O Planeta pede socorro.

“O Planeta pede socorro”. Certamente você já escutou essa frase, ou algo similar. O planeta está sendo destruído e isso precisa ser revertido, certo? ERRADO. Ponto de vista completamente equivocado e que prova como o ser humano se acha muito mais importante do que ele realmente é.

Reproduzir o conteúdo deste texto fora daqui pode provocar reações exacerbadas. Egos inflados nunca reagem bem quando expostos à sua insignificância. Algumas pessoas realmente parecem precisar vestir uma capa de herói e salvar alguma coisa para aplacar uma autoestima baixa.

Deixem que elas brinquem com suas fantasias… mas não deixem que elas te obriguem a brincar junto: lavar lixo e depois reciclar? Tomar banho correndo para não gastar água? Comprar produtos mais caros por serem ecologicamente corretos? Ora, ora, não me metam nas fantasias megalomaníacas de vocês, que eu não sou obrigada a embarcar nesse faz de conta!

“O Planeta pede socorro”. É sério isso? Tem quem realmente acredite nisso? O Planeta Terra pede socorro para Andreia, moradora de Osasco produtora cultural, não consegue pagar as contas sozinha e recebe ajuda financeira dos pais, vive terminando e voltando com o namorado? Ou será que pede socorro para Rafael, em Ipatinga, cursando ciências sociais, não consegue engatar um relacionamento estável mesmo com mais de 30 anos, só dorme se fumar maconha? Tenham santa paciência!

O Planeta não pede socorro porra nenhuma. O Planeta, com ou sem ser humano, vai continuar. A vida, com ou sem o ser humano, vai continuar. Se o ser humano quer continuar detonando seu habitat natural, ele vai ficar sem recursos naturais e morrer, ou seja, quem está em apuros e quem pede socorro é o homem, não o planeta. Puta arrogância pensar que o ser humano é uma parte indispensável da Terra que, diga-se de passagem, viveu a maior parte da sua existência sem vida humana.

O ciclo de vida do planeta Terra é esse mesmo: vêm umas espécies, habitam por um tempo, depois elas morrem. Vêm outras, habitam por um tempo, morrem. Já tivemos 4 ou 5 extinções em massa e o planeta recomeçou do zero, muito bem, obrigada. Este planeta é, basicamente, terra, planta, rocha e água, se o ser humano desaparecer, o planeta vai se regenerar, vai ficar ótimo e os tardígrados vão dançar Macarena de felicidade.

Então não me venham com esse discurso de ecologia, ambientalismo e sustentabilidade como algo nobre ou maior para “salvar o planeta”. O planeta não está em risco, a vida humana nele está. E, convenhamos, não é consenso que a vida humana mereça ser salva. Do fundo do coração, se chegar a este ponto de depredação foi a escolha da espécie, eu não acho que tenha que mover um dedo para limpar a bunda dos humanos: fizemos por merecer ser extintos, arquem com as consequências de seus atos.

Por isso, seu cu que eu vou ficar lavando lixinho para reciclar, separando dejetos, tomando banho rápido para economizar água. Não vou. Nada disso beneficia o planeta, apenas beneficia o ser humano, pelo qual nutro uma profunda antipatia e acredito não ser merecedor de perdurar a longo prazo por aqui. E, como pessoa coerente que sou, não deixo filhos neste mundo, pois creio que a raça humana já prescreveu, o planeta está abarrotado e não somos bons donos de casa.

“Mas Sally, te falta empatia”. Com quem? Com a raça humana? Pausa para rir: HAHAHAHAHAHAHA. Passe aqui todo sábado e leia a coluna “A Semana Desfavor” e me diga o que você sente. Empatia? O ser humano procurou por isso, ano após ano, e ainda o faz. O ser humano detona o planeta onde vive por ganância, por lucro, por status. Empatia por quem está destruindo o lar de todos não? Tenho não, muito obrigada.

Grandes potências mundiais não abrem mão de poluir o ar e a água, o que vocês têm na cabeça para achar que um esforço civil de um banho mais rápido ou coleta seletiva vai mudar o rumo final desta história? O dano que eu contenho sendo ambientalmente correta durante uma vida toda é desfeito por dez segundos de grandes indústrias. Não vou me privar de uma vida confortável, pois no macro, a consciência coletiva não mudou. É se enganar, para, quem sabe, sentir um pouco menos de medo de um futuro sombrio, que virá com ou sem a sua reciclagem. Enquanto o dano em massa não parar, nada nos salva.

E, quer saber? Que venha o que tiver que vir. Terremoto, vulcão, efeito estufa, alienígenas ou um novo hit de axé, a gente lida com a desgraça quando ela chegar, encarando de frente, afinal, é nossa responsabilidade como humanidade que tenhamos chegado neste ponto de destruição. Não dá para cagar um planeta sistematicamente por séculos e depois querer pensar que tudo vai ficar bem por não usar mais canudinho ou sacola plástica. Vamos lá, está chegando a hora de pagar essa conta e eu estou de cabeça erguida, pronta para ser cobrada. Se der para pagar, a gente paga, se não der, bem, adeus.

Chega de fantasia. Vamos dar o nome certo às coisas. O Planeta não pede socorro, ele está aqui há milênios e vai continuar estando quando nós humanos não estivermos mais. Os recursos dos quais nós dependemos é que estão acabando e o planeta (bem como outras criaturas que nele habitam) podem ficar muito de boinha sem eles.

“Mas Sally, pensa nos bichinhos, nos coalas, nos pandas, ele não fizeram nada e vão morrer também”. Meu anjo, isso se chama NATUREZA. Surgiu um predador horrível chamado homem, quem se adaptou e criou mecanismos contra ele fica, quem não vai embora. Não vai ser a primeira nem a última vez que isso vai acontecer na Terra. E, quem foi que te disse que era para esses animais ficarem vivos? Quem disse que não está tudo bem, tudo dentro do seu curso, e todos os animais que estão morrendo já estavam com prazo de validade esgotado no planeta, precisando sair para dar lugar a algo novo?

O futuro não é uma projeção do que você acha legal, o futuro é o que tem que ser. Você não é Deus, você não escreve o roteiro da vida, não decide qual animal sobrevive e qual morre de acordo com sua simpatia. Você não pode salvar o planeta. Não seja arrogante de pensar que pode, é muito triste ver gente remando contra a correnteza apaixonadinho por uma causa que cega seu discernimento. Viva sua vida “medíocre” sem se preocupar com o “futuro do planeta”, porque nós, seres humanos, somos uma mosquinha no cocô do cavalo do bandido, não podemos salvar nem a nós mesmos de nós mesmos, quem dirá ao planeta.

Chega desses delírios arrogantes de ambientalistas sendo endossados. Alguém precisava falar. Travestidos de boas pessoas com consciência ecológica eles são na verdade ególatras que se imbuem da tarefa de pseudo-super-heróis com a missão de “salvar o planeta”. Meu filho, o planeta vai bem, obrigada, e continuará muito bem sem você. Aliás, se o desejo é o melhor para o planeta, bora acelerar a extinção da raça humana, que me parece ser o mais saudável para a Terra.

“Faça a diferença”. Sabe o que faz a diferença hoje em dia? Não encher o saco alheio, esse é o grande diferencial que um ser humano pode ter, pois todo o resto de atos e militâncias travestidas de consciência e bondade estão transbordando em cada esquina – e resolvendo porra nenhuma. Se quer fazer a diferença, não encha o saco do próximo, isto sim é uma raridade.

Você é um grão de areia insignificante que não está aqui para “salvar o planeta” (eu gargalho muito cada vez que digito essa frase megalomaníaca). SE quer fazer alguma coisa em prol do coletivo, olha pra dentro e corrige sua mente, tenha uma mente mais centrada, mais saudável, mais consciente. Só. Esse é seu raio de ação: você mesmo, o resto (o planeta, espécies animais e até outros humanos) é pirotecnia, devaneio egóico, distração.

Sim, distração. A gente faz de tudo para não olhar para dentro, para não resolver as próprias questões, até achar que pode salvar o mundo. O externo não existe, o externo é um reflexo do seu interno. Focar no externo é uma vida enxugando gelo, chutando o espelho, lutando por “causas” e “problemas” que você mesmo cria para se distrair e não olhar para dentro. Querem se distrair? Beleza, vão em frente, mas 1) Deixem o planeta em paz, não falem em nome dele pois esse discurso é mentiroso e 2) Deixem as pessoas em paz, não forcem elas para dentro do seu devaneio.

Você não é Deus. Você não é indispensável para este planeta. O planeta está melhor sem o ser humano. Se o que você quer é salvar o planeta, pare de tentar fazer perdurar a existência do ser humano por aqui. Para começo de conversa, ambientalistão, não ponha filhos no mundo pois é mais ser humano causando problema.

Por mais ecológico que seja um humano, ele é um problema para o planeta na quantidade atual. É consenso que por mais sustentável que seja sua vida NADA, atitude alguma, compensa o dano causado por um filho ao planeta. Então, menos discurso, mais camisinha. Adianta porra nenhuma de nada separar o lixo e ter dois filhos.

Quem te deu o título de “consciente”, “superior” ou “empático” por tentar prorrogar a existência dos recursos que mantém viável a vida humana na Terra? Bonitão, já parou para pensar que na verdade, a empática posso ser eu, que defendo o desaparecimento do ser humano o quanto antes, como a melhor coisa para o planeta? Empatia para consigo mesmo se chama egolatria, egoísmo. Minha empatia é com o planeta Terra, e dificilmente algum cientista vai discordar de mim: vai ficar melhor sem o ser humano.

Pequeno exemplo: Chernobyl. Mesmo com radiação tóxica, com poucas décadas longe do ser humano Chernobyl renasceu: florestas e até animais voltaram. O ser humano é o câncer do planeta Terra. Isso não quer dizer que eu vá sair incendiando casas alheias para “salvar o planeta”, isso quer dizer que eu não vou interferir pois 1) Não sou Deus e 2) Não acredito que a permanência humana aqui seja o melhor para o planeta.

Então, reescreve esse discurso escroto de que “O planeta pede socorro”. Se o planeta pudesse eventualmente pedir socorro, seria contra você e contra mim. O planeta não pede socorro, fale a verdade tal qual ela é, sem maquiagem: o ser humano pede socorro pois destruiu seu habitat até se colocar em risco de extinção. Não camufle para ficar menos feio, não disfarce, não tente revestir de altruísmo e boas intenções.

O planeta não pede socorro, seu medo te faz agir assim, por você, por seus descendentes, pela sobrevivência da sua espécie. Deixe o planeta de fora disso, é desonestidade intelectual dizer que é “pelo planeta”. É por você mesmo, pelo cagaço que você sente ao pensar em um futuro sombrio para você ou para seus descendentes e também para se sentir útil e bem com você mesmo.

A grande pergunta que deixo no final deste texto é: o que há de tão errado com a autoestima dessas pessoas para que elas precisem se convencer de que estão fazendo uma coisa boa, nobre e grandiosa como salvar o planeta? Sério, sério mesmo, se a pessoa precisa desse posto, desse título, desse currículo, tem muita questão interna aí para ser resolvida e olhada.

Não reciclo. Não lavo lixo. Não faço coleta seletiva. Tomo banhos demorados. Uso o tanto de plástico que posso. Se pudesse, dava repolho para as vacas peidarem ainda mais… afinal, o planeta pede socorro. Vamos exterminar de ver o ser humano, esse piolho do mundo.

Para dizer que estou evoluindo espiritualmente de uma forma muito truncada, para dizer que prefere se sentir um herói que faz o bem ou ainda para dizer que este texto foi libertador e vai voltar a tomar banhos longos: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (42)

  • Eu tento viver uma vida “ecologicamente correta” dentro do que não me incomoda, mas sem a ilusão de achar que isso faz uma diferença real. Continuo comendo carne, não aboli sacolas plásticas apesar de diminuir o uso, costumo dar preferência a orgânicos dentro do que me é possível, mas mais por razões de saúde do que ecologia. Vivi uma crise da água horrenda onde morava, em MG, e no final descobrimos que tinha sido mais produto de uma cagada da companhia de saneamento do que de uma estiagem real. Não deu em nada, eles venceram a licitação seguinte e ainda não se mexeram muito pra consertar o malfeito. É muito revoltante escutar que a culpa de não ter água é de quem toma dois banhos diários num calor de 40 graus, enquanto as fábricas de móveis e as fazendas da região gastam milhares de litros a cada turno.
    Eu queria que a humanidade usasse menos plástico e parasse de danificar o planeta, essa poluição toda é ruim pra saúde e é feia esteticamente. Mas não vou me martirizar e complicar minha vida pra isso, porque será em vão. No mais, a humanidade falhou e mais do que merece ser extinta.

    • Pois é, os grandes poluidores não vão parar. É risível uma pessoa física se sacrificar quando não vai fazer a menor diferença.

  • No Facebook (cheio de anúncios 171), aparece o bUnited com o anúncio “ganhe dinheiro salvando o planeta”. É pra rir, né?

  • Tememos peste negra, Ebola, AIDS, mas somos nós a pior praga biológica.

    Deveríamos ter sido destruídos em 1969…

  • A extinção da humanidade seria um sonho bem vindo. Cambada de pau no cu que enche o saco de todo mundo, IRRESPONSÁVEIS com eles próprios e com os descendentes. O ser humano tem que acabar, tem que parar de se reproduzir que nem bactéria em meio de cultura ideal.
    Que a barca de Caronte seja um transatlântico e carregue todos os homo sapiens para a pqp! O resto volta ao status quo…
    Desculpa pelos palavrões, mas o ser humano me irrita profundamente.

  • Começou tirando canudos, agora as sacolas e não vai ser só isso, a tendência é ir retirando materiais prejudiciais. Não é só porque alguns vizinhos meus sujam a rua que vou fazer o mesmo, é a rua onde moro, planeta onde eu moro. Um colega meu tava revoltadaço com sacola, uso merrrrmo, foda se e venha o meteoro. Sem lógica, se quer morrer ninguém o prende, vai querer que todos se fodam igual? O povão segue mais os maus exemplos, por isso o cara entra na política vê os outros roubando e faz igual. Empatia zero!

    • É que não é sacolinha o que mata, é a poluição massiva e diária das grandes empresas. O impacto da sacolinha é mínimo.

      É como se chegasse um paciente ao pronto socorro com 17 tiros e a prioridade dos médicos fosse tratar de um fungo que ele tem no dedão do pé.

  • Ah velho, os “especialistas” estão há uns 20 anos falando que este ano vai ser o ano mais quente, as represas não vão recuperar o volume de água, a neve e as geleiras vão sumir, pipipipópópó… Não entendo como a mídia ainda presta atenção neles mesmo errando o tempo todo. Capaz de 2040 começar uma era do gelo e deixar todos de queixo caído.

  • “Faça a diferença”. Sabe o que faz a diferença hoje em dia? Não encher o saco alheio, esse é o grande diferencial que um ser humano pode ter, pois todo o resto de atos e militâncias travestidas de consciência e bondade estão transbordando em cada esquina – e resolvendo porra nenhuma. Se quer fazer a diferença, não encha o saco do próximo, isto sim é uma raridade.”

    Raridade mesmo. Não basta amar ou odiar algo, tem que perturbar os outros pra amarem ou odiarem junto com você. Acho que mais da metade dos conflitos de hoje seriam resolvidos se todo mundo seguisse o conselho desse parágrafo à risca.

    (Li o texto e só consegui pensar na reação dos ecochatos/veganos tendo um surto se eles o lessem também. Dei risada imaginando a situação, admito)

    • Ah, tem uns surtando aqui do lado de fora, arranhando a porta para tentar entrar no desfavor, com infantilidades como “eu te desafio a aprovar este comentário”.

      Continuarão sem voz, gritando do lado de fora, em sua dinâmica dualista infantilóide, sem serem escutados por ninguém.

  • O próximo argumento desse pessoal ecologista pro seu texto ia ser “Isso, desperdice os recursos, polua, cause a extinção dos bichos. Aí quando faltar água limpa para consumo, não tiver alimentos, respirar ar poluído não vá chorar e ficar arrependida da sua visão egoísta de mundo!”

    • Podem falar o quer quiserem, são pessoas às quais eu não dou importância e que não entram aqui, pois eu tranco do lado de fora. Que fiquem berrando do lado de fora e falando sozinhas, é divertido de ver… Hahahahaha

  • Odeio aquela conversa de “economize água”, porra, sabe quantos litros de água são utilizados para fazer um único carro? 400 mil litros! Todas as empresas gastam milhões de litros de água para a gente continuar consumindo, mas não, aí vem um filho da puta dizer que eu, trabalhadora fodida, só vivo pagar as contas e não tenho uma vida minimamente digna, tenho que fechar a torneira para não gastar água! E outra, um único ser humano que nasce já consome o suficiente pra acabar com essa “natureza” toda. falta pensamento lógico. deviam mesmo é acabar com o ser humano, se continuar nascendo gente, foda-se, vai continuar o consumo, a poluição e não vai adiantar de nada. Também me emputece esses países tipo Japão que ficam pregando esse pensamento de “preserve o planeta” sendo que jogam lixo nos mares, nos países pobres e são putas consumistas desenfreados. parem de fingir que alguém se preocupa nessa merda e vamos tentar viver o melhor possível.

    • Japão voltou a caçar baleias, mas quer que a gente faça a “nossa parte” para “salvar o planeta”.

      O planeta se salva extinguindo o ser humano, e eu estou fazendo a minha parte direitinho…

  • Pior é a Europa, que não deve ter 2 km2 de floresta nativa no continente, querendo dar lição de moral no Brasil, onde 60% do território é floresta amazônica. Vai parecer discurso de patriota radical, mas a verdade é que Europeu se caga de medo de um dia o brasileiro acordar pra vida e começar a explorar direito seus recursos, eles sabem que isso faria o Brasil se tornar um gigante difícil de controlar, tipo a China.

    • Europa sabe administrar qualquer coisa melhor do que o Brasil. É um continente com civilização mais antiga, que desmatou em um tempo onde não havia a consciência dos danos. Por isso não acho justo julgar competência por quantidade de mato na região…

  • Eu costumava fazer reciclagem até descobrir que a empresa de coleta seletiva incinerava tudo que recebia, mas a minha maior red pill veio quando vi uma foto de uma prateleira cheia de canudos reutilizáveis… embrulhados em plástico.

    E porra, um monte de tribo africana tendo 6 filhos por casal, todos eles sobrevivendo graças à medicina moderna e começando a ter contato com o consumismo capitalista (caga num buraco mas já sonha com Iphone e carro), e querem me dizer que o planeta vai explodir porque eu, solteiro e sem filhos, comi um bife? Tenha dó. Vão atrás das dezenas de empresas e governos que quebram protocolos ambientais impunemente.
    Enquanto isso estarei comendo um bife.

      • “Se o macro não muda, pressionar indivíduo para se sacrificar é deboche”. Encher tanto o nosso saco para que nós, reles mortais, sejamos ecologicamente corretos enquanto grandes empresas poluem à vontade é tão eficaz para “salvar o planeta” quanto um band-aid é para tratar um paciente canceroso.

        • Pois é, mas muita gente precisa se sentir útil, ainda que seja de mentirinha. Precisa sentir que está fazendo algo bom, se redimindo de outras merdas que faz. Aí esse discurso cai como uma luva.

  • Aí o fulano para de usar canudinho, proíbe garrafinha de água em festival de música, abandona carro a gasolina e compra carro elétrico, que custa 200 mil reais e só tem autonomia pra dar a volta na quadra (isso quando não se sujeita a ir de bicicleta pro trabalho), passa mais tempo tratando o próprio lixo do que fazendo qualquer outra coisa…

    …e um fuckin’ meteoro vem do espaço e arrebenta o planeta no meio. Parabéns, você viveu uma vida de auto-sacrifício por nada

  • Sally raiz voltou \o/
    Põe seu texto sobre aquecimento global nos desfavores relacionados, é um bom complemento.

  • Isso de salve o planeta que dizer salve a nós mesmos. A previsão é de falta de água porque vai estar tudo poluído, o cacau é um bem finito, café também é previsto de acabar ou ficar bem caro. Não me agrada viver com falta de água, nem café, nem chocolate!

  • Para dizer que estava sentindo falta desta Sally. Sim, eu queria um texto reclamando das sacolas plásticas. Palhaçada proibir sacos plásticos no mercado e canudinhos. Agora sim o mundo está salvo! Porque não pode saco plástico para levar as compras, mas para colocar os legumes dentro não tem problema (aquele saquinho transparente). Saco de lixo também não, pode continuar vendendo sim. Para mim essa proibição tem interesses de indústrias, querem vender mais sacos de lixo, porque todo mundo usava o saco de mercado mesmo. Sem contar o lucro que eles vão ter com a venda de ecobags. E quem for pobre e não puder pagar pelos sacos vai ter que procurar uma calça jeans velha ou um guarda chuva e fazer a própria.
    Os canudos não matam animais, o problema são os porcos que jogam tudo na água. Pobres jogam o lixo no rio, aí quando chove e tem enchente reclamam que inundou suas casas e perderam tudo.

    Quanto as embalagens que deveriam ser lavadas: quando é um frasco de shampoo, sabão líquido, amaciante ou sabonete, tudo bem, é normal as pessoas jogaram uma água dentro até para aproveitar até a última gota. Mas quero ver quem vai lavar a embalagem de hidratante antes de jogar no lixo. Eu acho que as pessoas até podem evitar criar mais lixo comprando embalagens maiores, refis. Mas a obrigação de reciclá-los deve ser do fabricante. O que eles querem, um retrocesso, retorno aos anos 80 com sacola de papel no mercado (que rasgava) e casco de vidro (pesado) para refrigerantes?

    Empresas como a unilever querendo posar de ecológicas, fazendo produtinho vegano com embalagem reciclada, óbvio que é para ganhar mais dinheiro. Se eles tivessem essa preocupação toda com o meio ambiente estendiam para todas as linhas. Quero saber como vão continuar vendendo todynho e nescau em caixinha se não pode canudo.

  • “O Planeta, com ou sem ser humano, vai continuar. A vida, com ou sem o ser humano, vai continuar. ”

    Eu falei isso. Que se o ser humano morrer, em 1000 ou 10000 anos, que sejam, o planeta se recupera. QUe somos formigas insignificantes que não fazem diferente em escala planetária, em que o tempo é muito maior que nossas meras medidas de décadas ou séculos…

    Tentaram me jogar na lata de lixo (orgânico claro, porque sabe como é, reciclagem.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: