“Qual é a intenção de vocês? Conseguir, através de farsas, uma possível condenação de um filho meu? Esse é o orgasmo da TV Globo? Ver um filho meu preso? Ver um irmão meu preso? Ver um amigo meu chegado preso? Esse é orgasmo de vocês, TV Globo?” LINK


Esse foi só UM exemplo de uma semana especialmente frescurenta e histérica do governo tupiniquim. Desfavor da semana.

SALLY

O Desfavor da Semana é bem simples: só tem viadinho na política nacional.

De forma alguma estamos falando de homossexuais, pois estes podem ser de uma hombridade infinita. É viadinho, gente chata, mimizenta, covarde, ofendidinha, briguenta, pirracenta. Por todos os lados: esquerda, direita, acima, abaixo, pouco importa. Palhacitos sensíveis com retardo emocional.

Vamos falar um pouco dos acontecimentos grotescos desta semana e das reações viadinhas de todos os envolvidos.

Bolsonaro soltou em redes sociais um vídeo ridículo onde ele se vitimizava. No vídeo aparecia um leão cuja legenda indicava ser ele e hienas que o perseguiam com legendas indicando ser outros partidos e até o STF. A merda já começa aí, que viadagem fazer um vídeo “mamãe me perseguem”. Ridículo, Bosta Action do Rei Leão. Mas piora: diante das críticas, ele foi e apagou, o que só mostra o quão viadinho e arregão ele é.

Imediatamente a militância bolsonarista começou a criticar Carluxo, o qual, todos sabem, é o responsável pelas redes sociais do Presidente. Carluxo, muito viadinho também, saiu em sua defesa e disse que ele não fez nada não, que foi o Bolsonaro quem fez tudo sozinho. Ahãn, tá bom. Um idoso que não deve saber nem atender o celular sozinho fez uma edição de vídeo!

Isso poderia ser apenas um incidente lamentável que tiraria ainda mais a credibilidade do Bolsonaro. Mas ficou por isso mesmo? Claro que não. Se tem uma coisa que a esquerda sabe fazer com maestria é se sujar de bosta tanto quanto a direita, criar um novo vexame ainda maior que abafe a vergonha anteriormente protagonizada. E assim foi. Ridicularizaram o Poket por ele se sentir perseguido? Vamos dar argumentos!

Surgiu uma denúncia tirada do cu de alguém, onde o porteiro do prédio do Bolsonaro afirmava que envolvidos na morte de Marielle estiveram na casa de Bolsonaro, no dia do assassinato e que ele, Bolsonaro autorizou a sua entrada e os recebeu em seu apartamento. Do nada, um porteiro resolveu sacanear o Presidente da República, por esporte. Do nada um porteiro enganou a Rede Globo de televisão.

Bolsonaro poderia rir, sacanear, ignorar. Mas reagiu mal, deu faniquito, fez vídeo batendo na mesa, bufando, gritando. Contrariando sua postura habitual pela qual sempre foi aplaudido de debochar e irritar o oponente, desta vez ele foi o irritado. Perdeu pontos, mostrou preparo emocional zero.

A notícia rapidamente se espalhou, não apenas em jornaleco sensacionalista, mas por todos os lados, ocupando inclusive um bloco do Jornal Nacional. Nenhum repórter se deu ao trabalho de verificar as informações. Não que jornalista tenha que ir até a casa do Bolsonaro checar, mas porra, ao menos cheque com a polícia se o depoimento do porteiro é consistente com todo o resto das provas apuradas. Mas, quando acusados de vazar coisas sem provas, de forma precipitada, veio aquele papo de censura e ditadura. Estavam querendo calar a boca da imprensa, os ditadores!

Vale lembrar que é um processo que corre em segredo de justiça, portanto, nada que está nele pode vazar, não pelo Bolsonaro e sim pela resolução do caso. Na real, quem vazou isso é que cometeu um crime. Os jornalistas brasileiros conseguem ser tão merdas que vazam algo que atrapalha a prisão dos culpados e ainda vazam uma informação errada, permitindo que os Pokets reafirmem o eterno argumento de Fake News para qualquer coisa que se lhes tente imputar.

Pior: ainda reafirmou a posição de vítima que os Bolsos tentaram emplacar com o ridículo vídeo do Rei Leão Tupiniquim. De fato Bolsonaro parece perseguido quando a maior emissora de TV do país joga uma bomba sem qualquer consistência no ar, obtida de forma ilícita, ao que tudo indica, apenas com a intenção de queimá-lo. Só piora quando a mesma bomba é desmentida menos de 24h depois, diante de gritos de “ditadura” contra quem apenas pediu que as informações fossem checadas antes de serem divulgadas.

Podiam apenas surfar na onda e rir da cara de quem protagonizou esse vexame? Podiam, mas é claro que não o fizeram. Ciente de que “ditadores” é um argumento recorrente contra eles, o Bolso-Filho teve a brilhante ideia de falar em “novo AI-5”, que colocou uma corda em seu pescoço para que a esquerda possa puxar e enforcar.

Em contexto NENHUM se pode falar sobre AI-5. É basicamente a mesma coisa que a palavra MACACO, não importa se tem um orangotango jogando fezes em você no quintal da sua casa, em hipótese alguma você está autorizado e falar a palavra MACACO. Liga pro centro de zoonose e descreve o animal que está tacando fezes em você, mas não pronuncie seu nome, sob pena de no dia seguinte chegarem 3 intimações para depor em processos de racismo.

O que Eduardo disse é que se a esquerda radicalizasse a ponto de promover EXECUÇÕES, MATAR PESSOAS, eles responderiam com a força necessária, aprovando alguma legislação em caráter extraordinário para conter os assassinatos, tal como foi o AI-5. BURRO. BURRO PRA CARALHO. Deu munição para atirarem nele até 2022, não se fala em AI-5, principalmente quando se tem a fama de ditador. Nem o pai dele ficou ao seu lado, Bolsonaro disse que não havia a menor chance de isso acontecer e que se o filho falou isso só lamentava por ele.

É óbvio que isso vira um “Eduardo quer instituir um AI-5”, como de fato virou. Não que a fala dele não seja grave, nada assim tem que ser cogitado, mas há uma enorme diferença entre o que ele disse e o que está sendo imputado a ele. Resultado: teve que ir a público se desculpar tamanha a gritaria. E não vai adiantar nada, para sempre a pós-verdade será “Os Bolsonaros querem instituir um novo AI-5”. Isso vai ser repetido por décadas.

Beleza, o lado de lá merdou, o lado de cá poderia surfar na onda. Aconteceu? Claro que não, novamente as reações fazem tanta vergonha quanto as ações. Gente se filmando chorando e postando em redes sociais pedindo socorro internacional para a ONU e outros organismos internacionais afirmando que o Brasil está vivendo uma ditadura. Puta que paralho, chega a ser desrespeitoso com quem realmente viveu os horrores de uma ditadura real afirmar que está passando por isso.

Os políticos, dos quais se espera um pouco mais de refinamento, também reagiram mal. Daria para fazer um texto só sobre isso, mas me limito a citar Ciro Gomes, que chamou Eduardo Bolsonaro de “Tolete de Bosta”. Uma velha prática de pedir respeito faltando com o respeito, muito difundida no Brasil. É o tipo de insulto que se espera de uma criança em idade escolar, mas não surpreende quando sai da boca de um político brasileiro.

Como se o vexame estivesse pouco, quem está tentando combater tanta Fake News também tem o mesmo nível. Alexandre Frota, ex-ator pornô, não custa lembrar, que agora vive de ter raivinha de Bolsonaro, compareceu à CPI das Fake News levando um cartaz onde se lia uma impressão feita do Twitter supostamente de Olavo de Carvalho, escrito “no dia em que Bolsonaro se envolver em algum escândalo de corrupção eu chupo o cu do Caetano Veloso”. O pior? Imprimiu o tuíte EM MODO NOTURNO, imagina o tanto de tinta! Esse é o nível, os responsáveis por uma investigação oficial estão falando sobre chupar o cu do Caetano Veloso.

E como tudo pode ficar pior, teve barraco em tempo real entre os lados viadinhos. Felipe Neto, que desde janeiro dedica SUA VIDA a acusar Bolsonaro de todos os crimes que existem no Código Penal e dizer que vai acabar com ele de hora em hora, finalmente foi escutado por alguém. Carluxo acordou com o ovo esquerdo virado, viu ele proferindo uma série de ameaças e acusações direcionadas ao pai e afirmações e não gostou. A resposta poderia ser civilizada, para fazer Felipe Neto passar vergonha? Poderia. Foi? Claro que não foi.

Carluxo e Felipe Neto começaram a bater boca, até que Carluxo mandou um beijo para a mãe dele e perguntou se ela estava bem. Felipe Neto abriu um berreiro postando em caixa alta que estava sendo ameaçado e que não falaria mais sobre política pois temia pela vida da sua família. Sabe quanto durou? 47 minutos. Menos de uma hora depois ele estava lá tretando com Carluxo novamente via Twitter, em uma deliciosa rinha Youtuber x Político. Ambos gritando um com o outro, dois viadinhos histéricos. Agora de hora em hora Felipe Neto posa de mártir e berra que está sendo ameaçado.

Em resumo, um lado prometeu ser resistência, pegar em armas, ir às ruas, etc. Metade se auto exilou com dinheiro público na Europa apenas por não suportar a derrota e a outra metade está faniquitando, falando do cu do Caetano Veloso e berrando que está em uma ditadura. Viadinhos.

O outro lado, composto supostamente por macho raiz, por toscos, por cowboys, também está faniquitando, fazendo vídeo gritando agudo, batendo boca em rede social, fazendo vídeo “coitadinho de mim sou perseguido”. Viadinhos.

Bando de viadinhos. Bando de mimizentos, fresquinos, faniquiteiros. Não tem lados, é tudo a mesma merda, gente desestruturada, barraqueira, neurótica. Senhoras e senhores, não temos para onde correr.

Para dizer que achou o termo “viadinho” ofensivo, provando que você é um viadinho, para dizer que está achando graça o faniquito de ambos os lados ou ainda para dizer que seremos desistência: sally@ desfavor.com

SOMIR

O dramalhão é contagioso. A histeria e o mimimi da esquerda foi um dos motivos para o fortalecimento da direita na última década. Tanto que por várias vezes dissemos aqui que o Bolsonaro era uma invenção dos lacradores, e que foi o momento cultural que o colocou em destaque, criando uma base eleitoral ampla para qualquer imbecil que pelo menos parecesse um pouco mais… másculo. Pessoas se sentem mais seguras com líderes que projetam força e coragem, e como normalmente sequer entendem de política o suficiente para saber se suas políticas são boas ou não, o momento só exigia alguém que refletisse a insatisfação do cidadão médio e parecesse macho o suficiente para conseguir fazer mudanças.

Porque existe sim uma crise de masculinidade na sociedade atual. A indústria cultural virou a chave de uma hora para a outra e começou a bater no homem e seus comportamentos comuns como se fosse a única solução para o mundo. Mas a humanidade não consegue viver só com um dos lados da moeda, embora precisemos de características mais femininas para manter uma sociedade funcionando, não dá para viver só desse jeito. O mundo depende de úteros e bolas, literalmente. Essa mecânica faz com que a humanidade seja a humanidade. A mídia declarou guerra às bolas, reagimos com conservadorismo.

O pêndulo vai virando para acomodar essa reação do sistema imunológico social contra um exagero progressista em curso. Vários países começam a eleger conservadores prometendo trazer de volta a masculinidade ao poder. Gente que tome decisões difíceis contra imigração, regulação de discursos e Estados inchados. No caso brasileiro, um mega esquema de corrupção contribui imensamente para gerar simpatia a qualquer adversário dos governos que tomaram conta do país por quase duas décadas, mas no fundo de tudo isso, era uma reação alérgica contra um impulso progressista nos hábitos e costumes incentivados pela indústria cultural. O ser humano vive pedindo mudanças, mas reclama quando elas acontecem.

O brasileiro pediu um governo macho: que enfrentasse seus adversários de peito aberto, que tirasse sarro de quem estivesse pleiteando bobagens e que desse de ombros para as exigências malucas do politicamente correto. Na prática, não temos nem uma coisa, nem outra. Bolsonaro e seu clã não tem um mínimo de controle emocional e força para serem considerados machos, e não trabalham para acomodar necessidades básicas do cidadão, no que seria uma compreensão e cuidado mais femininos. É o pior dos mundos, um governo viadinho. E assim como a Sally, eu quero tirar esse termo como uma descrição de homossexuais e colocá-lo como definidor desse comportamento histérico, barraqueiro e descontrolado do nosso poder vigente.

Não são hienas ou leões, são um bando de veados mesmo. Assustados, correndo de um lado para o outro, agindo como se tudo fosse matá-los! Taí a crise da masculinidade de novo: não se comprometem com controle emocional e foco no trabalho. Ficam chorando e dando showzinhos por causa de críticas, mas continuam basicamente inoperantes no serviço que tem para fazer. O meu lado aceleracionista sorri, afinal, eles estão dando toda a pinta que vão se destruir sozinhos, praticamente sem risco de trazer uma ditadura de volta para o país. O único que parece macho de verdade nessa história toda é o vice, e como ele não sabe lidar com esse bando de chiliquentos, acabou escanteado numa posição figurativa no poder.

A maioria dos eleitos para substituir o PT neste último ciclo eleitoral está se matando em intrigas e demonstrações públicas de descontrole. Não tinham noção do trabalho que daria, aliás, desconfio que só descobriram o que tinham que fazer de verdade depois de serem eleitos, e não gostaram do esforço que seria necessário. Achavam que poderiam continuar mitando na internet depois de eleitos. Bolsonaro parece nunca ter acabado sua campanha, age exatamente da mesma forma. Seus filhos falam uma asneira atrás da outra, seu partido está derretendo diante de seus olhos numa disputa para ver quem se vitimiza melhor.

O brasileiro médio ainda não percebeu muito bem o que aconteceu, que toda a pose de machões que esse governo estabeleceu nas propagandas eleitorais não passam de fachada. Bravateiros, dramáticos e complexados. Estamos sendo governados por um grupo de WhatsApp de frescurentos que postam sem pensar e passam o tempo todo brigando entre si. O que nos leva a crer que não era a esquerda que estava perdendo o controle emocional, e sim que as pessoas em geral estão. Lacradores e mitadores em guerra contra eles mesmos, extremamente sensíveis e preocupados excessivamente como opinião alheia, mais do que a função que foram designados. Nem vou chamar a direita brasileira de mulherzinhas, porque mulherzinha pelo menos tenta cuidar dos outros.

Nenhuma sociedade avança se for masculina ou feminina demais, porque aprendemos a nos balancear entre o foco humano delas e o foco em funções deles. Ainda estamos vendo as ondas de choque de bater forte demais na masculinidade, perdendo a mão no processo. Claro que não pode ser só pancadaria, ignorando as necessidades básicas das pessoas, mas também não pode ser só sobre o emocional, esquecendo que precisamos fazer as coisas acontecerem independentemente do que sentimos.

Governo de viadinhos, cheio de drama feminino e falta de empatia masculina. O pior dos mundos. Não é a esquerda ou a direita que tem que acabar, é o ser humano que precisa voltar a ser adulto.

Para me chamar de viadinhofóbico, para dizer que é homossexual e acha o Bolsonaro viadinho, ou para dizer que isso é excesso de Gezuiz no coração: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (21)

  • VIADINHOS SÃO VCS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! BOLSONARO É MITOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Avatar

    Wellington Alves

    Eu já falei aqui sobre minha tese do efeito Mr. Magoo sobre o Bolsonaro.
    Notem que, enquanto o pau quebra na imprensa, Falam como se o mundo estivesse caindo sobre a cabeça do presidente, fofoca daqui e fofoca dali, o governo segue avançando firmemente naquilo que importa: Aprovação da previdência, taxa de juros no menor patamar da história, inflação em queda, desemprego caindo, Bolsa batendo recorde, queda de 22% no número de homicídios, ministro da infraestrutura voando baixo, privatizações sendo realizadas com sucesso…
    É como se o presidente fizesse o papel de boi de piranha para que seus ministros possam atravessar a crise trabalhando tranquilamente.
    Imaginem quando o efeito dessas ações começar a ser sentido pelo povo no próximo ano. A imprensa vai olhar para trás mas já será tarde.
    Como eu não acho que Bolsonaro esteja fazendo isso de maneira planejada, ou seria um gênio, só posso atribuir tudo isso ao acaso. Por isso chamo isso de efeito Mr. Magoo.
    Acho que vocês poderiam trabalhar um texto melhor sobre isso.

    • Criticar o Bolsonaro com esse alarmismo todo de “o Brasil vai acabar” é dar munição para ele. Vai chegar 2022 e o Brasil não vai ter “acabado”, fazendo parecer que todas as críticas a ele eram mentiras e exageros. Se nada mudar, o clã Bolsonaro se reelege

    • Me fala onde é esse Brasil que voce está colega. Quero ir pra lá também. Porque aqui no Brasil do brasileiro médio, nada mudou.

  • Avatar

    Vendo pack do pezinho hahaha

    Se eu fosse normal até acharia ruim, mas ver o circo pegar fogo me traz felicidade. Quero mais é que a sucessão de vergonhas alheias continue!

  • Imagem que me vem à cabeça quando vejo o jeito de agir desses viadinhos: “https://www.youtube.com/watch?v=oDJJyFfsnbo”

  • Quando coisas como esse(s) desfavor(es) da semana acontecerem, a gente dá um suspiro resignado, balança a cabeça negativamente e joga as mãos pro alto desalentado dizendo “Chega! Eu desisto!” E isso de jornalistas ignorarem o proceder básico da profissão e soltarem matérias sem apurar nada ou até mentindo descaradamente só para queimar alguém de quem não gostam é a coisa mais velha do mundo. Eu mesmo, vezes sem conta, já vi presenciei essas demonstrações infantis de raivinha em redações, com conseqüências sempre nefastas. Só que parece que agora a coisa descaralhou de vez…

  • “Estamos sendo governados por um grupo de WhatsApp de frescurentos que postam sem pensar e passam o tempo todo brigando entre si. “ Resumiu perfeitamente, Somir. E que merda que seja assim, hein?

  • “(…) ou ainda para dizer que seremos desistência”. Eu já sou. Desisti desta pocilga faz tempo. Essa porra aqui não tem conserto…

  • Relaxa, ele só tava meio sensível por causa da TPM. Daqui a pouco a monstra desce e ele volta a ser o ogro de sempre.

  • Aff… às vezes sinto inveja de um parente meu que morreu em 2011. Não precisou vivenciar a ascensão da cultura do lacre e glamourização da putaria, nem a polarização pós-impeachment, nem governo Bolsonaro, nem eco-chatice internacional. Olha a quantidade de gente confusa e deprimida e casamentos destruídos. Só estamos evoluindo mesmo em tecnologia, e se depender da nivelação cada vez mais baixas de notas escolares e universitárias, nem isso.

  • Avatar

    Messalina Aparecida

    O bozo é uma caricatura, isto é, uma hipérbole do típico homi machu cado: tudo é questão de performance, tipo aqueles ”artistas” pós-modernistas fazendo apresentações em lugares púbicos. Tudo é questão de propaganda. Se acham MACHUS, mas precisam de arminha na mão pra sobreviver; batem em mulher ou tratam mulher como um ser inferior a ele, e também o homo; sem falar que TÊM PAIXÕES PLATÔNICAS por ”homens fortes no phoder”… Basta o pessoal dissociar homossexualidade de sexo anal, que os caras vão migrar pra brotherage e declarar seu amor ao trump ou a qualquer outro débil mental sociopata com fogo no culote.. o que não será uma coisa boa já que são uns pedaços de merda tóxica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: