Máquina de moer reputações.

A jovem de 19 anos que registrou boletim de ocorrência relatando ter sido marcada com uma suástica, símbolo do nazismo, em Porto Alegre, desistiu de dar continuidade à denúncia. Ela abriu mão da chamada representação criminal e tem seis meses para retomar a denúncia, caso deseje. A Polícia Civil, entretanto, seguirá investigando o caso. LINK


Além do caso da suástica, surgiram diversas outras notícias esta semana sobre ataques de simpatizantes do Bolsonaro. Tem algo bem estranho aí… desfavor da semana.

SALLY

Tem tanta, mas TANTA coisa para falar mal do Bolsonaro que me ofende quando as pessoas se dão ao trabalho de inventar motivo, acaba depondo a favor dele. Hoje em dia, em tempos de militância investigativa, de internet, de troca rápida de informação, você tem que ser muito bom, muito inteligente, muito estrategista para inventar uma mentira que repercuta e ela não seja desmascarada.

Como bem sabemos, a militância política hoje se assemelha mais a torcedores fanáticos de futebol do que a pessoa discutindo ideologia. Quando é publicada uma notícia que prejudica algum candidato, sua militância em peso começa a revirar as fontes, os fatos e os repórteres que a escreveram. Um aciona o outro, quem mora na cidade onde o fato ocorreu procura saber detalhes pessoalmente, vira uma bola de neve investigativa que não pode der parada ou calada por ninguém, nem mesmo pela polícia ou pela mídia.

Pois é, parece que a união, além de fazer açúcar, também faz a força, como diz o velho clichê. São milhões de pessoas (literalmente, não é exagero) unidas em rede investigando e trocando informações. Mais do que nunca, mentira tem perna curta. Curtíssima. E quem não se deu conta disso protagoniza vexames como ser preso por um recibo falso datado de 31 de fevereiro. Os tempos mudaram, não vou cansar de repetir esta frase. Para mentir hoje em dia e sair ileso, é preciso muito mais cuidado do que antigamente.

Esta semana vimos duas provas disso, duas noticias claramente plantadas para prejudicar Bolsonaro, com 58% das intenções de voto no segundo turno. Haddad precisa tirar 8% dos votos dele em duas semanas, uma tarefa praticamente impossível. Sabemos como o PT se move, com sua máquina de moer reputações. Durante décadas provocaram demissões, linchamentos e até extradições de diplomatas. É assim que eles agem, fazendo por onde moer reputações.

Já trabalhei “para” o PT no funcionalismo público em um período onde eles estavam no comando do meu cargo/setor. Quando alguém atrapalhava a vida deles de alguma forma, eram feitas REUNIÕES oficiais e obrigatórias para discutir como difamar a pessoa que estava atrapalhando para tirá-la do caminho. Sim, apesar de trabalhar no funcionalismo público, ou seja, para o povo não para o Governo, eu era forçada a fazer um brainstorm com todo o resto das pessoas onde todos tinham que dar ideias de planos para acabar com a vida de pessoas.

E não falo de bandidos. Falo de pessoas, por exemplo, que moravam em um mesmo lugar há 40 anos, portanto, tinham direito a aquele terreno, em virtude de usucapião. Mas construtoras queriam fazer um prédio ali, então, era preciso tirar estas pessoas, apensar do seu direito adquirido, apesar de uma suposta ideologia pensando nas minorias. Se vocês soubessem a quantidade de inocentes (pobres) que foram presos porque enfiaram drogas na casa deles, imputaram falsos estupros, plantaram provas de falsos homicídios e tantas outras baixarias, tudo para removê-los do local e dar terreno para empreiteira e construtora trabalhar…

“Mas Sally, esse meio é uma baixaria, todos mundo faz”. Meu anjo, fiquei dez anos no funcionalismo público, passei pela mão de quase todos os partidos. Essa máquina de moer reputação É APENAS DO PT. Os outros têm seus erros sim. Subornam, compram juiz, falsificam documento, fazem muitas falcatruas para conseguir o que querem, mas não vivem de moer reputação. Moer reputação é o modo de funcionar do PT. Está tão enraizado, que não conseguem ou sabem fazer diferente, mesmo em casos como este, onde a verdade poderia estar do lado deles.

Ocorre que, mais uma vez, os tempos mudaram. O que funcionou muito bem por décadas, não está mais funcionando e eles não estão se dando conta, apesar das muitas evidências. As pessoas perceberam, cansaram e começaram a reagir. Hoje, qualquer tentativa de moer reputação é muuuuito bem investigada, vide os dois casos que mataram na raiz esta semana.

No primeiro, uma mocinha alegava ter sido abordada por militantes do Bolsonaro e que, por ela estar trajando uma camiseta escrito “Ele não” a pegaram à força e desenharam uma suástica na sua barriga cortando sua pele. No momento em que eu vi a foto eu soube que era falso, mas não tenho interesse em dizer uma coisa dessas, pois vão achar que sou militante do Bolsonaro e vir para cima moer minha reputação também.

Primeiro que o arranhão estava feito com todo carinho e cuidado, superficial e sem marcas. Quem pega alguém à força deixa hematomas, rasgos na pele, etc. Segundo, que a suástica estava invertida, o que indica que a própria mocinha, burra pra caralho, fez o desenho olhando no espelho. Fiquei na minha, mas comentei com pessoas conhecidas que aquilo era falso. Nazista raivoso disposto a ferir alguém vai fazer uma coisinha assim, leve, fina e superficial, sem marca de segurada, sem hematoma? Nazista vai errar a porra da suástica?

Não demorou muito para a verdade vir à tona. Depois de postar a foto da suposta suástica feita à força em redes sociais e conseguir toda a atenção que queria (pois o PT repercutiu o caso mais do que a prisão do Lula), a polícia decidiu investigar, afinal quando tomam conhecimento de um crime, é obrigação apurar.

E não é que quando a polícia foi investigar, a menina disse que não, obrigada, ela não queria que apurassem o caso? (papo técnico: recusou a representação criminal, ela não deu autorização para que o caso prossiga). Aí a coisa ficou feia, pois divulgar um crime que não existiu… é crime! Agora a mocinha que teve seus quinze minutos de fama está bem encrencada e o PT saiu ainda mais desmoralizado.

Outro caso que deu o que falar: um mestre de capoeira teria sido morto a facadas por um militante do Bolsonaro, por ter votado no PT. Vamos começar pelo óbvio: um mestre de luta é um cara que está no grau máximo de conhecimento e de técnica daquela luta, ou seja, alguém com muita força, destreza e capacidade de se defender. Com uma arma, você mata. Com um faca… Olha, no mínimo vai ter alguma resistência, que não foi o caso, pois ele tomou 12 facadas. Para completar, foi na Bahia, o que, por si só, me faz desconfiar de tudo: capital do Lacre e do PT.

Também não demorou muito para prenderem o culpado, que, por sinal, se entregou voluntariamente, e a verdade aparecer. Em uma entrevista que está disponível na internet, o culpado admite o assassinato, mas fala que não teve absolutamente nada a ver com qualquer questão política, estavam ambos encachaçados em um bar e foi uma briga de bêbados. Pode ser uma tentativa de ocultar algo? Poderia, não fosse o fato do dono do bar ter visto tudo e confirmar esta versão, bem como todos os presentes.

O mais curioso é que na mídia sai a notícia sobre a “violência cometida” na manchete, mas o desmentido sai numa nota do rodapé que ninguém vê. Bolsonaro levar uma facada, vista pelas pessoas na rua, pela polícia militar, pela polícia civil, pelos bombeiros, pela Santa Casa e sua junta médica, pelo Einstein e sua junta médica é mentira. Foi tratado como mentira e ainda o é por muitos descontrolados esquerdistas. Menina que aparece com suástica investida sem qualquer outra marca de violência e não quer que a polícia investigue é verdade verdadeira. É por coisas como essas que o PT levou uma sova nas urnas e vai continuar levando.

Máquina de moer reputação não adianta mais. Se atualizem. Estão todos cansados, todos investigando de volta, todos gritando alto e falando o que a imprensa não fala. O mais grave é que sobram argumentos para se criticar ou atacar o Bolsonaro, não tem necessidade de inventar nada! Poderiam vencer usando apenas a verdade! Mas, ao inventar coisas e depois serem desmascarados, o recado que passam é de que Bolsorado é uma pessoa sem qualquer erro e por isso se faz necessário montar armadilhas. SOBRAM argumentos para desqualificar o Bolsonaro, parem de inventar, cacete!

É graças a essas invenções, a esse modus operandi de Máquina de Moer Reputações que a esquerda está com essa rejeição violenta. Não cola mais. Apesar de terem torcentos argumentos com base na verdade para detonar o Bolsonaro, eles são viciados em mentira, aprenderam a sempre mentir, sempre moer reputação, pois foi o que sempre fizeram e deu certo. Se tornou um vício, um hábito ruim que não conseguem mais evitar.

E é graças a essa maldita forma de funcionar de Máquina de Moer Reputações que esses idiotas vão eleger Jair Messias Bolsonaro, mesmo sobrando argumento para mostrar o quão péssimo ele é. Parabéns pela incomPTência, seus filhos da puta, seus idiotas, seus dinossauros parados no tempo, vocês foram os maiores cabos eleitorais do Bolsonaro e principais responsáveis por brasileiro ter que aturar esse cara quatro anos no poder!

Para dizer que é verdade esse bilete, para dizer que sempre soube que capoeira era só gingadinha de merda e não prestava como luta ou ainda para dizer que é melhor JAIR se acostumando: sally@desfavor.com

SOMIR

Mesmo diante da danação que me acomete nos últimos tempos, ainda fui capaz de acompanhar um pouco as notícias. E quando começou a torrente de casos de supostos defensores do Bolsonaro contra as mais diversas minorias (considerando os votos, o PT virou minoria…) no país, começou uma difícil disputa dentro da minha cabeça: o meu lado idealista dizendo que não é uma boa coisa começar a duvidar de quem denuncia uma violência, e o meu bom senso percebendo todos os sinais de armações para sujar a imagem do Bolsonaro e seus eleitores.

Eu não quero ser a pessoa que ignora um pedido de socorro e culpa a vítima, mas a realidade é cruel nesse ponto, especialmente depois que você acumula alguma experiência de vida. Denúncias falsas são muito comuns, especialmente entre as pessoas que normalmente são mais propensas a sofrer com esse tipo de violência. Muito mais fácil passar uma mentira de que foi atacado e abusado se as pessoas já te reconhecem como um tipo oprimido. Sei que não é algo agradável de lidar, mas se deixarmos a verdade de escanteio pelo o que é mais fácil de aceitar, ninguém segue em frente.

O caso da suástica foi emblemático: eu queria acreditar na garota, de verdade. Mas não dá. A história dá muito mais sinais de uma fabricação dela do que um ataque real. A Sally já explicou alguns dos motivos, mas eu adiciono mais um: é extremamente conveniente. No momento pré-eleição com o Bolsonaro em primeiro lugar, com um relato idealizado de covardia e maldade dos vilões. Sinto-me mal dizendo isso, mas parece história de criança: não tem nuance, é extremamente maniqueísta. Chega até a ser inocente, de uma certa forma. O bandido perfeitamente maligno atacou a pessoa perfeitamente inocente e deixou um símbolo perfeitamente inflamatório marcado na pele dela para render uma foto perfeitamente viral. O delegado explicando que era um símbolo budista foi ridículo (é sim, mas não existem gangues de budistas nas ruas, não?), mas a história dela simplesmente soa “boa” demais para ser verdade.

Talvez falte essa noção de exagero narrativo no cidadão médio, o brasileiro é meio Daciolo com medo da URSAL mesmo, mas para quem consegue pensar um pouco mais, fica muito estranho na hora. A vida real não costuma ser dessa forma. E foram muito mais casos além desse. Desde gente fotografando pichação de banheiro até outros casos de violência contra outras minorias. Nenhum desses casos é impossível de ser verdade, mas o timing é estranho e tudo soa igualmente conveniente. Tem que investigar? Claro que tem. É a função da polícia, independentemente da eficiência dela. Mas está cada vez mais estranho.

E eu digo estranho só porque aquele meu lado idealista ainda está me pedindo encarecidamente para não desistir. Porque meu lado realista já não está engolindo nenhuma dessas notícias. No momento que saiu a história do mestre de capoeira assassinado num bar, eu só enxerguei dois bêbados tentando se matar como acontece todos os dias sem falta no país. Normalmente eles se matam por time de futebol, mas com o ambiente político atual, deu pra inventar um motivo novo para expressar a brutalidade tão comum nesse povo. Vão se matar enquanto o índice de desenvolvimento humano for tão baixo, e quem ficou vivo que escolha a motivação depois.

Essa tática de sensacionalismo para gerar comoção popular é muito velha. Boa parte das guerras da era moderna começou desse jeito. Os EUA pagaram uma atriz para posar como local e dizer que o Saddam estava matando bebês no Kuwait como desculpa para entrar na primeira guerra do Iraque, e nem é mais teoria da conspiração nos dias atuais, aconteceu mesmo. Não é incomum encenarem ataques contra civis nas zonas de guerra modernas para fazer a opinião pública mundial se comover. A verdade é que em alguns casos funciona e os fins justificam os meios. Mas para pessoas bem informadas com um mínimo de senso crítico chama atenção demais.

Por sorte (de quem faz) essas pessoas são uma minoria. Infelizmente a média é de pessoas que acreditam piamente no que leem ou que decidem imediatamente o que é verdade ou não baseadas no seu gosto pessoal. Nesses casos recentes sobre o Bolsonaro: se é fã dele, é tudo mentira e pronto. Se detesta o candidato, é tudo verdade e é crime questionar. Estamos falando da polarização faz muito tempo, e sempre aparecem novos motivos para ela ser tão danosa. Dessa vez, emburrece as pessoas. Perdem a vontade de pensar sobre as informações e vão só escolhendo suas emoções de acordo com o lado que defendem.

Eu já decidi que vou votar no Bolsonaro no segundo turno, e eu acho ele uma merda quase tão grande quanto a maioria dos seus detratores. Não quero deixar o país na mão do PT enquanto o PT for comandado pelo Lula e seus comparsas mais do que não quero uma ameba reacionária com a faixa de presidente. E se você discorda sobre qual dos males é o menor, direito seu. Mas percebam que quando vem de um lugar racional e suficientemente moderado, é possível discutir. Discussão que não existe quando pessoas começam a mentir de forma infantil para atacar o outro candidato. Quando acham que vale tudo para punir o outro e conseguir o que quer, mesma mentalidade que fez do PT o problema que se tornou.

Não quero essa gente nem essa mentalidade com poder novamente. Poucas coisas me assustam mais que burrice, com gente burra não se conversa, não se negocia, elas podem fazer qualquer maluquice a qualquer momento, certas de que faz muito sentido. E a maior prova de burrice é que não está colando, eu aposto que ainda tem mais votos indo para o Bolsonaro depois desse festival de acusações estranhas e mal fundamentadas.

Eu não queria eleger o Bolsonaro, então não fiz nada para ajudar. Mais do que pode ser dito de todos os lacradores que só explicitaram os motivos para não deixar a mentalidade PT assumir o país. Da próxima vez arma isso melhor, porque não deu certo.

Para dizer que o desfavor sempre foi de direita, para dizer que o engraçado é que a maioria das pessoas nem liga para essas acusações, ou mesmo para dizer que sempre pode ser pior que a gente imagina: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (46)

  • Esqueceu do caso do cara que foi agredido na boate Ziggy.
    Ele alegou que foi porque estava com uma camisa de Ogum e por terem colado um adesivo do Haddad em seu amigo.
    Depois a casa mostrou um desmentido com vídeo, mostrando que ele estava roubando um quadro e uma cortina, sei lá, da casa, daí ao ser interpelado, ele deu uma garrafada em alguém que teve briga que envolveu um outro cliente e até um flanelinha da rua.
    De cara eu já começo duvidando destas narrativas.
    O dia que for verdade, ninguém mais vai acreditar.

    • Assim como babalizaram e desacreditaram o assédio, o machismo e o estupro, vão fazer com a agressão. Lamentável, todo mundo perde.

  • Dava pra ver a km de distância que aquilo era falso, ou, na pior as hipóteses, uma sessão sadomasoquista mal-feita. Como você disse, ela é bem tapada…. 50 tons de idiota.

    • São anos de impunidade, inventando qualquer merda e funcionando, colando imediatamente. Vai demorar até cair a ficha de que não se empurra uma mentira goela abaixo com tanta facilidade agora.

  • Pra quem já fez queima de arquivo com sindicalista de partido “aliado” pra colocar outro mais alinhado com o esquema no lugar, moer reputações é coisa pequena. O PT é que tem muita sorte de não ter sua reputação moída pelo rolo compressor que veio junto com o Bolsonaro.

  • HAHAHAHAHA, então era fake?

    Essa menina me pegou. Me enganou. Por 2 minutos.
    POR DOIS MINUTOS.

    Na hora fiquei indignado, como pode um absurdo desses? Aí pensei, espera aí, e aquele caso da brasileira “atacada” na Suiça há uns 10 anos? É, parece que estava certo da suspeita. Recorreram ao mesmo recurso.

    Os dois lados estão cada vez mais sujos.

  • O problema dessas eleiçoes mais ‘Casos de Familia’ de nossa história é falta de discutir projetos pq tudo esta focado nessa violência ou nas figuras. E ninguem ta nem ai, o que vale é esse FlaxFlu irracional fanatico, proprio de um povo egoísta e imaturo. Naçao aqui passa longe. Brasileiro finalmente se revelou e agora nao tem mais como posar de pacifico e cordial.

  • Nós estamos passando por uma época de miséria intelectual quase absoluta. E ela se reflete em tudo, especialmente na política. Transformar isso em um texto interessante é realmente um milagre. Bjs de luz pra você e pro Somir.

      • “Pode ser uma tentativa de ocultar algo? Poderia, não fosse o fato do dono do bar ter visto tudo e confirmar esta versão, bem como todos os presentes.”

        – Alguma fonte p/ essa alegação?

          • Por acaso eu fui grosseiro? Estou apenas interessado em saber onde estaria a corroboração de testemunhas p/ uma versão que ignore o contexto político da motivação. Nas matérias em vídeo que encontrei, além da questionável versão do assassino, o máximo de informação sobre a parte das testemunhas, de acordo c/ a delegada, é que houve ofensas de ambos os lados. Mas em nenhum momento há uma negação daquilo que foi apurado como estopim p/ a discussão.

            Ambos os textos publicados nesse blog apontam que foi apenas uma briga corriqueira de bêbados igualmente desprezíveis num bar, logo não seria prudente ter o devido embasamento p/ chegar a tal conclusão?

            • Vou repetir mais uma veze vai ser a última: existe um vídeo que dá “embasamento para chegar a essa conclusão”

            • Motivação politica não “foi apurado”.
              Apenas foi a primeira alegaçaõ da militância que não pode ver um cadáver que já corre pra usar ideologicamente.
              E não ter negação de que foi politico, não significa que foi.

              • “E não ter negação de que foi politico, não significa que foi.”

                – Então, no mínimo, o caso poderia ser tratado como inconclusivo. Mas os donos do blog aqui, incluindo a educadíssima pessoa que me respondeu e se recusa a indicar o vídeo que elucida o crime de forma taxativa, não se percebem como hipócritas ao agirem exatamente como o PT que tanto criticam.

  • No primeiro turno, eu estava achando que Jolsonaro iria ganhar, mas agora, acho que o Haddad está crescendo (em cima das minorias) e pode levar essas eleições. O triste nisso tudo é que nada vai mudar substancialmente, fomos todos usados como massa de manobra para que ele ganhem seus salários invejáveis. Não consigo por fé na política brasileira.

    • É uma situação atípica, Poket não pode sair para as ruas como deveria para fazer campanha. Difícil fazer previsões

    • Mea culpa. A poucos dias eu também afirmei que a morte do capoierista tinha sido em razão de uma briga comum entre bêbados. Motivo fútil e não por razões políticas.

      Pois bem, antes de mais nada, me compadeço com a morte do Mestre Moa e acho lamentável morrer desta maneira.

      Mas ao contrário do que estão alardeando por aí, ele não foi morto em decorrência de “fascistas intolerantes eleitores do Bolsonaro que querem exterminar a oposição”.

      Ele foi morto numa briga de bar entre bêbados. E não importa se foi por futebol, por discussão religiosa ou por votar em candidato A ou B.

      Isso sempre acontece, e aconteceu. Fins de semana já são esperados hospitais e delegacias mais cheias por conta incidentes, brigas, agressões ou mortes em decorrência do álcool.

      Quem é ignorante e desequilibrado não precisa de motivos ou ideologia pra matar.

      Lamentável mesmo é a militância usar mais um cadáver pra fins ideológicos pra ter uma nova Marielle. Não se importam com morte, apenas com a morte de quem possa embasar suas narrativas.

      • É triste que a versão que fique seja a de quem grita mais alto. Hoje existem infinitas formas de divulgar informação, você acha o que quer: se quer achar que foi um crime por motivação política, vai ter quem o afirme e respalde essa enorme vontade de que de fato seja isso. Se quiser encontrar o outro lado, também encontra.

        O que não pode é fazer dos outros “Babá de Informação” e delegar essa tão importante busca pela verdade. Quem tem filho de bigode é gato, cada um que procure as fontes e cheque as notícias, como você fez sozinho, Hugo. Foi uma briga de bêbados, assim como a suástica na igreja foi pichada por apoiadores do PT, que aparecem nas câmeras de segurança metros depois escrevendo “Ele não”, assim como a menina que teve a suástica arranhada no pescoço fez uma auto-lesão. Quem não vê um padrão em sucessivos “crimes por motivação política forjada” está apenas cego, vendo o que quer.

        • “O que não pode é fazer dos outros “Babá de Informação” e delegar essa tão importante busca pela verdade. Quem tem filho de bigode é gato, cada um que procure as fontes e cheque as notícias, como você fez sozinho, Hugo.”

          – Parabéns, Hugo! Você pelo visto encontrou a verdade inquestionável sobre esse caso. Pena que eu seja tão incompetente e não tenha conseguido…

          Só quero acrescentar que não sou militante do PT, nem de nenhum outro partido. Acho que esse reducionismo não acrescenta nada ao que deveria ser uma discussão racional sobre o assunto. Pena que isso aparentemente seja impossível por aqui…

          • Se em vez de vir aqui encher o saco com comentarios que nao acrescentam nada voce procurasse a informação que quer, pouparia tempo de todos nós.

            É o ultimo aviso: mais um comentario com polemica vazia e será banido.

          • Não é “verdade inquestionável”. Vc pode por exemplo questionar, argumentar e apresentar informações em que numa balança “ideologia política” vs “álcool”, a ideologia teria matado sozinha o capoeirista.
            Fico aberto a qualquer refutação.

  • O que eu mais presencio é a esquerda “boazinha” ofendendo, xingando, agredindo, os eleitores do Bolsonaro. Dizem que a direita incita a violência, mas quem levou a facada? Não cola mais. Ficam subestimando a inteligência alheia com essas armações ridículas, nem precisa investigar pra saber que é falso. Agora, pra encher mais o saco, estão dizendo que o pocket vai acabar com as florestas, com a natureza etc. PQP, se quizessem preservar mato que tivessem colocado a Marina no segundo turno! Que acabe logo essa merda de eleição. Desculpa o desabafo. Só aqui posso ser sincera.

        • A agenda ambiental é uma coisa que me preocupa muito independentemente de quem ganhar. Deixando de lado o mimimi que irrita mesmo todo mundo, o regime de chuvas do país inteiro depende da floresta Amazônica e do cerrado.

        • Se ele conseguir transformar os quilombos e as terras indígenas em locais que deem sobrevivência aos povos que estão lá – deixando de ser depósitos de gente – terá feito um milagre.

  • Esse caso da suástica é surreal e sensacionalista demais para ser verdade. Não vou votar no Bolsonaro, mas estou de saco muito cheio desse povo que acha que eke é o arauto do nazismo e do fascismo. É um esforço muito grande para ligá-lo a Hitler…. com suásticas erradas! As usadas nesses ataques falsos são budistas, a nazista é em outra posição. Mesmo assim, dá medo de levantar essa hipótese em público.
    Sinceramente, sei que muitos dos ataques foram reais, mas não há nada de novo nisso, gente preconceituosa e violenta não é novidade nenhuma e nem nasceu de uma árvore regada com o discurso do Pocket. Acho um desrespeito imenso que a esquerda se aproprie das causas LGBT/feministas/antirracistas para forjar ataques e sujar mais ainda a imagem de movimentos que podiam mudar o mundo se focassem menos em lacração e gritaria. Não faz a menor diferença se Andrade ou Pocket ganharem, o problema do preconceito é mais profundo que isso e a cultura de lacração só vai piorá-lo.

  • Lendo o texto do Somir, sabem do que eu me lembrei? Daquele filme “Mera Coincidência”, dirigido por Barry Levinson, onde um misterioso “especialista em situações de crise” (Robert De Niro) recorre a um produtor de cinema (Dustin Hoffman) para juntos “criarem” uma guerra com a Albânia – país sobre o qual ninguém sabe nem onde fica – usando atores e truques de estúdio. O objetivo é desviar, ainda que só por uns poucos dias, a atenção da mídia e do público de um escândalo sexual que pode pôr a perder a reeleição do presidente dos EUA. Os problemas no entanto, começam quando a dupla, para sustentar uma mentira, se vê obrigada a inventar outras e mais outras e acaba se enrolando cada vez mais.

  • E a imprensa ainda repercute como se verdade absoluta fosse. Dá nojo essa mídia partidária (apavorada com a certeza da perda das verbas publicitárias do governo) que esqueceu o verdadeiro sentido do jornalismo. Estão divulgando fotos de suásticas em banheiros de faculdades de sabe-se lá quantos anos atrás como se tivessem sido tiradas ontem, com recadinhos nazistas contra negros e nordestinos. E ainda tem o agravante de os pingos dos ‘i’s desenhados com bolinhas. Ah, francamente!!! É tão raso e infantil que fica difícil argumentar que essa explosão de ‘denuncias’ não tem o único objetivo de caluniar e tirar votos do Bolsonaro.

    Cada dia mais nojo do PT, da esquerda, e de sua militância demente e insandecida. Daqui até o dia do segundo turno vão fazer o diabo, como a outra mesmo já disse, para vencer. O capitão que se cuide. Mais do que nunca meu voto é dele.

  • O engraçado é que não faltam vídeos de militante esquerdista agredindo eleitores do Bolsonaro na Internet. A “tolerância” dos “tolerantes” está aí pra todo mundo ver.

    Mas quando é o contrário é sempre uma historinha mal formulada, um acontecimento surreal, sem provas, sem vídeos, sem B.O… Aí fica difícil, né? Haja cinismo!

    Bolsonaro não poderia ter escolhido cabos eleitorais melhores. Praticamente estão implorando pra votarem nele.

    • A intolerância é generalizada, só que quando é contra a esquerda é homofobia, violência etc e quando é contra a direita forma eles que pediram por causa do seu discurso.

      Difícil compactuar com isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: