Coronavírus.

A epidemia de pneumonia viral que matou 41 pessoas “está se acelerando” e coloca a China em uma “situação grave”, reconheceu neste sábado o presidente Xi Jinping, pedindo o fortalecimento da autoridade do regime comunista. O novo coronavírus, que apareceu em dezembro no centro do país, contaminou 1.300 pessoas na China, das quais pelo menos 41 morreram, e se espalhou para vários países, incluindo Austrália, França, Estados Unidos e vários países asiáticos. LINK


Enquanto isso, o Brasil precisa fazer campanhas para mandar os homens lavarem o pinto. Mas o Ministério da Saúde se diz pronto… desfavor da semana.

SALLY

Não tem como falar sobre outro assunto: o Coronavírus foi o tema da semana. Mas tem como dar um enfoque novo, todo esculachativo, do nosso jeitinho, que mídia nenhuma vai ter coragem de abordar.

Para situar os alheios ao mundo, trata-se de um vírus que teve seu primeiro caso na China e se alastrou rapidamente dentro do próprio país e já chegou a mais oito países pelo mundo, inclusive alguns bem distantes do local de origem, como os EUA.

O mundo inteiro está em alerta. Não é o caso para pânico, mas porra, alerta sim. Em alguns aeroportos se o passageiro tossir, não embarca no voo (é sério). Esforços máximos estão em andamento para prevenir, identificar e tratar esta porra, de modo a, quem sabe, não virar uma epidemia mundial. A China, por exemplo, vai construir um hospital de mil leitos em uma semana para tentar isolar os doentes.

Todo mundo, menos, é claro, a República das Bananas Brasil. Ministro da Saúde foi a público dizer que o país está totalmente preparado para um surto de Coronavírus, mas que acha muito improvável que ele chegue ao país.

Sim, o país que ainda não concluiu as obras para a Copa de 2014, o país que precisa fazer campanha para que os homens lavem o pinto, o país onde a água supostamente potável e tratada mata o cidadão, é o único que está tranquilo achando que pode lidar com o Coronavírus. Não, não está. E seria menos grave se tivesse essa consciência.

Minha opinião pessoal (que pode estar errada), por puro achismo, é de que ainda não vai ser dessa vez que um vírus dizima boa parte da humanidade. Mas, quando essa hora chegar, o Brasil vai tomar no cu com tanta força que é capaz do país ir parar ao lado da Groenlândia no mapa. O fato de não acontecer uma enorme epidemia e morrer meio mundo não apaga a imbecilidade e arrogância do país em lidar com questões sérias.

Ser incompetente é apenas parte do problema. Se o país é incompetente mas tem consciência disso, pede ajuda, vira quintal de um país civilizado, como é o caso do Panamá, e a população vive mais ou menos bem, dentro das limitações inerentes à condição. A merda é ser incompetente e não ter consciência disso ou tentar negar a realidade, pois aí não se abre as pernas, não se pede ajuda, se age por conta próprio e só acontece desgraça. Nada mais patético do que um visível incompetente dizendo que está tudo sob controle.

Além da incompetência governamental, temos um povo incompetente e obtuso por excelência. Gente com nível universitário completo que para de tomar antibiótico no terceiro dia por já estar se sentindo melhor e querer beber. Gente que não usa camisinha pois acha que consegue dizer quando o outro é “limpinho” e não tem AIDS. Como vocês acham que um povo tosco desse vai se portar em caso de uma epidemia?

Para piorar, os sintomas do Coronavirus são razoavelmente comuns: tosse, febre, falta de ar. Por hora, o diferencial é que a pessoa tenha sido exposta a alguém que esteve no local onde a doença surgiu, mas, se isso virar uma epidemia mundial, esse critério não será mais relevante: todo o mundo será um local de risco. Me diz que brasileiro procura um médico por causa de febre e tosse? Talvez 1%? Vão morrer como moscas.

E depois que muitos morrerem como moscas, vai se instaurar o pânico e os demais procurarão médicos histericamente. Claro que não haverá infraestrutura suficiente para atender a todos, o que pode gerar um cenário de medo, caos e retorno à barbárie.

Repito: eu, no meu achismo, acredito que ainda não vai ser dessa vez. Mas quando um vírus realmente foda chegar, seria bom que você esteja bem longe deste país. Um bando de incompetentes que não tem condição de lidar com o básico, como combater um mosquito ou lavar os genitais, achando que sabe tudo e que dá conta de tudo. Receita de tragédia anunciada.

Eu consigo até visualizar o Brasileiro Médio, que é conhecedor de tudo sem nunca ter estudado nada, achando que tá tranquilo, pois leu que o vírus afeta idosos, pessoas com sistema imunológico enfraquecido. Leigos arrogantes que dificilmente sabem sobre a capacidade de mutação e adaptação de um vírus, alimentando sua ilusão de invulnerabilidade e imortalidade com fragmento de informação que escutaram no Jornal Nacional.

E periga de dizer tudo isso que eu escrevi aqui para alguém e escutar de volta “Ain, mas você quer o quê? Não adianta nada entrar em pânico”. Minha vida inteira fui exposta a essa falácia: a pessoa que não é minimamente diligente, cuidadosa, menosprezando quem lhe aponta isso como se única outra opção fosse surtar de forma histérica e improdutiva.

Existe um universo de possibilidades entre ser um negligente merdão e um histérico apavorado. Não são as duas únicas possibilidades existentes na vida. Bem, talvez para a pessoa idiota com cérebro do tamanho de um caroço de uva, só seja possível pensar em extremos idiotas, mas não é verdade. Então, ninguém aqui quer que as pessoas fiquem histéricas, nervosas, apavoradas. Ser diligente, ser realista, ser cuidadoso é bem diferente.

Mas, é o que tem para hoje neste país atrasado: ou gente que ri e acha que isso nunca vai acontecer, nunca vai chegar aqui ou gente histérica que entra no medo e começa a se comportar de forma irracional e alarmar os outros de forma improdutiva. O brasileiro só sabe existir sendo um dos dois lados de uma moeda muito polarizada e cagada. Falta inteligência, serenidade e estratégia.

Dá para ser atento, cuidadoso, fazer a sua parte e ainda assim fazer Memes. Não é uma coisa ou a outra. Dá para estar ciente do risco sem estar apavorado e gritando “Vamos todos morrer”. O equilíbrio está dentro, está na mente. Por fora você pode estar mudo ou fazendo piada, tanto faz, o importante é estar equilibrado por dentro. Mas, infelizmente, a única coisa mutável que o brasileiro tem por dentro são vermes.

Não o Coronavírus em si, é toda a postura e mentalidade de um povo e um governo diante uma situação séria, grave e de repercussão mundial. O Brasil está, mais uma vez, se comportando de forma macaquita e passando vergonha.

Para dizer que o Coronavírus vai morrer quando chegar na água do Rio de Janeiro, para cancelar suas compras no Ali Express ou ainda para dizer que isso é invenção da Rede Globo: sally@desfavor.com

SOMIR

Envelhecer tem sua dose de problemas, é claro, mas a experiência é um alento: eu já vi outras crises do tipo surgirem, inclusive na China. O último surto, chamado de SARS, matou mais de 800 pessoas até ser controlado em 2003. Todo mundo ficou com medo na época, mas, a internet era bem mais lenta, limitada e a China ainda estava bem escondida do resto do mundo. A doença, que é basicamente a mesma coisa do coronovírus atual, deu trabalho, mas estava dentro da capacidade humana de controle.

Eu inclusive lembro de previsões alarmistas sobre a doença que acabaria com a humanidade naqueles dias. Vai ser difícil me preocupar muito agora. A humanidade passa longe de ser invencível, mas nossos mecanismos de proteção contra doenças são absurdamente melhores hoje do que foram nos últimos grandes surtos que mataram milhões. O governo chinês demonstra uma preocupação fora da sua característica dessa vez, mas ainda parece suficientemente no controle.

Fazer quarentena em dezenas de milhões de pessoas, construir hospitais improvisados com mil leitos em questão de horas… governos autoritários têm suas vantagens quando há dinheiro e mão de obra disponíveis. Enquanto o pior da doença está concentrado em países com alguma capacidade de organização, a tendência é que as coisas se estabilizem e lembremos desse coronavírus da mesma forma que o SARS: um susto.

Mas, num mundo globalizado, temos uma preocupação extra. O chinês do começo deste milênio não estava tão misturado com o resto do mundo quanto o do ano 2020. Tanto que ao invés de surgirem casos nos países mais perto de suas fronteiras como o surto de 2002, agora eles se espalham pelo mundo. Se o vírus cair no Canadá ou na França, é um problema contornável, porque mesmo sem o governo centralizador, esses países têm estrutura e educação para lidar com o problema. Até mesmo nos EUA, onde é cada um por si na questão de saúde, consegue aplicar recursos e gente capacitada para resolver uma explosão de casos.

Torçamos, no entanto, que dessa vez os ventos da globalização não façam com que países como o Brasil tenham que lidar com esse problema. Porque embora baixa educação e condições insalubres de vida sejam comuns na China também, no Brasil isso vem junto com um poder público ineficiente. Em todos os outros casos, tem um “mas” para ajudar os países que lidariam com o coronavírus, a China não tem educação, mas tem controle; os EUA não têm saúde pública, mas tem estrutura; até mesmo outros países pobres pelo menos têm fronteiras pequenas e pouca gente para isolar.

Mas por aqui, é a sorte que nos protege. País que não erradica doença alguma, não constrói rede de esgoto, não consegue pagar seus médicos e ainda por cima tem uma população que precisa ser lembrada de higiene básica tem problemas quando tudo isso é somado com fronteiras indefensáveis e centenas de milhões de habitantes. Enquanto as doenças estão surgindo na China, o mundo está mais ou menos seguro. Oremos para que não surja uma no Brasil. A piada é que a doença surgiu dos chineses fazendo sopa de morcego, mas uma hora ou outra vai surgir uma de sopa de arara ou mico leão… (eu sei que eu ignorei a meme, mas o povo daqui não deve conhecer).

É muito por isso que eu reforço o coro da Sally e te digo que apesar de pânico não ser uma boa resposta, atenção e cuidado são. Não é para chegar aqui no Brasil com força, mas eu apostaria que num misto de incompetência e arrogância das nossas autoridades, demorariam para acusar o golpe. E não conte com o bom senso de ninguém além de quem você conhece muito bem: brasileiro é conhecido por tomar mais banhos que o resto do mundo, mas não capricha muito, tenha em vista a história do câncer de pênis… e nossos hábitos de higiene do dia a dia são fracos. Pouca gente lava a mão, mesmo depois de ir ao banheiro. Não é hábito usar máscaras quando está gripado, o brasileiro mal aceita ficar de cama quando está passando mal, espalhando seus germes por aí.

Mesmo que você viva numa bolha de civilidade com família e amigos, não se esqueça de onde você está. Não conte com o bom senso do brasileiro médio, não espere ações eficientes do poder público. No primeiro sinal de desconfiança, proteja-se. Há de não ser nada demais e em uma semana estaremos focados em outra notícia, mas caso estejamos diante de uma doença mais difícil de vencer que o esperado, aceite que é você, que tem saco para ler quatro páginas de conteúdo diário, quem vai ter mais capacidade de tomar decisões e escolher caminhos seguros.

Monitore a situação, se sentir que é hora de comprar máscaras e álcool para higienização, que é hora de sair de perto de aglomerações de pessoas e se “esconder” um pouco, faça. Não vai ter muita ajuda chegando. O Brasil não consegue fazer quarentena de um cercadinho de crianças, quanto mais de uma cidade de milhões de pessoas. Os hospitais não vão ter equipamentos para lidar com isso, a não ser que você tenha dinheiro para fazer as coisas pelo sistema particular, nem plano de saúde daria conta de uma epidemia por estas bandas.

Nada de pânico. É quase certeza que vamos achar isso uma bobagem em poucos dias, mas se algo der errado, nós vamos estar com a mentalidade certa. No final das contas, é isso que importa.

Para dizer que viu que é arma biológica, para dizer que viu vídeos de gente caindo nas ruas, ou para dizer que estão escondendo o pior… para de se informar pelas chans, animal: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (8)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: