Top Des: 03/02/2019

SALLY
Brasileiras: histeria, passionalidade, choro e grito não são sinônimo de amor, são descontrole e descontrole é ruim. Grata.
SOMIR
Uma causa é tão forte quanto as pessoas que a defendem. Pobres animais…

SALLY
Vocês sabem nadar, né?
SOMIR
Mas pelo menos o aço brasileiro continua barato!

SALLY
Evadir a privacidade > boicote merecido.
SOMIR
Bom, não deixa de ser bem feito pra quem deixa criança no Facebook o dia todo…

SALLY
“Nicolas, não faz assim que a mamãe fica triste.”
SOMIR
Desde que o Assad conseguiu segurar sua ditadura, todos os outros ficaram mais confiantes.

SALLY
Seria um caso de Womanexplaining?
SOMIR
“Que abuso! Ah, é uma mulher? Então é amor…”

SALLY
A criança que cuspiu na cara do professor que virou reitor quer trocar de escola.
SOMIR
Eu entendo de coração querer fugir do Brasil, mas não precisava fazer esse drama todo.

SALLY
Quem defende escória, é escória, parem de passar pano para advogado.
SOMIR
Na verdade, a culpa é da sociedade, que constrói casas e coloca rios perto das minas da Vale!

SALLY
Brasil, o país das tsunamis artificiais.
SOMIR
Só não pode deixar de pagar o suborno, o resto se negocia.

SALLY
Quem dera…
SOMIR
Antigamente os EUA intervinham mais cedo e evitavam essa encheção de saco.

SALLY
Estelionato divino.
SOMIR
Se eu soubesse dessa universidade divina, talvez nem tivesse me tornado ateu, por que não me avisaram?

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Comentários (24)

  • O Somir, que é publicitário e detesta veganismo, talvez tenha algo a dizer sobre esse comercial da Hyundai que despertou a ira de veganos. No tal comercial, um ascensorista (vivido pelo ator Jason Bateman) leva um grupo aleatório num elevador – sempre descendo – e, a cada parada, uma pessoa desembarca para vivenciar alguma “experiência infernal”: um tratamento de canal no dentista, ser membro do júri no julgamento de um criminoso barra-pesada, sentar bem entre um gordão e uma gripada num vôo de longa distância, um garoto na puberdade tendo “aquela conversa” com o pai… Lá pelas tantas, aparece uma mulher toda feliz oferecendo uma travessa com um “beetloaf” (rocambole de beterraba) em vez de um meatloaf” (o tradicional rocambole de carne que americanos costumam comer no jantar). A veganaiada pirou e, feito menininha adolescente contrariada, xingou muito no twitter. Teve uns que resolveram postar fotos de pratos pra dizer que comida vegana é gostosa sim enquanto outros disseram que nunca mais iriam dirigir um carro da Hyundai novamente. Os carnívoros, por outro lado, acharam o comercial hilário.

    • “Teve uns que resolveram postar fotos de pratos pra dizer que comida vegana é gostosa sim”

      Tão boa que botam os nomes em alusão a carne (hamburguer de grão-de-bico, coxinha de jaca, bacon de coco, bife de feijão…) rsrsrs… Aliás, pergunta pra um pedreiro (ou qualquer um que faça um trabalho verdadeiramente braçal) se ele trocaria a costelinha dele no almoço por um “rocambole de beterraba”.

      “enquanto outros disseram que nunca mais iriam dirigir um carro da Hyundai novamente”

      Boicote na teoria é lindo, mas na prática não faz nem cócegas na empresa (dependendo do tamanho dela). Vegano, que ainda é uma minoria, boicotar qualquer coisa tem efeito nulo praticamente.

      E eu ri do comercial.

      • Não vejo boicote ao Facebook, que só faz cagada, ou à Apple, que até trabalho escravo usa. As pessoas só boicotam aquilo que não lhes gera privação

      • “Aliás, pergunta pra um pedreiro (ou qualquer um que faça um trabalho verdadeiramente braçal) se ele trocaria a costelinha dele no almoço por um “rocambole de beterraba”.”

        Adorei seu comentário, Fernanda.

  • Ah, para… um tsunami de lama na cidade, morre um monte de gente. Aí usam o helicóptero para salvar vacas. Se fosse um bicho ameaçado de extinção eu até entendo que tentem. Mas um negócio que está no açougue e todo mundo consome toda semana não. Esse pessoal não entende que isso é dinheiro público não? Esse mesmo helicóptero poderia estar em outro lugar ajudando outras pessoas. Que indenizem o dono do bicho.

  • Acho essa Luisa Mell um poço de chatice! Sim, é importante lutar pelos direitos dos animais e coisa e tal, acho louvável, apoio a causa, mas a maneira como ela faz isso é péssima! Se mete em polêmica com Deus e o mundo e fica de picuinha por pouca bosta (tipo quando aquele apresentador do BBB que fez uma piadinha lá perguntando pra uma vegana se ela sabia que o pão que ela comia levava leite e ovos. Aí pronto, lá foi Luisa Mell escrever um textão no Instagram sobre isso). Sei lá, eu pelo menos acho que ainda é possível convencer as pessoas do que você acredita sem ser insuportável.

    E reitero o que foi dito: “histeria, passionalidade, choro e grito não são sinônimo de amor, são descontrole e descontrole é ruim.”

    • Não se consegue conscientizar ninguém com histeria, choro, chantagem. Luisa Mell presta um desfavor à causa animal, vinculando a imagem de quem levanta essas bandeiras a descontrole.

  • Mais de 20 milhões de animais abandonados a própria sorte Brasil afora e essa ai vai aprontar das suas lá em Brumadinho.
    Não bastava a palhaçada no Instituto Royal?

  • “UM dos responsáveis pelas ameaças…”. Ou seja, há outros que eventualmente podem estar soltos. Além disso, se sabe muito bem que detentos organizam, coordenam e determinam crimes de dentro das cadeias. A “narrativa vitimista” não caiu, portanto. O que caiu foi a máscara de razoabilidade tão propalada neste site.
    Continuem demonstrando a adesão à estupidez reacionária. Bajuladores não lhes faltam.

    • Caiu sim. Jean deu entrevista ano passado falando de ameaças, que não tinha medo e que, se preciso fosse, pegariam em armas.

      Peidou.

  • 1% mais rico do mundo terão dois terços da riqueza mundial até 2030.
    https://www.alvexo.com/blog/business/wealthy-1percent-to-own-two-thirds-of-worlds-wealth/?bn_cmp=2750092
    Desde 2008, a riqueza dos super ricos (1% da população mundial) tem crescido numa média de 6% ao ano, duas vezes o aumento anual de 3% da riqueza dos 99% restantes da população mundial. Se essa tendência continuar, os super ricos possuirão dois terços da riqueza mundial até 2030.
    Segundo pesquisa, eleitores temem influência dos super ricos na política e instabilidades sociais causadas pela desigualdade de renda, como a corrupção.

    Pode me chamar de ‘Envejosa’ (spoiler: não sou, estou satisfeita com a minha vida e com o que tenho), mas ninguém vai me convencer de que isso é normal e é assim que tem que ser.

Deixe uma resposta para W.O.J. Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: