A Cuzação.

É tanta merda no caso do Neymar que nem caberia colocar todas as notícias aqui. O jogador foi acusado de estupro no final de semana passado e a partir daí desenvolveu-se um festival de baixaria. Desfavor da semana.

SALLY

Quero começar o texto de hoje com uma frase que provavelmente não vai fazer sentido para a maioria de vocês: “se me defendo, sou atacado”.

Não é segredo para ninguém que o país se transformou em um grande ataque/defesa, numa dualidade, numa polaridade onde tudo que se faz é alimentar antagonismo e viver no medo, achando que sempre precisamos nos defender de algo. Como sua mente cria realidade, se você está preocupado em se defender, com medo de que te ataquem, é isso que vai acontecer: você vai atrair cada vez mais e mais ataques, em uma espiral de merda que, de tempos em tempos, vai se apresentar na sua vida.

Neymar sofreu uma acusação muito grave. Muito grave mesmo. Ele tinha duas opções: não atacar de volta e conduzir o caso com a menor repercussão possível ou se defender e iniciar uma guerra. Escolheu a segunda opção, e a executou da forma mais favelada possível: desde pai no Datena revelando nome da menina que até então corria em segredo de justiça até divulgação de conversas de whatsapp onde constava o nome do filho da moça e divulgação de nudes.

Não julgo o mérito da questão, cada um que se comporte da forma que achar melhor. Não vou tacar pedra no Neymar nem xingar ele. Meu ponto é: agir assim só é pior para quem o faz. Fomos ensinados que precisamos nos defender, ser combativos, atacar de volta, caso contrário seremos trucidados, pisoteados, sacaneados, pois vivemos em um mundo horrível e perigoso. Durante muito tempo eu também funcionei nessa mindset de ataque e defesa. Mas dá para sair disso. E minha experiência pessoal é que a vida melhora muito se você o fizer.

O que você vai ler por aí é que Neymar está certíssimo, que tinha mais é que se defender mesmo para não “ficar com fama” de estuprador. Que a moça foi muito incorreta com ele e por isso ele tinha todo o direito de ser incorreto com ela de volta. Que não pode dar mole, se não acabam com você.

Os fatos, porém, são bem diferentes. Se Neymar tivesse se portado de forma diferente, se tivesse ficado quieto ou ao menos não tivesse levado a coisa a público, em poucos dias esta moça divulgaria o vídeo que divulgou, onde ela enfia a porrada no Neymar. Ele teria saído completamente limpo, provavelmente sem perder patrocinador, contrato com clube e demais estragos que vieram ou ainda poderão vir. A verdade vem à tona, de uma forma ou de outra. Não precisa ser com você jogando merda no ventilador, acreditem nisso.

Mas não. TEM QUE se defender, TEM QUE se importar com o que os outros pensam, TEM QUE dar satisfação para os outros. Custe o que custar. Fira a ética que ferir. Quem não atacar de volta é otário, ingênuo, idiota e vai ser comido vivo pela sociedade. É assim que as coisas são, está decretado, e ai de quem ousar trazer um ponto de vista diferente. O diferente assusta, tirar as certezas das pessoas e um modo estabelecido de funcionar assusta. Quem pensa diferente da regra vigente é louco, burro ou idiota.

E assim caminha a sociedade. Índice de suicídio caindo no mundo todo e subindo no Brasil. O país que concentra o maior número de pessoas com distúrbios de ansiedade do mundo continua achando que tá tudo certo em se portar dessa forma e insiste no erro. O maior consumidor de Rivotril, o maior índice de homicídios, está dando paulada na cabeça de quem para e diz: “ei, não tá dando muito certo… que tal a gente repensar isso?”. Não. Tem que continuar, tem que se defender, tem que viver com medo.

Uma tecla na qual eu bato desde 2009: sua ética, sua moral, seus princípios, são seus, não podem ser pautados na conduta do outro. “Ah, ele me sacaneou? Então eu vou sacanear de volta!”. Não tá ok fazer isso. Seja correto, seja bom, seja ético e isso vai se refletir na sua vida.

Não há vítimas. Quem trata mulher como mercadoria fisgando randomicamente em rede social para fazer sexo vai atrair pessoas que não estão bem de cabeça. Pessoas com autoestima, com estabilidade emocional, não topam essa proposta. Quem planta merda colhe bosta. Neymar não é vítima, Neymar é, junto com essa moça, autor de um projeto de sofrimento casado, no qual se espera que ambos tirem algum aprendizado e se tornem pessoas mais conscientes.

Mas esse ponto de vista parece ser inaceitável. Não é nada disso: pistoleira piranha filha da puta ou, se preferirem, estuprador escroto, dependendo do “lado” que se tomar. Tem que ir para um dos polos, tem que formar uma convicção fechada, tem que ter uma certeza absoluta, pois um mundo sem certezas assusta. Nem sempre o que chega até a gente corresponde à totalidade das informações, mas com apenas algumas já pipocam julgamentos.

E nessa, o rebosteio se alastra. Uma dezena de pessoas que não tinham relação direta com o caso estão sendo punidas ou linchadas virtualmente. Fora pessoas brigando entre si por divergirem de opinião. Pessoas atacando o Neymar ou atacando a moça e até mesmo os filhos de ambos. Um espetáculo deprimente que só mostra que o resto da sociedade que se meteu nessa fodelança está com a cabeça tão cagada quanto a do Neymar e a da moça. E é isso que mais me preocupa: nunca esperei que Neymar tivesse uma cabeça boa, mas não sabia que o resto do país estava tão mal.

No meio de tanto desgraçamento, o que eu acho mais grave é aplaudirem o fato do Neymar ter “se defendido” através daquele vídeo lamentável onde ele expôs a conversa de ambos. Não tiro o direito dele de fazê-lo, quem está sendo acusado de um crime fica desesperado e quer provar de tudo quando é jeito que não o cometeu, então, essa atitude do Neymar, dentro do seu desespero (e assessoria de merda) eu consigo entender. Mas todo o povo que estava em casa sentado no sofá aplaudindo isso não. Não entendo e acho que mostra que a mentalidade do brasileiro é perigosa, baixa, vil, criminosa, mesquinha, covarde e medíocre.

“Se me defendo, sou atacado”. Não deve fazer sentido pra você, mas apenas teste viver com essa mentalidade por um curto período de tempo. Não estou mandando passear de biquini ou coberto de joias em uma favela, estou sugerindo que, por alguns dias, você tente sair da mentalidade de ataque/defesa nas suas relações cotidianas (inclusive em redes sociais) e observe se ocorre alguma mudança na sua vida.

Uma dica sobre o caso Neymar: pode parecer tudo muito óbvio, tudo muito claro mas… não tomem lados. Ainda tem mais coisa para acontecer. E, se puderem, não julguem nada, não por bondade cristã, e sim porque julgamento nos faz sofrer: “isso é bom então eu fico feliz”, “isso é ruim, então eu fico triste” – que tal apenas olhar para as coisas desde a neutralidade e parar de jogar crenças no que é bom ou ruim?

Não julguem, apenas façam Memes, é com humor que se mantém a sanidade.

Para dizer que está decepcionado pois esperava que meu texto fosse um massacre, para tentar me convencer da culpa de qualquer um dos lados ou ainda para dizer que acha que ambos tem que se foder muito: sally@desfavor.com

SOMIR

Depois de estudar melhor o caso, posso afirmar com convicção que estou torcendo contra as duas partes. E a esperança continua viva: o caso da garota de Instagrama vem se mostrando cada vez mais fraco por motivos dela ser louca de pedra, e Neymar já enfiou os pés pelas mãos ao expor os nudes da moça para milhões de pessoas e provar que é cai-cai até na cama. Não tem mais como acabar bem para nenhum deles.

Mas, pra rir da desgraça alheia tem o resto da internet. Vamos tentar entender quais foram os ingredientes para essa receita maldita? Eu prometo que tenho boas intenções, mas vou pegar um caminho meio escroto: tanto Neymar como a moça são gentalha. A função da vida da gentalha é barraquear e tomar as piores decisões possíveis a cada momento. Gentalha não é preta nem branca, gentalha não é homem, mulher, pobre ou rica, gentalha é um modo de funcionar para muita gente por aí.

Não sou do tipo que acredita em aura ou coisas do tipo, mas muitas vezes eu me impressiono como consigo notar gentalha antes mesmo dessas pessoas abrirem o bico. Dá para notar em micro expressões no rosto, no que está prestando atenção, como lida com a presença do outro… gentalha sempre tem uma expressão que costumam chamar de “marrenta”. Aquela gente babaca que diz que “não leva desaforo para casa”, que acha que os outros estão sempre com inveja, sabe? Acredito que inconscientemente saibam como sua personalidade é tóxica e tratam o mundo como um lugar hostil. Como a Sally bem disse no seu texto, sempre estão com as defesas em grau de alerta máximo, estressadas e agressivas, mesmo quando parecem tranquilas na superfície.

Já disse várias vezes aqui que o meu maior medo é gente burra, mas eu provavelmente estava falando de gentalha. O burro só usa mal a informação que tem, a gentalha transforma a burrice em arma na sua guerra perpétua contra o mundo. Burrice com confiança gera pessoas que fazem bobagens, mas que conseguem colocar a mão no coração e aprender um pouco que seja. Agora, burrice com insegurança é uma combinação terrível, porque comete todas as bobagens do burro e fica com todos os medos da insegurança. Taí: gentalha é o burro inseguro. Pior dos mundos.

E vão me perdoar não dourar a pílula: jogador de futebol e garota de Instagrama não são profissões reconhecidas por inteligência. São caminhos para pessoas que não tem educação ou interesse por estudo, e mesmo que existam exceções, a regra se mantém. Mesmo que Neymar fale razoavelmente bem e escreva melhor que a média (de jogadores de futebol), dá pra perceber que não tem muita coisa acontecendo dentro de sua cabeça. Foi adestrado desde criança para essa burocracia comunicativa do futebol, e nas vezes que não está nesse papel, sempre demonstrou ter a profundidade de um pires.

Que seja, a vida é dele, já está rico pelas próximas 10 gerações, longe de mim dizer que ele tem alguma obrigação de desenvolver o cérebro. Só estou dizendo que não é pelo fato dele parecer mais refinado que o jogador médio que isso signifique que não cabe na descrição de burrice. Neymar sabe fazer uns truques no ambiente das entrevistas e só. Mesmo assim, lembrem-se que burrice sozinha não cria gentalhas. Tem muito jogador por aí que também parece não entender as palavras que fala, mas passa uma impressão muito melhor.

Quando a insegurança entra na história, aí sim vemos o lado gentalha do Neymar aflorar. Já estava aprontando dessas faz tempo, recentemente agiu feito uma criança dando um murro (inho) num torcedor francês. Isso é coisa de gente sem estrutura emocional. E spoiler: quase todos os problemas de estrutura emocional podem ser traçados de volta à insegurança. Ao ser ameaçado pela acusação, usou seus talentos de mergulho desenvolvidos simulando faltas para se afundar num mar de lama. Não tem um pensamento de longo prazo ali. Gentalha se sente atacada, gentalha rosna de volta instintivamente.

E o que dizer sobre a mulher? Cada dia que passa sai mais uma maluquice. Pudera, ganha a vida sendo uma bunda. Não usando a bunda, novamente, sagrado direito da dona da bunda tirar proveito financeiro dela, mas SENDO a bunda. Foi escolhida por um homem rico no bufê de gente que é a rede social e foi pra guerra, tentando tirar alguma coisa daquela história com sexo. Tá na cara que é gentalha. Se prestar ao papel de ser iFood de jogador de futebol, entregue na capital parisiense depois de uma conversa no app. Pode me chamar de moralista, mas já jogou seu valor de mercado no chão. Quando notou que a empreitada acabaria ali mesmo, fez o que gentalha melhor sabe fazer: criou o barraco, seu território seguro. Durante o barraco, a gentalha pode forçar todo mundo a agir como ela. Se aconteceu o estupro? Sei lá. Deixou de ser sobre o estupro…

Foi aí que a burrice e a insegurança começaram a fazer seu trabalho: burrice de ir para esse grau de exposição com um passado barraqueiro e um filho pequeno. Já tem notícia dela dando facada em ex! Soltou o vídeo ainda, que só prova que ela é agressiva e explosiva. A jogada inteligente era soltar a bomba e deixar o Neymar barraquear sozinho, mas como não se aguentou, ganhou a antipatia de milhões. Porque ela não contava que do outro lado tinha um time de gentalha. Neymar pai, Neymar filho e todo o entourage junto não somam 4 neurônios. Foi todo mundo para o barraco. E virou essa baixaria que estamos vendo.

É só isso que gentalha sabe fazer. Jogar futebol ou mostrar a bunda são talentos secundários, coisas que fazem quando não tem um barraquinho para aprontar. Agora estão ambos em seu elemento principal: burrice e insegurança. E como podemos ver claramente, só estraga a vida dessas pessoas. Nada disso se parece com um caso de estupro, e sim de duas pessoas brigando porque NINGUÉM pensou mais de meio segundo antes de sair botando fogo no mundo. Isso é medo. Medo pode ser saudável se você tiver capacidade de lidar com ele, mas nessa modalidade gentalha, é basicamente impossível.

É só reação, é só hormônio, é só bile… é só o medo de ser exposto como a gentalha que realmente é. Pode me achar um escroto por falar dos dois assim, mas se ficar alguma coisa deste texto na sua cabeça, que seja isso: não seja gentalha. Busque conhecimento ou autoconfiança, de preferência ambos. Mas pelo menos um deles para evitar essa combinação maligna.

Inteligente seguro > burro seguro > inteligente inseguro > gentalha.

Para dizer que mais burro é quem fala de celebridade, para dizer que estamos ignorando o estupro (aparentemente até ela), ou mesmo para dizer que percebeu que eu não errei ao escrever garota de Instagrama: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (22)

  • Qual o problema do pessoal em se obrigar a ter opinião sobre tudo? Querem julgar todo um ocorrido com base em um único vídeo que não mostra NADA relevante.
    Existem X motivos hipotéticos pra ele ser responsabilizado por isso e existem Y motivos hipotéticos pra ele não ser. Ninguém sabe.

    • As pessoas observam o mundo a partir de suas crenças, de suas experiências, e acreditam que isso traduz a verdade. Muito pelo contrário, cada ser humano tem um filtro pelo qual vê e forma opinião, achar que o seu ponto de vista é verdadeiro é algo bem limitado, coisa de gente que se dá uma importância bem maior do que a que tem.

  • Sally, eu estou estou amando seus textos de autoconhecimento. Mas queria me aprofundar mais no assunto.
    Você pode me indicar algumas leituras?

    Obrigada!!

    • Vava, tem uma infinidade de material, com uma infinidade de estilos. Pode ser que a minha indicação não seja do seu estilo e está tudo bem, cada um se identifica com uma forma de passar a mensagem. Para começar eu te sugiro ler “O Poder do Agora” do Eckhart Tolle. O nome é péssimo, parece auto-ajuda barata, mas o livre tem uns insights muito bons. Lê e me diz se você gostou desse estilo, se não, te indico outros.

  • Assunto deveras “interessante”, mas eu estou ansioso mesmo para ler os “isentoes” do Desfavor falarem sobre as conversas vazadas entre o arauto da honestidade e seus discípulos.

  • Isso me lembrou um pouco a acusação de assédio que o CR7 sofreu, o comportamento foi diferente… Neymar é muito mal assessorado. Caso contrário, teria se limitado a dizer que tem fé na justiça e que lá iria provar a sua inocência, agradeceria o apoio dos fãs e pediria desculpas pelo constrangimento, falsetearia um chorinho básico entregando tudo nas mãos dos advogados dele. Depois disso, mesmo com uma possível condenação por estupro (não dá pra prever cabeça de juiz), ele ainda conseguiria se sair como vítima.
    Neymar, me contrata como tua assessora, deixa-me ficar rica te poupando de passar vergonha.

  • Conhecendo o comportamento do Neymar já nos tempos do Orkut, já estava óbvio que ia dar merda, se bem que mesmo se ele tentasse dar uma solução mais discreta já no momento de acusação ia dar espaço pra ela ganhar espaço do mesmo jeito na base do alpinismo social.
    O desfavor foi isso ter caído na mídia nessa era das militâncias picaretas.

  • Não julguem, apenas façam Memes,

    Não sei até que ponto os “memes” não seriam parte integrante desse mar de merda. Fazer e compartilhar memes acaba funcionando como uma forma de participar do barraco (e ajudar a aumentá-lo) sem correr riscos.

  • Cadê o tablet que estava aqui?
    O ladrão pegou.
    E cadê o ladrão?
    Fugiu pro mato.
    Cadê o mato?
    Pegou fogo.
    Cadê o fogo?
    A água apagou
    Cadê a água?
    O boi bebeu.
    Cadê o boi?
    Tá no campo de trigo.
    Cadê o campo de trigo?
    Sendo comido pela galinha.
    Cadê a galinha?
    Na cama com o Neymar.

  • Que análise antropológica, sociológica e psicológica essa de vocês, hein? Que primor de textos. A riqueza é que a coisa menos importante aqui é o caso Neymar e o barraco todo, pelo contrário. Obrigada!
    Me forcei a ficar alheia desse assunto (porque não agrega em nada e porque já imaginava que acabaria em baixaria) e só mesmo quando alguém das minhas relações comenta fico sabendo de algo. Não dei clique em NADA do caso Neymar porque “sem tempo, irmão”. Mas quando vi o título do texto de vocês, pensei que valeria a pena (como sempre vale!). Parabéns pelo alto nível de reflexão. Tá difícil existir nesse br em que o racionalismo, senso crítico ou o mínimo bom senso são tidos como ofensa, como atributos de “isentões”, sendo tudo uma questão de opinião e murro na boca.
    Aqui continua um espaço sagrado de respiro cerebral. Obrigada, mais uma vez =*

    • É apenas um reflexo do que acontece em larga escala: incapacidade de solução de conflitos, mentalidade dual de ataque/defesa, prioridade de valores distorcida, projetos de sofrimento casado. É algo que acontece todos os dias na sociedade, com menos pirotecnia. Acho que todos podemos tirar um aprendizado do caso, mesmo que seja o que não fazer…

  • O que eu acho que acontece é: aquele que divulga primeiro é visto como o certo. As pessoas não pensam, não esperam o outro lado dar a sua versão para concluir alguma coisa. Ninguém estava lá mas todos querem dar opinião.
    Pra mim ambos não valem nada. Isso já deixou de ser notícia e virou a fofoca nacional. Que deixem a polícia, o promotor e o juiz decidirem.

    Agora eu fiquei curiosa… Somir consegue ver quem é gentalha através dos comentários?

    • Tem um detalhe aí: a moça não tem nada a perder. Está sozinha, não tem assessoria, está endividada, vai ser despejada, não tem patrocinador. Neymar tinha assessoria e tinha coisa a perder, como de fato já está começando a perder (uma campanha com a Master Card, por exemplo). Isso me faz achar o Neymar ainda mais burro e idiota, independente da resolução da questão criminal.

    • Sim. Mas por incrível que pareça, a maioria da gentalha já foi embora faz alguns anos. Hoje em dia a própria forma como a gente escreve espanta essa turma.

  • A mina podia ficar de boa com o Neymar, mandar alguém vazar uma foto deles juntos pra algum portal de fofocas e sair na manchete “A loira que encantou Neymar” ou algo assim. Depois dava uma entrevista falando sobre a relação deles e passava o resto da vida sossegada sendo influencer de Instagram rica patrocinada por loja de maquiagem. Mas preferiu fazer escândalo e se meter nesse rolo jurídico, até pra ser puta precisa ter um pouco de inteligência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: