Alterações na Posse de Armas

Bolsonaro assinou um decreto com pequenas modificações no que diz respeito à posse de armas, mas já tem gente gritando como se a população fosse ganhar um fuzil de brinde no Mc Lanche Feliz. Ô povo que sente prazer em viver no medo e na histeria… por isso são os maiores consumidores de Rivotril do mundo!

Calma, gente, pouca coisa mudou e nenhuma mudança drástica foi inserida. Você não vai comprar uma bazuca na americanas.com, adolescentes não sairão armados às ruas (ao menos não mais do que atualmente) e o Governo não vai te obrigar a ter uma pistola na sua casa. Vamos entender o que mudou.

Para começo de conversa, o decreto trata de POSSE de armas, não de PORTE. São duas coisas muito diferentes.

Posse é a possibilidade de ter uma arma de fogo no seu nome, ou seja, que você seja proprietário de uma arma de fogo, que possa adquirir uma arma. Isso não significa que você possa sair com essa arma debaixo do braço para onde quiser, “trocando tiros por uma briga de trânsito”, como os desinformados gostam de exemplificar. Para sair armado na rua é preciso outra autorização chamada PORTE de arma, que não foi modificado pelo decreto.

Ou seja, o que Bolsonaro está fazendo é estabelecer novas regras para que as pessoas consigam comprar uma arma para tê-la dentro de suas casas, sem que possam sair à rua com elas. É o tipo de medida pensada para reforçar as chances de legítima defesa dos moradores da casa, principalmente em áreas rurais, distantes de patrulhamento policial.

Ao admitir que o Estado não presta segurança pública de forma adequada (ou alguém aqui acha que presta?) é natural que se permita ao cidadão ter uma arma DENTRO DE SUA CASA E APENAS DENTRO DE SUA CASA, de modo a ter mais recursos para legítima defesa.

“Mas Saaaaaally, arma de fogo em casa é perigoso, é um absurdo isso, vai ter criança morrendo, vai ter adolescente se matando, o mundo vai acabar!”. Meu anjo, senta, respira e toma uma maracujina.

O art. 12 rege os requisitos para comprar uma arma de fogo. Sabe qual modificação o decreto do nosso querido Poket fez? Ele INSERIU uma exigência a mais que não existia, ou seja, ele tornou mais rigoroso. Isso mesmo, ele deixou mais seguro ter uma arma de fogo, pois agora se exige que, além de tudo que era pedido antes que “Em caso de residência habitada por criança, adolescente ou deficiente mental, a pessoa que quiser ter arma terá de possuir um cofre ou local seguro com tranca para armazená-la”. Então, queridões, perigoso era antes, quando nem isso se exigia.

Respirem fundo, sem tremedeira, sem choro. Não estão dando arma para criança, como alguns histéricos andam vomitando. Continua tudo igual, só que agora, além dos requisitos antigos do art. 12, se inseriu mais um requisito, justamente pensando em evitar acidentes. Se você pensar bem, na verdade, esta alteração “dificulta” mais do que antes a aquisição de uma arma, pois é mais uma exigência a ser atendida.

Outra modificação ponderada foi esclarecer para a população o que se considera como caso de necessidade para ter uma arma em casa. Antes a lei deixava em aberto, a pessoa tinha que contar sua história e a polícia avaliava se ela tinha ou não necessidade de uma arma em casa. Um absurdo, né? Uma zona.

Em vez de deixar em aberto, a critério de cada zé cu decidir se tinha necessidade ou não de arma e argumentar sobre isso, agora a lei trará um rol de circunstâncias que são consideradas como de risco para justificar uma arma em casa: quem se encaixa pode ter arma, quem não se encaixa não pode ter arma. Spoiler: quanto menos discricionariedade você der para o brasileiro médio, melhor. Não é legal ficar a critério do achismo de cada um, melhor uniformizar.

Agora, pela lei, os caso onde se presume necessidade de arma de fogo são os seguintes: agentes públicos (das áreas de segurança pública e sistema penitenciário), que atuem no sistema socioeducativo (que trabalhem em unidades de internação para bandidos mirins), militares, residentes em área rural, residentes em áreas urbanas com elevados índices de violência (ou seja mais de dez homicídios para cada cem mil habitantes), donos ou responsáveis por estabelecimentos comerciais, colecionadores, atiradores ou caçadores devidamente registrados.

NADA DE NOVO. Todas estas pessoas (e, na verdade, muitas mais que saíam destas categorias) conseguiam facilmente posse de arma antes desta mudança. Na verdade, antes da mudança, qualquer um podia solicitar a posse por qualquer motivo, mesmo que fosse “tenho dificuldade de abrir uma lata de atum com o abridor de lata convencional” e os infelizes da Polícia Federal tinham que examinar pedido a pedido. E, acredite, aceitavam, aceitavam com facilidade. Então, é provável que MENOS pessoa consigam posse de arma agora que está tudo regulamentado de forma organizada.

Fora as injustiças que aconteciam quando ficava a critério de cada autoridade da Polícia Federa julgar: às vezes passava coisa meio estranha, às vezes era barrado pedido super pertinente. É isso que acontece quando não há uma regra clara: injustiças. Cada pessoa tem um critério, então, era uma grande loteria, dependia mais da pessoa na qual seu pedido cairia do que da sua justificativa.

Estas novas regras valem para a aquisição de até 4 (quatro) armas de fogo, em princípio, se a pessoa quiser mais de quatro ela vai ter que realizar um pedido especial justificando o motivo.

Continuo sem ver motivo para gritaria, não faz a menor diferença para os “preocupados com as crianças que vão levar tiro dos irmãos dentro de casa” se tem uma arma ou tem dez. Acontece acidente com uma, acontece acidente com vinte, lembrando sempre que Tio Bolso está exigindo cofre ou local seguro para guardar as arminhas. E, a propósito, a redação anterior da lei falava em “duas armas de porte; duas armas de caça de alma raiada; e duas armas de caça de alma lisa”, então, nem é tanto sobre quantidade e sim sobre deixar a critério da pessoa (dentro do que a lei permite, é claro) que tipo de arma ela precisa.

Outra alteração que acresceu em segurança diz que o pedido de posse de arma será indeferido (ou seja, negado), se a pessoa não estiver dentro de um dos grupos citados acima ou quando se comprovar que a pessoa que está requerendo a posse de arma de fogo prestou declarações falsas para tentar conseguir essa posse, mantém vínculo com grupos criminosos ou está apenas usando seu nome ou sua condição para adquirir uma arma para um terceiro. E, quase infartei, pasmem, tem PENA para quem faz isso! Sim! Sim! Uma lei que estabelece uma obrigação e logo depois estipula uma punição! Que emoção! Não é todo dia que a gente vê uma coisa dessas…

Sabe pra quem ficou realmente mais fácil comprar arma? Para os agentes da ABIN – Agência Brasileira de Inteligência, nosso equivalente ao FBI. Para não expor estes agentes, que muitas vezes precisam passar abaixo do radar para conseguir trabalhar e investigar, a nova lei permite que eles não tenham que deixar seus dados registrados.

O art. 15 lista uma série de dados pessoais que devem constar no registro, como nome, local de nascimento, endereço, profissão e números de documentos, mas agora, com este decreto, no caso dos membros da Abin, tudo pode ser substituído pela matrícula funcional. Podem relaxar, meus amores, o mundo não vai acabar, o Brasil não vai virar faroeste, arrumem outro motivo para promover esse dedo no cu e gritaria, porque com certeza este decreto não justifica tanto medo.

Sobre a renovação da posse de arma, ele estendeu o prazo para dez anos, o que não muda nada, exceto o fato de que a pessoa vai ter uma burocracia a menos na vida dela, já que a renovação era feita sem qualquer investigação à vida da pessoa, era só chegar e renovar mesmo. Uma taxa a menor, uma burocracia a menos.

Sobre caça e tiro, o que muda é que agora “as entidades de tiro desportivo e as empresas de instrução de tiro poderão fornecer a seus associados e clientes, desde que obtida autorização específica e obedecidas as condições e requisitos estabelecidos em ato do Comando do Exército, munição recarregada para uso exclusivo nas dependências da instituição em provas, cursos e treinamento”, ou seja, o controle está ainda maior, observem que eles precisam obter uma “autorização específica”.

Também foi revogada a exigência de comprovação de capacidade técnica para manuseio de arma de fogo a cada duas renovações. Ora, cacete, se a pessoa já comprovou que sabe usar, não precisa ficar comprovando isso constantemente, não é mesmo? Ou acham que a pessoa vai esquecer? Novamente, suprimiu burocracia e taxas que a pessoa vai deixar de pagar, simplificando sua vida sem comprometer em nada a segurança ou mudar a essência do que já existia.

De qualquer forma, para conseguir a posse de arma de fogo hoje continua sendo necessário 1) cumprir as exigências legais e 2) ter o pedido aprovado pela Polícia Federal. A principal diferença é que agora a lei te diz o que é necessidade de posse de arma, coisa que antes ela deixava a critério do zé ruela que pedia estipular. Na essência, o que aconteceu foi uma desburocratização, ou, como diria nosso Presidente, uma defburocratifação: quem podia ter arma antes continua podendo ter, só que com um procedimento mais rápido, o que é ótimo, pois se o infeliz precisa de uma arma ele não pode esperar muito.

“Ah, então quer dizer que qualquer morador do Rio de Janeiro pode ter uma arma, pois aqui é uma área urbana de elevados índices de violência?”. Menos, bem menos, quase nada. Bolsonaro não vai sair dando Bolsa Arma de Fogo, não vai liberar arma para todo mundo. As exigências continuam as mesmas: ser maior de 25 anos, ter feito um curso de tiro para comprovar a aptidão no manejo da arma, exame psicológico, não possuir antecedentes criminais, trabalhar e ter residência fixa.

Não ficou “mais fácil conseguir uma arma” no sentido de que mais pessoas podem ter, as pessoas que podem ter arma CONTINUAM EXATAMENTE AS MESMAS, o que mudou é a complexidade da burocracia para que estas mesmas pessoas consigam a autorização. Ficou mais fácil para quem já podia. Quem não podia, continua não podendo, os requisitos do parágrafo anterior, que são os que dizem quem pode e quem não pode, não foram alterados!

É bom, meu povo, muito bom que a “efetiva necessidade” de arma de fogo não fique em aberto, que não dependa da avaliação de cada caso (pela Polícia Federal). Pessoas diferentes avaliavam, com critérios diferentes, gerando discrepâncias. Não pode ter subjetividade, tem que ter critérios bem definidos para algo tão sério. Acreditem em mim, esse decreto não foi ruim.

E, vejam bem, com isso Bolsonaro não tirou poder da Polícia Federal. A palavra final continua sendo da Polícia Federal. Se ela entender que mesmo preenchendo todos os requisitos existe um motivo impeditivo para que a pessoa tenha POSSE de arma, o pedido pode sim ser negado. Só que agora eles não vão precisar ficar lendo milhões de histórias bizarras, avaliando caso a caso. Está na lei o que é uma circunstância que gera efetiva necessidade de arma de fogo.

Para terminar, não confundam os requisitos pessoais para ter posse de arma (ser maior de 25 anos, ter feito um curso de tiro para comprovar a aptidão no manejo da arma, exame psicológico, não possuir antecedentes criminais, trabalhar e ter residência fixa), que dizem respeito à PESSOA que adquire com a “efetiva necessidade” de posse de arma (circunstâncias externas que colocam a pessoa em risco). Bolsonaro só mexeu regulamentando quais circunstâncias são consideradas perigosas, mas manteve intacto os requisitos pessoais.

Vale lembrar ainda que em 2005 a população brasileira foi chamada para opinar sobre a questão, através de um referendo, e a maioria (63%) disse que não queria a proibição do comércio de armas de fogo e munição no Brasil, então considerando este referendo e considerando que Bolsonaro, um candidato que passou metade da campanha fazendo “arminha” com os dedos, foi eleito, acho que o povo já expressou sua opinião. Se você, floquinho de neve único e especial, discorda, engula. Democracia é isso: se sujeitar à vontade da maioria.

Acalmem-se. Esse decreto só trouxe coisa boa, só organizou o que era uma zona, não está de forma alguma colocando a sociedade em risco. Apenas recomendo a aqueles que estavam pensando em invadir a casa de alguém para roubar que pensem duas vezes, pois agora vai ser muito mais rápido conseguir autorização para ter uma arma dentro de casa. Fica a dica.

Para dizer que estou passando pano mesmo sendo uma leitura meramente jurídica das mudanças da lei, para dizer que você precisa da histeria e do medo para se fazer de vítima ou ainda para dizer que tinha mais é que liberar no Mc Lanche Feliz mesmo: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (34)

  • Sally, você lembra daquele canal de YouTube chamado “Núcelo Dahrma” que eu mencionei em um dos meus comentários da postagem sobre a facada que o Bolsonaro levou? Há poucos dias, esse mesmo canal – que gostaria de reiterar que fala sobre defesa pessoal de forma bastante direta e sem mistificações – postou um vídeo justamente a respeito do que mudou na questão de posse armas com o novo decreto e muito do que é dito lá tem a ver com seu texto. Talvez você queira dar uma olhada. Eis o link:

    https://www.youtube.com/watch?v=09Az_qrqoi4

  • Enquanto a discussao for com base em achismos e experiencias individuais estamos perdendo tempo. Eu acho melhor basear em fatos e estatisticas, e eles SUGEREM que o decreto vai na direção errada. Mas vamos esperar os fatos e estatisticas novas, pode ser que o Brasil seja uma exceção completa ao que ocorre no mundo.

    • Fernando, não tem estatísticas sobre quantas vidas armas de fogo salvaram. O Brasil vem de quase 20 anos se PT, uma ditadura ideologica imunda que distorceu tudo, inclusive estatísticas, para se auto-endeusar.

  • Já temos impressoras 3d, pessoas imprimindo semi automáticas no conforto de suas casas, sem precisar recorrer a vias legais ou ter negociar com traficantes ou mercado negro, ou seja, toda essa discussão adianta pouca coisa. Parece que essa falação toda é só pra enganar o brasileróide iludido que acha q vai comprar arma nas casas bahia e virar justiceiro.

    • É que alarmismo rende cliques. Temos em nosso DNA um imã que nos prende a supostas informações que possam nos ajudar a sobreviver, por isso a imprensa vive de alarmismo, para conseguir audiência e visualizações. Para ter cliques, a imprensa estressa, espalha o medo e aterroriza as pessoas desinformadas.

  • “Em caso de residência habitada por criança, adolescente ou deficiente mental, a pessoa que quiser ter arma terá de possuir um cofre ou local seguro com tranca para armazená-la”.
    OK, mas como o cidadão vai comprovar que de fato possui o tal local seguro? E quem ficará responsável por averiguar a veracidade dessa comprovação? Qual é a definição de local seguro (que não um cofre)?

    • Ninguém vai comprovar nada. Se der merda a pessoa vai ser punida também por ter mentido que tinha isso. Chega desse paternalismo estatal, gente! Cada um é responsável pela sua vida e pela vida dos seus filhos, o Estado não tem que se meter a menos que ocorra um crime. Se a pessoa é zé ruela e quer deixar os filhos em risco, o problema é dela!

      Quem diz se é lugar seguro ou não vai ser a Polícia Federal, quando da análise do pedido.

  • aos poucos vamos melhorando, hoje é o foco pro policial, agricultor, amanhã é pro motorista de caminhão, futuramente quem sabe pro dono do mercadinho, da farmácia, do frentista do posto de combustível… nem dá pra melhorar muito de uma vez, a gente ainda nem sabe o que fazer com arma na mão. mas percebo progresso e avanço na segurança do indivíduo, mesmo que mínimo (ou mesmo só pela ‘sensação’ de segurança)

    quanto a acidentes, uma causa grande de acidentes são os produtos de limpeza, se não me engano a 3ª maior causa de acidentes domésticos, principalmente com crianças. mas aí vem um abestado e fala: “OK, mas o detergente não foi feito para matar, a arma sim!”. meu querido, acidente é acidente, não importa a finalidade do objeto.

    o que percebo que poderá acontecer, será uma teórica diminuição do número de roubos a curto prazo, e um aumento considerável no número de furtos. e se isso não souber ser interpretado, vira argumento pro outro lado, o desarmamentista, que vai falar “tá vendo, agora tá o pessoal tá armado e o furto aumentou”. lógico, se eu fosse um bandido e estivesse com dúvida se uma casa/carro conta com um ocupante armado dentro, eu não iria pro enfrentamento. tentaria esperar uma oportunidade de FURTAR e não ir na cara dura ROUBAR correndo o risco de ser corrido na bala do delito hehehehe…

    texto fantástico e muito oportuno! obrigado!

    • Diogo, eu não acho que o brasileiro tenha condições físicas, motoras e psicológicas de andar armado, mas o fato é que os mais desajustados já andam. Se liberarem o porte, muita gente inocente vai morrer, talvez eu, talvez alguém da minha família, mas com o tempo a sociedade vai se regular sim.

  • Ainda bem que você escreveu sobre isso, pois queria me informar decentemente sobre o assunto. Na mídia e nas redes sociais, só tem lacração e histeria – tem até gente que acha que isso vai aumentar o número de suicídios…

    • Gui, quem quer se matar se mata, de um jeito ou de outro. Inclusive, pensando nisso, a lei estipula um exame psicológico (entre outros requisitos) antes que alguém receba permissão para ter a posse de uma arma. É histeria pura.

      • E ponha histeria nisso! Ouvi o meu pai, que vendeu armas em sua loja durante 30 anos, reclamar da desburocratização. 15 anos atrás o Brasil não era um faroeste desenfreado e nem uma fábrica de suicidas, impressionante que as pessoas “se esqueçam” desse detalhe. Ademais, conseguir uma arma de fogo ilegalmente não é difícil, para quem quiser usar por besteira ou cometer suicídio. Quase tenho uma tênue esperança de que a desburocratização possa diminuir o comércio ilegal, mas isso é ingenuidade minha. Achei o detalhamento dos requisitos bem instrutivo, muito diferente do escândalo que a mídia e as redes sociais estão fazendo!

        • O preço de uma arma no mercado negro é MUITO mais barato do que uma arma legalizada, quem quer fazer merda compra uma arma de numeração raspada. Mas a cabeça do brasileiro deu uma tela azul, uma disritmia, que parece que não existe arma ilegal, criminalidade nem violência, tudo vai ser culpa das armas legalizadas do Bolsonaro!

      • Sally, nisso discordo. Ter arma em casa tem potencial de aumentar suicidios sim.

        As pessoas não fazem ideia do número de pessoas que tentam se matar no impulso, num momento de desespero agudo, às vezes sem o desejo real de morrer. Normalmente usam remédios, bebida, se enforcan de qualquer jeito, cortam os pulsos de qualquer jeito.
        Fazem qualquer coisa que acham que vai colocar fim naquele sofrimento DAQUELE momento.
        Com uma arma em casa, vai ser a primeira opção, e as vezes a última, porque dificilmente ele vai sobreviver pra poder buscar ajuda – muitas vezes o desejo ou a tentativa de morrer é o que leva a pessoa no medico, assustada, e aí pode começar o tratamento.

        • Nanda, a primeira escolha das pessoas no Brasil é se jogar pela janela, então, mesmo na falta de arma, quem quer se matar vai se matar (a menos que o anormal more no terreo e não tenha a decência de subir de elevador para o ponto mais alto para se jogar, o que eu sinceramente, não descarto)

          Mas, independente do meio… eu acho que quem quer se matar que se mate. Não acho que caiba ao Estado tomar cuidado com potenciais suicidas e negar armas para toda uma população que não tem segurança pública porque um percentual de deprimidos pode se matar. Fica à vontade, não quer viver, dá um tiro na cabeça.

  • Tive que mandar o link deste post pra um monte de pessoas, várias das quais, infelizmente, são “floquinhos de neve” histéricas e neuróticas que ainda acham que o Bolsonaro vai tirar algum “Bolsa Arma” da cartola. Sabe essa gente pau no cu que prefere chiar – e falar muita merda – a entender o que realmente está acontecendo? Não agüento mais…

    Quanto ao temor dessa cambada de cuzões de que isto aqui vire um grande bangue-bangue, só gostaria de dizer que… ISSO JÁ ACONTECE, CARALHO! O que não falta nesta pocilga é gente sendo assassinada a bala, porra! Por qualquer motivo e até sem motivo! Todos os dias! Pra se ter uma idéia: de acordo com um estudo do ano passado publicado pelo Global Burden Disease, órgão da Organização Mundial da Saúde dedicado a investigar as maiores causas de óbito no planeta, o Brasil lidera o ranking mundial de países onde mais se mata com armas de fogo. E tudo isso numa nação que não toma parte em conflitos bélicos desde a Segunda Guerra Mundial.

    • Pois é, aqui no Rio somos aterrorizados por armas todos os dias, e não são arminhas compradas com autorização do Governo. Quer coisa mais assustadora do que bandido analfabeto usando armamento pesado proibido até mesmo para o exército brasileiro?

      • No Rio bandido usa fuzil de guerra até pra roubar uns míseros relógios, carteiras e celulares em arrastão em túnel…

        • Pois é, eu sinceramente não vejo problema de um pai de família ter um 38 em casa. Pior do que está não fica.

          E vou além, sendo bem escrota mesmo: se neguinho é relapso e deixa arma jogada no sofá para criança brincar, NÃO É PROBLEMA DO ESTADO, que percam os filhos, que enterrem os filhos, que se tornem pessoas mais responsáveis.

  • “UNHÉÉÉ UNHÉÉÉ O Biroliro autorizô as arma tudo! Agora queim teim depressaum vai si matá dentro de casa huurrr duuuurrr”

    Suicida que tem que fazer curso de tiro, provar que não é criminoso, ter cofre em casa, mostrar documentos pra polícia e ter uma justificativa muito boa pra ter uma pistola dentro de casa – É mais fácil pular da ponte ou tomar 1kg de comprimidos que o efeito é o mesmo (e mais rápido).

    “Mimimimi mómómómó agora as quiança vaum brincá com revólver e vai acontecê um acidentchy”

    Meu pai tem porte de arma e a ÚNICA vez que eu vi uma espingarda que ele tem foi há quase 20 anos (e eu era criança naquela época). Só se a pessoa for extremamente retardada em deixar a arma em cima da mesa da cozinha pra qualquer um pegar.

    Esse povo parece que tira os “””argumentos””” da bunda (pior que muita gente compra o discurso desses desarmamentistas, que curiosamente só andam com o segurança armado).

    Eu esperava mais desse decreto. Sei que já é “alguma coisa”, mas…”Enquanto você não puder dar uns pipocos nesses bandidinhos filhos de uma puta nada vai mudar.” (2)

    • O suicida provavelmente vai procurar um jeito mais fácil de se matar. E mesmo que se mate com a arma, se mataria de outro jeito se ela não existisse: se jogando do prédio, com veneno, com gás, com faca…

      Bem, se os pais são relapsos de deixar uma arma ao alcance de uma criança, então provavelmente deixam outras coisas perigosas também, como facas, fogo, tomadas… Essa criança, de um jeito ou de outro, sofreria um acidente.

      Esse decreto não é NADA, é um peido, não vai fazer qualquer diferença. Mas o povo quer reclamar, disseminar o medo…

  • Como assim não vou poder comprar minha metralhadora no Extra?Kkkk……
    Brincadeiras a parte, eu acho graça desses lacradores histéricos. Na verdade dá até um pouco de pena. Provavelmente nem leram o decreto e gritam vai virar faroeste e que cidadão vai poder matar a torto e a direito (hoje só bandido pode).
    Pior, vi alguns falando que agora TODA morte por arma de fogo iria para o bolso do Bolso. Mas os números de guerra que o Brasil vem enfrentando nos últimos anos foram totalmente esquecidos.

  • Isso aí é até fácil, quero ver se aquele projeto de água no Nordeste vai mesmo acontecer, duvido que o governo dele consiga derrubar o lobby da miséria que assola a região.

    Falando em Bolsonaro, saiu esta notícia aqui:
    https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/01/16/bancada-do-psl-vai-a-china-para-importar-tecnicas-de-reconhecimento-facial.htm
    tldr: O PSL vai apresentar um projeto de lei pra instalar câmeras de reconhecimento facial em locais públicos, num esquema semelhante ao que está sendo feito na China. O argumento é segurança.
    O que vocês acham?

    • Nossa, complicado isso…

      Se fosse bem feito, com ética e respeito, poderia ter um lado bom, mas no Brasil? Acho que não estamos prontos.

    • Isso tem cheirinho de segundas intenções… o governo chinês deve estar querendo ir à caça de dissidentes chineses por aqui. E o que adianta reconhecer e capturar os criminosos se eles vão ser soltos em pouco tempo ou se converter pra facções na cadeia?

  • Eu quero é o porte, a posse não resolve muita coisa, o risco mesmo é ser assaltado na rua e levarem carteira, carro e celular. Enquanto você não puder dar uns pipocos nesses bandidinhos filhos de uma puta nada vai mudar.

    • Porte ele não pode mexer por decreto. É bem mais complicado de mudar. Por isso a gente sempre ria e debochava quando neguinho ficava falando que se o Poket fosse eleito, todo brasileiro poderia andar armado. Não vai acontecer, Presidente tem poderes muito limitados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: