A luta do milênio.

PewDiePie é o youtuber mais famoso do mundo, com mais de 74 milhões de inscritos em seu canal, mas isso não deve durar muito tempo. Um canal indiano chamado T-Series está prestes a tomar o posto de maior do YouTube, e a maioria das pessoas do ocidente só vai ficar sabendo dele por causa disso…

Mas para quem não acompanha nada disso, vamos explicar quem é quem: PewDiePie é um sueco que começou a se filmar jogando videogame em 2010 na plataforma, e teve um sucesso estrondoso com a fórmula. Seus vídeos consistiam nele gritando com os jogos e basicamente apelando para um público infanto-juvenil que começava a usar o YouTube como principal meio de consumo de mídia. Hoje em dia temos milhares de canais que fazem basicamente o mesmo, embora PewDiePie, cujo nome real é Felix Kjellberg, não tenha inventado essa forma de fazer vídeos baseados em jogos, com certeza foi ele que provou como isso poderia ser lucrativo.

Alguns anos depois, assumiu o posto de canal com mais inscritos no site, o qual mantém até hoje. O surto de popularidade rendeu aparições na TV americana e europeia, um episódio especial do South Park e contratos com o próprio YouTube, além da Disney. Mas, havia um quê de Pilha em Pew: depois de algumas piadas mal interpretadas – fizemos um texto sobre um desses casos, onde ele pagou 5 dólares para jovens indianos escreverem “morte aos judeus” num cartaz e dançarem para provar como a plataforma Fiverr não tinha nenhum controle sobre o que estava acontecendo ali, – a indústria do lacre fez o que pode para destruir sua carreira.

Tiveram sucesso ao fazer a Disney e o YouTube cortarem seus contratos, mas como essa histeria politicamente correta não tem reflexos na vida real, o número de inscritos no canal dele só aumentou. O conteúdo dele ficou um pouco mais adulto e ele perdeu muito do medo de se enfiar em controvérsias. Continuava o rei do YouTube e com ainda mais liberdade. Isso até começarem a notar um canal indiano no retrovisor, a T-Series.

T-Series é o canal da empresa homônima, um dos titãs de Bollywood, a indústria cinematográfica indiana. Como os gostos locais são bem peculiares nesse meio, a Índia continua tendo um dos mercados internos de entretenimento mais poderosos do mundo. Com uma população que não para de crescer e já ameaça superar a chinesa, gente para consumir o conteúdo indiano que não vai faltar. E com o alcance da internet aumentando exponencialmente no país, milhões e milhões de pessoas estão entrando em sites como o YouTube.

Principalmente através de celulares. O mercado de celulares baratos na Índia é superlativo: com a proximidade dos maiores centros produtores, população gigantesca com pouco dinheiro e velocidade média da internet ainda meio lenta, aparelhos mais básicos vendem como água. Da noite para o dia, os indianos começaram a invadir vários dos maiores sites do mundo, vulgo aqueles que tem verba para otimizar seus serviços o máximo possível para máquinas e conexões de baixa qualidade. Um dos mais bem planejados para esses casos é justamente o YouTube, que é feito para rodar em qualquer coisa que tenha uma tela, tem servidores globais e pode adaptar os vídeos de acordo com a velocidade da internet de cada pessoa.

Com um conteúdo feito para indianos (vulgo 100% de vídeos musicais com quatrocentas pessoas dançando) e divulgado pesadamente até nas mídias tradicionais de lá, o canal T-Series tinha o poder de tomar esse mercado sem muitos concorrentes. E foi justamente o que aconteceu. O mercado indiano de produção de conteúdo no YouTube está engatinhando ainda, evitando que outro canais locais disputem de verdade com o da megacorporação de entretenimento.

E até por essa comparação de Davi contra Golias, PewDiePie conseguiu um novo surto de popularidade impressionante até mesmo para ele. Muita gente “comprou a briga” e começou a lutar para aumentar o número de inscritos no canal do sueco para no mínimo atrasar sua saída do trono de maior canal do YouTube do mundo. Foram várias ações de várias pessoas diferentes: um cidadão comprou outdoors em várias cidades americanas pedindo para as pessoas se inscreverem, outro hackeou mais de 50.000 impressoras para cuspirem uma página pedindo o mesmo. Ao redor do ecossistema do YouTube, são milhares de pessoas agindo em conjunto para que PewDiePie ganhe mais inscritos em seu canal que a T-Series, mantendo-o no primeiro lugar.

Há até um canal ao vivo acompanhando o número de inscritos em tempo real, nos últimos dias parecia que não teria mais volta, com apenas dezenas de milhares de diferença, mas desde então o sueco ganhou mais de um milhão de inscritos, provando a força do trabalho de seus simpatizantes nessa tarefa. É claro que isso não é tão sério assim, mesmo que algumas pessoas meio malucas estejam xingando os indianos por isso, na média o clima é mais de brincadeira que qualquer outra coisa, inclusive do próprio PewDiePie, que está capitalizando sem parar no tema desde que a ameaça ficou real. E o povo ajudando também está tirando vantagem disso, o rapaz que comprou os outdoors ganhou mais de 3 milhões de inscritos nesse meio tempo. É um bom negócio para todos, até mesmo para a T-Series, que vai ficando conhecida mundialmente nessa disputa.

Mas, falando sério por um minuto aqui, porque toda brincadeira tem um fundo de verdade: quando a T-Series passar PewDiePie – porque vai passar com indianos infinitos ao seu dispor – vai ser o fim de uma era “romântica” da internet, onde uma pessoa com uma câmera e carisma podia ser maior que todos os conglomerados de mídia do mundo no maior site de entretenimento de todos. A era das empresas já estava entre nós, com canais cada vez mais profissionais mantidos por equipes de funcionários e nomes famosos da mídia tradicional crescendo sem parar, mas PewDiePie era o último tapa na cara dos gigantes, especialmente considerando o nível de produção dos vídeos dele, nada de espetacular e pra lá de caseiro, pior que muito youtuber com um milésimo dos inscritos.

Tudo muda com o tempo, e todo mercado lucrativo profissionaliza. Até por isso começamos a ver cada vez mais movimentos em defesa de direitos autorais como o Artigo 13 da União Europeia, com uma tentativa de aumentar as barreiras de entrada nesse mercado e tentar tirar dinheiro até mesmo das memes. Tem dinheiro demais na internet, e ele estava pulverizado demais. A T-Series virar o maior canal do YouTube não vai afetar a sua vida diretamente, mas é um ponto de virada, é o mercado absorvendo a mídia social de vez. Não é como se pudéssemos evitar que isso aconteça, mas se você quiser dar uma resistida só pela diversão, inscreva-se no canal do PewDiePie, eu me inscrevi na época da histeria contra ele por causa das piadas para dar suporte, mas posso dar essa sugestão para ajudar um pouco a causa.

Mas não vá esperando muito dos vídeos, é só um zé ruela com uma câmera no quarto.

Para dizer que eu estou sendo pago para escrever, para dizer que eu tenho prioridades estranhas, ou mesmo para dizer que se amarrou nos vídeos indianos (pobre é pobre no mundo inteiro, né?): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (4)

  • live de inscrições… povão não tem o que fazer né?
    sobre o art 13: na verdade pensei que uma lei dessas surgiria primeiro no japão, onde a mídia física (cds, mangás impressos etc.) ainda tem um pouco de força e relutância de ir pro mundo digital.
    direitos autorais são importantes sim. imagina você ter o maior trampo pra fazer um vídeo pro youtube e um zé ruela ganhar dinheiro fácil só reagindo com gritos e caretas. tem mais que cortar a monetização mesmo.
    só vi youtuber de react se opondo a esse projeto de lei.

  • Avatar

    Innen Wahrheit

    Acho que estou tão por fora do que os youtubers andam fazendo que, dadas as semelhanças, até hoje só vi o canal do AVGN (Angry Video Game Nerd) e algumas faixas “traduzidas” do Prabhu Deva…

    • E eu acho que estava mais por fora ainda, Innen Wahrheitt. Assisto YouTube quase que diariamente pra me distrair, mas ignorava totalmente esse assunto. Talvez por não ser inscrito em nenhum canal e nem fazer questão de acompanhar a carreira de nenhum Youtuber, eu não fazia idéia do que fosse o PewDiePie ou o T-Series até o Somir escrever sobre isso.

  • E pensar que tudo isso começou com elefantes num zoológico…
    A era de ouro das gameplays no Youtube acabou, os gamers migraram pro Twitch e os que ficaram agora fazem vídeos de outras coisas. Hoje em dia é só canal infantil, futebol, funk, curiosidades falsas e barracos. Tá o maior lixão. Feliz quem foi esperto e conseguiu arrancar dinheiro dessa mediocridade, praticamente todo Youtuber com mais de 1 milhão de inscritos tem casa e carrão.
    A propósito… “Que que esse hindu tá cantando aí?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: