O Brasil é fogo…

A Polícia Civil do Pará cumpriu na manhã desta terça-feira (26) mandados de prisão preventiva contra quatro brigadistas de Alter do Chão, em Santarém, no Pará (a 1.231 km de Belém). As prisões aconteceram no âmbito da operação Fogo do Sairé, que apura a origem dos incêndios que atingiram a região de Alter do Chão em setembro deste ano. LINK


Num país civilizado, estaríamos decepcionados com os ativistas. No Brasil, não sabemos se é armação ou não, e o presidente saiu acusando o Leonardo Di Caprio… vergonha e desfavor da semana.

SALLY

Não costumamos usar informações não confirmadas para fazer o Desfavor da Semana, mas o nível de fodelança que este caso alcançou faz com que, qualquer que seja a verdade, ela esteja permeada por uma infinidade de desfavores.

Lembram daqueles incêndios da Amazônia que causaram toda aquela gritaria algum tempo atrás? Celebridades internacionais se revoltando e subcelebridades nacionais pintando girafas no corpo, aquele show de horrores? Pois é, em uma demorada e detalhada investigação, com direito a grampos telefônicos de-li-ci-o-sos, a Polícia Federal concluiu que ambientalistas de ONGs destinadas a combater os incêndios estavam, na verdade provocando incêndios na Amazônia.

Não é uma acusação leviana, pois, como eu disse, há troca de e-mails, movimentações bancárias pra lá de suspeitas e gravações dos caras conversando entre si onde claramente se percebe que 100% inocentes não são. Porém, a polícia brasileira não é confiável, acusa inocentes por muitos motivos e forja provas. Então, não sabemos se são inocentes ou culpados. São os Incendiários de Schoedinger.

Segundo a Polícia Federal, os brigadistas que deveriam combater os incêndios atuavam da seguinte forma: ateavam fogo na floresta, fotografavam um cenário triste e caótico, para vender as imagens a organizações internacionais, para que estas possam arrancar dinheiro de pessoas ricas e histéricas para “salvar o planeta”.

Aí você pode perguntar por qual motivo essas pessoas não tiravam fotos de incêndios espontâneos, já que eles de fato acontecem aos montes, ainda mais naquela época do ano. Por vários motivos. Para começo de conversa, costumam ser áreas de difícil acesso, eles não conseguiam chegar com facilidade. Mais fácil tacar fogo ali na esquina e fazer belíssimas fotos para alimentar a indústria do medo e deixar gente que não tem problemas reais na vida angustiada com o sofrimento da girafa amazônica.

Outro motivo é que a foto planejada rende mais. Quanto pior, quanto mais tristes e sofridas as imagens, mais dinheiro elas valiam, pois quanto mais comoção causar, mais dinheiro arrecada. Por isso, optavam por incendiar áreas específicas, como por exemplo, onde havia filhotes de animais, para dar um apelo todo especial. Nada como um filhotinho sendo chamuscado para fazer celebridade doar.

Ainda segundo investigações da polícia, as fotos feitas pelos supostos incendiários ambientalistas renderam muitos frutos para as organizações internacionais que as compravam. Com uma delas, por exemplo, a ONG WWF conseguiu arrancar meio milhão de dólares do ator Leonardo Di Caprio. Também teriam constatado que o dinheiro que das muitas doações recebidas, apenas uma pequena parcela era usada para de fato investir em prevenção e controle de incêndio, o grosso do dinheiro ninguém sabe explicar onde está.

Obviamente os brigadistas se dizem inocentes e vítimas de perseguição política. Até aí, estamos na mesma. Assim como não dá para confiar em brasileiro também não dá para confiar na polícia brasileira. E este talvez seja o grande desfavor da semana: nesta bosta de país não dá para confiar em ninguém, não dá para ter certeza de quem está falando a verdade, pois, provavelmente, ninguém está. É todo mundo sujo, mentiroso e corrompido. Provavelmente ambos os lados têm uma boa parcela de sujeira na história. E o povo se matando para defender cada lado.

Outro desfavor enorme é a indústria do medo. Como essa histeria vende, como as pessoas fixam o olhar e se deixam tomar por um medo apocalíptico. É deprimente, é humilhante. Desde que o mundo é mundo todas as espécies em algum momento sofreram um baque ambiental, uma extinção em massa, um decréscimo populacional violento. Mas não, o humaninho pequeno floco de neve único não pode acabar, esta maravilha de espécie!

Tenham santa paciência! Foda-se se o ser humano for extinto, foda-se se acabar a água potável, foda-se o que venha a acontecer no futuro. Cagamos o planeta, assumamos nossos atos. Você não é tão importante assim para o universo, se você morrer amanhã, nada muda no macro. Que pavor é esse que as pessoas têm, que as deixa hipnotizadas em tragédias, se angustiando e sofrendo por antecedência? “Não vai ter água potável mimimi”. NÃO SABEMOS.

Em 2009 Al Gore foi a público gritar munido de dezenas de estudos científicos que em 2014 todo o gelo da Antártida teria derretido. Estive por lá no começo do ano e posso afirmar que estava cheio de gelo, viu? Então, sim, o planeta está sendo sucessivamente agredido e estragado, mas nem sempre as previsões catastróficas que você lê são reais. Como saber? Não tem como saber. Pela sua saúde mental, olhe para o cenário e diga “EU NÃO SEI O QUE VAI ACONTECER” e esteja aberto para o que quer que aconteça, pois, na real, não está ao seu alcance mudar nada.

Por mais engajado que você seja, meia dúzia de canudinhos de plástico a menos ou de lixo reciclado não revertem o quadro. Quem teria que parar são as grandes indústrias poluentes, e essas não vão para de jeito nenhum. Então, relaxa e vive sua vida, pois você é irrelevante para o desfecho desse caso. Não dê palco para essa indústria do medo. Não dê IBOPE para fotos e vídeos de sofrimento, de animaizinhos queimados, pois tem uma grande chance de que estejam tacando fogo deliberadamente nos bichinhos justamente por causa de babacas que dão palco para isso.

Na boa? Clicar em uma foto de um animal morrendo incendiado, em sofrimento, com dor é de um sadismo muito do babaca. Se você faz isso, você é parte do problema e merece viver em um país onde esse tipo de coisa é explorada. Mas, por aqui se compra drogas com a firme crença de que não se está financiando o tráfico, então, jamais farão essa conexão.

E, para finalizar, um último desfavor envolvendo o caso. À época das queimadas Bolsonaro afirmou que acreditava serem queimadas criminosas promovidas por ONGs locais. Quem já esteve lá e já trabalhou com isso sabe que FAZEM SIM queimadas para faturar. Não sei se essas pessoas que foram presas o fizeram, mas é prática das ONGs fazer isso sim. A afirmativa de Bolsonaro era totalmente plausível, mas ele foi muito atacado por isso na época.

Agora que a Polícia Federal tem e-mails, grampos telefônicos, dados de movimentação bancária e muitas outras provas que levam a essa confirmação, era hora de Bolsonaro vir a público dizer o quanto é lamentável e o quanto vão apurar com rigor e criar normas para impedir que isso continue acontecendo. Foi isso que ele fez? Óbvio que não.

Ele fez um “pronunciamento” (tem que ser entre aspas mesmo essa danação) acusando Leonardo Di Caprio de pagar para que “taquem fogo na Amazônia”. É desesperador. Ele poderia capitalizar essa situação a seu favor, mas preferiu bater no Leonardo Di Caprio, de forma totalmente aleatória.

Mesmo que Di Caprio tenha doado dinheiro enganado, o filho da puta não é ele, e sim os incendiários e também o Governo que não fiscalizou e coibiu isso. Bolsonaro pensa que a responsabilidade é só dos criminosos? Não é não, é do governo dele também, que não os impediu. Na verdade, a culpa é de todo mundo, menos de Leonardo Di Caprio.

Em resumo, um show de horrores viver em um país onde tudo e todos são corrompidos. Não é sobre o caso desses quatro infelizes, que podem ou não ser culpados, é sobre um modo de funcionar. Queimadas para conseguir dinheiro são uma realidade que a sociedade nega, pois quer acreditar que só os políticos são safados e bandidos. Não. Os políticos são um reflexo do seu povo. O brasileiro é safado e bandido. Dói, mas é preciso encarar isso de frente se quiserem mudar.

Para se ofender, para imaginar a reação do Leonardo Di Caprio vendo a fala do Bolsonaro ou ainda para dizer que tem que tacar fogo mesmo e fazer um shopping no lugar da floresta: sally@desfavor.com

SOMIR

Se você é do time Lula, é obviamente uma armação do Bozo para poder continuar destruindo a Amazônia. Se você é do time Bolsonaro, já sabia que os incêndios eram armação para tirar o presidente do poder desde o começo. E se você tem mais de dois neurônios, começou a falar com sotaque e dizer que não nasceu aqui, está só visitando. A era da pós-verdade continua a todo vapor, e é por isso que mesmo sem muitas certezas, estamos discutindo este tema.

Ainda não sei se o ser humano moderno desenvolveu esse comportamento divisivo nas últimas décadas como uma forma de se proteger da quantidade imensa de informações que recebe diariamente ou se sempre fomos assim e o mundo pós-internet só escancarou o comportamento; mas que é mais uma daquelas notícias que escancara como estamos colocando nossas causas à frente da verdade, isso é.

Porque existem méritos nos dois ângulos pelos quais a maioria das pessoas vê essa história: do lado que de quem acha que a PF está trabalhando para enfraquecer os ambientalistas a mando do governo, existe o fato de que esse tipo de investigação sempre foi raro no país. É óbvio que a putez de Bolsonaro com a repercussão negativa das queimadas recentes influenciou essa operação, e não ajuda em nada que os policiais tenham encontrado provas justamente da acusação feita pelo presidente naquela época. Ou seja: tudo isso tem o cheiro de motivação política.

Já no sentido oposto, não é de se estranhar que ativistas de uma causa progressista como proteção ambiental estejam desesperados para derrubar um presidente conservador. Muito estranho também que durante os governos do PT, mais afeitos a repassar verbas para essas ONGs, eles não tenham chamado tanta atenção. Não é novidade que um dos métodos mais eficientes de se capitalizar nesse setor é gerar material chocante para sensibilizar possíveis doadores, então com motivação política ou não, a Polícia Federal encontrou algo totalmente plausível.

Agora, se é verdadeiro, infelizmente não temos como afirmar. Porque mesmo pelo ângulo da corrupção endêmica brasileira, as forças se equilibram: a polícia não está acima de forjar provas para derrubar desafetos de seus chefes e os ativistas não estão acima de causar problemas ambientais para fazer uma foto mais lucrativa. Meu palpite educado por décadas de Brasil é que tem coisa errada em todos os lugares: é muito provável que a polícia tenha forçado a barra em diversos pontos da investigação E que “embelezar” o material usado para conseguir doações seja algo comum para os ativistas do setor.

A tática de buscar fotos e vídeos perfeitos para causar comoção internacional é antiga e muito bem estabelecida: temos inúmeras provas disso em regiões de guerra. Várias cenas famosas de horrores da guerra na população civil, especialmente nas últimas décadas, já foram expostas como construções de fotógrafos. E é uma zona bem mais cinza que podemos presumir: até para tirar uma selfie você posiciona o rosto, analisa o fundo… toda foto “publicitária” é extremamente produzida, porque nem sempre a realidade está passando a imagem ideal para o sentimento que o fotógrafo quer evocar. É uma semi-verdade: a coisa existe, mas tirar foto dela sem produção não passa a mensagem desejada.

As conclusões da PF até agora não são de que os ativistas causaram os incêndios que chamaram atenção do mundo, e sim que existe uma indústria de venda de fotos chocantes, mesmo que armadas. Eles existiam, como existem todos os anos, muitos por causas naturais. E é aqui que as bandeiras defendidas pelos dois lados começam a bagunçar o senso do real: quando Bolsonaro começa a dizer que as ONGs criaram os incêndios, está mentindo. Nem que eles quisessem teriam mão de obra para fazer isso. Óbvio que não é SÓ uma armação para tirar dinheiro do governo. Quando as pessoas que odeiam o Bolsonaro dizem que a Polícia Federal inventou tudo, estão ignorando a complexidade de forjar todo esse caso e achando que todo ativista ambiental é incorruptível. O que é na melhor das hipóteses, inocência.

Sem essa gente chata que vive e morre por suas bandeiras, suas causas maiores que permitem qualquer baixaria e dissimulação em nome de um objetivo final, podemos observar o caso de forma muito mais clara. O governo Bolsonaro quer sim explorar recursos naturais de forma muito mais agressiva do que se fazia anteriormente, e tem no presidente e boa parte dos ministros um bando de pessoas sem estrutura emocional básica para lidar com críticas. Tanto que mais uma vez foram passar vergonha internacional culpando o fuckin’ Leonardo Di Caprio por isso tudo! Já do outro lado, temos ambientalistas que são pessoas como nós, que tem que pagar contas e muitas vezes escolhem caminhos moralmente ambíguos para conseguir o que querem. Qualquer setor que movimente tantos milhões em doações está propenso a ser corrompido. É evidente que tem gente escrota no meios das ONGs pegando dinheiro, tem gente que rouba dinheiro de doação para filho doente para gastar com prostituta, imagina quem defende árvore!

Por mais que o ângulo da motivação política da investigação seja evidente, não podemos ignorar que existia sim um fundo de verdade no que Bolsonaro dizia sobre ativistas botando fogo na floresta para levar vantagem. A questão é que Bolsonaro é tão maluco que mesmo quando acerta num detalhe, erra tanto no contexto que parece mentiroso. Os ativistas não criaram os incêndios, mas que colocaram fogo em um mato ou outro para fazer uma foto ou vídeo mais vendável eu não tenho dúvida alguma. Agora, a questão é: vamos olhar para o problema real ou vamos ficar brigando com o Leonardo Di Caprio ou o Bolsonaro?

Para dizer que somos comunistas, para dizer que somos fascistas, ou mesmo para dizer que verdade é inflamável no Brasil: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (9)

  • A investigação não foi da Polícia Civil? A prisão foi decretada por magistrado estadual. Por um lado, diminui a confiança; por outro, por não haver subordinação direta ao governo federal, torna um pouco mais complexa a manipulação por parte da cúpula deste.

  • 2019 e ideologia ainda não é tratada como doença mental
    pra mim essas pesssoas precisam é de um abraço e um amigo pra convidá-los pra dar uma volta, tomar uma água de coco e tals

  • Vi por alto o que o Biroliro disse do Di Caprio, mas nem dei tanta atenção assim. Pena eu não tenho. Sinceramente acho que artista devia se limitar a fazer o trabalho dele ao invés de ir pra internet passar vergonha fazendo alarmismo e dando opinião sobre coisas que desconhece (o que acontece em 98% das vezes). Agora taí sendo esculhambado pelo presidente de um país que ele nem vive e nem sabe como (não) funciona. Que faaaaase…

  • “Ainda não sei se o ser humano moderno desenvolveu esse comportamento divisivo nas últimas décadas como uma forma de se proteger da quantidade imensa de informações que recebe diariamente ou se sempre fomos assim e o mundo pós-internet só escancarou o comportamento” Eu também não sei, Somir, mas voto na segunda hipótese.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: