Pilha na Fazenda – 20

No programa de domingo não aconteceu nada de muito grandioso. Os participantes comentaram pela milésima vez como é doentia a relação da Besta Infantilizada com João Snow, como ela destrata e humilha ele. Ontem mesmo ele declamou um poema que fez para ela e ela disse, sem cerimônia “não gosto dessas coisas”. Não deu nem um beijo em agradecimento.

A própria panelinha da Besta Infantilizada criticou ela (pelas costas, óbvio) dizendo que ela não tem razão nas brigas com o Pilha. Leo Stronda imitou a moça, e as supostas amiguinhas ficaram rindo da imitação debochada dele. Ele disse, literalmente, que ela reclama dele até quando ele não está fazendo nada: “olha lá o Rafael dançando! Que abuso, ele está dançando, ele é um doente!”. Todos riram.

A Besta Infantilizada conseguiu algo que até então eu considerava impossível: se desentender com o Leo Stronda, um budinha, uma pessoa que não esquenta a cabeça, que não se ofende e não entra em joguinhos. Ela estava fazendo a rotina histérica dela dizendo que ia mostrar os peitos e, ao ser contida e recomendada a não fazê-lo, disse que quando é nudez em escola de samba todo mundo acha lindo.

Leo disse que ele não gosta e que acha excessiva a nudez do carnaval. Ela imediatamente fez uma coisa que anteriormente condenou no Pilha: usou algo de fora da casa e da vida pessoal para desacreditar o argumento da pessoa: debochou dizendo “falou aquele que postou fotos pelado na internet”. Leo fechou a cara, mas se manteve educado. Ele esclareceu que não foi por vontade dele, que vazou do celular de uma pessoa que tinha intimidade com ele, mas que ele jamais daria publicidade a isso.

Aí a Besta Infantilizada fez o que ela sempre faz: se desdisse se fez de vítima e disse que estava brincando. O clima esquentou e a Apática Esquenta mandou a BI pedir desculpas ao Leo e a BI disse “Não, porque ele é grosso”. Leo foi EDUCADÍSSIMO do começo ao fim. Essa é a Besta Infantilizada, uma Annabelle, só que burra, anencefálica, infantil.

Ele disse que não acha legal esse tipo de brincadeira e ela se justificou com o maravilhoso argumento “é que não está escrito na sua testa que você não acha legal”, enquanto roía as unhas feito uma criancinha. Resumindo: ela nunca erra, ela sempre tem razão, ela é a dona da verdade e distorce os fatos e argumentos o quanto seja necessário para continuar se mantendo dona da razão. Parabéns, até como os dela ela está brigando.

Ela conseguiu fazer a coisa chegar no Pilha. Ela justifica suas atitudes dizendo que “injustiça não dá”. Ela sabe e determina o que é justo, ela é a dona da verdade. Agora está tentando imputar ao Pilha uma imagem de machista covarde. Olha, o Pilha tem muitos defeitos, muitos mesmo, mas sempre tratou suas mulheres muito bem e com muito respeito. Nunca fez comentários escrotos sobre outras mulheres, sempre foi fiel, sempre se sacrificou pelas pessoas que estavam com ele. Provavelmente por ser véspera de roça ela está plantando uma semente para queimar ele ao vivo amanhã.

A obsessão da BI pelo Pilha é tanta que ela pauta seus objetivos nele: “A única coisa que eu quero é sair daqui depois do Rafael, se eu sair depois do Rafael, eu estou tranquila”. Que criança, hein? Esquece o cara, vai namorar, vai viver sua vida!

Já na segunda….

Para começo de conversa, estavam todos há 36h sem água, portanto, a maioria sem banho. Todo mundo com cabelo oleoso, com a pele detonada, com aspecto de mendigos. Ainda bem que TV não exala cheiro.

A Besta Infantilizada já vem se chateando faz tempo que ninguém compra a briga dela contra o Pilha, então, para finalmente conseguir alguma simpatia ou atitude, esperou chegar pertinho da votação da roça e começou a espalhar que quando não tem ninguém por perto o Pilha fica sacaneando ela, provocando, humilhando. É mentira, isso nunca acontece, o Pilha tem tentado fugir de brigas e discussões.

Plantada esta sementinha do mal, a Besta Infantilizada ficou falando mal gratuitamente da Loira Paranoica para ela escutar e a outra, louca que é, foi tomar satisfações. Começou aquele bate boca que a gente já conhece, em altíssimos decibéis. A Besta Infantilizada gritando e a Loira Paranoica rindo e debochando dela, imitando o jeito descontrolado que ela fica quando tenta partir para cima dos outros para agredir e o namorado segura “Me solta! Me solta!”.

A briga continuou. A coisa está tão rotineira que, do nada, aparece João Snow, na maior calma, com a escova de dentes na boca, boca cheia de espuma, para segurar sua namorada maluca. Realiza que vida de merda o cara tem: ele tá lá escovando o dente, aí começa a escutar a mulher berrar e tem que ir separar a treta ainda com a boca cheia de espuma. Quando o namorado chega perto para segurar, a Besta Infantilizada fica corajosa como nunca e começa a partir para cima dos outros, mas só depois que o namorado segura.

João Snow foi tirando ela de perto da Loira Paranoica, enquanto ela gritava e ofendia de todas as formas a moça e o Pilha. Pilha olhava sentado no sofá, com cara de assassino. Enquanto a BI era arrastada xingando, ofendendo, berrando e esperneando, a Loira Paranoica mandava beijinhos, ria e falava “perturbada”. Como sempre, arrastam a BI para longe, tentam acalmá-la, mas ela volta procurando por mais briga.

Apesar dela estar falando mal do Pilha desde o começo da discussão, quando o Pilha se meteu para se defender ela berrou “CALA A BOCA QUE EU NÃO ESTOU FALANDO COM VOCÊ”. Esse é o mundo onde ela vive, só se pode abria a boca para proferir uma opinião se ela te dirigir a palavra, caso contrário, ela pode te detonar das mais diversas formas e você deve escutar calado. Como o Pilha não se calou, a Besta Infantilizada ficou injuriada por ser contrariada e soltou o verbo.

Eu entendo que em discussões as pessoas percam a calma, mas há um limite de educação e humanidade. Ela começou com um “Você é um doente, é um cagão. Seu demente, seu filho da puta, verme, não tem coração”. Os filhos do cara estão assistindo isso. A mãe, a avó. Sei lá, a própria mãe da pessoa que fala isso deve sentir uma ponta de vergonha e decepção pela educação que deu à filha. A coisa foi piorando até encerrar com um “Você é um demente, maluco. Precisa de tratamento, precisa tomar remédio. Você é doido. Você deveria estar preso em outro lugar, no manicômio. ESPERO QUE VOCÊ MORRA”.

Por mais diferenças que você tenha com uma pessoa, dizer esse tipo de coisa fala mais sobre você do que sobre a pessoa. Enquanto ela berrava essas coisas (e outras piores) Pilha se manteve calmo e acenava para ela, enquanto João Babá Snow a arrastava para longe mais uma vez. Ele disse apenas “Vai tomar seu remedinho” e mandou um beijo.

Já devidamente afastada do Pilha e da Loira Paranoica, a Besta Infantilizada deu um piti com os outros, reclamando de como eles permitem que o Pilha fale, que se meta, pois ela não estava falando com ele. Então, percebam o grau de infantilidade: além da pessoa não poder falar com ela se ela não lhe dirigir a palavra (ainda que ela esteja detonando essa pessoa), terceiros tem que se meter e calar a boca dessa pessoa se ela ousar falar sem ter sido autorizada a tal.

Como toda louca de carteirinha, quando a poeira abaixa ela fica com uma mini-ressaquinha moral, mas aplaca sua infantilidade com auto-consolos mentirosos.

A mentirinha da vez foi “só faço por causa do confinamento, se fosse lá fora não faria, simplesmente nunca mais olhava na cara da pessoa”. Logo se nota que não tem qualquer noção da vida adulta. O que mais acontece com adultinhos que trabalham é ser obrigado a conviver com gente desagradável, com a qual não temos afinidade e que muitas vezes nos faz mal. É barraqueira sim, dentro e fora da Fazenda.

Outra mentirinha que ela conta para os outros e para ela mesma é que faz essas coisas porque “odeia injustiça” e não suporta ver uma injustiça calada, que não consegue não “defender suas amigas”. Como se a única forma possível de combater injustiça fosse berrando, xingando, ofendendo. O que ela quer é controlar mesmo: quem fala, quando fala, o que fala. Está se mostrando uma nova Annabelle, só que burra e sem controle emocional.

A votação para a roça foi uma baixaria sem precedentes. Começou com a lesma do João Snow abrindo os poderes especiais que ele tinha esta semana. Mion pediu para que ele leia e não diga nada. João Snow lia e não entendia nada. Mion fez até uma piadinha e disse “Faz um esforço e lê que você consegue”.

Não conseguiu, ele leu errado e acabou dando um belo presente de grego para seu amigão lutador: o colocou na baia. Quando percebeu a merda que vez, soltou vários “caralho” ao vivo, até que Mion pediu que ele pegue leve no palavrão.

O Fazendeiro Humorista do Pânico indicou para a roça a Funkeira Roacutan, que puxou um coro muito do canalha com todo seu grupinho fazendo o Pilha parecer um agressor de mulheres, dizendo que odeia as mulheres, as persegue, as agride. Meu anjo, essas mulheres que tem aí dentro? É dever cívico fazer isso. Fosse eu estava dando com uma pá no queixo de todas vocês. É o Ciclo da Vida da mulher histérica: provoca, inferniza, tira do sério e quando vem a reação se faz de vítima.

Óbvio que a casa toda votou no Pilha sempre reforçando o discurso de macho agressor. A Esquenta Apática chegou ao ponto de evocar um histórico familiar de agressão doméstica e dizer que cada vez que o Pilha abre a boca para “agredir” as mulheres ele revive tudo isso dentro dela. Ah vá… Todo mundo ali xinga todo mundo, são um bando de desclassificados, caso contrário não estariam na Fazenda, agora vem gente se dizer torturada psicologicamente pelo Pilha?

Em determinado momento, diante desta máquina de moer reputações que se instaurou, o Pilha cometeu o erro mais grave, que provavelmente vai eliminá-lo do programa. Ele perguntou: “Vem cá, elas me xingam o dia todo. Elas podem porque são mulheres e eu, por ser homem, tenho que aguentar calado sem responder?”.

Sim, meu anjo. Em que mundo você vive? Você acaba de questionar um dos atuais pilares da sociedade brasileira, seu idiota! Quem você acha que assiste essa excrescência de programa? Só mulher, geralmente histérica e demente, que faz tudo isso que elas estão fazendo e procura validação para sua loucura. Caralho, Pilha! Você acaba de remover a máscara de hipocrisia onde elas se escondem… O quanto vocês acham que isso vai incomodar?

Desolada pelo tiro no pé que o Pilha deu, ainda fui exposta a mais um comercial daqueles que causam a Síndrome de Shiryu, ou seja, vontade de enfiar os dedinhos profundamente nos meus globos oculares e me cegar. Era um comercial assustados sobre verrugas, falando o quanto elas podem ser contagiosas, com direito a infográfico ilustrando forma de contágio de verruga, com coisas do dia a dia como toalhas ou celular. Tá tarde, estão escrotizando o Pilha e eu ainda tenho que ficar com medo de pegar verrugas?

É isso, colaram no Pilha a pecha de macho agressor. Ele pode ser muita coisa, mas sempre vi ele respeitando muito as mulheres que estavam com ele. Sempre vi ele sendo educado. Nunca vi ele partindo para cima e xingar por meras discordâncias de pensamento como esses dementes de vinte e poucos anos fazem ali. Mas porra, ele não é um banana, quando atacam, ele se defende. Resta saber se esse estigma de macho agressor vai colar com o público.

Agora Pilha, Funkeira Roacutan e Esquenta Agredida vão disputar a prova do Fazendeiro na terça (amanhã). Eu gostaria de dizer que o Pilha tem vantagem por ser homem, mas 13 anos de drogas pesadas não deixam um corpinho impune. Além disso, vimos no Power Couple que ele performa mal sob pressão, então, não dá para cantar vitória antes de tempo. Todo mundo vai fazer essa prova movido a ódio, por isso, apesar de uma ser uma vaca de gorda e a outra ser desnutrida e apática, tudo é possível.

Aceitamos batuques e orações. Pray For Pilha

Para dizer que passou da hora dele sair, para dizer que passou da hora de cair um meteoro nessa Fazenda ou ainda para dizer que passou da hora de eu estar dormindo: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (12)

  • Talvez seja muito abuso da minha parte fazer esse tipo de comentário, mas pelo amor do Todo Poderoso, comenta bbb. Eu amo muito esse seu jeito meio sem paciência, meio surtado de escrever.

    • Não comentamos BBB. Nem ao menos nos referimos ao programa. Nos recusamos a falar dele porque é todo roteirizado, artificial e manipulado. A gente gosta de barraco raiz…

  • Direto elas escutam o Sertanejo e o Stronda dizerem coisas “pesadas” sobre a Nadja e ficam rindo. Mas quando é o Pilha é machismo, covardia, é “não gostar de mulher”. Como havia dito, ele é um alvo fácil.

    Você fala bastante sobre o tal movimento pendular e, realmente, ele parece estar acontecendo em alguns aspectos, a lacração desenfreada tem levado vários contra-ataques lindos de se ver nesses últimos tempos, mas não sei se isso se refletiria no público que assiste esse programa. Acho difícil.

    • O Sertanejo tentou bater na Nadja, só não bateu porque seguraram. Isso não tem problema, né?

      O Pilha tem que aguentar calado xingamento 24h por dia, se não é macho agressor…

      Eu não sei se o pêndulo virou o suficiente para o Pilha ficar, mas acredito que há esperança. Vão eleger o Bolsonaro, diante disso, deixar o Pilha é fácil.

  • Ah, eu queria saber o que Aline pensa disso tudo.
    Será que quando Pilha sair ele arruma um irmaozinho para Laura?

    O problema é que essa gente não tem o que fazer. Nem tinha que ter academia dentro de uma fazenda, que deem uma enxada para cada um e mandem eles plantarem. E a comida viria dali.
    E nem tem ninguém bonito participando não.

  • Vendo essas malucas tretando o dia inteiro lembrei de uma namorada que eu tinha que por causa de um esbarrão em um shopping queria partir pra briga e tudo mais.
    Eu puxei ela pelo braço e disse calmamente que foi só um esbarrão acidental, mas que se ela brigasse mesmo assim e tomasse porrada por isso eu não iria me envolver.
    Na mesma hora a calma reinou…

  • É, Sally… Além de ainda não ter rolado nem uma porradinha até agora, também há o risco de o Pilha sair e levar consigo o restinho de graça que esse programa ainda tiver. Se isso realmente acontecer, pelo menos haveria um ponto positivo: você voltaria ter uma noite de sono decente, sem ter que ver de novo comerciais escabrosos como esse das verrugas.

    Com essa rotina diária de baixarias sem motivo entre pessoas – que você muito apropriadamente chamou de “desclassificados” – sem um pingo de carisma e metidas em uma (cof! cof!) “atração” televisiva de fórmula pra lá de desgastada, eu não vou me surpreender se esta for mesmo a última edição de “A Fazenda”. Imagino que os índices de audiência devam estar bem baixos e, se me lembro bem do que li em sites e jornais em anos passados, a Record já vinha cogitando não fazer mais o programa justamente por causa desse combo de participantes insossos com ibope fraco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: