Pilha na Fazenda – 17

Mais uma noite de muitos barracos e zero agressão física. Quase… quaaaaase teve porrada, e teria sido em grande estilo, mas separaram. O Fazendeiro, que é lutador de UFC e se vangloriou de ser um atleta que representa o Brasil internacionalmente quase deu na cara da Loira Paranoica. Lutadores profissionais não deveriam ter controle emocional? Mas calma, vamos por partes.

A Besta Infantilizada continua perseguindo o Pilha. Pilha transita da sala para o quarto e ela começa a berrar com sua voz de gralha em decibéis que eu não sabia que a raça humana poderia alcançar: “TÁ ME OLHANDO PORQUEEEEEEE? ME OLHA O DIA TODO!”.

É impressionante como ela não consegue pensar ou falar em qualquer outra coisa que não seja o Pilha. No aguardo dele enfiar bosta de vaca na boca dela, conforme prometido. Por hora ele está só ameaçando: “se não dá para afastar na oração, afasta na paulada”. Acredito que ele deveria tatuar esta frase tão profunda e sábia no espaço que sobrou do seu corpo.

Annabelle, não contente em manipular a votação, estava disposta a fazer corpo mole na prova do Fazendeiro, pois queria ir para a roça com a Loira Paranoica, para tirá-la do reality. Sim, esse é o grau de arrogância dessa mulher. A produção do programa tentou impedir, montando uma prova do fazendeiro que era exclusivamente de sorte, uma espécie de Roletrando rural. Mas nem assim foi possível, o Humorista do Pânico acabou ganhando e a roça está formada entre Annabelle e a Loira Paranoica.

As brigas continuaram, veja bem, não é que recomeçaram, elas continuaram, pois nunca pararam. Annabelle chamou a Loira Paranoica de “Vadia, vadiona” e coisas piores. Ela, por sua vez, disse que Annabelle a “omilhou” (a pronúncia e o sotaque não favoreceram, ela é do Recife), ao que a Annabelle imediatamente disse: “Omilhou ou Humilhou?”, corrigindo com desdém. A mesma Annabelle que, mais pra frente, quando a briga esquentou de verdade, ficou berrando que em momento algum a humilhou. Ok então, chamar de vadia, de vadiona, é elogio.

A gritaria continuou por muito tempo. Do nada, a Besta Infantilizada, que estava no sofá, levantou e começou a berrar mais do que todo mundo, esmurrando a mesa. A Loira Paranoica apenas disse “Você está cuspindo na minha comida”. Eu ri. A pancadaria continuou, até que o Fazendeiro Lutador se descontrolou e partiu para cima dela, era visível que ele ia dar uma porrada na Loira Paranoica, mas se jogaram na frente e seguraram. Ela ficou berrando que não tinha medo, enquanto arrastavam ele para longe.

Resumo da história, a roça está formada do jeitinho que Annabelle, a dona da casa, a dona do público, a dona da porra toda queria. A eliminação é nesta quinta-feira e eu estou torcendo com força para que a Loira Paranoica fique. É maluca? É. Mas ao menos tem um alívio cômico, ela é divertida, ela é corajosa, ela é engraçada, ainda que muitas vezes seja humor involuntário.

Annabelle não. É pesada, é arrogante, é aquele tipo de pessoa que suga energia, que te deixa com dor de cabeça só de entrar no mesmo cômodo que você. Sabe gente que está sempre reclamando, que está sempre de mal com a vida, que está sempre falando mal dos outros? Pois é, é ela. Só sabe causar tumulto, é ególatra, tudo é sempre focado nela e em como ela é foda. Uma patricinha milionária que nunca trabalhou de verdade, sustentada pelo papai, que vive em uma bolha mimada e acha que aqui fora vai conseguir tudo no grito e intimidação.

Além disso, é a dona do grupinho de histéricas que vive conspirando contra o Pilha, então, só por isso já quero que saia e que o cabelo pegue fogo. Porém, por motivos que desconheço, tem um grande numero de seguidores em redes sociais, então, talvez não seja possível escorraçar essa mulher daí como ela merece, para aprender uma lição de humildade.

Pilha continua abatido por sua quase-pneumonia, mas tenho fé que assim que ele melhorar, ele encesta uma porrada na Besta Infantilizada. Agora que até lutador entrou no rol de possíveis agressores, eu já começo a não me conformar com uma porradaria simples, seria mais interessante uma qualificada, perpetrada por um profissional da área. Seria quase que uma tradição, já que a última agressão que teve na Fazenda partiu de uma boxeadora. Vamos deixar a porrada para quem é profissional.

Agora quero deixar aqui meu registro sobre um comercial no intervalo da Fazenda: Merthiolate. O comercial é uma bela bosta, mas nem é exatamente esse meu problema. Minha ira é com essa mentira que eles vendem de “Merthiolate não arde”. Machuquei meu pé e fui passar esta bosta de Merthiolate com a maior fé, com a maior vontade, na certeza de que não ardia, sem qualquer preparo psicológico.

Meus queridos, a dor só perde para cólica renal. Se eu tivesse passado ácido sulfúrico no pé teria sido mais agradável. A partir de hoje boicoto com força. Nada contra Merthiolate arder, inclusive acho que é da ordem natural da vida, mas avisa, caralho! Não fica iludindo o consumidor, deixa a gente ter a oportunidade de se preparar psicologicamente para o sofrimento.

Provavelmente o programa de amanhã é só para cumprir tabela, o que realmente interessa vai acontecer na quinta, então, vou condensar quarta e quinta no mesmo programa, a menos que algo muito delicioso aconteça amanhã, como, por exemplo, uma porrada de um lutador de UFC em uma menina de 40kg ou o Pilha enfiando bosta na boca da Besta Infantilizada. A esperança é a última que morre.

Obs: Ganha força em mim a teoria de que o Mion é daltônico e por isso suas roupas tem aquelas combinações de cores. Alguém confirma?

Para dizer que essa Fazenda é caso para bomba atômica, para dizer que é bem feito para aprender a não cobrir mais reality show ou ainda para dizer que só reflete como está a sociedade aqui fora: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (10)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: