte delas) se conscientizem de que aquilo que você resiste, persiste, terá sido um baita aprendizado para o brasileiro. Não o suficiente para desemburacar as pessoas e o país, mas um passinho a mais em direção à luz. Às vezes precisamos de muito adubo para plantar algo novo, a fase da adubação é ruim, é fedida, mas é necessárias. Às vezes, para que um sistema falido como esta democracia caia e surja algo melhor, é preciso que o mais incompetente dos incompetentes chegue ao poder, para que as coisas fiquem insustentáveis e impulsionem uma mudança.

Como estão todos em um frenesi de negação absurda, as pessoas só vão acreditar nos efeitos do que fizeram quando sair o resultado oficial, por isso, talvez seja necessário que se chegue a um extremo de um candidato notoriamente ruim e despreparado vencer para que esta mensagem seja transmitida e compreendida: aquilo onde você coloca seu foco expande, aquilo a que você resiste, persiste. Se você quer alcançar algo, o caminho não é pelo contra, pelo bélico, pela resistência ou pela briga. A prova disso virá nas urnas e, quem sabe, talvez, alguém tire uma lição disso.

Se 10% da população conseguirem perceber isso quando o resultado final das eleições estapearem sua cara, já terá sido um puta avanço coletivo para o Brasil. Independente do resultado, não resistam: resignifiquem. Não é conformismo, é humildade. Talvez, por algum motivo aquilo, por mais cagado que seja, fosse necessário, e você, humaninho que não sabe nada do contexto geral da humanidade, não entende hoje o motivo.

Se está acontecendo e não pode ser mudado, temos que passar por isso e ponto final, quanto mais espernear, pior pra você. Se temos que passar por isso, passemos rindo, focados em coisas boas, sem resistir. Se ame, não coloque na sua vida mais sofrimento do que aquele que já é inevitável.

Para me chamar de conformista, para dizer que ao menos você tirou um aprendizado disso ou ainda para dizer que vivemos tempos sombrios onde Desfavor é um dos lugares mais conciliadores que você conhece: sally@desfavor.com

SOMIR

Devo, não nego, pago quando puder.

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (56)

  • Je suis perdue

    Sally, as pessoas acham que você é bolsokid..
    Estava conversando com uma professora e ela me disse que o Brasil não sabe o que é viver de verdade um caos político, por isso alguns valores (humanos) são tão marginalizados e ignorados pelo cidadão médio. O brasileiro não conhece o caos que uma guerra pode causar porque nunca presenciou uma em seu próprio território, não quero dizer que entraremos em guerra, só quero justificar, se possível, a forma como o brasileiro médio vem raciocinando. O que você disse é verdade, é preciso chegar ao fundo do posso, conhecer o lado feio da história para agir de forma diferente no futuro (forço o meu otimismo nessa parte porque coloco em cheque a capacidade do brasileiro de agir de forma sensata).
    Ótimo texto, aguardo mais leituras como essa :)
    Parabéns, Sally Sensata!

    • É curioso ver o que o medo interior de cada um faz aflorar como medo exterior.

      Os medos não surgem apenas da história ou experiência, eles surgem primordialmente dos nossos medos interiores. Vemos o que criamos, o que trazemos para nosso cenário (Efeito Rosenthal).

      O brasileiro está com medo de algo que está dentro dele: violência, intolerância, etc. É mero espelhamento do seu estado de mente .

  • De início eu me assustei com a quantidade de votos do Bolsonaro e com o poder que o partido dele conseguiu – saltou de 1 deputado para 52 eleitos – mas depois refleti sobre os partidos nanicos e no PT, que ainda tem maioria. Me assustei quando percebi que não ligava e não me abalava emocionalmente, já que sempre gostei de política. E talvez por isso saiba que não faz mesmo diferença quase nenhuma quem for o presidente, os dois são horríveis e a fanbase de ambos é nojenta. Os caciques continuarão os mesmos e esse país continuará se arrastando do mesmo jeito. Pra que deixar o pânico nos contaminar?

    • Exatamente. No grosso, nada vai mudar, não vai virar Venezuela, nem vai virar ditadura. Não há motivos para se alarmar ou se estressar.

      • Os partidos do Centrão conseguiram crescimento significativo. Um monte de partidos elegeram dois, três, até meia dúzia de gatos pingados – mas não terão dinheiro nem para o cafezinho.

        Se PT e PSL mandarem no Brasil de agora em diante, pelo menos teremos os caras-de-pau da direita contra os da esquerda – e não o “me engana que eu gosto” de PT vs PSDB..

  • “Então, se esta eleição e seu resultado cagado servir para que as pessoas (ou parte delas) se conscientizem de que aquilo que você resiste, persiste, terá sido um baita aprendizado para o brasileiro.”

    O fato do Bolsonaro ter ganhado força significa que ninguém aprendeu porra nenhuma com as eleições dos EUA e o Trump, então duvido que vai ter qualquer aprendizado.

    • A maioria de fato não aprendeu, mas se um pequeno grupo perceber que a atitude do contra só fortalece o outro, já será um ganho…

  • Foi tudo esquematizado. Nos últimos dias as pesquisas aumentaram o percentual em até 41% para Bolsonaro para que o povo ficasse otimista. Porque nas urnas Bolsonaro não iria passar de 45 a 46%. Haddad estava em torno de 22, 23% e agora está com quase 29%.Ciro com mais de 12%. Tudo muito bem programado para que nas urnas desse o resultado que estamos observando agora. Tenho certeza por tudo que vi nessas eleições que Haddad não passaria mesmo sendo muito otimista de 22% e que Ciro não chegaria a 10%. Sendo assim esse restante que sobra daria para Bolsonaro chegar com folga a pelo menos 51 a 52%. Mas o que vimos foi um festival de urnas fraudadas onde se apertava 1 e aparecia a cara do Haddad. Em outras urnas encerrava sem computar o presidente e em outros casos se apertava 17 e anulava sozinho. Se isso aconteceu no sul e sudeste, imaginem no nordeste onde o povo mais pobre e ignorante deve ter aceitado esses defeitos sem reclamar. O mais interessante é que a maioria das fraudes se limitou ao presidente. Isso que eu reportei foi apenas nas máquinas, agora imaginem como não deve ter ocorrido no processamento de dados dentro do STF. Tudo isso aconteceu para justamente no segundo turno juntar os votos de Ciro, Marina, Alckimin que serão transferidos para o Haddad. Joice Hasselman já tinha avisado no seu canal um dia antes através da entrevista com um Hacker que contou de forma detalhada como isso já ocorreu em eleições anteriores. Não importa se Dilma, Lindbergh, Gleise, Jean willys tenham perdido agora. O esquema é fazer o Haddad ganhar no segundo turno, sepultar a lava-jato, soltar Lula e ambos com José Dirceu irão querer implementar o ditadura comunista no Brasil. E vão dar os ministérios para Dilma, Gleise e todos os outros que perderam as eleições. O povo de bem não irá aceitar os resultados fraudados irão para as ruas protestar. Vai começar uma guerra civil. A pergunta que eu faço é a seguinte? As forças armadas estarão a nosso favor havendo uma intervenção militar ou ficarão do lado dos vermelhos? Eis a questão!

    Claudia Marquetti

    • Não sabemos. Podemos achar que é isso, podemos achar que é outra coisa, mas… cuidado com as certezas. São especulações.

    • As suas especulações são válidas e no fundo é isso que todo mundo (que não está alinhado com a esqueda) teme. O problema de isso tudo resultar em guerra civil, além dos óbveis, é que um dos lados já foi desarmado. E quanto às forças armadas, ainda não sei o que pensar; não acredito que entre eles haja um consenso sobre intervenção, mesmo em caso de comprovação de fraude nas eleições.

      O que me causou espanto foi velocidade com que as autoridades decretaram que os problemas com as urnas não passaram de ‘fake news’. Me pareceu uma operação abafa para evitar que os vídeos que comprovariam as supostas fraudes tornassem a uma situação fora de controle.

      Se o combalido Bolsonaro não vencer, não acredito que algo de bom possa vir de um governo Haddad/Lula. Serão três longas semanas.

      • Eu juro, eu desisto…

        Isso projeta o que tem dentro da cabeça DE VOCÊS. Cada um que abre a boca para falar em “guerra civil” está revelando o que tem dentro do seu mais íntimo cantinho da cabeça. Se esse é o cenário que vocês projetam, sugiro que sentem e façam uma analise criteriosa da vida de vocês, pois tem muita coisa para ser revista.

        • Toda época de eleição aparece maluco falando em guerra civil e divisão do Brasil. É um pensamento tão antiquado quanto achar que no Nordeste só tem pobre e petista e que todo pobre é petista. Entendam que tem muita gente na “caverna de Platão” por falta de acesso à informação e tem gente que é ameaçada de verdade pra votar no PT. O mais light é ameaçarem parar de fornecer água. E tem os militantes de faculdade, mas isso é no Brasil todo.

          Se vocês parassem pra ver a apuração além do mapa colorido, saberiam que em muitas cidades grandes nordestinas o Bolsonaro (a suposta mudança) teve mais porcentagem do que o Haddad, e o PT no geral teve o menor número de votos da sua história. Apesar do atraso em relação às outras regiões, a mentalidade no Nordeste, ao menos em boa parte dele, está dando uma virada e eventualmente vai equilibrar mais as coisas. Eu observo isso e outras pessoas que moram no Nordeste vão dizer o mesmo.

          Não é uma resposta ofendidinha porque eu não sou dessas, só quero trazer um input novo porque vocês realmente estão parados no tempo. Se eu tivesse tempo até fazia um Desfavor Convidado só desmantelando mitos do Nordeste e revelando alguns podres.

          Desculpa aí pelo comentário pistola Sally, mas tá difícil, viu. Tem que jogar Rivotril na água desse povo.

          • Esta foi a eleição onde a oposição ao PT mais teve votos no Nordeste.

            Infelizmente não o suficiente para derrotar o PT no saldo geral, mas o suficiente para se dizer que uma mudança já começou.

        • Sally, é uma extrapolação. Estou falando em pior das hipóteses. Ninguém está desejando que chegue a tanto, mas que não é uma hipotese a ser descartada.
          Você chegou a ler o programa de governo do Haddad? Não te assusta a possibilidade dele implementar o que está escrito lá?
          Ainda hoje ele falou em subir a rampa junto com o Lula. Imagine o que será preciso fazer para isso acontecer?

          • O PT é um partido autoritário, que defende ditaduras e que tenta calar as vozes que discordam dele. Fato. Mas sempre foi, e isso não nos trouxe guerra civil, venezuela ou seja lá qual ameaça for. Nada vai mudar, a não ser o status de ter poder.

    • “O povo de bem não irá aceitar os resultados fraudados irão para as ruas protestar. Vai começar uma guerra civil. A pergunta que eu faço é a seguinte? As forças armadas estarão a nosso favor havendo uma intervenção militar ou ficarão do lado dos vermelhos?”

      Não, o gado irá aceitar calado e passivo, os militares não vão fazer porra nenhuma, o Bostil já é uma ditadura comunista faz tempo, essas fraudes nas urnas só confirmam isso, ao invés de tentar mudar o Brasil se mude do Brasil, é a unica solução possível.

    • Será que esse povo gado vai mexer a bunda pra fazer guerra civil?
      Se acontecesse, tomara que a secessão do país se torne real. Todo mundo já cansou do Merdeste atrapalhando o pêndulo da política, até o Norte tá tomando vergonha na cara.
      Separem eles num país só, bota o Lula como presidente eterno e deem asilo no sul pros nordestinos que detestam o PT. Que saco!

  • O sistema eleitoral está desatualizado .
    Minha sugestão :
    A primeira escolha é quer votar contra ou a favor ?
    Contra ?
    Anula um voto de quem vc escolheu
    Será divertido e atual .

  • Bem … que venha o Bolsonaro por oito anos e depois um novo bizarro surgirá para ser do contra rs . Curiosa pelos acontecimentos .

  • Esse ovo da serpente foi chocado pelo PT e pelo sr. Jean Wyllys. Parte dos eleitores de Bolsonaro se queixam da crise/corrupção e outra parte religiosa/conservadora se queixa muito da ideologia de genero. Vi videos de varios lideres religiosos e só falam disso.
    O #elenao despertou o conservadorismo pq juntou feministas pro-aborto, lideres LGBT, artistas de moral duvidosa.
    O Haddad colocou mais brasa nas proprias calças falando em Constituinte e o Dirceu em ‘tomar o poder’.
    Bolsonaro nao tinha potencial de chegar longe. Nos primeiros debates agia pior que um candidato nanico a la Daciolo. A facada o beneficiou impedindo q a população enxergasse seu despreparo. Outro sucesso de sua campanha foram seus bots e as fakenews, que nao tiverem muito trabalho com a sucessao de merdas que a esquerda cagou. Eu vejo q vao perder nao por golpe, mas por merecimento.

  • Bolsonaro é resultado de muita coisa, culpa da ineficiência do PSDB em fazer uma oposição feroz ao PT, culpa do egoísmo do PT (vendo sua rejeição deveria abrir mão do ego e apoiar o Ciro), fruto da total ineficiência do estado em fornecer segurança ao brasileiro. Claro que nem tudo é culpa da Dilma e do Lula, mas o brasileiro não quer nem saber, não possui nem inteligência pra saber o que compete à quem, o brasileiro médio quer um herói que resolva todos os problemas. Palmas ao Bolsonaro que soube se portar como esse herói que “VAI MUDAR ISSO DAÍ CETÁMINTENDENDO?”.

    A melhor coisa pro Bolsonaro foi a entrada do Haddad pois garantiu a ele todos os votos do antipetismo latente no brasileiro.

    Fica de lição a perda de força da Globo e demais emissoras de TV e grandes grupos de mídia. Alckmin com 200 minutos de horário eleitoral obrigatório não chegou nem perto da metade de força que Bolsonaro conseguiu fazendo campanha em Twitter, Facebook, YouTube e WhatsApp.

    • Fica a lição de que os tempos mudaram, a realidade mudou, usar modus operando antigo na nova realidade não funciona.

      Quem aprender a lição vai viver melhor e ter mais sucesso nas suas escolhas. Quem não aprender vai continuar com a vida emperrada, sem conseguir chegar onde quer.

  • Me indica alguma leitura sobre essas ideias que vc escreveu? Não as políticas, as ideias sobre foco de energia e resignificar

    • Kiki, qualquer bom cientista que se dedique a física quântica vai saber explicar isso bem. Eu gosto muito do amit goswami. Você também pode ler vertentes mais alternativas como Osho ou ir pro lado da psicologia, com Jung

    • Sim. Isso também passará. Cabe a nós decidir o que vai ficar disso: medo, raiva, revolta ou lições resignificadas

      • Eu ainda acho que o Bolsa Familia vai falar mais alto e a massa de nordestinos pobres vai eleger o PT… mas enfim, essa eleição vai ser bizarra de qualquer forma.

          • Sim, o povo está “viciado” demais nisso e vai continuar por muitos anos ainda (embora eu não seja contra o sistema de bem estar social em si, na verdade)
            O caso é que muita gente, especialmente em cidades interioranas pobres, são mal informadas e enganadas. Lembra em 2014 que mentiram na cara dura que o Aécio ia cortar as ajudas sociais? Essa chantagem mentirosa ainda acontece com uma frequência assustadora, palavra de quem tem bastante contato com gente baixa renda e já ouviu várias pérolas.

          • Mas quem vive de bolsa família não sabe disso. Acredita piamente que os monstros fascistas ciclistas vão tirar o seu sustento.

            • É possível. Mas quem vive de bolsa-família também está de saco cheio da violência, do mimimi e do foco no lacre. O Seu João que acorda 5 da manhã para pegar dois ônibus e trabalhar está CAGANDO para trans, bis e gays, para ecologia e para essas discussões da turma do lacre. Ele quer não ser assaltado, ele quer que a filha não seja estuprada, ele quer ter comida na mesa para comer. Enquanto neguinho focar nessas discussões de primeiro mundo, vai perder voto popular.

  • É consenso que o Bolsonaro tá crescendo por causa dos evangélicos, não por causa dos protestos contra ele. Há pressão nas igrejas, há coerção, há mentiras cabeludas. Igrejas e WhatsApp. É o que todos os estudos sérios indicam.

    61% dos eleitores do Bolsonaro revelaram no Datafolha que usam o WhatsApp, reino das fake news, como principal fonte de informação.

    PRINCIPAL FONTE! O WhatsApp.

    É gente que acredita que o PT colocou bico de mamadeira em formato de pênis nas crechês, que o Lula vai sacrificar 100 cabeças de gado para invocar satanás, coisas assim (que estão realmente circulando e ganhando voto).

    Não é o #EleNão, não são os artistas, nada disso.

    • Opa, obrigado, Dono da Verdade, por me dizer o que está acontecendo…

      Haja paciência viu? Sempre, SEMPRE que leio uma imbecilidade aqui ela vem em tom radical de certeza. Não falha

    • Um povo q se diz iluminado mas nao tem LUZ. Vivem na mentira e acreditando em mentirosos. Mts sao analfabetos funcionais, digitais, literarios, de toda a sorte intelectual e caralho a 4.
      Nao é a toa q sao roubados, iludidos, enganados. Acho q o comodismo de crer e nao fazer porra nenhuma. Coisas cairem do céu é bem coisa de brasileiro. E nao é a toa que no Brasil esse tipo de gente cresça todo dia. Estamos fudidos.

      • Não vai sair nada de bom de uma massa de pessoas movidas a medo e ódio. Enquanto o brasileiro não expandir um pouco sua consciência, não faz diferença quem ganhe, tudo vai continuar uma merda

    • Sally vc devia fazer um post sobre o Jean Wyllys e outro sobre os evangelicos. Acho q analises clinicas em parasitologica de fezes ou veterinaria de esterco de animal devem esplicar melhor o Brasil do que doutorado em politica e sociologia juntas.

    • Pressão nas Igrejas, meu filho? Evangélico raiz – de todos os tipos – vota com MUITO gosto em qualquer um que livre o Brasil do PT e de qualquer um que se converta em ameaça às suas atividades.

      Os Nutella do meio são apenas uns 10%. Esses, contudo, não são muito diferentes da Maria do Rosário.

    • Concordo plenamente! É simplesmente ridículo transferir a responsabilidade do êxito de um desqualificado como o Bolsonaro para quem teve a sensatez de resistir ao autoritarismo, machismo e homofobia.
      A estupidez reacionária se disseminou através de esquema de publicidade dirigida e manipulada, ideal para incitar a burrice de religiosos e de outros grupos. Oh, mas claro, a culpa é de quem não se calou diante dos reacionários hipócritas! Reação ao êxito nas pesquisas desde o início do ano, diga-se.
      Aliás, é engraçado: tanto se fala em vitimização de certas partes da sociedade, mas o Bolsonaro não se pode criticar! Oh, muito coerente!
      Mas é claro que a arrogância elitista da autora das postagens no site tem que arranjar um jeito de responsabilizar quem não se submete ao conservadorismo galopante no país. Mais que um convite à passividade, o texto é um pleito por alienação.
      Parabéns.

    • Interessante…
      Os evangélicos perfazem 23% da população brasileira
      Bolsonaro teve 46% dos votos
      Então, voto de crente tem peso 2?

      • Muito evangélico votou na Marina, muito evagélico votou no Haddad, muito evangélico nem votou. Não dá para creditar nada a evangélico. Até porque, os votos do Bolsonaro são em sua maioria de pessoas com alta escolaridade e… bem… vocês sabem…

        O que impulsiona o Bolsonaro é o sentimento anti-PT, anti-politicamente correto, anti-lacre. Isso sequer se discute, a menos que a pessoa seja muito negadora.

  • Considero esta a eleição do saco cheio: Bolsonaro vai ganhar, talvez em primeiro turno, justamente porque o cidadão comum está sem paciência nenhuma para encarar um bando de convencidos gritando palavras de ordem o tempo todo na sua frente – e bancando as vítimas quando são contrariados.

    Duas dicas deveriam ser repetidas à exaustão para essa gente:
    – primeiro, nunca se considere “o certo” numa discussão; mesmo quando todos os argumentos forem a seu favor, estatísticas não valem nada diante da visão subjetiva do seu interlocutor;
    – segundo, jamais se vitimize, ou se coloque na posição de “coitado”, pois ninguém vai ter respeito por você.

    Os lacradores não seguiram essas regras básicas – e estão se ferrando, justificadamente, por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: