Game of Thrones – Final

Se você não assiste Game of Thrones, passa amanhã. E esta é a última vez que falo sobre o assunto, prometo. Felizmente a série acabou e por nada deste mundo eu assisto qualquer spin off derivado dela.

Só rindo para encarar esse final de GoT. Parece que é temporada de inclusão nos Sete Reinos! O Rei é tetraplégico e seu braço direito é um anão. Vai tomar no cu, Game of Thrones!

Eu não tinha um favorito para vencer a batalha dos tronos, não torcia por ninguém, apenas por coerência e consistência de roteiro. Pois é, não deu. Game os Thrones apresentou um final decepcionante, não pela escolha de eventos em si, mas pela forma truncada, forçada e desleixada que os apresentou.

Como já havia dito neste texto independente de preferências pessoais, ser desleal com o seu público gera uma sensação muito ruim e joga sua audiência contra você. Mesmo que as pessoas não entendam de roteiro, mesmo que seja uma produção milionária com todo tipo de recurso e efeito especial, mesmo que as pessoas que a assistem não consigam tomar um picolé sem enfiar o palito no olho, isso é sentido e repudiado.

Conforme dito no texto de duas semanas atrás, os roteiristas já vinham em uma espiral de deslealdade: sete anos ameaçando com o Rei da Noite e White Walkers, para, no final, uma menina matar o chefão com um cutuco. Uma menina que foi pega pelo pescoço por ele, o mesmo que teve força para atirar uma lança com a mão e perfurar um dragão, e mesmo assim não morreu. Enquanto era segurada pelo pescoço pelo demônio mais temido da série, pegou um punhal e o matou na tranquilidade em vez de ter sua traqueia esmagada. Vão cagar no mato, né?

O final não foi diferente, a deslealdade continuou. Vimos que com um único dragão você pode queimar a porra toda e vencer a batalha mais difícil da série. Curiosamente com DOIS dragões levaram um pau em Winterfell, lutando contra um inimigo que era especialmente sensível a… fogo!

Danny deve ter anabolizado seu último dragão, pois o estrago que vimos foi sem precedentes. Até então, todas as batalhas envolvendo dragões eram sofridas e suadas. Agora um dragão sozinho destrói a porra toda. Mas, a instabilidade no rendimento dos dragões é o menor dos problemas…

Jon Snow, em um ato heroico, matou a mulher que amava ao perceber que ela se tornara uma tirana que causaria um estrago mundial. Enfiou uma espada no peito de Danny, que caiu morta. Ato contínuo, chega o dragão e encontra sua “mãe” morta. A lógica faria presumir que o dragão ia sentar o fogo na nuca do Snow, mas não aconteceu.

Eu entendo o dragão não atacar o Snow, porque vai saber qual é o grau de compreensão e discernimento de um dragão mas… Os Dothraki e os Imaculados teriam picotado o Jão em mil pedacinhos quando se dessem conta de que ele assassinou sua rainha, ainda mais naquele ambiente sem lei, de tomada de cidade, onde eles eram invasores que não deviam nada a ninguém. Mataram gente por muito menos.

Ver o Jão apenas preso foi o começo de um roteiro mais furado que um queijo suíço. As cagadas se sucederam, personagem após personagem. Arya passou metade do seriado repetindo sua lista da vingança, pessoas que ela pretendia matar, custasse o que custasse. Esse era o seu propósito de vida, tudo que ela fez durante esses anos foi voltado para isso, inclusive arriscou sua vida uma centena de vezes sem o menor pudor: essa é Arya, destemida, kamikaze, determinada.

Ela foi até Porto Real matar a Cersei, com preocupação zero de morrer. A ponto de, na entrada da cidade, se identificar para um guarda da Cersei dizendo que estava ali para matar a rainha. Depois de anos vivendo em prol de uma vingança que era seu único objetivo e arriscando a própria vida de incontáveis formas, foi só o Cão dar um toque nela de que ela poderia morrer que ela mandou um joinha, deu meia volta e foi embora, desistindo de tudo.

Essa não é a Arya, nunca foi. Arya é “missão dada, missão cumprida”. No cu dos roteiristas que a Arya recuaria por um risco de vida (e, por sinal, dava para ter matado a Cersei sem morrer). Mas, sabe como é, a personagem virou a queridinha dos fãs, se ela morresse não teria spin off. O final dela foi basicamente o preparo para lançar uma série solo dela desbravando terras nunca antes visitadas. Não precisava fazer ela cagar no pau para dar esse final, francamente. Podiam ter chegado no mesmo resultado sem rasgar ao meio a essência da personagem.

E por falar em Arya, aquela profecia que repetiram um monte de vezes, inclusive na oitava temporada, de que ela fecharia muitos olhos, olhos azuis, olhos castanhos e olhos verdes… foda-se, né? Olhos castanhos ela fechou na vingança contra os Frey, quando envenenou todo mundo, inclusive Walter Frey. Olho azul suponho eu que tenha sido a morte do rei da noite. Olho verde? Ora, ora, vocês só tinham três trabalhos. Pra que merda planta uma profecia, fica repetindo ela por oito anos e não cumpre? Desleal com o público, soa muito incompetente.

Tyrion, que até então vinha se portando como um retardado, teve um rompante de inteligência. Manipulou o Jão para matar a Danny, depois de traí-la aberta e assumidamente. Mais um que traiu a rainha louca e não foi morto nem pelos Dothraki nem pelos Imaculados. Não só isso, mas também foi convidado a opinar quando os poucos que sobraram vivos estavam discutindo sobre quem seria o novo rei. Chamaram o cara que fracassou como mão do rei para aconselhar o conselho. Hã?

Aí Tyrion recomenda que Bran seja o novo rei. Um rei em um contexto bélico que não pode nem empunhar uma espada. Um rei que já havia se recusado a ser rei antes (Rei do Norte) alegando que seu cargo de Corvo de Três Olhos era prioridade. Se ia fazer o Bran declinar de uma coroa, sabendo que no futuro ele aceitaria outra, que o fizessem sem usar um motivo impeditivo que afetaria tanto a primeira quando a segunda proposta.

Bran, o novo rei, teve poder suficiente para salvar Tyrion, que traiu Danny e estava jurado de morte. De condenado, passou a ser Mão do Rei, o cargo mais importante abaixo do monarca, um baita upgrade. Mas não teve força para salvar seu irmão Jon Snow, que foi deportado e condenado a viver o resto da vida na Muralha. Tudo isso graças à pressão dos Imaculados, um exército profano de invasores que promoveu atos bizarros e covardes na cidade e que estavam de partida para outro lugar. Complicado, não?

Se queriam dar essa vibe Jesus Cristo a Jon Snow, que pregassem ele em uma cruz, assim ao menos animava um pouco o episódio. Jon Snow, aquele que, em última instância, teve o ato mais heroico da temporada, acabou punido com uma pena perpétua e exilado pelo rei, seu irmão, para compor com um exército invasor e tirano que nem ali estava mais. Feio, feio demais. Fizessem o Snow ir para lá por vontade própria, se exilando após uma ressaca moral por matar sua amada. Assim ficou muito forçado.

Bran é um encosto de porta. A única coisa que esta porra faz da vida é entrar na cabeça dos animais. Mesmo assim, ele reúne seu conselho e pergunta se alguém tem notícias do dragão, que fugiu após a morte de Danny. Filho, é seu único dom e ainda assim você pergunta pros outros. Francamente, mereceu o apelido troll “Bran the Broken” que recebeu.

Cersei, querendo ou não, se tornou a principal vilã do seriado. A batalha final pelo trono foi contra ela. Ela sentou na porra do trono boa parte do seriado, direta ou indiretamente, através de seus filhos. Ela era a “grande inimiga” nessa batalha final. Você não pega um grande inimigo, O Inimigo, nem ao menos um personagem principal que todo mundo quer ver morto e o mata de causas naturais ou fenômenos da natureza. Matar Cersei com pedrinha na cabeça foi broxante.

Todo mundo queria a cabeça dessa mulher, e ela morreu de… pedrada. Mas calma que piora: se ela e o irmão dessem dois passos para o lado não teriam morrido, pois o desmoronamento foi, providencialmente, dentro do raio de 3 metros à volta deles. Mais: na cena final, quando o Jaime a abraça, podemos ver a mão direita real do ator no corpo de Cersei. Teria a emoção sido tão forte que a mão de Jaime regenerou? O copo da Starbucks eu entendo, pode ter entrado um dinheiro para esta propaganda velada, mas esquecer que um personagem é maneta faz anos… difícil.

Vale lembrar que os roteiristas desta caralha tiraram um ano sabático, ou seja, puderam escrever tudo com muita calma e sem bloqueios criativos. Pressa ou pressão não são motivos para o final que foi apresentado, para a temporada que foi apresentada. Não é um só, é uma equipe, consideravelmente grande. Todo mundo olhou isso e disse “Tá ok, tá joinha, acho que vão gostar”.

Também vale lembrar que esse final cagado roda na internet deseja janeiro, quando a porcaria do roteiro foi vazado. Como era ruim demais, o povo nem levou muito a sério que fosse o roteiro verdadeiro, todo mundo tinha certeza de que era fanfic de algum idiota… mas era verdadeiro. A HBO cagou tanto que o final verdadeiro vazou cinco meses antes de ir ao ar. Nas redes sociais você via as pessoas gritando “Não acredito que aquela merda vazada era de fato o roteiro real!”.

Foi um choque duplo: pelo final merda e por uma empresa do porte da HBO permitir o vazamento do final da sua série mais importante cinco meses antes. Na boa, eu colocava um final alternativo no braço, só para não passar por esse vexame.

Não é sobre as escolhas feitas para o final de cada personagem. As escolhas poderiam ser exatamente os mesmos desfechos, mas por caminhos que não fossem desleais com a audiência. Roteiro não é sobre o final, é sobre o caminho que se traça para chegar nesse final. Eles tinham tudo a seu favor: uma audiência fiel, toneladas de dinheiro e uma história com final aberto que permitia tudo. Conseguiram cagar o incagável.

Dá para agradar fãs malucos e obcecados, como vimos no sucesso da trilogia de Senhor dos Anéis. Dá para agradar a maioria mesmo quando a série é um sucesso, como vimos no final de Breaking Bad. Não me venham com essa de que não importa o que fizessem, reclamariam. São poucas as séries que entraram para a história como finais abomináveis. Dessa vez a culpa não é dos fãs da série.

Teve muito maluco surtando na internet? Sim, mas sempre tem. Isso não invalida o fato de que uma maioria assustadora pelo mundo todo detestou o final. Todo tipo de gente detestou o final, inclusive os malucos. Desacreditar todo mundo que não gostou jogando no saco de fanáticos lunáticos é não assumir responsabilidade pelos seus erros. Mais uma vez, feio, muito feio.

Eu não tenho constrangimento de exercer meu grau máximo de cobrança de profissionais que são pagos a peso de ouro. Uma coisa é uma Zé Cu que escreve um blog na camaradagem sem cobrar nada de quem lê e que não faz disso seu sustento, outra coisa é quem chega ao posto de roteirista da série mais aclamada dos últimos tempos. Tem que cobrar sim, a pessoa ocupa o topo da pirâmide na sua profissão, não é irreal criar expectativas de que ela faça um trabalho excelente.

Quando uma parcela significativa da população mundial detestou algo que vinha amando por anos, não dá para creditar apenas a histeria ou fanatismo. Erraram. Erraram feio em diversos pontos, mas o pior deles foi jogar a culpa nos fãs da série.

Para dizer que agradece se a gente não falar mais no assunto, para apontar outras tantas inconsistências de roteiro ou ainda para sugerir que a gente faça melhor: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (33)

  • Eu não consigo chamar a Arya de Arya, sempre chamo de “a menina sem queixo” ou “com cara estragada”. No caso, parece que ela virou Cabral pra ficar navegando por ai

  • A Arya matar o rei da noite eu achei ok, ela passou uma temporada inteira tendo o treinamento do deus de muitas faces, foi algo construído.
    Pra mim a cagação começou quando o Greyjoy matou o dragão e a Dany ficou olhando pra ele, sem reação. Porque não tacou fogo nos navios? O Drogon tava dodói nesse dia? Zuadoooooo.
    No último episódio tinha muito mais chances de terem matado ele com o escorpião (porque tinha 8) e ninguém conseguiu. Não faz sentido, não teve coerência.

    Li várias teorias na internet que teriam sido muito finais muito melhores, tipo aparecer mais 3 dragões bebês que seriam filhos do Drogon (ele ficou sumido uma época, poderia estar botando ovos por aí), a Arya matar o Jamie e em seguida matar a Cersei usando a máscara dele, o rei da noite voltar, o Bran ser o rei da noite; enfim teriam sido finais muito melhores.

    A moral da história foi que quem dá a cara a tapa só toma no cu e se dá bem quem fica comendo pelas beiradas, sem se expor, só aguardando tudo pegar fogo pra colher os frutos depois.

    • Olha, eu aceitaria quase todos os pontos da história se houvesse alguma construção envolvida. Da sétima temporada pra frente, todo mundo começou a teleportar de um lado para outro do continente para fazer uma cena “chocante”, não impactar em nada na história e recomeçar o ciclo. Por isso que nada encaixa: os episódios foram todos baseados numa cena dramática nos últimos minutos e todo o resto forçado para encaixar ali.

      Como o exército da Dany ESQUECE que tem uma armada inteira de navios do Greyjoy à solta? Como alguém VOANDO não vê dezenas de navios? Por que só os três primeiros tiros acertam alguma coisa? Porque a cena tinha que acontecer e pronto. Por que não acertam nenhum tiro? Porque Dany tinha que criar a cena chocante de destruir a cidade. É transparente até.

      Quando eu vi que só tinham mais 6 episódios, presumi que o Rei da Noite ia estraçalhar as defesas de Winterfell no primeiro episódio e a temporada toda seria deles sacrificando tudo para parar. Ficou subentendido desde as temporadas anteriores que perto do Rei da Noite, o “jogo dos tronos” era inútil. Mas, foda-se, né?

  • Horrível! Horrível! Pavoroso! Péssimo! Me faltam até palavras pra descrever o que eu vi no último domingo! Poucas foram as vezes em que eu realmente fiquei revoltada na frente da TV! Até vilão de novelinha da Globo tem um final mais emocionante do que o da Cersei! Morrer com umas pedradas na cabeça, REALLY??? Arya desistindo de seu plano de vingança de 8 fucking temporadas porque o Cão disse “tu vai morrer aqui menina, vai embora”, REALLY??? “Bran, o quebrado” – Isso lá é nome de rei?? Aliás, Bran como rei???

    Sinceramente duvido que os próprios atores tenham curtido esse final. Tão elogiando aí na mídia só por educação, aposto.

    Os meus mais sinceros desejos de “que entre uma tora de madeira do tamanho do RJ bem no olho do seu cu” pra quem escreveu esse desfecho horrendo. Puta que pariu, bicho…

  • Estou com um sorriso de orelha a orelha. Por não ter dado um único segundo de audiência para esta merda!

    Beijos no coração!

  • Taquipariu esse final! Eu esperava um final cagado já que a série tava piorando desde a quarta temporada, mas nunca imaginei que seria tão ruim. Toda adaptação que se distancia demais da obra original acaba virando merda!

  • Falar o que de uma série que deixou um copo de café na frente da Daenerys, devolveu a mão do Jamie e deixou o Samwell Tarly com sua garrafinha de água no pé da cadeira no conselho da escolha do Rei?

    Shame! Shame! Shame!

    • Foi mais difícil matar o Montanha do que o Rei da Noite!
      Tijolos mataram mais gente que o Rei da Noite!
      No entanto a corajosa menina que matou o Rei da Noite arregou na hora de matar a Cersei.
      Got entrou na lista de finais muito cagados, não por predileção por um personagem ou desfecho, mas pelas contradições que nos apresentou.

      • Quanto mais se lê, mais encontra-se incoerências. E a tragédia foi cometida quando correram com a 7th e 8th temporada. Claro que só fizeram isso pq né, imagina, 10 episódios cada uma na mão desses dois imbecis que não conseguem fazer nada de útil e lógico sem o material fonte? Seria um festival de erros. O que fica é a mais clara e exacerbada incompetência da história das séries de TV.

  • Como em caverna do dragão, LOst e GOT nem deveriam ter feito final, se é pra fazer isso.
    Nem vou comentar essa m.
    Só acho que se os roteiristas fossem negros, pelos menos eles poderiam falar que ninguem gostou porque são racistas. Mas no caso, não tem desculpa.

    • O que mais me emputeceu foi essa falsa superioridade de “a internet reclama de tudo”. Não, vários seriados tiveram o final elogiado, feio tentar creditar todas as reclamações a histeria. O final não agradou.

  • Eu não assisti a série, nem sei quem são as personagens, e escreveria um final melhor. Resta saber se o público compreenderia a aparição do Inri Cristo, Zé do Caixão e José Mayer de Sunga montados em um dragão que fala os bordões do Sérgio Mallandro.

  • Dito tudo isso: gostei do fim da Sansa e estou na minoria absoluta, não tenho dúvidas, porque no fim das contas gostei sim do final do Jaime e Cersei. Primeiro que acho irônico, é engraçado pensar que meio mundo queria acabar com a Cersei e ninguém teve a oportunidade; e eu sei que aquela metáfora de “ela acabou com as paredes do castelo, com o simbolo do poder caindo em cima dela e a esmagando” é brega, cafoninha, porém não vou mentiu que não funcionou comigo. E gostei no fim de Jaime e Cersei terem acabado juntos, aquele lance todo de “vieram juntos ao mundo e partiram juntos”, e Cersei mais uma vez tentando proteger um filho (dessa vez um que nem tinha nascido) e FALHANDO. Perder os filhos é punição maior do que ser assassinada pra ela, inclusive.
    Mas não reparei nessa da mão dele ter se regenerado, HAHAHAHAHA, socorro.

    • Ok, mas por qual motivo ficaram ventilando teorias como a do Valonqar para depois esquecer por completo do que foi dito?

      • Então, Sally, eu me enganei com isso também. Parece que a coisa do valonqar só existe nos livros, não na série. Eu inclusive revi a cena da Cersei com a bruxa/feiticeira/sei lá e de fato não há menção alguma a valonqar, era algo dos livros e achei que tava na série também! Recém esclareci a confusão.

        • Eles não citam o termo “Valonqar”, mas não se fala algo sobre um irmão mais novo?

          Em todo caso, dizem que ela será destronada por uma rainha mais jovem e mais bonita, que, no caso, é o Bran. Credo.

          • Sally, em relação à profecia da série, realmente não mencionam irmão mais novo. Mas ao longo das temporadas tem várias referências sobre isso, no caso do Tyrion, não só pelo fato de a Cersei culpá-lo pela morte da mãe, como a ideia geral de que anões são sinal de desgraça em Westeros (ele só sobreviveu porque era um Lannister). E a ideia de proteger os filhos acima de tudo tem lá suas ressalvas: estamos falando de uma mulher que, na Batalha da Água Negra, estava disposta a se envenenar e envenenar ao filho para não ser feita prisioneira em caso de derrota. Eu até engulo o fato de ela morrer soterrada, contanto que ela tivesse escolhido ficar plantada lá, no estilo “morro, mas morro rainha”. É tosco, mas é mais coerente do que apresentaram.

            A profecia dos olhos verdes da Arya estou colocando na conta do Mindinho.

            No mais, estou aliviada que acabou porque assim eles não conseguem cagar mais a história. E adoto o pensamento que eu li em algum lugar na internet: a referência agora de uma história de sucesso com reinos, magia, dragões, anão e um príncipe relutante é Shrek.

  • Eu tava esperando um momento final de Thriller (é, o do Michael Jackson) no primeiro momento em que o Bran estivesse sozinho, hahahahahahahahaha, do tipo, FINALMENTE REI. Tá, ele “não quer” mais nada e blábláblá, mas sério, se é pra dar ares cômicos pra coisa eu riria mais com um Bran vilanesco, com o Corvo como uma entidade maléfica. O que faz sentido, afinal: ele esperou a Dany vir com a cidade toda abaixo a ponto do Jon matá-la, e com essa se livrou dos dois maiores candidatos ao trono duma vez só. Bran sagaz.

    E mais, foi como eu vi por aí: que se fodam os Imaculados, o Greyworm e o resto deles foram pra Naath e beijo, adeus, dava muito bem pro Jão ser punido só pra inglês ver e depois ficar de boinhas e poder retornar se quisesse (não que ele fosse querer, no fim das contas o Jon acabou onde preferia acabar, mesmo). Mas não, Bran sabendo que era o rei e Sansa a absoluta lady guardiã do Norte ficaram na deles, pianinho, um abraço pro Jão e boa viagem. hahahahahahaha, sério.

    Mas a verdade é que o que fodeu essa temporada mesmo foi o ep 3 e toda a questão do Rei da Noite, já que as coisas já tavam nesse pé não tinham grandes modificações a serem feitas no ep final em si….. com a “pequena” exceção da rapidez com que tudo aconteceu. Caralho, num minuto eu tô lá vendo o Jon matar Daenerys, dragão chorando, aquele drama todo, pra 5 segundos depois o conselho de governantes de várias partes de Westeros estar naquele clima “kkkkk”? FOI DE UM SEGUNDO PRO OUTRO. Custava ter desenvolvido isso, foi tudo TÃO CORRIDO. Pqp. A maioria dos problemas dessa temp (tirando a decisão sobre o fim do Rei da Noite, essa foi a imperdoável mesmo) seriam praticamente solucionados com alguns episódios a mais e um tempo de desenvolvimento razoável até chegar a essas conclusões. Dumb e Dumber (apelidinho pro David Benioff e D.B. Weiss no Reddit, acho apropriadíssimo) que vão tomar no cu, sinceramente.

      • Eu vi. Se a Disney tivesse o mínimo de qualquer coisa (respeito pelos fãs, dignidade, mil coisas que obviamente não têm nem terão) arranjava outros depois do papelão com Got.

  • A morte da Cersei me deixou fula…o que foi aquilo? as mortes que ela conduziu foram melhores,alguém que explodiu o septo de Baelor!mereciamos mais que umas pedrinhas.

    • Também acho, sobretudo quando você observa que as pedras desabaram apenas na cabeça dela, três passos pro lado tava tudo intacto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: