No mundo dos jogos, os Non-Playing Characters (NPCs) são justamente o que o nome sugere: personagens que habitam o universo do jogo em questão, mas são controlados pelo computador e não por uma pessoa. Na grande guerra das memes da internet moderna, eles viraram motivo de banimentos em massa no Twitter e a fúria da turma do lacre nos EUA. Não entendeu nada? Melhor prestar atenção, porque logo logo chega aqui.

Resumindo a polêmica, a turma anti-lacre começou a chamar a turma do lacre de robôs sem cérebro que só repetem o que a mídia diz sem nunca pensar no que realmente estão dizendo. Só que ao invés de dizer isso com argumentos bem construídos, estão fazendo com piadas e uma personagem adaptada de outra meme que estampa o texto de hoje. Tocou num nervo. A turma do lacre ficou bem irritada com essa meme, e a central geral do lacre, o Twitter, ficou tão irritada que começou a banir todo mundo que estava “brincando” de NPC e repetindo o discurso politicamente correto de sempre. Os trolls (como sempre, a turma do /pol/) sentiram o cheiro de sangue na água e estão botando cada vez mais conteúdo dentro da meme. Ela é tão poderosa que acredito que vá se globalizar de vez nas próximas semanas e meses, e vai encontrar terreno fértil no Brasil.

Um pouco mais situados? Podemos então explicar melhor como essa é provavelmente a prova que memes finalmente chegaram na sua maturidade como mecanismos de propagação de ideias. A quantidade de informação codificada naquela simples carinha cinza repetindo o discurso politicamente correto é imensa, mesmo que você não saiba exatamente toda a discussão política e social envolvida nela, ainda sim consegue notar o ponto central da crítica. Como é um desenvolvimento da internet americana por enquanto, a frase mais comum de um NPC é “Orange man bad!” (Homem laranja ruim!”), refletindo a putez interminável de boa parte da população americana com seu presidente.

E o que seria esse tal de NPC? Bom, essa explicação está conectada com duas fontes originais bem anteriores ao desenvolvimento da meme, a primeira um estudo de uma universidade inglesa de 2011 sugerindo que 60% das pessoas experimentam alguma forma de “diálogo interno”, conversando com suas próprias mentes. Mas que só 25% das pessoas pensam dessa forma o tempo todo. Nem é meu ponto discutir essa pesquisa, na verdade foi um tema que se popularizou na mesma época que a “Teoria dos NPCs” também foi redescoberta, vinda de um tópico da Reddit de uns 2 anos atrás.

A Teoria dos NPCs, nada mais que uma ideia de um nerd fã de Matrix, sugere que se estamos numa simulação como a do filme e a população continua aumentando, é provável que a Matrix comece a adicionar mais e mais “pessoas” no mundo sem ter necessariamente um corpo de verdade lá fora. Essa parte não faz o menor sentido nem dentro do universo da Matrix, mas… o resto da explicação dele por imaginar que o mundo possa ser assim que dá corpo para tudo o que vem depois. Ele diz que sente que tem algumas pessoas estranhas no mundo, que parecem meio ausentes quando se fala com elas, tem personalidades extremamente genéricas, gostam só de coisas extremamente populares e só dizem basicamente o que outras pessoas já dizem. É como se elas fossem tão perfeitamente medianas que até pareciam ser produzidas em massa e usando o mesmo cérebro.

Mais ou menos como NPCs nos jogos de videogame e computador. Sabe aquela personagem que você interage para comprar e vender itens, pegar missões ou mesmo aprender mais sobre o jogo ou sua história? São programados para reagir a algumas ações do jogador real, mas só isso. Em jogos de RPG é comum você tentar falar com um NPC várias vezes e ele começar a repetir a mesma coisa sempre. O NPC foi programado para um objetivo e não tem capacidade de lidar com algo novo e inesperado.

E como bem na época os nerds/trolls estavam usando o estudo sobre as vozes internas para chamar uns aos outros de burros (por ter ou não ter essa tal da voz interna), a coisa se encaixou perfeitamente. Como o /pol/ tem forte inclinação de direita, foi um pulo para misturar as coisas e dizer que o pessoal de esquerda só podia ser formado por NPCs repetindo sem parar as frases da grande mídia por incapacidade natural mesmo de pensar por conta própria. E aqui eu tenho que ser menos imparcial: a turma do lacre encaixa como uma luva nessa acusação.

E foi aí que doeu. A trollagem do /pol/ foi a seguinte: começaram a criar contas de lacradores no Twitter com a cara do NPC, e variações hilárias de seus interesses. Trans veganos anti capitalistas e coisas do tipo. Eles só repetiam as mesmas coisas que a turma do lacre já estava escrevendo, com algumas piadinhas eventuais de bugs e falhas no texto. Mas no final das contas, estavam só repetindo o discurso. Trump é maligno, todo mundo que não concorda com eles é nazista, todo homem é estuprador, todo branco é racista, etc.

Apesar do Twitter ainda ter uma comunidade do contra no Brasil, é essencialmente a central do lacre mundial e especialmente nos EUA. A política da empresa está cada vez mais parcial para a esquerda lacradora, estão banindo mesmo quem não comete nenhum crime, por não gostarem do posicionamento político. Perderam a linha de vez com os NPCs: foram mais de 1.500 banimentos baseados em nomes e fotos relacionados com a meme.

Óbvio que agora a meme não vai morrer. E já está emputecendo mais e mais lacradores: estão reclamando que a meme desumaniza pessoas e pode ser perigosa. O que é totalmente verdade, por sinal, mas não deixa de ser chumbo trocado. Os lacradores reclamando de desumanizar o adversário é tipo o PT reclamando de Fake News. Eventualmente o outro lado aprende a fazer também. Chamar qualquer um de racista, misógino, homofóbico e nazista por qualquer discordância é uma forma de desumanizar também. Até por isso que eles não tem dó nenhum de ir tentar destruir a vida da pessoa pelas redes sociais, tentando tirar o emprego e envergonhar diante de todos os conhecidos: quando a turma do lacre decide um alvo, o alvo deixa de ser humano para virar nazista. E contra nazista pode tudo com ou sem provas…

O pêndulo continua virando ao redor do mundo, e eu prevejo que essa meme dos NPCs tem potencial de ser um dos golpes mais fortes da direita e dos conservadores na guerra pelas mentes dos mais jovens. O Twitter saiu banindo contas com NPCs porque realmente tinha um nervo exposto ali: a narrativa politicamente correta escorreu por toda a grande mídia e virou o discurso permitido na sociedade. Mas não deu tempo da maior parte da população entender o que diabos estavam repetindo. Só começou a pegar mal falar algumas coisas que antes podia falar numa boa. O povo se adapta rápido, mas normalmente não aprende rápido.

O politicamente correto foi o último grande grito da mídia tradicional sobre a sociedade humana. Através da presunção de que todas as pessoas desejáveis e inteligentes compartilhavam a mesma opinião sobre a maioria das questões sociais, essa geração do lacre aprendeu a receber o biscoito da recompensa quando falavam de certa forma nas redes sociais. Ai só falar não dava mais pontos, começaram a pintar cabelo, mudar de gênero e entrar para grupos violentos para continuar dentro dessa presunção de aceitação social. O pêndulo está virando, mas a maior parte dos influenciadores em idade para empurrar suas ideias ainda está altamente contaminada pelo politicamente correto. Eles ainda parecem mais legais e subversivos que os tiozões reacionários do WhatsApp.

Mas, se a direita tivesse uma arma para ridicularizar o politicamente correto e os seus espalhadores numa imagem só? Algo cheio de significados em pouco espaço como essas novas gerações vão querer mais e mais; algo que faça a histérica de cabelo vermelho não parecer uma rebelde, mas sim uma cabeça-oca previsível que só repete o que os outros falam. Isso é um perigo. Se as crianças começarem a rir dos lacradores, a festa deles acaba em no máximo uma geração. Pior, se forem motivo de piada e tiverem a presunção de estarem apenas imitando o discurso já estabelecido, vão se tornar tóxicos para as próximas gerações.

Acredito que nem os trolls que tem essa meme nas mãos tenham entendido o potencial gigantesco dela. Ela desumaniza sim, esvazia o discurso de todo um grupo da sociedade antes mesmo dele ser absorvido pelos espectadores, e ainda empurra as opiniões opostas por simples comparação. Se os lacradores são robôs sem alma e dizem algo, a verdade deveria estar no caminho oposto. E como não depende de textão ou de pensamentos muito complexos (ninguém quer ser robô que não pensa ao mesmo tempo que não quer ficar isolado do grupo). Se tornar-se ridículo ser lacrador, os ranques esvaziam rapidamente.

Honestamente não sei se gosto das implicações disso, porque muitos dos pontos de vista da turma do lacre são caricaturas de questões pra lá de válidas como igualdade social e tolerância. Foram tão mal utilizados, sequestrados por pessoas desesperadas por validação até se tornarem o exagero irreal que define o movimento na atualidade. Mas, seja como for, o mundo está virando de volta para o conservadorismo e mega tendências do tipo tem que completar seu ciclo. A correção de curso entre esquerda e direita continua funcionando. Sempre tem um preço para pagar. Os americanos pagaram o Trump e acabamos de pagar o Bolsonaro.

E se vamos continuar imitando os padrões deles, é bom se preparar para ter uma guerra constante nas redes sociais pelos próximos anos, uma guerra onde as memes são das armas mais poderosas para atingir os indecisos. A mensagem que entrar mais rápido e desmoralizar mais o outro lado ganha. Não adianta mais fazer suástica cagada na barriga para atacar a imagem do adversário, não é isso que está definindo opiniões. Memes como as do NPC demonstram o maior potencial de sucesso possível: entrando embaixo da pele do adversário e fazendo-o parecer um otário ao invés de vilão. Num mundo polarizado, ser vilão é norma, você sempre vai ser um monstro ao assumir uma postura política oposta ao outro lado.

Agora, tornar-se ridículo e com presunção de manipulado por não ter nada na cabeça? Não dá para lacrar (na direita ou na esquerda) com isso. Como o Brasil é um país estranho, vamos descobrir qual dos lados vai pegar essa meme ou uma de suas variações primeiro. Seja quem for, eu aposto que vai fazer um estrago do outro lado. Desumanizar funciona há milênios, só está mudando o pacote.

E se você não entendeu nada do texto, não se preocupe, você era incapaz mesmo, NPC…

Para dizer que estava com saudades de textos enrolados, para dizer que estava com saudade de temas internacionais, ou mesmo para dizer que não foi programado para entrar em contato: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (14)

  • Eu pessoalmente passei a usar o termo “NPC” no lugar de “SJW”. Não só porque se refere ao mesmo grupo de pessoas como é mais agradável de falar tanto em inglês quanto em português.

  • Olá, Somir. Seus textos fizeram falta mesmo que você pense o contrário.
    Queria que essa guinada “conservadora” acontecesse pra equilibrar, sem nenhuma pretensão de vingança nem nada. Só um pouco de saco cheio desse povo “esquerda progressista” cagando regra em tudo na indústria do entretenimento, como se todo filme ou livro tivesse que ser um ode à religiãozinha tosca deles (o que é ideologia senão uma religião?). Não é a toa que tanta gente migrou pros animes.
    Mas eu sou meio que otimista e acredito que quando esse povo todo crescer e tiver contas pra pagar, a indústria do lacre dá uma freada.

  • É uma definição tão perspicaz dos lacradores. Eu costumava chamá-los de papagaios, hospedeiros, no máximo “robozinhos”.

    “Honestamente não sei se gosto das implicações disso, porque muitos dos pontos de vista da turma do lacre são caricaturas de questões pra lá de válidas como igualdade social e tolerância. Foram tão mal utilizados, sequestrados por pessoas desesperadas por validação até se tornarem o exagero irreal que define o movimento na atualidade.”

    Não tem como saber o que pode acontecer, mas quem sabe não é a chance de “devolver” a defesa desses pontos de vista às pessoas e movimentos sérios.

  • Estava com saudades dos seus textos enrolados e dessa sensação de q sou muito limitada.
    Seja bem-vindo a sua casa s2

  • Não tenho certeza se essa virada conservadora vai ser tão efetiva quanto se parece, a mídia ocidental já está bastante contaminada pelo tal do politicamente correto. Jornais, redes sociais, até filmes e séries. Até a legislação de alguns lugares está sendo influenciada por esse discurso, tipo a polícia do Reino Unido se preocupando mais com “discurso de ódio” na internet do que com gangues de estupro. Sem falar nas inúmeras tentativas de empurrar pautas progressistas no currículo escolar. Enquanto os conservadores têm apenas sites obscuros pra se manterem sem serem banidos, sites que não têm um quinto do alcance de uma rede social lacradora. Sim, Gab, estou olhando pra você.

    O cidadão médio pode até compactuar com boa parte do pensamento conservador, mas também é bastante alienado e engole sem perceber qualquer coisa que a mídia moldar e dizer que é o normal, que é o certo, que é o melhor. É assim que as coisas vão acontecendo. E nem estou entrando no papo conspiracionista aqui, a humanidade que é previsível demais…

    • Mas eu concordo que nada é tão direto assim. Os conservadores estão longe de ter o poder de mídia, especialmente na era da internet, mas o jogo vai virando geração por geração. Muita gente esquece que os anos 80, apesar da falta de noção generalizada, foram mais marcados por um retorno ao conservadorismo em relação aos hippies (muitas das loucuras dos anos 60 e 70 foram reduzidas nos anos 80 e 90) do que lacração. Esse novo pico “hippie” parece estar passando. A geração no controle em 2020, 2030 tende a ser mais conservadora.

      Posso estar errado, afinal, são previsões de longo prazo no futuro, mas como eu disse no texto, acredito nessa correção de curso natural de gerações em gerações.

  • que saudades desse puto, bem vindo de volta <3

    eu conhecia esse meme no twitter e já vi uns brazucas usando. pra ser sincero não sinto pena, se você joga merda nos outros, não pode reclamar quando jogam em você de volta. ainda mais quando esses "outros" representam a mentalidade da maior parte da população média. é a vida dando os nãos que os pais não deram na infância.
    tomara que esse pingpong ideológico não traga nenhuma forma de caos social no futuro, mas acho que estou esperando muito da humanidade…

    • Eu falho, mas não tardo. Não dá pra deixar a casa na mão da mãe por muito tempo senão as crianças ficam todas mimadas.

      Pois é, o jogo está aberto. Desumanizar é uma arma poderosa, evidente que vão utilizar dado tempo suficiente. Eu acho que “NPC” vai ser o “Nazista” da direita. A discussão sobe de nível? Não, claro que não. Mas, pelo menos a briga pode ficar mais equilibrada.

  • Já pegamos, já tem algumas paginas no facebook criando e compartilhando variações desse meme, só falta viralizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: