Game of Thrones

Se você assiste Game of Thrones, seja muito bem-vindo. Se você não assiste, passa amanhã, pois hoje vamos falar apenas disso.

O seriado está entrando na sua reta final e desagradando, de uma forma ou de outra, a uma grande parcela da sua audiência. Não é todo dia que vemos isso: um seriado muito bem sucedido, cagando tudo em sua reta final. Desde Lost que todos os roteiristas do mundo podem respirar aliviados, pois o título de pior final da história estava assegurado. Bem… não mais. É possível que tenhamos um novo vencedor.

O problema, da forma como eu vejo, é que as pessoas sentem um desconforto, mas não sabem identificar de onde ele vem. Para não se emputecer sem explicação, elas pegam o que está mais próximo de suas crenças, de sua realidade, do seu mundo concreto e encaixam nesse desconforto, fazendo disso uma falsa causa para se emputecer com a série.

Minha opinião sobre a horda de descontentamento: os roteiristas foram desleais com o público, algo que você aprende na primeira aula de roteiro que não se faz. A pessoa sente a deslealdade, mas não consegue identificar exatamente o que a chateou. Para não pagar de maluca e se emputecer sem saber explicar o motivo, ela levanta sua bandeira favorita para justificar a putez: feminismo, ideologia política e até causa animal.

Quando você está construindo uma história, faça o que quiser, mas seja leal ao seu público. Não engane, não trapaceie, não faça estelionato intelectual. Isso não quer dizer que a história não pode ter mistérios ou reviravoltas, pode e deve. Tomemos como exemplo Agatha Christie, uma pessoa que fazia isso com maestria: em seus livros, ela empurra o leitor o tempo todo na direção “errada”, para que ele não descubra quem é o assassino, mas o faz de forma honesta. Sem mentir descaradamente, sem enganar, sem chegar ao final com uma solução tirada do cu.

Nesse ponto, o roteirista é como um mágico: distrai o público com uma coisa, enquanto realiza outra. Não é desonestidade, se você reler uma história da Agatha Christie novamente, depois de descobrir quem é o assassino, vai perceber que as pistas estavam todas lá, o leitor tinha plenas condições de descobrir, se não o fez foi por distrações que o levaram para outro caminho. A história continua íntegra, coerente, a autora não precisou mentir ou roubar para trazer uma reviravolta inesperada.

O mesmo não acontece com Game of Thrones. Os roteiristas estão sendo extremamente desleais. Vejam bem, falo apenas de roteiro. Em todos os outros aspectos a série está impecável: figurino deslumbrante, produção perfeita, etc. Mas o roteiro está sacaneando o público, e o público sente isso, por mais que não saiba identificar exatamente de onde vem. O resultado está aí, nas redes sociais.

Um exemplo claro: passaram as oito temporadas nos metendo um baita terror do Rei da Noite e seus White Walkers como a maior ameaça, praticamente impossível de se derrotar. Toda a trama bélica do seriado girava em torno disso, do medo e do preparo para este grande momento. A batalha pelo trono, que dá nome ao seriado, chegou a ser adiada, graças à importância deste inimigo tão poderoso e difícil.

Nos enganaram. O Rei da Noite morreu facinho, com uma facada desferida por uma menina de um metro e meio. No que ele morreu, todos os White Walkers morreram junto, automaticamente. Em cinco segundos, o que era vendido como maior medo e maior obstáculo do seriado foi desfeito com uma estocada da Arya. Não questiono a decisão dos roteiristas, questiono o tanto que eles valorizaram algo que não era tão complicado ou ameaçador. Nos venderam algo muito distante da realidade, isso não é reviravolta, é estelionato.

Outro exemplo: Bran, o Corvo de Três Olhos. Supostamente ser o Three Eyed Raven seria algo muito importante, um cargo de extremo poder, com uma função crucial. Se alguém aqui consegue encontrar alguma função para o Bran que não seja apoio de porta, por favor, me diga. Como bem disse um leitor, Bran só serviu de isca, poderia ser substituído por um pouco de fubá e uma gaiola. Não se passa oito anos prometendo algo grandioso e depois se entrega apenas um cadeirante dormindo no sereno para poder dar uma indiretinha para o Jaime Lannister.

Mesmo que Bran desempenhe um papel importante daqui até o final da temporada (só faltam dois episódios para o fim), se esperava dele uma participação importante nos grandes eventos que aconteceram, sobretudo em relação a Rei da Noite, vendido o tempo todo como pior e mais temível obstáculo a ser superado e como arqui-inimigo de Bran Stark. Foi extremamente desleal passar oito anos exaltando a importância do Corvo de Três Olhos para, no final, ver a Arya solucionar tudo na boa e velha porrada.

Os próprios dragões, sempre vendidos como algo que daria uma vantagem absurda a Daenerys na hora da batalha, estão morrendo como moscas. Que bicho foda é esse, que todo mundo tem medo, mas que morre com uma lança no peito? Vale lembrar a lança que matou o primeiro dragão foi arremessada à mão, do chão, enquanto o dragão voava. Eu já tentei matar pombo assim e não consegui.

Decide aí: ou são animais que possuem escamas grossas que os protegem (em vários episódios flechas e lanças batem no peito deles e caem sem entrar) ou são vulneráveis e morrem se jogar um palito de picolé na direção deles. Nada contra qualquer uma das opções, mas, por questão de coerência, coexistirem é incompatível.

Os dois primeiros episódios desta temporada (ou seja, quase um terço da temporada toda) também destoaram absurdamente da proposta da série: muito romance, clichê e perda de tempo. Teve rolê de dragão, teve declaração brega, teve tudo menos o que se espera da série: agilidade e acontecimentos surpreendentes.

Aí fizeram uma super campanha de divulgação sobre o que seria a maior batalha de todos os tempos, no terceiro episódio: a Batalha de Winterfell. Morreu mais gente importante em um casamento do que nesta porra de batalha. Não tiveram culhão de matar um personagem importante. A serie simplesmente não está conseguindo manter o fôlego que tinha quando os episódios eram inspirados nos livros. Os roteiristas solando parecem ter medo demais de ousar em uma série onde ousadia sempre foi a marca registrada. Sem ousadia Game of Thrones vira Senhor dos Anéis reloaded.

O povo ficou tão carente de uma gotinha de GoT original que foi ao delírio com Missandei sendo decapitada. O mesmo público que, na primeira temporada viu o personagem principal ser decapitado, vibra com a namoradinha de um Fulano do exército morrendo. Migalhas. Cultivaram por oito anos um público ávido por ousadia, mortes e ação e depois encerram a série com um terço da temporada final com beijinho e cantoria?

A forma como estão torturando o roteiro para tentar desesperadamente agradar aos fãs coloca o seriado em um caminho sem volta. Personagens importantes estão se portando de forma bizarra para atender a um plano de final-lacre incompatível com a série. Tyrion Lannister agora é celibatário e burro. Jaime Lannister vai a Winterfell cumprir sua palavra peitando a irmã, mas no meio do caminho decide que é uma má pessoa e volta correndo. Ou é todo mundo bipolar, ou estão imputando aos personagens atitudes incompatíveis com oito anos de construção de uma personalidade.

Vi muita gente reclamando que Daenerys estava sendo retratada como louca para desmerecer as mulheres e dar o trono para um homem, que no caso, seria o Jon Snow. Chato que o seu personagem favorito não sente no trono, mas problematizar seriado à luz de questões morais reais, sobretudo um declaradamente ficcional, é pedir para se frustrar. Coerência de roteiro é necessária, levantar uma bandeira atual em um seriado medieval é insanidade.

Sejamos sinceros, Danny dá sinais de loucura faz tempo e sempre se reforçou que ela é filha do Rei Louco, ou seja, não surpreende a mulher estar louca de pedra. Mas, podem relaxar lacradores, os roteiristas estão acovardados faz um par de temporadas, não sei se terão coragem de tirar o trono dela. Não duvido que Danny sente no trono, tudo que eles escrevem é Fan Please e não tem muitas opções para colocar no lugar dela.

Nessa zona de personalidades bizarras que mudam do dia para a noite, estão desqualificando todos para o trono de ferro. Daenerys tá louca de pedra, mas o lacre pode falar mais alto e que os roteiristas podem fazê-la se superar, ser magnânima e não promover um massacre, vencer a si mesma e à sua loucura, para assim sentar no trono. Seria mais uma vez forçado: como veio, a loucura foi embora. Magicamente. Forçado, né? Mas quem se não ela?

Tyrion, o maior estrategista do seriado, é, atualmente, um idiota que perdeu até seu bom humor e deixou de fazer piadas. Bran é basicamente um móvel de Winterfell. João da Neve se mostrou um imbecilóide incapaz de montar um esquema de batalha competente. Arya é porradora, não quer o trono. Sansa e sua sabedoria express tem que ficar em Winterfell, pois “sempre haverá um Stark em Winterfell” e Bran não conta nem como Stark, nem como nada nessa vida. Francamente, se me dessem esse abacaxi para descascar, eu colocaria o Ghost no trono.

Ainda que a mensagem dos roteirista seja “é impossível chegar ao poder e se manter o mesmo, o poder corrompe e enlouquece”, não precisavam fazer essa gincana bipolar, tirando os personagens principais da sua zona de coerência. Repito: reviravolta é uma coisa, torturar o roteiro para ele te dar o que você quer é outra. Na reviravolta, quando olhamos para trás, podemos ver uma série de indícios que apontavam para essa direção e que nós não percebemos. Quando o roteiro é torturado, são mudanças repentinas, sem contexto e sem coerência, que ninguém poderia prever.

Eu não queria estar na pele desses roteiristas. O final já está filmado e o público do seriado já está xingando de forma revoltada. Sabemos que provavelmente isso caminha para duas possibilidades: Danny ou Jão das Neves no trono. E nenhum dos dois é satisfatório.

Se for Danny, irreal ela ficar louca e desficar louca do nada, além de suscitar a pergunta sobre o motivo de terem trazido Jão de volta dos mortos, o que só se justificaria se ele sentasse no trono, pela estratégia de batalha é que não foi. Danny é final Fan Please lacrador. Se for o Jão, um incompetente que só montou estratégia furada de batalha e que não tem a menor vontade de sentar no trono vai ser o rei. Um pau mandado de uma maluca. Sem contar que os protestos de um “macho” no trono já começaram, a turma do lacre quer uma rainha. Tá fácil?

Posso pagar pela audácia de escrever antes do fim e ter que me desculpar em duas semanas, mas, pelo que vejo hoje, não importa a ginástica argumentativa que façam, o final será cagado. Os roteiristas se encarregaram disso jogando a coerência pela janela. Quando tudo é possível, quando não há critérios para nada, o público não tem o que depreender, o que descobrir, não tem peças para ligar e achar uma resposta. Um final apenas é tacado na parede e o público tem que aceitar de cabeça baixa. Frustrante.

O que nos prende em histórias é tentar antever, tentar depreender, aprender com os erros e acertos dos protagonistas. Quando não há critérios e todo mundo é capaz de tudo, não conseguimos participar da história, que se torna um amontoado de eventos imprevisíveis jogados na tela. Tanto faz o que aconteça, não gera aquela satisfação de uma peça que termina um quebra-cabeça perfeito, onde tudo se encaixa.

Sem dúvidas é mais fácil escrever um roteiro sem as amarras da coerência, onde todo mundo pode tudo a qualquer momento. Mas é broxante para o público, punindo quem seguia uma linha coerente de pensamento com um desfecho tirado da cartola sem qualquer compromisso com uma linha de narrativa que foi respeitada por anos. É como querer que um casamento monogâmico de oito anos vire suruba sem ninguém reclamar.

Seria mais seguro deixar para escrever este texto em duas semanas, mas, em duas semanas é provável que todo mundo escreva este texto. Preparem-se para um final decepcionante, não tem mais base para escrever algo legal.

Para dizer que Ghost de fato é a melhor opção para o trono, para dizer que ainda tem esperança de um final bacana ou ainda para dizer que se desagradar a turma do lacre tá valendo: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas:

Comentários (55)

  • Vc viu que deixaram uma garrafinha de água 500 ml no pé do Samwell Tarly?

    Acho que o ator tava com muita sede no dia da gravação…

    Cada erro crasso.

  • My humble opinion: que falta faz ter o livro por baixo pra segurar o roteiro da série!

    A sexta temporada ainda se segurou por manter o ritmo da quinta (que ainda tinha o Dança com Dragões por base). A partir da sétima, já começaram a cagar no pau. Ou alguém imaginaria o brilhante João das Neves defensor da Muralha elaborando o inteligentíssimo plano de juntar 10 gatos pingados no meio do exército de milhares de White Walkers só pra capturar um? Vai dar certo sim, amiguinho!

    Quando saiu que a oitava temporada teria 6 episódios, em vez dos 10 protocolares, já pensei logo: fodeu. Vai ser tudo cagado, corrido, mal amarrado e nas coxas pra neguim tentar amarrar o final da série. Véi, eu já tou desesperado porque a porra do George Martin não acabou ainda de escrever Os Ventos do Inverno e eu nem imagino (e até duvido) como ele vai conseguir fechar as crônicas em dois livros! Você acha mesmo que 6 episódios dariam? Claro que não.

    Ontem teve o Se8Ep5. Foi foda? Foi. Foi mal amarrado, mal justificado, trocentos gaps? Com certeza.

    Já era. Merdaram tudo. Minha última esperança é a Arya matar a Dany e “You know nothing” governar. Pelo menos eu vou rir do mimimi das feministas.

  • Eu sequer acompanho a série e mesmo assim fiquei meio pistola quando vi a mulher emponderada matando o tal Rei Zumbi com uma facada e isso eliminar todos os outros zumbis por tabela. Imagina se acabam colocando essa personagem no trono porque sim?

  • João de Neve deve ser o personagem mais inútil e idiota dos últimos tempos.
    Impressionante a capacidade dele de fazer merda atrás de merda.
    Eu tenho uma escala.
    A chamo de “Escala Ted Mosby de inutilidade”. (Ted Mosby é o “personagem principal” de How I Met Your Mother). Ted Mosby poderia ser substituído por um molde de papelão que ninguém notaria.
    João de Neve está quase inaugurando uma nova escala.
    A propósito.
    Quando a bruxa vermelha parou de ficar pelada, a série ficou merda.

  • O mais irritante com relação ao rei da noite foi o fato de ficarmos sem saber quem era, como virou aquilo e qual era o propósito dele.

    O final da Melissandre tb decepcionou pelos mesmos motivos.

    • Lost Style: veio do nada, foi do nada. Eu ainda acredito que pode haver uma explicação, através do Bran, mas, ainda assim, perderam o timing.

  • Área matando o rei = Arya. Haha. Desculpe, corretor de celular e não editei o post devidamente. Enfim.

    Ah, e outra coisa! Acho que a coisa menos aceitável da batalha pra mim foi o Sam sair intacto. Entendo a Brienne sair ilesa, o Jaime (mesmo com aquela mão) – são guerreiros e os mortos-vivos não me pareciam exatamente habilidosíssimos, e botando gente pra se foder na frente e reduzir o número deles não fica tão absurdos imaginar pessoas como esses dois sobrevivendo. Mas o SAM?!????? No meio da batalha????????! Porra. Não é possível, não faz sentindo nenhuuummmm, socorro

    • Pois é, o Fulano Tapa Olho, o Fulano Friendzone e outros que eram exímios lutadores morreram. O Gordinho Habilidade Zero e o Maneta tão aí, vivos.

  • Minha expectativa era a de algumas teorias que estão rolando sobre o Bran/Rei da Noite se concretizem. Não vai acontecer, mas algo na linha de aquela “ligação” com o Rei da Noite resultar nele próprio dando continuidade a esse “legado”, então grande coisa área matando o Rei, já que Bran será o próximo. Podia ter algo nessa teoria entrelaçando inclusive o Bran “”wargeando”(??)sem rumo durante a batalha com isso…. Seria a única maneira, creio, da história honrar a ideia de que o Rei da Noite é a ameaça que nos foi vendido que era, além de dar alguma importância de fato pro Bran.

    Sobre o Jaime, pra mim tá claro que aquela despedida não foi sobre ele em crise de identidade novamente: acho que ele tomou uma decisão clara de que deve ser a pessoa a parar a irmã e falou tudo aquilo pra Brienne ficar pra trás e não atrapalhar essa missão/se botar em perigo/interferir. Estou ok com essa linha da história, mas confesso que gostaria que fosse menos óbvia, porque as ideias de Jaime como valonqar já foram exageradamente debatidas.

    Por fim, detesto a Daenerys desde sempre, mas acho que essa cagada não cometem – não vejo chances dela acabar no trono de ferro, ainda mais depois do último episódio. Tão inclusive pesando demais a mão pra esclarecer o lance de Dany = mad queen. Gosto das teorias de Sansa e Tyrion no trono de ferro e torço pra isso – eles são meus preferidos mesmo, João das Neves que vá pro norte e não volte mais, Dany que morra e pronto.

    • Eu jurava que Bran era o Rei da Noite. Um é os cornos do outro!

      Eu acho que Jaime tá voltando a Porto Real para matar a Cersei. Ainda assim, não se justifica a forma tosca como ele saiu. Acho estranho ver um cara que até ontem fazia altas merdas e não sentia culpa se portando assim…

      Olha, se a Danny acabar no trono eu vou achar muito escroto, muito Fan Please, mas eu não duvido que faça, isso.

  • E o 3º episódio todo cagado com aquelas manchas pretas que mal dava para distinguir o que estava acontecendo? Lascou até a qualidade da imagem. Desandou demais!

  • Sally, Somir e Impopulares, por curiosidade: vcs leram os livros? Vale a pena ler, é legal?
    Nunca assisti a série, ganhei o primeiro livro, queria a opinião de vcs.

    • Minha opinião: vale a pena ler antes de ver o seriado. Depois você fica muito contaminado com a imagem dos personagens do seriado para conseguir construir algo bacana na leitura.

  • Numca cheguei a assistir essa série. Mas acompanho, mesmo que involuntariamente, pelas opiniões dos fãs. Involuntariamente, porque, de umas semanas pra cá, são poucos os lugares que não estão explodindo de tanta notícia, review e meme dessa série. E a percepção que estou tendo é que Game of Thrones será a nova Lost, série aclamada encerrada com chave de bosta.

    A propósito, que falha grotesca foi aquela do copo do Starbucks? Por acaso a Record assumiu a produção da série? Lembrei na hora do caso da novela deles em que um extintor apareceu num canto de um cenário egípcio ou coisa do tipo

  • Fizeram uns cálculos e chegaram a conclusão que aquelas lanças que mataram Rhaegal estavam a pelo menos 6 vezes a velocidade do som.. Fora que as batalhas não tinham estratégia nenhuma nessa temporada. Eu sei que o propósito da série não é militar, mas pora tem umas coisas que não fazem sentido.

    Mas sinceramente esse é o menor dos problemas, como você bem disse no texto. Não sei por que o roteiro desandou tanto assim. A melhor cena dessa temporada na minha opinião foi a de Tyrion e Varys discutindo em segredo que Dany estava ficando doida, o resto foi “apenas” bonito cinematograficamente.

    Sobre Daenerys ficar louca, acho que uma proposta da personagem era também mostrar que ela seria diferente dos que vieram antes, e ela se redimir não seria tão ruim. De um lado ela realmente foi diferente libertando alguns povos, porém de outro era fogo comendo sem dó. E esse último lado do fogo os roteiristas fizeram de tal maneira que apenas as pessoas certas foram queimadas ,ou seja pessoas da cultura exótica do outro lado do oceano em Essos, que não geram tanta empatia com o público, que vão engolir caso ela fique “boazinha” em 2 episódios.

    Vou parar de escrever por que a lista é longa. Pior temporada de GOT, espero que os próximos livros sejam diferente.

    • É uma série de ficção, ninguém é doido de cobrar absoluta veracidade de uma série que tem dragões, mas porra, há regras mínimas. Se não houvesse, um copo da Starbucks no último episódio não teria causado tanta repercussão. As batalhas não precisam ser 100% realista, mas não podem ser completamente absurdas, usando estratégias que nunca antes foram usadas por nenhum exército na vida, como por exemplo a cavalaria atacando a linha de frente dos White Walkers. Se querem retratar um grande líder militar, estudem um tiquinho ou paguem um consultor para dizer o que não se faz em hipótese alguma.

      Para mim não há mais esperanças de salvar esse roteiro. Se dessem na minha mão agora, o melhor que eu faria seria isso: Danny loucassa destrona Cersei mas, por ser repudiada pelo povo, decide trucidar Porto Real e Jon Snow, com pesar no coração e sendo o único capaz de impedir, mata Danny e se sente muito mal com isso, renegando o trono. No meio do fogaréu que Danny promoveu, Tyrion fica na frente de camponeses inocentes para tentar impedir que eles sejam queimados e Danny Louca manda o dragão cuspir fogo mesmo assim. Para surpresa de todos, Tyrion sobrevive intacto, quando se descobre que ele também é um Targaryen (fruto de uma pulada de cerca da sua mãe). Arrasado, Snow não quer saber de nada e volta pro Norte, deixando Sansa para reinar junto com Tyrion, que por ser um Targaryen, tem direito ao trono. Obviamente nada disso vai acontecer…

      • Cacete, agora que li esse comentário. Concordo com quase tudo, a ideia é excelente, só não botaria o Tyrion como Targaryen. Acho que curto a ideia de depois de tanto pintar e bordar de todos os lados é um Lannister no trono no final, mas não qualquer um, e sim o renegado (imaginando o que Twyin do além acharia disso. Hahaha).

      • “Para dizer que Ghost de fato é a melhor opção para o trono,…”
        Na última cena, com a mini-maluca sentada no trono de ferro com olhar perdido, Ghost aparece a rodeando, como um bom protetor.
        Ele desaparece por detrás do trono.
        Sua cabeça surge das sombras. Mini-maluca o acaricia ternamente e deixa sua cabeça pender para o lado oposto.
        Ghost a encara e, com fúria, crava suas presas no mini-pescoço da mini-maluca.
        Lentamente, ele se transforma em um homem, que empurra o mini-corpo sem vida para fora do trono e se senta no trono de ferro.
        *Se tem dragões, bruxas, zumbis, gigantes, anões, personagens idiotas que nunca morrem, pode ter lobisomens.
        ** Inventei um final muito melhor que o que virá, e nem pensei muito.
        ***Só eu que me perguntei como caralhos aquele lobo sobreviveu a tudo?

  • https://revistagalileu.globo.com/Game-of-Thrones/noticia/2019/05/george-rr-martin-esta-triste-pela-forma-como-game-thrones-ira-acabar.html

    Ao programa 60 minutes, o autor revelou que sua contribuição na história da temporada final se resumiu a “vários dias de reuniões em minha casa em Santa Fé, em Novo México”.
    Gente…reunião em casa não vale,pela complexidade que ele mesmo sabe…
    Achei corrido 6 episódios,uma série muito boa com final cagado é sacanagem…

    • Gio, ele deu as coordenadas, deu os marcadores, disse quem tinha que obrigatoriamente morrer e quem tinha que sentar no trono. Foi condição para que a série seja filmada. Não me venha ela agora fazer o chateado. Digo mais: não duvido que um final cagado o beneficie, vai ficar muito tranquilo escrever um novo final quando todo mundo estiver odiando o final da série.

      • Avatar

        Leane Lorguetie

        Eu pensei a mesma coisa Sally, um final cagado na série poderia alavancar a venda do livro.
        Já estava começando a desanimar de Got na sétima temporada, nessa agora já desisti, esse episódio da batalha foi horrível, assisti agoniada e xingando, até “adivinhei” que a Arya ia matar o Rei na Noite de tão óbvio que foi a fala da Melissandre. A série e os personagens perderam totalmente suas características principais, tá um saco.
        Torço pra Cersei, mas queira muito era que todos morressem, a única esperança disso acontecer era Rei da Noite acabar com todos, mas já falhou né, só me resta desejar que se matem por essa porcaria de trono.
        PS: mandem essas feministas assistirem Xena, bando de chatas.

        • Eu queria que o Rei da Noite voltasse, matasse todo mundo e sentasse no trono passando um recado claro: o ser humano é tão merda que não merece poder algum.
          Infelizmente não vai acontecer.

  • Nesse ponto, eu estou torcendo pra Cersei só porquê ela mata religiosos, e, também, sempre fui mais fã de elefantes do que de dragões!

    • Torci pra ela quase a série toda mas desisti, em algum momento ela parece ter perdido a mão (não no sentido de ter ido longe demais em crueldade ou algo assim pois isso é bem o que eu espero dela, mas no sentido de ter ideias burras mesmo. Ela não é competente pra manter o poder, jogo de cintura zero). Torço pra Sansão por conta disso: ela é basicamente hoje um misto do que há de mais “nós contra o mundo” da Cersei, mas de um modo esperto, com a astúcia/perspicácia do Littlefinger.

      • Olha, essa evolução expressa da Sansa não me convenceu. Fez bosta sete anos seguidos e do nada virou sábia. As pessoas vão melhorando aos poucos…

  • Anacronismo é um problema sério desse pessoal. E a Capitã Marvel deixou a galera mal acostumada: quer dizer que personagem mulher não pode sofrer nem ter derrotas senão é machismo? É café com leite? Tem que ser perfeita e fodona e bater em homem branco? Bando de mina perdedora que precisa se realizar em personagens fictícios. Ain eu queria ser mais bonita, ain eu queria pegar todo mundo, ain eu queria ser rica e poderosa. Acostume-se com a sua realidade, caralho.

  • Esse é o problema de ter que escrever conforme a reação do público. A história sai cagada. Se você não souber quantas temporadas terá, estraga o ritmo. Se não pode desagradar a ninguém, desagradará a todos com um final meio barro, meio tijolo. O final é determinante para dar sentido ao que aconteceu, portanto um final podre estragará a série toda, como aconteceu com Lost. Para não se sentir trouxa por ter feito uma aposta errada, muita gente vai recorrer ao expediente de “não importa o destino, importa a caminhada”. Sei.

    • Roteirista não pode se deixar pressionar pela opinião do público. Olha o exemplo de Braking Bad: cagaram para o público todas as temporadas e tiveram um final aclamado.
      O povo não sabe o que quer.

  • Esses dragões “poderosíssimos” da Daenerys estão que nem aquele escudo “indestrutível” do Shiryu dos Cavaleiros do Zodíaco. Por mim já era pra ela ter encarnado o espírito da “rainha louca” no ultimo episódio quando mais um dragão dela foi pro saco.

    E que coisa mais “super nada a ver” a Brienne ficando com o Jaime (puta casal aleatório esse, na minha opinião) e no dia seguinte implorando pra ele não ir embora e ficar com ela. Tosco demais. Cagaram legal na personagem.

      • Mas se a gente for ver bem isso não deixa de condizer com a personagem: até o Jaime e esse rolo todo o calcanhar de Aquiles dela era o Renly. O Jaime pelo menos é algo interessante, o Renly, posso estar sendo injusta, mas que eu me lembre era só um backstreet boy de Westeros. Ela ainda é uma garotinha rejeitada por dentro, sempre foi, que ama os galazinhos e sofre por eles. Sobre Jaime, acho realmente, como falei num outro post, que ele basicamente se despediu daquela forma pra ir atrás de Cersei pra matá-la, não pra reviver uma linda história de amor. Eu só espero que depois disso ele não tenha finzinho feliz com a Brienne, é forçar a barra demais

        • O sentimento condiz com ela, mas rastejar e implorar, verbalizando esse sentimento, eu achei que destoou do que ela sempre fez.

  • Nesse ponto, seria bom que a série terminasse como um fracasso, cheia de críticas e fãs insatisfeitos. Aí talvez alguns roteiristas e diretores entendam que lacre não lucra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: