Como comprar um cachorro?

Muita gente prefere comprar um cachorro em vez de adotar, pois prefere adquirir um animal com determinado temperamento, tamanho ou características. Tá ok, eu não sou a favor da ditadura da adoção, acho inclusive arriscado demais adotar, por mais belo que seja o gesto. Mas, se você quer comprar um cachorro, você tem que ler este texto até o final e seguir todas as recomendações, caso contrário, você provavelmente vai levar para casa uma bomba-relógio, um filhote de características e temperamento aleatórios. E se for para levar um cachorro aleatório, adote, que é de graça e você ainda faz uma boa ação.

Comprar não é necessariamente uma crueldade. Tem gente histérica que quer te convencer disso, mas eu te prometo que se você seguir meus conselhos, pode ficar com a consciência tranquila. Você estará comprando de um criador sério sem causar qualquer mal aos animais e sem levar filhotes com problemas de saúde, com problemas genéticos e outras consequências nocivas da cruza irresponsável para casa.

Adotar um cão é muito legal, mas também é uma loteria. Não é possível prever ao certo o tamanho que o animal vai ficar, por exemplo. Isso é problemático, pois nem sempre a pessoa dispõe de muito espaço para um cão de médio ou grande porte. Além do tamanho, muitas outras características do cão adotado são imprevisíveis. Se você está de boa com o que a sorte te reserva, beleza. Eu faço questão de saber exatamente que tamanho e temperamento estou levando para casa.

Além disso, tem essa conversa de que “vira-latas são mais fortes, nunca adoecem”. Não é verdade. A cruza indiscriminada (muitas vezes consanguínea), uma gestação sem acompanhamento e suplementação, uma infância com deficiência alimentar e muitos outros fatores podem sim fazer com que um vira-lata adoeça muito e com frequência. Uma grande amiga minha adotou um vira-lata com esse discurso e, em apenas 3 meses, teve que gastar mais de dez salários mínimos com o bicho, que tem uma série de doenças.

Uma verdade inconveniente: o temperamento de um vira-lata é sempre uma incógnita. Primeiro por não se conhecer os pais, avós nem a forma como eles foram criados. Segundo por não saber que tipo de experiência traumática o animal sofreu. Existem cães resgatados das ruas que, por mais que recebam todo amor e carinho do mundo sempre serão arredios com outros cães ou até mesmo com humanos. Amor não cura traumas, muitas vezes nem adestramento consegue. Grandes chances de você levar para casa um problemão.

Um cachorro em uma feirinha, em um abrigo ou na rua pode parecer calmíssimo, mas isso pode ser apenas medo, estresse, desnutrição ou outros fatores. Pode ser que ao chegar na sua casa se mostre um cachorro com muitíssima energia, daqueles que precisam de três passeios diários de uma hora. Você tem tempo para correr esse risco?

Fora que quem está querendo doar o cachorro, está querendo que você leve o quanto antes. ONGs e abrigos estão superlotados, pessoas que querem se desfazer de um cachorro querem mais que você o leve. Essas pessoas sempre vão dizer que o cachorro é ótimo, que vai ficar de porte pequeno ou médio (ninguém nunca te diz que o cachorro vai ficar enorme) e outras informações que tornam o cão mais… desejável.

Sei que vai soar horrível o que vou dizer, mas a verdade às vezes é horrível: cães de rua geralmente são traumatizados demais para darem tudo que um cão pode dar. E cães que foram abandonados, foram abandonados por algum motivo. Não que eu ache que qualquer coisa justifique o abandono, eu jamais abandonaria um cão, mas provavelmente existe um ônus extra que fez os donos anteriores desistirem dele e que você pode não ter como arcar. Exemplo: conheço o caso de um cão que foi devolvido três vezes após ser adotado, pois tinha um problema que demandava uma cirurgia que mais de 25 mil reais.

Eu prefiro comprar cães, pois comprando um cão de um criador sério, você tem sim garantias de como será o temperamento do animal e também tem uma noção mais precisa da saúde do animal. Essa história de que cães de raça pura tem problemas genéticos, são mais frágeis e vivem menos só se aplica a criadores irresponsáveis que cruzam de forma gananciosa e indiscriminada. Mas, para que você de fato leve para casa um cão com características e temperamento escolhidos, é imprescindível que você compre o filhote de um criador sério, caso contrário, corre os mesmos riscos de adotar um cão (e ainda gasta dinheiro).

Preste atenção a estas dicas. Se você não estiver disposto a seguir TODAS, você está se colocando nas mãos da sorte, em uma grande loteria. E, se for uma loteria, melhor adotar um cão, assim você faz uma boa ação e tira um animal da rua. Se você não observar TODAS essas dicas as chances de adquirir um cachorro com desvios de comportamento e doenças é enorme, você vai pagar para ter problemas. Então, sem querer ser tirana, mas a escolha é basicamente: segue tudo que eu falar aqui ou adota. Comprar sem observar estas regras é a maior furada de todas.

Antes de mais nada é fundamental que você entenda que você tem um grande dever de casa a fazer: pesquisar muito sobre a raça que quer. Só assim você vai entender se o temperamento do cão atende ao que você pode oferecer (não se compra cachorro só pela aparência) e compreender os principais problemas da raça, para se precaver contra eles. Entenda o que você quer de um cão e pesquise as raças que mais se adequam a você e a seu estilo de vida.

Esteja ciente de que comprar um cachorro dá trabalho. Encontrar um criador sério dá trabalho. Vou te dar todas as ferramentas para que você consiga encontrar um bom criador e tenha acesso a um cachorro com o temperamento típico da raça e com a menor chance possível de problemas de saúde, mas, tenha em mente que dificilmente você não vai conseguir comprar na semana que vem, é um processo que pode levar meses.

Além de demandar muita pesquisa, criadores sérios não tem filhotes disponíveis o tempo todo, pois não saem cruzando as fêmeas o tempo todo, uma vez que sabem que isso faz mal para a saúde do cão. Criadores sérios geralmente tem fila de espera por seus filhotes e mais: eles vão querer te entrevistar para ver se você está apto a cuidar do cão. Sim, criadores sérios escolhem para quem vendem. Então, faça as pazes com isso: vai demorar.

Outra coisa: ao comprar de um criador sério você vai pagar caro por qualquer filhote, impossível comprar um cão de um criador sério por preços como 500 reais, você vai pagar muito mais. Como eles não fazem o esquema “fábrica de cachorros” cruzando as fêmeas sem parar, como pesquisam, tem um trabalho enorme estudando a genética e o comportamento dos seus animais, o valor naturalmente é bem maior. É o preço que se paga por levar um cão com temperamento e características previsíveis para casa. Não quer pagar? Adote.

Digo mais: dificilmente criadores sérios têm lucro com a venda dos filhotes, mesmo que cobrem 5 mil reais por eles. Isso mesmo, você leu certo. Criadores sérios não tem lucro com a venda de filhotes. Muitas vezes o preço, por mais caro que seja, não paga nem as despesas que a cadela teve nessa gestação. Um criador sério cria por amar aquela raça, por ter prazer em aprimorar aquela raça, por conseguir filhotes bonitos e de bom temperamento. A última coisa que um criador sério quer ou tem, é lucro. Sim, existem pessoas que criam cães por amor à raça, e é delas que você tem que comprar.

Outra informação que você tem que saber: fato do cão ter pedigree não te garante nada além da certeza de que os pais desse cão eram dessa raça. Isso não quer dizer que o filhote vai ter o temperamento esperado da raça, não quer dizer que não vá ter doenças genéticas, não garante absolutamente nada, a não ser que ele é daquela raça. Então, pedigree não basta.

É um bom começo, pois um criador sério não mistura raças, mas, ainda assim, não garante nada. Para que você leve para casa um filhote com o temperamento da raça, os pais tem que ter esse temperamento, ou seja, o criador tem que deixar de cruzar os cães mais agitados, mais agressivos, mais ansiosos, com doenças genéticas… e deixar de cruzar cachorro é deixar de vender filhote, quem for ganancioso não vai deixar de cruzar.

Por exemplo, cães da raça Labrador (e outras raças grandes, como o Pastor Alemão, por exemplo) costumam ter problemas no encaixe do fêmur na bacia (papo técnico: displasia coxofemoral) que pode até fazer com que eles não consigam mais andar no futuro. Por isso, ao comprar um filhote dessa raça, um bom criador vai te apresentar um exame para displasia negativo para o pai e a mãe desse filhote, mostrando que, geneticamente, o filhote está livre do problema. Se você pedir esse exame e o criador falar que nunca fez, que não tem, que não é preciso pois os pais são saudáveis ou falar que tem mais te enrolar e nunca mostrar, NÃO COMPRE.

Seria impossível listar aqui os principais problemas de cada raça, mas saiba que coisas muito traumáticas podem acontecer. Por exemplo, o Pug pode perder seu olho, que salta para fora do globo ocular, ou o Cavalier pode ter a caixa craniana comprimindo o cérebro e causar dores assustadoras. Estude a raça, esteja ciente dos principais problemas e peça exames genéticos para se certificar de que o filhote que você está levando para casa não os tenha. Não mostrou os exames? Não compre. Um criador que teve um trabalho do cacete estudando a genética de cada animal com exames caríssimos vai mostrar para você com orgulho.

Um grande filtro: anunciou o cachorro no Mercado Livre, na OLX, grupos de Facebook ou em qualquer outro site de vendas? Nem aborde a pessoa, não tem qualquer chance de ser um criador sério. Um criador sério, com um canil de renome, jamais vai anunciar um filhote dessa forma caseira, precária, pouco séria. Esses canis têm fila de espera, não ficam anunciando seus filhotes como se fosse um produto, muito menos vendem para qualquer um que tenha dinheiro para comprar.

Um criador sério tem um canil registrado (procure no site do Kennel Club e veja se o canil está registrado), reconhecido, com site, com referências. Se não souber nem por onde começar a procurar, sugiro que vá ao site da CBKC e veja os melhores criadores da raça que você deseja, é um ranking confiável. É possível que os bons criadores estejam em outros estados, nesse caso, você vai ter que ir até lá buscar o cachorro, ou arcar com os custos do envio do cão para você.

O mínimo do mínimo que um criador tem que fazer é te entregar um cão vacinado. Se disser que não vacinou por não ser necessário, uma vez que os filhotes não saíram na rua, nem responda, vire as costas e saia. Se disser que não vacinou, mas que estão vermifugados, mostre o dedo do meio e depois saia. Um criador sério sente arrepios só de pensar em ter seus preciosos filhotinhos, tão estudados, planejados e aprimorados estarem vulneráveis a uma doença. É uma questão ética, de responsabilidade.

E não é qualquer vacina, apenas vacinas IMPORTADAS tem eficiência garantida. Cães que tomaram vacinas nacionais não estão protegidos contra doenças por uma série de problemas que vão desde qualidade do produto até seu armazenamento. Um criador que dá uma vacina nacional a seus cachorros merece ser açoitado em praça pública. É um criador sem a menor preocupação com seus animais. Você pode saber a procedência da vacina pelo adesivo colado na caderneta de vacinação do cão, uma rápida pesquisa na internet vai te dizer se é importada ou nacional.

Cria um monte de raças? Desista. Dá muito trabalho para estudar uma única raça (no máximo duas ou três) na profundidade necessária, é impossível que um criador sério crie Labrador, Poodle, Pincher, Pastor Alemão e São Bernardo e saiba em profundidade a genética, as características e o comportamento de cada um.

A criação de uma raça de forma série é feita por amor, por pessoas que se apaixonam por uma raça e fazem dela um propósito de vida. Pessoas que se aprofundam no temperamento e genética daquela raça por prazer, pelo desafio de criar o cão perfeito, não pode dinheiro. E não tem como ser especialista em muitas raças com a profundidade necessária para ser um bom criador. Procure canis que criam apenas a raça que você quer adquirir.

Um bom criador vende cães com pedigree. Se te oferecerem “pedigree opcional” pergunte para ele se você tem cara de otário. Pedigree não é uma coisa cara de se tirar, muito pelo contrário, é surpreendentemente barato, ainda mais quando comparado com as despesas que a gestação de uma cadela implica. Um criador sério não deixa de tirar pedigree. Mesmo que o pedigree ainda não tenha sido emitido (às vezes demora), no mínimo, o criador vai te dar o protocolo, mostrando que ele deu entrada no pedido, para que você retire quando ficar pronto.

Normalmente criador merda oferece “pedigree opcional” te diz que o cachorro custa X sem pedigree e 10X com pedigree, seguido por um discurso de que pedigree é futilidade e que se o seu cachorro não for competir, não precisa ter, para te desencorajar a pedir o documento. Na verdade são filhotes que não tem pedigree, muitas vezes fruto de misturas entre raças parecidas, cães fora do padrão e outras danações ainda piores. Um bom criador terá orgulho de te vender cães com pedigree e não vai abrir mão disso. Além de valorizar sua ninhada, ser um diferencial, ainda é uma garantia de que de fato o cachorro é daquela raça. Não garante o temperamento, mas garante que o cão é daquela raça, algo que é muito difícil de atestar em filhotes.

Pergunte a idade da fêmea que pariu a ninhada. Se ela tem menos de dois anos de idade, recuse o filhote e xingue a pessoa, é um explorador de animais. Uma fêmea está madura para cruzar a partir do terceiro cio, que dificilmente acontece antes dos dois anos de idade, portanto, é uma pessoa que só quer produzir filhotes, sem qualquer preocupação com os animais e com a raça. Não recompense essa atitude, não prestigie esse desinformado ou explorador de animais, pois provavelmente essa pessoa não tomou nenhum dos outros cuidados necessários para que a ninhada esteja dentro dos padrões da raça e saudável.

Observe a forma como o anúncio é feito. Se detectar algo apelativo, com termos em desacordo com o padrão da raça, sai fora. Por exemplo: “poodle mini micro de olho azul” ou “poodle exótico”. Exótico é seu ovo esquerdo, os cães têm que estar dentro dos padrões da raça, um cão exótico é o resultado de uma cruza sabe-se lá com quê, muitas vezes o que dá ao cão essa aparência exótica é, na verdade, um defeito genético gravíssimo que vai te dar muita dor de cabeça mais pra frente. É muito fácil pesquisar o padrão da raça que você quer, dá uma busca rápida no Google que você vai ver o que pode e o que não pode.

Converse com o criador. Um criador sério vai mostrar profundo conhecimento sobre a raça, inclusive sobre a genética. Vai ter dizer os pontos negativos, os problemas, pois ele quer ter certeza de que o comprador vai tratar bem e saber lidar com aquilo que o cachorro precisa. Se o criador só fala bem da raça ou fala apenas coisas genéricas elogiativas, NÃO COMPRE. Se o criador não te encher de perguntas sobre sua casa, seu estilo de vida, seu temperamento, desista. Um criador sério está preocupado com o bem-estar do seu filhote. É o criador que escolhe o dono pro filhote, não o contrário. Se o criador está preocupado em vender em vez de te avaliar, vá embora.

Não basta chegar com o dinheiro, o criador sério se preocupa com o destino do filhote que está vendendo. Um criador sério não vai te vender um Labrador para ser criado em um apartamento pequeno, por exemplo. Um criador sério não vai vender um cão delicado e frágil para uma pessoa com crianças em casa. Um criador sério não vai vender um cão de clima frio para um dono no Rio de Janeiro. Ele preza pela vida que seus filhotes vão levar, pois estudou e investiu muito neles, e os ama de verdade.

Visite o canil. Veja se os cães estão bem tratados, se eles passeiam, se socializam com humanos. Se forem cães nervosos, presos, confinados, não compre. Os animais têm que ser serenos, bem cuidados, ter espaço disponível, ter boa aparência. Fêmeas que são tratadas como “produtoras de filhotes”, com cruzas ininterruptas, ficam feias, perdem pelos, ficam com aspecto doente. Não compre filhotes que quem não trata bem seus próprios cachorros, esses exploradores de animais certamente não selecionaram genética e comportamentalmente o melhor da raça, só querem vender cachorro.

Se você quer visitar o canil e o criador diz que não recebe visita (“estressa os cachorros” ou qualquer outra desculpa) CORRA. Um criador sério não cruza cachorros estressados, que não suportam contato humano, com esse tipo de problema comportamental. Cachorro que se estressa com visitas? Não, obrigada. Não soube escolher seu plantel. Na real? Provavelmente é um criador fundo de quintal e nem canil tem (só no nome). Nem pense em comprar. Tudo bem não permitir que você pegue nos filhotes muito pequenos, é até uma proteção para os filhotes, mas te impedir de ver o ambiente onde os cães vivem? Desista desse criador.

Se o criador se oferecer para entregar o cachorro antes dos três meses de idade, dê meia volta e não olhe para trás. É um assunto controverso, há quem ache que em dois meses os cães podem ser separados da mãe, mas eu discordo com força. De qualquer forma, a dica é válida, pois tem uns desgraçados que com 45 dias já querem se livrar dos filhotes.

Três meses é o mínimo, a meu ver, para separar um cão da sua família. É nesse período que o cachorro aprende a ser cachorro e o convívio com a mãe e os irmãos gera segurança e equilíbrio emocional. Você vai ter um cachorro mais tranquilo, mas confiante e mais sereno. Separar o filhote antes disso é traumático e pode gerar problemas comportamentais graves para o resto da vida do cachorro, que não serão resolvidos nem com adestramento.

Criadores sérios não tem pressa em se desfazer dos filhotes, mas criadores inescrupulosos querem desovar logo a ninhada, pois custa caro manter filhotes por três meses, e dá muito trabalho. Além disso, quanto mais novo o filhote, menos aparentes são os desvios comportamentais e menos se nota se ele não está de acordo com o padrão da raça em sua aparência, então, o criador merda quer se livrar deles o quanto antes.

O criador sério não se importa com o trabalho e as despesas e tem um canil grande, confortável e adequado para manter esses filhotes ali o tempo que for necessário. E, voltando ao lance da vacina: cães com três meses já tem que ter duas doses de vacina tomadas (importadas), observe isso.

Um criador sério vai fazer um contrato de compra e venda, por escrito, para se resguardar. É bom para ambas as partes, se não tiver contrato, sai fora que é amador. E não estou dizendo que amadores sejam todos estelionatários, muita gente tem a melhor das intenções, trata os cães muito bem, mas, por desconhecimento, acaba gerando filhotes extremamente problemáticos. Criação de cães é quase uma ciência, não compre filhotes de amadores, de criadores de fundo de quintal, da amiga da irmã cujo cachorrinho “deu cria”. Compre de quem fez o melhor pelo temperamento e a genética daquele animal, caso contrário, grandes chances de entrar em uma furada.

Repito: se você não observar TODOS estes fatores, está fazendo uma roleta-russa, o que você vai levar para casa é totalmente aleatório e randômico – e se é para deixar ao acaso, adote, não compre.

Para me xingar e tentar desmerecer meu texto por ser xiita da adoção, para me xingar e tentar desmerecer meu texto por ser um criador merda ou ainda para me xingar e tentar desmerecer meu texto por ele estar longo demais: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (15)

  • Uma conhecida atua com um projeto de adoção de cães e gatos e faz entrevista para o adotante coisas básicas como análise do local onde o animal vai ficar, renda da família e termo de responsabilidade com uma taxa para a castração, segundo ela muita gente sai da ONG ofendida quando não furiosa pq só quer fazer a boa ação de adotar, isso sem contar os que aparecem perguntando a raça dos cães. Tem horas que entendo quem diz gostar mais de cachorro.

    • Avatar

      Pedófilo Estuprador Satânico Nazifascista

      Boa ação? Há controvérsias.
      Se pergunta a raça do bicho, grandes chances de querer ele não castrado na esperança de faturar com as crias.

  • Tive um Akita ( o americano, que é maior que o japonês ) e foram 6 anos de pura felicidade, cachorro silencioso, limpo, não exige tantos cuidados, come qualquer coisa e tá pouco se fudendo para tudo e para todos. Só latia se houvesse algum tipo de perigo ( do tipo, nos 6 anos só latiu umas 5 VEZES, e numa delas por que um vizinho entrou por engano no sítio) não entrava em casa e não saía pelo portão, matava as vezes uma galinha ou um pombo e comia ali mesmo… Morreu afogado pois estava com a pata engessada por causa de uma fratura e se jogou na piscina para pegar um pássaro, não conseguimos socorrer pois não estávamos em casa e ele consegui sair do canil, como não sabemos até hoje. Recomendo muito essa raça, ainda mais para quem morar em apartamento ( pois é extremamente silencioso e limpo) e para quem tem criança ( só é feroz, caso os donos estejam sob alguma ameaça, ao menos o Samurai e irmã dele Katana eram asim) Sinto saudades dele e não tive mais nenhum animal depois dele…

    • O problema é o que a pessoa espera do cão. Akita é uma das minhas raças favoritas, mas pode decepcionar quem quer um cão mais “grudento”, por exemplo. Para apartamento eu recomendaria o Shiba inu, um Akita menor.

  • Eu achei que esse texto teria mais comentários e risco de deixar de ser um desfavor explica e se tornar um novo texto da gravidez.
    Se é pra ter essa trabalheira toda melhor me dar um animal selvagem. Por que não sacrificaram o vira-lata que dava tanta despesa?
    Sally, o que você acha desse projeto da prefeitura de São Paulo, com hospitais veterinários? Eu não gosto da ideia. Porque daqui a pouco outros prefeitos vão querer copiar por motivos eleitoreiros. A população já tem serviços precários, vão ficar gastando recursos para atender cachorros? Quem não tem dinheiro que não possua animais.

    Vocês podiam ter relacionado esse daqui: http://www.desfavor.com/blog/2012/08/desfavor-convidado-escolhendo-o-filhote/

    • Eu acho que só pode ter cachorro quem tem uma renda boa, o projeto da Prefeitura vai dar ração de qualidade? Vai dar tudo que um cão exige?

  • Adotar é uma loteria. Aqui em casa tem três cães adotados. O último que adotei tem a energia de um border collie, precisa de muito exercício físico, mais do que qualquer outro cão que tive. Não me arrependo e arco com tudo, apesar da demanda me alegro muito com sua personalidade. Se a pessoa não tem disposição para arcar com as necessidades do cão não deve adotar. É preciso conhecer suas necessidades e sua rotina. Uma pessoa que fica muito tempo fora de casa não pode dar conta de um cão ligado no 220. Não recomendo adoção pois sei que a maioria das pessoas no Brasil acha que passeio, socialização e enriquecimento ambiental é frescura.

    • Exatamente. Quem adota precisa estar ciente dos extremos que pode levar pra casa: cães que precisem de horas de passeios diários, cães cuja despesa mensal com rações especiais e remédios ultrapasse os cinco mil reais e outros imprevistos. Como a maior parte das pessoas não tem condições de lidar com isso, o ideal é que levem para casa um cachorro que sabem exatamente no que vai se tornar, inclusive de temperamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: